quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Receita para não ter o Golpe

30.09.2015
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

Em 1964, como hoje, o Golpe subvencionou articulistas notáveis !
bessinha visceras da globo
Liga o Vasco, navegante de longo curso:

- Já sei por que o Gilmar, o Príncipe da Privataria, o Aecím das viagens ao Rio, os delegados grampeadores, os procuradores que morrem de medo do Banestado, o Juiz de Guantánamo, que agora usa camisa social branca para se apresentar no João Dória...

- Chega, Vasco! Chega! Já sei! É tudo a mesma sopa!

- Você sabe por que esse pessoal da mesma sopa não vai dar o Golpe?

- Qual dos Golpes?

- Todos!

- Sim, mas tem que ter um, UM Golpe!

- O do impítim!

- Sei, o do impítim. Por que não vai ter Golpe, Vasco?

- Vamos por partes.

- Adiante.

- Não vai ter Golpe porque não tem o general Mourão, aquele que saiu de Juiz de Fora, em 1964.

- É verdade. Aliás, o Comandante do Exército já deu um chega prá lá no Gilmar.

- E se o Exército não dá Golpe, evita o Golpe, diria o Marechal Lott.

- De saudosa memória! Bom, vamos lá. Eles não tem um Mourão e também não tem a Sexta Frota americana.

- Sim, a Sexta Frota que ia dar apoio à sedição mineira, ao Golpe e ocupar Pernambuco!

- Exato, essa Sexta Frota que o dos chapéus

- Quem?

- O dos chapéus, aquele historialista que acha que a Sexta Frota não teve a menor importância no Golpe de 64…

- E o que teve?

- Bem, Vasco, segundo ele o Jango caiu porque gostava de pernas – de cavalos e de coristas…

- E levam ele a sério?

- No PiG…

- Mas, continuando. Eles não tem o Mourão, a Sexta Frota, nem o IBAD e o IPES.

(Sobre o papel decisivo que o IBAD e o IPES do general Golbery no Golpe – circunstância que o dos chapéus omite em sua fluvial defesa de Golbery, leia, por favor, “O Quarto Poder”. Lá, com a ajuda do valioso trabalho de René Dreifuss, “1964 – A Conquista do Estado”, se verá como o IBAD e o IPES envenenaram o PiG e o Congresso contra Jango e a Democracia.)

- Qual o papel do IBAD e do IPES? Com dinheiro americano e da plutocracia paulista eles compraram o PiG, criaram um PiG próprio e financiaram os candidatos Golpistas ao Congresso, exatamente para promover um impítim…

- Com essa grana que o Cunha e o Gilmar agora querem manter em jogo, suponho.

- Exatamente. A mesma! E hoje, como então, essa grana financiou escritores de escol. Por exemplo, o Rubem Fonseca, notável romancista, era redator-chefe do Gole do Golbery!

- Que beleza! Merece fazer companhia ao Ataulpho Merval de Paiva na Academia.

- Ataulpho, Ataulpho… Quem?

- Avante, Vasco!

- E eles, os golpistas, não têm os blogs sujos.

- Mas, o que podem fazer os blogs sujos?

- Os blogs sujos e a informação esparramada na blogosfera, que não tinha em 1964 e tem hoje.

- Que papel que esse pessoal sujo pode desempenhar?

- Desenvenenar a opinião pública. Os golpistas, como em 64, controlam o PiG, mas não controlam a longa cauda de informação espalhada na internet, que funciona como um antídoto ao Golpe.

- Quer dizer que não vai ter Golpe!

- Não, ansioso blogueiro. Eles não têm tropa, não têm apoio americano, não têm grana, não têm ideologia, não têm líder – e não têm povo!

- Povo? Para que?

- Sem gente na rua não tem Golpe!

- É. Eles pensam que vão vender a Petrobras e derrubar a Dilma com uma trapaça no regimento interno do Senado.

- Tem piedade deles, ansioso blogueiro. Eles não sabem o que fazem.

- Já ouvi isso em algum lugar!

Pano rápido.

Paulo Henrique Amorim
*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/receita-para-nao-ter-o-golpe
Postar um comentário