sexta-feira, 25 de abril de 2014

PADILHA DIZ QUE VAI À JUSTIÇA E DESAFIA VARGAS

25.04.2014
Do portal BRASIL247
*****
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/137877/Padilha-diz-que-vai-%C3%A0-Justi%C3%A7a-e-desafia-Vargas.htm

PETROBRAS DESMENTE MATÉRIA DE O GLOBO - JORNAL MUDOU MANCHETE PARA FUGIR DE PROCESSO

25.04.2014
Do BLOG DO SARAIVA

O Jornal O Globo e as Organizações Globo, em conjunto com outros veículos da imprensa, vem colocando em prática uma das mais sórdidas e repugnantes campanhas contra a PETROBRAS, e portanto, contra o BRASIL. Por motivos que vão dos seus interesse eleitorais ao campo financeiro, esses veículos, capitaneados pela Globo, DESINFORMAM, criam FACTÓIDES, inventam CIFRAS, PRÉ-JULGAM e CRIAM UM AMBIENTE de CAOS na empresa e no governo, o que absolutamente não corresponde à verdade.

Infelizmente, nem o GOVERNO e nem a PETROBRAS, tem reagido aos ataques com a firmeza necessária. Já passou da hora de ambos procurarem a JUSTIÇA para obter DIREITO DE RESPOSTA contra as calúnias e invencionices que promovem DESINFORMAÇÃO, e principalmente de SUSPENDER todos os contratos de PARCERIA e PUBLICIDADE com estes MONOPÓLIOS GOLPISTAS que são os meios de comunicação no Brasil. - Redação BONDeblog
Petrobras nega irregularidade em saque em conta de Pasadena


Nielmar de Oliveira - Agência Brasil - 24.04.2014 


A Petrobras informou, em nota, que “não foram constatadas quaisquer irregularidade” no saque de US$ 10 milhões da conta da Refinaria de Pasadena, no Texas, nos Estados Unidos, em uma corretora, conforme texto publicado hoje (24) pelo jornal O Globo. De acordo com a reportagem, a operação foi autorizada verbalmente em 2010.

Segundo a nota da estatal, a retirada foi identificada por meio de uma “auditoria de rotina” na Petrobras América e foi autorizada verbalmente por ser “uma atividade usual de trading (depósitos e saques em corretoras), o que é considerado normal. Esse trabalho de auditoria é rotineiro”.

A estatal informou que “foi acatada a recomendação da auditoria interna, no sentido de formalizar e arquivar a documentação de suporte relativa aos saques efetuados em contas mantidas em corretoras”.

A auditoria avaliou ainda a gestão de estoque de petróleo. Em relação à esse tema, a nota informa que “foram adotados controles reforçando o procedimento mensal de conciliação” e que a empresa “vem adotando medidas para correção dos problemas detectados”.

Conforme a reportagem, o saque ocorreu em 5 de fevereiro de 2010, quando as sócias Petrobras América e Astra Oil, companhia belga, que administravam a refinaria, travavam uma disputa judicial sobre a aquisição das ações remanescentes.
A compra de Pasadena, que resultou em um gasto de US$ 1,2 bilhão, desencadeou a instalação de uma CPI no Congresso Nacional para investigar a operação.
*****
Fonte:http://saraiva13.blogspot.com.br/2014/04/petrobras-desmente-materia-de-o-globo.html

CNTSS/CUT garante mais uma vitória e conquista a restituição dos valores descontados referentes à DPNI e VPNI

25.04.2014
Do portal da CNTSS.CUT, 24.04.14

Direção da CNTSS/CUT se reuniu com Ministério do Planejamento e assegurou que governo encaminhe emendas à MP 632 para regularizar definitivamente as questões sobre DPNI e VPNI


Reunião entre representantes da CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social e do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão marcou mais uma vitória dos trabalhadores com a garantia de devolução dos valores descontados dos servidores federais por conta das gratificações DPNI – Diferenças Pessoais Nominalmente Identificadas e VPNI – Vantagens Pessoais Nominalmente Identificadas. A conquista aconteceu durante o encontro realizado na sede do Ministério do Planejamento, em Brasília, na terça-feira (22/04).


O acordo firmado encerrou o ciclo de negociações que vinha sendo travado para recuperar este direito dos servidores federais do RJ, GO, AL, SE, MS, PE, DF e PB. Desde janeiro deste ano estes trabalhadores tiveram descontados em seus contracheques os valores referentes a estas gratificações. Na rodada de negociações desta terça-feira foi definida a restituição destes valores. O acordo foi firmado pelo secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça. Com isto, irá regulamentar, em definitivo, essas parcelas salariais que foram  frutos de acordos de greves de 2003 (INSS) e 2005 (Previdência e Saúde).


