sábado, 25 de março de 2017

Blogueira é processada após comentários negativos contra criança com Down

25.03.2017
Do portal FOLHA DE PERNAMBUCO, 24.03.17
Por Fran Palmeira, do Portal FolhaPE

Julia Salgueiro, que assinava o blog ModaModaModa, comparou portadores da síndrome com cachorros e os chamou de "toin toin" 

Blogueira Julia Salgueiro responderá por injúria qualificada após fazer comentários preconceituosos contra pessoas  portadoras da Síndrome de Down
Blogueira Julia Salgueiro responderá por injúria qualificada após fazer comentários preconceituosos contra pessoas portadoras da Síndrome de DownFoto: Reprodução/Facebook

Uma publicação em rede social em homenagem a uma criança com Síndrome de Down se transformou em Boletim de Ocorrência por injúria nesta sexta-feira (24) . O caso aconteceu no Recife e a acusada é a jornalista, modelo e blogueira de Moda Julia Salgueiro, que assina o blog ModaModaModa.

Na terça-feira (21), data em que é comemorado o Dia Internacional da Síndrome de Down, a jornalista Juliana Preto postou no Facebook uma foto com o sobrinho, uma criança de 11 meses, portador de Síndrome de Down. O post foi publicado em modo público como forma de homenagear e dar visibilidade às pessoas que têm essa síndrome. Entre os comentários, o da blogueira Julia Salgueiro chamou a atenção por fazer uma infeliz comparação. “É que nem filhote de cachorro. Lindos quando são pequenos (...)”, escreveu ela, entre outras palavras de teor negativo. 

A blogueira ainda fez comentários negativos sobre pessoas adultas com Síndrome de Down que têm relações sexuais. “É nojento” e “Vai sair um monte de filhote de toin toin”, escreveu a blogueira na publicação de Julia. Após a recepção negativa de seus comentários, em sua rede social, Julia escreveu uma publicação sobre ser hostilizada por “pensar diferente”. "Voltei a aprimorar minha fama de 'má' (...), 'monstra' entre outras coisas que denominam os seres pensantes que raciocinam diferente da boiada". 

Ao fim da publicação, ela pedia sugestões de séries “pensantes”, mas, entre os comentários, acabou por ratificar sua opinião sobre as pessoas com deficiências. "Não vale aquela dos zumbis. Sei que apesar de ser muito filosófica, ela é nojenta (assim como o sexo entre deficientes mentais)". De acordo com livro "Diversidade - Mídia e Deficiência", publicado pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância, a terminologia mais correta para se referir a alguém que tem déficit intelectual ou transtorno mental é “pessoa com deficiência/doença mental”. A adequação da fala e uso da terminologia correta se dá para promover a inclusão social das pessoas. 

A mãe da criança, Maria Cláudia Albuquerque, registrou um Boletim de Ocorrência contra a blogueira nesta sexta na Delegacia de Casa Amarela. Apesar de Julia ter apagado os comentários, a família registrou todos por meio de prints, que servirão como provas do comportamento da acusada. Em sua página numa rede social, Maria manifestou sua tristeza com o caso. "Sim, existem pessoas cruéis e ruins nesse mundo. Mas jamais nos calaremos. JAMAIS!!! Preconceituosos não terão vez. Faço e farei de tudo para que os direitos do meu filho e de todos os outros sejam respeitados." 

“Ela fez um comentário extremamente ofensivo aos portadores de Síndrome de Down”, classificou o delegado Paulo Rameh, da Delegacia de Casa Amarela, que cuidará do caso. Ele explica que o caso será tratado como “injúria qualificada”, em razão da condição da vítima ser uma criança portadora de deficiência. Ainda de acordo com o delegado, a tia da vítima não conhecia a blogueira pessoalmente, mas a conhecia por meio de redes sociais. 

