Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Eduardo Cunha afronta o Congresso e a Democracia

27.05.2015
Do portal da AGÊNCIA CARTA MAIOR, 26.05.15
Por Randolfe Rodrigues

Seu gesto antidemocrático se explica por seu receio de que seja derrotado em questões como o 'distritão' e o financiamento privado de campanha.   
PMDB Nacional / Flickr
O deputado Eduardo Cunha afronta os parlamentares, rebaixa a Câmara dos Deputados, constrange o Congresso Nacional e espanta a Nação brasileira com sua mais recente demonstração de arbítrio e truculência.

Desrespeitando os 68 deputados federais de vários partidos da Comissão Especial que, durante três meses, debateram com seriedade a esperada Reforma Política, o deputado Cunha acaba de cancelar, arbitrariamente, a reunião final que faria a avaliação do relatório a ser encaminhado ao plenário.
 
Pior: o deputado Cunha destituiu, na prática, a Comissão Especial, chamando a Reforma Política para uma precoce votação em plenário nesta terça-feira (26). 
 
Será uma votação apressada, estouvada, sobre mudanças fundamentais da vida brasileira, com impacto direto para os cidadãos e eleitores que todos representamos nas diferentes instâncias do Legislativo brasileiro – no plano municipal, estadual e federal. 
 
A Reforma Política implica discussão séria sobre fatos de repercussão permanente, como o financiamento das campanhas eleitorais, a reeleição e o sistema proporcional ou não na eleição de deputados e vereadores, entre outras questões relevantes.
 
São mudanças que devem refletir a vontade do povo brasileiro, aqui representado no Congresso Nacional pela vontade majoritária, soberana e democrática dos Deputados Federais.
 
O gesto antidemocrático e personalista do deputado Cunha se explica por seu receio de que seja derrotado em questões pontuais de sua exclusiva preferência, como a instituição do nefando ‘distritão’, modelo que acaba com o sistema proporcional de eleição e massacra as siglas partidárias, e a manutenção do contaminado sistema de financiamento privado das campanhas eleitorais, matriz de corrupção sistêmica comprovada nas investigações da Polícia Federal sobre a Operação Lava Jato.
 
O deputado Cunha deve entender que, embora presidente da Câmara, ele é apenas um parlamentar entre 513 deputados federais.
 
O deputado Cunha precisa compreender que sua vontade pessoal e seu arbítrio não podem sufocar a vontade da maioria e não podem comprometer o futuro do País. 
 
Como diz o frustrado relator da Comissão Especial, deputado Marcelo Castro, o trabalho exaustivo cumprido durante três meses por 68 parlamentares será substituído, de repente, pelo relatório oral de cinco minutos em plenário executado de forma submissa por um deputado da exclusiva e absoluta confiança do deputado Cunha.
 
A Câmara dos Deputados e o Congresso Nacional não são quintais do arbítrio e da truculência do deputado Cunha.
 
A Câmara, o Congresso e o Brasil merecem respeito, deputado Cunha!
 
Minha solidariedade aos nobres Deputados Federais e à Câmara dos Deputados, tão desrespeitada nesse momento de barbárie pessoal e violência institucional exercida justamente pelo parlamentar que deveria defender a instituição e a democracia.
 
Deputado Cunha, uma advertência final ao Senhor: os seus brutais métodos políticos, aqui no Senado Federal, não passarão!   

