Pesquisar este blog

terça-feira, 5 de agosto de 2014

A MANIPULAÇÃO DA REVISTA VEJA:Petrobras desmonta a “fraude da Veja”

05.08.2014
Do BLOG DO MIRO


Por Altamiro Borges

Amestrados pela revista Veja, que obrou a capa “A fraude da CPI da Petrobras”, os demotucanos seguem batendo bumbo. Eles exigem a apuração da “grave denúncia” sobre a ingerência no governo nos trabalhos da comissão parlamentar de inquérito. Desta forma, tentam sair da defensiva imposta pela descoberta do “aecioporto” – o aeroporto de R$ 14 milhões construído na fazenda do titio de Aécio Neves quando ele era governador de Minas Gerais. Neste jogo de cena, de puro diversionismo, a oposição conta com a ajuda do restante da mídia, que repercute e amplifica o novo factoide da Veja. A TV Globo, que escondeu ao máximo o “aecioporto”, agora volta à ofensiva contra a presidenta Dilma Rousseff.

Como já apontou o jornalista Janio de Freitas, uma das poucas vozes críticas da Folha, “as lideranças do PSDB e do DEM ficam à espera do que a imprensa publique, para então quatro ou cinco oposicionistas palavrosos saírem com suas declarações de sempre e com os processos judiciais imaginados pelo deputado-promotor Carlos Sampaio... Não pesquisam nada, não estudam, apenas ciscam pedações de publicações para fazer escândalo”. Nesta terça-feira (5), a própria direção da Petrobras divulgou uma nota que desmonta a “fraude da Veja”. Reproduzo-a na integra:

*****


Leia nosso esclarecimento a respeito de matéria publicada pela última edição da revista Veja:

Sobre a matéria intitulada "A Grande Farsa", publicada pela revista Veja, esta semana, a Petrobras esclarece que tomou conhecimento das perguntas centrais que norteiam os trabalhos das CPI e CPMI da Petrobras, através do site do Senado Federal, nos dias 14 de maio e 02 de junho, respectivamente, onde foram publicados os planos de trabalho das referidas comissões. Nestes, além das perguntas centrais, constam também os nomes de possíveis convocados, e a relação dos documentos que servem de base para as investigações.

Convém ressaltar que tais informações, tornadas públicas pelas comissões de inquérito, por ocasião do início de seus trabalhos, possibilitam a elaboração de centenas de outras perguntas, propiciando à Petrobras a organização das informações necessárias para o melhor esclarecimento dos fatos pertinentes a cada eixo das investigações, quais sejam: Eixo 1 - Refinaria de Pasadena; Eixo 2 - SBM Offshore; Eixo 3 - Segurança nas plataformas; Eixo 4 – Superfaturamento RNEST.

A Petrobras informa que, após cada depoimento, as dezenas de perguntas feitas pelos Parlamentares são desdobradas em novas perguntas pela equipe da Petrobras de forma a subsidiar os depoimentos subsequentes.

Assim como toda grande corporação, a Petrobras garante apoio a seus executivos, e ex-executivos, preparando-os , quando necessário, com simulações de perguntas e respostas, para melhor atender aos diferentes públicos, seja em eventos técnicos, audiências públicas, entrevistas com a imprensa, e, no caso em questão, as CPI e CPMI. Tais simulações envolvem profissionais de várias áreas, inclusive consultorias externas, de modo a contribuir para uma melhor compreensão dos fatos e elucidação das dúvidas.

A Petrobras reafirma que continuará disponibilizando todas as informações referentes as suas atividades e reafirma seu compromisso com a transparência e ética que sempre nortearam suas ações.

*****

Leia também:









****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com.br/2014/08/petrobras-desmonta-fraude-da-veja.html

SINDSPREV/PE: Reunião da Direção Plena e posse da nova diretoria

05.08.2014
Do portal SINDSPREV, 28.07.14

A Direção Plena do Sindsprev com todos os Comitês Sindicais por Locais de Trabalho e o Comitê dos Aposentados realizam a última reunião da atual diretoria na sexta-feira, 8 de agosto, às 10, na sede do Sindicato. Na oportunidade, os participantes  farão um balanço da atuação sindical, enumerando os diversos temas importantes que marcaram as ações do Sindicato nos últimos três anos.

Entre os temas estão: assédio moral; condições de trabalho; manutenção do turno estendido nas Agências da Previdência Social; campanha salarial; campanha de mídia pela valorização da aposentadoria dos servidores públicos; curso de formação a distância; pesquisa sobre Gestão dos Riscos Psicossociais Relacionados ao Trabalho e, recentemente, a luta pela manutenção da DPNI/VPNI nos salários dos servidores da Saúde, Previdência e do INSS.

Posse– Neste mesmo dia, a partir das 16h, no auditório do Sindsprev, haverá a solenidade de posse da nova diretoria e conselho fiscal do Sindicato para o triênio 2014/2017. O evento reunirá servidores da Saúde e Previdência Social de unidades de trabalho, representantes de outras entidades sindicais e da CUT/PE. Durante a solenidade, os dirigentes vão ratificar a principal atribuição da Direção Plena, que é fazer a gestão política da entidade.

