Pesquisar este blog

sábado, 19 de julho de 2014

Fabiano Santos: Movimentação do PT realinhou a política do Rio para a direita

19.07.2014
Do portal da AGÊNCIA CARTA MAIOR, 18.07.14
Por Maurício Thuswohl

A desarticulação da coalizão entre PT e PMDB que sustentou durante sete anos o governo de Sérgio Cabral acabou causando um realinhamento político.

Rio de Janeiro – A desarticulação da coalizão entre PT e PMDB que sustentou durante sete anos o governo de Sérgio Cabral acabou causando um realinhamento das tradicionais forças de esquerda e direita no Rio de Janeiro para as eleições deste ano. Este cenário, no entanto, vai de encontro à lógica estabelecida pelas alianças firmadas nacionalmente em tornos das candidaturas à Presidência da República. Esta é a opinião de Fabiano Santos, professor e pesquisador do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), que qualifica o xadrez eleitoral fluminense como um “cenário de confusão”.

Santos é cético quanto a uma eventual transferência dos votos que Marina Silva obteve no Rio em 2010 para Eduardo Campos, mas diz que o candidato socialista saiu no lucro político após a aliança firmada com o candidato do PT ao Palácio Guanabara, Lindbergh Farias: “Campos será eternamente grato ao PT do Rio”, diz. Quanto à liderança, registrada até aqui nas pesquisas de intenção de voto, dos candidatos Anthony Garotinho (PR) e Marcelo Crivella (PRB), o professor diz que chamado “voto evangélico” é um “fenômeno sociológico e político da mais alta relevância” e que “será de novo decisivo, seja para o pleito nacional, seja para o pleito estadual”.

Leia a seguir a íntegra da conversa com Fabiano Santos:

A aliança fechada entre PT, PV, PCdoB e PSB em torno de Lindbergh Farias (PT) para as eleições deste ano ao governo do Rio de Janeiro é celebrada por seus protagonistas como uma inédita formação de uma frente de esquerda capaz de ganhar o poder estadual. Outros setores, no entanto, já classificaram as alianças fechadas para esta eleição, de um modo geral, como “orgia” e “bacanal eleitoral”. Qual tua opinião sobre a “coerência” (ou a falta dela) das alianças eleitorais fechadas este ano no Rio?

Tirante o PV, de fato PT, PCdoB e PSB são partidos de esquerda e centro-esquerda, ao passo que o PMDB, partido de centro, celebrou alianças com partidos de direita e centro-direita, para além do grande conjunto de pequenos partidos sem maior expressão, mas que são importantes para a composição do horário de propaganda gratuita. Neste sentido, não há que se falar em “orgia” ou “bacanal”, termos de resto pouco pertinentes em se tratando do debate público, político e parlamentar.

Todavia, a reação se deu por conta da desarticulação no Rio de Janeiro da coalizão que vinha dando sustentação à aliança hegemônica no Estado, baseada na parceira PMDB/PT, desde 2006, e que voltou a ser a base de lançamento da candidatura de reeleição de Dilma Rousseff. Se pensarmos então em termos da lógica nacional e estadual da competição, podemos sim observar um cenário de confusão.

A aliança de Cesar Maia (DEM) com Luiz Fernando Pezão (PMDB) consolida um pólo conservador em torno da candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República no Rio? Qual o verdadeiro perfil do PMDB fluminense? 

O PMDB é um partido de centro liberal, uma máquina política de obtenção de votos e ocupação de espaços de poder, máquina de tradição e força no Rio de Janeiro. Um partido que possui, em suas hostes, setores mais progressistas, outros mais conservadores, vinculados ao empresariado e ainda outros com vocação mais clientelista, sem ideário bem definido. O rompimento do PT com o PMDB, de fato, facilitou o trabalho daqueles que, no partido, por motivos pessoais ou ideológicos, gostariam de vê-lo na oposição ao PT em âmbito nacional. Facilitou o trabalho também de lideranças e partidos outros que giravam em torno de Sergio Cabral, mas sempre tencionaram o governo do Rio para a direita do espectro ideológico, exemplo mais claro sendo o PP de Francisco Dorneles e Júlio Lopes. Em uma palavra, o movimento do PT realinhou a política do Rio para a direita, pois seu principal partido, o PMDB, foi buscar apoio na direita, do DEM e do PSDB, para se viabilizar eleitoralmente. 

