sexta-feira, 28 de agosto de 2015

UOL remove nome de Aécio momentos depois de mencioná-lo em manchete

28.08.2015
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 26.08.15

UOL remove nome de Aécio Neves de título que associava o ex-presidenciável tucano a recebimento de propina. Mas alguém fotografou o texto antes e depois, e a foto viralizou
UOL Aécio Neves propina Youssef
(antes e depois)

A ocultação do nome do senador Aécio Neves (PSDB-MG) das manchetes dos principais veículos da imprensa tradicional no País é o debate principal nas redes sociais desde que o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa reafirmaram, nesta terça-feira 25, durante sessão da CPI da Petrobras, na Câmara dos Deputados, que o tucano recebeu propina de Furnas.
O portal UOL ganhou destaque nas críticas, por ter alterado sua manchete principal sobre o tema, ocultando os nomes de Aécio e do ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, já morto. De “Youssef e Costa confirmam repasse de propinas a Aécio Neves e Sérgio Guerra”, o título foi modificado para “Em CPI, Youssef e Costa citam repasse de propinas de estatais a tucanos”. A foto dos dois títulos circula nas redes.
No Twitter, a hashtag #PodemosTirarSeAcharMelhor está em primeiro lugar entre os temas discutidos nesta quarta-feira 26. O termo teve origem em março, quando a agência Reuters deixou vazar uma reportagem com as sugestões de edição do repórter para o editor (relembre aqui). Em um trecho do texto negativo para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o jornalista propôs: “podemos tirar, se achar melhor”.
O jornalista Fernando Brito, editor do blog Tijolaço, destacou o “silêncio sepulcral” da mídia sobre o tema. “Fiquei procurando, em vão, menção no noticiário ao que disse Alberto Youssef sobre as propinas que pagou, segundo ele, a uma diretoria de Furnas que seria “dividida” entre José Janene, do PP, e Aécio Neves, cujo pai, Aécio Ferreira da Cunha, foi membro do Conselho de Administração da Empresa. Nada. Silêncio sepulcral, apesar de Youssef ter falado nisso duas vezes”, afirmou.

Cantanhêde explica silêncio

A jornalista Eliane Cantanhede justificou o fato de não mencionar em seu comentário no programa Em Pauta, da Globo News, os nomes de Aécio Neves (PSDB-MG) e de Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB, ambos citados pelo doleiro Alberto Youssef, durante acareação dele com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.
Ao ser confrontada sobre o silêncio, Cantanhêde respondeu: “Era muita informação ao mesmo tempo e acabei passando batido, mas vou tentar encaixar amanhã em algum comentário”.
informações de 247
******
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/08/uol-remove-nome-de-aecio-momentos-depois-de-menciona-lo-em-manchete.html

JUSTIÇA SELETIVA: Janot e o pau que não bate em tucanos

28.08.2015
Do BLOG DO MIRO, 27.08.15
Por Kiko Nogueira, no blog Diário do Centro do Mundo:

A sabatina épica de Rodrigo Janot, com mais de dez horas de duração, produziu momentos cômicos - a maioria deles -, tensos e francamente entediantes.

O velho Collor, cada vez mais descontrolado, fez questão de chegar mais cedo e sentou-se com uma montanha de papeis à sua frente. Atacou o procurador com um arsenal que incluía a acusação de que ele havia homiziado (escondido) bandidos em sua casa em Angra dos Reis.

Um dos criminosos, Janot mesmo revelou, era seu irmão, morto há cinco anos e que ele se recusava a “exumar”. Collor, inacreditável, balbuciava palavrões enquanto ouvia as respostas.

No decorrer da tarde, fez troça do tal “acordão” com Dilma e Renan para amenizar as investigações contra alguns dos suspeitos de envolvimento na Lava Jato. É um factoide, apontou.

“A essa altura da minha vida eu não deixaria os trilhos da minha atuação técnica no Ministério Público para entrar em um processo que eu não domino, não conheço, que é o caminho da política”, disse.

No meio daquele circo em que sobrou bajulação - dez senadores investigados integravam a comissão -, ainda apareceram as figuras evangélicas de Marcelo Crivella e Magno Malta para reclamar da citação da Assembleia de Deus no esquema de Eduardo Cunha. Malta queria saber o que é “lavagem de dinheiro” e por que isso se aplicar à igreja (como se não soubesse).

Mas o que marcou o dia de modo especial foi uma expressão muito cara a Janot, que ele já havia repetido em outras ocasiões. Na abertura, reforçando sua isonomia republicana, falou: “Pau que dá em Chico dá em Francisco”.

