Pesquisar este blog

domingo, 8 de dezembro de 2013

Organização Mundial do Comércio fecha acordo e consegue destravar Rodada de Doha

08.12.2013
Do portal OPERA MUNDI, 07.12.13
Por Redação | São Paulo    

Cuba, Venezuela, Nicarágua e Bolívia resistiram ao pacto, por conta do embargo norte-americano imposto aos cubanos
Apesar da resistência inicial de países como Cuba, Venezuela, Bolívia e Nicarágua, a Organização Mundial do Comércio (OMC) firmou o primeiro acordo comercial em 20 anos e conseguiu desbloquear, neste sábado (07/12), a Rodada de Doha, série de negociações parada desde 2008.
"Desta vez, houve consenso entre todos os membros", anunciou o diretor-geral da OMC, o brasileiro Roberto Azevêdo.
Os defensores do pacto afirmam que ele pode injetar na economia mundial US$ 1 trilhão. Porém, grupos antiglobalização não poupam críticas ao acordo porque, segundo eles, beneficiará principalmente as grandes corporações.

Agência Efe
Segundo o brasileiro Roberto Azevêdo, diretor-geral da OMC, houve consenso entre os países

Além disso, Cuba, Venezuela, Bolívia e Nicarágua resistiam ao acordo, por considerarem que o bloqueio dos EUA aos cubanos não poderia existir em um contexto de flexibilização do comércio mundial. No entanto, acabaram cedendo e aprovaram a resolução.
Os ministros e representantes dos 159 países-membros da OMC presentes em Bali, onde se realiza uma conferência do órgão, vão emitir a declaração final e terminar a reunião um dia mais tarde do que o previsto, devido às intensas negociações realizadas nas últimas horas.
A reunião terminou atrasada, também por conta da posição da Índia, que afirmou que não negociaria questões que envolvessem segurança alimentar e eventuais subsídios que fossem necessários para políticas do gênero. Na sexta (06/12) à noite, no entanto, Azevêdo apresentou aos presentes na conferência ministerial uma minuta que convenceu Nova Délhi.
"Encomendamos ao Comitê de Negociações Comerciais que prepare um programa de trabalho, nos próximos 12 meses, claramente definido sobre as questões restantes do Programa de Doha para o Desenvolvimento", diz a minuta aprovada pela conferência ministerial.
Em nota, o Itamaraty comemorou o acordo, dizendo que os resultados são "amplamente positivos para o Brasil". De acordo com a chancelaria, o acordo de facilitação de comércio “impulsiona reformas que já estão sendo implementadas no país e facilita o acesso de nossos produtos a mercados em todo o mundo, ao simplificar e desburocratizar procedimentos aduaneiros”.
O Programa de Doha para o Desenvolvimento - também conhecido como Rodada de Doha - surgiu na capital do Catar em 2001 com o objetivo de liberalizar o comércio entre os países-membros da OMC e está estagnado desde 2008.
(*) Com Efe e Agência Brasil
****
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/32824/organizacao+mundial+do+comercio+fecha+acordo+e+consegue+destravar+rodada+de+doha.shtml

MOBILIDADE URBANA: Falta integração entre carro e transporte público no Recife

08.12.2013
Do portal do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Por Tânia Passos 

No Terminal Integrado de Cajueiro Seco, a integração é improvisada. Os motoristas estacionam seus carros na calçada da estação. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press
No Terminal Integrado de Cajueiro Seco, a integração é improvisada. Os motoristas estacionam seus carros na calçada da estação. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press
Atrair o carro para a conexão intermodal, mais que uma tendência mundial, é uma necessidade. Com uma frota de mais de 600 mil veículos, a capital pernambucana é a terceira metrópole do país com maior tempo de deslocamento casa/trabalho (só perde para São Paulo e Rio de Janeiro). Para diminuir a circulação de veículos motorizados nas zonas mais adensadas das cidades, uma das alternativas é apostar nos estacionamentos periféricos, onde o carro poderá se integrar ao metrô e aos corredores de ônibus. Uma ideia que o Recife já experimentou na década de 1980, mas que não foi levada adiante. Em Belo Horizonte, o modelo Park & Ride faz parte da estratégia de planejamento urbano para melhorar a mobilidade no município. No caso do Recife, a Secretaria de Mobilidadade estuda a instalação de estacionamentos em pontos estratégicos da cidade, mas ainda sem uma logística de integração do carro com o transporte público. 

