terça-feira, 17 de novembro de 2015

Putin ordena que Rússia coopere com França 'como aliada' contra Estado Islâmico na Síria

17.11.2015
Do portal OPERA MUNDI
PorRedação | São Paulo 

Após confirmação de atentado em avião russo, Kremlin sobe tom e, pela primeira vez, quer unir forças com militares franceses em terra e mar

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou nesta terça-feira (17/11) que o seu país deve cooperar com o grupo de militares franceses "na qualidade de aliados" na luta contra o EI (Estado Islâmico) na Síria.

A decisão ocorre horas após o Kremlin confirmar que o avião russo que caiu em 31 de outubro, matando 224 pessoas a bordo na Península do Sinai (Egito), foi resultado de um atentado a bomba, que o governo russo alega ter sido trazida por um passageiro que era pertencente ao grupo terrorista.

EFE
Putin sobe o tom com jihadistas e quer aliança inédita com franceses

Segundo a emissora Russia Today, Putin ordenou que os navios de guerra que contêm mísseis de longo alcance estabeleçam contato na zona de operações do mar Mediterrâneo com os militares franceses contra posições do grupo extremista sunita.

"É necessário estabelecer um contato direto com os franceses e trabalhar com eles como aliados", afirmou Putin a representantes do Ministério da Defesa.

Nesta manhã, o chefe de Estado russo já havia declarado que iria subir o tom nos ataques contra os jihadistas, mas o anúncio representa uma mudança de postura do Kremlin.

Entenda o caso

Desde 30 de setembro de 2015, militares russos realizam uma ofensiva por terra e mar contra o EI na Síria. Segundo Putin, a medida é legítima já que se trata de resposta a um pedido do próprio presidente sírio, Bashar al Assad, parceiro de longa data do chefe do Kremlin.

No mês passado, navios militares russos de longo alcance bombardearam o EI a partir do mar Cáspio
Até então, Putin criticava os bombardeios da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos que, por sua vez, defendem a saida de Assad como princípio fundamental para a resolução da guerra na Síria, que se arrasta há mais de quatro anos e deixou mais de 200 mil mortos. Desde novembro de 2014, a aliança luta contra posições do EI em território sírio.


A participação de militares franceses na coligação dos EUA foi um dos motivos destacados pelos integrantes do Estado Islâmico em comunicado divulgado no último sábado (14/11) em que reivindicaram a autoria da onda de atentados em Paris.

Na sexta-feira (13/11), ao menos 129 pessoas foram mortas e outras 352 ficaram feridas na capital francesa. Essas ações, que incluíram tiroteios e homens-bomba, ocorreram em ao menos seis localidades diferentes da capital — entre elas, o Stade de France e a casa de shows Bataclan.

Em resposta, a França realizou hoje a segunda ofensiva em 24 horas contra os jihadistas na Síria, destruindo um centro de comando e um campo de treinamento do EI, informou o Ministério da Defesa francês.

EFE
Paris lançou na madrugada desta terça-feira novos ataques aéreos na cidade síria de Raqqa, reduto do EI

*****
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/42314/putin+ordena+que+russia+coopere+com+franca+como+aliada+contra+estado+islamico+na+siria.shtml
Postar um comentário