Pesquisar este blog

quinta-feira, 3 de julho de 2014

DataCaf: Copa afoga o PiG. Dilma no 1º turno !

03.07.2014
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

“Pesquisa” dá nota zero à Fel-lha e ao “não vai ter Copa” !

Como se sabe, o Conversa Afiada instituiu o seu próprio Centro de Pesquisas Pré-eleitorais na Terra de Pindorama, onde, até então, dois agentes do PiG (*), o Datafalha (**) e o Globope controlavam o “mercado” e, portanto, as oscilações bruscas na Bolsa.

No Brasil, como se sabe, não existem “conflito de interesse” e “informação privilegiada”.

Como diria o Ricardo Mello, é uma esculhambação !

O DataCaf foi às ruas e perguntou:

O que você acha da cobertura que o PiG fez do “não vai ter Copa “?

Você acha que o PiG, como diz o professor Wanderley, pintou uma realidade falsa do Brasil antes da Copa ?

Você acha que o PiG quis derrubar a Dilma com a previsão do “caos da Copa”?

Você acha que deve haver uma Ley de Medios para dar à Globo – agente transmissor principal do “não vai ter Copa” – o tratamento que a Cristina K deu ao Grupo Clarín ?

Você sabia que a Cristina K resolveu acabar com o monopólio do Globope na Argentina e vai montar um medidor de audiência na tevê com universidades públicas ?

Você gostou do que os convidados do camarote privativo do Itaúúú fizeram no Itaquerão ?

Gostou dos comentários tíbios, lenientes do Arrocho Neves e do Dudu sobre os xingamentos ?

O que você acha do Ronaldo Galvão ?

E do faustinho (com minúscula, por favor, senhor entrevistador) ?

Para esse questionário, o DataCaf obteve singular resultado, que, por acaso, coincide com um Datafalha (o cheiro da bílis supurada é insuportável):

Dilma ganha no primeiro turno (como sempre).

Voltou a subir – de 34% para 38%.

Arrocho Neves e Dudu continuam parados.

É a mais completa derrota do “Não vai ter Copa”!


Paulo Henrique Amorim


(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

(*) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que matou o Tuma e depois o ressuscitou; e que é o que é,  porque o dono é o que é; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.
****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/07/03/datacaf-copa-afoga-o-pig-dilma-no-1%C2%BA-turno/

Ironia suprema: após tanta sabotagem, “Copa das Copas” pode reeleger Dilma

03.07.2014
Do BLOG DO CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães
 
Pergunto a você, estimadíssimo leitor: o que mais os grupos político-midiáticos de direita e esquerda que apostaram na Copa de 2014 como meio de desgastar Dilma poderiam ter feito para atingir tal objetivo? Eu diria que fizeram de tudo e mais um pouco.
 
Pela esquerda, protestos violentos contra a Copa infernizaram as grandes cidades, feriram centenas de pessoas, provocaram prejuízos econômicos imensos, rebaixaram a autoestima dos brasileiros até o rés do chão, tudo com base na mentira hedionda de que os investimentos no evento teriam roubado dinheiro da Saúde e da Educação.
 
Pela direita, mentiras sobre a organização da Copa não deram um só dia de sossego para os organizadores – ou para a face mais visível da organização do evento, o governo federal. Após caírem as mentiras espalhadas mundo afora pela mídia brasileira, a mídia internacional vem denunciando aquela campanha infame que o evento sofreu, que previa “caos”.
 
Não se pode negar que essa campanha de desmoralização funcionou tanto para um extremo quanto para o outro do espectro político – ao menos enquanto foi possível manter mentiras dessa magnitude:  Dilma caiu razoavelmente nas pesquisas.
 
Além disso, do ano passado até abril deste ano, a 3 meses do início da Copa, pesquisa Datafolha mostrava que a aprovação ao evento despencara. Em novembro de 2008, 79% dos brasileiros apoiavam a Copa; em junho de 2013, eram 65%; em abril último, esse apoio caiu para míseros 48% – a maioria, então, era contrária ou indiferente a realizar a Copa no país.
 
Eis que, de supetão, sem divulgação prévia no UOL – como costuma acontecer –, pesquisa Datafolha dá conta de melhora na aprovação de Dilma – aparentemente minimizada pelo instituto – e, acima disso, de forte melhora na aprovação à realização da Copa no Brasil, que, agora, subiu para 63%. Em menos de um mês.
 
