Pesquisar este blog

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Não vai ter Copa na Idiotolândia

15.05.2014
Do blog CRÔNICAS DO MOTTA


Os idiotas estão convencidos de que todas as mazelas de seu país têm como causa a realização do maior evento esportivo do mundo.

Por isso, na Idiotolândia não vai ter Copa.

E não adianta explicar aos idiotas que não há relação de causa-efeito entre falta de hospitais, de escolas, de moradias ou de transporte urbano e a Copa.

Os habitantes da Idiotolândia ignoram a lógica ou a razão.

Como são idiotas, agem como idiotas, fazem coisas sem nenhum sentido, não se importam de, com seus atos, prejudicarem milhões de pessoas que não vivem na Idiotolândia.

Caminham, pateticamente, entoando slogans dos quais desconhecem o sentido, carregando faixas e cartazes com frases ininteligíveis e empunhando bandeiras com símbolos indecifráveis.

Pretendem ser os porta-vozes dos oprimidos e a vanguarda da revolução que libertará os miseráveis de sua vil condição.

Mas são apenas idiotas.

Bois de piranha, bucha de canhão, inocentes úteis.

Enquanto agem como idiotas, se expondo fisicamente em protestos cenográficos, incitando conflitos com forças repressoras ou cidadãos comuns que querem apenas trabalhar, estudar, passear, viver a sua vida, os poderosos da Espertolândia se cumprimentam pelo êxito de seus planos para sabotar esse país chamado Brasil em que se infiltraram para saquear riquezas, explorar a mão de obra, se locupletar em sinecuras, desafiar leis e, principalmente, como gostam de dizer, "levar vantagem em tudo".

A Idiotolândia não existiria sem a Espertolândia.

E, incrível, a Espertolândia, que arma, financia, organiza e monitora os idiotas que bradam nas ruas que não vai ter Copa, está muito satisfeita com o lucro que teve, está tendo e terá ainda por um bom tempo com o evento esportivo.

O mundo é dos espertos, mas não seria se não fossem os idiotas.

********
Fonte:http://cronicasdomotta.blogspot.com.br/2014/05/nao-vai-ter-copa-na-idiotolandia.html

Defensores dos oligarcas em pânico com livro de economista francês

15.05.2014
Do blog ESQUERDOPATA, 14.05.14

O pânico sobre Piketty 


O que os conversadores podem fazer, diante do medo que esse diagnóstico possa ser usado para justificar o aumento de impostos sobre os ricos?

Paul Krugman (*) - The New York Times


O novo livro do economista francês Thomas Piketty, “O capital no século XXI”, é um prodígio de honestidade. Outros livros de economia foram um sucesso nas vendas, mas diferentemente da maioria deles, a contribuição de Piketty tem uma séria erudição, capaz de mudar a retórica. E os conservadores estão aterrorizados.

Por isso, James Pethokoukis, do American Interprise Institute, adverte na revista “National Review” que o trabalho de Piketty precisa ser refutado porque, do contrário, “se propagará entre a clerezia e dará nova forma ao cenário da economia política em que  serão travadas todas as futuras batalhas sobre política”.

Pois bem, lhes desejo boa sorte nesta empreitada. Por enquanto, o que de fato surpreende no debate é a direita parecer incapaz de organizar qualquer tipo de contra-ataque significativo à tese de Piketty. Em vez disso, sua reação consistiu exclusivamente em desqualificá-lo. Concretamente, em alegar que Piketty é um marxista e, portanto, alguém que considera a desigualdade de renda e de riqueza uma questão importante. Em breve voltarei à questão da desqualificação. Antes, vejamos por que o livro está tendo tanta repercussão. 

Piketty não é o primeiro economista a ressaltar que estamos experimentando um forte aumento da desigualdade, ou até mesmo a enfatizar o contraste entre o lento crescimento da renda para a maioria da população e os rendimentos altíssimos no topo. É verdade que Piketty e seus colegas agregaram uma profundidade histórica ao nosso conhecimento, demonstrando que realmente estamos vivendo em uma nova Era Dourada. Mas nós sabemos disso faz tempo.

Não. O que é realmente novo sobre o “Capital” é o modo como destrói o mais amado mito dos conservadores, a insistência de que estamos vivendo em uma meritocracia, em que grandes fortunas são conquistadas e merecidas.

