Pesquisar este blog

domingo, 18 de agosto de 2013

Senador tucano usa dinheiro público para fazer negócio camarada com empresa do irmão

18.08.2013
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA, 

O senador Cícero Lucena (PSDB-PB) utiliza recursos do Senado para financiar um negócio de família. Com a Cota para o Exercício de Atividade Parlamentar (Ceaps), mais conhecida como verba indenizatória, alugou do próprio irmão, com preço mais alto que os de mercado, uma picape de luxo. Por mês, pagou R$ 7,2 mil por uma Mitsubishi Pajero de propriedade de Pedro Lindolfo de Lucena, dono de locadora em João Pessoa. 

A situação afronta as regras do Senado. O Ato do 1º secretário 10/2011, que disciplina a cota dos parlamentares, diz que não se admitirá o uso da verba pública, de R$ 15 mil mensais, para ressarcir despesas com "empresa ou entidade da qual o proprietário ou detentor seja o senador ou parente seu até o terceiro grau". 

A primeira nota do aluguel foi apresentada em novembro do ano passado. De lá para cá, a locadora emitiu sete notas fiscais - todas com o valor de R$ 7,2 mil -, que o Senado mantém em sigilo, embora a Lei de Acesso à Informação o proíba. 

Lucena optou pela Mitsubishi Pajero preta, 4x4, aberta na traseira para transporte de carga, ano/modelo 2009. O veículo está em nome de Pedro Lindolfo, que é sócio da Z Veículos, filial da bandeira internacional Avis na capital paraibana. 

Nos sete meses, o aluguel do veículo soma R$ 50,4 mil. Procurado, o gabinete do senador não entrou em detalhes sobre os questionamentos do Correio. Em nota, disse apenas que devolverá aos cofres públicos o dinheiro pago ao irmão. 

Apesar da proibição expressa em relação a empresas de parentes, não há fiscalização sobre o uso da verba indenizatória. Segundo ato interno, o Senado só verifica "aspectos relativos às regularidades fiscal e contábil das notas apresentadas pelos senadores, não compreendendo qualquer avaliação quanto à observância de normas eleitorais, tipicidade ou ilicitudes". Na prática, a Casa se fia na palavra do senador, que apenas assina documento comprometendo-se a usar a verba de acordo com o previsto. 

Lucena pagou um preço camarada ao irmão. Em três locadoras de João Pessoa, consultadas pelo Correio, o aluguel sai mais barato. O maior valor cobrado pela Pajero foi de R$ 5,2 mil mensais e o menor, de R$ 5 mil. A locação só chega a R$ 7 mil mensais quando a picape é fechada, ou seja, sem a traseira aberta para transporte de carga, o que não é o caso do veículo alugado por Lucena. A consulta nas locadoras foi por modelos mais recentes. Os senadores têm direito a R$ 15 mil por mês para despesas com aluguel de escritório político, aquisição de material de consumo, combustível, divulgação parlamentar, entre outros, além de um valor, que varia entre R$ 6 mil e R$ 29,2 mil por estado, para passagens aéreas. 

Preso 

Empresário da construção civil, Lucena foi governador da Paraíba entre março e dezembro de 1994. Também exerceu mandato de prefeito de João Pessoa entre janeiro de 1997 e dezembro 2004. Em 2005, ficou preso por dois dias, em decorrência da Operação Confraria, da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. 

Segundo o inquérito da PF, Lucena e mais sete pessoas participaram de um esquema de desvio de recursos públicos entre 1996 e 2003 na Paraíba, com fraudes em licitações de convênios para implantação de saneamento, obras de urbanização e serviços de infraestrutura em vários bairros da capital. O caso tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

R$ 7,2 mil

Valor mensal da cota parlamentar utilizada por Cícero Lucena para alugar a Pajero do irmão.