A proposta prevê a inclusão de um artigo na MP - Medida Provisória 632 (veja texto abaixo * ). O texto será encaminhado ao relator da MP, o senador Antônio Carlos Rodrigues. Esta previsto que a MP será votada na Comissão Especial já na seção de 29 de abril. Na sequencia será encaminhado para aprovação, ainda no mês de maio, no Congresso Nacional. Tanto o governo como os trabalhadores acreditam que a projeto estará aprovado em junho deste ano.

Artigo a ser incluído na MP 632:
Art. xxº As vantagens previstas no § 5º do art. 3º da Lei nº 10.855, de 1º de abril de 2004, e no § 5º do artigo 2º da Lei nº 11.355, de 19 de outubro de 2006, ficam transformadas, a partir de 1º de janeiro de 2014, em Diferença Individual, a ser paga nos valores relativos à competência de dezembro de 2013, efetivamente percebidos pelo servidor, e não servirá de base de cálculo de nenhuma vantagem ou gratificação, estando sujeita exclusivamente à atualização decorrente de revisão geral da remuneração dos servidores do Poder Executivo federal.

O presidente da CNTSS/CUT, Sandro Alex de Oliveira Cezar, que acompanhou todo o processo de negociação, avalia que os trabalhadores conquistaram uma grande vitória junto ao governo federal com a regulamentação destas gratificações. Para ele, isto foi possível por conta do grande esforço realizado pelos servidores e pelos dirigentes sindicais que realizaram uma grande discussão e mobilização em torno deste tema.


“Foram inúmeras reuniões e contatos feitos com parlamentares no Congresso Nacional, lideranças políticas e com os técnicos do governo federal. Foi um processo muito rico e que demonstrou a determinação dos envolvidos. Saímos deste ciclo de debates com o resultado que esperávamos, ou seja, que o direito dos trabalhadores fosse observado e que tivéssemos estas gratificações regulamentadas definitivamente. Felicito a todos pelo resultado que conseguimos obter,” destaca o presidente da Confederação.


A vitória deste encontro soma-se a outra que foi obtida na reunião anterior, em 16 de abril, quando o governo admitiu ser de natureza diferenciada as gratificações e que estaria enviando duas emendas para serem incorporadas à Medida Provisória 632, de 24/12/2013, que garantirão o recebimento permanente dessas parcelas salariais. Além dos valores debitados serem devolvidos aos trabalhadores, as emendas apresentadas pelo governo regulamentam definitivamente estas gratificações, não cabendo, desta forma, quaisquer questionamentos por parte do TCU – Tribunal de Contas da União e AGU – Advocacia-Geral da União.


A reunião desta semana contou com as seguintes participações: representando a direção executiva da CNTSS/CUT, Célio dos Santos, José Bonifácio do Monte e Mauro Plácido Ribeiro; pelo Sindsprev PE, Irineu Messias; pelo Sindsprev PB Heleno Teixeira e Aurelino Souza; pelo Sintsaúde RJ,  João Ribamar. O deputado federal Paulão (PT AL) e os deputados estaduais  Ronaldo Medeiros (PT/AL) e Isaltino Nascimento (PSB/PE), além do  vereador do Recife, Luiz Eustáquio (PT) que é também dirigente do Sindsprev PE.

Leia também: CNTSS/CUT conquista vitória junto ao governo federal e recupera direito às gratificações DPNI e VPNI

*****
Fonte:http://cntsscut.org.br/destaques/2126/cntss-cut-garante-mais-uma-vitoria-e-conquista-a-restituicao-dos-valores-descontados-referentes-a-dpni-e-vpni

É o Pré-Sal, meus camaradas! E a eleição...

25.04.2014
Do blog PALAVRA LIVRE, 23.04.14
Por Davis Sena Filho


Você quer saber de uma coisa: o que me emociona, o que me deixa confiante e satisfeito, o que me faz, a partir de agora, ter uma nova visão sobre os propósitos e a conduta da direita brasileira, da nossa generosa, isenta de preconceitos e democrática burguesia é, indelevelmente, sua enorme preocupação com os rumos e o destino da Petrobras, com o Brasil e com o povo brasileiro. Quando vejo homens do quilate moral e político de Aécio Neves, Agripino Maia, Álvaro Dias, Roberto Freire, José Serra, FHC — o Neoliberal I — e os tantos e quantos tucanos, demonistas e ex-comunistas do partido de aluguel conhecido como PPS, fico, realmente, a pensar: “Nossa! Como essa gente se preocupa com a Petrobras! Se preocupam de tal maneira que eu fico até comovido”.