E, consequentemente, segundo essa pesquisa Datafolha recém-divulgada, do mês passado para cá a aprovação ao governo Dilma subiu de 33% para 35% e as intenções de voto dela subiram para 38%.
 
Para este Blog e os leitores que nele acreditam, não houve surpresa. ONZE DIAS atrás, foi dito nesta página que o sucesso da Copa melhoraria a aprovação de Dilma.
 
Como você pode ver, leitor, não foi chute.
 
Mas, para variar, a famigerada “margem de erro” do Datafolha fez os adversários de Dilma desfrutarem do que não faz sentido que desfrutem. Eduardo Campos e Aécio Neves ganharam pontos também, mas dentro da margem de erro de 2% – Dilma ganhou 4 pontos.
 
Não faz sentido que Aécio e Eduardo ganhem pontos porque eles estiveram entre os mais vira-latas no que tange a Copa. Garantiram que o Brasil passaria “vergonha”, que as obras não ficariam prontas etc. Ora, se nada disso ocorreu não faz sentido que tenham ganhado pontos.
 
“Análise” do diretor do Datafolha, Mauro Paulino, publicada na Folha nesta quinta-feira 3 explica que os candidatos da oposição ganharam esses pontinhos porque se tornaram “mais conhecidos” e porque caiu o percentual dos que não escolheram um candidato, mas é balela. É mais provável que tenham perdido pontos após a realidade da Copa desmascarar a fantasia pregressa.
 
Este blog tem notícias de que pesquisas privadas feitas para o governo Dilma mostram que os ganhos dela com a excelente organização do Mundial superam o que o Datafolha diz. Isso porque o desmoronamento do catastrofismo mostrou um fato aos brasileiros: Dilma e a Copa que seu governo organizou foram alvo de mentiras, sob inspiração de seus adversários políticos.
 
A campanha contra a Copa foi tão insistente, tão esmagadora, tão peremptória que a ausência do desastre chegou a ser chocante. Muitos dos que deram crédito àquelas mentiras ficaram absolutamente embasbacados com a realidade.
 
Alguém que acreditou piamente nas mentiras – pessoa com quem este blogueiro chegou a ter uma discussão acalorada – disse, recentemente, que estava absolutamente chocado. Pediu-me desculpas, inclusive. E reconheceu que houve (má) intenção política naquela história do “imagina na Copa”.
 
Para os brasileiros, em expressiva maioria, ficaram claros os métodos dos críticos renitentes de Dilma. Mais do que isso, a grande mídia atucanada desmoralizou-se fortemente.
 
Quem mandou exagerar tanto na dose?
 
Ora, não é por outra razão que a pesquisa Datafolha mostrou que também no que diz respeito à economia e à expectativa dos entrevistados sobre a própria vida houve melhora para Dilma e seu governo.
 
Tudo melhorou para Dilma. O pessimismo com a inflação caiu de 64% para 58%, o pessimismo irracional com o desemprego – pois temos hoje o desemprego mais baixo da história – caiu de 48% para 43%. Além disso, subiu de 27% para 32% o contingente dos que acham que os salários irão se valorizar.
 
Estamos falando de milhões de brasileiros que perceberam que foram jogados contra Dilma ao custo de mentiras. Não há nenhuma outra explicação. Esse fato é claro como água. E, mais do que isso, este blog acredita que se trata de fenômeno não apenas irreversível, mas crescente.
 
Além da verossimilidade de o Datafolha ter usado a margem de erro – e, talvez, mais um tiquinho – para deprimir os números da adversária Dilma e inflar os dos aliados Aécio e Eduardo, há outros números – que serão conhecidos proximamente – dando conta de melhora ainda maior para a presidente.
 
Ao fim, o que chama a atenção é a ironia suprema de a grande aposta da oposição midiática para desgastar Dilma se tornar um dos principais fatores que desencadearão sua reeleição, pois o desmoronamento das mentiras mostrou quem é quem.
 