*****
Fonte:http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Eduardo-Cunha-afronta-o-Congresso-e-a-Democracia/4/33577

CRPS INICIA CURSO DE CAPACITAÇÃO COM OS SERVIDORES DA 3º JUNTA DE RECURSOS, EM PERNAMBUCO

27.05.2015
Do BLOG DOS SERVIDORES DO CRPS E DAS JUNTAS DE RECURSOS
Por Irineu Messias
O Conselho de Recursos da Previdência, começa amanhá, à 09:30h, na 3ª Junta de Recursos da Previdência Social, em Pernambuco, o curso,  “Capacitação de Processo Administrativo Previdênciário”,  que será ministrado pela  presidente da 2ª Câmara de Julgamento do CRPS, Lívia Valéria, e será através de videoconferência . Os servidores,  em Pernambuco,  já estão  todos mobilizados para participar.
Eis alguns temas  a serem abordados no curso: Recurso Administrativo, duplo grau de jurisdição, matéria de alçada, cumprimentos das decisões, enunciados, entre outros.
Parabenizamos a iniciativa do presidente André Veras, e esperamos que este curso seja um pontapé inicial para uma política permanente de formação continuada para todos os servidores lotados no CRPS/Juntas, que há anos  esperam por um processo de requalificação permanente. Achamos que tal processo  formativo deveria alcançar também os conselheiros.
Dia 19.05.15, André Veras  se comprometia em inicar em fins de maio, uma experiência formativa, na 3ª Junta de Recursos. O curso começa amanhã , 28.05.15
Dia 19.05.15, André Veras se comprometia em inicar em fins de maio, uma experiência formativa, na 3ª Junta de Recursos. O curso começa amanhã , 28.05.15
Na reunião do dia 19.05.15,(clique aqui para acessar o relatório da reunião )André Veras  já havia se comprometido em iniciar até fins de maio, uma experiência piloto a partir de Pernambuco e que prosseguiria  em algumas outras Juntas de Recursos.
Continuaremos, através de  nossas entidades nacionais, ANASPS e CNTSS, a persistir na formulação de uma política permanente de formação, que aposte na graduação e pós-graduação para os servidores.
Julgamos acertada a iniciativa de propor este curso, que com certeza será muito bem aproveitado por todos os servidores da 3ª Junta de Recursos, em Pernambuco.
*****
Em tempo: Precisamos continuar nos mobilizando para nossa audiência no Senado Federal, em 29  de junho de 2015, ás 09h na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa. Clique aqui e leia a matéria sobre a audiência
******
Fonte:https://crpsjuntasderecursos.wordpress.com/2015/05/27/crps-inicia-curso-de-capacitacao-com-os-servidores-da-3o-juntas-de-recursos-em-pernambuco/

Moro condena Cerveró sem provas (pra variar)

27.05.2015
Do blog O CAFEZINHO

juiz_moro_02_bessinha_pt_psdb_IMGUN1429983762
Essa Lava Jato virou palhaçada.
A Lista de Janot é uma piada, um apanhado de ilações sem provas contra vários políticos. Um dos políticos contra os quais se tinha mais prova, Aécio Neves, foi tirado da lista.
Os delatores se contradizem.
Os procuradores acusam os réus por crimes que não tem nada a ver com a Petrobrás.
O juiz manteve a cunhada de Vaccari presa em sua masmorra por mais de uma semana. A mulher foi massacrada na mídia. Agora a perícia da PF confirmou que não é ela que aparece num vídeo depositando R$ 2 mil na conta da irmã (e se fosse, isso lá é razão para prender alguém?).
E agora Sergio Moro condena Nestor Cerveró por causa de um apartamento que ele comprou por R$ 1,5 milhão.
Detalhe: Cerveró, altíssimo funcionário da Petrobrás há décadas, ganhava R$ 150 mil por mês.
Virou um vale tudo destrambelhado.
***
No blog do Nassif, com um comentário do Allan Patrick em seguida.
QUA, 27/05/2015 – 11:21
ATUALIZADO EM 27/05/2015 – 11:39
Por rdmaestri

