segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Instituto Lula acusa revista de ignorância e má fé e lembra que Globo levou R$ 361 mi do BNDES

31.08.2015
Do blog VI O MUNDO, 29.08.15

Captura de Tela 2015-08-30 às 08.57.14
A Globo quer dar o pré-sal para a Chevron como queria dar Mariel para os chineses
Documentos secretos revelam ignorância e má-fé da revista Época
29/08/2015 18:16
Mais uma vez a revista Época divulga reportagem ofensiva ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com afirmações falsas e manipulação criminosa de documentos oficiais.
Avançando em ilações maliciosas e irresponsáveis, pelas quais seus jornalistas já foram citados em ação judicial por danos morais movida pelo ex-presidente Lula, a revista insiste em atribuir ao ex-presidente condutas supostamente ilícitas que ele jamais adotou ou adotaria.
A matéria deste final de semana (29/08) é uma combinação de má-fé jornalística com ignorância técnica (ou ambas) e o único crime que fica patente, após a leitura do texto, é o vazamento ilegal de documentos do Ministério das Relações Exteriores que, de acordo com a versão da revista, tiveram o sigilo funcional transferido ao Ministério Público.
Ao contrário do que sustenta a matéria, a leitura isenta e correta dos telegramas diplomáticos reproduzidos (apenas parcialmente, como tem sido hábito de Época) atesta a conduta rigorosamente correta do ex-presidente Lula em seus contatos com as autoridades cubanas e com dirigentes empresariais brasileiros.
A presença de um representante diplomático do Brasil numa reunião do ex-presidente com dirigentes de empresa brasileira demonstra que nada de ilícito foi ou poderia ter sido tratado naquele encontro. O mesmo se aplica ao relato, para o citado diplomata, da conversa de Lula com Raul Castro sobre o financiamento de exportações brasileiras para Cuba.  Só a imaginação doentia que preenche os vácuos de apuração dos jornalistas de Época pode conceber um suposto exercício de lobby clandestino com registro em telegramas do Itamaraty.
Os procedimentos comerciais e financeiros citados nos telegramas diplomáticos são absolutamente corriqueiros na exportação de serviços, como os jornalistas de Época deveriam saber, se não por dever de ofício, pelo simples fato de que trabalham nas Organizações Globo. A TV Globo exporta novelas para Cuba desde 1982, exporta para a China e exportou para os países de economia fechada do antigo bloco soviético.
Deveriam saber que, em consequência do odioso bloqueio comercial imposto pelos Estados Unidos, empresas que fazem transações com Cuba estão sujeitas a penalidades e restrições pela legislação dos EUA. Por isso, evitam instituições financeiras sujeitas ao Office of Foreign Assets Control, que é uma agência do governo dos EUA e não um “organismo internacional de fiscalização”, como erra a revista.
Ao contrário do que o texto insinua, maliciosamente, não há, nos trechos reproduzidos, qualquer menção a interferência do ex-presidente em decisões do BNDES, pelo simples fato de que tal interferência jamais existiu nem seria possível, devido aos procedimentos internos de decisão e aos mecanismos prudenciais adotados pela instituição.
Os jornalistas da revista Época deveriam conhecer o rigor de tais procedimentos e mecanismos, pois as Organizações Globo tiveram um relacionamento societário com o BNDESPar, subsidiária do BNDES. Em 2002, no governo anterior ao do ex-presidente Lula, ou seja, no governo do PSDB, este relacionamento se estreitou por meio de um aporte de capital e outras operações do BNDESPar na empresa Net Serviços, totalizando R$ 361 milhões (valores de 2001).
Deveriam saber que em maio de 2011, por ocasião da mencionada visita  do ex-presidente a Havana, o financiamento do BNDES às obras do Porto de Mariel estava aprovado, havia dois anos, e os desembolsos seguiam o cronograma definido nos contratos, como é a regra da instituição, que nenhum suposto lobista poderia alterar.
Em nota emitida neste sábado (29) para desmentir a revista, o BNDES esclarece, mais uma vez, que “os financiamentos a exportações de bens e serviços brasileiros para as obras do Porto de Mariel foram feitos com taxas de juros e garantias adequadas”, e que os demais contratos mencionados não se realizaram. Acrescenta que “o relacionamento do BNDES com Cuba foi iniciado ainda no final da década de 1990, sem qualquer episódio de inadimplemento ou atraso nos pagamentos.”
Os jornalistas da Época deveriam saber também que não há nenhum ilícito relacionado às palestras do ex-presidente Lula contratadas por dezenas de empresas brasileiras e estrangeiras, entre elas a Infoglobo, que edita o jornal O Globo. Deveriam, portanto, se abster de insinuar suspeição sobre esta atividade legal e legítima do ex-presidente.
Tanto em Cuba quanto em todos os países que visitou desde que deixou a presidência da República, Lula trabalhou sim, com muito orgulho, no sentido de ampliar mercados para o Brasil e para as empresas brasileiras, sem receber por isso qualquer espécie de remuneração ou favor. Lula considera que é obrigação de qualquer liderança política contribuir para o desenvolvimento de seu País.
Os jornalistas da Época deveriam saber que todos os grandes países disputam mercados internacionais para suas exportações. E que não fosse o firme empenho do governo brasileiro, para o qual o ex-presidente Lula contribuiu,  talvez o estratégico porto de Mariel fosse construído por uma empresa chinesa, ou os cubanos estivessem assistindo novelas mexicanas. Neste momento histórico, em que EUA e Cuba reatam relações e o embargo econômico americano está prestes a  acabar, a revista Época volta no tempo a evocar velhos fantasmas da Guerra Fria e títulos de livros de espionagem.
Ao falsear a verdade sobre a atuação do ex-presidente Lula no exterior, os jornalistas da revistaÉpoca tentam criminalizar um serviço prestado por ele ao Brasil. O facciosismo desse tipo noticiário é patente e desmerece o jornalismo e a inteligência dos brasileiros.
PS do Viomundo: A Globo faz a velha jogada de sempre. Publica na Época e “repercute” porcamente no Jornal Nacional.
Leia também:
*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/politica/instituto-lula-acusa-revista-de-ignorancia-e-ma-fe-e-lembra-que-globo-levou-r-361-mi-do-bndes.html