Eleitos com 1.966 votos, que representa 94,95% dos votos válidos na eleição realizada em junho deste ano, os novos diretores vão representar mais de dez mil servidores na luta diária  nos locais de trabalho. José Bonifácio e Luiz Eustáquio foram reconduzidos, respectivamente, para a coordenação e secretaria geral da entidade. Na nova composição, Irineu Messias assumirá a secretaria de Administração e Patrimônio e Marcondes Carneiro ficará à frente da secretaria de Imprensa e Comunicação
****
Fonte:http://www.sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000003084&cat=noticias

BOMBA! Aecioporto e a cocaína dos Perrela

05.08.2014
Do blog MEGACIDADANIA, 03.08.14

Aécio aeroporto e a cocaína via PF
Documentos inéditos da PF, divulgados pelo blog de Juca Kfouri, levantam a possibilidade de estreita relação entre o tráfico internacional de drogas e a necessidade de locais "estratégicos" de reabastecimento do helicóptero dos bandidos.


*

O encontro de dois escândalos

Juca Kfouri 02/08/2014 21:16

POR LEONARDO DUPIN*

Uma distância de apenas 14 quilômetros separa os dois escândalos recentes da política nacional que envolvem dois senadores por Minas Gerais, o ex-presidente do Cruzeiro, Zezé Perrela (PDT) e o candidato a presidente Aécio Neves (PSDB).

A pista de pouso e decolagem construída durante o governo de Aécio Neves em Cláudio, no Centro-Oeste mineiro, em um terreno que pertenceu a fazenda do tio avô do candidato tucano fica distante 14 quilômetros de Sabarazinho, um povoado de Itapecerica, também no Centro-Oeste Mineiro, onde o helicóptero da empresa Limeira Agropecuária, da família do senador Zezé Perrela, fez uma parada para reabastecimento carregado com 445kg de pasta base de cocaína, em novembro do ano passado.

A parada em um ponto de Sabarazinho aconteceu três horas e meia antes da apreensão da aeronave por policiais militares e federais em um sítio em Afonso Cláudio, no Espírito Santo. O valor da carga é estimada em R$ 10 milhões, podendo multiplicar por dez com o refino. Segundo o inquérito da PF, o carregamento foi feito em Pedro Juan Cabalero, no Paraguai, e tinha como possível destino Amsterdam, na Holanda, o que configura tráfico internacional.

No dia 20 do mês passado, reportagem do jornalista Lucas Ferraz, da “Folha de S.Paulo”, revelou que Aécio Neves construiu a pista na fazenda que pertenceu a seu tio-avô, além de ficar próxima a uma propriedade da família do candidato.

Na última semana, Aécio Neves admitiu que já usou a pista, mesmo o espaço ainda não tendo sido homologado pela Agência Nacional de Aviação Civil.

O investimento do governo mineiro para a construção da pista foi de R$ 14 milhões. Cláudio tem 25 mil habitantes e está distante 50 quilômetros de Divinópolis, onde já existia uma pista de pouso e decolagem.

O cruzamento dos dois escândalos – do helicóptero e da pista – é comprovado pelos documentos considerados sigilosos do inquérito da Polícia Federal (PF), que este repórter teve acesso.

A PF constatou, com base no rastreamento do GPS do helicóptero e nas anotações do plano de vôo dos pilotos, ambos apreendidos e examinados pela perícia técnica, que o helicóptero carregado com quase meia tonelada de pasta base de cocaína parou em um ponto próximo ao povoado de Sabarazinho.

Segundo o inquérito da PF, no dia 24 de novembro de 2013, às 14h17, aproximadamente três horas e meia antes do helicóptero ser apreendido pela polícia no município de Afonso Cláudio, no Espírito Santo, a aeronave ficou parada por trinta minutos numa fazenda do povoado, onde duas pessoas aguardavam o pouso com galões de combustível.

A localidade fica a 14 quilômetros da pista de Cláudio e também das fazendas da família Tolentino, onde nasceu Risoleta Neves, esposa de Tancredo Neves e avó de Aécio Neves.

O município de Cláudio chega, inclusive, a ser citado no inquérito na análise das mensagens telefônicas dos pilotos, que foram captadas pelas Estações de Rádio Base (ERB), que são os equipamentos que fazem a conexão entre os telefones celulares e a companhia telefônica.

JK aécio Perrela 4
Mapa mostra distância entre a pista de pouso e o local em que o helicóptero parou para reabastecimento

JK aécio Perrela 1
Detalhe do inquérito da PF, com o local de parada do helicóptero em Sabarazinho

Suspeita que não foi desvendada

O helicóptero foi apreendido no dia 24 de novembro. Três dias depois, 27 de novembro, após a apreensão ganhar destaque na mídia, o proprietário da terra fez uma denúncia para a Polícia Militar de Divinópolis. Segundo a PM, tal denúncia foi feita de maneira “anônima”.O proprietário afirma que avistou um helicóptero sobrevoando a região em baixa altitude e depois encontrou em suas terras 13 galões, de 20 litros cada, com substância semelhante a querosene.

Como o Boletim foi realizado após a apreensão do helicóptero, o delegado da Polícia Federal em Divinópolis, Leonardo Baeta Damasceno, afirma no inquérito não descartar o envolvimento de pessoas da região e recomenda como imprescindível uma diligência sigilosa no local, para saber quem são o dono do terreno e as pessoas que tem livre acesso ao local.