Este Blog não estranhará, portanto, se, em breve, Aécio Neves e Eduardo Campos tentarem disputar com Dilma a paternidade da Copa. Afinal, filho feio não tem pai, mas filho bonito tem um monte.
*
PS: a imagem que ilustra este texto é de uma charge que fiz na madrugada de quinta-feira (3/7) após ler a pesquisa Datafolha na edição on line da Folha de São Paulo. Fazia muito tempo que não desenhava ou pintava. Na juventude (37 anos atrás), trabalhei como desenhista em uma agência de publicidade. Depois que me casei (aos 22 anos), mudei de ramo porque precisava sustentar a família e desenho, à época, não dava dinheiro. Mas continuei desenhando. Contudo, após o nascimento de Victoria, a quarta filha – que nasceu “especial” –, desanimei e parei. Fazia anos que não desenhava. Voltei na madrugada do dia 3. Assim, peço indulgência na avaliação da charge. Mas como no Facebook os amigos gostaram, achei que seria apropriado reproduzi-la aqui no Blog.
 
 
****
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2014/07/ironia-suprema-apos-tanta-sabotagem-copa-das-copas-pode-reeleger-dilma/

A concentração “lulopetista” no estádio de Chicago

03.07.2014
Do blog TIJOLAÇO
Por Fernando Brito             
soldier
Quero prestar uma singela homenagem a Reinaldo Azevedo, o nosso Dr. Strangelove.
 
É o vídeo da multidão que encheu o Soldiers Field, um estádio em Chicago, para assistir o jogo em que  seleção dos Estados Unidos perdeu para a Bélgica.
 
É que Reinaldo Azevedo escreveu, alguns anos atrás, que nem sabiam, nos Estados Unidos, onde era o Brasil.
 
“Pergunte a americanos comuns onde fica o Brasil. Eles não sabem. Mas isso não quer dizer que sejam ignorantes. Quer dizer que o Brasil não tem, para eles, a importância que eles têm para o Brasil. É simples assim. Diga de bate-pronto, leitor: Angola fica na costa ocidental ou oriental da África? E Moçambique? Qual é capital da Guiné-Bissau? Entendeu ou quer que eu desenhe? E, no que diz respeito aos americanos, o mesmo vale para Uruguai, Paraguai ou Bolívia.”
 
Bem, depois desta Copa fracassada, desastrada, inútil e politiqueira, alguns já sabem, não é?
 
Afinal, os americanos foram os maiores compradores de ingressos: 200 mil, mesmo com a Veja dizendo que os estádios ficariam prontos só em 2038.
 
E outras dezenas, centenas de milhares, milhões talvez, estavam loucos para estar aqui.
 
Quem sabe quantos mais estariam se a imprensa mundial, apoiada no relato de nossa imparcialíssima mídia, não tivesse projetado o Brasil como uma selva.
 
Ou será que isso é uma conspiração “lulopetista” que mandou este pessoal para lá, fingir que era gringo para impressionar os incautos.
 
Depois que o Rodrigo Constantino descobriu a propaganda comunista na logomarca da Copa a gente não pode duvidar de mais nada, não é?
*****
Fonte:http://tijolaco.com.br/blog/?p=18866

Najla Passos: Bola de cristal de Paulo Coelho se espatifou na Copa

02.07.2014
Do blog VI O MUNDO, 29.06.14

No livro do mago, deu Suiça
27/06/2014 – Copyleft

As 13 previsões mais catastróficas, e furadas, sobre a Copa no Brasil

É hora de relembrar, com algumas boas gargalhadas, as previsões mais pessimistas e catastróficas feitas por cartomantes de plantão que previram o caos.

A Copa do Mundo não resolveu e não irá resolver todos os problemas do país. Aliás, nem é esta a função de um evento esportivo privado. Mas que o mundial atrai turismo e investimentos externos, não há mais dúvidas. Como também não há nenhuma de que ele mexe com autoestima de um país incentivado durante séculos a cultivar um inapropriado “complexo de vira-latas”!

Por isso, agora que o sucesso do evento já é reconhecido em todo o mundo, que o país já provou que pode ser organizar uma bela copa e que os turistas e os investimentos estrangeiros continuam chegando, é hora de dar boas gargalhadas com previsões mais pessimistas  feitas pelas cartomantes de plantão que tanto torceram contra a realização do mundial.