Acho que o sistema COFECI (Conselho Federal dos Corretores Imóveis) ou CONFEA (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia) deveriam entrar com um processo contra o Juiz Moro por exercício ilegal da profissão!
Na condenação de Cerveró, que santo não deve ser, o Juiz Moro baseou toda a condenação num só fato, o uso do apartamento por Cerveró por um preço baixo e preços de compra e de venda de um imóvel.
Pelo que está escrito na condenação e aceito pelo Juiz Moro o tal apartamento com idade em torno de 50 a 60 anos foi comprado por aproximadamente 1,532 milhões (28/01/2009), gasto na sua reforma aproximadamente 690 mil pelo tal Uruguaio e mais 150 mil pelo Cerveró na reforma do apartamento. Depois Moro diz que o apartamento está valendo 7,5 milhões (2015) e que a diferença foi uma propina.
Pode até que seja, mas, por exemplo, eu comprei um apartamento mais ou menos na mesma época (logicamente não com o mesmo valor, é logico) e gastei 20% do valor numa reforma e hoje ele vale aproximadamente 3 a 4 vezes o valor que comprei, logo como o mercado imobiliário nos dias atuais isto é completamente louco, tudo é possível.
Não entrando no mérito da questão, não sei se é competência de um Juiz arbitrar preços de imóveis, sem a anuência de um profissional habilitado pelos referidos conselhos federais, no caso Corretores de Imóveis (Sistema COFECI e CRECI) ou engenheiros civis (CONFEA), pois se era tão importante para configurar preços de aluguéis de imóveis, preço de compra e valorização por uma reforma o Juiz deveria no mínimo ter consultado um profissional habilitado, pois um apartamento caindo aos pedaços o aluguel é bem mais barato do que um apartamento completamente reformado.
O mais importante é que o serviço de reforma foi feito por uma firma de engenharia legalmente constituída com profissional habilitado e tudo, logo o normal seria o Juiz verificar a opinião do estado anterior a reforma e posterior.
O que fez o Juiz Moro, me parece, salvo melhor juízo (os advogados e juristas em geral que gostam desta expressão), não é da sua capacidade e nem da sua competência de um Juiz de Direito, que nem mora na cidade, avaliar o negócios imobiliários.
Logo, Moro está caindo no exercício ilegal de profissão!
***
Comentário de Allan Patrick (publicado no mesmo post):
qua, 27/05/2015 – 14:01

Há um aspecto muito mais grave na decisão que condenou Cerveró (pode ser baixada na íntegra aqui: http://s.conjur.com.br/dl/cervero-condenado-prisao-lavar-dinheiro.pdf) e que ainda não vi ninguém comentar. A jurisprudência citada por Moro para amparar a condenação é contrária à sua decisão!
Não havendo encontrado provas diretas que Cerveró é o real proprietário do apartamento, ele levou em consideração apenas as delações (que deveriam ser ponto de partida para encontrar provas e não provas em si) e a prova indireta: o fato de que Cerveró estava gozando de uma vantagem ao usufruir do bem.
O que diz o Supremo Tribunal Espanhol (STE) a respeito nos acórdãos transcritos por Moro em sua sentença:
“STS 33/2005 decidiu-se que a aquisição pelo acusado de quatro embarcações de alta velocidade e um veículo, sem que ele tivesse renda de fonte lícita ou fornecido explicações para as aquisições e para o destino dos bens, aliada à prévia condenação dele por tráfico de drogas e à prova de que ele seria dependente de drogas, eram suficientes para caracterizar o crime de lavagem de dinheiro; ”
” STS 1637/1999 entendeu-se que realização, por pessoa com antecedentes por tráfico de drogas, de transações elevadas em dinheiro aliada à inexistência de operações comerciais ou negócios que pudessem justificar a origem da expressiva quantidade de dinheiro, constituíam prova indiciária suficiente de lavagem de dinheiro proveniente de tráfico de drogas; ”
O problema para a tese de Moro é que Cerveró tinha renda (R$ 150 mil/mês enquanto diretor da Petrobrás) para comprar o imóvel (adquirido por R$ 1,5 milhão). Então, nesse caso, essa prova indireta (muito usada contra quem não declara renda ou declara renda baixíssima e vive nababescamente) não casa com a jurisprudência citada. Aliás, esse detalhe sobressai quando se vê que todos os releases da condenação enviados pela Justiça Federal à imprensa destacaram que o imóvel vale atualmente R$ 7,5 milhões. É quase uma confissão da fragilidade teórica do principal embasamento da sentença.
Isso não significa que Cerveró é um santinho. Se tudo ocorreu como ele declarou em seu depoimento (https://vimeo.com/127105517) e ele vivia realmente de favor, pagando um aluguel simbólico ao proprietário do imóvel (R$ 3,5 mil/mês) onde residia, ele cometeu uma infração ao Imposto de Renda e deve ser autuado em 27,5% do valor da diferença entre o que ele pagava e o valor do aluguel daquele imóvel no mercado (R$ 18 mil/mês).
Isso não significa que mereça passar 5 meses em prisão preventiva e ser condenado a 5 anos por lavagem de dinheiro. O que ele merece, à vista das provas, é ser autuado administrativamente pela Receita Federal por uma infração tributária.
Um dos preceitos de um Estado Democrático de Direito é que as pessoas devem ser condenadas pelo que fizeram de errado, não pelo quão grandioso é o desejo de condenar.
*******
Fonte:http://www.ocafezinho.com/2015/05/27/moro-condena-cervero-sem-provas-pra-variar/