Para Paulo Rameh, os prints com os comentários da blogueira são suficientes como provas e o processo seguirá. “A expectativa é que ela [Julia Salgueiro] seja intimada já nesta segunda-feira (27) e compareça à delegacia na quarta-feira”, informa. Procurada pela reportagem do portal FolhaPE, Julia não se manifestou. 
Julia Salgueiro comparou pessoas com Down a cachorros e chamou-as de "toin toin"
*****
Fonte:http://www.folhape.com.br/noticias/noticias/cotidiano/2017/03/24/NWS,22229,70,449,NOTICIAS,2190-BLOGUEIRA-PROCESSADA-APOS-COMENTARIOS-NEGATIVOS-CONTRA-CRIANCA-COM-DOWN.aspx

Os nomes da lista suja do trabalho escravo que o governo quer censurar

25.03.2017
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 23.03.17

Nova decisão judicial obriga Ministério do Trabalho a divulgar nomes dos autuados por trabalho escravo. Confira os nomes da lista suja que o governo quer censurar

nomes lista suja trabalho escravo
O ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Alberto Bresciani, derrubou a liminar do presidente da corte, ministro Ives Gandra Martins Filho, aliado de Michel Temer, que possibilitava ao governo a não divulgação dos nomes das empresas e empresários que integram a lista suja do trabalho escravo no Brasil.
Por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), a ONG Repórter Brasil e o Instituto do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo obtiveram a lista com os 250 nomes flagrados por trabalho escravo nos últimos dois anos (veja a lista completa no link abaixo).
A lista foi considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU) um dos principais instrumentos de combate ao trabalho escravo no Brasil, criada em 2003, como exemplo de transparência.
No Brasil, desde 1995, mais de 52 mil pessoas foram “libertadas” após flagradas em condições análogas à escravidão em canteiros de obras, carvoarias, fazendas, oficinas têxteis e propriedades agrícolas.
Na última semana, fiscais do Ministério Público do Trabalho encontraram trabalhadores numa fazenda no Pantanal em situação de escravidão. Um idoso vivia há mais de 20 anos no local sem receber salário, sem condições de higiene. Bebia água suja, fazia as necessidades no mato.
PS.: Leitores relataram problemas para acessar o link acima. O servidor da Repórter Brasil sobrecarregou depois que divulgamos o arquivo. Há um link alternativo da lista aqui para quem não estiver conseguindo acesso no original.
com informações de DW Brasil e Repórter Brasil
****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2017/03/os-nomes-da-lista-suja-do-trabalho-escravo-que-o-governo-quer-censurar.html

quarta-feira, 22 de março de 2017

Sergio Moro vai mandar prender todo blogueiro e jornalista que discordar dele?

22.03.2017
Do portal BRASIL247

Depois de todas as violações cometidas contra Eduardo Guimarães, está claro que estamos vivendo em um regime de censura e perseguição. Resta aguardar para ver quais serão os próximos veículos intimidados e quem serão os blogueiros e jornalistas que terão seus materiais de trabalho confiscados

