Pesquisar este blog

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

STF A UM PASSO DE ENTERRAR REPÚBLICA DAS EMPREITEIRAS

12.12.2013
Do portal BRASIL 247
*****

Estrela anã branca gira a cada 13,2 segundos e está condenada à ‘morte’

12.13.2013
Do portal JORNAL CIÊNCIA, 27.04.13
Por TAMARA LOPEZ
A estrela anã branca denominada RX J0648.0-4418 está destinada a girar até a ‘morte’.
De acordo com os cientistas que rastreiam as atividades dessa estrela, o corpo celeste leva apenas 13,2 segundos para girar uma única vez em torno de seu eixo. Essa é considerada a rotação mais rápida já observada em uma estrela desse tipo.
Todas as estrelas com até 10 Msol (esta é uma unidade de medida de massa do Sol usada na Astronomia, que também pode representar a massa de galáxias e corpos de grandes dimensões), irão terminar como anãs brancas. Isso acontece, porque todo o hidrogênio que essas estrelas possuem é queimado em hélio. Porém, antes de se tornarem anãs brancas, elas passam por vários estágios incluindo a fase de gigante vermelha e nebulosa planetária.
Uma típica anã branca tem aproximadamente 0,6 massas solares, e geralmente possui tamanho maior que a Terra. A velocidade em que essa anã branca gira é tão surpreendentemente rápida, que se a Terra conseguisse de alguma forma girar na mesma velocidade, as pessoas e animais seriam instantaneamente arremessados no espaço, bem como os oceanos, as montanhas e a crosta. Isso aconteceria porque com tamanha velocidade, a Terra não conseguiria manter a sua gravidade. Já na estrela, devido a sua alta densidade, a gravidade acaba permanecendo coesa.
O que os cientistas querem descobrir agora, é porque essa anã branca gira tão rápido. A hipótese até agora mais aceita, é de que a gigante vermelha HD 49798 que está próxima a anã branca, poderia estar influenciando na sua rotação. Além disso, a HD 49798 já se encontra no final de sua vida, o que significa que em breve ela irá expelir suas camadas externas, e a anã branca, por estar muito próxima, acabará capturando essa matéria, ultrapassando o limite de massa que ela mesma suporta, isto é, a anã branca logo chegará ao fim.
Embora seja esse o motivo previsto para a morte da estrela, os cientistas não conseguem determinar ainda qual é a sua composição, o que ajudaria a entender exatamente como a anã branca irá morrer. que se pode fazer, até então, é especular, e segundo os cientistas, se a anã branca for composta de oxigênio e carbono, haveria uma reação explosiva termonuclear, gerando assim, uma supernova. Essa explosão poderá ser vista a olho nu, devido a sua proximidade, mas não se sabe quando exatamente isso vai acontecer. Quando a estrela se torna uma supernova, ela se transforma em um corpo muito brilhante, que após algumas semanas ou meses declinam até se tornarem invisíveis, desaparecendo completamente.
Entretanto, se essa estrela anã branca for composta de neônio e oxigênio, ela entrará em colapso, e a sua explosão, de acordo com cientistas, não será tão fascinante quanto à primeira hipótese, caso seja composta por oxigênio e carbono.
*****

“Mundo da Lua”: Alckmin continua falando em “texto alterado”

12.12.2013
Do blog TIJOLAÇO
Por  Fernando Brito

peroba
O governador Alckmin continua se fazendo de perdido no espaço.
Hoje, ao visitar obras da Linha Lilás-5 do Metrô, ele repetiu a cantilena de que  a era falsa a tradução de uma carta anônima escrita em inglês e enviada e ao ombudsman da Siemens, levou a empresa a denunciarem licitações dos metrôs de São Paulo e Brasília.
Doutor, o autor da carta já depôs à Polícia Federal e confirmou todo o seu teor. O senhor não leu no jornal?
O senhor diz que parte da denúncia tem ”objetivo nitidamente político eleitoral”.
Qual parte, Doutor?
O pagamento de propina? A Justiça da Suíça é colaboradora do PT? A Siemens é cabo eleitoral do Padilha?  O ex-diretor da multinacional é esquerdista e resolveu detonar os tucanos por razões ideológicas?
Qual foi a providência prática que o Governo de São Paulo tomou para esclarecer se houve ou não superfaturamento?
O senhor quer uma apuração rápida, como, se o Governo do Estado sabia há cinco anos anos de possíveis irregularidades e nunca tomou providências, deixando o procurador Rodrigo de  Grandis esquecer na gaveta os pedidos de investigação vindo da Suíça?
*****

Julgamento é suspenso com 4X0 pelo fim das doações de empresas

12.12.2013
Do portal da AGÊNCIA CARTA MAIOR, 
Por Najla Passos

Com quatro votos favoráveis, o julgamento da ação proposta pela OAB contra as doações de empresas em campanhas foi interrompido na tarde desta quinta.