Qual espaço terá a candidatura de Eduardo Campos (PSB) no Rio? O senhor acredita que o candidato conseguirá herdar os votos obtidos por Marina Silva no estado em 2010?

O espaço de Eduardo Campos está dado pelo PT, que buscou aliança com o PSB. Foi um espaço concedido de maneira surpreendente e, por conta disso, Campos será, com toda certeza, eternamente grato ao PT do Rio. Quanto à transferência de votos da Marina, não creio em tal fenômeno.

O fato de os candidatos Anthony Garotinho (PR) e Marcelo Crivella (PRB) aparecerem como primeiro e segundo colocados nas pesquisas de intenção de voto realizadas até aqui demonstra que o chamado “voto evangélico” será fundamental para decidir as eleições deste ano? O senhor acredita na possibilidade de esses dois candidatos chegarem ao segundo turno ou a tendência é que esse voto se concentre em apenas um deles?

O “voto evangélico” é uma realidade faz muitos anos. Um fenômeno sociológico e político da mais alta relevância e que tem sido muito investigado, mas para o qual ainda precisamos de respostas mais globais e convincentes. Este voto será de novo decisivo, seja para o pleito nacional, seja para o pleito estadual. Contudo, a categoria “evangélico” é por demais abstrata para dar conta de algo que é múltiplo e cheio de nuances. Existem em seu interior tendências mais progressistas e aquelas mais claramente reacionárias, em todas as dimensões e não apenas a comportamental. Como cada uma se comportará e segundo qual lógica, não tenho competência para dizer. Sobre Crivella e Garotinho, trata-se de duas lideranças muito fortes, amplamente conhecidas e por isso mesmo a vantagem nas pesquisas. A rejeição também é alta em ambos os casos, em Crivella por conta da clivagem religiosa, em Garotinho por conta de sua passagem mal sucedida no governo (na verdade, durante o governo de sua esposa Rosinha Garotinho, com o qual esteve muito identificado. Em sua primeira administração, a avaliação foi no geral positiva). Os eleitorados são distintos, mas ambos tendem à derrota pelo simples fato de terem nível alto de rejeição. 

O senhor considera acertada a tática adotada pela presidenta Dilma Rousseff (PT) de não dar apoio preferencial a nenhum dos quatro candidatos de sua base ao governo do Rio? Em um cenário hipotético de segundo turno polarizado entre Dilma e Aécio no plano federal e Lindbergh e Pezão no Rio, será possível manter essa “neutralidade” presidencial?

Creio que Dilma Rousseff foi surpreendida pelo desdobramento dos fatos no Rio e esperar para ver como fica é a atitude mais racional e razoável diante de reviravoltas inesperadas. No cenário projetado por você, de polarização, manter a neutralidade deve ser a melhor alternativa, pois em ambas as candidaturas convivem parceiros e oposicionistas entusiasmados da coalizão PT/PMDB em âmbito nacional.
****
Fonte:http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Fabiano-Santos-Movimentacao-do-PT-realinhou-a-politica-do-Rio-para-a-direita%0a/4/31404

