quarta-feira, 12 de abril de 2017

Detratores do PT aparecem como virgens na Zona

12.04.2017
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

VIRGENS NA ZONA

Dos políticos alvos de abertura de inquérito por determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), é o que mais acumula pedidos de investigações, cinco ao todo.

Aécio foi citado nas delações feitas por Marcelo Odebrecht, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Sérgio Luiz Neves, Cláudio Melo Filho e Henrique Valladares. Nas denúncias apresentadas ao STF, o Ministério Público Federal diz que o tucano praticou os crimes de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.

No primeiro inquérito, os executivos da maior empreiteira do país afirmam à força tarefa da Lava Jato que Aécio recebeu pagamento de vantagens indevidas em seu favor e em benefício de aliados políticos.

No segundo, os delatores relataram promessa e pagamento de vantagens indevidas ao senador mineiro em troca do apoio do parlamentar em assuntos de interesse da Odebrecht relacionados às usinas hidroelétricas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira.

O terceiro inquérito aberto para investigar a conduta do senador é baseado nas declarações de Benedicto Barbosa e Marcelo Odebrecht de que pagaram a Aécio Neves e aliados “vantagens indevidas” durante campanha eleitoral em 2014.

À Operação Lava Jato, Benedicto Barbosa e Sérgio Luiz Neves disseram que repassaram de forma ilegal, a pedido de Aécio Neves, R$ 5,475 milhões para a campanha eleitoral do então candidato ao governo de Minas Gerais e hoje senador Antonio Anastasia.

O quinto inquérito investigará a suspeita de que Aécio, no início de 2007, recém-empossado para o segundo mandato como governador de Minas Gerais, teria organizado esquema para fraudar processos licitatórios, mediante organização de um cartel de empreiteiras, na construção da Cidade Administrativa (ou Centro Administrativo) de Minas Gerais.

Nunca é demais lembrar a conduta desse indivíduo de sabotar o país e o governo Dilma acusando a todos de corrupção. O vídeo abaixo relembra essa história infame.


Porém, não fica só por aí. O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) recebeu R$ 10,7 milhões em caixa dois do departamento de propina da Odebrecht, segundo delatores da empreiteira.

O acordo de delação homologado pelo Supremo Tribunal Federal diz que um cunhado de Alckmin teria recebido “pessoalmente parte desses valores”. Trata-se do empresário Adhemar Cesar Ribeiro, irmão da primeira-dama paulista, Lu Alckmin.

O documento afirma que R$ 2 milhões foram aplicados na campanha do tucano ao Palácio dos Bandeirantes em 2010 e o restante na de 2014, “todas somas não contabilizadas”, ou seja, caixa dois.

Há pouco tempo, porém, o tucano, durante coletiva de imprensa, disse que ‘Lula é o retrato do PT, partido envolvido em corrupção’, conforme matéria do jornal O Estado de São Paulo de 16 de janeiro de 2017. Naquele evento, afirmou que Governador de São Paulo opina que ex-presidente petista não teria “compromisso com as questões de natureza ética”
Cara-de-pau.

Fachin também autorizou a abertura de inquérito para investigar o senador José Serra sob suspeita de receber pagamentos irregulares da Odebrecht em troca da defesa de interesses da empreiteira.

Serra é suspeito de receber pagamentos irregulares em diferentes campanhas eleitorais. Novis, ex-presidente do grupo, diz ter realizado contribuições com a expectativa de que o político favorecesse a empresa no futuro.

Ele relata o pagamento de R$ 2 milhões para campanha à Prefeitura de São Paulo em 2004 e de R$ 4 milhões para campanha ao governo do Estado em 2006. Durante a gestão dele no governo, a Odebrecht sagrou-se vencedora em diversos processos licitatórios, segundo a PGR.

Em 2008, ano em que Serra era governador, ele teria solicitado diretamente à Odebrecht o pagamento de R$ 3 milhões para campanha à prefeitura da capital. Não é identificado quem foi o beneficiário do valor.

Em 2009, após negociação com o então presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, a empresa teria repassado R$ 23,3 milhões para custear campanhas majoritárias, inclusive a de Serra à Presidência da República no ano seguinte.

Em troca, teriam sido acertados valores devidos ao grupo por obras no Estado.

O mesmo Serra nunca perdoou denúncias contra o PT. Certa vez, deu a seguinte declaração sobre os petistas:

“Mais uma vez, você está vendo escândalos envolvendo o governo [do PT]. Mais uma vez é aquela história do não vi nada, não sei de nada, não é comigo, é invenção da imprensa. Eu fico pensando: qual o Brasil que queremos deixar para os nossos filhos?”, disse Serra.

O mais desavergonhado, porém, talvez seja o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) também foi citado na delação premiada da Odebrecht. O patriarca do grupo, Emílio Odebrecht, afirmou ter pago “vantagens indevidas não contabilizadas” às campanhas presidenciais de FHC, em 1993 e 1997.

“Vantagens indevidas” é “ótimo”. E olhem que a Lava Jato se eximiu de apurar a privataria tucana, na qual as mais importantes empresas públicas brasileiras foram doadas ao capital privado, e o mais escandaloso escândalo abafado da história, a compra de votos de deputados para aprovarem a emenda que permitiu ao ex-presidente tucano se candidatar à reeleição em 1998.

Sempre vale rever o que foi aquilo na reportagem do insuspeito jornalista Fernando Rodrigues, do Grupo Folha de São Paulo.


E por aí vai. Todos os mais inclementes detratores tucanos ou não tucanos do PT estão envolvidos até o pescoço em tudo aquilo de que acusaram tanto o partido.

Em minha opinião, todos esses acusados são inocentes até prova em contrário. Temos que entender que não adianta acusarmos os adversários políticos e calarmos sobre acusações aos “nossos” políticos.

A postura mais decente, mais cidadã, mais coerente é esperar que tudo seja esclarecido para, só então, fazer juízo de valor.

Porém, todos os dias um bando de pilantras financiados pelos partidos antipetistas vêm a este e a outros blogs dizerem que “caiu a casa do Lula”, “caiu a casa do PT”, que o PT, o PT, o PT…

Vagabundos. Pilantras. Sem-vergonhas.

Gente sem moral, sem coragem, sem vergonha na cara. Acusam só o PT mesmo estando carecas de saber que não existe partido que não possa ser acusado e que, por isso, o mais certo, prudente e decente é esperar as investigações e as decisões da Justiça.

Tudo isso que aconteceu na última terça-feira vai ter um efeito terrível sobre o país. A economia vai parar de vez. O desemprego vai explodir, empresas vão quebrar, vidas serão destruídas. Mas pelo menos os brasileiros estão vendo que o linchamento do PT foi um dos atos mais sem-vergonhas da história deste país.

Agora resta ver o comportamento do STF. Será duro com Aécio Neves, José Serra ou Geraldo Alckmin como foi com José Dirceu, José Genoino e outros petistas no escândalo do mensalão? Veremos Aécio na Papuda?

Ah, sei, os tucanos são inocentes, os crimes atribuídos a eles não são tão graves…

Essa fascistada mercenária que infesta a internet vai vir com aquele papo “que sejam todos punidos” e, em seguida, vai continuar falando só do PT como se houvesse qualquer diferença nas acusações.

Como este Blog antecipou várias vezes, porém, a grande novidade nessas delações seriam os tucanos graúdos. Pelo menos, agora, vamos ver se eles calam suas bocas infectas e deixam a Justiça seguir seu curso. E param de agir como virgens na zona de meretrício
*****
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2017/04/detratores-do-pt-aparecem-como-virgens-na-zona/
Postar um comentário