terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Gata emburrada vira 'galinha dos ovos de ouro' nos EUA

09.12.2014
Do portal BBC BRASIL 

Gata emburrada em lançamento de ração
O sucesso da "Gata emburrada" rendeu acordos comerciais como o lançamento de uma linha especial de ração felina

Fotos de gatos em diversas poses são uma ocorrência comum nas mídias sociais, mas "Grumpy Cat" não é apenas mais um felino. A gata de expressão "emburrada" não apenas fez mais fama, como se tornou uma espécie de galinha de ovos de ouro.

Estrela de comerciais de TV e até de uma linha especial de comida nos Estados Unidos, o animal já rendeu milhões de dólares para sua dona, Tabatha Bundesen, que em apenas dois anos viu sua vida se transformar.

Em setembro de 2012, a então garçonete de um restaurante da cidade de Morristown, no estado americano do Arizona, publicou uma foto da gata, originalmente batizada de Tardar Sauce, no site de compartilhamento de conteúdo Reddit. Nascida com uma deformidade congênita que afetou o crescimento dos ossos da face, a gata parece ter um semblante constantemente contrariado.

Livro da Gata Emburrada
Um dos livros explorando a imagem do felino chegou às listas de mais vendidos do "New York Times"
Em questão de dias, a imagem se tornou "viral" nas mídias sociais e não demorou muito para que a "Gata Emburrada" se tornasse uma sensação comercial que ganhou espaço surpreendente na mídia tradicional - o felino foi mencionado em reportagem na capa do Wall Street Journal em maio do ano passado e participou de programas de TV como Vila Sésamo e o MTV Awards.

"Pude largar meu emprego numa questão de dias e desde então meu telefone não parou de tocar", disse a agora ex-garçonete ao jornal britânicoDaily Telegraph.

Emburrada mas feliz

A gata "lançou" dois livros e um deles esteve nas listas de mais vendidos do jornal New York Times.

Gata emburrada
Uma deformidade congênita provoca o semblante aparentemente contrariado do felino, que se transformou numa sensação mundial

Ela também despertou interesse comercial, emprestando seu nome para uma linha de comida felina - na embalagem dos produtos, frases como "O sabor poderia ser pior" e "Tanto faz" acompanham imagens de Tardar Sauce.

Há também animais de pelúcia e mesmo um filme de natal. Tudo disponível na página na internet criada por Bundensen. Especula-se que a "Gata Emburrada" possa ter movimentado cerca de US$ 100 milhões - um montante que a deixaria à frente de estrelas de cinema como Nicole Kidman e mesmo o mais recente laureado com o Oscar de melhor ator, Matthew McConaughey.

Gata emburrada e sua dona
Dona da gata, Bundesen nega a estimativa de que animal tenha movimentado US$ 100 milhões. Ela, porém, vive da fama do felino

Sua dona, porém, desconversa e diz que "nem de longe" o felino, cuja página no Facebook tem mais de seis milhões de "curtidas", vale tanto.

"É surpreendente que Grumpy Cat possa dar tanta alegria para tanta gente. Ela é apenas uma gata", afirmou Bundesen durante uma recente aparição pública do felino numa livraria da cidade americana de Phoenix.

Mas o fato de Tardar Sauce ter um empresário - ainda que ele tenha se recusado a comentar a especulação sobre a fortuna da cliente - sugere que o bicho ganha mais do que muitos humanos.
*****
Fonte:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/12/141209_gata_emburrada_fd

EMPRESAS “SUSPEITAS” DOARAM MAIS PARA AÉCIO

09.12.2014
Do portal BRASIL247
*****
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/163159/Empresas-%E2%80%9Csuspeitas%E2%80%9D-doaram-mais-para-A%C3%A9cio.htm

Esposa do Juiz Sérgio Moro é assessora do PSDB

09.12.2014
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 08.12.14

Esposa de Sergio Moro, Juiz responsável pela Operação Lava Jato, é assessora jurídica do PSDB. Além da esposa, irmão do Juiz, Cesar Moro, não esconde simpatia pelos tucanos nas redes sociais