Juiz condena blogueira que 'aparecia bem demais' no Google

19.07.2014
Do portal BBC BRASIL, 17.07.14

Blog Cultur'elle (Reprodução/ Internet)
 Caroline Doudet usou seu blog Cultur'elle para fazer as críticas
A decisão obrigou a blogueira Caroline Doudet a mudar o título de um post em que fala mal do restaurante Il Giardino, em Cap-Ferret, no sudoeste da França
A medida também determina que ela pague uma indenização ao estabelecimento.
O texto era intitulado "O lugar para evitar em Cap-Ferret: Il Giardino". Nele, a blogueira se queixava do serviço do restaurante durante uma visita em agosto de 2013 e acusava o proprietário de má atitude.
De acordo com documentos do processo, a crítica aparecia em quarto lugar quando alguém fazia uma pesquisa pelo nome do restaurante.
O proprietário alegou que o texto prejudicava seu negócio injustamente.
Um juiz de Bordeaux concordou e entendeu que o prejuízo para o restaurante era agravado pelo número de seguidores do blog de moda e literatura de Doudet, "Cultur'elle": cerca de 3 mil.
Um juiz de Bordeaux concordou e entendeu que o prejuízo para o restaurante era agravado pelo número de seguidores do blog de moda e literatura de Doudet, "Cultur'elle": cerca de 3 mil.
O juiz determinou que Doudet deveria alterar o título do blog para evitar a construção "o lugar para evitar" e pagar 1,5 mil euros (aproximadamente R$ 4,5 mil) ao restaurante. O post já foi deletado.
Caroline Doudet
Blogueira criticou serviço de estabelecimento

'Novo crime'

Para a blogueira, a decisão tornou crime aparecer no topo das pesquisas em buscadores da internet.
"Esta decisão cria um novo crime, o de 'aparecer bem demais [em um buscador]' ou de ter uma influência muito grande", disse Doudet à BBC.
O proprietário - que não falou à BBC - reclamou do artigo inteiro, mas o juiz limitou sua decisão ao título.
"Venho trabalhando sete dias por semana há 15 anos. Eu não podia aceitar isso", disse o empresário, segundo o site Arret sur Internet.
"As pessoas podem criticar, mas há uma maneira de fazê-lo - com respeito. E esse não foi o caso."
Segundo a lei francesa, um juiz pode emitir uma ordem de emergência para forçar uma pessoa a interromper qualquer atividade que esteja prejudicando a outra parte na disputa.
A decisão se assemelha a uma liminar na lei brasileira e pode ser derrubada se as partes levarem o processo até o fim.
Mas a blogueira disse que não pretende recorrer porque "não quer reviver semanas de angústia".
Segundo ela, a decisão foi tomada em uma audiência de emergência. Por isso, afirma, ela não teve tempo para encontrar um representante legal e se defendeu sozinha no tribunal.
Um advogado francês e blogueiro que escreve sob o pseudônimo de Maître Eolas disse que, no direito francês, este tipo de sentença não cria precedência legal.
****
Fonte:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/07/140717_restaurante_google_lab.shtml

A política está podre, diz Lula. E precisa mudar com uma Constituinte para a reforma política. Assista

19.07.2014
Do blog CAFEZINHO, 17.07.14
Por  Fernando Brito

sugasuga
Em novo vídeo postado no site do Instituto Lula, o ex-presidente faz um de seus mais duros pronunciamentos sobre a reforma política.
Diz que ela só poderá ser feita por uma Constituinte exclusiva, integrada por pessoas que fiquem impedidas de, a seguir, disputar mandato.
Porque, claro, os deputados e senadores vão fazer um arremedo de reforma que os beneficie, e não à democracia.
Diz que não podem mais ser os empresários quem defina os que devem e os que não devem ser eleitos, com  o dinheiro que dão às campanhas.
Portanto, financiamento público.
Dinheiro de empresa na campanha, diz Lula, deve ser crime inafiançável.
Que maneira melhor de subornar um deputado, prefeito ou governador  do que financiando sua campanha?
Voto direto, mas em lista.
O mandato é do partido que apresenta seu programa à sociedade.
Mandato não é pessoal, é política e política parlamentar, em qualquer país sério, é dos partidos.
Porque, no troca-troca e no trai-e-troca da política brasileira é o interesse público é o eleitor sempre o traído.
*****
Fonte:http://tijolaco.com.br/blog/?p=19200

O BANCO DOS BRICS E A BOMBA ATÔMICA

19.07.2014
Do blog CONVERSA AFIADA, 15.07.14
Por Paulo Henrique Amorim

 Quem disse ao mundo que o Brasil queria ser vira-latas para sempre ?