Felipe Sampaio/STF
Brasília - Com quatro votos favoráveis, o julgamento da ação direta de inconstitucionalidade proposta pela OAB contra os dispositivos legais que permitem o financiamento de campanhas eleitorais por empresas foi suspenso, na tarde desta quinta (12), em função de pedido de vistas do ministro Teori Zavascki.

Mas a divergência já foi aberta pelo ministro Gilmar Mendes que, embora ainda não tenha proferido seu voto, defendeu com unhas e dentes o atual sistema eleitoral brasileiro. Segundo ele, a adoção do financiamento público de campanha só favorecerá o projeto do PT de se eternizar no poder. Números e dados apresentados pelos demais ministros, porém, refutam a tese.

A ação proposta pela OAB pede a proibição das doações feitas por pessoas jurídicas e o estabelecimento de teto para doações de pessoas físicas e gastos dos próprios candidatos, como forma de dirimir o abuso do poder econômico nas eleições brasileiras, uma das mais dispendiosas do mundo. Todas entidades da sociedade civil que se manifestaram no julgamento, iniciado nesta quarta (11), são favoráveis ao pleito. 

Os quatro ministros que votaram até o momento – Luiz Fux, Joaquim Barbosa, Dias Toffoli e Luiz Roberto Barroso – acataram a tese central, com divergências pontuais. Fux, o relator, concorda com a OAB de que é preciso estipular um prazo de dois anos para que o Congresso regule o teto das doações de pessoas físicas. Barbosa, presidente da corte, defendeu que a mudança passe a valer já.

Toffoli, deixou para decidir sobre a concessão ou não de prazo ao final dos debates. Barroso, por fim, preferiu não declarar a inconstitucionalidade de toda participação de pessoas jurídicas no processo eleitoral, mas apenas no modelo atual, que classificou como desigual.

Até o momento, o único a se opor à mudança é o ministro Gilmar Mendes. Durante os debates, ele defendeu a tese de que o fim do financiamento das empresas interessa ao governo atual, que poderá abusar da propaganda institucional sem que a oposição tenha como conseguir verba, por meio das doações de empresas, pra lhe fazer frente.

O argumento, entretanto, foi prontamente rebatido por Dias Toffoli, que apresentou dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSF) que comprovam que, nas últimas eleições, o partido que mais se beneficiou do atual modelo foi o PT, seguido pelo PMDB e, na sequência, PSDB e PSB.

Mendes também alegou que as empresas apoiam determinados candidatos porque eles já defendem posições que as representam, como o livre mercado e uma economia pujante, e não necessariamente porque querem corrompê-los, como alguns deram a entender.

Barroso, no seu voto, contestou o raciocínio. Segundo ele, a observação de Mendes não é confirmada pela realidade porque todas as pesquisas apontam que as empresas doam para os dois lados, para vários partidos. “Só se faz isso por medo ou por interesse”, argumentou.

Os demais ministros não entraram no debate e, portanto, não apresentaram indicações de com qual tese irão concordar. Com o pedido de vistas, o julgamento não tem data para ser retomado.
*****

Jurista prega que Barbosa reembolse gastos com prisão de réus do mensalão

12.12.2013
Do  BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães
Na última segunda-feira foi ao ar a edição de dezembro do programa Contraponto, que, desta feita, entrevistou o jurista Dalmo de Abreu Dallari e o jornalista Paulo Moreira Leite, editor de Brasília da revista IstoÉ e autor do livro “A Outra História do Mensalão”.
O programa repercutiu sobretudo no You Tube, onde já alcança 4 mil visualizações – o que, para um programa sobre política com uma hora e meia de duração, é bastante. Porém, a entrevista de Dallari foi editada para caber dentro dos quatro blocos de 15 minutos do programa.
Conforme prometido por este Blog, aqui está sendo disponibilizada, logo abaixo, a íntegra da entrevista desse importante jurista – que, vale repetir, por sua clareza e lucidez faz pensar que a vida começa aos 80 anos, a faixa de idade dele.
Entre outros pontos da entrevista de Dallari que não foram ao ar está sua afirmação de que os gastos ordenados pelo ministro Joaquim Barbosa para levar a cabo a prisão dos condenados do mensalão deveriam ser cobrados de quem os ordenou, por terem sido “desnecessários”.
Assista, abaixo, à íntegra da entrevista que esse jurista tão importante concedeu a este blogueiro. Para quem é da área do Direito, as opiniões de Dallari não deixam dúvida de que, no mínimo, há algo de muito errado com o julgamento do mensalão.
*****