E não é que de repente, não mais do que de repente, até mesmo os próceres e barões da imprensa-empresa também, em tom uníssono, começam a defender a Petrobras, o que me deixou completamente atônito, boquiaberto, porque ser surpreendido dessa forma não é para qualquer vivente comum, sem, antes, ter feito um exame completo no coração. Afinal, pessoas compromissadas com os interesses do País, com o povo brasileiro, a exemplo dos magnatas bilionários de todas as mídias em oligopólio, como o Octávio Frias, os irmãos Marinho (sempre esqueço os nomes deles), os filhos de Robert Civita, o Mesquita que tenta salvar o Estadão da falência, além de outros donos de empresas familiares espalhados de Norte a Sul pelo Brasil, realmente merecem todo o respeito e a atenção.

Há cerca de um mês tenho visto e ouvido uma verdadeira ode à Petrobras. O amor de espécies não tão raras porque ordinárias, como os tucanos, os demos, os ex-stalinistas de aluguel, juntamente com os magnatas bilionários da imprensa de negócios privados e seus empregados pela Petrobras é comovente, pois remonta o mesmo amor que seus ancestrais sentiram pela brasileiríssima estatal do petróleo nos idos anteriores à sua criação pelo estadista trabalhista Getúlio Vargas, em 1953, bem como em cerimônia de sua fundação até os dias de hoje. É uma beleza! Comove, sabe?  Nunca vi tanto pendor e nacionalismo.

Ao ler, ver e ouvir editoriais, matérias e opiniões dessa velha imprensa de mercado carcomida pelo tempo e corrompida pelos seus próprios interesses, percebe-se, rapidamente, que sua hipocrisia, cinismo e vocação para a manipulação e a mentira não tem limites. Para desconstruir a imagem do Governo trabalhista e macular a honra e a moral de lideranças petistas exemplificadas em nomes como o de Lula e Dilma, os tucanos e seus aliados, mancomunados com a imprensa alienígena que odeia secularmente o Brasil, tratam de atacar a Petrobras e, consequentemente, mexer com as emoções do povo brasileiro, que, desde antes de 1953 e durante a campanha do “O Petróleo é Nosso!” tem uma relação cívica com a megaempresa, que o leva ao sentimento de brasilidade e à condição de saber que é cidadão nacionalista. Sentimentos estes tão decantados pelos norte-americanos e elogiados pelas nossas “elites” colonizadas, provincianas e complexadas quando se trata de admirar o nacionalismo yankee.

Neste momento verme de ser e se sentir, os coxinhas infelizes e recalcados dessas paisagens tropicais fazem questão de esquecer a frase “O patriotismo é o último refúgio dos canalhas”. Porque para a nossa medíocre burguesia somente é permitido, ou seja, tolerado, o nacionalismo dos europeus colonizadores e dos EUA, que ela, entusiasmada, além de servil e subalterna, aprendeu a admirá-los por intermédio dos filmes de Hollywood e de enlatados que eram e são transmitidos pelas televisões. São tantos séculos de lavagem cerebral através de gerações de coxinhas burgueses, que se torna muito difícil para tais pessoas olharem para si com autoestima e o sentimento e desejo de compreender que o povo brasileiro é capaz, inteligente, competente, trabalhador e corajoso.

Afinal, somos empreendedores por natureza e sempre soubemos nos virar em momentos difíceis de nossas vidas, bem como do País. Além disso, controlamos um território continental, e este fato, podem acreditar, não é para qualquer povo, pois sabemos que muitos povos perderam territórios e até hoje lamentam perante a história. Todavia, o Brasil tem uma “elite” perversa, autoritária e egocêntrica. Poder-se-ia dizer que é uma classe dominante quase esquizofrênica, e que é capaz, como já foi comprovado, de apoiar e ser cúmplice de invasão de gringo para que ela possa, por exemplo, derrubar um governo eleito, e, dessa forma, locupletar-se com a nova ordem política e ideológica imposta à força, como ocorreu, inquestionavelmente, em 1964, quando a direita efetivou um golpe civil-militar, que durou o tempo de 21 anos.

A direita partidária, a burguesia e a pequena burguesia (classe média) em geral sabem disso e trataram logo de emplacar a Petrobras como alvo para que o Governo trabalhista seja desmoralizado e, por sua vez, sinta o peso de sua “desqualificação” como gestor em um ano eleitoral. Trata-se do vale-tudo das eleições e, se a Petrobras cresceu por ter investido muito em todas suas áreas e segmentos, não importa, porque o que está a valer é Pasadena, mesmo os tucanos e a imprensa-empresa receberem informações da presidente da estatal, Graça Fortes, que, no Congresso, não deixou pergunta sem resposta, mostrou dados, índices e números, o que não foi o suficiente para os conservadores, pois a verdade é que esse pessoal que odeia o Brasil quer mesmo que a Petrobras exploda, como sempre quiseram desde quando a estatal foi fundada.

