segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Para entender a Época sobre Gilmar Mendes.

09.02.2015
Do portal JORNAL GGN, 08.02.15
Por SERGIO SARAIVA

A reportagem da revista Época desta semana traz um recado para Gilmar Mendes. Mas a intenção por trás dele talvez esteja na Folha do dia seguinte.

Vazamentos de inquéritos no Brasil por nossas principais revistas semanais passaram a ser tão corriqueiros como quedas de energia elétrica após temporais. Ambos são indesejáveis, mas já nos acostumamos com eles.
O vazamento em relação ao ministro Gilmar Mendes, no entanto, traz uma novidade – é um vazamento claramente intimidatório. Vazamentos sobre Gilmar Mendes, até então, foram sempre a favor. Basta ver o caso do “grampo sem áudio”.
O caso Sinval Barbosa é antigo de maio do ano passado, Sinval já não é mais Governador do Mato Grosso e o conteúdo do vazamento é mais uma indiscrição do que comprometedor.
No entanto, usando como subterfúgio a divulgação do vazamento da conversa de Gilmar com Sinval, a Época a correlaciona a outro assunto, o julgamento de um habeas corpus para Éder Moraes – investigado como operador de um esquema de caixa 2 eleitoral no qual Sinval Barbosa estaria envolvido. Note-se, embora a ação da Polícia Federal na casa do então governador fosse buscando documentos sobre o esquema de caixa 2, Sinval foi preso em flagrante por porte ilegal de arma e o assunto do habeas corpus sequer é tratado entre Sinval e Gilmar.
Mas, no destaque da matéria, Época não deixa por menos:
“Quatro meses após ligar para Sinval, Gilmar deu o voto decisivo para manter livre o operador do esquema”.
Não é verdade, o caso nem estava na turma do STF a qual o ministro Gilmar Mendes pertence. Gilmar, que é da 2ª turma do STF, foi chamado para desempatar uma decisão da 1ª turma que era a qual julgava o habeas corpus. Gilmar seguiu o voto dos ministros Toffoli e Fux. Mas o recado estava dado, a Época o responsabiliza claramente.
Por que e por que só agora?
Porque a Época, entenda-se a Globo e o grupo que ela representa, deve ter percebido no Ministro Gilmar Mendes alguma intenção contrária aos seus interesses. Logo, a reportagem é uma medida preventiva para que nada saia fora do controle.
Que interesses seriam esses?
Vejamos uma nota da coluna “Painel” da Folha de São Paulo de 08.fev.2015:
“De olho - Advogados de presos da Lava Jato aguardam com ansiedade a sessão da Segunda Turma do STF, que vai analisar na terça recurso do Ministério Público Federal para que o ex-diretor da Petrobras Renato Duque volte para a prisão.
Vela - Para os criminalistas, a decisão sobre Duque indicará as chances de libertação de seus cliente”.
E quem está na Segunda Turma julgando o caso? Gilmar Mendes.
Recado dado, agora é só esperar o voto de Gilmar Mendes. Condenação garantida?

****
Fonte:http://jornalggn.com.br/blog/sergio-saraiva/para-entender-a-epoca-sobre-gilmar-mendes
Postar um comentário