sexta-feira, 30 de outubro de 2015

O que os “machadianos” têm a dizer sobre a atual conjuntura política?

30.10.2015
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 29.10.15
Por Luiz Phelipe Fernandes de Freitas, Geledés

De Quincas Borba a Eduardo Cunha, o que os “machadianos” têm a dizer sobre a atual conjuntura política? Machado de Assis, há muito, fazia uma leitura da sociedade moderna e a sua relação com a “finitude” dos seus recursos – falemos de Brasil [...]

machado assis eduardo cunha quincas borba
Há certas riquezas que inevitavelmente não podem ser desfrutadas por todos e a literatura realista brasileira sugeria como resultado natural desse conflito de interesses a lei do mais forte. Aperfeiçoada ao longo do tempo e afastada de um imaginário meramente fisiológico, hoje, mais atual que nunca.
Para nós, qualidade de vida, direitos e dignidade. Para as tribos de Quincas, batatas. Machado de Assis por meio dos personagens Quincas Borba e Rubião, há muito fazia uma leitura da sociedade moderna e a sua relação com a “finitude” dos seus recursos – falemos de Brasil. Você pode até imaginar uma metáfora óbvia, na qual os políticos representam uma das tribos, nós representamos a outra e nosso dinheiro, as batatas. Mas não. Somos o avesso do humanitismo Machadiano. Cultuamos essa “guerra” pelos recursos e saldamos os vitoriosos, sem ao menos fazer parte de qualquer dos lados, embora sejamos os cultivadores do tubérculo.
Não vim aqui falar só de literatura. Antes fosse. O enredo é até semelhante, os personagens é que não são fictícios. Nas terras (já não mais) tupiniquins, uns governam, outros resistem, outros assistem, ninguém colabora. No primeiro capítulo do ensaio, a reação do povo, personagem que não participa da guerra, mas entrega batatas.
PSDB protocola pedido de cassação do mandato de Dilma.
– TCU aponta “pedaladas fiscais” que podem gerar impeachment.
– Eduardo Cunha aprova análise de pedido de impeachment.
– Hélio Bicudo e Miguel Reale protocolam pedido de impeachment na Câmara.
– Internautas criam petição online pro- impeachment para incentivar parlamentares.
– Cunha rejeita um dos quatro pedidos de impeachment.
– TSE retoma pedido de cassação de mandato de Dilma.
– Oposição realiza abaixo-assinado para manifestar desejo de impeachment.
– Surge movimento parlamentar Pro- impeachment (com site institucional e tudo mais).
– TCU avalia contas e tomará decisão que pode gerar impeachment da presidente.