Porém, ainda de acordo com o inquérito que esse repórter teve acesso a diligência não foi realizada. Em outra página do inquérito, o proprietário é inocentado sem explicação convincente, dessa vez por documento assinado pelo agente da PF, Rafael Rodrigo Pacheco Salaroli, que afirma: “A total isenção da propriedade e de seu proprietário na empreitada criminosa, restando, portanto, a terceiros sem ligação com o local, a atuação delituosa de reabastecimento da aeronave”.

JK aécio Perrela 2
Trecho do inquérito descartando a investigação no local do abastecimento em Sabarazinho

Parente é serpente

Tancredo Aladim Rocha Tolentino é primo de Aécio Neves e filho de Múcio Guimarães Tolentino, o tio-avô do candidato tucano que teve a terra desapropriada para a construção da pista em Cláudio. Quêdo, como é conhecido, é o responsável, segundo o jornal Folha de São Paulo, por controlar a chave do aeroporto público de Cláudio, que fica distante seis quilômetros da fazenda frequentada por Aécio Neves.

Em 2012, Quêdo tentou se candidatar a prefeito de Cláudio, mas foi impedido pela lei da Ficha Limpa devido a pendências judiciais. Meses antes, Quêdo foi preso na operação “Jus Postulandi”, da Polícia Federal, por participar de uma quadrilha especializada na venda de habeas corpus para traficantes de drogas.

Quêdo, segundo a denúncia, fazia a intermediação do negócio. Ele recebia a quantia, que variava entre R$ 120 mil e R$ 240 mil dos traficantes, ficava com uma parte do dinheiro e repassava o restante ao desembargador Hélcio Valentim, que determinava a expedição de alvará de soltura dos presos.

Em três casos descritos na denúncia realizada pelo subprocurador-geral da República Eitel Santiago, as liminares foram negociadas para favorecer presos por tráfico de drogas. Um dos beneficiários foi preso em flagrante, em julho de 2010, num sítio do distrito de Marilândia, também pertencente a Itapecerica, com cerca de 60 quilos de pasta-base de cocaína.

O processo será julgado no STJ e Quedo responderá por formação de quadrilha e três vezes por corrupção, duas delas “ativa qualificada”.

JK aécio Perrela 3
Trechos da denúncia do procurador Etiel Santiago, que acusa o primo de Aécio Neves de participar de uma quadrilha de venda de habeas corpus para traficantes de drogas

* Leonardo Dupin é jornalista e doutorando em Ciências Sociais na Unicamp.

****
Fonte:http://www.megacidadania.com.br/bomba-aecioporto-e-a-cocaina-dos-perrela/

Servidores do Ministério da Previdência Social discutem DI e situação funcional

05.08.2014
Do portal SINDSPREV,26.07.14
Por Edmundo Ribeiro

CLIQUE PARA AMPLIARNa sexta passada, 25/07, dirigentes do Sindsprev reuniram-se com servidores do Ministério da Previdência Social (MPS) e da APE, na sede do sindicato. Na ocasião, foram discutidas a situação funcional e a liberação do pagamento da DI – Diferença Individual, com retroativo.

Quanto à situação funcional, os participantes definiram estratégias para obter a equiparação salarial com os servidores do INSS.
 
Em relação à DI, decidiu-se que o Sindsprev enviará ao Recursos Humanos do MPS, Junta de Recursos e APE, a relação dos servidores que têm direito a receber a DI – Diferença Individual.
                          
A partir de agora, os servidores do MPS e APE vão ser reunir periodicamente na última quarta-feira de cada mês.

*****

Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000003087&cat=noticias

SENADORES DESMENTEM REVISTA VEJA - DENÚNCIA DE NADA SOBRE COISA NENHUMA

05.08.2014
Do blog 007BONDeblog, 04.08.14

 VEJA ARMA CIRCO SOBRE NADA E ESCONDE 2.000 METROS DE PISTAS DE POUSO EM AEROPORTOS CLANDESTINOS.



OS AEROPORTOS DE AÉCIO E SEUS POUSOS CLANDESTINOS A REVISTA NÃO DIZ ABSOLUTAMENTE UMA LINHA 

Relator nega ter participado da combinação de perguntas na CPI da Petrobras
Mariana Jungmann - Repórter da Agência Brasil - Agência Brasil - 04.08.2014

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras e líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), divulgou nota nesta segunda-feira (4) na qual nega que tenha se reunido com depoentes da CPI para combinar perguntas e respostas. Pimentel é citado em reportagem da revistaVeja, do último fim de semana, segundo a qual investigados pela CPI combinaram com senadores da comissão as perguntas que seriam feitas em depoimento. A revista diz ter tido acesso à uma gravação que aponta a suspeita.

“As perguntas a cada depoente foram formuladas com base: a) no Plano de Trabalho aprovado; b) no denso material resultante da participação dos executivos da Petrobras em recentes audiências públicas, realizadas pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal, dando prioridade a perguntas formuladas pela oposição nessas audiências; c) na Tomada de Contas Especial do TCU (inclusive Acórdãos) e em documentos da CGU; e d) nas denúncias publicadas pelos diversos veículos de imprensa e internet”, diz o senador, na nota.

