quinta-feira, 17 de abril de 2014

CNTSS/CUT conquista vitória junto ao governo federal e recupera direito às gratificações DPNI e VPNI

17.04.2014
Do portal da CNTSS/CUT
Por José Carlos Araújo*

Governo garante enviar ao Congresso Emendas à MP 632 que regulamentará, em definitivo, a DPNI/VPNI dos servidores do INSS, Previdência e Saúde, resultantes dos acordos de greves de 2003 e 2005

A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social conquistou uma importante vitória para os servidores públicos federais dos Estados do RJ, GO, AL, SE, MS, PE, DF e PB. Depois de intensa discussão com o governo federal, os representantes do Ministério do Planejamento admitiram, em reunião realizada na quarta-feira, 16/04, em Brasília, ser de natureza diferenciada  as gratificações da DPNI – Diferenças Pessoais Nominalmente Identificada e VPNI – Vantagens Pessoais Nominalmente Identificada dos  servidores. Com isto, irá regulamentar, em definitivo, essas parcelas salariais que foram  frutos de acordos de greves de 2003 (INSS) e 2005 (Previdência e Saúde). A proposta fará justiça aos trabalhadores que tiveram descontados desde janeiro deste ano os valores referentes estas gratificações em seus contracheques.

A medida foi anunciada pelo secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão, Sergio Mendonça. Também estavam presentes à reunião representando o governo a secretária adjunta da pasta, Edina Maria Rocha Lima, e Vladimir Nepomuceno, assessor de gabinete. De acordo com Mendonça, o governo apresentará emendas à Medida Provisória 632, de 24/12/2013, que garantirão o recebimento permanente dessas parcelas salariais, que será denominada Diferença Individual.  (veja teor completo da emenda publicado abaixo).


A avaliação é que não haverá problemas para aprovação no Congresso Nacional da proposta apresentada pelo governo. A notícia divulgada pelo secretário foi avaliada como positiva pelos representantes dos trabalhadores. Porém, os dirigentes da Confederação destacaram a necessidade que seja apresentada uma proposta que garanta a retroatividade no ressarcimento dos valores descontados dos servidores.

 

A uma avaliação que a tramitação da MP poderá se estender até o final do semestre, com as gratificações sendo revistas a partir de junho ou julho, acarretando um prejuízo muito grande aos trabalhadores, o que foi objeto discordância por parte dos representantes dos servidores durante a reunião. Por conta disto, uma nova rodada de negociação acontecerá na próxima terça-feira, 22 de abril.

Para o presidente da CNTSS/CUT, Sandro Cezar, a reunião foi boa, pois permitiu ser dado o primeiro passo para o restabelecimento da DPNI e da VPNI para os trabalhadores das carreiras da Previdência, Saúde e do Seguro Social. “O aspecto importante é que a solução apresentada pelo governo remete a uma situação definitiva. Acaba, assim, com a possibilidade de judicialização contra os trabalhadores. Com ela, ocorre a impossibilidade de que o TCU – Tribunal de Contas da União venha a retirar novamente os direitos dos trabalhadores. Falta agora equacionar o pagamento retroativo dos valores descontados, que esperamos poder resolver este assunto na reunião da próxima semana”, destaca.

Clique sobre a imagem e assista a entrevista

De acordo com Mauro Plácido Ribeiro, que também representava a Confederação e o Sindsprev PB, a redução destes valores, principalmente para os trabalhadores do Nordeste, era uma situação que se arrastava há algum tempo. A CNTSS/CUT já havia se reunido com os representantes do Ministério em outras oportunidades para debater este problema. “Hoje o governo reconheceu que houve um erro em descontar estes valores. E a realização deste acordo com a apresentação das emendas evitará que tenhamos problemas futuros com a CGU e AGU. Vejo que demos um passo a mais para que cheguemos a um final feliz nesta questão. Estamos confiantes que na próxima semana também poderemos celebrar um acordo que garanta o pagamento dos valores descontados de forma a garantir a retroatividade,” conclui.

Também estavam presentes à reunião representando a direção executiva da CNTSS/CUT, Célio dos Santos, José Bonifácio do Monte e Mauro Plácido Ribeiro; pelo Sindsprev PE, Irineu Messias; pelo Sindsprev PB Heleno Teixeira e Aurelino Souza; pelo Sintsaúde RJ,  João Ribamar. O deputado federal Paulão (PT AL) e os deputados estaduais  Ronaldo Medeiros (PT/AL) e Isaltino Nascimento(PSB/PE), além do  vereador do Recife, Luiz Eustáquio (PT) que é também dirigente do Sindsprev PE, participaram do encontro.

 

*Assessoria de Imprensa CTSS/CUT

*****
Fonte:http://cntsscut.org.br/destaques/2123/cntss-cut-conquista-vitoria-junto-ao-governo-federal-e-recupera-direito-as-gratificacoes-dpni-e-vpni#ad-image-27

Governo admite erro e apoia volta da gratificação da Seguridade Social

17.04.2014
Do blog CADA MINUTO, 16.04.14
Por Assessoria
Em reunião nesta quarta-feira (16), representantes do governo federal admitiram erro no corte das gratificações dos trabalhadores em Seguridade Social e apoiaram emendas à Medida Provisória 632/2013. As emendas vão garantir o retorno das vantagens que foram suprimidas em janeiro deste ano. O deputado federal Paulão (PT/AL), que participou da audiência entre sindicalistas e o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), informou que houve um avanço nas negociações, ficando pendente apenas a questão da retroatividade para janeiro. Isso porque a depender do tempo normal de tramitação da MP, as gratificações só deverão ser efetivadas a partir de junho ou julho.