Das adivinhações às avessas do mago Paulo Coelho à mudança de planos da cineasta que fez sucesso afirmando que não viria ao Brasil, dos prejuízos contabilizados pelo tucanato ao delírio do protesto do chuveiro no “modo quentão”, do mau-humor da imprensa estrangeira à campanha permanente da Veja, confira as 13 previsões mais catastróficas – e furadas – sobre a Copa do Mundo no Brasil!

1 – O mago Paulo Coelho: “A barra vai pesar na Copa do Mundo”

Em entrevista à revista Época, publicada em 5/4/2014, o mago, guru e escritor Paulo Coelho, que mora na Suíça, disse que não viria ao Brasil assistir aos jogos da Copa do Mundo nos estádios, apesar de ter sido presenteado com os ingressos pela FIFA. “A barra vai pesar na Copa. A Copa será um foco de manifestações justas por um Brasil melhor. Os protestos vão explodir durante os jogos porque vai haver mais gente fora do que dentro dos estádios”, afirmou.

O Mago, que “previra” que o Brasil ia ganhar a Copa das Confederações, evita arriscar o resultado para o mundial. E apresenta certezas já desconstruídas pela realidade, como a de que o Brasil deveria disputar a final com a Espanha, eliminada na 1ª fase: “Agora não sei. Certamente o Brasil irá à final com a Alemanha ou a Espanha, duas seleções fortíssimas nesta Copa. A Argentina não. A Suíça vai surpreender. Eu ousaria dizer que a Suíça vai para as quartas. No futebol, você tem que ser otimista, não tem outra escolha. 

O Brasil tem chances de não ganhar”.

2 – Arnaldo Jabor: “A Copa vai revelar ao mundo a nossa incompetência”

No dia 6/6/2014, às vésperas da abertura da Copa, o cineasta Arnaldo Jabor, emcomentário para a Rádio CBN, ainda insistia no pessimismo em relação à Copa, com o objetivo claro de influir no processo eleitoral de outubro. “Nós estamos jogando fora a imensa sorte que temos, por causa de dogmas vergonhosos que não existem mais. Estamos antes do Muro de Berlim e a Copa do Mundo vai revelar ao mundo a nossa incompetência”, afirmou.



3 – Veja: “Por critérios matemáticos, os estádios da Copa não ficarão prontos a tempo”



Em 25/5/2011, a Veja previu o fracasso da Copa do Mundo no Brasil. E com a ajuda da matemática, uma ciência que se diz exata desde tempos imemoriais. Na capa, a data da logo do mundial era substituída por 2038. O intertítulo explicava: “Por critérios matemáticos, os estádios da Copa não ficarão prontos a tempo”.

De lá para cá, foram muitas outras matérias, reportagens e artigos anunciando o fracasso do mundial.

E mesmo com o início dos jogos, com estádios prontos e infraestrutura à altura do desafio, a revista estampou, na edição desta semana, uma nova catástrofe iminente: “Só alegria até agora – Um festival de gols no gramado, menos pessimismo nas pesquisas, mais consumo, visitantes em festa e o melhor é aproveitar, pois legado duradouro, esqueça”.

Melhor mesmo é torcer para que, quem sabe até 2038, a Veja aprenda a fazer jornalismo!


4 – Cineasta brasileira radicada nos EUA: “Não, eu não vou para a Copa do Mundo”

Em junho de 2013, a cineasta brasileira Carla Dauden, radicada em Los Angeles, nos Estados Unidos, fez sucesso na internet com o vídeo “No, I’m Not Going to the World Cup” (“Não, eu não vou para a Copa do Mundo”), que alcançou quatro milhões de curtidas. Mas antes mesmo da bola começar a rolar nos gramados brasileiros, a ativista já era vista circulando pelo país.

No Twitter, ela justificou a abrupta mudança de planos: “Não vim para ver a Copa, vim para falar dela. A Copa nunca vai ser a mesma para os brasileiros. As pessoas não vão se esquecer do que acontecerá por aqui”, diagnosticou, antes da abertura. A frase, de fato, parece fazer sentido. Mas por motivos opostos do que aqueles que a ativista advoga!

5 – Protesto do chuveiro no “modo quentão” vai causar apagão!



