quarta-feira, 11 de setembro de 2013

STF, UM TRIBUNAL PRÓ DITADURA?:STF poupa ditadura mas pune os que lutaram contra ela

11.08.2013
Do blog  ESQUERDOPATA, 11.09.13
 
Ao condenar os que lutaram contra a ditadura, o STF quer proteger quem? A Globo, que arrumou emprego para o filho do ministro Joaquim Barbosa?
 
A Justiça educa. A injustiça não. Quando as instâncias de julgamento apenam devidamente os culpados por um delito a sensação de impunidade diminui e a sociedade se sente mais segura. Mas quando prevalece a injustiça o crime não cessa. É o que se pode dizer em relação à tortura. Os brucutus da ditadura que barbarizaram homens, mulheres e crianças continuam aí à solta. E o exemplo deles continua sendo seguido por grande parte das forças policiais que têm na tortura o principal método investigativo.
 
O Supremo Tribunal Federal impediu o país de virar esta página da tortura ao negar a revisão da Lei da Anistia. O STF manteve impunes os crimes da ditadura, protegeu torturadores, assassinos e seus áulicos. Quem sabe, impediu até que investigações chegassem aos civis que financiaram a ditadura. Pois se é certo que empresários como Henning Albert Boilesen, do grupo Ultragás deu dinheiro para a Operação Bandeirantes, e Otávio Frias, do Grupo Folha emprestou caminhonetas para a repressão, outros grupos empresariais também operaram em favor do regime de exceção, e ganharam muito dinheiro durante os 21 anos de trevas.
 
Ao proteger aqueles que serviram à ditadura o STF impediu o país de ver desvendadas as relações de poder entre os generais e os empresários que se serviram do regime. O grupo Globo, dos irmãos Marinho, recentemente abjurou sua participação no Golpe de 1964 e seu apoio incondicional aos generais. Segundo matéria da Revista Forbes a fortuna dos filhos de Roberto Marinho chega a R$ 52 bilhões. Quantos destas dezenas de bilhões foram adquiridas com o sangue e lágrimas de homens e mulheres que sofreram horrores nas mãos dos carrascos da "revolução" apoiada pelos Marinho? Falta a Globo esclarecer isto na Comissão da Verdade.
 
Os ministros do STF preferiram poupar a ditadura. Passaram a mão na cabeça de militares golpistas, torturadores, corruptos, assassinos e toda súcia que se serviu do regime para enriquecer. Uma malta de falsos moralistas que sob pretexto de livrar o país do comunismo da "república-sindicalista" depôs o presidente LEGITIMAMENTE eleito João Goulart (PTB) para governar pelo terror, sem prestar contas de seus atos. Substituíram a democracia pela repressão e o capitalismo de mercado pelo capitalismo de Estado, com lucros privados e prejuízos socializados. Seu legado: um país com a maior concentração de renda do mundo.
 
E foi com este espírito de privilégio aos amigos do regime que os campeões de moralismo da ditadura que quebraram a Pan Air e "confiscaram seus aviões e suas linhas aéreas para os integralistas da Varig. Esta mesma malta fechou a TV Excelsior e despejou milhões na TV Globo para que o ditador-presidente Emílio Garrastazu Medici pudesse pronunciar: "Sinto-me feliz todas as noites quando assisto o noticiário. Porque, no noticiário da Globo, o mundo está um caos, mas o Brasil está em paz."
 
O STF que virou as costas aos crimes da ditadura rasga a constituição ´para julgar aqueles que um dia pegaram em armas, fizeram greves, organizaram partidos políticos, foram às ruas pela Diretas Já e pela Constituinte Livre e Soberana. No julgamento de José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoíno, não foram observados todas as regras do devido processo penal:
 
1 - Não tiveram direito a duplo grau de jurisdição
 
2 - Foram julgados e condenados sem provas
 
3 - Foram-lhes negadas acessos a perícias da Polícia Federal presentes no Inquérito 2474, que correu em segredo de justiça por ordem do Ministro Joaquim Barbosa, onde estão provas de que não houve dinheiro público nas contas pagas pela Visanet.
 
Ao condenar os que lutaram contra a ditadura o STF quer proteger quem? A Globo, que arrumou emprego para o filho do ministro Joaquim Barbosa?
 
O Globo, do qual o ex-ministro Ayres Brito tornou-se colaborador da coluna de Merval Pereira?
 
É preciso que os ministros do Supremo enfrentem o linchamento de setores da mídia contra os réus da AP 470 e evitem que a Ditadura vença o Estado de Direito.
*****
Fonte:http://www.esquerdopata.blogspot.com.br/2013/09/stf-poupa-ditadura-mas-pune-os-que.html

Zé de Abreu anuncia filme sobre AP 470: 'O golpe jurídico'

11.09.2013
Do portal BRASIL247
 
: 
Ator global filiado ao PT revela que viverá um dos ministros do Supremo Tribunal Federal e trabalhará na produção do longa. Ele revela que contará com a ajuda do amigo José Dirceu nas pesquisas e afirma que é uma obrigação da Agência Nacional do Cinema (Ancine) contribuir com o financiamento da obra
 
247 – O ator global José de Abreu, filiado ao PT, revelou no Twitter que fechou um contrato para gravar o filme "AP-470 - O Golpe Jurídico".
 