Agora, a estratégia da direita, à frente o candidato-playboy, Aécio Neves, é judicializar mais uma vez um processo político-eleitoral, pois o PSDB, o DEM, o PPS e o PSB, do quinta coluna Eduardo Campos, além da imprensa de mercado, não querem que a CPI seja ampla, ou seja, que sejam investigados os casos de corrupção bilionária da Alstom e Siemens, em São Paulo, e do Porto de Suape, em Pernambuco. A direita e os traidores do PSB querem apenas que seja investigada a Petrobras. A petroleira multinacional é considerada a “Geni” dos reacionários, ficam a jogar pedras, porque querem um Brasil VIP para as classes privilegiadas e um povo cativo e longe de sua emancipação.

Contudo, não somos ingênuos e sabemos, sem sombra de dúvida, que essa gente da oposição, na verdade, objetiva concretizar seus desejos mais abissais e inconfessáveis... A luta político-eleitoral e as falsas polêmicas, acusações e denúncias vazias repercutidas pela imprensa alienígena e corporativa têm, irrefragavelmente, o propósito de atacar o modelo de partilha do Pré-Sal. Exatamente isto, meus camaradas: o Pré-Sal, como combustível dos ataques ao Governo trabalhista e à Petrobras é o que move a oposição partidária, os grandes grupos empresariais nacionais e estrangeiros, e, especialmente, os magnatas bilionários de imprensa (privada), que desejam ardorosamente a volta dos tucanos ao poder, e, por conseguinte, retomar o processo de privatizações, extinguir a maioria dos programas sociais, diminuir os investimentos em infraestrutura, saúde e educação, para, desse modo, atender aos anseios do mercado financeiro internacional e dos países considerados desenvolvidos, que perderam muito dinheiro e influência com a diplomacia independente e não alinhada aos Estados Unidos e à União Europeia efetivada pelos presidentes trabalhistas Lula e Dilma.
É o Pré-Sal, estúpido! Como já disseram. É ele que está em jogo. E se os campos de petróleo das bacias de Campos e Santos estão a sofrer questionamentos de tucanos fundamentalistas do mercado e da imprensa entreguista, pois quase conseguiram desmantelar a megaestatal para vendê-la, é sinal que o modelo de concessão dos tempos de Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal I — é o que agradava a todos aqueles que viviam da jogatina diária do mercado, bem como faziam com que os altos dirigentes das petroleiras internacionais em todo fim do dia abrissem champanhes para comemorar seus exorbitantes lucros e remessas em cima da riqueza brasileira, como o fazem até hoje quando auferem os lucros da Telebras e da Vale do Rio Doce, privatizadas e alienadas, pois vendidas por tucanos irresponsáveis e incompetentes a preço de banana.

É o Pré-Sal, coxinha de classe média com complexo de vira-lata e que pensa que vai ser um dia convidado para o baile dos ricos e depois bater com a cara na porta deles. É o Pré-Sal, pobre de direita, cuja maioria nem sabe o porquê de ser reacionário, mas compreende, lá no seu íntimo, que sua vida melhorou, em todos os sentidos, por causa dos governos trabalhistas e não por interferência dos governos do PSDB, que, além de irem ao FMI três vezes, humilhados, de joelhos, e com o pires nas mãos, não tiveram competência nem ao menos para criar empregos e, por sua vez, empregar o povo brasileiro.

Nem isso quanto mais elevar as reservas internacionais e colocar o Brasil em um patamar de importância internacional jamais experimentado em seus 514 anos de história. Ponto! O negócio é o seguinte: O senador tucano Aécio Neves no poder significa retrocesso e perda de investimentos, empregos e sossego. Exatamente isto: sossego. Porque ninguém vai ficar feliz ou satisfeito com o desemprego e o fim de dezenas de programas sociais que elevaram o padrão de vida do povo brasileiro, bem como permitiram o aumento exponencial do consumo, que, por seu turno, viabilizou a criação de empregos e também de pequenas e micros empresas, as maiores responsáveis neste País em criar postos de trabalho e gerar renda.

Aécio Neves representa o atraso, porque o novo que ele diz ser, na verdade, é mais velho e conhecido do que os currais eleitorais dos coronéis deste País. O novo é a revolução social silenciosa que o PT e os trabalhistas fizeram em apenas 12 anos. O povão sabe disso, pois passou a ter acesso ao que ele nunca pensaria um dia ter. Basta viajar, meus camaradas, pelo interior deste País para verificar o que eu afirmo, além de irem às favelas e às periferias para observar que até a vida dos miseráveis melhorou, afinal o IBGE constou que 36 milhões de pessoas saíram da miséria.