CORRUPÇÃO NO FUTEBOL: Marin é a prova de que aqui se faz, aqui se paga

27.05.2015
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães
marin capa
José Maria Marin (83) nasceu e cresceu no bairro paulistano de Santo Amaro, na zona sul de São Paulo. Na juventude, foi jogador profissional de futebol e chegou a jogar no São Paulo Futebol Clube, como ponta-direita. Porém, foi um jogador medíocre.
Marin atuou em pequenos clubes paulistas como o São Bento de Marília e o Jabaquara. No São Paulo, sua carreira foi curta; disputou apenas dois jogos oficiais e marcou um gol. Vendo que não tinha futuro no esporte, estudou direito e, em 1963, entrou na política.
Naquele ano, elegeu-se vereador por um partido de extrema direita, fundado pelo integralista Plínio Salgado, político, escritor, jornalista e teólogo que fundou e liderou a Ação Integralista Brasileira (AIB), partido de extrema-direita inspirado nos princípios do movimento fascista italiano.
Quando se instalou a ditadura, tratou de se filiar ao partido oficial, a Arena. Seu ódio à esquerda o tornou um dos mais virulentos políticos do período autoritário. A ele é atribuída a execução do então diretor de telejornalismo da TV Cultura, Wladimir Herzog, nas masmorras do DOI-CODI, em São Paulo – Marin acusava a emissora de ser reduto de comunistas.
Em 1978, tornou-se vice-governador biônico de São Paulo na chapa de Paulo Maluf – à época, a ditadura podia indicar presidentes, governadores e prefeitos de capitais em “colégios eleitorais” instalados no Legislativo, onde a ditadura sempre tinha maioria porque podia indicar parlamentares sem precisar de voto popular.
Entre 1982 e 1983, estava terminando o “mandato” de Maluf como governador e ele se afastou do cargo para disputar mandato de deputado federal. Marin, seu vice, governou São Paulo no lugar dele durante dez meses.
À época, o breve governo de Marin chegou a ser acusado de ser ainda mais truculento do que o de Maluf – a Polícia Militar, então, agia com uma violência que faz a de hoje parecer um grupo de balé.
Terminada a ditadura, Marin mostrar-se-ia tão medíocre como político quanto fora como jogador de futebol. Pelo voto direto, não conseguiu nada. Tentou ser senador por São Paulo e prefeito da capital paulista, mas sempre teve votações pífias.
Marin foi se estabilizar como “cartola” do futebol, onde os conchavos sempre dispensaram competência e apoio popular. Começou presidindo a Federação Paulista de Futebol e após a queda de Ricardo Teixeira acabou comandando a CBF.
Um dos episódios mais escandalosos envolvendo o ex-governador paulista, porém, aconteceu não faz tanto tempo.  Em 2012, durante a premiação após o jogo final da Copa São Paulo de Futebol Junior, Marin roubou medalha que caberia ao jogador corintiano Mateus.
Após a trajetória de vida que acabamos de ver, Marin foi preso por agentes da Kantonspolizei (a polícia suíça) em Zurique, junto com outros dirigentes da FIFA suspeitos de corrupção. Agora será extraditado para os EUA, onde responderá por seus crimes no futebol.
Ver alguém como ele sendo preso, após uma história tão pouco edificante, chega a parecer a realização de um sonho. No fim da ditadura militar, Marin, Maluf e Reynaldo de Barros foram a face desfigurada do regime agonizante.
Porém, a felicidade de ver um corrupto e fascista como esse ir parar atrás das grades só não é uma felicidade completa por uma razão que quem bem explicou foi o ex-jogador e senador pelo Rio de Janeiro, Romário de Souza Faria.
Confira, abaixo, a manifestação do ex-craque sobre a prisão de Marin, no Facebook.
marin 1
Apesar de estar começando a pagar por uma vida tão questionável, Marin tratou de fazer mal de novo ao Brasil – espera-se que pela última vez. Como diz Romário, é uma vergonha para este país que alguém como Marin nunca tenha sido punido por aqui, apesar de tantas denúncias que pesam contra si.
Mas há lugar para esperança de que esse tenha sido o último dano que José Maria Marin causou ao Brasil.
*****
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2015/05/marin-e-a-prova-de-que-aqui-se-faz-aqui-se-paga/