Até bem pouco tempo antes do início da Copa, eram muitos os setores que insistiam no risco iminente de blackout no país, da oposição à imprensa monopolista. Um grupo de internautas, porém, levou as ameaças infundadas a sério e decidiu criar uma página no Facebook destinada a acelerar o caos: usar os jogos da Copa para provocar um apagão generalizado no Brasil e, assim, boicotar a realização do evento.

A estratégia definida foi a utilização sincronizada dos chuveiros no “modo quentão”. “Chuveiros devem ser ligados na hora dos hinos nos jogos. A carga elétrica anormal derrubará a energia em bairros, cidades, regiões, estados e o país inteiro, em efeito dominó. Acompanhem os hinos por rádio, para maior garantia de sincronização”, diz a descrição do evento que conquistou pouco mais de 4,5 mil curtidas.

Dado o fracasso do evento, a página agora é utilizada para a troca de memes contra o PT, a esquerda e as pautas sociais e progressistas!



6 – Marília Ruiz: “Vai ser um vexame. Um vexame!”



No dia 26/1/2014, a TerraTV publicou um comentário da jornalista esportiva Marília Ruiz em que ela previa que, se o Brasil conseguisse realizar a Copa, já seria uma grande vitória. A antenada comentarista até admitia que os estádios ficariam prontos. Mas sem qualidade: “Se eu sentaria o meu corpinho numa cadeira recém colocada, com um parafuso a menos? Eu não sei”.

Do alto de sua experiência em cobertura de outras copas e de um etnocentrismo latente, ela também alertava que, mesmo fazendo sua Copa após a da África, o país passaria vergonha.

“Eu achei que a gente ia passar vergonha, que nós, brasileiros, que o país ia passar vergonha. Aí eu pensei, é até um alento porque a Copa do Brasil vai ser depois da Copa da África: ninguém vai lembrar muito como foi na Alemanha. Muito menos as pessoas vão lembrar como foi no Japão e na Coreia. E eu posso dizer porque estive lá. É uma vergonha ao cubo!”

Confira o comentário completo e saiba quem é que está passando vergonha!

7 – Álvaro Dias: “O país ficará com mais prejuízo do que lucro”

De todas as aves de mau agouro que bravatearam contra a realização da Copa no Brasil, o tucano Álvaro Dias, senador pelo PSDB, foi uma das mais barulhentas. Previu que o governo amargaria um prejuízo de mais de R$ 10 bilhões com a realização do evento, que os turistas não apareceriam, que os aeroportos não ficariam prontos e não dariam conta do fluxo de passageiros.

“O legado da copa do mundo me parece ser um grande fracasso. O país ficará com mais prejuízo do que lucro”, disse ele em entrevista à TV Senado, publicada no Youtube em 7/8/2013. Agora que os turistas chegaram, os investimentos estrangeiros entraram e o país tá fazendo bonito em mobilidade e infraestrutura, o senador desapareceu por completo do noticiário. Não se sabe se está esperando o evento acabar para profetizar outro apocalipse ou aproveitando as férias para curtir os jogos, como fez durante a Copa das Confederações!


8 – Ex-presidente FHC: “A Copa do Mundo como símbolo de desperdício”

Em artigo publicado no norte-americano The Wold Post, em 21/1/2014, o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso se referiu à Copa como símbolo do desperdício de dinheiro público. Tal como seu companheiro Álvaro Dias, perdeu a chance de ficar calado.  Segundo a Fipe, só a Copa das Confederações rendeu R$ 9,7 bilhões ao PIB brasileiro. A projeção de retorno da Copa é de R$ 30 bilhões. A Apex-Brasil, aproveitando a Copa do Mundo, trouxe ao Braisil mais de 2,3 mil empresários estrangeiros, de 104 países. A agência estima trazer US$ 6 bilhões em negócios para o Brasil.

9 – Redação Sport TV: do fracasso ao espírito de porco!

No Programa Redação Sport TV de 22/1/2014, o apresentador deu sonoras gargalhadas ao exibir a foto de um estádio da copa ainda sem gramado e fazer previsões catastróficas sobre o evento. Na edição de 26/6/2014, o tom mudou completamente: um outro apresentador mostrou como a imprensa internacional elogiava o evento e ouviu do entrevistado Ruy Castro: “A nossa imprensa foi rigorosamente espírito de porco antes do evento começar”.

