Pesquisar este blog

quinta-feira, 2 de julho de 2015

O TUCANO MENTIROSO:Aloysio Nunes mentiu? Será cassado?

02.07.2015
Do BLOG DO MIRO, 01.07.15
Por Altamiro Borges

Resultado de imagem para aloysio nunesNa sua obsessão por desgastar a presidenta Dilma Rousseff, a mídia venal deu enorme destaque nesta semana à "delação premiada" do empresário Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC. No processo de vazamento seletivo da midiática Operação Lava-Jato, o delator vigarista afirmou que fez doações para dois ministros do atual governo e para políticos de 18 partidos. A mídia seletiva fez questão de ofuscar que as doações para a campanha do cambaleante Aécio Neves foram bem maiores do que as feitas para a candidata petista. Pior ainda: ela está escondendo uma grave suspeita que pesa contra o senador paulista Aloysio Nunes, o velhaco que foi vice na chapa derrotada do tucano no ano passado.

No que se refere à primeira manipulação, o incansável Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, já desmascarou a fraude: "Quem lê os principais jornais dando conta de que a UTC doou 7,5 milhões de reais à campanha de Dilma Rousseff fica com a impressão de que há, aí, uma grande descoberta e que a presidente foi especialmente beneficiada por essa empresa. Nada mais falso. Em primeiro lugar, se esses grandes veículos fizessem jornalismo deveriam esclarecer que essa empresa doou mais dinheiro à campanha de Aécio Neves do que à de Dilma Rousseff... A UTC doou R$ 8.722.566,00 para a campanha a presidente de Aécio Neves, no ano passado. O valor é R$ 1,22 milhão superior ao valor doado à campanha de Dilma Rousseff na mesma época".

Já no tocante à segunda omissão, o Jornal do Brasil - que tem adotado uma linha mais independente - foi o primeiro a alertar para o fato. Vale conferir a reportagem publicada nesta semana:  

*****

Doação da UTC que Aloysio Nunes diz ser legal não consta do site do TSE

Estranha a doação ao senador Aloysio Nunes (PSDB), que foi vice de Aécio Neves na campanha eleitoral para a Presidência, feita pela UTC. Aloysio declara que a relação dele com a UTC é de amizade, e não de relações que permitissem qualquer pedido para proteger empreiteiros na Lava Jato.

De acordo com a reportagem da Veja, Aloysio teria recebido oficialmente R$ 300 mil, e outros R$ 200 mil em dinheiro vivo, segundo delação premiada de Ricardo Pessoa, da UTC. Aloysio confirma a doação "efetiva e legalmente arrecadada" de R$ 200 mil para a campanha ao Senado em 2010.

Este mesmo senador, que também foi vice de Orestes Quércia, não deve também ter participado nem tomado conhecimento, como vice, das várias denúncias feitas contra o governador Orestes Quércia, na época ligado a empreiteiras em construção de um prédio do governo do Estado. 

E o mais estranho ainda é que o dinheiro não consta na prestação de contas publicada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

*****

Caso esta grave denúncia não seja contestada, fica a pergunta: Aloysio Nunes mentiu? O tucano teria recebido doações da UTC, inclusive em dinheiro vivo, e não teria declarado ao TSE. O velhaco, que adora posar de vestal da ética e vive circulando com notórios fascistas - inclusive com os golpistas mirins que organizaram as recentes marchas contra a corrupção e pelo impeachment de Dilma - pode até ser cassado pelo Senado. A sorte do senador paulista é que ele conta com o silêncio da mídia, que nestes casos não coloca os seus jagunços do "jornalismo investigativo" para apurar as denúncias.

*****

Leia também:






*****
Fonte;http://altamiroborges.blogspot.com.br/2015/07/aloysio-nunes-mentiu-sera-cassado.html

Adesivos de Dilma com pernas abertas são a nova moda contra a presidente

02.07.2015
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO
Por Redação Pragmatismo

De acordo com os usuários dos adesivos, objetivo é "protestar" contra o aumento do preço da gasolina. Ministério Público Federal abrirá investigação para identificar autores, que devem ser punidos

adesivo dilma internet perna aberta
Adesivo de mau-gosto da presidente Dilma Rousseff de pernas abertas tem causado polêmica na internet.
Um adesivo para carros com uma montagem infeliz da presidente Dilma Rousseff de pernas abertas tem causado polêmica na internet. O produto estava disponível no site do MercadoLivre, que retirou o anúncio do ar após considerar que ele poderia configurar crime. “O conteúdo poderá configurar difamação, conforme previsto no artigo 140 da Lei do Código Penal: ‘Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro’. Desta forma, a denúncia foi aceita, pois o anúncio realizado está contrário aos Termos e Condições de Uso do MercadoLivre e foi retirado do ar”, informou a empresa em nota.
Com 60 por 40 centímetros, o adesivo foi produzido para ser colado na entrada do tanque de gasolina dos carros. Quando abastecidos, a ideia que seria passada era que a bomba estaria penetrando sexualmente a presidente Dilma.
De acordo com alguns usuários, o adesivo serve como uma forma de protesto contra o aumento do preço da gasolina. Muitas outras pessoas, porém, mesmo se colocando politicamente contrárias à Dilma, avaliaram o adesivo como de mau-gosto.
O caso também gerou revolta na Secretaria de Política para as Mulheres. Nesta quarta-feira (1), a ministra Eleonora Menicucci encaminhou uma denúncia ao Ministério Público Federal, à AGU (Advocacia-Geral da União) e ao Ministério da Justiça, pedindo providências com o objetivo de investigar e responsabilizar quem produz, divulga e comercializa adesivos para carros lesivos aos direitos e garantias das mulheres e, em especial, da presidenta da República.
“Recebi as denúncias com muita indignação. É intolerável o material que violenta a imagem da Presidenta Dilma. Ele fere a Constituição ao desrespeitar a dignidade de uma cidadã brasileira e da instituição que ela representa, para a qual foi eleita e reeleita democraticamente”, destacou Eleonora também em nota publicada no site oficial da secretaria.
“Esclareço que a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República tem como principal objetivo promover a igualdade entre homens e mulheres e combater todas as formas de preconceito e discriminação herdadas de uma sociedade patriarcal e excludente”, informou no texto.

Violência de gênero

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) reagiu “indignada” aos adesivos que ridicularizam à presidente Dilma Rousseff e que estariam sendo vendidos pela internet. Em postagem no Facebook, a parlamentar lançou uma espécie de movimento pela dignidade feminina.
“Indignada com a violência de gênero cometida contra a presidenta Dilma Rousseff com a criação de adesivos misóginos, que ridicularizam a condição feminina e pregam a cultura da agressão sexual. Isto não é forma de protestar nem argumento político. Devemos respeitar uns aos outros sempre, principalmente quando se trata da presidenta e de uma mulher. Não se cale diante dessa violência. Mostre sua indignação. ‪#‎ÉPelaDignidadeFeminina”, disse a senadora.‬
com informações de Terra Magazine
*****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/07/adesivos-de-dilma-com-pernas-abertas-sao-a-nova-moda-contra-a-presidente.html