quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Cunha e a imprensa “de conveniência”, por Nílson Lage

28.10.2015
Do blog TIJOLAÇO, 19.10.15
Por  NILSON LAGE, COLABORAÇÃO PARA O TIJOLAÇO

viravira
Primeiro, Cunha era um homem honesto.
Como foi impossível sustentar tal proposição, passou a ser o mal necessário para salvar o Brasil via golpe de estado.

O governo queria derrubá-lo, mas não conseguia dada a força da poderosa maioria parlamentar que o apoiava.

O golpe emperrou.

Vieram os documentos suíços provando mutretas de Cunha (única parte verdadeira do noticiário, admitida com muita relutância).

Quando a situação de Cunha era insustentável, de repente, surge a surpreendente informação de que Lula quereria manter Eduardo Cunha no cargo (isso porque a mídia quer desconstruir a imagem de Lula, apresentando-o como político safado e sem caráter – isso, acham, beneficia a candidatura de Marina, trunfo americano para 2018).

Agora, o governo “tem pressa” de derrubar o Cunha.

É um jornalismo inventado, que não apura nada, não tem fontes, não tem respeito pelo público nem pelo país.

É o jornalismo que se pratica na grande imprensa brasileira.

* Nilson Lage é professor aposentado de Jornalismo da UFRJ e da UFSC e jornalista desde o final dos 50.
*****
Fonte:http://tijolaco.com.br/blog/cunha-e-imprensa-de-conveniencia-por-nilson-lage/
Postar um comentário