segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Dilma e o PT vão enfrentar a Globo?

13.10.2014
Do blog ESCREVINHADOR, 12.10.14
Por Rodrigo Vianna

 Policial acusa Aécio: “ele é amigo da turma do helipóptero” 

A imprensa (comandada pela Globo) martela durante 24 horas acusações sem provas contra o PT. O partido de Dilma tem gente boa e ruim. O PSDB tem muito mais gente denunciada por corrupção.  Mas por que só há denúncias contra o PT na véspera de eleição? Toda vez é assim…
A onda de noticias sobre corrupção impede que o país perceba que estamos diante de dois projetos: um é o programa dos ricos, do desemprego e do arrocho (já conhecemos Aécio=FHC); o outro é o governo que gerou empregos e melhorou a vida dos pobres (apesar de ter feito menos do que tanta gente esperava do PT). Isso é o que está em jogo.
A campanha de Dilma deveria atacar de frente a Globo e a Veja. É combate aberto o que se espera: pra ganhar ou perder! Mas com boas chances de ganhar.
Para que o jogo se equilibrasse, duas coisas teriam que acontecer…
1 – A campanha petista deveria denunciar, de forma frontal, na campanha de TV, o envolvimento da mídia (comandada pela Globo) com a campanha de Aécio. Outros casos precisavam ser lembrados, de forma didática: a tentativa da Globo de impedir a eleição de Brizola em 82, a manipulação do debate em 89, o caso aloprados em 2006 (com a foto do dinheiro mostrada na véspera da eleição), o caso da bolinha de papel (que Ali Kamel – o diretor da Globo – tentou transformam num míssil contra Dilma em 2010).
2 – As graves acusações que pesam contra Aécio deveriam ganhar peso. Elas não virão pela mídia velha. Mas podem se espalhar pela internet. Assim como as acusações que envolvem o PT no caso Petrobras, as acusações contra Aécio não são acompanhadas de provas, mas de indícios gravíssimos. Além de envolvimento com supostos atos escusos na administração pública, Aécio é acusado de envolvimento com a família Perrela (aquela mesma, do helicóptero com 500 quilos de cocaína) e de adotar um estilo de vida pouco convencional – digamos assim.
Em minha modesta opinião, apoiadores de Dilma não deveriam partir para o vale-tudo nem para ataques pessoais a Aécio.
Até porque, não adianta atacar Aécio sem confrontar a Globo! E quem pode confrontar a Globo? Lula e Dilma. Se o fizerem, incendeiam a militância e podem virar a eleição.
Os apoiadores de Dilma, imagino, estão à espera de um sinal da direção: vai haver um combate aberto ou não? A decisão tem que ser rápida…
Enquanto isso, pessoas que parecem não ter ligações com Dilma e o PT começam a falar na internet o que em Minas todo mundo fala sobre Aécio.
É o caso de policial mineiro, que gravou vídeo no youtube acusando Aécio de envolvimento com a família Perrela – aquela do helicóptero do pó. O policial diz que o tucano “deveria estar preso”.
O policial será processado (ou ameaçado) pela turma de Aécio?
O Brasil pode-se dar ao luxo de escolher um presidente sobre quem pesam dúvidas tão graves? Juca Kfouri acha que não. Aécio jamais processou Juca pelas graves acusações contidas no artigo.
Dilma e o PT erraram feio por não enfrentar o poder da velha mídia desde 2011. Ainda que não quisesse (ou não tivesse apoios suficientes) para aprovar uma Lei da Comunicação no Congresso, Dilma deveria ter feito ao menos o embate político: mostrando ao povão que a mídia velhaca tem lado e funciona como um partido.
Dilma preferiu preparar omeletes com Ana Maria Braga. Visitou a Folha, distribuiu agrados aos coronéis da imprensa. Agora, na véspera da eleição, a mídia velhaca age como sempre: parte para os ataques sem provas contra apenas um dos lados.
Foi sempre assim: contra Vargas, contra Jango, contra Brizola, contra Lula…
No PT, já se avalia que os ataques (que devem persistir até o dia 26) freiam o crescimento de Dilma e podem impedir uma reação. Na real, Dilma está a 2 ou 3 pontos de Aécio. Empate técnico – com o tucano levemente na frente. Esqueçam a pesquisa Sensus – aquilo é piada, pra ser usada no programa tucano.
Vejamos: Dilma teve quase 42% dos votos válidos no primeiro turno. Com 2% que foram pra Luciana e outros nanicos, chega a 44%. Faltaria a ela conquistar entre 6% e 7% dos 22% que votaram em Marina. Ou seja: menos de um terço dos votos marineiros.
Não é uma operação impossível, em condições normais. Acontece que não estamos em condições normais
*****
Fonte:http://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/plenos-poderes/dilma-e-o-pt-vao-enfrentar-globo-policial-acusa-aecio-ele-e-amigo-da-turma-helipoptero/

Campanha de Aécio em pânico: assessoria recursou explicar cargo "fantasma" aos 17 anos, diz o Terra.