blogueiro Eduardo Guimarães Sergio Moro
O blogueiro Eduardo Guimarães e o juiz Sergio Moro
O blogueiro Eduardo Guimarães foi alvo de condução coercitiva ordenada por Sergio Moro nesta terça-feira (21). A atitude do juiz da Lava Jato foi considerada abusiva, apontando intimidação, censura, ataque à liberdade de expressão e violação da própria lei.
Muitos jornalistas trouxeram à baila a seguinte questão: quais serão os próximos veículos de comunicação perseguidos e quem serão os blogueiros e jornalistas que terão seus materiais confiscados por simplesmente contestarem as ações do juiz ou exercerem seu direito a divulgar informações mantendo o sigilo de fonte?
Guimarães, que edita o Blog da Cidadania, teve notebooks, pendrive e até o celular da esposa apreendidos. Moro quer saber como ele antecipou uma ação contra o ex-presidente Lula no ano passado.
A mesma ação foi cantada com antecedência por outros jornalistas que integram a grande mídia, mas só Guimarães, o único de esquerda, incomodou Sergio Moro.
É o que lembra Kennedy Alencar: “A Operação Lava Jato tem sido marcada por vazamentos. Não dá para adotar dois pesos e duas medidas em relação a quais vazamentos podem ou não ser tolerados por policiais, procuradores e juízes. Aceitar isso é flertar com perigosa tentação autoritária”, afirmou o jornalista.
Monica Bérgamo, da Folha, que também criticou a ação de Moro contra Guimarães, pediu esclarecimentos ao juiz sobre a condução coercitiva do blogueiro e recebeu a seguinte resposta, por escrito: “sem comentários”.
Até mesmo Ricardo Noblat, do jornal O Globo, considerou injustificável o que aconteceu com Guimarães. “Sergio Moro deve melhores explicações a respeito [da condução coercitiva de Guimarães]. Jornalista que publica informações vindas de vazamento não comete crime. Ninguém mais do que a PF vaza informações que lhe interessam”, escreveu Noblat.
Luis Nassif, do GGN, lembra que o ministro Celso de Mello, decano do STF, considerou recentemente o sigilo de fonte como um direito da sociedade, e não de jornalistas. “Além disso, ao não reconhecer mais o diploma de jornalista como pré-condição para a prática da profissão, o STF acabou com a classificação restrita de jornalista”.
Nassif observa ainda que a condução coercitiva do blogueiro representa um episódio de vingança pessoal de Moro: Guimarães, crítico da Operação Lava Jato, é autor de uma representação contra o juiz no Conselho Nacional de Justiça.

O que dizem juristas?

Diversos juristas reforçam o argumento de que Moro extrapolou todos os limites da lei na condução coercitiva de Eduardo Guimarães.
“Os constantes vazamentos de informações sobre operações da polícia precisam ser investigados, mas não se pode pretender punir um jornalista que divulgou informação verídica sobre a qual não tinha nenhum dever de sigilo”, ponderou Eloísa Machado, professora e coordenadora do curso de Direito da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo (FGV/SP).
Ainda ontem, Sergio Moro chegou a afirmar ao deputado Paulo Teixeira que o blogueiro Eduardo Guimarães, por não ser jornalista de formação, não estava resguardado pelas garantias inerentes à imprensa.
Pedro Estevam Serrano, professor de Direito Constitucional da PUC/SP, rebate o argumento do juiz da Lava Jato: “Houve uma inobservância do direito de fonte garantido ao exercício do jornalismo, o que implica também agressão ao princípio democrático. O registro de jornalista tem sentido trabalhista, apenas. O STF já decidiu em plenário que jornalismo é de exercício livre, sem requisitos como diploma, registro, etc”.

Redes Sociais

A repercussão na internet foi, em sua maioria, contrária à ação de Moro. Até mesmo comentaristas de portais como Folha e G1, que costumam aplaudir e carimbar tudo o que faz o juiz da Lava Jato, consideraram que dessa vez ele se excedeu.
“Operação lambança. Não sou petista, mas pra tirar a liberdade tem que ter motivo. Não parece o caso. Vamos aguardar e ver onde isso vai parar”, escreveu um internauta.
“Sombrio esses tempos e essas operações policialescas, juízes arbitrários, coerções, aparições públicas de autoridades excessivamente desinibidas, defesas e antecipações de julgamentos sem qualquer escrúpulo, violação de lei por magistrado sem qualquer penalidade por tal infração, etc…Já passou da hora desses servidores públicos serem tratados como seres humanos mortais, e não como divindades, potentados. Onde está o PL do abuso de autoridade, onde está a Nova Lei da Magistratura?”, questionou outro usuário.
“Se podem apreender celulares e tablets para descobrir suas fontes, por que não fazer o mesmo com os jornalistas da globo que vazam tudo?”, perguntou uma internauta.
No ano passado, Sergio Moro irritou-se com um artigo publicado na Folha pelo professor emérito da Unicamp, Rogério Cezar de Cerqueira Leite. Na ocasião, o juiz da Lava Jato quis interferir no que o jornal deveria publicar (relembre aqui).
****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2017/03/sergio-moro-prender-todo-blogueiro-e-jornalista.html