A obra se refere ao julgamento no Supremo Tribunal Federal do esquema que ficou conhecido no país como “mensalão ».
 
Envolvido com as gravações da novela Joia Rara, ele contou ao Zero Hora que pretende iniciar a pesquisa para o longa-metragem no próximo ano, com a ajuda do amigo José Dirceu, um dos réus do processo.
 
Zé de Abreu, que viverá um dos ministros do STF, trabalhará na produção e afirma que é uma obrigação da Agência Nacional do Cinema (Ancine) contribuir com o financiamento da obra.
 
Leia trechos da entrevista ao Zero Hora:
 
Como será retratada a face do "golpe jurídico"? Como ser convincente neste sentido?
 
Vai depender muito da opinião que o filme vai ter. Ainda não acabou o julgamento. É cedo pra falar. Se você ler o Paulo Moreira Leite, o Jânio de Freitas, vai ver que existem vozes que levantaram-se contra esse julgamento. Sem isso, seria um tiro no pé. Mas tem muita gente boa que acha que está se fazendo um julgamento fora da curva. Não é um julgamento normal. Estou fazendo aqui uma divagação, a gente não sabe muito bem qual vai ser o caminho. A ideia é que a base do filme seja o julgamento, com flashbacks. Veja a questão do televisionamento ao vivo de um julgamento penal. O juiz de primeira instância não permite entrada de imprensa quando tem julgamento. E esse é todo aberto. São coisas que tornaram esse julgamento diferente.
 
Quais outros personagens do caso poderão contribuir com a pesquisa?
 
Obviamente que Delúbio, (Luiz) Gushiken e Zé Dirceu. Do outro lado, ainda não sei. Tem os outros deputados envolvidos. Não vou fazer um filme só com um lado. Agora, não sei quem mais poderia falar alguma coisa. Tem o Roberto Jefferson, que deve saber de muita coisa. Onde estão os U$ 4 milhões que ele disse que sumiram do cofre do partido em Brasília? E isso o STF também não pergunta. Mas basicamente esses contatos vão ser feitos pelo roteirista e pela sua equipe. Hoje já existem roteiristas no Brasil bem estruturados. Cobram caro, mas fazem um trabalho bom de pesquisa.
 
Não teme ficar estigmatizado como um petista fanático?
 
Aqui na Globo, não. Se você entrar na página da novela Joia Rara, tem uma matéria sobre mim dizendo "Esquerdista José de Abreu vai fazer papel que é o seu oposto". Eles assumiram que eu sou de esquerda sem o menor problema. Mas na hora em que acabar essa campanha (caso mensalão), também vou me recolher. É que estava precisando ter uma voz radical ao contrário, mas não sou daquele jeito. Aquilo é um avatar (perfil no Twitter). É que pegaram muito pesado com essa história do mensalão. O PT virou a Geni. É coisa de louco. Também na imprensa, o (Ricardo, de O Globo) Noblat fica xingando meus amigos de ladrão. Aí eu fico puto. Mas tenho ficado amigo de todos os jornalistas. Nenhum fica brabo comigo por eu bater neles.
 
Filmes brasileiros geralmente são patrocinados pela Ancine e por estatais como a Petrobras. Mesmo sabendo que poderá gerar polêmica, você buscará esses financiamentos?
 
Não vou fazer igual ao que fez o (Fábio) Barreto. O Barreto não quis pegar dinheiro do povo pra fazer o filme do Lula. É uma obrigação da Ancine dar dinheiro para qualquer filme. Não existe esse tipo de censura. Isso é coisa que o Barreto colocou na cabeça. Não tem o menor problema. Qual o problema? Talvez eu ache gente (empresários) que queira dar dinheiro, não sei. O empresário brasileiro não liga mais para isso.
*****
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/114564/Zé-de-Abreu-anuncia-filme-sobre-AP-470-'O-golpe-jurídico'.htm

Mais Médicos despiu a elite, a oposição e a mídia

11.09.2013
Do BLOG DA CIDADANIA, 10.09.13
Por Eduardo Guimarães
 
 
No bairro de Vila Mariana, em São Paulo, a umas cinco quadras do meu escritório há um “botecão” daqueles bem ao estilo pé-sujo em que homens de classe e idade médias se reúnem nos fins de tarde dos dias úteis para encherem a cara de cerveja e falarem sobre futebol, sobre bonitas estudantes pós-adolescentes que passam por ali e, o que é pior, sobre política.
 
Não gastemos tempo com o que falam sobre futebol. Sobre as meninas, vovôs ficarem babando por garotas das quais “não dariam conta”, se lhes dessem bola, fala por si. Mas, sobre política, vale comentar no âmbito de pesquisa de opinião recém-divulgada que revela que o programa Mais Médicos atingiu 74% de aprovação entre a opinião pública.
 