Nao vai haver BRICs


O Brasil será o responsável pelo cargo de “Presidente de turno”, presidirá a diretoria executiva do Banco dos BRICs.

É uma função estratégica, honrosa.

Daqui a cinco anos, pelo sistema de rotatividade de todos os cargos, será sucedido pela Rússia.

Mas, o PiG (*)  tentará transformá-la numa derrota retumbante, do tipo “não houve BRICs.”

Poderá dizer que o Brasil perdeu a Presidência, como já diz o portal do Globo, a maior vítima do sucesso retumbante da Copa.

O Brasil conquistou aquilo que cabia no seu tamanho.

O tamanho de uma bomba atômica.

Porque, como dizia um chinês famoso, o poder está na ponta de uma baioneta

Quem tem mais bomba atômica, entre os BRICs ?

A Russia.

É dela a Presidência.

Depois, quem tem mais bomba atômica ?

A China.

A sede será em Xangai.

Depois, quem tem mais bomba atômica ?

A Índia (que, aliás, tem menos que o Paquistão e, talvez, menos que Israel).

Logo, coube à India a Presidência do banco.

Quem assinou o Tratado de Não-Proliferação das Armas Nucleares – o TNP – e avisou ao mundo que o Brasil que queria ser, para sempre, um vira-latas ?

O Fernando Henrique Cardoso.

Simples, meu caro Mao.

Paulo Henrique Amorim


Clique aqui para ler 
“BRICS: falta uma Noticiabrás”


(*)   Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

*****

Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/07/15/o-banco-dos-brics-e-a-bomba-atomica/

RÚSSIA, EUA E ALEMANHA ARTICULAM PAZ NA UCRÂNIA

19.07.2014
Do portal BRASIL247
*****
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/147311/R%C3%BAssia-EUA-e-Alemanha-articulam-paz-na-Ucr%C3%A2nia.htm

Luciano Martins Costa: Brasil não cedeu nada, como insinuam os jornais

19.07.2014
Do blog VI O MUNDO, 18.07.14

dilma e os brics
Picuinhas, mesquinharia e má-fé da mídia

por Luciano Martins Costa, no Observatório da Imprensa

Na primeira página do Estado de S. Paulo, a principal notícia de Política desta quinta-feira (17/7) afirma que, de olho na eleição deste ano, a campanha da presidente Dilma Rousseff vai adotar temas de seus principais adversários, o senador Aécio Neves (PSDB) e o ex-governador Eduardo Campos (PSB).

Na Folha de S. Paulo, a principal chamada de Política na primeira página anuncia que Aécio Neves pretende “aprimorar” os programas sociais criados pelos governos do Partido dos Trabalhadores.

Como na canção popular, “detalhes tão pequenos” e outros mais gritantes fazem a rotina da manipulação de informações que caracteriza o noticiário da imprensa hegemônica. No caso em questão, o Estado faz uma inversão de valores tão escandalosa que autoriza a desconfiar que seus editores perderam completamente o respeito pelo leitor.

Tanto o Estado como a Folha e o Globo noticiam que o candidato do PSDB pretende adotar e “melhorar” o programa Mais Médicos, lançado no ano passado pelo governo federal sob críticas de entidades representativas dos profissionais de saúde, que chegaram a fazer manifestações de protesto nas grandes cidades contra a vinda de médicos estrangeiros.

Como é de conhecimento geral, o então senador Aécio Neves e outros líderes de seu partido condenaram o projeto. Nesta quinta-feira (17/7), ele recebeu o apoio da Associação Médica Brasileira.

Ora, não é preciso ser o gênio da estratégia em política para perceber que, em qualquer disputa eleitoral, quem está na liderança tende a ser copiado, naquilo que dá certo, pelos que tentam subir na escala das preferências.

Pode parecer mera picuinha observar essas mesquinharias da cobertura jornalística, mas o fato é que, obcecados em derrubar do poder o grupo que vence as eleições presidenciais deste 2002, os principais meios de comunicação do País têm se especializado exatamente nisso: picuinhas e mesquinharias.