O truque do Janot para implodir a candidatura do Lula

22.03.2017
Do portal AGÊNCIA CARTA MAIOR, 16.03.17
Por  Jeferson Miola
Janot seguiu Maquiavel: ‘aos amigos, os favores; aos inimigos, a lei’. Os golpistas, mesmo com indícios de crimes, serão embalados no berço do STF.
Marcelo Camargo/ Agência Brasil
O que poderia ser celebrado como sinal de normalidade institucional – os pedidos do Rodrigo Janot ao STF para abrir inquéritos das delações da Odebrecht – na realidade é apenas um truque do procurador-geral para proteger o bloco golpista, em especial o PSDB; mas, sobretudo, para [ii] viabilizar a condenação rápida do Lula e, desse modo, impedir a candidatura do ex-presidente em 2018, isso se a eleição não for cancelada pelos golpistas.
Janot seguiu fielmente Maquiavel: “aos amigos, os favores; aos inimigos, a lei”. Os golpistas, cujos indícios de crimes são contundentes, com provas de contas no exterior, jantares no Palácio Jaburu, códigos secretos para recebimento de dinheiro da corrupção e “mulas” para carregar propinas, serão embalados no berço afável do STF.
Lula, sobre quem não existe absolutamente nenhuma prova de crime, foi denunciado por Janot e será julgado por Sérgio Moro, um juiz parcial, que age como advogado de acusação. Ele é movido por um ódio genuíno e dominado por uma obsessão patológica de condenar Lula com base em convicções [sic]. Janot entregou a este leão faminto e raivoso a presa tão ansiada.
Os fatores que permitem prospectar esta hipótese da sacanagem do Janot são:
1-as listas parciais divulgadas em 14 e 15/03/2017 implodiriam qualquer governo, quanto mais o apodrecido e ilegítimo governo Temer – implodiriam, mas não implodirão, porque estamos num regime de exceção;
2-foram denunciados nada menos que: seis ministros [Padilha, Moreira Franco, Aloysio Nunes, Bruno Araújo, Kassab e Marcos Pereira] os dois sucessores naturais do presidente em caso de afastamento do usurpador [Rodrigo Maia e Eunício Oliveira] o idealizador da “solução Michel” para estancar a Lava Jato, atual presidente do PMDB [Romero Jucá] o presidente do PSDB [Aécio “tarja-preta”] quatro senadores da base do governo cinco governadores três deputados que apóiam Temer três senadores da oposição dois deputados de oposição;
3-uma pessoa iludida poderia concluir: “é uma decisão corajosa e imparcial do Janot”; afinal, ele investiga personagens poderosos e, aleluia, inclusive o PSDB. Ilusão: esta é, exatamente, a manobra diversionista do Janot;
4-os denunciados do governo golpista, todos eles, inclusive os sempre protegidos tucanos, têm foro privilegiado, e por isso serão investigados pelo STF, e não nas instâncias inferiores do judiciário [com minúsculo]. É verdade que Janot denunciou também golpistas sem foro privilegiado. Esses, porém, são as “genis” Eduardo Cunha e Sérgio Cabral, já presos; e Geddel Vieira Lima, que já está no corredor do cárcere;
5-o supremo [com minúsculo], demonstram estudos da FGV, é a instância mais lenta, mais politizada [eventualmente mais partidarizada, para não dizer tucana] e mais inoperante do judiciário. A primeira lista do Janot, por exemplo, entrou no sumidouro do STF há dois anos [em março/2015], e lá dormita até hoje, sem nenhuma conseqüência na vida dos políticos denunciados por corrupção;
6-a composição ideológica do STF é aquela mesma que, agindo como o Pôncio Pilatos da democracia brasileira, lavou as mãos no processo do impeachment fraudulento, e assim converteu o supremo em instância garantidora do golpe de Estado que estuprou a Constituição para derrubar uma Presidente eleita com 54.501.118 votos;
7-é fácil deduzir, portanto, qual será a tendência do STF na condução dos processos dos golpistas. Se esses julgamentos iniciarem antes de 2021, será um fato inédito.
A lista do Janot é um instrumento ardiloso da Lava Jato e da mídia para a caçada do Lula. Janot faz como o quero-quero, pássaro que grita longe do ninho para distrair os intrusos, afastando-os dos seus filhotes.
As instituições do país estão dominadas pelo regime de exceção que violenta a Constituição para permitir um processo agressivo e continuado de destruição dos direitos do povo, das riquezas do país e da soberania nacional.
O anúncio imediato da candidatura presidencial do Lula, abrindo uma etapa de mobilizações permanentes e gigantescas do povo, é a urgência do momento. É a garantia de proteção popular do Lula contra os arbítrios fascistas do regime de exceção e, ao mesmo tempo, fator que pode modificar a correlação de forças na sociedade.
O êxito dos protestos deste 15 de março, que levaram milhões de trabalhadores às ruas em todo o país, é um sinal positivo da retomada da resistência democrática e da luta contra o golpe e os retrocessos.
A democracia e o Estado de Direito somente serão restaurados no Brasil com a mobilização popular intensa e radical, e a candidatura do Lula é um motor para esta restauração.
****