SAIBA PORQUE A GLOBO E A VELHA MÍDIA ODEIAM TANTO JOSÉ DIRCEU

27.05.2015
Do blog BRASIL29, 25.05.15

h2

Antes de José Dirceu, a Globo ficava com 80% das verbas publicitárias do governo

Por que a velha mídia, principalmente a Globo, odeia o José Dirceu?
Pelos seguintes “12” motivos:
1 – Foi Dirceu, quando Ministro da Casa Civil, (chefe do Gushiken), que deu a ideia de se regular as mídias. Criar uma Ley De Medios, e a Globo não perdoa.

2 – Foi Dirceu que acabou com a farra da Globo. Antes de Lula, toda a verba de publicidade do governo era dividida somente entre 499 veículos.

3 – E para cada R$ 1,00 de verba publicitária do governo, a Globo ficava com R$ 0,80 (80%).

4 – Dirceu redistribuiu a verba publicitária do governo entre quase 9.000 veículos. Antes eram só 499. Agora, Globo só recebe 16% do total.

5 – Foi ideia do José Dirceu criar o Ministério das Cidades que acabou com o poder dos coronéis locais. Oposição e velha mídia não perdoam.

6 – Foi Dirceu quem acabou com a farra dos livros didáticos que eram publicados pela Editora Abril e Fundação Roberto Marinho

7 – Foi Dirceu que articulou e viabilizou a governabilidade do governo Lula.

8 – Foi Dirceu que BARROU Demóstenes de ser o Secretário Nacional de Justiça. Demóstenes e Cachoeira se juntaram para ferrar Dirceu.

9 – Por que Dirceu sofre perseguição do Ministério Público? Em 2004, foi ideia de Dirceu de se criar um controle externo sobre o MP.

10 – Por que Peluso não gosta de Dirceu? Márcio Thomaz Bastos indicou a Lula o nome de Peluso para o STF. Dirceu barrou. Márcio Thomaz Bastos forçou a barra.