Protesto na rua de Renan

Cerca de 20 pessoas protestaram ontem contra a permanência do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado. Eles tentaram chegar à frente da residência oficial do parlamentar, no Lago Sul, mas, sabendo da manifestação marcada por uma rede social, policiais legislativos e militares cercaram o entorno. Os manifestantes, alguns encapuzados, seguiram, então, para a casa do senador José Sarney (PMDB-AP), bem próxima do local. Sem conseguir falar com ninguém da família de Sarney, que está internado em São Paulo e será submetido a um cateterismo na terça-feira, eles voltaram para a rua que dá acesso à casa de Renan, que está em Alagoas. Não houve conflito com os policiais.As informações são do Correio Braziliense.Siga nosso blog no Facebook
******

Ministério Público e PF encontram indícios de dinheiro de propina na FHC em 1998

18.08.2013
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA, 17.08.13

Ministério Público e PF fazem rastreamento e encontram indícios de que parte do dinheiro desviado no escândalo do metrô pode ter alimentado campanhas do PSDB, inclusive a de FHC em 1998. Nessa minha matéria aqui para a Rede Brasil Atual, do dia 8 de agosto, eu  antecipei  a reportagem escrita  somente nesse sábado (17) pelo IstoÉ


O Ministério Público Federal e a PF começaram na última semana uma sigilosa investigação que, entre os procuradores, vem sendo chamada de “siga o dinheiro”. Trata-se de um nome que traduz literalmente o objetivo da missão, que consiste em fazer um minucioso cruzamento de dados já coletados em investigações feitas nos Estados Unidos, na Europa e no Brasil, seja pela PF, pelo Ministério Público Federal e pelo MP de São Paulo, envolvendo os contratos feitos pelas empresas Alstom e Siemens com o governo de São Paulo. “Temos fortes indícios de que parte do superfaturamento de muitos contratos serviu para abastecer campanhas do PSDB desde 1998, especialmente as de Fernando Henrique Cardoso e Mário Covas”, disse à ISTOÉ, na manhã da quinta-feira 15, um dos procuradores que acompanham o caso. “Mas acreditamos que com os novos dados que receberemos da Suíça e da Alemanha chegaremos também às campanhas mais recentes.” Sobre a campanha de 1998, os procuradores asseguram já ter identificado cerca de R$ 4,1 milhões que teriam saído de contas mantidas em paraísos fiscais por laranjas e consultores contratados pela Alstom para trafegar o superfaturamento de obras do Metrô, da CPTM e da Eletropaulo. “Agora que sabemos os nomes de algumas dessas empresas de fachada será possível fazer o rastreamento e chegarmos aos nomes de quem participou das operações”, diz o procurador.