13.10.2014
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

O Terra já sabe. Cronometre quantos dias o Jornal Nacional vai demorar para tocar no assunto, e só falará quando Dilma dizer em debate ou a assessoria de Aécio for obrigada a se pronunciar.

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/aecio-neves/aecio-ocupou-cargo-na-camara-aos-17-anos-mesmo-morando-no-rj,9e71990bd4a09410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Deu no Portal Terra:

Aécio ocupou cargo na Câmara aos 17 anos mesmo morando no RJ

Tem circulado na última semana nas redes sociais a informação de que o candidato à presidência Aécio Neves (PSDB) ocupou um cargo de secretário de gabinete parlamentar na Câmara dos Deputados entre 1977 e 1981, portanto, quando o mineiro tinha entre 17 e 21 anos e, segundo sua biografia oficial, morava no Rio de Janeiro.

Em sua biografia, porém, o candidato cita seus primeiros passos na política em 1981, quando foi convidado pelo avô, Tancredo Neves, para trabalhar em sua campanha para governador de Minas Gerais.

Segundo o site de sua campanha, aos 10 anos, Aécio se mudou para o Rio de Janeiro, onde passou a adolescência e o início da vida adulta. Informação conflitante com o site da Câmara dos Deputados, que confirma Aécio como secretário de gabinete parlamentar entre 1977 e 1981, antes de se tornar secretário particular de Tancredo, mesmo não morando em Brasília.

O período conflitante da biografia do candidato coincide com o intervalo de tempo em que o pai de Aécio, Aécio Cunha, atuou como deputado federal pela Arena (1963 – 1979) e pelo PDS (1983-1987), partidos de apoio ao regime militar.

O Terra entrou em contato com a assessoria de imprensa de Aécio Neves, que não havia se posicionado até a publicação da matéria.

A matéria exclusiva  do nosso blog,  foi publicada  no nosso blog nesse  sabado (13) epode ser lida com aqui, com o título: Marajá fantasma? Aos 17 anos, Aécio já tinha cargo em Brasília, mas morava no Rio.
*****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2014/10/campanha-de-aecio-em-panico-assessoria.html

LEIA SOBRE O FALSO MORALISMO DE AÉCIO: A desconstrução de Aécio Neves - A verdade vence a mentira

13.10.2014
Do portal do INSTITUTO JOÃO GOULART,08.10.14 
Por Davis Sena Filho

O mineiro tem sangue tucano e seu programa de governo é voltado, sem sombra de dúvida, aos interesses das classes dominantes e dos grandes empresários nacionais e internacionais. Aécio Neves é o candidato da direita

Davis Sena FilhoO candidato tucano à Presidência da República, Aécio Neves, nunca foi um político talentoso. Porém, a vida o bafejou com a sorte, pois filho de uma oligarquia mineira tradicional, cujo ícone político é Tancredo Neves, homem que militou na política brasileira por mais de 50 anos e que participou efetivamente da redemocratização do Brasil, após 21 anos de ditadura militar.
Por seu turno, causava estranheza a muita gente, e hoje não mais, a total dissociação do tucano chamado por muitos de playboy, com a trajetória de Tancredo — o seu avô. O veterano político mineiro, que hoje faz parte da história, sempre esteve no lado da legalidade constitucional e institucional, bem como foi correligionário e homem de confiança de presidentes trabalhistas, a exemplo de Getúlio Vargas e João Goulart.

Tancredo Neves sofreu com a mão pesada da direita brasileira empresarial e militar, que, em 1964, conquistou o poder presidencial por intermédio de uma quartelada, que ocasionou dura repressão política e social, exemplificada em censura, perseguições, demissões, prisões, exílios, tortura e mortes.

O líder de Minas, apesar de ser politicamente moderado, um político de centro, nunca se acumpliciou com a ditadura, bem como jamais se aliou às causas da direita nacional, de alma colonizada e entreguista, que sempre conspirou contra os mandatários trabalhistas, a ter como norte os interesses dos Estados Unidos e dos países hegemônicos da Europa Ocidental.

Aécio Neves se tornou o herdeiro do espólio político de Tancredo Neves. Recebeu as chaves da política mineira e começou sua carreira, aos 25 anos, como um dos diretores da Caixa Econômica Federal (CEF). Um bom início para um jovem, sem experiência, mas que já vislumbrava um futuro político promissor, pois nascido em uma oligarquia, que já há algum tempo se tornou por demais conservadora.

O mineiro tem sangue tucano e seu programa de governo é voltado, sem sombra de dúvida, aos interesses das classes dominantes e dos grandes empresários nacionais e internacionais. Aécio Neves é o candidato da direita. Ponto! E o PT tem de mostrar esta realidade sem vacilar. Tem de ficar claro qual é o lado do político elitista do PSDB, o partido da burguesia e da pequena burguesia (classe média), que tem como meta implementar no Brasil uma política econômica e social neoliberal.