 “O maior problema já foi equacionado. O governo reconheceu o erro praticado contra a categoria. No Congresso Nacional não haverá obstáculo para aprovar o texto. Agora o que está em jogo é garantir, também, que a resolução seja retroativa”, destacou Paulão.

O deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT/AL), que é servidor da Previdência, também participou das negociações e defendeu o pagamento das gratificações já descontadas dos trabalhadores da Previdência, do INSS e do Ministério da Saúde, bem como a garantia legal para a continuidade dessas vantagens no futuro.  

Participaram da negociação Sérgio Mendonça, secretário das relações de trabalho do MPOG, e Edina Maria Rocha, sua secretária adjunta, além de sindicalistas de Alagoas, Pernambuco e Paraíba, e do presidente da  Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social (CNTSS),  Sandro Alex.

O  vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores  em Seguridade Social do Estado de Alagoas (Sindprev),  Célio dos Santos, ressaltou que com os entendimentos desta quarta-feira ficou restabelecida a confiança dos servidores no governo federal, que se comprometeu em dar andamento  às emendas e buscar alternativas para pagar os meses que ficarem  de fora da MP, uma vez que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) impede que a retroatividade das  gratificações denominadas Vantagens Pessoais Nominalmente Especificadas (VPNE) e Diferenças Pessoais Nominalmente Especificadas (DPNE) seja tratada na Medida Provisória.
****
Fonte:http://cadaminuto.com.br/noticia/245077/2014/04/16/governo-admite-erro-e-apoia-volta-da-gratificacao-da-seguridade-social#.U1AbVuap16Q.email

MEGACURIOSO:Como era a vida antes da invenção do papel higiênico?

17.04.2014
Do blog MEGACURIOSO

Essa é uma pergunta bizarra com respostas mais bizarras ainda – confira!
Fonte da imagem: Reprodução/mashable Como era a vida antes da invenção do papel higiênico?




Só quem já passou por alguns apertos intestinais em algum banheiro com pouco ou sem papel higiênico dá o valor merecido a esse item de quase sobrevivência do mundo moderno. Vale lembrar uma coisa: nem sempre existiu papel higiênico, e, se você é minimamente curioso, talvez já tenha se perguntado: afinal, como eram as coisas antigamente?

Só para começar em grande estilo, saiba que os povos da Grécia Antiga tinham o costume de se limpar com pedras e argila. Já na Roma Antiga, a coisa era mais comunitária: aqueles caras usavam uma espécie de esponja presa a uma vara para se limpar. Detalhe: o material era usado por várias pessoas diversas vezes. Quando não estava em uso, a esponja ficava mergulhada em água do mar, no banheiro comunal.

Aliás, os banheiros da Roma Antiga eram equipados com bancos de mármore com um furo ao meio. Os banheiros eram comunitários e sem divisões, então havia sempre várias pessoas fazendo necessidade umas ao lado das outras. Que bacana, não é?

Banheiro comunitário da Roma Antiga. 
Fonte da imagem: Reprodução/wikipedia

Já em 1391, durante a Dinastia Song, na China, as pessoas “comuns” utilizavam qualquer pedaço de papel para limpar seus bumbuns. O imperador, porém, era mais exigente e decretou que seus momentos de troninho mereciam ser acompanhados de um papel com medidas de 60 cm por 90 cm. Coisa pouca.

Na América Colonial as coisas também não eram muito modernas e os britânicos criadores de colônias na América do Norte trouxeram para os lados de cá um costume diferente no quesito higiênico da coisa: sabugos de milho. A novidade não foi muito bem recebida e logo as pessoas começaram a perceber que o bom e velho jornal de ontem serviria como papel higiênico.

Alguns catálogos tinham até mesmo um furinho na lateral superior, ideal para deixa-los pendurados nas casinhas com privadas que, óbvio, eram aquelas que ficavam do lado de fora das residências.

Fonte da imagem: Reprodução/marie-hanrahan

A descarga como você conhece hoje não existia, logicamente, e só foi inventada em 1596, pelo neto da rainha Elizabeth I. E mesmo depois da criação da descarga, o papel higiênico ainda não existia e só começou a circular em 1857.

O item é, finalmente, utilizado por quase toda a população mundial – só os EUA consomem mais de 7 bilhões de rolos de papel higiênico por ano! Mas ainda tem muita gente que faz suas necessidades em locais inóspitos e sem acesso a itens de higiene, não se iluda.

Existem, também, pessoas que não usam papel higiênico por opção, como em algumas regiões da Índia, onde o costume é limpar o bumbum com a mão esquerda. Há também quem acredite que o melhor jeito de manter a limpeza traseira em dia seja com água, sem papel. E aí, o que você acha disso?
*****
Fonte: http://www.megacurioso.com.br/historia-e-geografia/42911-como-era-a-vida-antes-da-invencao-do-papel-higienico-.htm?utm_source=afterdownload&utm_medium=baixaki