Os 25 terminais de integração do Sistema Estrutural Integrado (SEI) da Região Metropolitana do Recife não oferecem estacionamento para veículos, mas terão bicicletários. “Quanto maior for a intermodalidade, melhor será a qualidade dos deslocamentos”, ressaltou o engenheiro e coordenador regional da Associação Nacional de Transporte Público (ANTP), César Cavalcanti. A integração do carro, segundo o especialista, é um nicho ainda pouco explorado. “Muita gente usa o carro apenas para trabalhar. Se houvesse a possibilidade de haver essa integração, as chances de atrair o usuário do carro para o transporte público seriam maiores”. 

Na década de 1980, no governo de Gustavo Krause, uma experiência que nasceu a partir de um projeto do extinto Geipot inspirava esse tipo de integração. Um deles funcionou no estacionamento Joana Bezerra. Para evitar a ida do carro ao Centro, os motoristas deixavam o carro no estacionamento e seguiam em um ônibus de luxo e gratuito para o Centro. Outro ponto funcionou na Agamenon Magalhães perto do Torreão. Segundo o engenheiro e especialista em mobilidade, Maurício Pina, houve, na época, uma forte reação da classe média. “As pessoas queriam ir de carro para o Centro e o governo acabou cedendo às pressões. Havia também uma insatisfação quanto à qualidade dos estacionamentos”, lembrou Pina. 

Fazer a integração do carro com o ônibus não seria problema para a bancária Ester Pires, 47 anos. Ela mora em Olinda e trabalha no Centro do Recife, onde tem dificuldades para encontrar vaga para estacionar. “Além de perder muito tempo no trânsito, o custo do estacionamento aqui é alto. Quando não encontro vaga na rua, a diária do estacionamento é de R$ 20. Se tivesse como deixar o carro no Tacaruna e integrar com uma linha para o Centro seria melhor”.

Para o secretário de Mobilidade e Controle Urbano do Recife, João Braga, os estacionamentos periféricos podem ser estudados. Segundo ele, o projeto dos edifícios-garagem foi suspenso para ser reavaliado. “Essa integração é muito importante. O Recife, de uma certa forma, já teve à frente do seu tempo quando implantou estacionamentos periféricos. Essa iniciativa, hoje, certamente teria tido um olhar mais cuidadoso para funcionar adequadamente”, revelou. Ainda segundo ele, está sendo feito um levantamento de locais com potencial para esse tipo de investimento. “A ideia dos estacionamentos integrados é uma forma de reduzir os congestionamentos. Vamos precisar de estudos para identificar locais que ofereçam potencial para o investimento”, ponderou.

Eventos
Criar bolsões de estacionamento aproveitando potenciais existentes para incentivar a integração do carro ao transporte público é uma ideia que, na prática, a cidade já adota em eventos de grande porte, a exemplo do Expresso Folia, no Carnaval, mas isso nunca foi pensado para o dia a dia da cidade. “A gente pensa em criar bolsões de estacionamento em vários pontos com apoio da iniciativa privada. Há alguns investimentos particulares que vão dispor de estacionamento próprio e poderão servir para esse tipo de integração”, afirmou o secretário de Mobilidade e Controle Urbano do Recife, João Braga. Para ele, a integração poderá ser feita com ônibus circulares ou com o VLT (Veículo Leve sobre Trilho), um projeto da Prefeitura do Recife que ainda aguarda liberação de recursos do governo federal. 

Assim como o Carnaval conta com estacionamentos periféricos para integrar o carro ao transporte público, a Copa do Mundo também vai proporcionar a criação de bolsões para quem quiser deixar o carro e seguir de ônibus ou metrô. A Secretaria da Copa pretende repetir o modelo inaugurado na Copa das Confederações, onde foram instalados bolsões no Shopping Recife e na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e já fez um levantamento de outros pontos com potencial para servir de estacionamento. Entre eles, o Parque de Exposição do Cordeiro, a Ceasa e o estacionamento da Justiça Federal, na BR-101.