A mesma política que levou os países latino-americanos à bancarrota, além de causar desemprego em massa, pois a lógica perversa dos partidos direitistas é governar para poucos e, consequentemente, favorecer as consideradas "elites" com benefícios e privilégios, principalmente os governamentais. Afinal, sabemos que quando um governo tira da maioria a intenção é privilegiar uma casta social — a casta dos "bem-nascidos". E é exatamente que os ricos e a classe média, ridiculamente com a mentalidade dos ricos, querem para o Brasil, com a ascensão de Aécio Neves no papel de presidente da República.

O PT e sua candidata, Dilma Rousseff, tem de desconstruir o tucano Aécio Neves, assim como o fez com Marina Silva, que ao apregoar a "nova política" ficou desnuda, pois seu programa de governo não coadunava com essa tal de nova política, porque conservador ao dar ênfase aos interesses do mercado financeiro, além de contrário à política externa brasileira não alinhada aos Estados Unidos e à União Europeia, bem como perigosamente questionadora de obras de infraestrutura da grandeza das hidrelétricas de Belomonte e Jirau, da transposição do Rio São Francisco e do regime de partilha aprovado para o Pré-Sal pelo Congresso Nacional, que determina que 70% dos recursos sejam destinados à educação e 30% à saúde.

Com efeito, Marina Silva afirmou ainda que o Banco Central se tornaria independente, se ela fosse eleita. Como assim, cara-pálida? O Banco Central em um governo Marina se mudaria para a Praça dos Três Poderes? Então, o BC seria o quarto poder, apesar dessa suposta realidade não constar na Constituição de 1988?

E foi com essas indagações que Dilma Rousseff combateu, nos debates, essa proposta matreira, ladina, contrária aos interesses do Brasil, que tinha por finalidade entregar a política cambial e de juros aos bancos privados nacionais e internacionais. Não é à toa que uma das principais assessoras de Marina é a banqueira Neca Setúbal — herdeira do Banco Itaú.

Marina foi desconstruída e agora quem tem de ser também desconstruído e desmentido, porque mente sobre fatos e realidades para dar suas versões que não condizem com a verdade é o candidato tucano e de direita, Aécio Neves. Tal político conservador e do PSDB tem de ser mostrado no horário eleitoral e nos debates como ele realmente o é.

A resumir: um agente político dos interesses das "elites" brasileiras e de uma classe média colonizada e tutelada, que odeia o Brasil, bem como ficou inconformada com a ascensão social dos pobres, por motivos torpes, pois portadora de graves preconceitos, como o de classe, o racial e o de origem. A pequena burguesia, que não é classe, é mais reacionária do que os ricos — os seus patrões. O nome disso é ideologia.

Aécio Neves tem de ser demolido politicamente, porque mente quando se autoproclama como o candidato da "mudança". Agora a pergunta que teima em não se calar: Como pode um político do PSDB, de direita, pertencente realmente ao high society carioca e mineiro, cujo programa de governo é praticamente a mesma proposta de Marina Silva, considera-se um político que vai fazer mudanças?

Respondo: Só se a tal "mudança" for para pior. O seu futuro ministro da Fazenda, Armínio Fraga, já anunciou, há tempos, que vai ter de efetivar medidas amargas, impopulares, inclusive a mexer no salário mínimo, que nos governos petistas se tornou uma questão de estado e não meramente monetária. A política salarial do PT, que está paulatinamente a recuperar seu poder de compra, a fazer também, juntamente com o Bolsa Família, que o mercado interno brasileiro se fortaleça e, consequentemente, debele o desemprego e movimente a roda da economia.

Só quem não enxerga isso são as pessoas reacionárias e que não desejam o desenvolvimento do Brasil e o crescimento social dos indivíduos mais pobres. É o caso de Aécio Neves e seu programa de governo nefasto e prejudicial aos interesses do povo brasileiro. Por isto e por causa disto, Aécio Neves tem de ser desconstruído como o foi Marina Silva. Ponto! Não tem como Dilma Rousseff ter alguma dúvida, pois está em jogo um projeto de País nacionalista, dedicado ao povo e que propiciou, sobretudo, a melhoria na qualidade de vida do povo brasileiro. Só não percebe quem não quer, ou é de direita ou da extrema esquerda cega, e, inconsequente, que faz o jogo malévolo da direita.

Existe o mal e o bem, sim. O PT não é um partido de santos, mas, sim, de homens e mulheres. A agremiação trabalhista e socialista incorre em erros e acertos, mas, sem sombra de dúvida, combateu a corrupção como nunca foi feito neste País e gerou, espetacularmente, emprego e renda, ou seja, desenvolvimento social e igualdade de oportunidades, exemplificados no Pronatec, no Fies, no ProUni, no Enem, no Bolsa Família e no aquecimento da economia por meio de milhares de obras de infraestrutura e dos programas Minha Casa, Minha Vida e Luz para Todos. Aonde tem luz, há ideias; e aonde tem ideias tem desenvolvimento. Esta é a verdade. O resto é descompromisso das classes sociais abastadas e de sua porta-voz, a imprensa de mercado e corporativa.