Confira o vídeo com os dois momentos e os dois humores do Sport TV



10 – Governo alemão: “O Brasil é um país de alto risco”

Há seis semanas do início da Copa, o Ministério de Assuntos Exteriores da Alemanha divulgou um relatório pintando uma imagem desoladora do Brasil, descrito como um país ode as leis não são respeitadas e o turista corre o risco de ser roubado, sequestrado e se envolver em conflitos entre policiais e criminosos. O documento listava uma série de cuidados que os gringos deveriam tomar, incluindo atenção redobrada com as prostitutas, apontadas como membros e organizações criminosas, e vigilância contínua com os copos, para não serem vítimas de um “Boa noite, Cinderela”.

Pelo documento, até mesmo a seleção alemã estaria em perigo em terras tupiniquins. E não apenas dentro de campo. “Arrastões e delitos violentos não estão descartados, lamentavelmente, em nenhuma parte do Brasil. Grandes cidades como Belém, Recife, Salvador, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo oferecem altas taxas de criminalidade”, ressaltava.

O Ministério ainda não divulgou relatórios sobre o número de alemães que vieram ao Brasil e o que estão achando da experiência. Mas quem circula pelas ruas brasileiras, repletas de gringos felizes e sorridentes, já sabe!

11 – Der Spiegel:  “Justamente no país do futebol, a copa poderá ser um fracasso”


Um dos principais semanários da Europa, a revista alemã estampou, um mês antes do início da Copa, a manchete “Morte e Jogos”, destacando que, justamente no país do futebol, a Copa poderia ser um fiasco, por causa dos protestos, da violência nas ruas, dos problemas do transporte coletivo, dos aeroportos e dos estádios. Praticamente um alerta vermelho recomendando que os europeus não viessem ao Brasil.

Mas os turistas vieram e estão adorando.

A imprensa estrangeira também: o jornal norte-americano The New York Times, fala em “imenso sucesso”.

O francês Le Monde, em “milagre brasileiro”. O espanhol El País diz “não era pra tanto” para as previsões catastróficas.

A revista inglesa The Economist,  remenda que “as expectativas, que eram baixas, foram superadas”. A própria Der Espiegel, na edição desta semana, dá destaque para a animação da torcida e admite que os protestos em massa ainda não aconteceram.


12 – Ronaldo, o fenômeno: “Da vergonha à constatação de que a Copa é um sonho”


Na véspera do início do mundial, o ex-atacante Ronaldo se disse envergonhado com os atrasos das obras da Copa. Mas, membro do Comitê Organizador Local da FIFA que é, defendeu a entidade e culpou o governo Dilma por todos os problemas. “É uma pena. Eu me sinto envergonhado porque é o meu país, o país que eu amo. A gente não podia estar passando essa imagem”, disse à Agência Reuters o cabo eleitoral e amigo do senador Aécio Neves, candidato do PSDB à presidência.

Agora, consolidado o sucesso do evento, tenta mudar o discurso. Em coletiva nesta quinta (26), procurou se justificar. “Não critiquei a organização da Copa, até porque eu faço parte dela. Disse que poderia ser muito melhor se todas as obras de mobilidade urbana tivessem sido entregues”, remendou. ”Vivíamos um clima muito tenso, com a população muito descontente. Começou a Copa, e agora estamos vivendo um sonho”, concluiu.


 

13 –  O vira vira lobisomem de Ney Matogrosso



De passagem por Lisboa, em 11/5, Ney Matogrosso resolveu usar a Copa para criticar duramente a política brasileira na TV ATP. Só esqueceu de estudar, primeiro, os argumentos. “Se existia tanto dinheiro disponível para gastar com a Copa, por que não resolver os problemas do nosso país?”, disse ele, desconhecendo que, desde 2010, quando começaram os preparativos para a Copa, o governo já investiu R$ 850 bilhões em saúde e educação, enquanto os investimentos totais no mundial – incluindo federais, locais e privados – atingem R$ 25,6 bilhões.

Foi ácido quanto à construção dos estádios que, segundo ele, irão virar “elefantes brancos” e não serão usados para mais nada. Embolou dados, números e fatos em vários argumentos. Acabou sustentando uma visão preconceituosa sobre as classes populares. Questionado se há uma maior consciência dos pobres em exigir seus direitos, concordou: 

“O escândalo é tamanho que até essas pessoas param para refletir”.

