terça-feira, 28 de julho de 2015

Procuradores insistem no factoide das obras de arte

28.07.2015
Do portal LUIS NASSIF ON LINE
JORNAL GGN

Jornal GGN - Procedimento interno da Petrobras pretende apurar a entrega dos chamados "brindes especiais" da Odebrecht para funcionários da empresa estatal. A Polícia Federal obteve a lista dos beneficiários dos brindes durante busca na sede da empreiteira. Em nota, a Petrobras afirma que "tomou conhecimento de uma lista de empregados e ex-empregados que seriam destinatários de ‘brindes especiais-2010’. A empresa, internamente, iniciará de imediato a apuração dos fatos”
Do O Globo
 
Para os investigadores, a entrega de presentes "de valor" a funcionários da Petrobras revela uma relação de proximidade
 
SÃO PAULO - A Petrobras abriu procedimento interno para apurar a entrega de "brindes especiais" por parte da Odebrecht para 100 funcionários do primeiro e segundo escalão da estatal. A lista de beneficiários foi obtida pela Polícia Federal durante busca na sede da construtora, em junho, e vincula os brindes de fim de ano a reproduções de artistas famosos, como Oscar Niemayer, Carybé e Alfredo Volpi. O documento foi anexado ao processo contra o presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht, e executivos do grupo.
 
“A Petrobras tomou conhecimento nesta segunda-feira (27) de uma lista de empregados e ex-empregados que seriam destinatários de ‘brindes especiais-2010’. A empresa, internamente, iniciará de imediato a apuração dos fatos”, afirmou a estatal, em nota.
 
O artigo 3.12 do código em vigor à época, editado em 2006, permitia a funcionários da estatal aceitar “brindes apenas promocionais, públicos, não exclusivos, sem valor comercial, nos seus relacionamentos com público externo ao Sistema”.
 
RELAÇÃO DE PROXIMIDADE
 
Para os investigadores da Lava-Jato, a entrega de presentes "de valor" a funcionários da Petrobras revela uma relação de proximidade entre fornecedores e a empreiteira.
 
A listagem aponta que o remetente dos presentes era o diretor da Odebrecht Rogério Araújo - alto-executivo que foi afastado do cargo no último dia 19 de junho, data em que foi preso pela Polícia Federal.
Por meio de nota, a Odebrecht informou que não se manifestaria sobre o tema e disse que apenas o diretor Rogério Araújo deveria se pronunciar.
A defesa de Araújo informou, em nota, que “a relação de brindes trazida na denúncia não se refere a pinturas milionárias, como tem sido a opinião pública levada a entender, mas a reproduções das obras de arte dos artistas mencionados”.
Odebrecht e Araújo não informaram o valor dos brindes entregues aos dirigentes da Petrobras.
GABRIELLI E GRAÇA TAMBÉM RECEBERAM
De acordo com a lista, o ex-presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, recebeu uma obra de Oscar Niemeyer, na época em que estava à frente da empresa, assim como seu chefe de gabinete, Armando Tripodi, e o diretor Almir Guilherme Barbassa. Graça-Foster recebeu uma obra de Cícero Dias; Paulo Roberto Costa recebeu obra de Cildo Meirelles e, Renato Duque, obra de Lúcio Costa.
“Pelas anotações, pode-se concluir que os ‘brindes’ são, de fato, pinturas de diversos artistas renomados, como Alfredo Volpi, Gildo Meirelles, Romanelli e, até mesmo, Oscar Niemeyer”, escreveram os procuradores que assinam a denúncia contra os dirigentes da empreiteira, sem considerar a hipótese de se tratar de reproduções, ainda que valiosas.
Na peça de acusação, eles também afirmam que "a listagem é formada tão somente por funcionários de alto escalão da Petrobras", citando o presidente da empresa e diretores.
Entretanto, a lista apreendida mostra que, além de diretores, também receberam presentes os gerentes da estatal e dirigentes à frente de unidades estratégicas da Petrobras, como a Refinaria Abreu e Lima e o Comperj.
****
Fonte:http://jornalggn.com.br/noticia/procuradores-insistem-no-factoide-das-obras-de-arte
Postar um comentário