Então, dito isto, vamos à desconstrução de um político representante das elites, chamado Aécio Neves, conforme notícias veiculadas por diferentes meios de comunicação:

CENSURA

1- Censurou parte da imprensa mineira, que ousou denunciar esquemas de corrupção quando governador de MG;

2- Tentou censurar o Google, o Yahoo! e o Bing, pois moveu um processo para a retirada de links relacionados ao uso de drogas e ao desvio de verbas da Saúde;

3- Mandou demitir um diretor da Globo de Minas Gerais após três reportagens que desagradaram-lhes;

4- Não gosta de ser investigado. Em dez anos, ele e seu sucessor, Antônio Anastásia, só permitiram três CPI em Minas Gerais. Mais de setenta foram barradas na Assembleia Legislativa;

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/03/1425228-justica-nega-pedido-de-aecio-para-bloquear-buscas-na-internet.shtml

http://www.midiaindependente.org/pt/red/2003/09/262572.shtml

CORRUPÇÃO QUANDO FOI GOVERNADOR DE MINAS GERAIS

5- Foi processado por desviar R$ 4,3 bilhões da Saúde;

6- Construiu cinco aeroportos em cidades com menos de 25 mil habitantes, no entorno de sua fazenda;

7- Um dos aeroportos custou R$ 14 milhões, e fica na fazenda de seu tio, no município de Cláudio;

8- Pagou R$ 56 mil ao ex-ministro do STF, Ayres Britto, para arquivar a investigação de ilegalidade, no aeroporto na fazenda de seu tio;

9- Quando governador desapropriou um terreno de seu tio-avô, no valor de R$ 1 milhão. Posteriormente, o Estado mineiro pagou a ele uma indenização superfaturada de R$ 20 milhões;

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/05/aecio-neves-sera-julgado-por-desvio-de-r43-bilhoes-da-saude-2.html
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/07/1488587-governo-de-minas-fez-aeroporto-em-terreno-de-tio-de-aecio.shtml

http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/governo-de-aecio-fez-aeroporto-particular-de-r-14-milhoes

http://noticias.r7.com/minas-gerais/governo-de-minas-pode-pagar-r-34-milhoes-por-terreno-de-tio-avo-de-aecio-26072014

INFRINGINDO A LEI

10- Apesar de declarar apenas R$ 100 mil em bens, sua rádio tem uma frota de carros de luxo e de passeio no valor de mais de R$ 1 milhão;

11- Foi pego pela polícia dirigindo o carro de sua rádio, um Land Rover, no valor de R$ 192 mil. O pior: estava embriagado e se recusou a fazer o teste do bafômetro;

12- Troca de favores ou compra de votos. Quando governador contratou 98 mil servidores públicos sem concurso e de maneira ilegal;

13- Nepotismo. Com apenas 25 anos foi nomeado diretor da Caixa Econômica Federal (CEF) por seu primo, o então ministro da Fazenda Francisco Neves Dornelles;

http://www.viomundo.com.br/politica/a-estranha-frota-de-luxo-da-radio-de-aecio-neves.html
http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/04/aecio-neves-tem-habilitacao-apreendida-em-blitz-da-lei-seca-no-rio.html

http://noticias.r7.com/minas-gerais/stf-determina-dispensa-de-98-mil-servidores-da-educacao-em-minas-efetivados-sem-concurso-26032014

EDUCAÇÃO E SAÚDE

14- Durante seu governo, Minas Gerais passou a pagar o piso salarial mais baixo do Brasil a professores;

15- Aliás, o piso é mais baixo do que o permitido pela lei do piso salarial de professores, e, portanto, ilegal;

16- Diminuiu o salário-base dos médicos em Minas para apenas R$ 1.050 — o segundo mais baixo do Brasil;

17- Quando governador de Minas Gerais pagou com dinheiro do Estado uma dívida da Rede Globo de US$ 269 milhões referente à compra da Light;

http://www.viomundo.com.br/denuncias/professores-de-minas-publicam-contracheques-para-provar-que-estado-e-psdb.html

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/o_governo_mineiro_e_a_globo
http://tijolaco.com.br/blog/?p=19821

ECONOMIA

18- Em 2013 quando Dilma anunciou redução de 20% na conta de luz, os tucanos de Minas se posicionaram contra. Pediram um aumento de 30%. Ao invés de a conta baixar, subiu 14,76% ( foi o que a Aneel aprovou);

19- Ele e seu sucessor, Anastásia, fizeram a dívida de Minas crescer 127% em 11 anos;

http://www.pautandominas.com.br/en/May2013/minas_gerais/494/CEMIG-aumenta-conta-de-luz-e-tenta-jogar-a-culpa-no-governo-federal.htm

http://www.blogdojoseprata.com.br/detalhe-noticia/minas-dos-tucanos-inseguranca-reajuste-da-luz-baixo-crescimento-lei-1002007-endividamento-origem-do-mensalao-

MENSALÃO DO PSDB É PROTEGIDO PELA IMPRENSA FAMILIAR

20- Um dos réus do mensalão do PSDB é seu assessor. O publicitário Eduardo Guedes, acusado de desviar R$ 3,5 milhões para a empresa de Marcos Valério;

21- Aécio é correligionário e aliado político do réu mais famoso e mentor do mensalão do PSDB, além de seu antecessor no governo de Minas Gerais, o ex-governador Eduardo Azeredo;

22- Seu primo, Rogério Lanza Tolentino, era o braço direito de Marcos Valério e foi condenado por lavagem de dinheiro em Minas;

23- Seu outro primo, Tancredo Aladin Rocha Tolentino, foi preso por vender sentenças judiciais. A Globo e a imprensa de mercado em geral se calaram;

24- Por falar em sentença, conseguiu um mandado de busca e apreensão para que a polícia invadisse o apartamento de uma jornalista. Computador, HD externo, CDS e celular foram apreendidos.