O Pré-Sal é do Brasil e não de um monte de burocratas fundamentalistas do mercado, a exemplo de Armínio Fraga, que pensam que a vida é feita de apenas números, gráficos e índices. Não mesmo. Atrás da matemática, da contabilidade, da administração e da economia existem pessoas com sonhos e desejos. Elas querem para seus filhos um mundo melhor e com serviços públicos de qualidade. E, terminantemente, não vai ser o PSDB de Aécio Neves e FHC, bem como seus aliados políticos, empresariais e midiáticos que vão favorecer o povo brasileiro.

Eles nunca fizeram isto. Jamais! Então, por que os emplumados colonizados agora o fariam? Por que este ano tem eleição? Não, meu camarada. A Casa Grande não ajuda a ninguém. Ponto! Em qualquer hora, lugar e tempo os proprietários da Big House vão continuar a edificar muros e valas para impedir o desenvolvimento sustentado e linear de todas as sociedades e nações. É o seu mais elementar vampiresco destino. Você não pode esperar da ferroada do escorpião a suavidade do sono quando te surpreende sem você perceber que dormiu.

Portanto, afirmo que a direita em qualquer parte do planeta quer um mundo usufruído por ela, que é conjunto das classes abastadas que ela representa. Por isto e por causa disto o ódio às camadas sociais mais baixas que ousaram, por intermédio de um governo popular e trabalhista, ascenderem, mesmo que modestamente, a uma vida de melhor qualidade.

Este é o real motivo de os ricos, os grandes conglomerados econômicos e financeiros e os partidos de direita, como o PSDB, detestarem o Lula, a Dilma, o Jango, o Brizola, o estadista Getúlio Vargas e a... Petrobras. Como as “elites” detestam o povo, automaticamente passam a detestar também a grande estatal brasileira e tudo aquilo que possa beneficiar o Brasil e diminuir seus poderes e influência.

O Pré-Sal é nosso! Já o teria dito, se fosse vivo, o escritor Monteiro Lobato. A CPI da Petrobras é mais uma farsa eleitoral. Realmente, estou muito comovido com o interesse e a preocupação dos tucanos e da imprensa de caráter golpista com o destino da Petrobras. É o Pré-Sal, meus camaradas! E a eleição. É isso a
*****
Fonte:http://davissenafilho.blogspot.com.br/2014/04/e-o-pre-sal-meus-camaradas-e-eleicao.html

Parquímetros substituirão antigos talões de Zona Azul na capital pernambucana

25.04.2014
Do blog MOBILIDADE URBANA, 23.04.14
Por Raphael Guerra
Zona Azul do Recife - Foto: DP/D.A.Press
Zona Azul do Recife – Foto: DP/D.A.Press
O Recife deve contar em breve com uma nova forma de pagamento de estacionamentos rotativos nas ruas em dias úteis da semana. A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) começou a estudar duas tecnologias para substituição dos tradicionais talões de papel da Zona Azul.
Uma delas é o parquímetro, que permite ao motorista acessar o sistema e, por meio de cartão de crédito, débito ou pré-pago, ativar a vaga em via pública. Outra forma em análise é o ticket eletrônico, que já está sendo testado, desde 2009, no Bairro do Recife – considerado o laboratório urbanístico da cidade.
O uso de novas tecnologias para pagamento da Zona Azul é uma cobrança antiga dos motoristas. A principal reclamação está relacionada à ação dos flanelinhas, pois alguns deles são acusados de ignorar o valor fixo do talão, cobrando quantias ilegais, extorquir os condutores e até danificar veículos – fugindo ao controle da prefeitura e da Polícia Militar de Pernambuco.
A presidente da CTTU, Taciana Ferreira, acredita que a mudança de formato deve inibir a abordagem dos flanelinhas nas ruas. “Esse não é nosso principal objetivo, mas é claro que haverá uma melhoria”, disse.
O uso do parquímetro no lugar dos talões de papel tem sido visto de forma positiva entre os diretores da CTTU. Isso porque, caso implementado, deverá ser aberta concorrência pública para que a empresa vencedora assuma a responsabilidade pelo sistema eletrônico, emissão dos comprovantes e pelo controle das vagas disponíveis estacionamento em vias públicas.
“Mas os guardas municipais vão continuar fazendo as fiscalizações nessas áreas para coibir as irregularidades”, pontuou Taciana Ferreira.O parquímetro é adotado nos Estados Unidos e em países da Europa. Em capitais brasileiras, como Porto Alegre e Florianópolis, o sistema também ganhou adesão. “Estamos estudando as experiências de outros estados para podermos decidir qual a mais indicada para o Recife”, citou a presidente da CTTU.
Já a Zona Azul Eletrônica, desenvolvimenta por meio de parceria entre a gestão municipal anterior e o Porto Digital, tem sido analisada sob o ponto de vista da ampliação do projeto piloto para outros bairros da capital, acabando definitivamente com os cartões impressos em papel.
Atualmente, esse sistema ainda possui limitações. O motorista só pode adquirir “vagas” por meio de cartão de crédito. Já fiscalização dos veículos no Bairro do Recife é feita por profissional da CTTU utilizando equipamento conectado à internet para verificar se o estacionamento foi pago.
******
Fonte:http://blogs.diariodepernambuco.com.br/mobilidadeurbana/2014/04/parquimetros-darao-lugar-aos-antigos-taloes-de-zona-azul-na-capital-pernambucana/

CPI: TUCANOS VENCEM NO STF. SURPRESA ?

