terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Cerveró: ah, foi Manoel quem me falou...

19.01.2016
Do blog CONVERSA AFIADA, 18.01.16
Por Paulo Henrique Amorim  

É uma completa esculhambação!
aécio.jpg
De Dona Mancha
De Fernando Brito, no Tijolaço:

Ainda não deu vergonha em publicar delação de Cerveró?

O Valor publica e a Folha reproduz mais uma “delação” de Cerveró,  daquelas  que mudam a toda hora.

Link permanente da imagem incorporada
Agora – não se sabe se no “rascunho” ou no “passado a limpo” – Cerveró diz que a campanha de Lula recebeu “até” R$ 50 milhões por uma negociação de áreas petrolíferas em Angola.

Como eram negócios da área internacional da Petrobras, era de se esperar que Cerveró tivesse falado em detalhes das negociações, dos pagamentos, de transferências a terceiros, sobrepreços que tivesse sido encarregado de providenciar.

Mas não, ele diz que o negócio foi condizido de governo a governo e ele não ficou sabendo de nada.


Quer dizer, ficou, porque o vice-presidente de Angola, Manuel Vicente, então dirigente da petroleira local, a Sonangol, seria seu amigo e teria dito que mandara “R$ 4o a 50 milhões” para a campanha lulista.

Cerveró acrescenta que tudo o que sabe foi por este meio, a suposta declaração de Vicente.

Agora, caro leitor e e estimada leitora, imagine se um dirigente de empresa pública, com carreira política – tanto que é vice-presidente – vai chegar assim, do nada, e dizer:

 – Ó pá, sabes aqueles blocos de petróleo que tua empresa comprou? Pois não é de dali demos de quarenta a cinquenta milhões de reais pra a campanha do Lulinha? Somos homens de partido!

A troco de que se ele, Cerveró, não tinha participado dos entendimentos, feito nada e nada teria que fazer? Para ver se Cerveró lhe falaria, sabendo de tantos milhões, “pô, aê, Mané, se tu arrumô cinquentinha para o Lula, arruma aí unziho para mim também”?

Ridículo, inverossímil e sem absolutamente nada, absolutamente nada a sustentar a história: é só mais um “eu digo que ele disse que teria feito”.

A menos, claro, que o Dr. Moro fosse mandar o japonês prender um vice-presidente estrangeiro e mantê-lo encarcerado por meses, até queele dissesse: “ai, Dotoire, m’solta-me que eu digo o que o Dotoire quiser qeu diga”

É por isso que está no rascunho, como todos os ensaios que Cerveró fez para entrar no “Feirão da Delação” das “Lojas Moro”, onde seu “desconto” ficou “só” em 90% da pena – de 17 anos e 3 meses vai cumprir um ano e meio –  e ele está tentando chegar ao máximo, para já dar por pagos os seus pecados e sair livre.

Cerveró está na dele, jogando o jogo como lhe ofereceram e, deixando, denuncia até a Brigitte Bardot.

Agora, o bandido vazador e os jornais que publicam este tipo de lixo sem qualquer indício minimamente concreto, sem um documento senão o que um desesperado que faz qualquer coisa para atender seus carcereiros e sair da cadeia não tem explicação senão irresponsabilidade.

Como, porém, cometer crime de violação de sigilo funcional e ataque à  honra alheia – desde que o “alheio” – seja o Lula, não “dá” nada, vamos que vamos…

Se nem colocar escuta clandestina dentro da sede da PF em Curitiba é problema, que dirá vazar uma sujeira destas, que nem para a delação foi, de tão inservível?
*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/cervero-ah-foi-manoel-quem-me-falou
Postar um comentário