Pesquisar este blog

terça-feira, 29 de abril de 2014

Criacionismo Científico - Adauto Lourenço

29.04.2014
Do Youtube, 11.08.2013



NOTA: 

COMPRE O DVD E ASSISTA TODAS AS PALESTRAS COM QUALIDADE http://www.editorafiel.com.br/produto...
2ª Mensagem
Criacionismo Científico
Adauto Lourenço
Justificação Pela Fé
Ano: 2009
25ª Edição da Conferência Fiel para Pastores e Líderes
*****
Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=6hA_pfxX84g

Cientista evangélica aparece na lista dos 100 mais influentes da Forbes

29.04.2014
Do portal GOSPEL PRIME, 28.04.14
Por  Leiliane Roberta Lopes

Katharine Hayhoe trabalha com a conscientização dos problemas do meio ambiente buscando melhorar o mundo onde vivemos

Cientista evangélica aparece na lista dos 100 mais influentes da ForbesEvangélica aparece na lista dos 100 mais influentes da Forbes
Na lista das 100 pessoas mais influentes da revista Forbes está a Dra. Katharine Hayhoe, uma cientista evangélica que foi indicada por conta de seu trabalho com o meio ambiente.
Hayhoe trabalha no Centro de Ciências do Clima da Texas Tech University e na Rede Ambiental Evangélica. Seu trabalho foi citado na revista por desafiar estereótipos ao tomar medidas para proteger o mundo.
O ator Don Cheadle dá testemunho a respeito dela dizendo que a cientista tem levado a mensagem de que é importante amar o mundo em que vivemos e passar a cuidar deles no lugar de apenas mostrar dados e estatísticas sem apresentar melhorias.
O reverendo Mitch Hescox também falou sobre Hayhoe dizendo que ela tem capacidade de demonstrar que “uma pessoa firme na fé evangélica também pode ser uma cientista de classe mundial”, e que isso consegue influenciar não só a igreja como os grupos mais conservadores alertando sobre os cuidados com o meio ambiente e com a vida.
A lista da Forbes não reuniu personalidades que sejam poderosas ou inteligentes, mas sim pessoas que influenciam “usando suas ideias, suas visões e suas ações, para transformar o mundo e ter um efeito sobre uma multidão de pessoas”.
Ao ser indicada pela publicação americana, Katharine Hayhoe disse que estava “honrada” pela nomeação e ressaltou que fazer parte da lista das cem pessoas mais influentes era uma forma de dar visibilidade aos seus trabalhos e a trazer conscientização sobre as escolhas erradas que trazem mudanças climáticas e outros problemas ao meio ambiente.
****
Fonte:http://noticias.gospelprime.com.br/cientista-evangelica-influente-forbes/?utm_source=feedburner&utm_medium=gospelprime

MÍDIA TEM, MAS ESCONDE NOTÍCIA FAVORÁVEL A PADILHA

29.04.2014
Do portal BRASIL247

:
Ao entrevistar o empresário Leonardo Meirelles, um dos sócios do Labogen, o jornal Estado de S. Paulo obteve uma revelação crucial: ao contrário do que disse o deputado André Vargas (sem partido-PR) num torpedo, o executivo Marcus Cezar Moura não foi indicado para o cargo pelo ex-ministro Alexandre Padilha (acima), mas sim pelo empresário Pedro Paulo Leoni Ramos (abaixo), outro sócio do laboratório; no entanto, entre escolher este ângulo, favorável ao pré-candidato do PT em São Paulo, e outro que, embora frágil, poderia prejudicá-lo, qual foi a escolha dos Mesquita? A de que Marcus Moura foi contratado para ser a ponte com a saúde, o que, na prática, não significa nada demais

247 - O jornal Estado de S. Paulo, da família Mesquita, publica, nesta terça-feira, uma informação crucial e que, em tese, poderia retirar o ex-ministro Alexandre Padilha da fogueira em que foi atirado desde que a Polícia Federal vazou um trecho da Operação Lava Jato, em que o deputado André Vargas (sem partido-PR) dispara um torpedo para o doleiro Alberto Youssef, dizendo "foi o Padilha quem indicou", referindo-se ao executivo Marcus Cezar Moura, contratado pelo Labogen.