Deslocamentos

630 mil é a frota de ônibus da Região Metropolitana do Recife

2,1 milhões de usuários são transportados por dia no Sistema de Transporte Público

Estacionamentos

2,8 mil vagas de Zona Sul no Centro do Recife

314 estacionamentos particulares têm alvará no Recife

25 áreas foram identificadas com potencial de edifício-garagem pelo Instituto Pelópidas

25 terminais de integração sem vaga para o automóvel

Futuros corredores de transporte sem conexão com o carro

- Corredor Norte/Sul (em obras)

- Corredor Leste/Oeste (em obras)

- Corredor da 4ª perimetral (em licitação)

- Corredor de navegabilidade (em obras - integração com ônibus, metrô e bicicleta)

Fontes: Prefeitura do Recife e Secretaria das Cidades

*****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2013/12/08/interna_vidaurbana,478207/falta-integracao-entre-carro-e-transporte-publico-no-recife.shtml

Veja lança “livro-bomba” de Tuma Jr. e o resto da mídia ignora solenemente

08.12.2013
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães
Em estilo grandiloquente e fanfarrão, o colunista e blogueiro da revista Veja Augusto Nunes anuncia, ao fim da noite da última sexta-feira (6/12), que “As revelações de Tuma Junior vão confirmar que sábado é o mais cruel dos dias para quem tem culpa no cartório”. As “revelações” em questão figuram em livro lançado pela edição da revista desta semana.
Em seguida, o pistoleiro da revista semanal, encarregado pela direção do veículo de acusar e insultar exclusivamente a presidente da República, seu antecessor, seu partido e seus aliados – e mais ninguém – apresenta uma espécie de micro biografia do autor do livro.
Vale conferir, abaixo, a antecipação feita por Nunes da recente matéria da Veja.
—–
(…) Delegado concursado da Polícia Civil de São Paulo, ex-secretário Nacional de Justiça no governo Lula, ”Tuminha” sabe muito. E está pronto para revidar com provas materiais quaisquer tentativas de desmentir as afirmações que acabou de reunir num livro de alto teor explosivo.
Os episódios relatados por Tuminha exumam, por exemplo, pressões exercidas por ministros decididos a transformar em instrumento eleitoral informações sigilosas, a fábrica clandestina de dossiês cafajestes instalada nos porões de um ministério, a movimentação de figurões envolvidos na operação destinada a sepultar os motivos reais do assassinato de Celso Daniel ou detalhes do gigantesco esquema de escutas telefônicas ilegais que não pouparam sequer a cúpula de um dos três Poderes. Fora o resto.
Os pecadores vão precisar de desculpas menos bisonhas e versões mais consistentes. Que aproveitem a madrugada insone para tentar encontrá-las.
—–
Para Veja e seus colunistas e blogueiros amestrados, só existe corrupção no Brasil porque o PT, Lula e Dilma existem. A revista não denuncia, não comenta, não enxerga corrupção em nenhuma outra parte, só no PT e em seus membros e aliados. Há uma década que só faz denúncias contra estes e mais ninguém.
Não foi por outra razão que a micro biografia de Tuma Jr. feita por Nunes excluiu o pequeno detalhe de sua saída tumultuada do governo Lula em 2010, após ser flagrado em gravações telefônicas e e-mails interceptados durante investigação sobre contrabando que ligavam o então secretário nacional de Justiça à máfia chinesa, conforme matéria do Estadão.
Seja como for, na entrevista concedida à Veja Tuma Jr. deixa ver que seu livro não passa de tentativa de retaliação ao ex-presidente Lula.  À certa altura, pergunta da revista e resposta do entrevistado escancaram o que é que tem no livro Assassinato de Reputações – Um Crime de Estado.
Confira.
—–
(…)
VEJA – O senhor afirma no livro que o ex-presidente Lula foi informante da ditadura. É uma acusação muito grave.
Romeu Tuma Júnior – Não considero uma acusação. Quero deixar isso bem claro. O que conto no livro é o que vivi no Dops. Eu era investigador subordinado ao meu pai e vivi tudo isso. Eu e o Lula vivemos juntos esse momento. Ninguém me contou. Eu vi o Lula dormir no sofá da sala do meu pai. Presenciei tudo. Conto esses fatos agora até para demonstrar que a confiança que o presidente tinha em mim no governo, quando me nomeou secretário nacional de Justiça, não vinha do nada. Era de muito tempo. 0 Lula era informante do meu pai no Dops.
VEJA – O senhor tem provas disso?
Romeu Tuma Júnior – Não excluo a possibilidade de algum relatório do Dops da época registrar informações atribuídas a um certo informante de codinome Barba.
(…)
—–
Estranho “Estado policial” esse descrito por Tuma Jr., no qual os mais prejudicados são os aliados desse mesmo Estado, que permite que os membros dessa “ditadura petista” sejam denunciados, julgados e encarcerados enquanto os processos contra seus adversários permanecem engavetados.
Mas o que importa é que a sequência de perguntas e respostas entre Veja e Tuma Jr. mostra que seu livro não contém nada além de vento. Perguntado pela revista sobre se existem provas da acusação maluca de que Lula teria sido “informante da ditadura” que o prendeu e combateu duramente, tergiversa.
A débil condição moral do denunciante – por ter sido flagrado em conluio com uma organização criminosa –, bem como a escandalosa seletividade “ética” de Veja e a fragilidade aparente das denúncias explicam um fenômeno que seguiu-se à chegada da revista às bancas.
Praticamente nenhum grande jornal, grande portal de internet ou telejornal deram bola ao grandiloquente aviso de Augusto Nunes sobre a edição da Veja desta semana. As únicas exceções foram o Jornal da Record e umamatéria escondidinha no portal do Jornal O Globo.
Assim mesmo, foi pífia a repercussão da “denúncia” de Veja e do autor do livro-bomba, que está mais para “livro-traque”. Afinal, para uma mídia que, de alguns meses para cá, vem tentando se livrar da pecha de ser partidarizada, dar credibilidade a alguém que foi flagrado na situação de Tuma Jr. e que escreve um livro com acusações tão frágeis, pega muito mal.
*
Assista, abaixo, à matéria do Jornal Nacional de 2010 sobre a queda de Tuma Jr.
*****
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2013/12/veja-lanca-livro-bomba-de-tuma-jr-e-o-resto-da-midia-ignora-solenemente/