Dos cerca de R$ 4,1 milhões, os procuradores avaliam que R$ 3 milhões chegaram aos cofres do PSDB através de um tucano bicudo, já indiciado pela Polícia Federal. Trata-se do atual vereador Andréa Matarazzo, ex-ministro de FHC, secretário de Covas e Serra. Em 2008, quando explodiu o esquema de propinas da Alstom na Europa, documentos apreendidos por promotores da França mostravam que a empresa pagou “comissões” para obter negócios no governo de São Paulo. De acordo com memorandos apreendidos pela justiça francesa, a Alstom pagava propinas equivalentes a 7,5% do valor dos contratos que eram divididos entre as finanças do PSDB, o Tribunal de Contas do Estado e a Secretaria de Energia. Em 1998, época em que teriam sido assinados os contratos superfaturados, Matarazzo acumulava o comando da Secretaria de Energia e a presidência da Cesp, as principais clientes do grupo Alstom no Estado. Antes disso, em novembro de 2000, tornou-se pública uma planilha que teria listado a arrecadação de campanha não declarada pelo Diretório Nacional do PSDB. Segundo essa lista, Matarazzo seria o responsável por um repasse de R$ 3 milhões provenientes da Alstom. Ele nega. Diz que não fez arrecadação irregular de recursos e que apenas reuniu alguns empresários para obter ajuda financeira à campanha, de forma regular e declarada. Sobre o indiciamento, afirma que já recorreu judicialmente.
IEpag44e45FHC__ok-2.jpg
REGISTROS
Em depoimento, lobista admite que recebeu no Brasil recursos de
empresas ligadas a Alstom instaladas em paraísos fiscais
Outro R$ 1,1 milhão que os procuradores já têm rastreado teria vindo de contas mantidas por empresas instaladas em paraísos fiscais. Uma dessas contas se chama Orange e o detalhamento do esquema de recebimento do dinheiro vindo da Alstom foi revelado ao Ministério Público paulista por um ex-lobista da empresa, hoje aposentado, Romeu Pinto Júnior. No depoimento a que ISTOÉ teve acesso, ele admite que recebeu no Brasil US$ 207,6 mil do Union Bancaire Privée de Zurique, em outubro de 1998, e outros US$ 298,8 mil em dezembro do mesmo. Agora, os procuradores estão seguindo outras duas remessas feitas a Pinto Júnior pelo Bank Audi de Luxemburgo, entre dezembro de 2001 e fevereiro de 2002. A primeira soma US$ 245 mil e a segunda, US$ 255 mil. Todo esse dinheiro, segundo o procurador, passou por uma empresa no Uruguai chamada MCA. Além dela, a equipe está investigando contas em nome da Gateway e da Larey, ambas operadas por Arthur Teixeira, um dos lobistas delatados pela Siemens ao Cade, e identificadas como pontes para o pagamento de propinas.
IEpag44e45FHC__ok-2-2.jpg
Entre os documentos que o Ministério Público Federal recebeu da Suíça e da Alemanha estão dados que podem comprometer David Zilberstein. Segundo o procurador ouvido por ISTOÉ, ele teria sido um dos pioneiros a estimular a formação de cartéis, principalmente na área de energia. Só depois de rastrear todos os dados bancários obtidos nas investigações feitas fora do País é que os procuradores pretendem começar a tomar depoimentos. Os responsáveis pelas investigações avaliam que a parte mais difícil do rastreamento será feita a partir do próximo mês, quando pretendem fazer um paralelo dos dados já levantados com o que poderá vir a ser fornecido por empresas que trabalharam nas campanhas eleitorais. IstoÉ
Siga nosso blog no Facebook
*****

CELSO LUNGARETTI: "O DIREITO DE NOS ABORRECER" - 2ª TEMPORADA

18.08.2013
Do blog NÁUFRAGO DA UTOPIA, 16.08.13
Por Celso Lungaretti

Detesto novelas desde que assisti a um ou dois capítulos da primeira a ser lançada na TV brasileira, justamente no ano agourento de 1964: o dramalhão O direito de nascer. 

Foi o que bastou. Decidi que jamais ficaria refém da  máquina de fazer doidos, acorrentado à poltrona noite após noite. 

E, para quem está habituado à linguagem cinematográfica, como exaspera a lentidão novelesca! É insuportável o destaque dado a acontecimentos e personagens insignificantes, apenas para  encher linguiça  enquanto o ibope compensar (se a audiência despenca, a chatice é liquidada a toque de caixa, para dar lugar a outra tão medíocre quanto...).

Para piorar, agora há  novelões  até na política, como o julgamento do mensalão. Por critérios estéticos, não merecia ter ficado em cartaz nem por uma semana.

Então, não há muito o que dizer sobre a 2ª temporada, salvo que desvia a atenção de lutas e bandeiras muitíssimo mais importantes para quem tenta despertar o Brasil do pesadelo capitalista.