Nas duas últimas décadas, a resposta conservadora às tentativas de tratar de forma política a questão do aumento da renda das classes altas envolveu duas linhas de defesa: em primeiro lugar, a negação de que os ricos estão realmente se dando tão bem e o resto está mal. E quando tal negação falha, eles alegam que essas rendas elevadas são uma recompensa justificada por serviços prestados. Não se deve chamá-los de 1% ou de ricos, mas sim de “geradores de emprego”.

Mas como fazer essa defesa, se os ricos derivam grande parte de sua renda não do trabalho que eles fazem, mas dos ativos que possuem? E se as grandes fortunas, cada vez mais, que não vêm de empreendimentos, mas sim de heranças?

O que Piketty mostra é que estas não são questões menores. As sociedades ocidentais, antes da Primeira Guerra Mundial, eram dominadas, de fato, por uma oligarquia de riqueza herdada -e seu livro argumenta convincentemente de que estamos voltando para esse cenário.

Portanto, o que os conversadores podem fazer, diante do medo que esse diagnóstico possa ser usado para justificar o aumento de impostos sobre os ricos? Podem tentar rebater Piketty de forma substancial mas, até agora, não vi nenhum sinal disso. Em seu lugar, como eu disse, há apenas desqualificações.

Isso não deveria ser surpreendente. Participei de debates sobre a desigualdade de renda por mais de duas décadas e nunca vi os “especialistas” conservadores conseguirem negar os números sem tropeçarem em seus próprios cadarços intelectuais. Ora, é quase como se os fatos fundamentalmente não estivessem do lado deles. Ao mesmo tempo, xingar de vermelho todos os que questionam qualquer aspecto da teoria de livre mercado tem sido um procedimento padrão da direita, desde que pessoas como William F. Buckley tentaram impedir o ensino da economia keynesiana, não por prová-la errada, mas denunciando-a como “coletivista”.

Ainda assim, tem sido incrível assistir aos conservadores, um após o outro, denunciarem Piketty como marxista. Até mesmo Pethokoukis, que é mais sofisticado do que o resto, chama o livro de uma obra de “marxismo leve”, o que só faz sentido se a mera menção à desigualdade de riqueza faça de você um marxista. (Talvez esta a visão deles. Recentemente, o ex-senador Rick Santorum denunciou o termo “classe média” como “conversa marxista”, porque, veja bem, não temos classes nos Estados Unidos.)

E o “Wall Street Journal”, em sua crítica ao livro, de forma muito previsível, percorre todo o percurso. De alguma forma, consegue comparar a defesa de Piketty da tributação progressiva como forma de limitar a concentração de riqueza -um remédio tão americano quanto a torta de maçã, defendido não apenas por economistas, mas também por políticos, inclusive por Teddy Roosevelt- aos males do stalinismo. Isso é realmente o melhor que o “Wall Street Journal” consegue fazer? Aparentemente, a resposta é sim.

Agora, o fato de os defensores dos oligarcas norte-americanos estarem evidentemente em falta de argumentos coerentes não significa que eles estejam politicamente em fuga. O dinheiro ainda fala -na verdade, em parte graças ao Supremo Tribunal de Roberts, fala mais alto do que nunca. Ainda assim, as ideias também importam, moldando a forma como falamos sobre a sociedade e, eventualmente, a forma como agimos. E o pânico em relação a Piketty mostra que a direita ficou sem ideias.


(*) Professor de Economia em Princeton, venceu o prêmio Nobel de economia em 2008. 


Tradução: Daniella Cambaúva

******
Fonte:http://esquerdopata.blogspot.com.br/2014/05/defensores-dos-oligarcas-em-panico-com.html

Quem tem medo do passado

15.05.2014
Do BLOG DO SARAIVA 

Cenas de medo novelesco de Regina Duarte, em 2002, tem pouco a ver com comparação entre o Brasil antes e depois de Lula

O primeiro filminho de propaganda do PT provocou uma reação previsível da oposição.

Aécio Neves chegou a dizer que as crianças deveriam ser retiradas da sala. Eduardo Campos também criticou. Claro que nenhum deles está discutindo a linha estética das imagens.