terça-feira, 21 de março de 2017

Isaltino propõe inclusão de índios, ciganos e quilombolas no sistema de cotas

21.03.2017
Do BLOG DA FOLHA

A proposição será encaminhada à Mesa Diretora Alepe para apreciação nas comissões permanentes

Líder do Governo na Assembleia Legislativa, Isaltino Nascimento (PSB)
Líder do Governo na Assembleia Legislativa, Isaltino Nascimento (PSB)
 
Foto: Rogério França;Folha de Pernambuco
Líder do Governo na Assembleia Legislativa, Isaltino Nascimento (PSB)O deputado estadual Isaltino Nascimento (PSB) quer a inclusão de índios, ciganos e quilombolas na Lei 14.538 que trata da reserva de vagas para concursos e instituições de ensino superior técnico ou especial no âmbito estadual. Para tanto, apresentou a proposta nesta terça-feira (21), Dia Internacional contra a Discriminação Racial. A proposição será encaminhada à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para apreciação nas comissões permanentes. 

De acordo com a justificativa da proposta apresentada, são povos e comunidades historicamente lesados pela discriminação social e que necessitam estar inseridos nas políticas de inclusão tecnológica, educacional, qualificativa para o mercado de trabalho. “Sofreram perseguições ao longo dos anos em razão de sua cultura, credo, origem étnica”, explicou o deputado.

Atualmente, 20% das vagas para concursos públicos e 50% para instituições de ensino superior são destinadas para negros, no âmbito federal. A proposta é incluir indígenas, quilombolas e ciganos para que sejam beneficiados no sistema de cotas. 

Dados da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e da Fundação Cultural Palmares apontam que Pernambuco possui mais de 34 mil indígenas e cerca de 19 mil quilombolas. Já a Associação de Ciganos de Pernambuco (Acipe) informa que a comunidade está espalhada por diversos municípios e soma aproximadamente 20 mil ciganos. 

A proposição deverá passar pelas comissões permanentes de Educação e Cultura; Constituição, Legislação e Justiça; Finanças, Orçamento e Tributação; Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular, Administração.