Rosângela Wolff de Quadros Moro
Rosângela Wolff de Quadros Moro, esposa do Juiz da Operação Lava Jato e assessora do PSDB (reprodução)
Fabiano Portilho, JornalI9
O nome de Rosângela Wolff de Quadros Moro passaria despercebido se não fosse por um detalhe o sobrenome “Moro”. Rosângela é esposa de Sérgio Fernando Moro, o Juiz responsável pela Operação Lava Jato, apontado por diversos juristas de nome e renome como o “Rei dos Vazamentos” mas só quando os depoimentos citam alguém do PT e PMDB.
A senhora Moro é assessora jurídica de Flávio José Arns, Vice do Governador do Paraná, Beto Richa (PSDB). Flávio Arns, é Sobrinho de Zilda Arns e de Dom Paulo Evaristo Arns. Zilda é fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, e Dom Evaristo, arcebispo-emérito de São Paulo. O Vice-Governador do Paraná Iniciou a carreira política quando se candidatou a deputado federal pelo PSDB, logrando êxito, e sendo reeleito por três vezes seguidas. Em 2001, deixou o PSDB e filiou-se ao PT. Em 2002, foi eleito senador, e em 2006 concorreu ao governo do Paraná, obtendo o terceiro lugar com 9,3% dos votos.
Em 19 de agosto de 2009, anunciou que se desligaria do PT, por não concordar com a maneira como o partido tratou as denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Arns voltou, em 2009, junto com o senador Expedito Júnior (PR-RO), para o PSDB. Nas eleições de 2010, foi candidato a vice-governador do Paraná na chapa encabeçada por Beto Richa, chapa esta vitoriosa no pleito de 3 de outubro de 2010, em primeiro turno.
Flavio Arns é conhecido por defender os direitos dos deficientes físicos e mentais, em especial dos autistas, foi defendendo essa bandeira que conheceu Rosângela Moro, que logo depois assumiu como Procuradora Jurídica das APAEs no Paraná. A senhora Moro chega a representar em Comissão na Câmara Federal, o Vice de Beto Richa (PSDB).
Rosângela Moro faz parte do escritório de Advocacia Zucolotto Associados em Maringá. O escritório defende várias empresas do Ramo do Petróleo, como: INGRAX com sede no Rio de Janeiro, Helix da Shell Oil Company, subsidiária nos Estados Unidos da Royal Dutch Shell, uma multinacional petrolífera de origem anglo-holandesa, que está entre as maiores empresas petrolíferas do mundo. Aproximadamente 22 000 funcionários da Shell trabalham nos Estados Unidos. A sede no país está localizada em Houston, Texas.
Além das empresas do Ramo de Petróleo, o escritório presta serviços para empresas de Farmácias e Clínicas Médicas. Uma em especial chamou a atenção, tirando as empresas do ramo de Petróleo. A Paranaense Perkons, empresa investigada pelo MPF por comandar a Máfia dos Radares no Sul do país, e nos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal.
****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/12/esposa-juiz-sergio-moro-e-assessora-psdb.html

O juiz, o prefeito tucano e o doleiro de sempre

09.12.2014
Do blog  O CAFEZINHO
Por  Miguel do Rosário

capa-veja-juiz-moro
Veja defende Sergio Moro. Única esperança da mídia tucana é o golpe judicial, que pode vir do Paraná, onde o PSDB controla todas as instâncias.

 Antes, um aviso.

Longe de mim acusar o juiz Sergio Moro de qualquer coisa.

Não sou louco nem leviano.

Imagino que ele deva ser um magistrado sério e honesto. Assim como sua esposa também deve ser uma advogada proba e íntegra.

Só que fica cada vez mais difícil acreditar em sua imparcialidade.

Depois de descobrir que sua esposa é advogada do PSDB e da Shell, agora ficamos sabendo que o próprio Sergio Moro, ainda estagiário, também trabalhou para o partido.

Essa República do Paraná é mesmo uma grande família.

Ao final dos anos 90, ainda na era tucana, um prefeito do PSDB, Jairo Gianoto, roubava como se não houvesse amanhã.

Foi condenado diversas vezes. Ele e sua equipe.

Até o tributarista do prefeito, o dr. Irivaldo Joaquim de Souza, foi preso.

Adivinha quem era o doleiro usado pelo prefeito tucano para lavar o dinheiro desviado, calculado em mais de meio bilhão de reais pela justiça?

Sim, ele mesmo, o doleiro Alberto Youssef, que hoje delata o PT na operação Lava Jato, comandada pelo juiz Sergio Moro.

Youssef, um homem doente e com um passado de crimes, vive numa espécie de Guantanamo tupiniquim, rodeado de delegados, promotores e um juiz tucanos.

Eles só lhe dão esperanças de liberdade se delatar o PT.

A mesma situação de Paulo Roberto Costa, cuja família inteira foi torturada psicologicamente pela República do Paraná.

Ambos, Youssef e Costa,  são bandidos manipulados e ameaçados pelos carceireiros da Guantanamo paranaense.
E pela mídia, claro.

Ah, adivinha quem era estagiário na firma do Dr. Souza, o tributarista cúmplice do prefeito tucano?