O senador disse ainda que “protocolou dois requerimentos na Comissão Parlamentar de Inquérito. O primeiro, solicita a instalação de procedimento de apuração, visando o esclarecimento dos fatos e, se for o caso, atribuir responsabilidades. O segundo, solicita ao presidente que requeira à revista Veja a íntegra do vídeo que deu origem à matéria, sob o compromisso de preservação do sigilo. O objetivo é contribuir com o trabalho da comissão de apuração”.

Neste domingo (3), o senador Delcídio Amaral (PT-MS), que também integra a CPI da Petrobras, divulgou nota em que nega qualquer “suposição” envolvendo seu nome e os fatos relatados na reportagem. “Rejeito, com grande indignação, qualquer suposição de minha participação na articulação de depoimentos de quem quer que seja nas duas CPIs da Petrobras em andamento no Congresso Nacional”. Ele também é citado pela revista.

Segundo Delcídio, todos que o conhecem podem atestar sua imparcialidade e isenção nos trabalhos que participa no Congresso. O senador confirmou que teve contato com o presidente do escritório da Petrobras em Brasília, José Carlos Barrocas, mas alegou que isso ocorreu porque ele é o responsável por fazer a “interface” entre a empresa e os parlamentares.

“Independentemente dos fatos, até por uma questão de convicção e coerência, continuarei sendo um defensor empedernido da Petrobras e do seu competente corpo técnico composto por homens e mulheres que construíram essa grande empresa, que tive a honra de trabalhar”, concluiu Delcídio Amaral. A denúncia se baseia em uma suposta conversa em que Barrocas aparece falando da antecipação das perguntas.

Os dois senadores não participaram da sessão de hoje do Senado.

Editor Carolina Pimentel
*****
Fonte:http://007bondeblog.blogspot.com.br/2014/08/senadores-desmentem-revista-veja.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+blogspot/NIKX+(007BONDeblog)

ASSESSOR DESMORALIZA ARROCHO: É UMA FALÁCIA !

05.08.2014
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

Como diz o Lula: vai fechar qual ministério ? O do Bolsa Família, Arrocho ?

Como sugere o navegante Aloysio 300, além do FHC, ele devia levar o Brindeiro para o programa na tv


​Amigo navegante envia essa preciosidade:


Paulo,

Aécio tem falado todos os dias de redução de ministérios. Mas não é o que pensa e diz seu principal assessor econômico de campanha, o economista Mansueto Almeida, que apareceu outro dia em ​”​debate-​inclinado”​ da Globonews com a Mônica Waldvogel.


Clique aqui para ler sobre a torre de Pisa e as ferrovias.​

Em julho de 2013, ​Mansueto​ escreveu: “A ideia de que o aumento do número de ministérios é o grande responsável por um aumento excepcional do gasto é uma falácia”.

Ou seja, nem o assessor do Aécio ​leva ele a sério​.


(Como se sabe, André Lara Resende é aquele que o Nassif imortalizou no livro “Cabeças de Planilha”, cujo conteúdo pôde ser resumido nessa retumbante entrevista).

SETOR PÚBLICO E CONSUMO: O QUE MOSTRAM OS NÚMEROS?


Não iria entrar diretamente nessa polêmica chata sobre gasto público, mas dado que estou recebendo consultas sobre um parágrafo do artigo do economista André Lara Resende no valor vou explicar rapidamente aqui e, depois, vou fazer algo mais detalhado. Vou escrever um artigo com Samuel Pessoa para explicarmos em detalhe isso e colocar posts no blog sobre Finanças Públicas 101. O parágrafo polêmico do André Lara Resende é o seguinte:

“Apesar de extrair da sociedade mais de um terço da renda nacional, o Estado perdeu a capacidade de realizar seu projeto. Não o consegue entregar porque, apesar de arrecadar 36% da renda nacional, investe menos de 7% do que arrecada, ou seja, menos de 3% da renda nacional. Para onde vão os outros 93% dos quase 40% da renda que extrai da sociedade? Parte, para a rede de proteção e assistência social, que se expandiu muito além do mercado de trabalho organizado, mas, sobretudo, para sua própria operação. O Estado brasileiro tornou-se um sorvedouro de recursos, cujo principal objetivo é financiar a si mesmo. Os sinais dessa situação estão tão evidentes, que não é preciso conhecer e analisar os números. O Executivo, com 39 ministérios ausentes e inoperantes; o Legislativo, do qual só se tem más notícias e frustrações; o Judiciário pomposo e exasperadoramente lento.” 

Olha só. Eu gostaria que o  André Lara estivesse correto porque todo mundo detesta governo gastador e, assim, seria mais fácil fazer uma reforma fiscal para valer, reduzindo gasto com a manutenção da máquina para reduzir carga tributária e aumentar investimento. Mas isso está errado. É tão óbvio que “nem precisa analisar os números”.

