terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Temer, o capitão do golpe, partiu pro tudo ou nada: a carta de um conspirador

08.12.2015
Do blog ESCREVINHADOR
Por Rodrigo Vianna 

Temer é um “profissional”, que se preparou a vida toda pra ter o poder total. Só pensa nisso, só respira poder. Agora, Temer e Serra jogam juntos e percebem a chance de subir no cavalo do golpe – sem conseguir um voto popular. Usando o atabalhoado e vingativo Eduardo Cunha…
Quem é o verdadeiro Underwood?
Quem é o verdadeiro Underwood?
por Rodrigo Vianna
O ritmo da política se acelera. Nos últimos cinco dias, era evidente que Michel Temer conspirava. Pra não falar dos últimos cinco meses…
Em meio ao pedido de impeachment contra Dilma, feito por um aliado dele (Eduardo Cunha), Temer correu para o berço do golpe: São Paulo.
Encontrou-se com Alckmin, e conspirou com Serra – que hoje deu entrevista à “Folha” dizendo que tudo ficará mais fácil se o PSDB for para um governo Temer e se o mesmo prometer que, em 2018, não tentará a presidência de novo (deixando caminho livre para os tucanos).
Já era visível que Temer era o capitão do golpe – como disse Ciro Gomes. Mas, no PT e no governo, alguns ainda se iludiam: “não podemos ter o Temer contra nós, precisamos trazê-lo pro nosso lado”. Ah, quanta credulidade.
"A carta está bonita, mas faltou uma frase em latim, bem aqui"
“A carta está bonita, mas faltou uma frase em latim, bem aqui”
Temer é um “profissional”, que se preparou a vida toda pra ter o poder total. Só pensa nisso, só respira poder. Agora, Temer e Serra jogam juntos e percebem a chance de subir no cavalo do golpe – sem conseguir um voto popular.
O vice Michel Temer enviou hoje para a presidenta Dilma uma “carta pessoal”. Cheia de mágoas. Carta de pré-rompimento. Uma espécie de “carta-testamento” do golpe (clique aqui para ler a carta na íntegra.)
Na verdade, um sinal claro que ele envia ao PSDB de um lado (“sigam na aventura”) e ao PMDB de outro (“chutem o Picciani que apóia a Dilma, e façam o impeachment”).
A carta de Temer é o pulo do gato de um vice “constitucionalista”, que se transformou em golpista barato. É a ante-sala do golpe.
Nos últimos dias, começava a vingar a imagem de Temer como um oportunista e conspirador. A carta, escrita por ele, e provavelmente vazada por seus assessores para a imprensa, é agora usada para que Temer faça biquinho: “escrevi carta privada, e ela vaza; Planalto feio e malvado”.
Mas o vice tem outros motivos para dar o pulo do gato agora. Em menos de 3 meses, a Lava-Jato pode abrir espaço para novas delações de empreiteiros que “confessariam” ter doado dinheiro à chapa Dilma/Temer pra garantir no futuro contratos com estatais. É o que se diz nos bastidores da operação.
Essas delações abririam espaço para a contestação da chapa Dilma/Temer (e não só de Dilma) no TSE. É esse o caminho que interessa a Aécio e Marina: cassação no TSE de Dilma/Temer, seguida de novas eleições. Se isso ocorrer, Temer deixará de ser “alternativa de poder”, e precisará se defender em parceria com Dilma. Ou se safa junto com a Dilma, ou cai junto com ela.
Portanto, a hora de Temer é agora. Ou Temer age agora e dá o golpe contra Dilma, ou perde o bonde.
Muita gente via em Eduardo Cunha a personificação de Underwood (o ambicioso da série “House of Cards”, capaz de qualquer coisa pra chegar ao poder).
Mas o Underwood  tupiniquim talvez seja outro. O Underwood parece ser aquele a quem uma vez ACM chamou de “porteiro de hotel em filme de terror”.
O filme de terror começou. Mas o papel de Temer não é mais de porteiro. Ele quer o estrelato. Com os votos de Dilma, virou vice. Traindo a presidenta, pode ficar com a cadeira para a qual não foi eleito.
As próximas horas serão decisivas para se saber se Temer deu o bote na hora certa, e se conseguirá derrubar o líder do PMDB Picciani, e assim abrir caminho para aprovar o impeachment.
Muita gente no PT se apavorou com a carta do vice. Mas a hora não é de medo.
Do outro lado, há dois “profissionais”: um, atabalhoado e afoito, é o Cunha; o outro, discreto e muito mais perigoso, é o Temer.
Temer e Cunha são hoje um único corpo.
O golpe de Cunha é hoje o golpe de Temer e do PSDB.
Como disse hoje uma amiga bem-humorada: o Brasil está prestes a virar a “House of Temer”
*****
Fonte:http://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/palavra-minha/temer-o-capitao-golpe-partiu-pro-tudo-ou-nada-carta-d-e-um-conspirador/
Postar um comentário