Em seguida, numa espécie de advertência aos senadores, insistiu: “Todos são iguais perante a lei. Pau que dá em Chico, dá em Francisco”. E completou: “Não é assim que se fala em nossa terra, Aécio?”.

A menção a Aécio Neves foi feita não de maneira provocadora, mas supostamente simpática. Os dois são mineiros. A câmera não focalizou Aécio, mas foi possível imaginar seu sorriso alvar brilhando na direção de Janot.

Serviu, no entanto, para lembrar que o tucano é um símbolo da impropriedade daquele clichê. Um dia antes, o doleiro Youssef relembrou o episódio de Furnas, que não deu em nada, assim como não deu em nada o mensalão mineiro e uma longa lista de etc.

“Me processa. Eu entro no Poder judiciário e por não ser petista não corro o risco de ser preso”, afirmou o deputado estadual Jorge Pozzobom, do PSDB do RS.

Algumas almas enxergaram ironia pro parte de Rodrigo Janot, mas isso não faz parte de seu repertório, como se viu no resto da maratona. Foi um ato falho, afinal, revelador da vida nacional.
******
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com.br/2015/08/janot-e-o-pau-que-nao-bate-em-tucanos.html

Tucano recebeu meio milhão de reais, não declarou ao TSE e disse que doação foi “legal”

28.08.2015
Do blog BRASIL29, 27.08.15

Aloysio260815a

Um pouco “estranha” a doação ao senador Aloysio Nunes (PSDB), que foi vice de Aécio Neves na campanha eleitoral para a Presidência, feita pela UTC

Aloysio declara que a relação dele com a UTC é de amizade, e não de relações que permitissem qualquer pedido para proteger empreiteiros na Lava Jato.
De acordo com a reportagem da Veja, Aloysio teria recebido oficialmente R$ 300 mil, e outros R$ 200 mil em dinheiro vivo, segundo delação premiada de Ricardo Pessoa, da UTC. Aloysio confirma a doação “efetiva e legalmente arrecadada” de R$ 200 mil para a campanha ao Senado em 2010.
Este mesmo senador, que também foi vice de Orestes Quércia, não deve também ter participado nem tomado conhecimento, como vice, das várias denúncias feitas contra o governador Orestes Quércia, na época ligado a empreiteiras em construção de um prédio do governo do Estado.
E o mais estranho ainda é que o dinheiro não consta na prestação de contas publicada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
confira no vídeo:
*****
Fonte:http://br29.com.br/tucano-recebeu-meio-milhao-de-reais-nao-declarou-ao-tse-e-disse-que-doacao-foi-legal/

O Silêncio dos Inocentes!

28.08.2015
Do blog BRASIL29, 27.08.15
Por (Fred Passos para o BR29)*

Silencioinocentes

Eduardo Cunha continua sorrindo, continua leve e solto na presidência da Câmara. Não há vozes no baronato da mídia (Veja, Folha, Estadão e Globo) exigindo a sua renúncia. E há um silêncio sepulcral do PMDB, do PSDB e do DEM sobre o assunto.

Assisto, assim, meio estupefato e meio boquiaberto, as sessões da Câmara serem presididas por Cunha. Ao que parece, na mente insana de Cunha, o sujeito acusado de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro pelo MPF não foi ele. Por isso, Cunha aparenta um semblante de inocente, de impoluto, pronto a vociferar contra os seus acusadores!
O silêncio do baronato da mídia é recorrente quando algum aliado é pego com a boca na botija. Vejam o caso de Cássio Cunha Lima, envolvido na operação Concord da PF e denunciado ao STF. Você já leu alguma matéria ou assistiu a uma reportagem sobre o juiz que deveria instruir o processo para que o STF possa acusar criminalmente o senador tucano? Com certeza, não!
O baronato da mídia precisa de Cunha para avançar na pauta conservadora que segue na Câmara. Danem-se as acusações de corrupção, formação de quadrilha, remessa ilegal de recursos para o exterior, lavagem de dinheiro etc., etc., etc.
Se um aliado merece os créditos por defender e aprovar pautas que legitimam o poder de nossa elite, tanto faz que ele seja santo ou pecador, Jesus ou Barrabás, Eliot Ness ou Al Capone. Agora, quando um adversário de seu projeto é suspeito, basta uma delação para condená-lo.
Talvez o silêncio do PMDB seja por conta das ameaças de Cunha, que já fez chegar a seguinte mensagem a alguns caciques do partido: “Não vou morrer sozinho, se eu for, vou morrer abraçado com muita gente”.
Já o silêncio do PSDB e do DEM talvez seja pela quantidade de contas em paraísos fiscais mantidas por Cunha para receber o dinheiro das propinas da Petrobras. Os caciques do PSDB e do DEM temem que Cunha abra o bico e aponte o dedo para uma dezena de políticos que costumam enviar dólares ilegalmente para o exterior. Lembram o caso Banestado?
Sinceramente, Cunha parece galho de goiabeira: enverga, mas não quebra! Até quando o baronato midiático continuará sendo seu fiel escudeiro? Até quando PSDB e DEM continuarão mudos diante de tamanha afronta ao Legislativo federal? Não são eles os paladinos da justiça, da moral e dos bons costumes?
Hipocrisia tem nome: Globo, Folha, Estadão, revista Veja, PMDB, PSDB e DEM. Ah, ia esquecendo, e o Paulinho da Força! Ao que parece, Cunha vai abraçar todos eles em breve! Basta que o STF cumpra com as suas competências dispostas na Carta Maior!
*(Frederico A. Passos e-mail: fred_passos@yahoo.com.br)