Primeiro, a ideia de que o aumento do numero de ministérios é o grande responsável por um aumento excepcional do gasto é uma falácia. Isso atrapalha muito a coordenação do governo mas não é o motivo da expansão do gasto público desde 2003. Alguém quer apostar comigo? eu topo colocar $$ nesta aposta. Vários dos atuais ministérios já existiam e foram transformados de secretarias para ministérios. Por exemplo, nessa conta entra o Banco Central e a Advocacia-Geral da União. Os titulares dessas pastas não eram ministros e foram transformados em ministros. Será que isso aumentou o gasto? Nos outros casos é possível que tenha ocorrido aumento de gasto mas poderíamos até acabar com essas pastas que o ganho em economia fiscal seria pequeno no total da despesa primária de R$ 890 bilhões projetada para este ano.

Segundo, no mundo todo, países que gastam mais como % do PIB são aqueles que gastam mais com politicas sociais: transferência de renda, educação e saúde. Gasto do governo como % do PIB entre países e ao longo do tempo é explicado por esse tipo de gasto. Leiam o livro do Peter Lindert de 2004 “Growing Public”. Eu não conheço base alguma que explique tamanho de setor público em um país baseado em gastos com manutenção da máquina pública.

Terceiro, alguém me falou que pelos dados do Banco Mundial o consumo do governo no Brasil (que exclui transferências) é de 21% do PIB. Como o gasto total do setor público no Brasil é cerca de 38% a 40% do PIB, mais da metade do gasto seria então gasto do leviatã com a sua própria existência. Isso está ERRADO. Nesse dado do Banco Mundial, consumo do governo inclui pagamento de pessoal e compra de bens e serviços pelo setor público. O que concordo é que o valor não é pequeno; é alto. Mas aqui há coisas que para se resolver é preciso entrar no debate político: focalização dos gastos com saúde e educação.

Pelos dados do próprio Banco Mundial, o gasto com saúde pública no Brasil é de 4,1% do PIB e o gasto com educação pública é de 5,8% do PIB. Os dois juntos somam 9,9% do PIB. O investimento público total no Brasil é de 2,5% do PIB. Vamos supor (exageradamente) que metade seja para áreas de educação e saúde. Assim, gastos com custeio e pessoal nas áreas de educação e saúde no Brasil seriam de 8,7% do PIB.  Assim, a conta de 21% do PIB seria reduzida para 12% do PIB se excluirmos gasto com pessoal e custeio das funções  saúde e educação. Gasto com saúde é na sua grande maioria pagamento de internações, compras de remédios, etc. feitas pelo SUS e o gasto com educação inclui desde merenda escolar a pagamento de funcionários. Acho difícil alguém falar que merenda escolar é “gasto do governo com a sua manutenção” mas isso entra na estatística de consumo do governo.

Talvez haja um número excessivo de trabalhadores na área de educação não ligado as atividades de ensino, o que é verdade (ver esse excelente artigo do Gustavo Ioschpe). Mas isso não significa um bando de burocratas nos gabinetes em Brasilia como dar a entender o texto do André Lara Resende (mas talvez essa não tenha sido a intenção do André). Na verdade, os dados de despesa com pessoal do link acima mostram que temos algum espaço para melhorar a oferta de serviços de educação sem precisar aumentar o gasto total (% do PIB).

Quarto e último ponto, é fácil ver como está dividido o gasto por nível de governo (municípios, estados e governo federal) a partir do balanço do setor público nacional. Aqui é preciso dois cuidados. Primeiro, não é possível somar os dados das três esferas de governo porque nessa base há problemas de dupla contagem. Assim, o correto é identificar por nível de governo como os recursos fiscais são gastos por função. Segundo, o gasto do setor público é dividido em 28 funções. A função 28 – encargos especiais- é onde aparece várias despesas de subsídios, pagamento de juros e amortização da dívida. Assim, na análise que faço abaixo vou deixar essa função de fora para que os dados de juros e refinanciamento da dívida não atrapalhem a análise.

Os dados abaixo são para 2011 e a divisão do gasto por função soma os três tipos de despesa (pessoal, custeio e investimento). O que os dados mostram?

Tabela 1 – Gasto Público por Função – Municípios, Estados e Gov Federal – % do PIB – 2011

Fonte: Balanço do Setor Público Nacional

Na tabela acima identifiquei as funções que mais pesam no orçamento de cada nível de governo. Vou começar a análise pelo governo federal. Os nomes não precisam de explicação, mas vale lembrar que as funções previdência (pública e privada), assistência social (LOAS, Bolsa-Família) e trabalho (seguro-desemprego e abono salarial) são contas que envolvem transferências para as famílias. No caso do Governo Federal, essas três funções ligadas à transferências representaram 10,6% do PIB em 2011, que é 61% do gasto total do governo federal no ano (10,6% do PIB dividido por 17,34% do PIB). Se acrescentarmos gastos com as funções saúde e educação, quase 80% do gasto do governo federal (13,63% do PIB dividido por 17,34% do PIB) passa a ser explicado pelas contas de transferência+ saúde+ educação.

No caso dos estados, pesa a conta de educação, saúde, previdência social e segurança pública. Essas quatro contas somam 6,3% do PIB, que é 66% do gasto total dos estados (6,3% do PIB divido por 9,60% do PIB). Aqui, se você quiser falar em desperdício no âmbito dos estados tem que entrar na conta da educação, saúde e segurança pública. É possível que o dinheiro esteja sendo mal gasto, mas não é com passagens de avião ou xerox.