A mesma vira-latice

Observe-se, por exemplo, a cobertura dos jornais genéricos de circulação nacional sobre a reunião dos líderes de países emergentes e o movimento de aproximação com a América Latina, patrocinado pelo governo brasileiro. Usando a Copa do Mundo como oportunidade para reunir dirigentes dos países que formam o bloco conhecido como Brics, a presidente da República protagoniza um evento importante na busca do equilíbrio entre as forças econômicas e políticas do planeta.

Em qualquer outro país, esse seria o tom predominante no noticiário sobre a 6ª Cúpula dos Brics, encerrada nesta quinta-feira. Aliás, esse é o tom geral da mídia internacional, desde a agência americana Bloomberg até chinesa Xinhua, ou Nova China.

Entre as principais decisões anunciadas, certamente a criação de um banco a ser compartilhado entre os países do bloco é a mais relevante, porque representa mais autonomia econômica para o conjunto de nações emergentes, que passará a contar com uma fonte de financiamento independente das instituições dominadas pelos Estados Unidos e a Europa.

O evento marca outros acontecimentos importantes, como a aproximação entre Rússia, Índia, China e África do Sul e os latino-americanos liderados pelo Brasil, bem como contribui para aliviar as tensões geopolíticas ao proporcionar uma janela de oportunidade para os russos, cercados de sanções por parte de americanos e europeus em função da crise na Ucrânia.

Em qualquer outro país, a imprensa estaria propondo um debate interno sobre esse evento, que pode afetar o desenrolar das relações internacionais.
Mas o que fazem os jornais brasileiros?

Os editores dos diários de circulação nacional parecem ter trocado figurinhas e, nas edições da quinta-feira (17/7), as manchetes eram exatamente iguais:

* “Brasil cede e Índia vai presidir banco dos Brics”, dizia o Estado de S. Paulo.
* “Brasil cede presidência, e banco dos Brics é criado”, anunciava a Folha.
* “Brasil cede, e Índia presidirá banco dos Brics”, afirmava o Globo.

Ora, o Brasil não cedeu coisa alguma, não abaixou a cabeça, como insinuam os jornais – a criação do Banco dos Brics havia sido proposta pela Índia desde a 4ª Cúpula, realizada em Nova Delhi em 2012, quando se convencionou que o país proponente teria a presidência executiva pelos primeiros cinco anos.

O cargo mais relevante na fase de implantação da instituição é a presidência do conselho, e essa função caberá ao Brasil.

O resto é a velha viralatice da imprensa nacional.

Leia também:

****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/politica/luciano-martins-costa-brasil-nao-cedeu-coisa-alguma-como-insinuam-estadao-globo-e-folha.html

Datafolha se embanana outra vez. Erro grosseiro de 12 pontos no 2o. turno para turbinar Aécio.

19.07.2014
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA, 18.07.14


Na pesquisa de intenções de votos do Datafolha divulgada ontem, o jornal Folha de São Paulo ficou até com vergonha de colocar no gráfico do segundo turno o percentual do votos brancos/nulo/não sabe.

Isso porque tem um erro grosseiro de 12 pontos percentuais, o que invalida totalmente a pesquisa como referência (serve apenas de isca para tubarões caçarem sardinhas na Bolsa de Valores).

Na pergunta sobre primeiro turno 27% a 28% (o Datafolha não divulga as casas decimais) declararam votar nulo/branco/nenhum/não sei.

Na pergunta em seguida, sobre segundo turno, magicamente este número caiu para 16%. Coisa praticamente impossível de acontecer na vida real das urnas.

As pesquisas, como estatística, devem tentar reproduzir uma amostra do que aconteceria na população toda. Quem diz que não votaria em nenhum dos onze candidatos mostrados na pergunta do primeiro turno, também não votaria em dois destes mesmos nomes, se perguntados no mesmo momento. Respostas diferentes disso não tem valor científico.

Quem vota em um candidato que não passa para o segundo turno, pode mudar seu voto para outro candidato ou não votar em nenhum dos dois, mas quem rejeita todos desde o início do processo eleitoral costuma continuar rejeitando dois dos mesmos nomes no segundo turno.