 A comparação entre o Brasil de hoje e aquele que antecede a chegada de Lula ao Planalto, em 2003, é chocante e perturbadora. Aposto que muitos eleitores sequer se dão conta do que mudou no país ao longo de onze anos. A comparação, é claro, só prejudica quem quer ganhar a eleição de outubro com o discurso do caos e da catástrofe e,  ciente da impunidade junto aos meios de comunicação, chega a prometer “medidas impopulares” sem ficar corado nem temer por repercussões negativas.

A comparação com o discurso do medo apresentado por Regina Duarte, na reta final de 2002, não faz sentido. O discurso de 12 anos atrás não podia apoiar-se em fatos objetivos.

Naquele ano, a inflação disparava e o país pedia socorro ao Fundo Monetário Internacional para não quebrar. A popularidade de Fernando Henrique era tão baixa que José Serra, candidato do governo, preferia manter distância do Planalto e do presidente. Quando perguntado sobre a economia – um desastre nos ultimos anos de FHC  – o candidato tucano não colocava a culpa na crise internacional apenas. Fazia questão de dizer que o governo FHC não seguira a política economica de sua preferência.

O PSDB até podia falar no medo mas não conseguia apresentar nenhum motivo para transmitir segurança ao eleitorado em caso de vitória de seu candidato. Este era o ponto. Era uma aposta no irracional, no pavor do desconhecido, naquilo que os psicanalistas chamam de inconsciente. No vale tudo da reta final, o olhar de Regina Duarte tinha muito de heroína de novela. Mas sua alternativa era o apagão, o desemprego, as privatizações.

 Você sabe minha opinião sobre o governo Lula-Dilma e não vou explicar o que penso aqui. 

Mas é evidente que vive-se outra situação com uma economia que mantém o menor desemprego da história, que valoriza o salário mínimo e consegue, com muitos esforços, manter a inflação na melhor média desde a posse de FHC no Planalto, em 1995.

A campanha pela reeleição de Dilma compara passado e presente porque pode fazer isso. 

Não fala de um sentimento, que pode ser manipulável, mas de fatos. Não faltam emoções nos momentos de encontros de brasileiros consigo mesmos. Você pode até achar que se chegou ao melodrama. Mas o conteúdo é racional, compreensível. É político. 

 Eu acho provável que a campanha venha adquirir outra dinâmica nas próximas semanas. 

Num país onde os meios de comunicação vivem num mundo fechado, de suas próprias ideologias e preferencias seletivas, a  propaganda eleitoral é um raro espaço democrático.

Vai oferecer ao governo Dilma uma  chance única de dialogar com os brasileiros e defender seu legado político. É por isso e apenas por isso que a oposição teme comparações com o passado.
******
Fonte:http://saraiva13.blogspot.com.br/2014/05/quem-tem-medo-do-passado.html

ONDAS DE VIOLÊNCIA EM PERNAMBUCO: Saques, assaltos e arrombamentos de lojas no Recife e Região Metropolitana

15.05.2014
Do portal do DIARIO DE PERNAMBUCO

Foto: Allan Torres/Esp. DP/D.A.Press
O clima de insegurança toma conta do comércio da Região Metropolitana do Recife (RMR). Na manhã desta quinta-feira, somam-se relatos de assaltos, arrombamentos e saques.

A onda de criminalidade, iniciada na tarde desta quarta-feira no município de Abreu e Lima, chegou à capital. Por volta das 2h, a loja de eletrodomésticos Insinuante, localizada no bairro de Casa Amarela, foi arrombada e saqueada. A loja Insinuante do bairro de Casa Forte, localizada nas proximidades do Hiper Bompreço, também foi saqueada.
Já a loja de eletrodomésticos Eletroshopping do bairro de Afogados, no Recife, foi assaltada na manhã desta quinta-feira. Por volta das 7h30, funcionários do estabelecimento foram abordados quando abriam as portas da loja.Dois homens armados levaram todos os produtos que estavam na vitrine e ainda os pertences dos trabalhadores, como telefones celular e dinheiro. Aloja fica na Estrada dos Remédios. 

Em Paulista , uma tentativa de saque esta manhã terminou em tiroteio. Os criminosos trocaram tiros com homens que faziam a segurança armada do estabelecimento.

