Pesquisar este blog

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Vítima de criminoso resolve processar ministro Gilmar Mendes

22.08.2014
Do blog ESQUERDOPATA
Vítima de Abdelmassih decide processar Gilmar

Vanuzia Leite Lopes, de 54 anos, conta ter desenvolvido síndrome do pânico em 2008, após ter enfrentado juíza e os advogados de Roger Abdelmassih no tribunal; ela foi estuprada duas vezes por ele em 1993; "Depois de dois anos comecei a melhorar. Então, o [ministro do STF] Gilmar Mendes soltou ele. Piorei de novo"; "Decidi que vou entrar com uma representação contra Mendes, por sofrimento desnecessário", anuncia a vítima, que disse ter começado a estudar direito para entender "como podem ter soltado um homem que foi condenado com a maior pena por estupro"; ministro, à época presidente do Supremo, soltou Abdelmassih em 2009, na véspera de Natal, sob o entendimento de que, como ele estava impedido de exercer a profissão, não fazia mais sentido mantê-lo preso.

247 – Uma das 39 mulheres que denunciaram terem sido abusadas por Roger Abdelmassih, Vanuzia Leite Lopes, de 54 anos, anuncia que decidiu processar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Em 2009, o então presidente da Corte foi responsável por soltar Abdelmassih, na véspera de Natal, sob a alegação de que, como ele estava impedido de exercer a profissão, não fazia mais sentido mantê-lo preso.

O médico, que tinha uma das maiores clínicas especializadas em reprodução assistida no Brasil, estava preso preventivamente desde agosto daquele ano, sob a acusação de estuprar pacientes. "O argumento de que, em liberdade, poderia o paciente voltar a cometer a mesma espécie de delito em sua atividade profissional assenta-se em mera especulação, sem mínima base fática", justificou Gilmar Mendes à época.

Após a prisão de Abdelmassih no Paraguai essa semana, relatos das vítimas vieram à tona e Vanuzia contou que, por conta dos dois estupros que sofreu do então médico, desenvolveu síndrome do pânico. Segundo ela, os sintomas do problema vinham melhorando, mas quando o criminoso foi solto por Mendes, ela piorou de novo.

Em 1993, ano do crime, ela disse ter ido à delegacia e ao conselho de medicina, mas ninguém lhe deu ouvidos. "Em 2008, sofri outro estupro, digamos assim. Tive que contar minha história na frente da juíza, enfrentar os advogados dele, enfrentar esse homem de novo. Aí que eu desenvolvi síndrome do pânico", disse Vanuzia à Folha de S. Paulo.

"Depois de dois anos comecei a melhorar. Então, o Gilmar Mendes [ministro do STF] soltou ele. Piorei de novo", prossegue. "Decidi que vou entrar com uma representação contra Mendes, por sofrimento desnecessário. Sofremos abuso, a sequela do abuso, a exposição durante processo. E sofremos agora, de novo, para colocá-lo na cadeia".

A vítima relata ainda ter decidido estudar direito para entender como uma decisão como essa era possível. "Eu comecei a estudar direito para justamente entender como podem ter soltado um homem que foi condenado com a maior pena por estupro, que pegou as vítimas no momento mais vulnerável".
******
Fonte:http://linkis.com/blogspot.com/jrAnE

POR QUE O AVIÃO DE CAMPOS CAIU, AFINAL?

22.08.2014
Do blog NÁUFRAGO DA UTOPIA
Por Celso Lungaretti

O local do acidente, quatro dias depois.
Um dia depois do acidente que vitimou Eduardo Campos, fiz blague com uma teoria da conspiração que o Olavo de Carvalho espalhou na internet (vide aqui), pois não tinha pé nem cabeça sua insinuação de que o PT seria culpado.

Parti de uma visão realista sobre a quem interessaria a morte do neto de Arraes, indagando "qual seria o motivo de o governo atentar contra uma candidatura cuja existência dava a Dilma boas chances de liquidar a fatura no 1º turno, abrindo caminho para aquela que desde o início identificara como a candidatura mais nociva às suas pretensões, tanto que tudo fez nos bastidores para que Marina Silva ficasse fora da disputa".

Mesmo que se pretendesse atingir também Marina, provável companheira de voo, não faria sentido; afinal, enquanto Campos permanecesse como o cabeça da chapa, a participação dela não parecia capaz de alterar os rumos da sucessão. Já a comoção provocada por uma tragédia sempre pode ter efeitos imprevisíveis na mente dos eleitores.

Então, ainda que a aviação não seja uma das minhas áreas de interesse, um simples exercício do senso comum me levou a desconsiderar as hipóteses fantasiosas.