Por isso, dificilmente os votos válidos no segundo turno seriam significativamente maiores do que no primeiro turno. Em geral votações ligeiramente maiores no segundo turno só ocorre quando há algum motivo, como enchentes, feriadão, que provoque abstenção maior no primeiro turno, ou alguma comoção política por algum candidato entre o primeiro e o segundo turno. Nada disso acontece no intervalo de minuto entre duas perguntas na pesquisa.

Então se Dilma tem 36% e a soma dos outros candidatos tem 36% , os votos válidos no primeiro turno dão 72%. Na sondagem de segundo turno o Datafolha deveria ter encontrado um número próximo disso. Entretanto aponta 44% para Dilma e 40% para Aécio, totalizando 84%, ou seja, 12 pontos a mais de votos válidos, no intervalo de uma pergunta e outra.

Para piorar, se na hipótese absurda de todos que disseram votar no primeiro turno em Campos, no Pastor Everaldo, no PSTU, no PSOL, no PCO, no Eymael, votassem em Aécio no segundo, o tucano somaria 36%. O Datafolha tirou da cartola mais 4% de nulos e indecisos para fazer Aécio chegar a 40%.

Dá para acreditar? É melhor daqui por diante o Datafolha dizer que, pela sua metodologia, a margem de erro é uns 12 pontos para mais no caso do tucano e para menos no caso de Dilma.

****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2014/07/datafolha-se-embanana-outra-vez-erro.html

CORRUPÇÃO DA GLOBO: A sonegação milionária da Rede Globo

19.07.2014
Do portal da Revista CAROS AMIGOS, 18.07.14
Por Rafael Zanvettor

Globo não pagou imposto pela aquisição dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002
Foram divulgadas, nesta quinta-feira (17) pelo blog O Cafezinho, 29 páginas do processo da Receita Federal contra a Rede Globo. O relatório divulgado comprova que as organizações Globo criaram um esquema internacional envolvendo diversas empresas em sedes por todo o mundo para mascarar a compra dos direitos da Copa do Mundo de 2002. O objetivo principal seria o de sonegar os impostos que deveriam ser pagos à União em pela compra dos direitos.
A expectativa é que os primeiros documentos viessem a público no domingo, pouco depois da final da Copa, mas, por questões de segurança, a divulgação aconteceu nesta quinta-feira.
Operação
A engenharia da Globo para disfarçar a operação envolveu dez empresas criadas em diferentes paraísos fiscais. Todas essas empresas pertencem direta ou indiretamente à Globo, segundo os documentos. O esquema funcionava de modo que o dinheiro para a aquisição dos direitos era pago através de empréstimos entre empresas pertencentes à Globo sediadas em outros países. Deste modo, a empresa brasileira TV Globo, não gastava dinheiro diretamente com a operação. Posteriormente, as empresas que detinham os direitos de transmissão eram compradas pela TV Globo.
“Essa intrincada engenharia desenvolvida pelas empresas do sistema Globo teve, por escopo, esconder o real intuito da operação que seria a aquisição pela TV Globo dos direitos de transmitir a Copa do Mundo de 2002, o que seria tributado pelo imposto de renda”, afirma em relatório do processo o auditor fiscal Alberto Sodré Zile.
Com o esquema, o sistema Globo incorre em simulação e evasão tributária, ou seja, sonegação. O imposto sobre importâncias remetidas ao exterior para aquisição de direitos de transmissão de evento esportivo são de 15%; no caso da empresa beneficiária estar sediada em paraísos fiscais, esta taxa passa a ser de 25%, caso da Globo.
Débito ao País
O cálculo do imposto de renda devido pela empresa chega  a 183.147.981, 20 milhões de reais com base no valor pago pela compra, de 732.591.924,140 milhões de reais. Além do imposto devido, a empresa também deve pagar uma multa, que por se tratar de caso que envolve sonegação, chega a 274.721.970,05 milhões de reais. A este valor podem ser acrescidos os juros de mora, como descrito em processo divulgado no ano passado, de 157.230.022,58 milhões de reais. Deste modo, o valor total do débito da Globo com a população brasileira chega ao valor de 615.099.957,16 milhões de reais, sem contar a correção.
Leia abaixo o processo:
*****
Fonte:http://www.carosamigos.com.br/index.php/cotidiano-2/4309-sonegacao-milionaria-da-globo-comeca-a-ser-divulgada