11- Dirceu, quando Ministro Chefe Casa Civil, fechou as portas do BNDES à mídia: “dinheiro só para fomentar desenvolvimento, jamais pagar dívidas”.12 – Dirceu fez o BNDES parar de financiar as privatizações e deixar de ser hospital para empresas privadas falidas.
*****
Fonte:http://br29.com.br/saiba-porque-a-globo-e-a-velha-midia-odeiam-tanto-jose-dirceu/

Marin, Aécio e os paneleiros com a camisa da CBF. Por Kiko Nogueira

26.05.2015
Do blog DIARIO DO CENTRO DO MUNDO, 

Eles

Segundo a Justiça dos EUA, José Maria Marin recebeu propinas de 2 milhões de reais por ano de parceiros comerciais para a realização da Copa no Brasil quando presidente da CBF. Tentou ainda transferir para suas contas o dinheiro que era antes destinado a Ricardo Teixeira.

Na manhã de quarta, Marin era um dos detidos em Zurique, com outros seis cartolas da Fifa, a mando do FBI. O atual chefão da entidade, Marco Polo del Nero, tratou de atirar a bola no colo de outros. “Isso é algo antigo “, disse, corajoso. O secretário geral Walter Feldman, ex-coordenador de campanha de Marina Silva, conseguiu afirmar que as denúncias são “casos do passado” e que Marin tem hoje “papel decorativo”.

Compreensivelmente, em se tratando de gente desse tipo, os amigos de Marin sumiram todos, a empresa onde ele trabalhava tornou-se correta em dois meses e um pessoal quer que você acredite que ele operava sozinho diretamente de sua penteadeira nos Jardins.

Um companheiro fiel, particularmente, desapareceu e não dá pinta que de vai oferecer uma palavra de solidariedade: Aécio Neves. A relação de ambos é próxima, antiga e cheia de passagens edificantes.

Em 2013, Marin inaugurou uma placa em homenagem a Aécio no Mineirão do dia de um amistoso entre Brasil e Chile. Lembrou que o tucano foi dos primeiros a parabenizá-lo quando ele assumiu o cargo. Deu-lhe uma réplica de uma camisa da seleção de 58 e participou de um jantar em torno do senador.

Foi uma cortesia em retribuição a serviços prestados. Juntamente com o colega Zezé Perrella, o dono do Helicoca, ex-presidente do Cruzeiro, Aécio ajudou a enterrar a CPI da CBF, que visava investigar abusos de poder econômico na eleição de dirigentes, transferências irregulares de recursos, desvios de verbas, entre outras mumunhas.

Perrella e Aécio convenceram nove senadores a retirar suas assinaturas do pedido de abertura da comissão parlamentar de inquérito, inviabilizando-a (entre eles, Cássio Cunha Lima, paladino da moral e dos bons costumes). Na época, Perrella falou no plenário que “não achava motivo que fundamente uma CPI”.

Na campanha presidencial, Marin declarou voto no mineiro. Após a Copa, a ligação não esfriou. De acordo com um comunicado da CBF, Aécio ligou duas vezes para Marin na ocasião de um jogo com o time de Messi: “Antes da partida, Aécio Neves desejou boa sorte para a seleção brasileira que iria enfrentar a Argentina. Terminado o jogo, Aécio voltou a telefonar, dessa vez para parabenizar o presidente da CBF, jogadores e integrantes da comissão técnica pela bela vitória sobre a Argentina e pelo tricampeonato do Superclássico das Américas”.

A confederação ainda conta com um antigo aliado de Aécio, o lobista João Doria Jr, pessedebista de coração, empossado chefe da delegação. Galvão Bueno estranhou o fato de Doria não ter nada a ver com o esporte, como se esta fosse a especialidade da casa.

Os telefonemas devem estar fazendo falta a José Maria Marin, que pode pegar até 20 anos de cana. Numa das manifestações pelo impeachment, aquela em que chegou mais perto da rua, Aécio se deixou fotografar na janela do apartamento no Leblon com a camiseta da CBF, orgulhoso.

