sexta-feira, 19 de maio de 2017

Leia os documentos da delação dos executivos da JBS

19.05.2017
Do blog do JOTA
Por Márcio Falcão

Os documentos que integram a delação de Joesley Batista, homologada pelo Supremo Tribunal Federal, começaram a ser divulgados há poucos instantes. Leia as íntegras:
O presidente Michel Temer, o senador Aécio Neves e o deputado Rocha Loures serão investigados no STF pelos crimes de corrupção passiva, constituição e participação em organização criminosa e obstrução à investigação de organização criminosa.
Em sua decisão sobre o inquérito contra Temer, o ministro Edson Fachin indica que a Procuradoria-Geral da República poderia investigar o presidente da República inclusive por fatos estranhos ao mandato. A questão está em aberto no Supremo.
O procurador Angelo Goulart é alvo de inquérito sob a acusação de ter recebido pagamentos mensais para repassar informações de investigações envolvendo JBS.
No inquérito que investiga Temer e Aécio, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, escreveu que o senador tucano montou um plano para impedir o avanço das investigações Lava Jato. O nome do ministro do STF Alexandre de Moraes é citado.
Citação ao ministro Alexandre de Moraes
No pedido de abertura de inquérito contra Temer, Aécio e Rocha Loures, a PGR explicou que fez pré-acordo de delação para acompanhar e gravar pagamentos de propinas destinadas a Lúcio Bolonha Funaro, Eduardo Cunha e Aécio Neves. A PGR admite que “o tradicional modelo de celebração de acordos de colaboração premiada (…) mostra-se intempestivo diante da conjuntura dos fatos”.
Ao STF,  Janot afirmou que verifica-se que Aécio, em articulação, dentre outros, com o presidente Temer, tem buscado impedir que as investigações da Lava Jato avancem seja por meio de medidas legislativas, seja por meio do controle de indicação de delegados da polícia que conduzirão os inquéritos. Dessa forma, vislumbra-se também a possível prática do crime de obstrução.
VEJA OS TEMAS ABORDADOS NAS DELAÇÕES:
“Os anexos apresentados versam sobre os seguintes temas: 1) BNDES; 2) Guido Mantega — outros temas; 3) Fundos de pensão; 4) A Interação com Lucio Funaro — CEF/FI-FGTS; 5) Eduardo Cunha e Lucio Funaro/Ministério da Agricultura; 6) A conta-corrente — Lucha Funaro; 7) A interação com Eduardo Cunha — Renovação da desoneração da folha de pagamento; 8) Eleição de Eduardo Cunha para a Presidência da Câmara dos Deputados; 9) Fatos especialmente corroborados por elementos especiais de prova/Michel Temer; 10) Fatos especialmente corroborados por elementos especiais de prova/Aecio Neves; 11) Willer Tomaz/Angelo Goulart; 12) Marcos Pereira — PRB; 13) João Bacelar; 14) João Vaccari/Guilherme Gushiken; 15) Marta Suplicy; 16) José Serra; 17) Antonio Palocci; 18) Guido Mantega/Banco Rural-Original/Troca de chumbo; 19) Mato Grosso; 20) Ceará; 21) Mato Grosso do Sul; 22) Funaro; 23)Gilberto Kassab; 25) A distribuição das propinas nos esquemas BNDES e BNDES-Fundos de pensão; 26) Compra de partidos para a coligação; 27) Gilberto Kassab; 28) Fernando Pimentel-mensalinho; 29) Raimundo Colombo; 30) Deicídio do Amaral; 31) Temer; 32) Aedo Neves; 33) Eunicio Oliveira; 34) Sergio Cabral; 35) Robson Faria e Fabio Faria; 36) Partidos e políticos que receberam pagamentos, contabilizados ou não, sem ajuste de atos de ofício; 37) Luiz Fernando Emediato; 38) Marco Aurelio Carvalho; 39) Rondonia; 40) Agilização para homologação de créditos tributários legítimos – SP; 41) Doleiros – e fluxo de operação para pagamento em dinheiro; 42) Geração de pagamento em espécie.”
*****
Fonte:https://jota.info/justica/leia-a-integra-dos-documentos-da-delacao-da-jbs-19052017