Fé, A Força que nos Traz Esperança

19.07.2014
Do portal GOSPELMAIS, 27.06.14
Por  Pastora Elza Carvalho*
Disto me recordarei na minha mente; por isso esperarei. Lamentações 3:2.

Não é necessário esconder-se quando precisa de ajuda, admitir que careça de um apoio, de uma palavra, de um reforço, não é defeito para ninguém, isto apenas demonstra que existe humildade dentro de nós em reconhecermos nossa imperfeição, isto, nos faz entender que há em nós uma fissura que necessita ser preenchida, e que, precisamos de alguém que nos estenda a mão, que nos ofereça de um ombro amigo. A necessidade é algo que acontece com todas as pessoas, todos nós em algum tempo temos falta de alguma coisa, muitas vezes sentimos um vazio, uma sede e não sabemos como resolver ou saciá-la, por mais que tenhamos tudo, este algo faltante é fundamental para preencher esta lacuna, e, enquanto não encontramos viveremos em sua dependência para ser completos.


 Muitas vezes, apenas uma palavra vale mais que fortuna, um abraço pode curar feridas profundas, um sorriso é como um colírio para nossas almas, um aperto de mão tem muito mais conforto que uma mansão, ouvir de alguém a simples frase “você pode vencer” ou “você vai conseguir” em determinadas ocasiões tem muito mais valor que inúmeros troféus. Isto porque, há no ser humano um espaço que nada que custa dinheiro ou que proceda de nós mesmos ou da nossa criatividade consegue resolver, pelo simples fato de sermos feitos pelas mãos de alguém que nunca se contaminou pelas coisas que ser refere ao homem. Porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea.


 Daí o por que; Então, essa espécie de lago existente em nosso ser, só pode ser preenchido com as coisas que possuem a essências do nosso criador, por mais que venhamos inventar subterfúgios, sempre haverá em nós um espaço que irá necessitar daquilo que seja fluente da virtude de Deus.


 E, todos os gestos de afeição e dignidade que possamos demonstrar, provem do caráter do nosso Criador, Ele que é o bom, até o seu filho nos disse isto. E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é Deus.


Marcos 10:18, quem poderá dizer algo bom para alguém se estas palavras não forem vindas de Deus? Quando acolhemos alguém em nossos braços é porque fluíram em nós a singeleza e a generosidade oriundas dos céus.


 Tudo de precioso que possamos liberar aqui na terra foi porque antes houve a permissão de Deus para que isto acontecesse. Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,


 Quando liberamos uma palavra de vitória na vida de alguém é porque Deus já determinou que a pessoa vencesse, o que dissemos foi tão somente para conscientiza-la que, o que ela deseja já está disponível, basta tão somente ela tomar posse. E disse-lhe Pedro: Enéias, Jesus Cristo te dá saúde; levanta-te e faze a tua cama. E logo se levantou. Atos 9:34, Então, se prestarmos bem a atenção, uma pessoa que esteja possuída pelo mal jamais irá liberar a vitória de alguém, pelo contrario ela fará de tudo para reter, a inveja irá sucumbi-la de um jeito, que esta perderá o amor pela sua própria vida, e sua mente torna-se dominada pela escuridão que a leva a pensar; eu não tenho porque outros terão?
Nela a essência que fluiu são trevas, e as trevas ofusca a vida, suja alma, aprisiona o espirito e mata o corpo. Porque, O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância. João 10:10, tudo que é honesto e justo é fundamental para as nossas vidas e para a vidas de outros, isto provém de Deus, são efeitos que reflete a amabilidade de Deus para conosco. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. Filipenses 4:8, agindo assim estaremos permitindo que Cristo seja visto em nós.