25- IMPORTANTE: inquérito aberto em 2005 para investigar contratos do governo tucano de Aécio Neves (2003/2006) com as agências de publicidade de Marcos Valério está parado nas gavetas do Ministério Público mineiro

26- O Mensalão do PSDB completa este ano dez anos sem ser julgado. A imprensa de negócios privados e o Judiciário se calam, não ouvem e não enxergam, porque são mudos, surdos e cegos;

http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/assessor-de-confianca-de-aecio-e-reu-do-mensalao-mineiro

http://tvuol.uol.com.br/video/eduardo-azeredo-participara-como-quiser-da-campanha-diz-aecio-neves-128-04020C183864D0815326

http://www.revistaforum.com.br/blog/2014/06/jornalista-tem-casa-invadida-pela-policia-rj-por-acao-de-aecioneves/

http://www.conjur.com.br/2012-fev-09/desembargador-mineiro-cobrava-180-mil-liminar-denuncia-mpf

SENADOR OMISSO

27- Nos quatro anos como senador, apresentou menos projetos que o deputado Tiririca, que por sinal recebeu notas altas do Diap — Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar;

28- Gastou 63% do dinheiro com passagens de avião pagas pelo Senado com viagens para o Rio de Janeiro, sua verdadeira terra, apesar de ser mineiro, onde o candidato do PSDB também mora e tem fama de playboy boêmio. Apenas 27% de suas passagens tinham como destino as Minas Gerais, Estado que o elegeu senador;

29- Aliás, o tucano torrou R$ 589 mil em passagens de avião para o Rio em pouco mais de três anos e meio como senador;

PETROBRAS COM O PT

30- A Petrobras sempre foi alvo da direita brasileira desde sua criação, em 1953, no governo do presidente trabalhista e estadista, Getúlio Vargas;

31- Em eleições, a burguesia e sua imprensa entreguista e de direita sempre colocaram a Petrobras no olho do furacão, como acontece agora nas eleições de 2014. É histórico a desfaçatez e o ódio contra a empresa;

32- Contudo, teve a descoberta do Pré-Sal, e a Petrobras ficou maior do que já era. A estatal atingiu, em março, recorde no refino;

33- A estatal faz captação em euros: 12 bilhões. Um recorde entre os países emergentes;
34- A Petrobras lança US$ 8.5 bilhões em bônus, mas a demanda supera os US$ 22 bilhões. Outro recorde;

35- A simbólica companhia anuncia a maior captação internacional de sua história: US$ 11 bilhões;

36- São realizados concursos para o brasileiro ingressar na Petrobras e os funcionários da empresa recebem cursos constantes de qualificação;

37- A Petrobras se torna uma das cinco petroleiras mais poderosas do mundo;

38- Petrobras coopera para recuperar e transformar a indústria naval brasileira, que se transformou também em uma das maiores do mundo. Com os tucanos, a indústria naval foi à falência;

PETROBRAS COM O PSDB

39- A maior plataforma de prospecção de petróleo do mundo, a P-36, naufraga. O prejuízo para o Brasil é gigantesco;

40- Os tucanos, à frente FHC, quiseram mudar o nome da Petrobras para Petrobrax. Segundo os "gênios", com o "novo" nome ficaria mais palatável para a gringada comprar o maior patrimônio público brasileiro;

41- Média de lucro da Petrobras na era FHC/PSDB: R$ 4,2 bilhões. Era PT: 25,6 bilhões;

42- Patrimônio Líquido na era FHC/PSDB: R$ 49 bilhões. Era PT: R$ 345 bilhões;

43- Receita na era FHC/PSDB: R$ 95 bilhões; Era PT: 281 bilhões;

44- Ativos na era FHC/PSDB: RS 136 bilhões; Era PT: R$ 677 bilhões;

45- Gás natural (era PT): recorde de distribuição de gás natural em 2013;

46- Petrobras – Valor de mercado na era FHC/PSDB: US$ 15,4 bilhões. Era PT: US$ 112 bilhões;

FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL (FMI)

47- FHC — o Príncipe Neoliberal I — foi ao FMI três vezes, de joelhos, humilhado e com o pires nas mãos, porque quebrou o Brasil três vezes;

48- Lula pagou a dívida e os técnicos do FMI sumiram, inclusive, das imagens das televisões, porque agora eles estão a mandar, a se intrometer e a humilhar alguns países e povos europeus, além de outros por esse mundão afora.