****
Fonte:http://www.folhape.com.br/politica/politica/blog-da-folha/2017/03/21/BLG,2367,7,509,POLITICA,2419-ISALTINO-PROPOE-INCLUSAO-INDIOS-CIGANOS-QUILOMBOLAS-SISTEMA-COTAS.aspx

Eleições Geap 2017: Chapa 1 agradece pela vitória

21.01.2017
Do canal do YOUTUBE do SINDSPREV/PE

****
Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=6NJ1KbqQa_o

EDUARDO GUIMARÃES: NÃO EXISTE RAZÃO LÓGICA PARA ESSA CONDUÇÃO COERCITIVA

21.03.2017
Do portal BRASIL247 

Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/286080/Eduardo-Guimar%C3%A3es-N%C3%A3o-existe-raz%C3%A3o-l%C3%B3gica-para-essa-condu%C3%A7%C3%A3o-coercitiva.htm

quinta-feira, 16 de março de 2017

As mentiras de Temer e da mídia contra a Previdência Social

16.03.2017
Do portal da CUT NACIONAL, 14.03.17
Por João Felício*

Resultado de imagem para JOAO FELÍCIO CUT NACIONALCom o mote “Previdência, Reformar para não acabar”, o desgoverno Temer e os seus papagaios midiáticos buscam dar asas às mentiras do grande capital na mais criminosa investida jamais vista contra esta importante conquista do povo brasileiro.

Como, apesar das sucessivas sabotagens objetivando a privatização da Previdência Pública, não podem deixar de reconhecer a sua sustentabilidade atual, os neoliberais projetam, sem qualquer base na realidade, “problemas” de caixa para as próximas décadas, chegando a citar o distante ano de 2060.

Ao mesmo tempo em que propõem que o brasileiro sue por muito mais tempo para se aposentar – no caso dos trabalhadores rurais cinco anos e no das mulheres dez anos a mais! – se esforçam para povoarem os jornais e revistas, a rádio e a televisão com o mais escancarado terrorismo. A mesmíssima época de trevas vislumbrada pela propaganda do PMDB: “Se a Reforma da Previdência não sair: Tchau Bolsa Família, adeus Fies, sem novas estradas, acabam os programas sociais”.

Alguém já alertou que a prática deve ser o critério da verdade. E as informações – mesmo que abafadas pelos cifrões – sempre rompem os grilhões da censura. Exemplo disso é a escandalosa montanha de R$ 426 bilhões devida ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) por bancos como o Bradesco e empresas monopolistas como a Marfrig, a JBS e a Vale. Como grandes anunciantes, naturalmente contam com o beneplácito dos conglomerados de comunicação, que não registram o monumental abuso nem sequer numa simples nota de rodapé.

Para dar uma dimensão do montante que estamos falando, esta dívida empresarial – apurada pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) - supera em três vezes o tão propalado “déficit” da Previdência em 2016. Ou seja, a mídia “esqueceu” de anotar e o governo “esqueceu” de computar nos seus cálculos o rombo, este sim real e abjeto, causado pela inadimplência e pelo não repasse das contribuições previdenciárias. Vale dizer que a maior parte destes R$ 426 bilhões pertence a algumas poucas empresas e que tão somente 3% delas concentram mais de 63% da dívida previdenciária. Das 32.224 empresas que mais devem, conforme a Procuradoria, 82% estão ativas.

Ao mesmo tempo, como bem adverte o estudo “Previdência: reformar para excluir?”, elaborado pela Associação Nacional dos Fiscais da Previdência (Anfip) e pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioconômicos (Dieese), o governo não faz qualquer referência aos monumentais gastos com os juros sobre a dívida pública, Uma verdadeira sangria que, em 2015, totalizou R$ 502 bilhões, superando os R$ 486 bilhões com os gastos previdenciários. Os assaltantes da Previdência também silenciam sobre as desonerações tributárias, que totalizaram R$ 280 bilhões em 2015 (o governo federal abre mão de 20% das suas receitas) e ao fato de que anualmente o governo deixa de arrecadar cerca de R$ 452 bilhões (2015) porque não há políticas eficazes de combate à sonegação fiscal.