Sim, ele mesmo, o juiz Sergio Moro.

Um estagiário agradecido, que chegou inclusive a ser testemunha de defesa do Dr. Souza, quando este foi preso por crimes associados à corrupção da prefeitura do PSDB.

Outro nome envolvido até o pescoço nas tretas tucanas do Paraná é o senador Alvaro Dias, outro Catão da mídia.

O Brasil é ou não é uma maravilha?

À diferença da Veja, cujas matérias ficcionais vem embasadas em fontes anônimas e delação de bandidos, aqui a gente mostra as provas.

Clique aqui para ver os documentos e saber mais detalhes da história.
****
Fonte:http://www.ocafezinho.com/2014/12/09/o-juiz-o-prefeito-tucano-e-o-doleiro-de-sempre/#sthash.RenI34E8.dpuf

Trensalão: Alckmin se diz "vítima"

09.12.2014
Do BLOG DO MIRO
Por Conceição Lemes, no blog Viomundo:



A reportagem referia-se ao fraudulento aditivo do contrato 00/95 celebrado entre Cofesbra – o Consórcio Ferroviário Espanhol-Brasileiro, integrado pela Alstom Brasil, Bombardier e CAF Brasil e respectivas matrizes -, e CPTM - Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. Ele visava à compra de 12 trens por R$ 223,5 milhões.


O aditivo foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo em 28 de dezembro de 2005.

Só que, segundo o Tribunal de Contas do Estado (TCESP), houve superfaturamento. A decisão foi tomada em 2 de outubro de 2007 no processo nº TCE 5408/026/1995.

E em 2008, a bancada do PT entrou com representação contra este superfaturamento e a prorrogação ilegal do contrato.

Em 2013, o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP) identificou “grave irregularidade no sexto aditamento, verdadeira fraude à licitação e desvirtuamento total do contrato inicial”.


Relembrando, já que há leitores novos chegando ao Viomundo.

A concorrência foi feita em 1995 e o contrato fechado no mesmo ano por Mário Covas (PSDB), o governador à época.

O aditamento foi considerado ilegal, pois havia sido assinado quase 10anos depois do contrato original. Era o sexto do contrato 00/95!

A investigação mostrou aumento de 73,69% no valor da compra dos trens. Ou seja, superfaturamento de R$ 160 milhões, que em valores corrigidos chegam a R$ 430 milhões. Isto foi possível descobrir devido a uma proposta mais barata da Mitsui, que se encontra em poder do Ministério Público do Estado de São Paulo.

O presidente da CPTM em 2005 era o mesmo dos dias atuais: Mário Manuel Seabra Bandeira.

Ele é um dos 33 indiciados pela Polícia Federal (PF) no inquérito que investigou o cartel metroferroviário paulista, entre 1998 e 2008, nos governos de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, todos do PSDB. A CPTM tem outro diretor indiciado: José Luiz Lavorente.

O inquérito da PF sobre a ação do cartel – conhecido como trensalão, ou propinoduto tucano — foi presidido pelo delegado Mílton Fornazari Júnior.

Em seu relatório final, Fornazari afirma que Mário Bandeira cometeu fraude; ele deveria ter aberto nova licitação já que tinham se passado quase 10 anos da celebração do contrato inicial; e que ele foi o principal idealizador do sexto aditivo.




Na sexta-feira, 5 de dezembro, o promotor Marcelo Milani, do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP), defendeu o afastamento de Mário Bandeira:

“Eu não acho, eu tenho certeza (de que Bandeira deveria ser afastado). Mas eu não sou o governador do Estado. Eu sou promotor”. Milani é o autor da ação que pede a dissolução de 11 empresas sob suspeita de cartel e o ressarcimento de R$ 418,3 milhões aos cofres públicos.

Apesar de a PF indiciar Bandeira e o MP pedir o seu afastamento, Alckmin saiu em defesa do presidente da CPTM.

O governador disse ao Estadão que “o doutor Mário Bandeira é pessoa extremamente respeitada” e que é é preciso “cuidado para não fazer injustiça com as pessoas”.

Alckmin disse ainda que, no caso do cartel, o governo de São Paulo “é vítima”.


Já os diretores da CPTM, segundo nota da estatal, “não irão se manifestar, uma vez que não tiveram acesso ao conteúdo do processo em razão do segredo de Justiça.”

Além disso, os “executivos negam veementemente qualquer prática irregular na condução dos processos licitatórios, desconhecendo completamente qualquer acusação”.

Viveriam Bandeira e Lavorente em Marte, já que dizem desconhecer completamente qualquer acusação?