*****
Fonte:http://br29.com.br/o-silencio-dos-inocentes/

ACOBERTAMENTO MIDIÁTICO: Jornais escondem Aécio de seus leitores

28.08.2015
Do BLOG DO MIRO, 27.08.15

Por Luis Nassif, no Jornal GGN:

Julio Cortazar, em um de seus contos clássicos, conta a história da família em que morreu um membro. A avó não podia saber. Esconde-se sua morte. É verdade que ele é velado na sala da casa, enquanto alguém entretém a velhinha em outro cômodo. Mas dali por diante, ele teria que ser incluído nas conversas, como se estivesse vivo. Depois, morre mais um, e morre mais um. E todos recusam continuar vivos nas conversas.

Outro contista do fantástico latino-americano, não me lembro se Gabriel Garcia Marques, conta a história da moeda de ouro que caiu na porta de um bar. Como ninguém sabe quem perdeu a moeda, e pode ser o coronel local, a moeda permanece no mesmo lugar por anos a fio.

*****

Em alguns momentos, o Brasil lembra o realismo fantástico das republiquetas latino-americanos.

Tem-se um cadáver na sala de estar da política: a declaração do doleiro Alberto Yousseff de que o senador Aécio Neves recebia US$ 150 mil mensais de Furnas, esquentados através da empresa Bauruense.

O Procurador Geral da República Rodrigo Janot fingiu que não ouviu. E esqueceu-se de que sua gaveta guarda um inquérito de 2010 do MPF do Rio de Janeiro, sobre uma conta fantasma de Aécio no paraíso fiscal de Liechenstein.

*****

A notícia foi para o mundo inteiro através da Reuters Internacional. Notícia tão relevante que abriu a chamada das Top News do dia. Foi manchete do Clarin – o mais antikirchenista dos grupos de mídia argentinos.

Por aqui, nenhum grande jornal julgou que seus leitores mereciam saber do caso. Não saiu uma mísera linha sobre a delação.

Ontem, na sabatina de Janot no Senado, o assunto foi evitado em todas as intervenções, dos senadores da oposição e da situação. O sentimento de corpo foi maior do que as disputas ideológicas. Ou, quem sabe, o medo de expor seus próprios podres tenha sido a razão de preservar os podres do colega.

*****

Não é pouca coisa. Trata-se do candidato derrotado nas últimas eleições que recebeu quase 50% dos votos. É o nome favorito do PSDB para as próximas eleições.

Nos últimos meses, despontou como um carbonário, bradando em nome da ética e vociferando a palavra “honra” com o fervor de um monge beneditino exposto a alguma tentação demoníaca.

Hoje em dia, em qualquer setor responsável – no meio empresarial, intelectual, político nas próprias alas mais consequentes do PSDB – forma-se a convicção sobre a imaturidade e irresponsabilidade de Aécio.

*****

Onde se pretende chegar com essa blindagem, sonegando uma informação crucial em um terreno de ampla abertura das informações? Mais do que o fato em si, a blindagem viralizou – termo que se emprega quando algum tema explode nas redes sociais.

*****

Nesta 5a feira será divulgada a próxima etapa da campanha visando reforçar a imagem dos jornais. Diretor-executivo da ANJ (Associação Nacional dos Jornais), Ricardo Pedreira, foi taxativo: “Enquanto a internet ainda sedia terrenos de informação obscura, os jornais colocam à disposição do leitor seu grande patrimônio: a credibilidade”.

Qual a sensação do leitor do grande jornal quando encontrar-se com o amigo que prefere a Internet, e souber por ele a notícia que só circulou na rede?

*****

Não se trata de questão menor. Quando Fernando Collor caiu, venceu no jogo da credibilidade o único jornal que nada escondeu sobre ele nas eleições.