Como se observa, o PT e a candidata, Dilma Rousseff, tem meios para desconstruir o tucano do PSDB, Aécio Neves, que forja uma imagem que não condiz, em momento algum, com sua realidade de político conservador, cúmplice e aliado dos interesses dos banqueiros, dos grandes empresários rurais e urbanos e dos governos dos países desenvolvidos e imperialistas.

Aécio Neves não representa mudança alguma. Ele significa o retrocesso político e econômico do povo brasileiro e um perigo para a sobrevivência de blocos econômicos e políticos, a exemplo dos Brics, da Unasul, do Mercosul e das relações Sul-Sul entre os países do hemisfério sul deste planeta. Aécio representa a volta da política mesquinha e perversa que bloqueia o acesso do povo a uma vida de melhor qualidade, com inclusão e justiça social.

Aécio é do PSDB e como tucano ele vai governar para as classes dominantes, as privilegiadas, pois, como todo elitista ou direitista, sua visão de mundo é provinciana, como se o mundo se resumisse ao seu umbigo. O que está em jogo é um projeto generoso de reconstrução do Brasil, que foi rompido violentamente no decorrer dos governos trabalhistas de Getúlio e de Jango e retomado nos mandatos de Lula e Dilma.

São os avanços sociais e econômicos conquistados pelo povo brasileiro que incomodam e causam inconformismos a quem tem dinheiro, estuda e se alimenta muito bem, no decorrer de gerações. São essas pessoas que não querem a independência, a autonomia do Brasil, bem como a emancipação definitiva do povo brasileiro. São os neoescravocratas! Aécio representa essa gente. O tucano e o PSDB simbolizam o atraso, o retrocesso e a recolonização do Brasil. Aécio tem de ser descontruído. Ele pode ser tudo, menos a mudança. A verdade vence a mentira. É isso aí.

Aécio é o alter ego de FHC. Poder-se-ia dizer que ele é o Neoliberal II
*****
Fonte:http://www.institutojoaogoulart.org.br/noticia.php?id=12100

ENTENDA O GOLPE DA PESQUISA QUE, FALSAMENTE, COLOCOU AÉCIO NA FRENTE DE DILMA: O Tempo: “Sensus privilegiou cidades aecistas”

13.10.2014
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães
O jornal mineiro O Tempo acaba de fazer uma denúncia grave que explica como o instituto Sensus fez para dar a Aécio Neves uma vantagem de DEZESSETE pontos sobre Dilma Rousseff. A denúncia de manipulação é gravíssima e, se confirmada, constitui crime eleitoral.
Confira, abaixo, a matéria
*
O Tempo
Belo Horizonte, 13 de outubro de 2014
Embora Dilma tenha vencido em 2 de cada 3 cidades brasileiras no primeiro turno, amostra escolheu municípios praticamente meio a meio.
Depois de Ibope e Datafolha apontarem empate técnico entre Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) na disputa pelo segundo turno, com vantagem numérica para o tucano, pesquisa Sensus publicada pela revista “Isto É” no último dia 11 apontou uma vantagem de 17 pontos do tucano sobre a petista, animando a militância tucana e deixando apavorados os apoiadores da presidente Dilma Rousseff.
Para tentar entender tamanha discrepância, o Olho Neles tentou analisar a base da pesquisa, com os únicos dados disponíveis no registro feito no Tribunal Superior Eleitoral (TSE): os municípios pesquisados.
De acordo com as informações prestadas pelo instituto ao TSE, as entrevistas foram feitas em 136 municípios e a escolha das cidades a serem pesquisadas pode ajudar a explicar a divergência com os índices do Ibope e do Datafolha. O Olho Neles cruzou a votação dos municípios no primeiro turno com as cidades escolhidas pelo Sensus para sua pesquisa de segundo turno e chegou à conclusão de que, proporcionalmente, a base utilizada beneficiou cidades “aecistas”.
No primeiro turno, Dilma venceu em 3.648 municípios, enquanto Aécio ficou à frente em 1.821 cidades, e Marina obteve melhor votação em 99 municípios. Ou seja: Dilma venceu em 65,51% dos municípios, enquanto Aécio venceu em 32,70% e, Marina, em 1,77%.
No levantamento da Sensus, no entanto, das 136 cidades escolhidas, 66 deram vitória à presidente no primeiro turno, enquanto 61 deram vitória ao PSDB e 9 ao PSB. Portanto, na amostra do instituto, 48,52% das cidades foram “dilmistas” no primeiro turno, 44,85% foram aecistas e 6,61% preferiram Marina.
O caso fica nítido em Minas Gerais. No Estado, Dilma venceu em 640 cidades no primeiro turno, enquanto Aécio faturou em outras 213. Portanto, Dilma venceu em 75,02% das cidades, enquanto Aécio levou a melhor em 24,97%. O natural seria imaginar que a amostra, agora, contemplasse esse cenário. No entanto, entre as 15 cidades sorteadas pelo instituto para o levantamento do segundo turno, nove foram “aecistas” (60% do total) no primeiro turno, e apenas 6 foram “dilmistas” (40%).
Embora Minas tenha 853 municípios e São Paulo possua 565, foram ouvidos moradores de 15 cidades mineiras, e 23 cidades paulistas. Por lá, a vitória de Aécio foi bem maior.
Os dados disponíveis não permitem saber a distribuição dos eleitores ouvidos em cada cidade, não sendo possível saber quantas pessoas foram entrevistadas em São Paulo (maior eleitorado do país) e quantos foram ouvidos em Minas (segundo maior colégio eleitoral).
Outro lado
Questionado como é feita a escolha dos municípios a serem pesquisados, o diretor do instituto Sensus, Ricardo Guedes, afirmou que a escolha é feita através do método de Probabilidade Proporcional ao Tamanho (PPT). Ele disse que há uma boa distribuição pelo Brasil, de forma diversificada.
Ricardo Guedes ainda negou que a pesquisa tenha sido vendida para a “Isto É” após ser realizada. No TSE consta que foi o próprio instituto Sensus que pagou pelo levantamento, depois divulgado pela revista semanal. Segundo Ricardo Guedes, trata-se de uma “parceria”.
*****
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2014/10/o-tempo-sensus-privilegiou-cidades-aecistas/