Diario vence Prêmio Sinduscon. Jornalista Tânia Passos foi uma das premiadas

08.12.2013
Do portal do DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Reportagens Ser Urbana e #Cidades Possíveis ganharam em duas categorias

Ed Wanderley e Tânia Passos, de Ser Urbana, e Ana Cláudia Dolores, de #Cidades Possíveis, receberam prêmio na sexta (BERNARDO DANTAS/DP/D.A PRESS)
Ed Wanderley e Tânia Passos, de Ser Urbana, e Ana Cláudia Dolores, de #Cidades Possíveis, receberam prêmio na sexta
O Diario de Pernambuco saiu vencedor de duas categorias do 16° Prêmio Sinduscon de Jornalismo, que destaca as melhores reportagens na área de construção civil e urbanismo no estado. Na categoria webjornalismo, o trabalho contemplado foi o especial multimídia Ser Urbano, dos repórteres Ed Wanderley e Tânia Passos, enquanto na categoria Impresso - Série ou Caderno Especial, foi a vez de #CidadesPossíveis, da jornalista Ana Cláudia Dolores.

A reportagem Ser Urbano foi publicada no último dia 26 de setembro e mostrou como os índices de desenvolvimento econômico da Região Metropolitana do Recife nem sempre se traduz em bem-estar para a população na metrópole considerada a que apresenta a maior desigualdade social do Brasil. O trabalho foi pautado por uma pesquisa inédita que definiu o chamado “Índice de Bem-Estar Urbano” (Ibeu) nas 15 maiores metrópoles do país e mostrou os contrastes urbanos quanto à mobilidade, infraestrutura, condições de moradia e de sustentabilidade ambiental na RMR.

A série #CidadesPossíveis foi publicada entre os dias 10 e 14 de março deste ano e discute como as soluções urbanísticas encontradas pelas cidades colombianas de Bogotá e Medellín podem ser aplicadas no contexto do Recife, de forma a contribuir para a superação de problemas históricos enfrentados pela capital pernambucana. O projeto, que também teve versão online no site do Diario, também venceu o Prêmio CNT, o Grande Prêmio CBIC e recebeu menção honrosa no Prêmio de Mobilidade Sustentável.