Internautas usam imagem da GloboNews para pedir explicações a Aécio Neves

31.08.2015
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 26.08.15

Imagem da GloboNews do momento em que doleiro Alberto Youssef acusa Aécio Neves de receber dinheiro de corrupção de Furnas é utilizada por internautas para cobrar explicações do senador

foto globonews aécio furnas youssef
O doleiro Alberto Youssef indicou, durante acareação com o ex-diretor de refino e abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa na sessão da CPI da Petrobras desta terça-feira (25), que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pode ter recebido dinheiro relativo a contratos da estatal Furnas Centrais Elétricas, em Minas Gerais.
Durante as investigações da Operação Lava Jato, o doleiro declarou que o ex-deputado José Janene (PP-PR), morto em 2010, “dividia algumas operações” com o tucano, na época em que Aécio era deputado federal. O doleiro, no entanto, não esclareceu quando ocorreram estas operações.
Na sessão da CPI desta terça-feira, o deputado Jorge Sola (PT-BA) perguntou a Youssef se ele sabia que Aécio era um possível beneficiado com dinheiro desviado de Furnas. O doleiro respondeu apenas: “Eu confirmo por conta do que eu escutava do deputado José Janene, que era meu compadre e eu era operador”, declarou o doleiro.
Uma captura de tela da transmissão da GloboNews (ver acima) no momento em que o doleiro mencionava Aécio foi utilizada para cobrar explicações do senador. Internautas questionaram o tucano em suas redes sociais, mas a até o fechamento deste texto Aécio ainda não havia se pronunciado.

R$ 10 milhões a Guerra

Youssef também reafirmou, ao lado do ex-executivo da Petrobras, o teor de depoimentos que já haviam prestado à Justiça Federal, em que apontam o pagamento de propina de R$ 10 milhões para evitar uma CPI no Congresso.
O doleiro confirmou que esse valor foi pago pela empreiteira Camargo Correia ao então presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE), que morreu em 2014 (saiba mais aqui).
Paulo Roberto Costa acrescentou que foi procurado por Sérgio Guerra e pelo deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) para tratar do pagamento, que seria destinado a “abafar” a CPI.
Em depoimento à comissão, o ex-diretor da Petrobras disse que o deputado intermediou o encontro com Sérgio Guerra, ocorrido em um hotel no Rio de Janeiro. “Confirmo todos os depoimentos anteriores”, disse Paulo Roberto.
com informações de Congresso em Foco
*****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/08/internautas-usam-imagem-da-globonews-para-pedir-explicacoes-a-aecio-neves.html

TSE aponta 15 irregularidades na campanha tucana.