Fiquei satisfeito ao constatar que a explicação mais plausível do ocorrido é o estresse e desorientação do piloto, conforme explicou, nesta coluna aqui, a jornalista Eliana Cantanhêde, cujas ótimas fontes muitas vezes lhe antecipam off line o que será comunicado ao público adiante: 
"[A desorientação espacial] pode ocorrer, por exemplo, com um movimento brusco da cabeça para olhar para fora durante a arremetida, que é procedimento quase sempre tenso, especialmente em condições meteorológicas adversas. E não se trata só de mera 'tontura', é algo bem mais grave do que isso.
Dentro da cabine, o piloto fica desorientado, deixa de ter noção da posição do avião em relação à terra. Não sabe se está voando de lado, embicando para cima ou para baixo. É como se estivesse solto no ar.
...A nova imagem da queda, na prática a primeira de fato importante para as investigações, confirma que o avião caiu em ângulo muito acentuado e possivelmente com a potência máxima. Para especialistas, isso pode indicar que o piloto acelerou ou porque perdera o controle da aeronave, ou porque achava que estava subindo, sem perceber que o avião na verdade embicava para baixo.
Essa hipótese é reforçada porque o avião não pegou fogo no ar...
...a principal hipótese é falha humana, como, de resto, ocorre em 80% dos acidentes aeronáuticos. Sobretudo se o comandante da aeronave, dias antes, se dizia 'cansadaço'". 
Resumo da opereta: é positivo que a era da internet dê oportunidade a todos de opinarem sobre tudo, mas quem tem (ou teve) como ofício relatar e interpretar os acontecimentos, se aplicado e competente, estará quase sempre em vantagem sobre os leigos. A assimilação das lições de muitos erros e acertos nos vai tornando cada vez mais perspicazes e, consequentemente, céticos em relação às especulações mirabolantes.
****
Fonte:http://naufrago-da-utopia.blogspot.com.br/2014/08/por-que-o-aviao-de-campos-caiu-afinal.html

Fernando Brito: Multilaser pagou cartazes da vaia a Dilma

22.08.2014
Do blog VI O MUNDO, 21.08.14

cartaz
 por Fernando Brito, do Tijolaço

“Éticos” da direita paulista pagaram cartazes anônimos para ter vaia a Dilma no Itaquerão

Depois de quase três meses em sigilo, ficamos sabendo, pelo Estadão, que 20 mil  cartazes foram distribuídos à entrada do Itaquerão, na abertura da Copa, atacando e pedindo manifestações contra Dilma Rousseff.

O apelo era explícito: “Na hora do Hino Nacional abra este cartaz e mostre para todos que está na hora do Brasil  vencer de verdade”.

Foram pagos pela empresa Multilaser, pertencente a Alexandre Ostrowiecki e Renato Feder.
Dois yuppies que, imaginem só, mantêm um site em que avaliam a eficiência e a ética dos políticos.

É claro que  quase só entram ali os parlamentares de direita ou os que se dizem de esquerda mas, na prática, acompanham as políticas da direita.

Então foi assim que se preparou a “manifestação espontânea” de grosseria no jogo inaugural da Copa?

É assim que dois empresários que, inclusive, gozam de incentivos fiscais, gastam o dinheiro que a União deixa de recolher em impostos?

Porque quem pagou não foram eles, do bolso próprio, mas a empresa.

Com direito a abater nos impostos que ambos maldizem.

A empresa, aliás, não deve ter do que reclamar dos impostos, pois diz o Estadão que “segundo balanço de demonstrações financeiras da Multilaser publicado no Diário Oficial de 27 de março, o item “reserva de lucros” aumentou de R$ 51 milhões em 2012 para R$ 128 milhões em 2013″.

Um crescimento nada mau de 151% nos ganhos dos pobres coitados que dizem estão carregando o Estado brasileiro nas costas.

Mais cara de pau, só a da nossa imprensa, que  tinha um esquadrão de repórteres pronto para encontrar qualquer montinho de terra que ajudasse a dizer que a festa era um desastre, mas não foi capaz de ver a distribuição de milhares de cartazes que, é só olhar, não tinham nada de espontâneos.
***
Via e-mail, o leitor El Cid nos mandou as imagens (abaixo) do Diário Oficial da União com a aprovação de projeto da Multilaser. “Cospem no prato que comeram”, detonou.

Portaria Multilaser -003
Portaria Multilaser - 02 (2)

 Leia também:

****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/fernando-brito-multilaser-pagou-cartazes-anonimos-para-ter-vaia-dilma-itaquerao.html

A segregação racial nos EUA Brancos

22.08.2014
Do PRAGMATISMO POLÍTICO

Brancos e negros ainda vivem separados nos EUA? A distância entre as raças vem diminuindo lentamente desde os anos 70, mas ainda está longe de acabar

segregação racial racismo eua ferguson
Segregação racial diminui, mas ainda sobrevive nos EUA (Imagem: Pragmatismo Político)
No dia 28 de agosto de 1963, o pastor batista Martin Luther King fez um discurso em Washington, nos Estados Unidos, que entrou para a história: em frente a uma multidão de 250 mil pessoas, ele pediu o fim da desigualdade racial.
“Não estaremos satisfeitos enquanto a mobilidade básica do negro for apenas de um gueto menor para um maior”, disse.
Luther King havia se tornado naquele momento um baluarte dos direitos civis dos Estados Unidos, uma voz poderosa que clamava por um país onde não existiriam divisões raciais.
Cinco décadas depois, os Estados Unidos mudaram e a distância que separa os negros dos brancos diminuiu.
Mas as tensões raciais permanecem subjacentes, à espera de episódios como o ocorrido em Ferguson para voltar à tona.
Subúrbio pobre do Estado americano do Missouri, Ferguson foi palco da morte de Michael Brown, de 18 anos, por um policial branco na semana passada. O jovem estaria desarmado.
A morte de Brown causou revolta e desencadeou uma onda de protestos, à luz da polarização racial ainda existente no país.
Na terça-feira, um segundo jovem negro foi morto, adicionando maior comoção à reação popular.