À nossa revelia seletiva, há que se indagar o acontecimento de outros fatos…
-Quem está discutindo se o Cunha (que bem poderia ser o Brás Cubas ainda vivo) pode perder o cargo pelas contas (inclusive já bloqueadas) que mantém irregularmente na Suíça?
-Quem está observando a Câmara facilitando dívidas de outros entes com a União (o que agrava a situação financeira desta)?
-Quem reclamou quando o Senado aprovou o PERDÃO de 2 bilhões (isto é 10 VEZES mais que toda a economia gerada com a proposta da reforma ministerial) para planos de saúde?
-Quem achou um desperdício a Medida Provisória aprovada na câmara e negligenciada no senado que propõe (embora alguns aumentos de tributos) a criação de um shopping para os parlamentares orçado em 1 BILHÃO?
– Quem consegue lembrar que os crimes da Lava-Jato – aquele grande “esquema do PT” contra Petrobras (sic) – envolveu PP, PMDB e PSDB (inclusive com repasses ao ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra)? [Aqui não faltam fontes, mas esse texto condiz com o assunto:
– Quem está preocupado com o aumento dos salários e benefícios que o congresso tem votado em benefício próprio? E que pode gerar efeito cascata nos Estados.
– Quem está de olho na constante pauta de reajuste de vencimentos de servidores públicos de carreira? Reflitamos: A advocacia pública sofria defasagem salarial? Sim. Os servidores do judiciário, MP (Ministério Público) e MP de Contas sofrem com ausência de reajuste e perda real do valor dos seus vencimentos? Sim. Todas as carreiras devem, no decorrer do tempo, serem beneficiadas por reajustes, acompanhando o processo inflacionário e inseridas em um processo de valorização institucional linear? Sim. Ocorre que, o surgimento desse tipo de pauta este ano com as contas como estão e com o impacto que elas podem gerar, não é apenas uma coincidência.
“ Não é só nas ações que a consciência passa gradualmente da novidade ao costume, e do temor à indiferença. Os simples pecados de pensamento são sujeitos a essa alteração, e o uso de cuidar nas coisas afeiçoa tanto a elas, que, afinal, o espírito não as estranha, nem as repele.”
Com o que estamos preocupados, afinal? Sejamos mais criteriosos. Essa “síndrome de Estocolmo” que alimentamos com a oposição do “pró-impeachment” – enquanto eles adotam uma série de medidas que, para prejudicar a governança do executivo federal, atinge diretamente a população – no mais sutil dos eufemismos, não parece sábio. Seríamos Rubião cultivando afeto por Cristiano e Sofia*? [personagens da obra de Machado de Assis, onde aquele primeiro, inundado pela confiança ingênua depositada nos dois últimos, é reduzido à ruína].
Permitam-me um palavreado popular: Se o barco afunda, você vai junto! Quem ganha? Com certeza ganha o Vice, o partido dele, seus aliados e os que se articularem para o novo mandato. Nada ganhamos eu e você. Contudo, vamos ao óbvio (que negamos): Pode tirar a Dilma e colocar o Obama e a Angela Merkel para governar o Brasil que não haverá “a solução” para o problema econômico.
Mesmo se um franciscano assumir no lugar da Dilma, ele também terá de adotar medidas de austeridade (que machucam a população) para pagar as contas (e sim, boa parte delas resultado de escolhas do Partido dos Trabalhadores, mas manifeste este inconformismo na eleição), e o motivo é o de que essa conversa de reduzir o próprio salário e cortar ministérios (embora atitude necessária e correta!) tem impacto irrisório na resposta bilionária que precisa ser dada às contas públicas.
Digo-vos com honestidade que não faço uma defesa ao governo de Dilma, mas um apelo à sociedade! Qual seja: E-v-o-l-u-a-m-o-s.
“…não há serenidade moral que corte uma polegada sequer às abas do tempo”
O inconformismo com o PT é válido. Os erros na política financeira realizada pelo partido na última década são evidentes. Mas quando a prioridade é apenas impedir a Dilma Roussef de governar, defende-se um suicídio político-social. Esta inquietação ideológica podemos externar em 2018. Por enquanto, paremos de defender um congresso (pró-impeachmt) que aumenta os gastos do país apenas para prejudicar o governo, como se prejudicar o governo não fosse a mesma coisa que prejudicar a minha vida e a sua. Saiba que se a possibilidade de ajustar as contas se tornar cada vez mais distante e dificultosa, mais distante também será a nossa possibilidade de deixar de sentir a crise que ela suscita (e tem custado caro).
Priorizemos o mínimo de raciocínio político em detrimento das nossas paixões. Por paixão, Rubião de “Quincas Borba” perdeu toda a sua fortuna e morreu enxergando-se afortunado, mesmo que vítima da própria ingenuidade em meio a uma sociedade de máscaras, que usufruía de riquezas que vieram do acaso – à filosofia humanitista empregada na obra, a moral não é pressuposto da convivência, mas pelo contrário. A dissimulação e o convencimento é subterfúgio para a manutenção de uma relação de domínio (ainda que ideológico).
“Ao vencedor, as batatas” exclamou Rubião antes de falecer como miserável, acreditando sê-lo Imperador Francês. De olhos abertos e desconfiando dos bem intencionados, fujamos das consequências enquanto há tempo.
“Antes de principiar a agonia, que foi curta, pôs a coroa na cabeça, — uma coroa que não era, ao menos, um chapéu velho ou uma bacia, onde os espectadores palpassem a ilusão. Não, senhor; ele pegou em nada, levantou nada e cingiu nada; só ele via a insígnia imperial, pesada de ouro, rútila de brilhantes e outras pedras preciosas.”
*****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/10/o-que-os-machadianos-tem-a-dizer-sobre-a-atual-conjuntura-politica.html

"Filha, pra te comer eu falo até que votei no Haddad", diz médico residente “

30.10.2015
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO
Por Ivan Longo, Revista Fórum

“Acha que eu não mentiria para virar médico e ter sua vida hipócrita na minha mão? Filha, pra te comer eu até falo que votei no Haddad”. Frase foi escrita pelo médico residente Henri Sato Júnior, que atua no único hospital público estadual da Baixada Santista. Internautas pedem que Conselho Regional de Medicina o afaste

Médico henri sato machismo
Após repercussão negativa de seu comentário e a possibilidade de ser denunciado, médico apaga post e publica retratação (Pragmatismo Político)