Então, fazermos o que é correto é uma qualidade que denuncia a presença de Deus em nossas vidas, independente do retorno da pessoa beneficiada, Porque nossa conduta não esta relacionada com o que recebemos de outros, mas, da avaliação de Deus quanto a nós. Isto é como brasas que acende a chama da nossa fé nos proporcionado forças que nos traz a esperança que Deus nos dará a recompensa merecida. É Esta recompensa que almejamos é um dia vivermos perto Dele. Então, hoje, como mensageira do Senhor, Eu venho liberar a vitória que você necessita, em nome de Jesus.


 *Pastora Elza Carvalho

Com o Compromisso exclusivo em Declarar a essência de Deus através da sua palavra.
Igreja Casa de Oração Essência de Deus – ICOED

 Deseja uma oração? Escreva-nos: essenciadedeus2012@gmail.com


*****
Fonte:

MANIPULAÇÃO DA MÍDIA: Viralatice sem limites

19.07.2014
Do blog O CAFEZINHO, 19.07.14
Por Luciano Martins, no Observatório da Imprensa.

Eu vi isso anteontem e tentei nem pensar nisso para não me irritar muito. Mas é o tipo de coisa que ficaria engasgado na minha garganta até que eu botasse pra fora. Felizmente, o Luciano Martins escreveu uma nota sobre o tema, me poupando o trabalho.
(…)

Observe-se, por exemplo, a cobertura dos jornais genéricos de circulação nacional sobre a reunião dos líderes de países emergentes e o movimento de aproximação com a América Latina, patrocinado pelo governo brasileiro. Usando a Copa do Mundo como oportunidade para reunir dirigentes dos países que formam o bloco conhecido como Brics, a presidente da República protagoniza um evento importante na busca do equilíbrio entre as forças econômicas e políticas do planeta.

Em qualquer outro país, esse seria o tom predominante no noticiário sobre a 6ª Cúpula dos Brics, encerrada nesta quinta-feira. Aliás, esse é o tom geral da mídia internacional, desde a agência americana Bloomberg até chinesa Xinhua, ou Nova China.

Entre as principais decisões anunciadas, certamente a criação de um banco a ser compartilhado entre os países do bloco é a mais relevante, porque representa mais autonomia econômica para o conjunto de nações emergentes, que passará a contar com uma fonte de financiamento independente das instituições dominadas pelos Estados Unidos e a Europa.

O evento marca outros acontecimentos importantes, como a aproximação entre Rússia, Índia, China e África do Sul e os latino-americanos liderados pelo Brasil, bem como contribui para aliviar as tensões geopolíticas ao proporcionar uma janela de oportunidade para os russos, cercados de sanções por parte de americanos e europeus em função da crise na Ucrânia.

Em qualquer outro país, a imprensa estaria propondo um debate interno sobre esse evento, que pode afetar o desenrolar das relações internacionais.

Mas o que fazem os jornais brasileiros?

Os editores dos diários de circulação nacional parecem ter trocado figurinhas e, nas edições da quinta-feira (17/7), as manchetes eram exatamente iguais:

** “Brasil cede e Índia vai presidir banco dos Brics”, dizia o Estado de S. Paulo.
** “Brasil cede presidência, e banco dos Brics é criado”, anunciava a Folha.
** “Brasil cede, e Índia presidirá banco dos Brics”, afirmava o Globo.

capas
Ora, o Brasil não cedeu coisa alguma, não abaixou a cabeça, como insinuam os jornais – a criação do Banco dos Brics havia sido proposta pela Índia desde a 4ª Cúpula, realizada em Nova Delhi em 2012, quando se convencionou que o país proponente teria a presidência executiva pelos primeiros cinco anos.

O cargo mais relevante na fase de implantação da instituição é a presidência do conselho, e essa função caberá ao Brasil.

O resto é a velha vira-latice da imprensa nacional.
*****
Fonte:http://www.ocafezinho.com/2014/07/18/viralatice-sem-limites/#sthash.2Ntaz05d.dpuf