Ou estaria faltando óleo de peroba para ambos, assim como para o governador?

Aparentemente Alckmin quer tirar do foco Mário Bandeira e seus subordinados diretos, que são os diretores. E de quebra esconder nomes como Mário Covas, José Serra e dele próprio, Geraldo Alckmin.

Dizer que o governo é “vítima” do cartel é muita desfaçatez.

Em fevereiro de 2006, antes de se desincompatibilizar para disputar a Presidência da República, o então governador Alckmin (PSDB) foi à sede da Alstom, no bairro da Lapa, na capital, para autorizar o Consórcio Cofesbra a dar início à fabricação dos 12 trens contemplados no sexto aditivo com a CPTM. Teve até plateia de funcionários, empresários e executivos.



O evento foi notícia no portal do governo paulista.


Ou será que um clone do governador Alckmin foi à Alstom?

Como em 20 anos de governos tucanos de Covas, Alckmin e Serra nunca perceberam a ação dos cartéis ?

Como explicar os corruptores sem corrompidos no alto escalão? Não cola colocar barnabés bagrinhos no papel de bodes expiatórios.

Como explicar que as empresas do cartel deram milhões de reais para as campanhas de todos esses governos do PSDB paulista?


*****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com.br/2014/12/trensalao-alckmin-se-diz-vitima.html

EMPRESAS “SUSPEITAS” DOARAM MAIS PARA AÉCIO

09.12.2014
Do portal BRASIL247
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/163159/Empresas-%E2%80%9Csuspeitas%E2%80%9D-doaram-mais-para-A%C3%A9cio.htm

GLOBO MANIPULA CONTRA LULA,MAS PROTEGE JOAQUIM BARBOSA: Por que apartamento de Lula é notícia e o de Barbosa não?

09.12.2014
Do blog  CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

 Nogueira: a má fa.é com que o Globo noticiou o apartamento de Lula

Conversa Afiada reproduz artigo de Paulo Nogueira, extraído do Diário do Centro do Mundo:

A MÁ FÉ OBTUSA COM QUE O GLOBO NOTICIOU O APARTAMENTO DE LULA


Lula não é Mujica, sabemos todos.


Mas quem é? Francisco, o papa. E vamos parando por aí.


Isto posto, é absolutamente canalha o destaque dado pelo Globo à informação de que Lula tem um tríplex no Guarujá.


É o tipo de coisa que, editada desonestamente, só serve para alimentar a ignorância estridente dos analfabetos políticos de direita.


Vamos começar pelo seguinte: Lula tem condições para comprar um apartamento avaliado em 1,5 milhão de reais?


Ora, Lula é um dos palestrantes mais bem remunerados do mundo. Palestras de estrelas do circuito mundial giram em torno de 100 mil dólares.


Isso quer dizer o seguinte: com um punhado de palestras, não mais que isso, ele pode comprar um apartamento como o que o Globo, com a Veja na esteira, noticiou com alarde.


Fora isso, Lula tem seus benefícios de ex-presidente. Finalmente: 67 anos é uma idade em que pessoas bem sucedidas como ele, ou muito menos que ele, podem já ter acumulado um respeitável patrimônio legítimo.


Muito mais estranho, para ficar em imóveis e na Globo, foi a notícia de que a apresentadora Patrícia Poeta estava comprando, aos 38 anos, um apartamento 15 vezes mais caro na avenida Atlântica, no Rio.


Ainda no campo imobiliário, por que o apartamento de Lula é notícia, para o Globo, e o de Joaquim Barbosa em Miami não?


O valor é mais ou menos o mesmo, segundo se noticiou. Com o detalhe de que, para fazer a compra em Miami, Joaquim Barbosa inventou uma pessoa jurídica que lhe permitiu fugir de impostos americanos.


Este tipo de comportamento – denúncia é contra aqueles de quem não gostamos – ajuda a entender a imensa rejeição que tantos brasileiros têm pelas grandes empresas jornalísticas.


O Globo ludibria seus leitores ao não colocar a informação do apartamento sob o devido contexto.


A Veja, ao reproduzir o Globo, faz o que sempre faz: panfletagem, em vez de jornalismo. E o resto, bem, é o resto. Na Jovem Pan — que vai se tornando reduto do que há de mais reacionário na mídia — Rachel Sheherazade falou sobre o “chiquérrimo” apartamento de Lula, e conseguiu citar seu irmão de alma Rodrigo Constantino.


Constantino escreveu, segundo Sheherazade, que se Boulos, do MSTS, souber do triplex, pode ter a ideia de colocar lá várias famílias de sem teto. Bem, o tamanho do imóvel, segundo o Globo: 297 metros quadrados. A sala de Roberto Marinho, na sede da Globo, na qual estive mais de uma vez, tinha mais que isso.