Em Abreu e Lima, já há relatos de novos saques esta manhã no bairro de Caetés. Ontem, diversas lojas foram invadidas. Comerciantes tentaram se proteger fechando as portas mais cedo, mas foram surpreendidos por arrombamentos. As lojas Insinuante e Laser Eletro foram algumas das atingidas na cidade.



Esta manhã, os lojistas começam a contabilizar o prejuízo e arrumar o que sobrou nas lojas. Nos locais, estão sendo encontradas pedras e máscaras utilizadas pelos saqueadores.

******
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2014/05/15/interna_vidaurbana,504117/saques-assaltos-e-arrombamentos-de-lojas-no-recife-e-regiao-metropolitana.shtml

Servidores do INSS e Saúde realizam paralisação

15.05.2014
Do portal do SINDSPREV.PE
Por Wedja Gouveia da Redação. do Sindsprev/PE
 
Os servidores da Saúde e Previdência Social de Pernambuco realizam hoje, dia 15/05, paralisação de 24 horas. Os servidores do INSS se concentraram pela manhã na frente da Gerência Executiva Recife, localizada na Avenida Mário Melo, em Santo Amaro. Os funcionários da saúde participaram de manifestação no Núcleo Estadual do Ministério da Saúde (Nems-PE), antigo prédio da Sudene.
 
 A adesão da categoria ao movimento foi muito representativa e todas as Agências da Previdência Social do Recife, Região Metropolitana e do interior tiveram seus serviços suspensos. Só o atendimento para perícia médica funcionou normalmente. O protesto também atingiu os hospitais e postos de saúde e foi organizado pelo Sindsprev-PE.
 
 A paralisação, que acontece em diversos Estados, tem como objetivo a abertura imediata das negociações da Campanha Salarial 2014, cuja pauta foi entregue ao Ministério do Planejamento, desde 24 de janeiro deste ano. Desde aquela data até o momento o Governo Federal não apresentou nenhuma resposta.
 
 Segundo o secretário geral do Sindsprev-PE, Luiz Eustáquio, “entre os itens que estamos pleiteando estão a melhoria das condições de trabalho, aumento salarial, a implantação do Plano de Cargos e Carreiras(PCC) e paridade e integralidade entre antigos, aposentados e pensionistas. Hoje, o funcionário do INSS que se aposenta tem uma perda de 40% no salário”, destacou. Dependendo da negociação, Luiz Eustáquio adianta que os servidores poderão decretar uma greve por tempo indeterminado. 
******
Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000003037&cat=noticias

Sindsprev na luta pela aprovação da emenda da DPNI/VPNI

15.05.2014
Do portal do SINDSPREV.PE,
Por Wedja Gouveia da Redação. do Sindsprev/PE

 
Na última terça-feira, dia 13/05, na reunião do Colégio de Líderes da Câmara dos Deputados, alguns líderes de partidos da oposição  exigiram a retirada de todas as emendas aditivas que  foram consideradas estranhas  ao texto original da MP 632/2013, que entre outras questões, determina a restituição da DPNI/VPNI dos servidores da Saúde, Previdência e do INSS.
 
Ao tomar conhecimento da notícia, o presidente da CNTSS/CUT, Sandro Cézar, e o coordenador geral do Sindsprev/PE, José Bonifácio,  procuraram imediatamente representantes do Ministério do Planejamento, o deputado Paulão (PT/AL) e o vice-líder do PMDB, Manoel Junior (PMDB/PB), para que eles  convencessem o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves,  a reinserir  na medida provisória o texto da emenda aditiva relativa a DPNI/VPNI.
 
Após pronunciamento no Plenário da Câmara solicitando a reinserção da emenda, o deputado Manoel Junior recebeu novamente os representantes da  CNTSS e do Sindsprev-PE, acompanhados do consultor legislativo, Wlamir Campos. No encontro ficou acertado que o parlamentar paraibano, em conjunto com o deputado Paulão, apresentará um requerimento de plenário solicitando a reinserção do texto da emenda à MP 632/2013, cuja votação está prevista para a próxima terça-feira, dia 20/05.   Os dirigentes do Sindicato vão acompanhar, em Brasília, a votação do requerimento e da medida provisória. 
 
“Esta semana fomos surpreendidos com a ameaça da retirada da emenda da DPNI/VPNI, mas estamos conseguindo inserir novamente nossa emenda na MP 632, que esperamos que seja voltada e aprovada nesta terça-feira, destaca o coordenador do Sindsprev.
 