31.08.2015
Do blog BRASIL29

Três foram consideradas graves Ministra do TSE aponta problema em doação da empreiteira Odebrecht, investigada na Lava Jato. A assessoria de imprensa do PSDB afirma que todos os questionamentos foram respondidos e as doações, contabilizadas. Segundo os tucanos, as irregularidades apontadas pelo TSE são falhas contábeis.

Aecio310815a
O TSE aponta também uma diferença entre o valor declarado pela campanha e o montante efetivamente doado pela construtora Construbase. O candidato tucano recebeu R$ 1,75 milhão, mas declarou R$ 500 mil.
A ministra Maria Thereza de Assis Moura, relatora do processo que examina a prestação de contas da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência da República no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), solicitou ao tucano informações sobre 15 supostas irregularidades detectadas nos documentos entregues à corte. Entre elas estão doações feitas pelas empreiteiras Odebrecht e Construbase que somam R$ 3,75 milhões.
De acordo com a assessoria técnica do tribunal, Aécio repassou para o PSDB uma doação de R$ 2 milhões da Odebrecht, mas não registrou a transferência na prestação de contas. A empresa é investigada na Operação Lava Jato e doou R$ 8 milhões à campanha do tucano e R$ 16,7 milhões ao comitê da presidente Dilma Rousseff. “O comitê financeiro nacional para presidente da República do PSDB registrou em sua prestação de contas o recebimento de doação de R$ 2 milhões, efetuada pelo candidato, no entanto, não há o registro da transferência na prestação de contas”, afirma o relatório técnico da Justiça Eleitoral.
Infrações
Além disso, de acordo com o tribunal, a campanha tucana deixou de declarar R$ 3,9 milhões em doações estimáveis (na forma de serviços prestados) que só foram contabilizadas na prestação de contas retificadora.
Das 15 irregularidades detectadas pelo tribunal, pelo menos três foram consideradas infrações graves. Elas dizem respeito a doações recebidas antes das prestações de contas parciais e que só foram registradas nas prestações finais, somando mais de R$ 6 milhões.
Tanto no caso dos R$ 3,9 milhões declarados apenas na prestação retificadora quanto no das três infrações graves, o tribunal quer saber por que a campanha de Aécio não contabilizou a entrada das receitas nos prazos estipulados pela legislação eleitoral. O senador tucano, presidente nacional do PSDB, foi derrotado pela presidente Dilma Rousseff no 2.º turno da disputa presidencial em 2014.
Nota. O PSDB informou por meio de nota que já esclareceu ao TSE todas as dúvidas e ratificou os erros apontados pelo tribunal. Segundo o partido, todos as doações foram registradas com os devidos recibos eleitorais, inclusive as da Odebrecht e Construbase, e as falhas detectadas são erros meramente contábeis.
Estadão Conteúdo
*****
Fonte:http://br29.com.br/aecio-enrolou-a-unha-tse-aponta-15-irregularidades-na-campanha-tucana-tres-foram-consideradas-graves/

OPOSIÇÃO DERROTADA E GOLPISTA: Gilmar Mendes bufa, mas não vai atropelar a Justiça

31.08.2015
Do blog TIJOLAÇO
Por Fernando Brito

lombroso
Como se previa (prever o obvio não tem graça) o Ministro Gilmar Mendes reagiu aos “coices” à observação do Procurador Geral da Justiça, Rodrigo Janot de que  apontou como inconveniente Justiça e o próprio MP se tornarem “protagonistas exagerados do espetáculo da democracia”.

Dura, mas civilizada crítica, bem diferente do grosseiro diapasão daquele que, segundo o insuspeito Joaquim Barbosa, está acostumado a falar “com os seus capangas lá do Mato Grosso”, onde Mendes  acha que pode dizer coisas deste naipe:

“O procurador deveria se ater a cuidar da Procuradoria Geral da República e procurar não atuar como advogado da presidente Dilma”

Imagine, para avaliar o grau de ofensa, o  que se conteria numa afirmação idêntica, só que partida de Janot:

“O Ministro deveria se ater à  sua função de magistrado e não procurar aturar como advogado de Aécio Neves”.