Esta frase aproximou o ex-ministro e pré-candidato do PT ao governo de São Paulo do escândalo do laboratório Labogen, acusado pela Polícia Federal de lavar US$ 113 milhões e de tentar entrar, sem dispor de qualificações, no Ministério da Saúde. Por isso mesmo, na última sexta-feira, Padilha concedeu entrevista coletiva para negar que tivesse indicado Moura para o cargo, prometendo ainda interpelar judicialmente o deputado André Vargas.

Pois bem: nesta terça, o Estado publica uma reportagem sobre o caso depois de ouvir Leonardo Meirelles, um dos sócios do laboratório. Eis um trecho:

"O sócio do negócio controlado por Youssef diz que o ex-assessor de Padilha não chegou por indicação do ex-ministro, mas sim de outro personagem do escândalo da Lava Jato. Segundo o sócio da Labogen, a indicação de Moura foi feita pelo fundo GPI Participações, controlado por Pedro Paulo Leoni Ramos, ex-ministro do governo Fernando Collor (1990-1992). Pedro Paulo, conhecido como PP, é suspeito de integrar o esquema de Youssef. "Ele (Moura) veio através desse fundo de investimentos. Não tive nenhuma influência (na contratação) e nenhum contato com o ex-ministro (Padilha)."

Qual poderia ser, portanto, a manchete do jornal desta terça-feira do jornal Estado de S. Paulo? "Sócio do Labogen nega que Padilha tenha indicado diretor". No entanto, qual foi a escolha editorial da casa chefiada pela família Mesquita? "Ex-assessor de Padilha era canal com Saúde, diz Labogen".

O que justifica essa decisão? O fato de Leonardo Meirelles ter dito que Marcus Cezar Moura foi contratado para fazer "contatos institucionais" com o Ministério da Saúde. Ora, se ele foi contratado como diretor de relações institucionais, exatamente por conhecer a estrutura do órgão, o que se esperava que ele fizesse? Ressalte-se que, qualquer grande empresa, seja na saúde ou em outras áreas, possui diretores de relações institucionais, que muitas vezes são chamados de lobistas, justamente para lidar com os poderes constituídos, seja no Executivo, no Legislativo ou no Judiciário.

Portanto, entre uma notícia relevante, que era favorável a Padilha, e uma irrelevante, que contribui para a cortina de fumaça em torno do caso, o jornal da família Mesquita optou pela segunda alternativa. Assim como também fizeram outros veículos de comunicação, como Folha, Uol e Globo.

Roda Viva

Ontem, o ex-ministro Padilha foi ao programa Roda Viva, onde teve a oportunidade de falar sobre o caso. “A única citação que é feita a mim (no relatório da PF) é por conversa de terceiros, alheios ao Ministério da Saúde. Fiz questão, inclusive, de interpelar formalmente a própria Polícia Federal para ter acesso ao relatório completo. E também meu advogado já foi para o Paraná hoje e amanhã chega a Brasília fazendo uma interpelação direta ao deputado André Vargas, porque naqueles trechos divulgados pela imprensa ele faz uma citação que não é verdadeira. Mente quem disse que indiquei o Marcus Cezar”, disse. 

Segundo ele, Vargas o procurou pessoalmente no fim do ano passado, propondo uma parceria entre o laboratório Labogen e o Ministério da Saúde: “Sou ministro da Saúde e recebo o vice-presidente da Câmara, inclusive eleito para esse cargo por outros partidos, entre eles os da oposição. E esse é o papel do ministro. Se existisse alguma irregularidade (na parceria), filtros que eu criei impediriam que isso pudesse acontecer”.
******
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/138163/M%C3%ADdia-tem-mas-esconde-not%C3%ADcia-favor%C3%A1vel-a-Padilha.htm