No caso dos municípios, tem um ponto interessante. Os três maiores gastos concentram-se em educação, saúde, e administração. Aqui parece que, finalmente, André Lara Resende parece ter acertado. Mas os 0,88% do PIB gasto com a função administração está longe de ser mais da metade do gasto dos municípios. Adicionalmente, se olharmos o crescimento da despesa para este nível de governo de 2002 a 2011, o que se destaca é o crescimento do gasto com educação e saúde como seria o esperado, pois são gastos com vinculação constitucional.

Tabela 2 – Gasto Público por Função nos Municípios- % do PIB – 2002 e 2011


Resumindo, a tese do André Lara Resende está errada. O setor público no Brasil gasta muito porque gasta muito com transferências (assistência social, previdência, e trabalho) e com educação e saúde. Essas cinco funções explicam muito mais de 50% do gasto do setor público e as ruas querem ainda mais!!!

O que precisamos discutir é porque os gastos com educação e saúde que tem crescido muito não dão o retorno esperado. Esse debate vai deixar claro que o problema não é apenas falta de dinheiro. Assim, ao invés de falar em “gasto do governo para financiar a si mesmo”, Lara Resende deveria ter sugerido um pente fino nos gastos com saúde e educação. Mas não se enganem. Se o SUS for mais eficiente, eu cancelo na mesma hora o meu plano de saúde privado de modo que a economia esperada nessa área é dúbia.

Por fim, não há como continuar fazendo mais do mesmo com os programas de transferências de renda- turbinando todas as políticas de transferências. Aqui o debate é tentar convencer à sociedade de que vale a pena concentrar esforços nos programas mais baratos e focalizados nos mais pobres. Independentemente de minha ou da sua vontade, o Brasil não escapará de uma reforma da previdência devido as mudanças demográficas já em curso, mesmo que essa reforma seja feita a conta-gotas. Se a sociedade não quiser fazer, paciência. Mas, neste caso, teremos que criar um novo imposto.

De qualquer forma, a ideia que podemos contratar um SUPER administrador que vai solucionar o problema do gasto público no Brasil é equivocada. É o tipo de proposta que muita gente faz e a culpa aqui não é apenas do André (um economista que admiro muito). Escuto isso de amigos meus. Infelizmente, o mundo nem sempre funciona de acordo com a nossa percepção. Eu tenho a percepção que sou tão bonito quando o Tom Cruise e o Brad Pitt, mas com exceção da minha esposa, ninguém mais acha isso.
****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/politica/2014/08/05/assessor-desmoraliza-arrocho-e-uma-falacia/

JANIO SOBRE VEJA: "ESCÂNDALO DA BANALIDADE"

05.08.2014
Do portal BRASIL247
****
Fonte:https://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/149019/Janio-sobre-Veja-esc%C3%A2ndalo-da-banalidade.htm