Leia também:
******
Fonte:http://www.viomundo.com.br/humor/najla-passos-bola-de-cristal-do-mago-paulo-coelho-se-espatifou-na-copa.html

Paulo Nogueira: Nada se equipara ao ódio da direita

03.07.2014
Do blog VI O MUNDO, 01.07.14

Elio Gaspari errou: nada se equipara ao ódio da direita

por Paulo Nogueira, no Diário do Centro do Mundo 

Um vídeo em que uma senhora septuagenária profere insultos copiosos ao comunobolivarianismo do PT me remeteu a um assunto sobre o qual eu queria falar já faz alguns dias.

O tema é o ódio político.

Num artigo, Elio Gaspari disse que o PT não tinha moral para falar em ódio. Elio estava respondendo a Lula, que dissera que o PT, nestas eleições, levaria a esperança a vencer o ódio.

O ponto de Elio é que o PT tem, ele também, um histórico de raiva.

Na internet, o assunto foi intensamente debatido. Gostei de ver meu antigo chefe da Veja e na Exame, Antonio Machado, um dos melhores jornalistas com quem trabalhei, se manifestar.

Não lia nada dele fazia muito tempo. Foi como rever um velho amigo.

Machado contestou Elio, a quem chamou, ironicamente, de Doutor. Foi um contraponto divertido ao fato de que Elio chama Dilma de “Doutora”.

Machado, e aí acho um exagero, quase que igualou Elio a Reinaldo de Azevedo.

Elio não é Azevedo, a começar pela diferença de que é um genuíno jornalista, e dos brilhantes.

É, sim, um colunista de centro. Talvez gostasse de se movimentar um pouco mais para a esquerda, mas ele deve saber que não duraria muito nem na Folha e nem no Globo se fizesse isso.

Barbara Gancia, e é um caso exemplar, fez este movimento. Começou a falar em Casa Grande – um lugar comum que me enfastia, aliás – e logo perdeu a coluna na Folha.

Mas o ponto central sobre o qual eu queria falar é o ódio. Nisso, estou inteiramente com Machado e contra Elio.

Nada, rigorosamente, nada se iguala ao ódio da direita. As raízes são profundas e distantes: ao longo de toda a ditadura militar os brasileiros foram submetidos a constantes propagandas anticomunistas.

O “comunismo ateu” era apresentado, sempre, como a quintessência da maldade, do horror.

No plano internacional, Stálin era o demônio supremo. No plano nacional, este papel era atribuído a nomes como Lamarca e Marighella.

Neste ambiente, surgiram e floresceram entidades como o Comando de Caça ao Comunismo e a Tradição, Família e Propriedade – dedicadas a semear ódio patológico na sociedade.

Com o fim da União Soviética, e do comunismo, o ódio da direita não cessou. Apenas foi remanejado para a esquerda em geral.

Na Venezuela, Chávez foi alvo de campanhas de fúria inacreditável. Até sua mãe era insultada cotidianamente pela mídia e pela direita venezuelana.

No Brasil, o anticomunismo de antes se transformaria em antipetismo.  Mudou o nome, mas não o ódio, ou mesmo sua intensidade.

Em suas manifestações mais vis, a raiva nos últimos anos se traduziu em pragas para que o câncer se abatesse novamente sobre Lula e Dilma.

Não é, ao contrário do que Elio afirmou, um ódio que encontre contrapartida na esquerda.

Não que a esquerda aprecie e admire a direita. Mas não é a mesma coisa. Historicamente, não é. Definitivamente, não é.

Até por questões culturais. Faz parte da cultura da esquerda endereçar o melhor de sua raiva às correntes rivais dentro da própria esquerda.

Marx abominava Bakunin. Os bolcheviques viam os mencheviques como seu maior obstáculo. No Brasil, integrantes do PC e do PC do B mutuamente se abominavam.

No Brasil de hoje, repare como os petistas enxergam grupos de esquerda por trás de protestos e como estes vêem o que chamam, desdenhosamente, de “governistas”.

O ódio da esquerda como que se dispersa. O da direita se concentra.