25.04.2014
Do blog CONVERSA AFIADA, 23.04.14
Por Paulo Henrique Amorim

Ministra Weber prefere preterir maioria

Embora a maioria ​do Senado ​preferisse uma CPI ampla, para incluir os tucanos ​ do Yousseff​, a ministra Rosa Weber​,​ do STF, em liminar, deu vitória – oh ! que surpresa ! – aos tucanos: CPI, por enquanto ​,​ será da partilha da partilha.

​Fica estabelecido, portanto, que o Supremo agora assume o Legislativo.

Viva o Brasil !​

No G1:

MINISTRA DO SUPREMO MANDA SENADO INSTALAR CPI EXCLUSIVA SOBRE PETROBRAS


Rosa Weber atendeu a pedido formulado por senadores da oposição.
Governistas queriam ampliar abrangência da CPI; cabe recurso ao plenário.


(…)

Clique aqui para ler 
“Procurador quer enforcar Dilma e Dirceu”

Aqui para 
“Escárnio: outro tucano escapa do mensalão”

Aqui para 
“Câmara pune grão-tucano”

E aqui para 
“Barbosa quer Dirceu no RDD”
*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/04/23/cpi-tucanos-vencem-no-stf-supresa/

WANDERLEY DESNUDA GLOBOPE E DATAFALHA

25.04.2014
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

“Rompendo o tédio da rotina dos questionários elaborados pelos institutos de pesquisa, formulei seis perguntas cujos resultados me interessariam conhecer”

​O Conversa Afiada reproduz da Carta Maior artigo impecável do professor Wanderley Guilherme dos Santos,​​ com o bisturi da lógica, descarna a parcialidade agourenta (não é Bessinha ?) do Globope e do Datafalha: ​

AS PERGUNTAS QUE NÃO SÃO FEITAS NAS PESQUISAS ELEITORAIS


Rompendo o tédio da rotina dos questionários elaborados pelos institutos de pesquisa, formulei seis perguntas cujos resultados me interessariam conhecer.



Pesquisas de opinião são orientadas, claro, e as eleitorais não constituem exceção. Se alguém deseja saber quem prefere maçã ou banana deve perguntar justamente isso, sem confundir o pesquisado com as opções de abacaxis e mangas. Muitas pesquisas eleitorais desorientam os entrevistados ao introduzir opções que nada mais são do que abacaxis e mangas, nomes de candidatos sabidamente estéreis no contexto eleitoral efetivo. Obtêm-se antes de tudo uma idéia da dispersão aleatória da preferência eleitoral, não as escolhas sólidas a aparecer com perguntas focadas no que está, de fato, em jogo.  Mas nada impede que se investigue se o freguês é mais afeito a frutas ácidas ou cremosas – um tanto mais geral e inespecífica do que a pergunta anterior.

Com maior ou menor generalidade o que importa é que há um mundo de interrogações adequadas ao conjunto das frutas, todas legítimas, respeitadas modestas regras de lógica. Simples, mas esquecido quando os institutos divulgam seus resultados, aceitos com sagrada intimidação. Na verdade, os mesmos tópicos das pesquisas podem ser investigados por inquéritos variados, nada havendo de interdito no terreno do mexerico.

Em pesquisas de opinião são fundamentais a representatividade da amostra dos pesquisados, a correção dos questionários e, concluindo, a leitura dos resultados. É intuitivo que em uma comunidade onde 99% são religiosos o inquérito não pode concentrar-se no 1% restante, exceto se o pesquisador estiver interessado justamente na opinião da extrema minoria de agnósticos que ali vivem. Isto respeitado, tudo bem quanto à representatividade dos números.

Mas a leitura dos resultados pode ser marota. Jogando uma moeda para o ar centenas de vezes, o número de experimentos em que ao cair a moeda mostrará a “cara” tende a ser o mesmo número de “coroas”. Ignorando quando e porque acontece uma ou outra coisa, deduz-se que a probabilidade de dar “cara” ou “coroa” é de 50%, ou seja, metade das vezes uma, metade, a outra. Em certos convescotes essa peculiaridade é chamada de “acaso”.