Gilmar Mendes, que demonstra interesse em escrafunchar as contas de Dilma até achar algo que lhe permita criar o fato político de pedir a cassação de seu mandato e abrir caminho para que a oposição torne este pedido razão bastante para o impedimento da presidenta, vai demonstrar o mesmo rigor, agora que a Ministra Maria Thereza de Assis Moura, relatora do processo de prestação de contas da campanha do senador Aécio Neves no TSE apontou 15  irregularidades na contabilidade entregue pelo tucano, inclusive o “sumiço” de alguns milhões de reais doados pela Odebrecht?

Ou alguém estaria errado em imaginar que Mendes, na próxima sessão do TSE em que se toque no  assunto, vá deixar de despejar sua ira nos outros ministros, a maioria deles incapazes de reagir exigindo decoro e dignidade no exercício da função?

Seja como for, a grosseria verbal de Gilar Mendes corresponde, inequivocamente, a uma percepção de que não estão todos avassalados diante de sua fúria e que não será simples como com os “capangas do Mato grosso”  fazer suas vontades.
*****
Fonte:http://tijolaco.com.br/blog/?p=29333

'EXISTEM LÍDERES INCENTIVANDO ESSE ÓDIO'

31.08.2015
Do portal BRASIL247
****
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/194888/'Existem-l%C3%ADderes-incentivando-esse-%C3%B3dio'.htm

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

UOL remove nome de Aécio momentos depois de mencioná-lo em manchete

28.08.2015
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 26.08.15

UOL remove nome de Aécio Neves de título que associava o ex-presidenciável tucano a recebimento de propina. Mas alguém fotografou o texto antes e depois, e a foto viralizou
UOL Aécio Neves propina Youssef
(antes e depois)

A ocultação do nome do senador Aécio Neves (PSDB-MG) das manchetes dos principais veículos da imprensa tradicional no País é o debate principal nas redes sociais desde que o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa reafirmaram, nesta terça-feira 25, durante sessão da CPI da Petrobras, na Câmara dos Deputados, que o tucano recebeu propina de Furnas.
O portal UOL ganhou destaque nas críticas, por ter alterado sua manchete principal sobre o tema, ocultando os nomes de Aécio e do ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, já morto. De “Youssef e Costa confirmam repasse de propinas a Aécio Neves e Sérgio Guerra”, o título foi modificado para “Em CPI, Youssef e Costa citam repasse de propinas de estatais a tucanos”. A foto dos dois títulos circula nas redes.
No Twitter, a hashtag #PodemosTirarSeAcharMelhor está em primeiro lugar entre os temas discutidos nesta quarta-feira 26. O termo teve origem em março, quando a agência Reuters deixou vazar uma reportagem com as sugestões de edição do repórter para o editor (relembre aqui). Em um trecho do texto negativo para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o jornalista propôs: “podemos tirar, se achar melhor”.
O jornalista Fernando Brito, editor do blog Tijolaço, destacou o “silêncio sepulcral” da mídia sobre o tema. “Fiquei procurando, em vão, menção no noticiário ao que disse Alberto Youssef sobre as propinas que pagou, segundo ele, a uma diretoria de Furnas que seria “dividida” entre José Janene, do PP, e Aécio Neves, cujo pai, Aécio Ferreira da Cunha, foi membro do Conselho de Administração da Empresa. Nada. Silêncio sepulcral, apesar de Youssef ter falado nisso duas vezes”, afirmou.

Cantanhêde explica silêncio

A jornalista Eliane Cantanhede justificou o fato de não mencionar em seu comentário no programa Em Pauta, da Globo News, os nomes de Aécio Neves (PSDB-MG) e de Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB, ambos citados pelo doleiro Alberto Youssef, durante acareação dele com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.
Ao ser confrontada sobre o silêncio, Cantanhêde respondeu: “Era muita informação ao mesmo tempo e acabei passando batido, mas vou tentar encaixar amanhã em algum comentário”.
informações de 247
******
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/08/uol-remove-nome-de-aecio-momentos-depois-de-menciona-lo-em-manchete.html

JUSTIÇA SELETIVA: Janot e o pau que não bate em tucanos

28.08.2015
Do BLOG DO MIRO, 27.08.15
Por Kiko Nogueira, no blog Diário do Centro do Mundo:

A sabatina épica de Rodrigo Janot, com mais de dez horas de duração, produziu momentos cômicos - a maioria deles -, tensos e francamente entediantes.

O velho Collor, cada vez mais descontrolado, fez questão de chegar mais cedo e sentou-se com uma montanha de papeis à sua frente. Atacou o procurador com um arsenal que incluía a acusação de que ele havia homiziado (escondido) bandidos em sua casa em Angra dos Reis.