A entrega do Prêmio Sinduscon de Jornalismo, um dos mais antigos em Pernambuco, foi realizada na noite da última sexta-feira (6), no Arcádia Paço Alfândega, no bairro do Recife. Um total de 39 trabalhos concorriam ao título em cinco categorias. Entre os membros da comissão julgadora estão o diretor da TGI Consultoria, Francisco Cunha, e a jornalista Elayne Lira, editora da revista Construir Nordeste.
******

Fonte:http://www.impresso.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/cadernos/vida-urbana/2013/12/08/interna_vidaurbana,74360/diario-vence-premio-sinduscon.shtml

Jornalismo nas sombras

08.12.2013
Do blog TIJOLAÇO
Por Miguel do Rosário

(Na foto, um jornalista da Folha matutando uma matéria sobre o trensalão).
(Na foto, um jornalista da Folha matutando uma matéria sobre o trensalão).
Lembro-me de um comentário de um parlamentar norte-americano, feito há alguns anos, sobre a relação orgânica entre a Fox e o Partido Republicano. O deputado, que era republicano, falou algo assim: “por muito tempo pensávamos que a Fox trabalhava para a gente, mas agora descobrimos que somos nós que trabalhamos para a Fox”.
Era um chiste corajoso e autocrítico, inspirado na constatação que a Fox havia se tornado o principal cabide de empregos para republicanos sem mandato. Todo republicano com alguma projeção, em alguns casos mesmo sem projeção nenhuma, não conseguindo se eleger, tinha emprego garantido na empresa de Rupert Murdoch.
O comentário também reflete uma tendência inexorável que se espraiou por todas as Américas: a transferência do núcleo decisório político do conservadorismo para empresas de mídia. Acontece nos EUA, contudo, em escala menos grave, porque os grupos de mídia norte-americanos, mesmo sendo muito poderosos e ricos, jamais foram os mais poderosos e os mais ricos do país. Hoje ainda menos. O que é a Fox se comparada a um Google? O que é um New York Times se comparado à indústria tecnológica?
No Brasil, é diferente. A família Marinho, proprietária das organizações Globo, detêm a maior fortuna do país. E não temos nenhum Google brasileiro para contrabalançar. E nossas indústrias não são tão poderosas assim. Por isso a mídia brasileira é tão sinistra: ela concentra poder, em proporção ao PIB nacional, numa escala que encontra poucos paralelos no mundo.
Sendo assim, não se pode acusar a nossa mídia de tucana. Não é a mídia que trabalha em prol do PSDB. É o PSDB que trabalha em prol dos interesses dos barões da mídia. O PSDB se tornou simplesmente braço político das “famiglias”. Só isso explica a perplexidade com que a nossa imprensa vem tratando o escândalo do cartel dos trens.
A Ombudsman da Folha não sabe mais o que dizer, coitada. Hoje, ela abre seu texto assim:
*
Perder esse trem
Folha fica para trás na cobertura do cartel do metrô e enfrenta acusações de que protege o PSDB
“Coisa feia, hein, FSP? Sempre a reboque do concorrente ‘OESP’. Todo dia o ‘Estadão’ descobre algo e publica. A FSP apenas reporta. Das duas, uma: ou tem péssimos repórteres investigativos, ou não quer mexer com o P$DB. A segunda hipótese me parece mais certa.”
O comentário, postado no site da Folha na quinta-feira, resume uma cobrança que vem sendo feita quase diariamente ao jornal sobre a cobertura do cartel de trens e metrô em São Paulo.
*
É quase impossível, porém, não simpatizar com o esforço quase heróico de Singer de andar no fio da navalha: criticar a empresa que lhe paga o salário e ao mesmo tempo manter o emprego. Num gesto de tocante franqueza, a própria Singer admite seu dilema:
Aos que me acusarão, ao final de leitura deste texto, de aliviar a barra do jornal, adianto que nenhuma Redação gosta de ver escancaradas suas deficiências em coberturas importantes. E essa, que envolve um desvio de dinheiro bem maior que o do mensalão petista, é uma delas.
O leitor vira a página com um pouquinho de esperança no jornalismo brasileiro. Afinal, ter consciência de seus próprios vícios é o primeiro passo para superá-los. Entretanto, na página seguinte, a Folha devasta brutalmente a impressão positiva que a postura autocrítica da ombudsman construíra. E ao mesmo tempo confirma, desavergonhadamente, o conteúdo da crítica. Ou melhor, mostra que a crítica da ombudsman pecou pela timidez. A coisa é muito mais grave.
matéria com a qual topamos em seguida é tão maliciosa que eu ousaria adjetivá-la de “satanista”. Intitulada “testemunha nas sombras”, visa apenas desconstruir uma das principais testemunhas contra o esquema dos cartéis de São Paulo. Uma tentativa sofisticada de intimidá-lo e, ao mesmo tempo, minar a sua credibilidade.
ScreenHunter_3041 Dec. 08 13.12
Trecho da matéria:
Começa aí uma série de dúvidas que persistem até hoje. Por que ele escreveu essas acusações? Como sabia do suborno? Será que tem provas do que diz? O que ele quer?
As dúvidas são razoáveis. O sinistro é constatar que na mesma semana em que a Istoé divulga novas revelações do trensalão paulista, com informações bombásticas sobre pagamento de propinas a autoridades durante a gestão Serra, a única matéria publicada na Folha é um ataque à testemunha!
É muito saudável a presença de um ombudsman num jornal. No entanto, me parece frustrante que as críticas desse profissional se revelem completamente inúteis, e que o jornal, ao invés de aperfeiçoar suas práticas, piore-as ainda mais.
*****
Fonte:http://tijolaco.com.br/blog/?p=11148