Depois dos deputados Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP), agora é um médico residente que está causando polêmica com seu posicionamento contrário em relação ao tema da redação do Enem deste ano – que tratava da violência contra a mulher. Em um comentário na publicação de uma garota, que elogiava o tema escolhido, Henri Sato Junior disse que mentiria em uma redação, inclusive para virar médico.
“Filha, pra te comer eu até falo que votei no Haddad. Acha que eu não mentiria numa redação para virar médico e ter sua vida hipócrita na minha mão?”, disparou o médico, que atua no hospital Guilherme Álvaro, único hospital público estadual para a população da Baixada Santista e do Vale do Ribeira. Sato é aluno da Faculdade de Ciências Médicas de Santos.
Apesar de ele ter apagado o comentário, a página “Feminismo Sem Demagogia” [acima] conseguiu reproduzir a imagem da tela quando a publicação ainda estava no ar e repercutiu o caso. No começo da noite desta terça-feira (27/10), a postagem da página estava com mais de 2 mil compartilhamentos.
“Precisamos da ajuda de vocês para que a ouvidoria do Conselho Regional de Medicina tome as medidas administrativas necessárias para o afastamento do mesmo”, convoca a página, colocando o endereço de e-mail do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) para que as pessoas façam a denúncia.
Procurado, o Cremesp informou que ainda não recebeu nenhuma denúncia formal sobre o caso para que possa se posicionar.
O médico, diante da repercussão de seu comentário, apagou o texto e fez outro de retratação na tarde da última terça-feira (27) alegando que fez “mau uso das palavras” e que foi “mal interpretado”.
Posteriormente, Henri Sato Júnior deletou o seu perfil do Facebook.
*****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/10/filha-pra-te-comer-eu-falo-ate-que-votei-no-haddad-diz-medico-residente.html

Juíza que investiga filho de Lula é irmã do prefeito de Blumenau pelo PSDB

30.10.2015
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO
Por Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania

Juíza que determinou busca no escritório do filho de Lula é irmã do prefeito tucano de Blumenau. Materiais que comprovam parentesco estão sendo deletados da internet. No ano passado, Célia Regina deu parecer favorável a Aécio Neves em ação durante o período eleitoral. Conselho Nacional de Justiça deverá se pronunciar

Juíza Célia Regina PSDB Lula
A leitura do despacho da juíza federal Celia Regina Ody Bernardes Carrer, que determinou a operação de busca e apreensão na empresa do filho de Lula Luiz Cláudio espanta pela contudência. Ela determinou que até pessoas que estivessem no local sofressem revista corporal.
Além disso, a juíza determinou que os familiares do alvo da operação não tivessem acesso à acusação visando preservar o “sigilo das investigações”, apesar de que tudo foi parar na mídia minutos após seu despacho.
Diante do ineditismo de uma operação como essa sem que o nome do filho de Lula sequer constasse da operação Zelotes – que seria o objeto da investigação que desembocou na operação no escritório de Luiz Cláudio -, muitos começaram a questionar a atitude dessa juíza.
Aécio Juíza Filho Lula PSDB
Aécio Neves e Napoleão Bernardes (PSDB-SC), prefeito de Blumenau e irmão da Juíza Célia Regina
Foi o que bastou para a Folha de São Paulo divulgar que Celia Regina seria “de esquerda”, de forma a afastar suspeitas de que sua decisão tenha tido motivação política. Confira, abaixo, coluna de Rogério Gentile na edição de 29 de outubro desse jornal.
folha juíza lula blumenau
Circula pela internet, porém, informação que o colunista da Folha esqueceu de repassar aos seus leitores. Celia Regina é irmã de Napoleão Bernardes, prefeito de Blumenau desde 1o de janeiro de 2013.
O site que divulgou a informação reproduziu notícia veiculada pela Rádio Clube de Blumenau, onde Napoleão fez carreira antes de se tornar prefeito da cidade. Segundo a matéria, Napoleão foi a Brasília em 2011 para prestigiar a posse da irmã Celia Regina como juíza federal.
Como o site que divulgou essa informação postou apenas um print da matéria, o Blog fez uma busca e descobriu que essa matéria foi apagada, mas pode ser acessada em cache – recurso que permite localizar postagens na internet que depois são apagadas.
Confira, abaixo, o print. Para acessar a página em cache, clique aqui
2
Se restar qualquer dúvida, basta acessar o perfil de Napoleão na Wikipedia, onde aparece o nome de sua mãe: Maria Celia Ody Bernardes.
Há muita coisa na internet sobre Celia Regina que sugere que ela é simpática ao PSDB. Na eleição do ano passado, quando a campanha de Aécio Neves acusou os Correios de atuarem em favor de Dilma, a empresa tentou notificar o tucano por via judicial de que sua acusação era caluniosa e poderia gerar uma ação judicial. Adivinhe, leitor, quem julgou a tentativa dos Correios de notificar Aécio e deu parecer favorável a ele? Ela mesma, Regina Célia.
Para ler a matéria, clique aqui
Será que o Conselho Nacional de Justiça tem alguma coisa a dizer sobre a conduta dessa juíza? Pelos seus laços políticos e familiares, ela deveria se declarar impedida de atuar contra o filho de um inimigo político de seu irmão.
PS: leitor que prefere não se identificar enviou foto da juíza (abaixo) com os irmãos, um dos quais é prefeito de Blumenau pelo PSDB.
Juíza Célia PSDB filho Lula
A Juíza Célia Regina (dir) e o seu irmão (esq) Napoleão, prefeito de Blumenau pelo PSDB
****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/10/juiza-que-investiga-filho-de-lula-e-irma-do-prefeito-de-blumenau-pelo-psdb.html