Um dos criminosos, Janot mesmo revelou, era seu irmão, morto há cinco anos e que ele se recusava a “exumar”. Collor, inacreditável, balbuciava palavrões enquanto ouvia as respostas.

No decorrer da tarde, fez troça do tal “acordão” com Dilma e Renan para amenizar as investigações contra alguns dos suspeitos de envolvimento na Lava Jato. É um factoide, apontou.

“A essa altura da minha vida eu não deixaria os trilhos da minha atuação técnica no Ministério Público para entrar em um processo que eu não domino, não conheço, que é o caminho da política”, disse.

No meio daquele circo em que sobrou bajulação - dez senadores investigados integravam a comissão -, ainda apareceram as figuras evangélicas de Marcelo Crivella e Magno Malta para reclamar da citação da Assembleia de Deus no esquema de Eduardo Cunha. Malta queria saber o que é “lavagem de dinheiro” e por que isso se aplicar à igreja (como se não soubesse).

Mas o que marcou o dia de modo especial foi uma expressão muito cara a Janot, que ele já havia repetido em outras ocasiões. Na abertura, reforçando sua isonomia republicana, falou: “Pau que dá em Chico dá em Francisco”.

Em seguida, numa espécie de advertência aos senadores, insistiu: “Todos são iguais perante a lei. Pau que dá em Chico, dá em Francisco”. E completou: “Não é assim que se fala em nossa terra, Aécio?”.

A menção a Aécio Neves foi feita não de maneira provocadora, mas supostamente simpática. Os dois são mineiros. A câmera não focalizou Aécio, mas foi possível imaginar seu sorriso alvar brilhando na direção de Janot.

Serviu, no entanto, para lembrar que o tucano é um símbolo da impropriedade daquele clichê. Um dia antes, o doleiro Youssef relembrou o episódio de Furnas, que não deu em nada, assim como não deu em nada o mensalão mineiro e uma longa lista de etc.

“Me processa. Eu entro no Poder judiciário e por não ser petista não corro o risco de ser preso”, afirmou o deputado estadual Jorge Pozzobom, do PSDB do RS.

Algumas almas enxergaram ironia pro parte de Rodrigo Janot, mas isso não faz parte de seu repertório, como se viu no resto da maratona. Foi um ato falho, afinal, revelador da vida nacional.
******
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com.br/2015/08/janot-e-o-pau-que-nao-bate-em-tucanos.html

Tucano recebeu meio milhão de reais, não declarou ao TSE e disse que doação foi “legal”

28.08.2015
Do blog BRASIL29, 27.08.15

Aloysio260815a

Um pouco “estranha” a doação ao senador Aloysio Nunes (PSDB), que foi vice de Aécio Neves na campanha eleitoral para a Presidência, feita pela UTC

Aloysio declara que a relação dele com a UTC é de amizade, e não de relações que permitissem qualquer pedido para proteger empreiteiros na Lava Jato.
De acordo com a reportagem da Veja, Aloysio teria recebido oficialmente R$ 300 mil, e outros R$ 200 mil em dinheiro vivo, segundo delação premiada de Ricardo Pessoa, da UTC. Aloysio confirma a doação “efetiva e legalmente arrecadada” de R$ 200 mil para a campanha ao Senado em 2010.
Este mesmo senador, que também foi vice de Orestes Quércia, não deve também ter participado nem tomado conhecimento, como vice, das várias denúncias feitas contra o governador Orestes Quércia, na época ligado a empreiteiras em construção de um prédio do governo do Estado.
E o mais estranho ainda é que o dinheiro não consta na prestação de contas publicada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
confira no vídeo:
*****
Fonte:http://br29.com.br/tucano-recebeu-meio-milhao-de-reais-nao-declarou-ao-tse-e-disse-que-doacao-foi-legal/

O Silêncio dos Inocentes!

28.08.2015
Do blog BRASIL29, 27.08.15
Por (Fred Passos para o BR29)*

Silencioinocentes

Eduardo Cunha continua sorrindo, continua leve e solto na presidência da Câmara. Não há vozes no baronato da mídia (Veja, Folha, Estadão e Globo) exigindo a sua renúncia. E há um silêncio sepulcral do PMDB, do PSDB e do DEM sobre o assunto.