A mesma camiseta que milhares de coxinhas vestem para bater suas panelas e gritar pelo fim da corrupção, num tributo enviesado a brasileiros do bem como Marin, Teixeira, Del Nero e tantos outros que estão, neste momento, em pânico.

******
Fonte;http://www.diariodocentrodomundo.com.br/marin-aecio-e-os-paneleiros-com-a-camisa-da-cbf-por-kiko-nogueira/

Veja admite que não gosta de democracia

28.05.2015
Do blog O CAFEZINHO, 27.05.15

Olha só até onde desce o nível do esgoto.
Um grupo de professores universitários e juristas organizou uma petição para pedir o impeachment do governo Beto Richa, do PSDB.
Veja descobriu que alguns deles são, pasmem, petistas!
ScreenHunter_5805 May. 27 22.53






Reinaldo Azevedo, blogueiro da Veja, expõe o fato qual um nazista que descobrisse que um grupo de professores que criticam uma determinada política do governo é composto de… judeus.
Para mim, é confissão de desprezo absoluto à democracia.
Ora, quem mais pediria impeachment de Richa?
Professores e juristas tucanos?
Quem pede o impeachment da Dilma não são eleitores do PSDB?
Alguém tem de explicar à Veja que um médico, um professor, um jurista, pode se vincular a qualquer filiação partidária, porque a democracia lhe garante isso.
Eu critico os que querem o impeachment da Dilma, mas vocês nunca me verão desempenha um papel tão ridículo como expor um ou dois signatários de uma petição dizendo que eles são… tucanos!
Ora, quem pede o impeachment da Dilma tem fortes chances de ser um tucano ou eleitor do PSDB.
Assim como quem pede o impeachment de Beto Richa tem forte chance de ser petista.
O que se deve avaliar aqui é a consistência do pedido de cada impeachment, e não a simpatia política dos cidadãos brasileiros que protagonizam os pedidos.
Azevedo expõe fotos do blogueiro Tarso Cabral Violin com Lula, Dilma e Gleisi Hoffman.
Ora, os marchadeiros do impeachment que foram à Brasília não tiram fotos com seus políticos?
O Kim sei lá o quê não tirou foto com Eduardo Bolsonaro e Marco Feliciano?
ScreenHunter_5800 May. 27 09.34
O próprio Reinaldo é cheio de fotinha ao lado de tucanos de alta plumagem, conforme se vê no alto do post e repito abaixo.
reinaldo-azevedo
Isso significa que ele não tem nenhum direito político de, por exemplo, pedir o impeachment da Dilma?
Tarso Cabral é um colega de Barão de Itararé. Um cara excepcional, e companheiro de infortúnio de processos judiciais. Por iniciativa de Beto Richa, o TSE o processou em mais de 100 mil reais no ano passado, por ter publicado uma pesquisa não registrada.
Ora, o Judiciário tem cobrado de simples blogueiros multas mais altas que àquelas aplicadas à grande mídia, sendo que esses processos, quando chegam em outras instâncias, a mídia sempre ganha, porque os juízes tem medo da mídia. Os blogueiros quase sempre perdem
Não há nenhum cálculo de proporcionalidade. Cabral não ganha um centavo com seu blog, que atualiza apenas por amor à política. Aplicar-lhe uma multa de mais de R$ 100 mil é grotesco.
Beto Richa ainda articulou para a universidade onde Cabral trabalhava o demitir.
Ou seja, é o modus operandi tucano: truculência, truculência, truculência.
Manda cortar cabeça, manda aplicar multas exorbitantes, manda espancar professor, e aí quando os cidadãos protestam e tentam alguma reação política, os seus pitbulls na mídia, como Reinaldo Azevedo, ainda completam o serviço com um toque nazista: chamam-lhe de “petistas”, como se isso os excluísse de qualquer direito político.
******
Fonte:http://www.ocafezinho.com/2015/05/27/veja-admite-que-nao-gosta-de-democracia/