Pelos cálculos de Temer – que se aposentou aos 55 anos, recebendo mais de R$ 30 mil mensais pelo tal “benefício” – nada há de anormal ou injusto na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287/2016 tirar os direitos – e o couro – dos mais pobres. A simples comparação entre um trabalhador brasileiro com um da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) já demonstra até onde vai o mau caratismo do sujeito. Afinal, enquanto na OCDE os trabalhadores vivem em média 81,2 anos, seis anos e meio com saúde, no Brasil vivemos em média 75 anos, apenas seis meses com saúde para aproveitar a aposentadoria.

É preciso esclarecer que para conseguir a tão almejada aposentadoria integral aos 65 anos, o trabalhador teria que estar empregado desde os 16 anos, contribuindo, ininterruptamente, por 49 anos. Já para receber a microscópica aposentadoria parcial, teria de contribuir durante 25 anos, dez anos a mais do que na atualidade. A PEC também propõe redução do benefício por invalidez, fim da proteção aos trabalhadores de profissões perigosas ou insalubres, entre outras medidas para “aliviar o caixa”. Um verdadeiro saco de maldades para beneficiar a manutenção de uma política servil ao sistema financeiro, o que somente destampa a verdadeira latrina que é este governo.

É contra a grande maioria dos trabalhadores, já tão relegados a uma vida sem descanso nas distantes periferias, a acordar cedo à procura de empregos de segunda categoria, com baixos salários e longas e extenuantes jornadas, a andar horas a pé ou de pé em ônibus e trens superlotados, que Temer prepara o seu assalto. É em defesa destes milhões de seres humanos que merecem um presente e um futuro de justiça e dignidade que nos levantamos, desmascarando a farsa desta “reforma” que querem jogar sob os ombros dos mais pobres.

Vamos à luta! Venceremos!

*João Felício é presidente da Confederação Sindical Internacional (CSI).
****
Fonte:http://cut.org.br/artigos/as-mentiras-de-temer-e-da-midia-contra-a-previdencia-a71f/

Chapa ligada à CUT vence eleições na GEAP para conselhos de Administração e Fiscal

16.03.2017
Do portal da CNTSS/CUT

Chapa 1 - Nossa Chapa foi referendada pelos eleitores com 61,81% dos votos válidos para o CONAD e 61,28% para CONFIS para o exercício de 2017 A 2020






A Chapa 1 – Nossa Chapa consagrou-se vencedora nas eleições realizadas na GEAP – Auto-Gestão em Saúde para definição da nova direção do CONAD – Conselho de Administração e CONFIS – Conselho Fiscal. A votação, realizado na quarta-feira, 15/03, contou com a participação de cerca de 4,6 mil beneficiários/eleitores que puderam exercer seu direito por meio eletrônico ou presencial.  A Chapa eleita para o CONAD obteve 61,81% dos votos válidos e a Chapa eleita para o CONFIS conseguiu 61,28% dos votos válidos. 
 
O resultado foi oficializado pela Comissão Eleitoral formada para acompanhar todo o processo de eleições na GEAP. De acordo com o regulamento, haverá agora o prazo de dois dias úteis para apresentação de recursos, que, caso ocorra, serão julgados por esta Comissão no prazo de até três dias úteis contados a partir do encerramento do prazo de recursos. Estabelecidos estes requisitos, a Comissão Eleitoral encaminhará para a GEAP os nomes dos representantes eleitos, titulares e suplentes, para os Conselhos de Administração e Fiscal. A Confederação acompanhou desde o início o processo de preparação das eleições. O secretário de Organização da CNTSS/CUT e representante do SINDPREV BA, Raimundo Rodrigues Cintra, participou como titular da Comissão Eleitoral que definiu todos os trâmites para o pleito.
 
A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social apoiou a Chapa 1 – Nossa Chapa. De acordo com seu presidente, Sandro Cezar, as eleições foram importantes para o futuro da GEAP. Os trabalhadores puderam escolher seus representantes para os conselhos de Administração e Fiscal para o período de 2017 a 2020. Eleitores de todo o país, segundo Cezar, exerceram este direito de forma democrática e optaram pela Chapa 1 por seu histórico de luta em defesa dos beneficiários do Plano de Saúde e pelo trabalho transparente e sério no gerenciamento deste importante patrimônio dos trabalhadores.
 