Mas essa é uma probabilidade diferente da que indica o futuro do clima, por exemplo. As chances de que chova nas próximas 48 horas não é derivada diretamente de uma série de 48 horas do passado, mas das condições em que milhares de 48 horas foram chuvosas: umidade do ar, regime de ventos, formação de nuvens, etc. explicam com relativo grau de precisão (a probabilidade) as variações climáticas. O que justifica o probabilismo é o conhecimento das particularidades associadas ao aparecimento do fenômeno “chuva”, não o mero fato de sua repetição. 

Pois a probabilidade derivada de uma série de pesquisas eleitorais não importa quando é análoga à do jogo “cara” ou “coroa”, não à dos prognósticos atmosféricos. De onde se segue serem um tanto marotas as previsões de resultados eleitorais apoiadas em séries históricas, por mais extensas que sejam. A diferença é ontológica: uma eleição não é um jogo de “cara” ou “coroa”. A seguir, uma crítica, digamos, construtiva.  

Rompendo o tédio da rotina dos questionários elaborados pelos institutos de pesquisa, formulei seis perguntas cujos resultados me interessariam conhecer. Aí vão:

1 – o Sr(a) prefere:
a) continuar com a presidenta atual (Dilma Roussef)
b) voltar ao governo do PSDB (Aécio Neves)
c) indiferente

2 – o Sr(a) votaria em alguém que:
a) defende a manutenção do emprego de quem trabalha
b) promete medidas impopulares
c) indiferente

3) – o Sr(a) apóia o controle nacional do petróleo do pré-sal?
a) sim
b) não 
c) indiferente

4) – A oposição atual representa seu ideal de governo?
a) sim
b) não
c) indiferente

5) Em relação à distribuição de renda o Sr.(a) é:
a) a favor
b) contra
c) indiferente

6) Os atrasos na conclusão de aeroportos e estádios demonstram que:
a) a iniciativa privada não é confiável
b) há sempre imprevistos em grandes obras
c) indiferente

Escolhi agregar todos os votos “não sei/prefiro não responder”, brancos e nulos em uma única opção porque estou interessado somente nas escolhas claras. E indiquei o nome de dois candidatos na pergunta 1 porque este é o desenho do questionário e, conforme o manual da boa pesquisa, o entrevistado deve estar de posse das informações relevantes para responder corretamente. Naturalmente, os entrevistados com preferência por outros nomes ou por nenhum estariam representados na resposta c. 

O diabo é que ninguém acredita que os questionários dos institutos são apenas uma aproximação do que os eleitores perguntam a si mesmos, na hora do vamos ver. Por isso suas pesquisas ao final de uma corrida eleitoral se tornam mais diretas e econômicas, reduzindo o percentual de erro. Ainda assim, por vezes o palpite estatístico é desastrosamente equivocado. É quando o instituto, ao contrário de tentar replicar o que pensa o eleitor, busca fazer com que o eleitor pense como ele. Não dá certo.


Clique aqui para ler “Coimbra, o Globope e o subdesenvolvimento”
*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/04/25/wanderley-desnuda-globope-e-datafalha/

Universidade de Coimbra é a 1ª fora do Brasil a usar a nota do Enem

25.04.2014
Do BLOG DO SARAIVA

“Uma das escolas mais antigas do mundo, a Universidade de Coimbra (Portugal) decidiu aceitar as notas de estudantes brasileiros no Enem como forma de acesso às suas vagas.
É a primeira instituição fora do Brasil que utilizará o exame nacional do ensino médio como forma de seleção de calouros.
Até então, os brasileiros interessados na escola portuguesa tinham de fazer uma prova da própria instituição.
A Universidade de Coimbra foi fundada em 1.290. Apesar da tradição, ela não aparece com destaque nos principais rankings internacionais.
Na lista britânica Times Higher Education, por exemplo, a escola não aparece nem entre as 400 melhores -USP e Unicamp estão nessa relação.
A mensalidade na universidade é de 700 euros (R$ 2.100). Os alunos aceitos com base na nota no Enem começarão a estudar no segundo semestre deste ano. Há cursos como administração, direito, engenharia e medicina dentária (odontologia).”

QUINTA-FEIRA, 24 DE ABRIL DE 2014

Batata de 'O Globo' assa com manchete falsa. Jurídico da Petrobras precisa ir pra cima.


O jornalão "O Globo" impresso de madrugada e que foi para as bancas estampou a manchete falsa: "Escândalo de Pasadena: Auditoria descobre saque de US$ 10 milhões sem registro".

É falsa porque registro é posterior ao próprio saque, e a reportagem descreve outra coisa.

Saque sem registro é sinônimo de desfalque ou de caixa dois ou algo parecido. Uma acusação gravíssima, que o próprio texto da reportagem desmente.