Segundo Bonifácio, o presidente da Câmara já se mostrou sensível à aprovação do requerimento.” Estamos confiantes da aprovação da nossa emenda”, finalizou.
*****
Fonte:http://sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000003038&cat=noticias

Blog do Esmael: Barbosa é um sociopata e mundo jurídico agora o rechaça com unanimidade

15.05.2014
Do blog CAFEZINHO
Por Miguel do Rosário                 
 
A“barbocracia”, novo regime político instaurado no Brasil por Joaquim Barbosa, está a beira de um colapso. A comunidade jurídica vem assumindo uma posição praticamente consensual de que o presidente do STF é um desequilibrado, um “sociopata”, que faz muito mal à democracia e ao Estado de Direito. O último pilar de apoio à Barbosa é, naturalmente, a Rede Globo. A Folha, suponho eu, considera que Barbosa já fez o serviço sujo e pode voltar ao lixo da história. A Globo, que sempre foi o verdadeiro sustentáculo da narrativa do mensalão, sabe que precisa manter Barbosa de pé no máximo de tempo possível, sobretudo até as eleições deste ano. STF no divã: mundo jurídico isola ministro Joaquim Barbosa e já o vê como “sociopata” Por Esmael Morais, em seu blog.
 
Mundo jurídico brasileiro abre guerra contra o ministro sociopata Joaquim Barbosa, presidente do STF, que persegue colegas e condenados petistas no mensalão; Zé Dirceu, por exemplo, foi ontem à OEA pelo direito ao trabalho, enquanto cumpre pena no semiaberto, e por um novo julgamento; advogados de renome nacional como Juliano Breda, presidente da OAB-PR, e Kakay, veem jurisprudência perigosa criada pelo presidente da corte máxima; perfil psicológico de Barbosa vai sendo traçado: egoísmo, não admite culpa ou erro, não sente vergonha, é maldoso e teatraliza sentimentos para impressionar terceiros (a velha mídia e a elite branca); há um ano, Breda havia decretado: “O ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado”. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, cada vez mais vai se revelando verdadeiro sociopata cujas características evidentes são: egoísmo, não admite culpa ou erro, não sente vergonha, é maldoso e teatraliza sentimentos para impressionar terceiros (a velha mídia e a elite branca).
 
Pois bem, Barbosa se isola de seus colegas no STF e do mundo jurídico. O presidente da Corte conquistou unanimidade contrária ao vetar o direito ao trabalho para os apenados Delúbio Soares e José Dirceu, que cumprem o regime semiaberto. Da direita à esquerda, bem como o espectro de centro no emaranhado ideológico, são contra a perigosa jurisprudência criada pelo presidente do STF ao suspender o trabalho para os condenados no mensalão. Outros 100 mil presos cumprem penas no semiaberto no país. Imagine, caro leitor, se todos eles retornassem às celas de uma vez só… O criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, interpretou a nova jurisprudência criada por Barbosa como vingança pessoal: “ele decidiu se vingar dos próprios colegas que o derrotaram na votação dos embargos, impondo a sua vontade no STF”, disse ao Brasil 247. Juliano Breda, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Paraná, em proféticas palavras desferidas há um ano já havia alertado: “O ministro Joaquim Barbosa é uma pessoa com qual nenhum diálogo inteligente pode ser travado”.
 
Em discurso gravado pelo Blog do Esmael, o presidente da OAB-PR também afirmou: “Nós todos sabíamos que o ministro Joaquim Barbosa não sabia nada de Direito. Hoje nós descobrimos que ele não sabe nada de organização judiciária no país” (clique aqui). O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, diz que o benefício deve ser concedido a condenados no mensalão. Esta opinião é um sopro de bom-senso na perseguição implacável de Barbosa aos petistas que, aliás, motivou Dirceu recorrer à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA).
*******
Fonte:http://www.ocafezinho.com/2014/05/14/blog-do-esmael-barbosa-e-um-sociopata-e-mundo-juridico-agora-o-rechaca-com-unanimidade/#sthash.lWU1ArMq.dpuf

Tropas federais convocadas a Pernambuco

15.05.2014
Do  portal BRASIL247
 
*******
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/pernambuco247/139883/Tropas-federais-convocadas-a-Pernambuco.htm