*****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com.br/2015/08/jornais-escondem-aecio-de-seus-leitores.html

Rogério Correia: Rodrigo Janot só não abre inquérito contra o senador Aécio “se não quiser ou se tiver o rabo preso”

28.08.2015
Do blog VI O MUNDO, 27.08.15
alckmin, serra, fhc e aécio
Provas de esquemas de corrupção envolvem os principais líderes tucanos, afirma o deputado do PT mineiro
‘Se MP não abrir inquérito contra Aécio será a desmoralização das instituições’
Para deputado do PT mineiro, existem provas de diversas ordens que embasam abertura de investigação contra senador, e PGR “só não abre processo se não quiser, ou tiver rabo preso”
São Paulo – “É um absurdo a blindagem da mídia. Aqui em Minas a gente ficou acostumado com isso porque Aécio Neves tinha uma relação doentia com a imprensa”, afirmou o deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) em entrevista para a Rádio Brasil Atual, ontem (26). Além da cobertura tendenciosa da mídia em relação às delações da operação Lava Jato, o parlamentar relata esquemas de caixa 2 e de propinas promovidos pelos tucanos em Furnas e nas eleições de 2002.
“Existe um laudo da Polícia Federal que eu e outros parlamentares entregamos pessoalmente nas mãos de Janot. Temos todas as provas também de um inquérito feito pelo próprio Ministério Público acerca de caixa dois e propinas em Furnas”. Correia não hesita em afirmar que ‘a principal responsabilidade de tudo isso vinha das campanhas do senador Aécio Neves’.
O deputado avalia os valores levantados pelo esquema de corrupção. “Aécio ‘amigalhou’ R$ 5,5 milhões apenas para ele. Nas provas também tem o que foi para José Serra e para Alckmin. Ali (em Furnas) foi feito o caixa 2 dos tucanos em 2002″.
De acordo com Correia, até mesmo a imprensa que hoje blinda o PSDB noticiou o esquema. “No dia 19 de maio de 2006, às 9h50, a Folha de São Paulo deu a seguinte manchete: ‘Novo laudo da PF indica que lista de Furnas é autêntica”’. Sobre os desdobramentos e a ausência de denúncias e processos contra Aécio, “foram fazendo pizzas e pizzas. Os tucanos enrolando e o MP deixando para lá”, disse.
O parlamentar reafirma a necessidade de uma atitude da Procuradoria-Geral da República. “O bandido do Yousseff comprova que entregava dinheiro para Aécio através da empresa Bauruense. Isso desde a época de Furnas até a Petrobras. O Janot tem todas as provas.”


*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-rodrigo-janot-so-nao-abre-inquerito-contra-aecio-neves-se-nao-quiser-ou-se-tiver-o-rabo-preso.html

Alberto Youssef confirma que não fez repasses financeiros para a campanha de Dilma

28.08.2015
Do blog VI O MUNDO, 26.08.15

doleiro260815a
Alberto Yousseff reiterou, na CPI da Petrobras, que não fez repasses de recursos ao ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci e à campanha eleitoral da presidente Dilma Rousseff e afirmou que um outro colaborador da operação Lava Jato esclareceria essa questão.
Inicialmente, Yousseff estava se recusando a falar na sessão de acareação entre ele e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.
Yousseff conseguiu uma liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) que garante a ele o direito de permanecer em silêncio e de ser assistido por seus advogados durante a acareação.
*****
Fonte:http://br29.com.br/alberto-youssef-confirma-que-nao-fez-repasses-financeiros-para-a-campanha-de-dilma/

Youssef reafirma que Aécio recebia mensalão: “Eu confirmo que Aécio recebeu dinheiro de corrupção”

28.08.2015
Do blog  VI O MUNDO, 25.08.15

AecioYousseff250815
O doleiro Alberto Youssef reafirmou nesta terça-feira (25) durante depoimento à CPI da Petrobras que Aécio recebeu dinheiro de corrupção de Furnas, subsidiária da Eletrobras.
“Eu confirmo (que Aécio recebeu dinheiro de corrupção) por conta do que eu escutava do deputado José Janene, que era meu compadre e eu era operador dele”, disse o doleiro, de acordo com matéria da Reuters.
Aécio não pôde ser imediatamente contatado para comentar o assunto, disse a Reuters.
Em março desse ano, Youssef já havia dito em depoimento para o juíz Sérgio Moro que Aécio recebia de 100 a 120 mil dólares por mês, num esquema que durou durante quase todo o governo FHC e envolvia a empresa Bauruense e a estatal Furnas (leia aqui).
*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-rodrigo-janot-so-nao-abre-inquerito-contra-aecio-neves-se-nao-quiser-ou-se-tiver-o-rabo-preso.html