GUIA DE DILMA, DENUNCIA ACOBERTAMENTO DA CORRUPÇÃO NO GOVERNO DE AÉCIO E NOS GOVERNOS DO PSDB

13.10.2014
Do canal do Youtube, 10.10.14


*****
Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=wFlv4tV33Eo

JUIZ SÉRGIO MORO E O GOLPE ELEITORAL CONTRA DILMA:É preciso denunciar a instrumentalização do juiz da delação, por J.Berlange

13.10.2014
Do portal JORNAL GGN, 12.10.14
Por J.BERLANGE
O trabalho do juiz consiste em cumprir duas funções básicas para solução dos conflitos de interesses: (a) conhecer e (b) julgar. Na esfera criminal, (a) tarefa de tomar conhecimento dos fatos em seus pormenores, a fim de alcançar a extensão das tramas e, nestas, (1) a tipificação do fato delituoso (roubo ou furto? corrupção passiva ou prevaricação da autoridade?, etc) e (2) a autoria e a participação das pessoas envolvidas. (b) a tarefa de aplicar a lei aos fatos apurados.
Há duas esferas onde se aplicam essas duas funções. A administrativa (policial) e a jurisdicional (poder judiciário). O caso da delação premiada está na fase de conhecimento administrativo e o único sujeito que está no processo é o delator e ex-diretor ladrão da Petrobras. As pessoas acusadas por ele não podem participar dessa fase, não podem sequer ter acesso ao processo, pois é segredo de justiça.
Vazar informação para ser usada pela mídia contra outras pessoas, constitui uma covardia semelhante a este exemplo: o americano quebra a perna do Anderson Silva e o árbitro amarra o lutador brasileiro no canto do ringue, depois manda a luta continuar porque ainda há dois tempos para o embate acabar. E, para aumentar a dor e o sangramento do lutador amarrado, o juiz - arbitrariamente e contra os princípios que regem a colheita de prova testemunhal - proíbe ao ao agressor covarde e mentiroso falar o nome de pessoas que sejam autoridades de alto escalão do governo, alegando que o fórum de julgamento deles é o Supremo Tribunal.
Ai, já é sacanagem mesmo.
Porque, no exercício da função de conhecer os fatos, não há limites para o juiz perquirir e investigar. Pelo contrário, ele obrigado a ir fundo nos fatos, buscando todos os detalhes e todas as pessoas envolvidas. Não pode haver omissão, não pode haver limitação à liberdade da testemunha de esclarecer os pormenores dos fatos. O juiz necessita de todos os detalhes para reconstituir a trama dos fatos e obter os nomes das pessoas envolvidas. A função de conhecer se desdobra em fases, uma coisa é colher a prova (admissão), outra coisa é valorar a prova (aproveitar para o julgamento), outra coisa é aplicar a lei aos fatos provados (que já é a fase de julgamento).
O material que vazou para a mídia é da fase ode colheita de prova. Nela, O juiz tem que se preocupar em reunir o maior número possível de elementos para reconstituir a trama dos fatos. No caso, da covardia aqui analisada, só se apurou a conduta do ladrãozinho safado que estava depondo. A descrição da própria conduta não é delação, é confissão. E isto ele já havia feito à Polícia Federal. Em Curitiba, ele teria que falar dos outros, inclusive de Presidentes, Senadores, Deputados e Ministros que soubesse que estavam envolvidos. Es provas colhidas relacionadas com essas autoridades não poderiam ser valoradas e nem submetidas a julgamento pelo juiz sindicante. Ele teria que colhe-las e remete-las ao órgão competente do Tribunal Superior, que as analisaria e valorizaria com o objetivo de decidir se mandava abrir processos contra eles ou não, se o Ministério Público promovesse a denúncia.
Ignorância do Juiz? Não! Má-fé!
Ele fez isto para deixar o nosso lutador amarrado, sangrando, no canto do ringue, enquanto os golpistas da imprensa brasileira realizam o massacre até o dia da eleição.
E depois? Termina em pizza? Não, este caso é diferente: quando o juiz deixa passar uma declaração vazia do tipo "ouvi dizer nos corredores que sim", sem fazer ao ladrãozinho as perguntas que preencheriam a frase vazia de conteúdo, é porque decidiu começar o caso com uma baita de uma pizza! Se a pizza vem no começo do processo, no final, vai acabar naquele lugar que Levy Fidelix também escandalizou...

