terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Geap também diz não ao parto agendado

19.01.2016
Do portal da GEAP AUTOGESTÃO EM SAÚDE, 12.01.16

Imagem relacionada

Uma nova campanha idealizada pelo Projeto Parto Adequado, que visa à melhoria na prática obstétrica no Brasil, reforça a preocupação quanto à realização de cesáreas desnecessárias e busca sensibilizar gestantes e profissionais de saúde para que evitem o parto agendado. A ação, lançada nacionalmente nesta segunda-feira (21), é coordenada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Hospital Israelita Albert Einstein e Institute for Healthcare Improvemente (IHI), e conta com o apoio da Geap Autogestão em Saúde e mais de 30 operadoras de planos de saúde. 


Com o mote “Não ao parto agendado”, os integrantes do projeto pedem que se evite a realização de cesáreas antecipadas e sem indicação, numa época em que, devido às férias, festas de fim de ano e carnaval, é notório o incremento no número de partos cirúrgicos, levando à prematuridade dos bebês. “Para prevenir as gestantes, mobilizar os profissionais de saúde e alertar a sociedade, elaboramos esta campanha, que tem o objetivo de alertar para os riscos das cesarianas desnecessárias”, explica a diretora de Desenvolvimento Setorial da ANS, Martha Oliveira.
Para a gerente de Promoção à Saúde da Geap, Luciana Rodriguez, a iniciativa contribui para consolidar o entendimento de que a opção pelo parto cesáreo se faz necessária somente em caso de indicações médicas. “A cesariana sem indicação amplia a probabilidade de problemas respiratórios para o recém-nascido e triplica o risco de morte da mãe”, exemplifica.  
Luciana Rodrigues ressalta que o parto normal acontece no momento exato e de forma natural, e todo o processo acarreta efeitos psicológicos e emocionais positivos, tornando a mãe mais preparada para essa nova fase. “Estudos demonstram que hormônios naturalmente atuantes durante o trabalho de parto favorecem o vínculo entre mãe e bebê, o aleitamento materno e a recuperação pós-parto”, complementa a gerente de Promoção à Saúde. 
Além de operadora de referência no projeto Parto Adequado, a Geap destaca-se por apoiar múltiplos hospitais seguidores do projeto em diversos estados. Desde a implantação do programa em 1º de julho de 2015, a empresa já realizou diversas ações, entre elas: o acompanhamento e monitoramento das gestantes; a distribuição de materiais informativos de incentivo ao parto adequado; e incentivos financeiros aos prestadores envolvidos no projeto. De julho a outubro de 2015, foram realizados 154 partos normais pela Geap.
Entenda os riscos da cesárea – Estudos científicos apontam que bebês nascidos de cesarianas apresentam riscos maiores de dificuldades respiratórias e são internados em UTI neonatal com mais frequência. Quando não tem indicação clínica, a cesariana aumenta em 120 vezes a probabilidade de problemas respiratórios para o recém-nascido e triplica o risco de morte da mãe. Cerca de 25% dos óbitos neonatais e 16% dos óbitos infantis no Brasil estão relacionados à prematuridade. 
Em cesarianas desnecessárias, o recém-nascido pode sofrer complicações respiratórias imediatas, e se o parto for realizado antes das 39 semanas de gestação, o nascimento pode ocorrer antes da completa maturação pulmonar do bebê. E como em toda intervenção cirúrgica, existe risco de mortalidade derivada do próprio ato cirúrgico ou da situação vital de cada paciente.
“Não há evidências científicas que justifiquem agendar um parto com antecedência, salvo algum risco claro para a saúde da mãe e do bebê. Por isso é importante se informar, buscar a opinião de outros profissionais, conversar com o seu médico”, destaca a coordenadora do projeto Parto Adequado na ANS, Jacqueline Torres.
O trabalho de parto, ao contrário de um sofrimento para a criança, significa amadurecimento: a intensificação gradual das contrações musculares do corpo da mãe, necessárias para o bebê nascer, favorece a prontidão para o nascimento e o contato com o mundo – ritmo cardíaco, fluxo sanguíneo e maturação pulmonar são gradativamente trabalhados.
Projeto Parto Adequado – O projeto Parto Adequado é uma iniciativa desenvolvida pela ANS, pelo Institute for Healthcare Improvement (IHI) e pelo Hospital Albert Einstein, que envolve 42 hospitais e mais de 34 operadoras de planos de saúde de todo o país.
Em seis meses de implantação, a iniciativa ajudou a aumentar em 7,4 pontos percentuais a taxa de partos normais nos estabelecimentos participantes, iniciando a reversão dos altos números de cesáreas registrados nos últimos 10 anos no Brasil. Nos 42 hospitais públicos e privados que estão desenvolvendo a iniciativa, a taxa de partos normais está em uma curva ascendente: passou de 19,8% em 2014 (média) para 27,2% em setembro de 2015. A redução da taxa de cesáreas para 72,8% após a implantação do projeto equivale ao salto que o índice deu em praticamente uma década – de 2006 a 2015 – período em que passou de 75,5% para 85,5%.
NOTA do BLOG: As imagens acima não constam na matéria originais. 
****
Fonte:http://www.geap.com.br/NOTICIAS/noticias-lista.asp?NroNoticia=4166
Postar um comentário