Lula é uma saudade para milhões de brasileiros e para a mídia, que não se conforma com isso, uma obsessão.


A tal ponto chega tal obsessão que hoje no site da Folha Ronaldo ‘Quem?’ Caiado ficou por várias horas na primeira página.


O que ele fez para merecer a honraria?


Disse, do alto de sua clarividência, que Lula não tem “a menor chance” em 2018. O morto-vivo Caiado descobriu que para ser objeto dos holofotes basta falar mal de Lula.


Fazer previsões sobre 2018 agora, quando Dilma sequer iniciou o segundo mandato, remete a uma frase clássica de Keynes. “A longo prazo estaremos todos mortos.”


As grandes empresas de jornalismo, com sua obtusidade desonesta, provavelmente estarão mortas em prazo mais breve, para o bem da sociedade.

Em tempo: além dos apartamentos adquiridos por Patrícia Poeta e Joaquim Barbosa, o Conversa Afiada sugere outra comparação.

Por que não o PiG não fala do apartamento de FHC em Paris ?

O Farol de Alexandria, que acha “razoável” aposentadoria de R$ 22 mil, tem um apê na Av. Foch, onde o metro quadrado custa mais de 12 mil Euros.
*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/pig/2014/12/09/por-que-apartamento-de-lula-e-noticia-e-o-de-barbosa-nao/

Janio e a manipulação do Datafalha

09.12.2014
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

 Perguntas dúbias alteram resultados da pesquisa.
Conversa Afiada reproduz trechos do artigo de Janio de Freitas, extraído da Fel-lha (ver no ABC do C Af):

OS OUTROS NÚMEROS


Os 43% que de fato atribuem “muita responsabilidade” a Dilma “sobre o caso” Petrobras, na sondagem Datafolha, não proporcionam à oposição uma base informativa sobre as perspectivas de sua atual ação, nem ao governo oferecem uma noção dos efeitos do escândalo em sua imagem. Dados indiretos dão melhor ideia, talvez surpreendente para os dois lados, da situação do confronto no que mais lhes interessa: a opinião pública, ou do eleitorado.


A dubiedade da pergunta tornou possível uma quantidade indefinida dos que a interpretaram com um sentido e dos que lhe deram outro. “Responsabilidade SOBRE o caso” pode ser a de quem, detentor de uma posição hierárquica –chefe de família, dirigente de empresa, governante– deve as providências para o melhor e correto andamento do que está sob sua responsabilidade. É admissível, para não dizer certo, que muitos terão recebido a pergunta nesse sentido.


Mas a “responsabilidade SOBRE” também podia ser entendida como implicação NO caso, responsabilidade como parte, em alguma medida, da ocorrência.


As duas interpretações levam a respostas com profunda diferença, estando, porém, embaralhadas tanto nos 43% subscritos em “muita responsabilidade” de Dilma, como nos 25% de “um pouco” de responsabilidade. Índices que, somados de maneira discutível, fizeram a notícia de que 68% responsabilizam Dilma por corrupção.


(…)


e aí com muito interesse para a oposição, 46% consideram que o governo Dilma é o que mais investigou a corrupção. O segundo, longe, é o de Lula, com 16%. (Outro caso de deformação por pouca informação: foi no primeiro mandato de Lula que o então ministro Márcio Thomaz Bastos preparou e destinou a Polícia Federal para as investigações de corrupção, com escândalos cujo ineditismo os tornou históricos, como o da Daslu).


A pergunta que complementa a anterior é ainda mais expressiva, embora o percentual menor, para a aferição da atividade oposicionista concentrada no escândalo da Petrobras. “Em qual governo os corruptos foram mais punidos?”. No de Dilma: 40% das opiniões colhidas. Parte dos que votaram em Aécio Neves ou dos sem votos válidos, ou de ambos, estão contribuindo para esse índice recordista, que é maior até do que o contingente, no eleitorado total, que elegeu Dilma.


O investimento agressivo que a oposição faz para responsabilizar Dilma Rousseff pela corrupção na Petrobras, como também por assuntos menos gritantes, reproduz (com menos brilho, é verdade) mais de um período caracterizado pela mesma linha de oposicionismo. O resultado a que chega também reproduz o de seus inspiradores.


Leia mais:

FEL-LHA VOLTA A MANIPULAR “PESQUISA”

MELO DESMONTA A FARSA DO IMPEACHMENT

*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/politica/2014/12/09/janio-e-a-manipulacao-do-datafalha/