Afrouxem os cintos que o “Aécioporto” sumiu

05.08.2014
Do BLOG DA CIDADANIA, 00.08.14
Por Eduardo Guimarães
Não chegou a duas semanas inteiras a repercussão na grande mídia da denúncia da Folha de São Paulo contra um ente abstrato, “Minas” – o jornal, ao menos na manchete denunciante, não acusou uma pessoa física, mas um ente da Federação por ter construído um aeroporto nas terras da família do candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves.
Na edição de 20 de julho último, o diário paulista manchetou, na primeira página, que “Minas construiu aeroporto em fazenda de tio de Aécio”. A denúncia repercutiu muito pouco na grande mídia, com exceção do jornal que a divulgou, que publicou cerca de 50 textos sobre o tema – a maioria, cartas de leitores.
Contudo, apesar da frieza com que foi tratada pelo resto da imprensa escrita, a denúncia da Folha repercutiu intensamente na internet. Para se ter uma ideia, a reportagem original da denúncia teve 78 mil compartilhamentos no Facebook, sem falar da grande repercussão em outras redes sociais e na blogosfera.
Aliás, a blogosfera fez denúncias complementares sobre outros aeroportos esquisitos construídos pelo tal Proaero, programa da gestão Aécio Neves no governo do Estado que prometia construir ou reformar aeroportos regionais do Estado, mas que, segundo a mesma Folha, só construiu 2 aeroportos novos de 2003 (quando o programa foi criado) até hoje.
Porém, no veículo que transforma em notícia de fato o que sai na grande imprensa escrita, ou seja, no Jornal Nacional, a repercussão foi pífia, para dizer o máximo. Foram duas míseras reportagens, uma de 3 minutos e 17 segundos no dia 21 de julho (o dia seguinte à denúncia da Folha) e outra de 2 minutos e 18 segundos no dia 31 de julho. E mais nada.
Para que se possa mensurar a desproporção entre denúncias na Globo contra tucanos e contra petistas, matéria do Jornal Nacional sobre denúncia da revista Veja do último fim de semana sobre suposto vazamento de perguntas que a CPI da Petrobrás faria a funcionários e ex-funcionários da empresa teve duração de 4 minutos e 8 segundos e deve se estender indefinidamente, com a oposição batendo bumbo.
Uma mera busca no Google dá a dimensão da pouca atenção dada pela grande mídia ao caso. Pode-se contar nos dedos as matérias desses veículos corporativos. E há quatro dias não sai notícia nova – a última foi sobre Aécio ter admitido que usou o aeroporto.
Quando a denúncia eclodiu, este Blog entendeu que se tratava de preparação para ataque a Dilma que ainda virá, e que requereria, antes da divulgação, “prova de isenção” da mídia para esta ser levada a sério, já que existe uma percepção consolidada de que Globos, Folhas, Vejas e Estadões são parciais. E, ao menos aqui, esse entendimento se mantém.
A denúncia sobre o aeroporto, aliás, começa a cair rapidamente no esquecimento, como também foi previsto aqui. Apesar de o Ministério Público de Minas Gerais ter prometido investigar, há motivos de sobra para não acreditar nessa investigação.
Encheriam a pista do “Aécioporto” as denúncias contra Aécio que o MP mineiro arquivou sem sequer investigar. Casos muito mais graves, como o da Copasa, que envolve 3,3 bilhões de reais, foram sumariamente arquivados sem maiores explicações e o mesmo MP de Minas já arquivara denúncia anterior contra o aeroporto nas terras da família do tucano.
O mesmo aconteceu, em meados do ano passado, com o imenso escândalo dos trens do metrô e da CPTM em São Paulo, que envolve bilhões. As denúncias duraram até mais, algumas semanas, e tomaram chá-de-sumiço. Nunca mais foi dito nada. E o que é pior: o governador Geraldo Alckmin e o ex-governador José Serra praticamente nunca foram citados.
Aécio, por sua vez, já deu o caso por “encerrado”, apesar de jamais ter explicado nada. Aliás, ele tem se referido à “importância” do aeroporto que mandou construir e que ele e sua família provavelmente usaram mais do que qualquer outro. E a relevância da obra é a grande questão.
É possível provar que havia interesse público na construção do aeroporto de Cláudio? Se houvesse, não viveria trancado e com as chaves em mãos da família de Aécio. 14 milhões de reais foram usados para fim incerto e dificilmente uma investigação séria mostrará que Minas Gerais precisava da obra. Se for uma investigação séria, claro.
Agora, vale acompanhar a repercussão que a mídia dará à denúncia contra a Petrobrás feita pela Veja no final de semana. Apesar de aparentemente ser fraca – a Petrobrás explica que as perguntas para a qual treinou seus executivos foram extraídas do site do Senado Federal, nos dias 14 de maio e 02 de junho –, a mídia vai espremê-la até a última gota.
Como a denúncia do “Aécioporto” durou um pouco além do normal na mídia (para uma denúncia contra tucanos), alguns se animaram. A este Blog, porém, a estratégia midiática para afetar isenção nunca enganou. E uma coisa você pode escrever aí, leitor: a mídia cobrará muito caro do PT por tê-la divulgado. É só esperar.
*****
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2014/08/afrouxem-os-cintos-que-o-aecioporto-sumiu/

MÍDIA CRIA FACTÓIDE PARA ABAFAR ESCÂNDALO DOS TUCANOS: O “Sr. Caneta” e o factóide da CPI

05.08.2014
Do blog TIJOLAÇO
Por Fernando Brito

factoide
A Veja, faz tempo, flerta com o banditismo.
Carlinhos Cachoeira, roubo de fitas de vídeo e, agora, o “Sr. Caneta”, algum picareta que se presta a integrar uma reunião e gravar, sorrateiramente, um vídeo divulgado como comprometedor.
Qualquer um sabia, na essência, que perguntas seriam feitas aos depoentes da CPI da Petrobras.
Alias, os primeiros a produzi-las eram os “pauteiros” dos jornais, que elaboraram dúzias de perguntas para os repórteres que cobriam o caso, certamente não propriamente versados no preço de refinarias de petróleo nos EUA.
Até mesmo a Comissão, na sua página nos sites do Congresso, definia os eixos temáticos da inquirição.
Não existe nada mais natural que aqueles que vão prestar depoimento que treinar suas respostas e preparar material que as comprove.
Alguns jornalistas, inclusive – e honestamente – participam de programas de “media training” com executivos de empresas, preparando-os para enfrentar a pressão da imprensa em casos de crise.
Entre as petroleiras, aliás, a Shell é a que mais tradicionalmente, no mundo e no Brasil, investe neste tipo de treinamento.
A mim, inclusive, muitos anos atrás, foi feita uma sondagem se participaria de um deles, sobre um hipotético acidente em instalações petrolíferas. Mesmo não tendo se confirmado, disse que não veria problemas em participar, até porque o que lhes diria é que trabalhassem com a verdade, cujas consequências podem ser graves mas sempre são menores do que as das mentiras.
Não vi, até agora, o que há de tão escandaloso em que se tenham simulado ou até mesmo recebido antecipadamente perguntas que seriam feitas na CPI.
Até porque os senadores as fazem pessoalmente, pelo microfone e tem, como é natural, a possibilidade de formularem as mesmas ou outras, ou mesmo de trazerem novos temas.
Nenhum senador, seja situação ou de oposição, é obrigado a registrar previamente suas perguntas, assim como é livre para dar conhecimento do que pretende perguntar a quem quer que seja.
Claro que esse “escândalo” foi construído com o único objetivo de “amainar” o vendaval em torno do aeroporto de Cláudio.
É mero “factóide”,  como diria o criativo ex-prefeito Cesar Maia.
Conta, porém, com uma vantagem.
É publicado pela grande fabricante deste tipo de material, a Veja.
****
Fonte: http://tijolaco.com.br/blog/?p=19756