Nada se compara ao ódio da direita – e meu velho chefe Machado, nisso, não poderia estar mais certo.
Paulo Nogueira é jornalista, fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.
Leia também:

Janio de Freitas: Joaquim Barbosa e o leitor black bloc mental
*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/politica/paulo-nogueira-elio-gaspari-errou-nada-se-equipara-ao-odio-da-direita.html

Com muito orgulho, com muito amor

03.07.2014
Do portal BRASIL247, 02.07.14
Por LELÊ TELES
Um dia, pelo menos um dia, uma minoria branca e endinheirada conseguiu fazer com que todos nós sentíssemos vergonha de sermos brasileiros
Lelê  TelesUm dia, uma mulher ousou enfrentar os militares, um bando de valentões covardes e torturadores que espancavam adolescentes e mulheres, e assassinavam compatriotas a sangue frio.

Ela lutou pela democracia contra os milicos sem voto, os que surrupiaram o poder

Uma minoria reacionária, viúvas dos milicos que tocaram o terror, a chama de terrorista.

Um dia, essa mulher que foi presa e torturada pelos valentões covardes, saiu da prisão e lutou pelos seus ideais. Forte e determinada, decidiu, um dia, que uma mulher poderia, sim, ser presidenta da república e cuidar do destino da nação.

Ganhou no voto, numa democracia que ela lutou para implantar.

Até hoje, uma minoria abjeta, obtusa, delirante, paranoica e oligofrênica a acusa de tentar implantar uma ditadura comunista no Brasil.

Um dia, essa presidenta, ao enxergar a grandeza deste país e deste povo, procurando levantar a autoestima de sua gente, resolve mostrar ao país que finalmente, desde que chegaram aqui as caravelas, a nação começou a ter mobilidade social.

Uma minoria de ventríloquos midiotas e reacionários passou a papagaiar que trata-se de populismo assistencialista e que tem gente parindo filho só pra receber benefícios do estado.

Um dia, essa presidenta resolve enfrentar os factóides e as fofocas desinformativas da mídia familiar e bilionária, e mostra que milhões de brasileiros ascenderam economicamente, tiveram acesso ao ensino superior, a empregos, a melhores salários, a casa própria, automóvel...

Uma minoria de sabotadores do progresso, os que há séculos escravizam o povo negro, subjugam as mulheres, sonegam impostos, expatriam nossas riquezas e sentem vergonha do país que eles envergonham, disse que tudo isso é manipulação e que o governo é corrupto, sem dizer que não existe corrupto sem corruptor, sem dizer que eles, os ricos, são os corruptores incuráveis.

Um dia, essa presidenta acreditou que era chegada a hora dessa imensa maioria de brasileiros, que segundo pesquisas, é uma das mais felizes do mundo e uma das que mais acreditam no futuro, abrir os braços para receber o mundo, como quem abre as portas de casa para receber a visita de amigos.

Uma minoria de urubólogos previu o caos, se dizia envergonhada de ser brasileira, que éramos feios e sujos, incompetentes e corruptos, e tentou, essa minoria, sabotar a grande festa.

Mas deram com os burros n'água. Há festa e quem é de alegria está alegre, quem é de felicidade está feliz e o mundo está encantado com a nossa beleza sorridente.

Mas nesse primeiro dia, quando a presidenta abriu as portas da nação para que o mundo entrasse, uma minoria ridícula, branca e endinheirada, a plenos pulmões, xingou a chefe da nação diante de mais de 3 bilhões de pessoas mundo afora.

Uma minoria revoltada porque lhe tiraram das mãos as rédeas e os chicotes e só lhes resta como açoite a língua.

Uma dia, uma presidenta foi achincalhada por uma minoria branca e endinheirada, uma gente que não sentiu vergonha em xingar uma mulher na frente de uma multidão.
Um dia, pelo menos um dia, essa minoria conseguiu fazer com que todos nós sentíssemos vergonha de sermos brasileiros.

Mas no dia seguinte, já estávamos felizes e orgulhosos novamente, para o desespero de uma minoria midiota, branca e endinheirada; escravagista e machista, paranoica e oligofrênica, demofóbica e deslocada.
****
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/145445/Com-muito-orgulho-com-muito-amor.htm