Há pelo menos uns 15 anos que conheço o tal boteco. Ao longo desse tempo, estive o quê, umas 30 vezes, lá? Talvez mais, talvez menos. Mas, toda vez que fui, nunca deixei de sair irritado com aquele bando de coroas da minha idade dos quais garanto que difiro bastante por serem desinformados, arrogantes, bebuns e, ao contrário do que tentam aparentar, provavelmente meio brochas – ainda mais bebendo daquele jeito.
 
Mas não é só nisso que difiro deles. São mais ricos… Ou melhor, eles são ricos e eu, remediado. Contudo, vivem doentes e eu nem ficar doente posso, por isso não fico. Já eles, têm tido de câncer a problemas cardíacos com suas barrigonas que fazem a minha parecer um “tanquinho” – e, para quem não me conhece, minha barriga está mais para máquina-de-lavar.
 
Só o que parece levantá-los da lassidão etílica em que mergulham à tarde, é a política. E, mais do que a política, Lula. Ah, como odeiam Lula… Ficam vermelhos como pimentões quando falam nele. E eles sempre falam nele. Possivelmente, todo dia. Se não babassem tanto pelas “netinhas” que passam por ali, acharia que pensam “demais” no ex-presidente.
 
Por uma razão que não vem ao caso, tive que ir àquele pé-sujo para “senhores de fino trato” há mais ou menos um mês. Os beberrões estavam exultantes. E, quando me viram, parecia que tinham encontrado a presa de uma caçada. Foi uma artilharia. Quase tinha que me desviar dos petardos verbais, das ironias, das bocarras escancaradas recendendo a cerveja.
 
Estavam animados mesmo, porém, era com o Mais Médicos. Contudo, após meses de preconceito e ignorância de todo tipo que se viu quanto ao tema, pouparei o leitor dos detalhes do que diziam sobre a cor da pele e sobre a nacionalidade dos médicos cubanos. Não foi muito diferente do que saiu tantas vezes na imprensa e nas redes sociais.
 
Um teve um câncer na garganta. Tratou-se em um hospital grã-fino, claro. Saiu de lá com uma traqueostomia e até hoje ostenta o furo na garganta, enlaçada por uma cinta de material que não imagino qual seja. Todos vivem no médico e em hospital. São muito bem tratados. O preço de seus planos de saúde daria para sustentar famílias inteiras.
 
Naquela ocasião, “garantiram” tudo o que os médicos brasileiros também “garantiram” sobre por que o Mais Médicos não passaria de “enganação de mensaleiros”. Isso sem falar na felicidade por estarem prestes a se verem “livres dessa raça no ano que vem”.
 
Argumentos sobre os que precisam do programa? Argumentos sobre como ter médicos por perto, com ou sem estrutura, será sempre mil vezes melhor do que não ter? Bobagem. Tão “preocupados” que estavam com o “bem-estar” daqueles que querem que se danem – pois vivem dizendo isso –, nem se Jesus Cristo baixasse ali e dissesse tais coisas eles dariam bola.
 
O interessante, quando se conversa com beberrões, é que eles falam tão alto que qualquer um, em um raio de vários metros, escuta cada palavra que dizem como se as estivessem lhe sussurrando na orelha. Muita gente do entorno que ali vai para ganhar o pão em vez de se encachaçar, porém, não tem o dinheiro, os planos de saúde e as panças dos bebuns endinheirados. E ouvia tudo o que diziam.
 
Vi, não só ali mas em toda parte, ao longo de semanas e semanas, as pessoas humildes – ou seja, a maioria que precisa de médico – enojarem-se com a postura dos médicos e daqueles para os quais esses profissionais querem trabalhar não só porque se matam aos poucos com quantidades pornográficas de comida e com o que bebem, mas pelo que podem pagar.
 
O triste dessa história é que a maioria esmagadora de pessoas humildes no entorno desses médicos e de seus clientes cretinos costuma até acolher as suas opiniões políticas e, muitas vezes, as repete. Os serviçais chegam a votar em quem os “bem-sucedidos” (?) beberrões indicam. Isso, porém, deverá mudar.
 
Os que não têm contas bancárias do tamanho das barrigas dos ricaços ficaram espantados com a insensibilidade deles quanto à falta de médicos nas periferias, onde reside quem não tem planos de saúde de mil, dois mil, três mil reais.
 
Os barrigudos bebuns e todos os que disseram o mesmo que eles sobre um problema que maltrata tanto a população mais pobre, deram-se mal pelo que disseram com rara honestidade. Mas só por não fazerem ideia de que estavam tratando de um problema que os mais pobres conhecem muito melhor do que podiam imaginar – do contrário, não diriam aquelas coisas.
 
Quem foi que fez coro aos cachaceiros do bar pé-sujo? Ora, o PSDB, por declarações como a de Geraldo Alckmin de que “não faltam médicos”, endossada pelo PSDB e até pelo PSTU, que disse coisa semelhante. E por grande parte da mídia, no começo. É por isso que essa gente toda vai tomar… Um baita prejuízo político, pois quem a ouviu não esquecerá.
 
Garanto.
*****
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2013/09/mais-medicos-despiu-a-elite-a-oposicao-e-a-midia/