EUA enviaram jovens disfarçados a Cuba para desestabilizar governo

05.08.2014
Do portal BRASIL247, 04.08.14
Felipe Amorim | São Paulo 

Sob o pretexto de participar de programas sociais, latino-americanos foram bancados por agência do governo Obama para localizar potenciais dissidentes

Um programa secreto do governo norte-americano de Barack Obama tentou por quase cinco anos fabricar uma revolta política em Cuba usando jovens latino-americanos, enviados à ilha sob o falso pretexto de participarem de programas sociais e de saúde no país.
Com base em documentos, reportagem publicada nesta segunda-feira (04/08) pela agência de notícias AP revela que a Casa Branca não só bancou a ida de jovens peruanos, venezuelanos e costa-riquenhos a Cuba, como os colocou em perigo, já que não havia uma rede segura para ajudá-los caso fossem capturados.
Agência Efe (arquivo/2012)
Agência dos EUA para desenvolvimento, a Usaid, já havia criado uma espécie de "Twitter cubano" para desestabilizar governo local

O projeto dos "viajantes" foi lançado em outubro de 2009 pela Usaid (Agência dos EUA para o Desenvolvimento Humanitário), escritório do governo norte-americano que gerencia a verba bilionária que os EUA destinam a programas sociais e de ajuda humanitária ao redor do mundo. É a mesma agência que havia criado, também sigilosamente, a plataforma online "ZunZuneo",espécie de "Twitter cubano", visando estimular agitação e dissidência política que desestabilizassem o governo do presidente cubano, Raúl Castro.
Segundo a investigação da AP, as autoridades norte-americanas acreditavam que os "jovens espiões" ajudariam a provocar rebeliões em Cuba, viajando pelo país para recrutar pessoas que julgassem ser potenciais ativistas políticos.

Exposição em São Paulo fala da Revolução Cubana em tom pessoal

Após escândalo de espionagem, CIA admite que Senado dos EUA também foi vigiado

Um dos casos incluiu a formação de um grupo de trabalho para a prevenção da Aids, célula que os memorandos da Usaid classificaram como "a desculpa perfeita" para atingir os objetivos políticos da investida. Não é a primeira vez que os EUA tentam, por meios escusos, se aproveitar de programas humanitários de saúde para obter vitórias no campo da geopolítica: quando tentava localizar no Paquistão Osama bin Laden, líder da Al Qaeda e autor dos ataques de 11 de Setembro, a CIA chegou a criar uma falsa campanha de vacinação contra a pólio para pôr as mãos em material genético que confirmasse o paradeiro do terrorista — prática que foiduramente condenada e posteriormente abolida.
Agência Efe
Intenção do programa de "jovens viajantes" era localizar potenciais ativistas que criassem agitação contra o governo de Raúl Castro

Táticas de defesa
A investigação da AP também detalha como os membros do programa faziam para se comunicar entre si e evitar serem descobertos. Além de cartões de memória criptografados, usados para esconder arquivos e enviar mensagens cifradas, os viajantes também preenchiam seus laptops com "conteúdo inocente" para tentar ludibriar as autoridades cubanas em caso de suspeita.
Quando escreviam "estou com enxaqueca", queriam comunicar a suspeita de que o governo cubano estivesse monitorando suas atividades. "Sua irmã está doente" significava que tinham vontade de terminar prematuramente a viagem.
As medidas, entretanto, não impediram que os jovens espiões quase fracassassem na sua tarefa de "identificar potenciais atores de mudança social". De acordo com um dos agentes latino-americanos, eles receberam apenas uma palestra de 30 minutos para aprender como burlar o serviço de inteligência cubano. Além disso, não havia redes de segurança confiáveis para os inexperientes membros do programa caso fossem capturados.
"Embora não haja certeza absoluta, confiamos que as autoridades não tentarão machucá-los fisicamente, apenas assustá-los", relata um memorando obtido pela AP. E acrescenta: "Lembrem-se de que o governo cubano prefere evitar repercussões negativas na imprensa, então um estrangeiro machucado não é conveniente para eles".
De acordo com a AP, a Usaid — e sua empresa privada prestando serviços terceirizados no projeto, a Creative Associates International — continuou com o programa mesmo depois de Alan Gross, também funcionário terceirizado dos EUA, ter sido preso em 2009 sob acusações de espionagem.
Posição da Usaid
"A Usaid e o governo Obama estão comprometidos com o apoio ao desejo do povo cubano de determinar livremente seu próprio futuro", respondeu a agência dos EUA, procurada pela AP.
"A Usaid trabalha com grupos independentes de jovens em Cuba nos projetos de serviço comunitário, saúde pública, artes e outras oportunidades de engajar-se publicamente, consistentes com programas democráticos mundo afora", completa a declaração da agência norte-americana.
****
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/37306/eua+enviaram+jovens+disfarcados+a+cuba+para+desestabilizar+governo.shtml