quinta-feira, 23 de julho de 2015

GREVE DO INSS: NEGOCIAÇÕES SEGUEM NO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

23.07.2015
Do BLOG DOS SERVIDORES DO CRPS E DAS JUNTAS DE RECURSOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, 21.07.15
Por Irineu Messias

Irineu Messias, participou da mesa de negociação   Irineu Messias,durante o ato em frente ao Ministério do Planejamento, logo após a reunião de negociação, em 21.07

Na tarde de hoje, 22, o Ministro Gabas recebeu em Audiência, Pedro Totti, presidente do SINDINSS/SP, que estava acompanhado de vários dirigentes da CNTSS/CUT, a qual aproveitando a audiência, recolocou diante do ministro Gabas, todas a pauta de reivindicações, principalmente as questões que mais tem servidor de motores para esta vitoriosa greve nacional, entre quais são:

– Incorporação da GDASS;

– Jornada de 06 horas;

– Progressão funcional dos novos servidores além de outras questões que tocam bem perto, os servidores que entraram no INSS, a partir de 2003.

Caravanas de vários estados ficaram em frente ao Ministério do Planejamento, durante audiência de negociação, dia 21.07

Presentes a reunião estavam, pela CNTSS, Sandro Cezar, Terezinha de Jesus, Célio dos Santos, Raimundo Cintra. Estava presente também ,Irineu Messias(SINDSPREV.PE).

                             Dirigentes de vários estados, presente à negociação

Embora não fosse uma reunião de oficial para negociação da greve, visto que a negociação se dará com as duas entidades nacionais, CNTSS e FENASPS,  os dirigentes reafirmaram  a necessidade do governo atender a pauta de greve dos servidores,sob pena de a greve cada vez se fortalecer. O ministro gabas, que estava acompanhado da presidente do INSS, Elisete Belchiol e o secretário executivo, Marcelo Siqueira, expôs para os sindicalistas que  da necessidade de encerramento da greve o mais rápido possível. Os sindicalistas reafirmaram a disposição para a negociação , desde que o governo apontasse uma solução definitiva para as questões que levaram os servidores à greve, visto que durante muito tempo fizeram o debate, através de vários grupos de trabalhos, reuniões, CGNAD, e que pela via do diálogo, o o  INSS  não havia apresentado uma solução definitiva para os temas que  foram apresentados várias vezes, e mesmo ao Ministério da Previdência.

Clique sobre a imagem e assista o vídeo com Sérgio Mendonça falando sobre a proposta para o conjunto dos servidores federais



Em seguida, o Ministro lembrou a reunião ocorrida, no dia de ontem, 21, das entidades e servidores em greve de vários estados, com a presidente Elisete, em que ficou pactuado duas reuniões para os dias 23 e 24, para encontrar uma solução para questão da IN 74, que os servidores querem a imediata revogação, e  redução de todos índices que impactam  no turno estendido.


Servidores fizeram protesto em frente ao Ministério do Planejamento,  durante negociação , 21.07     Servidores fizeram protesto em frente ao Ministério do Planejamento, durante negociação

Apesar do debate do turno estendido, a reivindicação dos entidades é que haja seis horas de trabalho para as APS como para os atividades meio, além de insistir na progressão funcional de 18 para 12 meses, para os servidores. O ministro reiterou que estes temas serão debatidos na negociação da greve, entre MPS, INSS e o Planejamento, sendo este último  o negociado oficial do governo federal, para a greve no INSS/MPS e demais servidores.

Ao termino da reunião ficou acertado , que até amanhã à tarde, poderá haverá mais uma rodada de negociação com CNTSS e FENASPS para tentar chegar ao conjuntos de proposições que possibilitem ao acordo de greve, sendo que, foi lembrado ao Ministro, quaisquer proposições serão apreciadas pela categoria através da assembleias de greves.
Sandro Alex, presidente da CNTSS
 

DSC02482
                                                   Sandro Alex, presidente da CNTSS

Portanto, a orientação do Comando de Greve da CNTSS, é que a greve permaneça firme e forte até que o governo apresente uma proposição atenda nossas reivindicações, inclusive no que diz respeito ao pauta geral, em que o Ministério do Planejamento apresentou, um reajuste de 21,5, em quatro anos, com cláusula revisionária de inflação,  a cada dois anos, aumento  do auxílio- alimentação para 458, 00, do auxilio creche em 396,00( dependendo da região), além do reajuste do valor per capita para planos de saúdes( entre 1001 a 2008), tudo para janeiro de 2016.

Reiteramos a necessidade dos companheiros do CRPS e das Juntas de Recursos, permanecerem e fortalecerem a greve  em todo o país.
****
Fonte:https://crpsjuntasderecursos.wordpress.com/2015/07/22/negociacoes-seguem-no-ministerio-da-previdencia-social/
Postar um comentário