DIREITA REACIONÁRIA E DESUMANA: MÉDICO CELEBROU MORTE DE DÉDA NO FACEBOOK

08.12.2013
Do portal BRASIL 247

Milhares vão às ruas em Kiev para protestar contra governo

08.12.2013
Do portal OPERA MUNDI, 07.12.13
PorRedação (*) | São Paulo 

Decisão de suspender negociações
Milhares de pessoas foram às ruas neste sábado (07/12) na Ucrânia para protestar contra a decisão do governo de interromper as negociações para o ingresso do país na União Europeia. A concentração aconteceu na praça da Independência, no centro de Kiev, onde, diz a polícia, estavam 10 mil pessoas.
Com a mobilização, a oposição subiu o tom e, de acordo com a agência de notícias russa RT, passou a fazer três exigências para começar a negociar: a libertação dos “prisioneiros políticos” detidos na praça da Independência, a punição aos responsáveis pela dispersão violenta dos protestos e a demissão do governo.
Reprodução/RT
Concentração dos manifestantes aconteceu no centro de Kiev, capital da Ucrânia

Na sexta (06), o presidente do país, Viktor Yanukovich, se reuniu com o russo Vladmir Putin em Moscou. A Rússia ameaçou introduzir medidas protecionistas no caso de Kiev se associar com os 28 países em 29 de novembro na Cúpula de Vilnius da Associação Oriental entre a UE e vários países ex-soviéticos.
Yanukovich, que viajou na terça-feira (03) para a China buscando o apoio de Pequim dada a fraca situação econômica da Ucrânia procurou o respaldo diplomático do Kremlin no meio da crise política de seu país. A viagem causou mal estar entre os ucranianos, pelo fato de ter acontecido durante os protestos.
"Tenho certeza de que qualquer paz, inclusive má, é melhor que qualquer boa guerra", afirmou Yanukovich, criticando também o uso desproporcional da força dos soldados antidistúrbios contra os manifestantes.
(*) Com Efe e RT

****
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/32837/milhares+vao+as+ruas+em+kiev+para+protestar+contra+governo.shtml