JUIZ SÉRGIO MORO É CONTROLADO POR TEMER, FOI O QUE O PRÓPRIO TEMER ADMITIU EM ÁUDIO - OUÇA

19.05.2017
Do blog VERDADES OCULTAS, 18.05.17
Por FÁTIMA MIRANDA


Da redação do Blog Verdades Ocultas em 18/05/2017

Existe uma grande interrogação no ar quanto ao porque e quais os motivos que levaram a Operação Lava Jato, do juiz Sérgio Moro não chegar nesse esquema que envolveu o Presidente Michel Temer e o Senador (agora afastado pelo STF) Aécio Neves na compra do silêncio do ex Deputado Federal Eduardo Cunha.

Há de se convir que paira uma certa nuvem obscura sobre  o caso Eduardo Cunha desde a protelação da sua prisão até o efetuar da mesma, que como todos sabem, foi uma prisão cercada de cuidados para evitar qualquer escândalo, onde os flashes não puderam reluzir, a grande imprensa não deu destaque, o preso foi conduzido sem algemas, etc. Seria tudo muito compreensível, se o preso não fosse Eduardo Cunha, um dos corruptos mais visados e almejados pela sociedade que pedia na época, sua prisão, sem falar que, quando se trata de outros presos, o show midiático é permitido e o escândalo promovido pela grande imprensa é garantido, a exemplo do sequestro denominado de "coercitiva do ex-presidente Lula", enfim, um verdadeiro estado de exceção explicito.

Depois, o cuidado quanto ao que Cunha fosse falar sobre Michel Temer quanto àquele questionário enviado pelo Eduardo Cunha ao Temer onde Temer foi desobrigado de responder. Por que? Teria sido Temer blindado por Sérgio Moro? A sociedade espera por respostas.
O arquivo de áudio tem duração de 39 minutos com conversas entre um dos donos da JBS, Joesley Batista, e o presidente Michel Temer.


Transcrição

Joesley Batista: Queria te ouvir um pouco, presidente. Como tá nessa situação toda, Eduardo, não sei o que, Lava Jato.

Michel Temer: O Eduardo resolveu me fustigar. Você viu que... Eu não tenho nada a ver com a defesa. O Moro indeferiu 21 perguntas dele, eu não tenho nada a ver com a defesa dele. Eu não fiz nada [inaudível].

Joesley: Eu queria falar assim. Dentro do possível, eu fiz o máximo que deu ali, zerei tudo, o que tinha de alguma pendência daqui para ali, zerou tudo. E ele foi firme em cima e já estava lá, veio, cobrou, tal, tal, tal. Pronto. Acelerei o passo e tirei da fila. O único companheiro dele que está aqui, porque o Geddel sempre estava [inaudível] Geddel é que andava sempre ali, mas o Geddel eu perdi o contato, porque ele está investigado e eu não posso encontrar ele. [...] O que que eu mais [...] O negócio dos vazamentos, [inaudível] Eu to lá me defendendo. Como é que eu, o que eu mais ou menos consegui fazer até agora. Eu estou de bem com o Eduardo...

Temer: Tem que manter isso, viu...

Joesley: Todo mês, também, eu estou segurando as pontas, estou indo. Esse processo, eu estou meio enrolado, assim, no processo [inaudível]...

Joesley: É investigado. Eu não tenho ainda denúncia. Então, aqui eu dei conta de um lado do juiz, então eu dei uma segurada, do outro lado do juiz substituto que é um cara que ficou...

Temer: Está segurando os dois...

Joesley: É, estou segurando os dois. Então eu consegui dentro da força tarefa que também tá me dando informação. E lá que eu estou para dar conta de trocar o procurador. Se eu der conta tem o lado bom e o lado ruim...
******
Fonte:https://jota.info/justica/leia-a-integra-dos-documentos-da-delacao-da-jbs-19052017