segunda-feira, 8 de setembro de 2014

PML: "manchete do Globo é falsa como nota de 3 reais"

08.09.2014
Do portal BRASIL247
 
:

"Campanha da Dilma muda após delação de corrupção milionária", diz título da primeira página do jornal desta segunda-feira; mas as mudanças na equipe, conforme esclarece Paulo Moreira Leite, diretor do 247, já haviam sido definidas antes de virem à tona as denúncias do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em delação premiada; "Se trata de notícia velha e errada", escreve PML

247 – A manchete principal do jornal O Globo noticiou nesta segunda-feira 8 que a equipe de campanha da presidente Dilma Rousseff sofreu alterações após as denúncias de corrupção feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. As alterações, no entanto, já haviam sido anunciadas por conta do cenário político, que mostrava alta da adversária do PSB, Marina Silva, nas pesquisas. Sobre o assunto, uma nota crítica do jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília:

Globo publicou notícia falsa como nota de 3 reais

"Campanha da Dilma muda após delação de corrupção milionária", disse a primeira página do jornal.

Conforme o Globo, a entrada do ministro Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário, na coordenação da campanha de Dilma foi realizada como uma resposta às denúncias de Paulo Roberto da Costa. Segundo sua versão, a chegada de Rossetto teve como finalidade enfraquecer o deputado Rui Falcão, presidente do PT, que pertence a mesma corrente petista ligada ao escândalo da Petrobras".

O problema é que se trata de notícia velha e errada. "PT monta força-tarefa para enfrentar alta de Marina," disse manchete do Estado de S. Paulo, na manhã sexta-feira, vinte e quatro horas antes da VEJA chegar as bancas com a reportagem sobre a delação premiada.

Três dias antes do Globo, o Estadão noticiou -- na primeira página -- que a equipe de Dilma seria reforçada não apenas por Miguel Rossetto, mas também por Gilberto Carvalho e por Ricardo Berzoini. Não havia notícias confirmadas sobre a delação premiada, naquele momento. A VEJA sequer chegara às bancas. Havia sim uma nova situação política.

Poucas semanas depois da tragédia que matou Eduardo Campos, quando Marina Silva já havia ultrapassado Aécio Neves, a campanha de Dilma procurava ampliar-se e ganhar reforços.

Para supor que a entrada de Miguel Rossetto pudesse representar o crescimento de uma tendência no comando da campanha implica em ignorar as proximidades e conexões dos outros ministros que chegaram com Rossetto, na mesma leva.

Jornais do mundo inteiro cometem erros. O curioso é cometer um erro tão fácil de ser evitado, pois estava na manchete do Estado de S. Paulo, publicação que compete com o Globo e com a Folha pela posição de liderança dos grandes jornais brasileiros.

Os mais inteligentes analistas dos erros da imprensa não ficam indignados com a publicação de notícias falsas. Sabem que errar é humano. Apenas lembram que o mais instrutivo é perguntar por que notícias erradas acabam saindo, quando era tão fácil trocar a informação errada pela certa. Basta perguntar quem ganha com o erro.
******
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/152769/PML-manchete-do-Globo-%C3%A9-falsa-como-nota-de-3-reais.htm
Postar um comentário