Assisto, assim, meio estupefato e meio boquiaberto, as sessões da Câmara serem presididas por Cunha. Ao que parece, na mente insana de Cunha, o sujeito acusado de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro pelo MPF não foi ele. Por isso, Cunha aparenta um semblante de inocente, de impoluto, pronto a vociferar contra os seus acusadores!
O silêncio do baronato da mídia é recorrente quando algum aliado é pego com a boca na botija. Vejam o caso de Cássio Cunha Lima, envolvido na operação Concord da PF e denunciado ao STF. Você já leu alguma matéria ou assistiu a uma reportagem sobre o juiz que deveria instruir o processo para que o STF possa acusar criminalmente o senador tucano? Com certeza, não!
O baronato da mídia precisa de Cunha para avançar na pauta conservadora que segue na Câmara. Danem-se as acusações de corrupção, formação de quadrilha, remessa ilegal de recursos para o exterior, lavagem de dinheiro etc., etc., etc.
Se um aliado merece os créditos por defender e aprovar pautas que legitimam o poder de nossa elite, tanto faz que ele seja santo ou pecador, Jesus ou Barrabás, Eliot Ness ou Al Capone. Agora, quando um adversário de seu projeto é suspeito, basta uma delação para condená-lo.
Talvez o silêncio do PMDB seja por conta das ameaças de Cunha, que já fez chegar a seguinte mensagem a alguns caciques do partido: “Não vou morrer sozinho, se eu for, vou morrer abraçado com muita gente”.
Já o silêncio do PSDB e do DEM talvez seja pela quantidade de contas em paraísos fiscais mantidas por Cunha para receber o dinheiro das propinas da Petrobras. Os caciques do PSDB e do DEM temem que Cunha abra o bico e aponte o dedo para uma dezena de políticos que costumam enviar dólares ilegalmente para o exterior. Lembram o caso Banestado?
Sinceramente, Cunha parece galho de goiabeira: enverga, mas não quebra! Até quando o baronato midiático continuará sendo seu fiel escudeiro? Até quando PSDB e DEM continuarão mudos diante de tamanha afronta ao Legislativo federal? Não são eles os paladinos da justiça, da moral e dos bons costumes?
Hipocrisia tem nome: Globo, Folha, Estadão, revista Veja, PMDB, PSDB e DEM. Ah, ia esquecendo, e o Paulinho da Força! Ao que parece, Cunha vai abraçar todos eles em breve! Basta que o STF cumpra com as suas competências dispostas na Carta Maior!
*(Frederico A. Passos e-mail: fred_passos@yahoo.com.br)

*****
Fonte:http://br29.com.br/o-silencio-dos-inocentes/

ACOBERTAMENTO MIDIÁTICO: Jornais escondem Aécio de seus leitores

28.08.2015
Do BLOG DO MIRO, 27.08.15

Por Luis Nassif, no Jornal GGN:

Julio Cortazar, em um de seus contos clássicos, conta a história da família em que morreu um membro. A avó não podia saber. Esconde-se sua morte. É verdade que ele é velado na sala da casa, enquanto alguém entretém a velhinha em outro cômodo. Mas dali por diante, ele teria que ser incluído nas conversas, como se estivesse vivo. Depois, morre mais um, e morre mais um. E todos recusam continuar vivos nas conversas.

Outro contista do fantástico latino-americano, não me lembro se Gabriel Garcia Marques, conta a história da moeda de ouro que caiu na porta de um bar. Como ninguém sabe quem perdeu a moeda, e pode ser o coronel local, a moeda permanece no mesmo lugar por anos a fio.

*****

Em alguns momentos, o Brasil lembra o realismo fantástico das republiquetas latino-americanos.

Tem-se um cadáver na sala de estar da política: a declaração do doleiro Alberto Yousseff de que o senador Aécio Neves recebia US$ 150 mil mensais de Furnas, esquentados através da empresa Bauruense.

O Procurador Geral da República Rodrigo Janot fingiu que não ouviu. E esqueceu-se de que sua gaveta guarda um inquérito de 2010 do MPF do Rio de Janeiro, sobre uma conta fantasma de Aécio no paraíso fiscal de Liechenstein.

*****

A notícia foi para o mundo inteiro através da Reuters Internacional. Notícia tão relevante que abriu a chamada das Top News do dia. Foi manchete do Clarin – o mais antikirchenista dos grupos de mídia argentinos.

Por aqui, nenhum grande jornal julgou que seus leitores mereciam saber do caso. Não saiu uma mísera linha sobre a delação.

