quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Petrobras é o sonho do jovem brasileiro, diz pesquisa. A Globo sumiu da lista

21.08.2013
Do blog TIJOLAÇO
Por Fernando Brito


Todo dia, sem falta, a mídia repete que a Petrobras é antiquada, ultrapassada, ineficiente, jurássica e cheia de apadrinhamentos políticos.

Claro que isso produz efeito sobre a cabeça das pessoas.
Produz, mas nem tanto.
A décima-segunda edição da “Empresa dos Sonhos dos Jovens”, pesquisa que a Cia dos Talentos realizou entre 52 mil jovens brasileiros -de 17 a 26 anos – em março e abril deste ano, mostra que a força da Petrobras é tanta que nem esse bombardeio diário tira dela a condição de empresa mais admirada como possibilidade de carreira profissional.
A  supostamente “velha” Petrobras ganha – e de novo – da moderníssima  Google.
Só duas vezes a gigante da internet venceu a brasileira: 2010 e 2011. De 2005 para cá, a Petrobras foi a vencedora de sete em nove edições da pesquisa.
E não pense que é pelas possibilidades de salário e segurança, não.
Aprendizado e desenvolvimento profissional (46%), boa imagem no mercado (32%) e fazer o que se gosta (27%) são os fatores que mais influenciaram na decisão. Salários e benefícios foram apontados por 24%, quase o mesmo dos que deram mais valor à capacidade de inovação (23%).
Importantíssimo: a pesquisa não é feita com opções, que induzam à escolha. A pergunta é aberta para a indicação espontânea do entrevistado.
Você pode ver a série histórica das pesquisas aí em cima e reparar algumas coisas interessantes.
No período FHC, quando a  Petrobras tinha a imagem de uma empresa condenada à morte, ela nem aparecia entre as dez mais bem classificadas.
Depois, é só olhar.
E outra observação que não deve escapar é a da posição da Rede Globo.
Nem na lista das dez ela está mais.
A Vênus Platinada não é mais um sonho, é só um pesadelo.
*****
Fonte:http://www.tijolaco.com.br/index.php/petrobras-e-o-sonho-dos-jovens-brasileiros-diz-pesquisa-a-globo-sumiu-da-lista/

Carlos Neder: Sobre o mito da “eficiência” dos tucanos em SP

21.08.2013
Do blog VI O MUNDO, 20.08.13
Por Carlos Neder*

A falsidade da gestão e da propaganda

A tão propalada ficção de que as administrações do PSDB são um modelo de gestão administrativa, o que lhes permitiria atender adequadamente as demandas da população, caiu ladeira abaixo. E no que se refere ao gerenciamento da máquina pública, falta ao partido justamente compromisso com a gestão pública eficiente e cuidado na maneira de tratar os recursos dos impostos. Sem falar na decisão temerária de entregar os bens públicos – construídos e gerenciados com dinheiro da população – para a iniciativa privada por meio de Organizações Sociais ou de licitações dirigidas.

Episódios recentes colocam na ordem do dia a discussão da visão que se tem da reforma do Estado, da gestão das políticas públicas e do papel do servidores públicos. Exemplos de erro não faltam. No Estado de São Paulo, como se não bastassem as fartas e sérias denúncias sobre os contratos do Metrô e de trem, agora se fica sabendo que o Ministério Público investiga irregularidades de nepotismo (contratação de parentes) e de nomeações inadequadas nas secretarias estaduais. Suspeita-se que cerca de 1.500 pessoas foram empregadas, de forma indevida, nas gestões Alckmin e Serra.

O que chama a atenção é que as contratações se deram por empresas públicas, como o Metrô e a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) – olha eles aí de novo! Sem falar da Fundação Seade, Emplasa, Cepam, Fundap e Prodesp. Alguns salários chegam a R$ 40 mil mensais. Tudo soa estranho quando se observa que recente decreto do governador Alckmin (Decreto n. 59.327/13) foi editado com o pretexto de enxugar a máquina, reorganizar esses órgãos e garantir o uso racional de recursos. Será?

É inadmissível a desfaçatez da propaganda enganosa de que o governo vem sendo vítima de cartéis formados por empresas inescrupulosas, pois a cada dia fica evidente a existência de relações espúrias entre agentes públicos e privados na esfera estadual. Enquanto familiares e protegidos ganham altos salários, não se discutem as condições profissionais e salariais dos demais trabalhadores responsáveis pela excelência dessas empresas.

A Assembleia Legislativa não pode se omitir e deve sim convocar outros órgãos de controle externo — como o Ministério Público Estadual e o Tribunal de Contas do Estado — e explicar que providências tomaram a partir das representações feitas pelo PT desde 2008.

 *Deputado estadual (PT)

Leia também:

******
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/carlos-neder-cai-o-mito-da-eficiencia-administrativa-dos-tucanos.html