Desabafo de uma vítima da mídia

08.12.2013
Do blog O CAFEZINHO, 06.12.13
Por André Guimarães, em seu Facebook.

Acho importante ler o desabafo e conhecer a experiência de André Guimarães, porque hoje em dia qualquer um pode viver uma situação similar. A grande imprensa perdeu completamente as estribeiras e não tem mais nenhum compromisso ético com a verdade. Seu objetivo é somente destruir aquele que ela vê como inimigo. E isso a torna terrivelmente perigosa. Como a lei não protege o cidadão dos ataques da mídia, temos que nos proteger a nós mesmos. Em alguns casos, eles mandam matar, como foi o caso do blogueiro Filgueiras. Entretanto, o ataque mais eficiente e menos arriscado, para eles, é matar a reputação, destruir a honra da pessoa, aniquilá-la psicologicamente.
Combater a porcaria do PIG, às vezes dá muita “dor de cabeça”
Combater a porcaria do PIG às vezes traz alguns problemas, mais a luta compensa. Atuei na militância estudantil no Grêmio na minha escola, fui da direção da entidade estudantil de Londrina, a ULES e militante dos Direitos Humanos. Atuo na blogosfera desde 2007, com o Blogue Ideia Certa. Sou Militante Politico, filiado ao PT desde 2001, e trabalho com publicidade desde que me entendo por gente. Nos últimos 9 anos tenho atuado profissionalmente na assessoria politica, fui assessor da Prefeitura de Londrina e trabalhei na Câmara dos deputados em Brasília sempre na área da comunicação. Pois bem, este ultimo trabalho no qual desempenhei por mais de 4 anos, na câmara dos deputados, na assessoria do deputado Federal André Vargas, meu companheiro do PT desde minha época de movimento estudantil, resultou em uma das maiores batalhas da minha vida.
A grande exposição do nome do André , hoje vice-presidente da Câmara junto com minha constante militância politica na internet em defesa do PT, partido que milito com muito orgulho desde os 16 anos de idade, fez com que eu me tornasse alvo de uma das maiores armas de destruir reputações que existe na América Latina, um lixo panfletário, com uma linguagem muitas as vezes fascista comandada por um grupo internacional que entre outras defendeu o Apartheid na Africa do Sul: A revista veja. As artimanhas sujas de jornalistas bem pagos resultaram em 3 publicações, uma no mês de março, outra no mês de maio e outra em junho deste 2013. Todas as matérias, no meio da revista com duas páginas cada, diagramadas com fotos enormes minhas e do deputado André Vargas, citando uma serie de mentiras sobre minha vida politica e profissional,mentiras estas que não resultaram em um B.O em nenhuma denúncia formal na Justiça deste país!
A maior repercussão foi aqui na minha cidade (Londrina) e na Câmara dos Deputados através de um deputado Federal do PSDB paulista, que fez um pedido de informação para a Caixa Econômica Federal do qual até hoje ninguém divulgou o resultado! A Caixa Econômica Federal, estatal qual eu teria tentado lesar (segundo a revista), por sua vez, mandou uma nota para mesma desmentindo toda a matéria, nota esta que foi publicada em letras minúsculas na seção de cartas da r(ai)vista.
Mesmo assim a veja inventou outra acusação desta vez mais sem pé nem cabeça, tanto que também não resultou em nenhuma ação, sequer do MP ou de qualquer instancia do judiciário. Só que lutar contra um lixo editorial, distribuído em todos os cantos deste país, disponível em escolas, salões de cabeleireiros e etc. causa um dano irreparável a minha história de vida. Sempre surge alguém perguntando ou já me acusando com base no que saiu na revista, que já teve até como pauteiro, um dos maiores criminosos do Brasil, o Carlinhos Cachoeira.
Estou na justiça lutando contra uma instituição representada por um “batalhão” de advogados, que “transitam bem” em todas as instâncias da morosa justiça seguindo a regra do capitalismo que impera no nosso “democrático” Poder Judiciário. Mais garanto a luta compensa, porque a cada questionamento eu desconstruo por “A+B” toda a armação porca da veja em minutos de dialogo e tenho a oportunidade de alertar mais alguém sobre como funciona o jogo sujo da velha mídia no Brasil. O recado que deixo aos Jornalistas e aos demais indivíduos que atuam no esgoto da mídia tramando contra minha história, vai um recado, só tenho 28 anos de vida, e até o ultimo dia que Deus me der aqui na terra vou estar de cabeça erguida pronto pro embate!
155030_4808951436050_958799251_n
*****
Fonte:http://www.ocafezinho.com/2013/12/06/desabafo-de-uma-vitima-da-midia/

Funeral de Mandela terá cortejo de três dias em Pretória

07.12.2013
Do portal da BBC BRASIL, 07.12.13

Multidão deposita flores em frente à casa de Mandela em Johanesburgo (foto: AP)
Cerimônias fúnebres de Mandela durarão 10 dias na África do Sul
Um cortejo fúnebre levando o corpo de Nelson Mandela irá percorrer as ruas de Pretória durante três dias antes de seu sepultamento no próximo domingo, diz o governo sul-africano.