Ontem, na sabatina de Janot no Senado, o assunto foi evitado em todas as intervenções, dos senadores da oposição e da situação. O sentimento de corpo foi maior do que as disputas ideológicas. Ou, quem sabe, o medo de expor seus próprios podres tenha sido a razão de preservar os podres do colega.

*****

Não é pouca coisa. Trata-se do candidato derrotado nas últimas eleições que recebeu quase 50% dos votos. É o nome favorito do PSDB para as próximas eleições.

Nos últimos meses, despontou como um carbonário, bradando em nome da ética e vociferando a palavra “honra” com o fervor de um monge beneditino exposto a alguma tentação demoníaca.

Hoje em dia, em qualquer setor responsável – no meio empresarial, intelectual, político nas próprias alas mais consequentes do PSDB – forma-se a convicção sobre a imaturidade e irresponsabilidade de Aécio.

*****

Onde se pretende chegar com essa blindagem, sonegando uma informação crucial em um terreno de ampla abertura das informações? Mais do que o fato em si, a blindagem viralizou – termo que se emprega quando algum tema explode nas redes sociais.

*****

Nesta 5a feira será divulgada a próxima etapa da campanha visando reforçar a imagem dos jornais. Diretor-executivo da ANJ (Associação Nacional dos Jornais), Ricardo Pedreira, foi taxativo: “Enquanto a internet ainda sedia terrenos de informação obscura, os jornais colocam à disposição do leitor seu grande patrimônio: a credibilidade”.

Qual a sensação do leitor do grande jornal quando encontrar-se com o amigo que prefere a Internet, e souber por ele a notícia que só circulou na rede?

*****

Não se trata de questão menor. Quando Fernando Collor caiu, venceu no jogo da credibilidade o único jornal que nada escondeu sobre ele nas eleições.

*****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com.br/2015/08/jornais-escondem-aecio-de-seus-leitores.html

Rogério Correia: Rodrigo Janot só não abre inquérito contra o senador Aécio “se não quiser ou se tiver o rabo preso”

28.08.2015
Do blog VI O MUNDO, 27.08.15
alckmin, serra, fhc e aécio
Provas de esquemas de corrupção envolvem os principais líderes tucanos, afirma o deputado do PT mineiro
‘Se MP não abrir inquérito contra Aécio será a desmoralização das instituições’
Para deputado do PT mineiro, existem provas de diversas ordens que embasam abertura de investigação contra senador, e PGR “só não abre processo se não quiser, ou tiver rabo preso”
São Paulo – “É um absurdo a blindagem da mídia. Aqui em Minas a gente ficou acostumado com isso porque Aécio Neves tinha uma relação doentia com a imprensa”, afirmou o deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) em entrevista para a Rádio Brasil Atual, ontem (26). Além da cobertura tendenciosa da mídia em relação às delações da operação Lava Jato, o parlamentar relata esquemas de caixa 2 e de propinas promovidos pelos tucanos em Furnas e nas eleições de 2002.
“Existe um laudo da Polícia Federal que eu e outros parlamentares entregamos pessoalmente nas mãos de Janot. Temos todas as provas também de um inquérito feito pelo próprio Ministério Público acerca de caixa dois e propinas em Furnas”. Correia não hesita em afirmar que ‘a principal responsabilidade de tudo isso vinha das campanhas do senador Aécio Neves’.
O deputado avalia os valores levantados pelo esquema de corrupção. “Aécio ‘amigalhou’ R$ 5,5 milhões apenas para ele. Nas provas também tem o que foi para José Serra e para Alckmin. Ali (em Furnas) foi feito o caixa 2 dos tucanos em 2002″.
De acordo com Correia, até mesmo a imprensa que hoje blinda o PSDB noticiou o esquema. “No dia 19 de maio de 2006, às 9h50, a Folha de São Paulo deu a seguinte manchete: ‘Novo laudo da PF indica que lista de Furnas é autêntica”’. Sobre os desdobramentos e a ausência de denúncias e processos contra Aécio, “foram fazendo pizzas e pizzas. Os tucanos enrolando e o MP deixando para lá”, disse.
O parlamentar reafirma a necessidade de uma atitude da Procuradoria-Geral da República. “O bandido do Yousseff comprova que entregava dinheiro para Aécio através da empresa Bauruense. Isso desde a época de Furnas até a Petrobras. O Janot tem todas as provas.”