“Aproveito esta oportunidade para agradecer aos servidores filiados aos nossos Sindicatos por reiterarem a confiança, a partir de seus votos, nos companheiros da Chapa1 e pelo empenho que tiveram neste momento tão importante para a GEAP. Parabenizo os nossos representantes eleitos para o CONAD e CONFIS e desejo-lhes grande êxito nesta nova empreitada. Temos o desafio de construir uma nova GEAP e tenho certeza que esta tarefa será cumprida com determinação e ousadia”, afirma Sandro Cezar.
 
Representaram a CNTSS/CUT concorrendo pelo CONAD Irineu Messias, do SINDSPREV PE. Messias foi presidente do Conselho de maio a junho de 2016, quando foi destituído pelo governo do ilegítimo Michel Temer. Também faz parte da Chapa 1 para o CONAD o diretor do Sindprev BA, Ricardo Mendonça. Conselheiro do CONAD no período de 2014/2017, Mendonça é servidor público federal do Ministério da Saúde BA e presidente do Conselho Estadual de Saúde da Bahia.
 
Para a disputa do CONFIS, a Confederação contou com a participação de Maria das Graças de Oliveira. Servidora do Ministério da Saúde do Rio de Janeiro, Oliveira é ex-diretora do Sindsprev RJ. Maria da Graça já atuou junto ao Conselho Fiscal como titular de 2014/2017 e foi presidenta de 2014/2016. Outra representante é Deusa Maria Duarte, servidora do Ministério da Saúde do Distrito Federal e ex-diretora do Sindprev DF. Atuou como suplente do Conselho de 2014/2017.
 
O dirigente do Sindsprev-PE Irineu Messias concorreu ao CONAD para dar continuidade ao trabalho que já realiza na defesa dos interesses dos servidores e no combate aos reajustes abusivos praticados pela Geap. Estão entre as prioridades da Chapa eleita a defesa dos interesses dos servidores e o combate aos reajustes abusivos que têm levado muitos a cancelar o Plano de Saúde. A meta principal é garantir a sustentabilidade da GEAP, com participação direta dos representantes dos associados, visando assegurar planos de saúde de qualidade com preços acessíveis, condizentes com a realidade dos servidores. A estimativa é de que cerca de 50 mil pessoas já tenham cancelado por falta de condições para pagamento.
A Chapa vencedora contou também com o apoio de outras entidades nacionais representativas dos trabalhadores: CONDSEF – Confederação dos Trabalhadores nos Serviços Público e Federal, FENADADOS - Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares, ANESG - Associação Nacional dos Empregados da GEAP e ANASPS – Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social.
Veja os números finais do pleito:



 









PROPOSTAS DA CHAPA 1 PARA O CONAD E CONFIS
 
- Continuar lutando contra os reajustes abusivos praticados pela Geap
- Pressionar para que a contribuição do per capita seja paritária: 50% do governo e 50% dos trabalhadores buscando a efetivação da proposta no Poder Judiciário
- Gestão paritária da Geap
- Acabar com a coparticipação
- Lutar pela mudança do atual modelo de sustentação financeira da Geap
- Melhorar a rede credenciada em todo o país, principalmente nas cidades do interior
- Criar planos economicamente mais acessíveis para os servidores de salários mais baixos
- Dar maior flexibilidade na renegociação das dívidas dos beneficiários
- Lutar pela implantação da rede própria da Geap, primeiramente nas capitais, com a finalidade de reduzir custos
- Acompanhar e fiscalizar o cumprimento do Programa de Saneamento Financeiro da Geap
- Por uma Geap competente e mais transparente

José Carlos Araújo
Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT
*****
Fonte:http://www.cntsscut.org.br/destaques/2810/chapa-ligada-a-cut-vence-eleicoes-na-geap-para-conselhos-de-administracao-e-fiscal