O objetivo é permitir que o máximo possível de sul-africanos possam dar seu último adeus àquele que é considerado o pai da nação.
Autoridades disseram que o cortejo vai deixar um necrotério na quarta, na quinta, e na sexta-feira pela manhã em direção ao Union Buildings, a residência oficial e sede do gabinete do presidente da África do Sul, onde seu corpo será velado.
Enquanto isso, vigílias para o ex-líder continuam em todo o país.
Centenas de pessoas continuam se dirigindo à casa de Mandela - onde ele morreu - no subúrbio de Houghton em Joanesburgo, onde pilhas formadas por milhares de flores, velas, cartas e fotos do líder tomam grande parte da rua.
Mandela morreu na quinta-feira à noite aos 95 anos.

Detalhes

No sábado, o governo divulgou mais detalhes sobre como será o funeral com honras de Estado, previsto para durar 10 dias ao todo.
Na terça-feira, uma cerimônia será realizada no Estádio FNB, nos arredores de Joanesburgo.
Quando os três dias de velório terminarem, o corpo de Mandela deixará Pretória e será levado de avião para Qunu, no Cabo Oriental, local onde cresceu, para ser enterrado.
Bandeiras de todos os edifícios oficiais serão colocadas a meio mastro durante todo o período e livros de condolências estão circulando por todo o país e on-line para as pessoas postarem homenagens, lembranças e expressar suas emoções.
O domingo foi designado como um dia oficial de oração e reflexão, e o presidente Jacob Zuma estimulou os sul-africanos a irem a estádios, igrejas, templos ou sinagogas.
"Devemos, enquanto de luto, também cantar no topo da nossa voz, dançar e fazer o que queremos fazer para celebrar a vida deste revolucionário notável que manteve o espírito de liberdade vivo e nos levou a uma nova sociedade. Vamos cantar para Madiba", disse ele, usando o nome do clã de Mandela.
Um comunicado do governo relembrou pensamentos do ex-presidente quando questionado sobre como ele gostaria de ser lembrado.
"Seria muito egoísta da minha parte dizer como eu gostaria de ser lembrado", disse Mandela.
"Eu deixaria isso inteiramente para os sul-africanos. Eu gostaria apenas de uma simples pedra com o dizer: 'Mandela'."

Velho amigo

Ahmed Kathrada, amigo de Mandela há 67 anos, e seu companheiro de prisão em Robben Island, falou à BBC sobre sua "emoção esmagadora" ao ver seu velho amigo no hospital no início deste ano.
"Eu o conheci durante 67 anos como um homem forte. Fiquei chocado ao ver este homem forte, uma sombra de si mesmo. Isso foi demais... tanto que eu disse à sua esposa Machel que eu não quero vê-lo novamente. Agradeci muita à ela, mas eu disse, por favor, eu não posso suportar isso."
Kathrada disse que Graça Machel lhe enviou uma mensagem na quinta-feira mais cedo dizendo que o ex-líder morreria naquela noite.
"Os médicos disseram à família que Mandela estava em seus últimos momentos de vida", disse ele.
Homenagens a Mandela vieram de líderes, celebridades e pessoas do mundo todo.
O presidente americano Barack Obama disse que Mandela "conseguiu mais do que se poderia esperar de qualquer homem".
O Papa Francisco disse que Mandela tinha forjado "uma nova África do Sul construída sobre os alicerces firmes de não-violência, da reconciliação e da verdade".
O ex-líder sul-africano passou 27 anos na prisão antes de se tornar o primeiro presidente negro do país em 1994.
Ele serviu um único mandato e deixou a Presidência em 1999.
Mandela recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1993, juntamente com FW de Klerk, último presidente branco da África do Sul.
Ele sofreu crises repetidas de problemas de saúde e desde setembro vinha recebendo tratamento em casa por uma doença pulmonar recorrente.
LEIA MAIS:
****
Fonte:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/12/131207_mandela_noticias_funeral_an.shtml