*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-rodrigo-janot-so-nao-abre-inquerito-contra-aecio-neves-se-nao-quiser-ou-se-tiver-o-rabo-preso.html

Alberto Youssef confirma que não fez repasses financeiros para a campanha de Dilma

28.08.2015
Do blog VI O MUNDO, 26.08.15

doleiro260815a
Alberto Yousseff reiterou, na CPI da Petrobras, que não fez repasses de recursos ao ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci e à campanha eleitoral da presidente Dilma Rousseff e afirmou que um outro colaborador da operação Lava Jato esclareceria essa questão.
Inicialmente, Yousseff estava se recusando a falar na sessão de acareação entre ele e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.
Yousseff conseguiu uma liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) que garante a ele o direito de permanecer em silêncio e de ser assistido por seus advogados durante a acareação.
*****
Fonte:http://br29.com.br/alberto-youssef-confirma-que-nao-fez-repasses-financeiros-para-a-campanha-de-dilma/

Youssef reafirma que Aécio recebia mensalão: “Eu confirmo que Aécio recebeu dinheiro de corrupção”

28.08.2015
Do blog  VI O MUNDO, 25.08.15

AecioYousseff250815
O doleiro Alberto Youssef reafirmou nesta terça-feira (25) durante depoimento à CPI da Petrobras que Aécio recebeu dinheiro de corrupção de Furnas, subsidiária da Eletrobras.
“Eu confirmo (que Aécio recebeu dinheiro de corrupção) por conta do que eu escutava do deputado José Janene, que era meu compadre e eu era operador dele”, disse o doleiro, de acordo com matéria da Reuters.
Aécio não pôde ser imediatamente contatado para comentar o assunto, disse a Reuters.
Em março desse ano, Youssef já havia dito em depoimento para o juíz Sérgio Moro que Aécio recebia de 100 a 120 mil dólares por mês, num esquema que durou durante quase todo o governo FHC e envolvia a empresa Bauruense e a estatal Furnas (leia aqui).
*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/rogerio-correia-rodrigo-janot-so-nao-abre-inquerito-contra-aecio-neves-se-nao-quiser-ou-se-tiver-o-rabo-preso.html

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Aecím está frito. Delação de Youssef vale!

27.08.2015
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

 O STF aceita o que Youssef disse sobre propina de Furnas


No G1:



MAIORIA DO STF REJEITA PEDIDO PARA ANULAR DELAÇÃO DE YOUSSEF




Executivo alegou que doleiro quebrou acordo anterior de colaboração.
Maioria dos ministros sequer aceitou tipo de ação ajuizado por Erton Fonseca.


A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta quinta-feira (27) um pedido apresentado por Erton Medeiros Fonseca, diretor afastado da Galvão Engenharia e investigado no escândalo da Petrobras, para anular o acordo de colaboração do doleiro Alberto Youssef na Operação Lava Jato e as provas colhidas a partir de suas declarações.

Durante a sessão, os ministros consideraram que os relatos feitos numa delação são insuficientes para condenar uma pessoa e, por isso, o acordo não poderia ser contestado por ela. “O acordo de colaboração, como negócio jurídico personalíssimo, não vincula o delatado e não atinge diretamente sua esfera jurídica”, afirmou ministro Dias Toffoli, relator do caso, nesta quarta (26), quando o julgamento foi iniciado.

O pedido questionava a homologação da delação, feita em dezembro do ano passado, pelo ministro Teori Zavascki, relator dos processos relacionados à Lava Jato no STF. Na peça, a defesa de Fonseca alegava que o doleiro quebrou um acordo de delação premiada anterior, firmado no caso Banestado e, portanto, não era uma pessoa de confiança para colaborar novamente com as investigações sobre o esquema de corrupção na Petrobras.

“O Ministério Público induziu em erro o ministro Teori Zavascki ao omitir taxativamente que, sete dias antes de ser celebrado acordo com Alberto Youssef, o acordo anterior tinha sido quebrado por outro magistrado”, afirmou, ainda durante a sessão desta quarta, o advogado José Luís de Oliveira Lima.

(…)


Leia também:


YOUSSEF REAFIRMA PROPINA DE AÉCIO EM FURNAS

DEPUTADOS COBRAM DE JANOT: E O AECÍM?

JANOT POUPA TUCANO MORTO. MAS, E AECIM?

AFOGADO EM FURNAS, AECÍM NAO ENCARA JANOT

*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/politica/2015/08/27/aecim-esta-frito-delacao-de-youssef-vale/