Horas depois, o jornalão deve ter sentido que pesou a mão ao fazer campanha política demotucana e já suavizou o título no site na internet para evitar processos. A Manchete passou a ser "Auditoria mostra que US$ 10 milhões saíram de conta de Pasadena com autorização verbal".

Autorização verbal de um saque nada tem a ver com "sem registro". Com certeza há registros contábeis e financeiros nos próprios extratos. 

Até você pode autorizar verbalmente um resgate no seu banco da poupança para a conta corrente por telefone, e ele estará registrado em seu extrato.

Aí vamos ao texto da reportagem e encontramos essa pérola:
O pente-fino da Gerência de Auditoria de Abastecimento da Petrobras revelou a existência de um saque de US$ 10 milhões em 5 de fevereiro de 2010, sem documento que o autorizasse.
(...)
O relatório de auditoria sobre o estoque de óleo é o R-1111/2010, elaborado pela Gerência de Auditoria de Abastecimento, com data de 29 de março de 2011. O episódio do saque está descrito no item 3: “Falta de autorização documental para saque em corretora”. Os US$ 10 milhões foram retirados da conta da refinaria numa corretora, a MF Global, que entrou com pedido de falência em 2011.
Vamos desenhar:

5-fev-2010: O financeiro da refinaria manda resgatar uma aplicação do dinheiro da empresa aplicado em uma Corretora de Valores (instituição financeira regulamentada). A ordem foi verbal. Não tenho acesso aos documentos, mas aposto que o tal saque foi uma transferência de fundos da Corretora para uma conta bancária (ou semelhante) da Refinaria. Pois não tem como sumir com US$ 10 milhões nos Estados Unidos sem receber uma visita da Receita Federal e do FBI de lá.

2011: A tal corretora MF Global foi à falência. Ou seja, se a Refinaria não tivesse resgatado a aplicação, aí sim os US$ 10 milhões teriam ido para o vinagre e seria motivo para abrir uma investigação seríssima. Quem mandou resgatar, pelo menos pelo que descreve a reportagem, fez a coisa certa.

O que a auditoria diz, segundo a reportagem, é apenas que
“A falta de documentação prejudica o controle e acompanhamento de transações (...) A autorização verbal, conforme informação da unidade, não encontra amparo em norma interna nem nas boas práticas de controle interno”.
.
Os auditores recomendam, então, que a gestão da refinaria de Pasadena passe a formalizar e arquivar a documentação referente aos saques feitos em contas mantidas em corretoras. Conforme a resposta da PRSI, incluída no relatório, ficou acordado com a área financeira que não haveria mais “nenhuma autorização de pagamento ou movimentação financeira de forma verbal”.
Segundo a própria reportagem, não há qualquer menção a desvio de dinheiro, nem desfalque, nem nada parecido. Só reclama da falta de documentar por escrito as autorizações de resgate de aplicações em corretoras. Em nenhum momento fala que tais saques não aparecem nos extratos. E, com certeza, estão nos registros contábeis, senão a auditoria teria que apontar isso. Aliás se o "saque" não estivesse nos registros contábeis e financeiros, a auditoria nem saberia que houve o saque. Primeiro daria falta do dinheiro no saldo da empresa.

O Globo está apenas criando factóides sem importância nenhuma e dando assunto para a oposição seguir na estratégia eleitoral de "sangramento" da presidenta Dilma.

Na verdade, para o leitor que não é tolo, a leitura da reportagem é a seguinte: o Globo teve acesso a uma auditoria de 29 de março de 2011, procurou, procurou e não encontrou nada que mereça atenção.

O tratamento que a imprensa vem dando a Petrobras já ultrapassou os limites políticos. A Petrobras é uma empresa estatal mista, que também tem ações negociadas no mercado, tem uma marca de 60 anos a zelar, e uma gestão técnica tem obrigação de acionar o Departamento Jurídico para exigir direito de resposta exemplar diante de difamações e molecagens. Conforme o caso, cabe também processo de indenização.

Vê se esses jornalões e TV's fazem molecagem com marcas famosas de refrigerantes, de cerveja, de carros, de bancos privados quando há alguma notícia negativa sobre estas empresas. Tomam o maior cuidado, isso quando falam alguma coisa. É porque sabem que falar sem provar provoca indenizações milionárias por danos e outras sanções civis e criminais. Pois a Petrobras tem agir como estas outras empresas.

Outras molecagens jornalísticas do jornalão:

No subtítulo, a denúncia do doleiro Youssef e mais seis não teve ligação com a Petrobras e muito menos com Pasadena para estar ali como subtítulo. O mesmo ocorre com o deputado André Vargas. Nem nos grampos divulgados tem qualquer menção à qualquer coisa envolvendo a Petrobras, pelo menos até agora.
******
Fonte:http://saraiva13.blogspot.com.br/2014/04/universidade-de-coimbra-e-1-fora-do.html