Alta segregação

Mas, há três décadas, Ferguson era um lugar de maioria branca. Em 1980, segundo dados do Censo americano, 85% de seus habitantes declaravam-se brancos.
Mas progressivamente os brancos de Ferguson foram deixando a cidade e hoje a proporção racial da população se inverteu: de seus 21 mil habitantes, 15 mil são negros.
Ferguson não é um caso isolado nos Estados Unidos e, à medida que mais negros deixam as cidades para se estabelecer nos subúrbios, é comum ver bairros ou mesmo cidades americanas onde eles têm um peso importante no contexto populacional.
“Tem havido uma ‘suburbanização’ da população negra e muitos subúrbios que eram comunidades predominantemente brancas agora são mistas ou negras”, disse o serviço em espanhol da BBC, Reynolds Farley, especialista em demografia da Universidade de Michigan.
Um estudo de 2011 da Universidade de Brown, em Rhode Island, analisou a composição média dos bairros americanos e constatou que o “branco típico” do país vive em um bairro onde 75% da população é branca e 8% é negra.
Já o típico negro, por sua vez, vive em um bairro onde 45% pertencem à sua raça e 35% são brancos.
Uma das conclusões do estudo, chamado A persistência da segregação na metrópole, é que negros e brancos têm relativamente poucos vizinhos de outra raça em seus próprios bairros.
“A segregação entre negros e brancos permanece ainda muito elevada”, diz o estudo. O documento mostra, no entanto, que a distância entre as raças vem diminuindo lentamente desde os anos 70.
Duas das razões para esse declínio são os movimentos migratórios da população negra para áreas menos segregadas do país ou para os subúrbios.
Na mesma pesquisa, fica claro que San Luis, a maior cidade de Ferguson, se situava em 2010 como uma das áreas metropolitanas mais segregadas dos Estados Unidos.
Thomas Sparrow, Texas, BBC
****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/08/segregacao-racial-nos-eua.html

LULA DIZ QUE MÍDIA MANIPULA CONTRA DILMA: Lula voa na jugular da mídia no horário eleitoral

22.08.2014
Do BLOG DA CIDADANIA, 21.08.14
Por Eduardo Guimarães
O horário eleitoral noturno de 21 de agosto de 2014 viu ocorrer um marco político: finalmente o PT reagiu à altura. No programa do dia em que escrevo, o presidente Lula mostrou que não estava brincando quando me disse, em reunião que tivemos no último dia 11 de junho, no Instituto Lula, que não haveria outro jeito que não o de partir para o enfrentamento político com a mídia tucana.
Abaixo, vídeo que o presidente gravou naquele 11 de junho para os leitores desta página. O post continua em seguida.
Nesta mesma noite de 21 de agosto, alguns minutos antes, o Jornal Nacional apresentou seu próprio horário eleitoral. Começou com Marina Silva sendo reverenciada pelos correligionários e fazendo longa exposição de sua plataforma de governo. Em seguida, Aécio Neves aparece sorridente, triunfante em meio a trabalhadores que o ovacionavam. Chega a vez de Dilma. Está despenteada, com expressão tensa. A locução do telejornal a acusa de ser responsável por atraso em alguma obra e quando a presidente tem voz, continua descabelada e se explicando.
Em sua intervenção no horário eleitoral do dia em que escrevo, Lula fez o que me disse que faria: foi para o enfrentamento contra um império poderoso, quase sempre hegemônico, cruel – como demonstrou sobejamente ao atirar o país em duas décadas de uma ditadura sangrenta –, mas que já foi derrotado quatro vezes nos últimos 12 anos e que, com determinação e destemor, será derrotado de novo.
No segundo programa eleitoral de Dilma Rousseff para a televisão, Lula acusou diretamente “setores da mídia que se transformaram no principal partido de oposição da presidenta”. Disse também que muitas pessoas “devem estar surpresas com as tantas coisas boas que Dilma fez e quase ninguém sabia” e que “esta campanha vai servir exatamente pra isso, pra você ver como certa imprensa gosta mais de fazer política do que informar bem, como só consegue falar mal e é capaz de esconder obras fundamentais que estão transformando o Brasil”.
Ao final, Lula retomou o lema de sua primeira campanha, em 2002: “Na minha primeira campanha, a esperança venceu o medo. E nesta, da Dilma, a verdade vai vencer a mentira”
Veja o depoimento de Lula, na íntegra, no vídeo abaixo.
*****
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2014/08/lula-voa-na-jugular-da-midia-no-horario-eleitoral/