******
Fonte:http://jornalggn.com.br/blog/jberlange/e-preciso-denunciar-a-instrumentalizacao-do-juiz-da-delacao-por-jberlange

GRANDE MÍDIA QUER A QUALQUER CUSTO ELEGER AÉCIO: Por que a mídia está tão empenhada em eleger Aécio?

14.10.2014
Do portal DIÁRIO DO CENTRO DO MUNDO, 11.10.14
Por Paulo Nogueira

Captura de Tela 2014-10-11 às 22.58.12
Você pode se perguntar: por que a mídia apoia tão intensamente Aécio?
Uma visão mais romântica traria a seguinte resposta: porque há uma identidade entre a ideologia de Aécio e a dos donos das grandes companhias jornalísticas.
Mas a verdade é bem menos romântica.
Eleger Aécio, um amigo íntimo dos barões da imprensa, representa esplêndidas oportunidades econômicas.
Nada contra isso – não fosse o fato de que estas oportunidades são à base de dinheiro público.
Dinheiro seu, meu, de todos nós.
Primeiro, e acima de tudo, os bilhões da publicidade federal. Aqui, o PT cometeu um grande pecado, ao não fazer mudanças que beneficiassem a sociedade, e não perpetuassem privilégios de quatro ou cinco famílias.
No mundo dos negócios, você usa a expressão “base zero” para designar orçamentos que vão ser inteiramente refeitos.
Se isso fosse feito na publicidade federal, você se faria logo perguntas como a seguinte: faz sentido colocar 150 milhões de reais por ano no SBT?
Claro que não. Sobretudo na Era Digital, para a qual as estatais demoraram uma eternidade para acordar.
Mas a questão só foi aparecer quando Rachel Sheherazade defendeu entusiasmadamente justiceiros.
Numa concessão pública, e numa emissora bancada por dinheiro do contribuinte, Sheherazade contribuiu histericamente, todos os dias, para a causa da iniquidade no Brasil.
Sheherazade é símbolo de algo que vai muito além dela e do SBT. É um galho de uma árvore.
O mesmo quadro, amplificado, se repete na Globo. São 600 milhões de reais que, no fim, sustentam um jornalismo feito para manter as raízes que fizeram do Brasil um campeão da desigualdade.
É uma das maiores ironias do jornalismo político nacional que personagens como Jabor, Merval e tantos outros do gênero sejam, indiretamente, pagos com dinheiro público.
Compare tudo isso com o que faz a Fox de Murdoch nos Estados Unidos. O teor é de direita, mas nem a Fox é uma concessão e nem recebe fabulosas injeções de dinheiro público, pela publicidade.
Voltemos ao SBT, apenas porque começamos por lá. A partir da base zero, qual seria a quantia justa, em propaganda federal, a ser colocada na emissora de Sílvio Santos?
Um terço, um quarto do que vem sendo colocado? Campanhas de utilidade pública, tudo bem. Uso sensato de verbas em estatais que competem no mercado, como o Banco do Brasil.
E pronto. Não mais que isso.
Você romperia, assim, o duto que conduz, há décadas, dinheiro público para as grandes empresas jornalísticas – e logo para as contas pessoais de seus donos. Não é à toa que a família Marinho é a mais rica do Brasil.
Você daria também um choque de capitalismo na mídia, que sempre dependeu inteiramente do Estado para se sustentar. Não apenas com publicidade federal, estadual e municipal, mas também com empréstimos a juros maternais no BNDES e outros expedientes como a venda de livros e isenções fiscais. (Não incide imposto, para ficar num caso, sobre o papel usado em jornais e revistas.)
E tão importante quanto tudo que foi dito atrás: as empresas jornalísticas deixariam de ter um interesse tão brutal em quem está no Planalto.
Consequentemente, todas essas armações que se repetem quando bate medo nos donos da mídia de que os privilégios acabariam – porque já não faria diferença se o candidato A ou B se elegesse.
A sociedade apoiaria uma reforma no uso da publicidade governamental porque seria a principal beneficiária disso.
Com Dilma, talvez se faça alguma coisa para reduzir a dependência da mídia em relação ao governo, ou talvez não.
Com Aécio, certamente nada se fará.
É por isso que as empresas jornalísticas estão tão empenhadas em eleger Aécio.
*****
Fonte:http://www.diariodocentrodomundo.com.br/por-que-a-midia-esta-tao-empenhada-em-eleger-aecio/