Só me resta repetir o óbvio:
  • esquemas de corrupção do tipo do  mensalão  não constituem exceção, mas sim regra;

  • os petistas só podem queixar-se do rigor inusitadamente adotado desta vez, num vivo contraste com a pizza  em que costuma(va)m terminar os episódios denunciados;
  • fico estarrecido com a ingenuidade de antigos companheiros de luta, que acreditaram poder incidir impunemente nas práticas características da política canalha, sem adivinharem que isto forneceria à imprensa burguesa um enorme trunfo contra a revolução à qual seus nomes continuam associados (a meu ver de forma errônea, pois se tornaram entes do  sistema).

Torço para que os Robespierres do STF não consigam encarcerar o José Dirceu e o José Genoíno. Seria um flagrante exagero e eu detesto ver bodes expiatórios pinçados para purgar culpas coletivas.

Mas, gostaria muito que ambos tivessem a humildade de fazer uma sincera autocrítica, pedindo-nos desculpas pelo imenso mal que causaram aos ideais nos quais um dia acreditaram... e nós continuamos acreditando até hoje.

Em O Estrangeiro, de Albert Camus, o personagem Mersault é condenado à morte por um assassinato cometido em legítima defesa, mas percebe que, na verdade, está sendo punido pela aparente insensibilidade com que acompanhou o enterro da mãe.

Da mesma forma, querem a cabeça do Zé pelo que zilhões de outros fizeram e fazem, mas sua culpa maior é haver se deslumbrado tanto com o poder que enfeixou sob o capitalismo, a ponto de aceitar noitadas com prostitutas de luxo como retribuição pelos favores prestados  aos imundos do mundo dos negócios.

Aqueles a quem os deuses querem perder, primeiramente enlouquecem. 
*****
Fonte:http://naufrago-da-utopia.blogspot.com.br/2013/08/o-direito-de-nos-aborrecer-2-temporada.html

DILMA INDICA O NOVO PGR: ELE É RODRIGO JANOT

18.08.2013
Do portal BRASIL247, 17.08.13

*****

BLOG DA CIDADANIA: Assine o pedido de compostura a Joaquim Barbosa

18.08.2013
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

Em novembro do ano passado, quando o julgamento da Ação Penal 470 (vulgo julgamento do “mensalão”) ia chegando ao fim, este Blog promoveu um abaixo-assinado contendo desagravo ao ministro do Supremo Tribunal Federal doutor Ricardo Lewandowski. A iniciativa se deveu ao sofrimento do ministro e de sua família ao longo daquele processo.
O referido sofrimento daquelas pessoas decorreu de campanha de desmoralização levantada contra Lewandowski pela conduta do então relator daquela Ação Penal, ministro Joaquim Barbosa, e dos maiores jornais, revistas, televisões, rádios e portais de internet, que praticamente transformaram o revisor do processo em mais um réu.
O “crime” de Lewandowski que gerou uma onda de difamações e agressões foi o de proferir votos contrários aos de Joaquim Barbosa em pontos específicos do processo, como, por exemplo, quando absolveu o ex-ministro José Dirceu da acusação de “formação de quadrilha”.
No dia do segundo turno das eleições municipais de 2012, Lewandowski, por conta da difamação liderada por Barbosa, foi vaiado e xingado de “bandido, corrupto, ladrão e traidor” na saída da Escola Estadual Mario de Andrade, em Campo Belo, Zona Sul de São Paulo, onde vota. O mesário da sessão em que votou chegou ao cúmulo da incivilidade ao lhe recusar a mão estendida em cumprimento.
abaixo-assinado promovido pelo Blog auferiu a adesão de 4.837 leitores nesta página, que aqui postaram comentários de apoio a Lewandowski, e de mais 10.041 pessoas no Facebook. Alunos, familiares e amigos do ministro uniram-se no desagravo a ele. Os comentários de apoio foram impressos, encadernados e este blogueiro foi a Brasília entregá-los ao desagravado.
Abaixo, a mensagem gravada em vídeo por lewandowski agradecendo ao Blog e aos seus leitores pela iniciativa. Em seguida, o texto prossegue.


Eis que, na quarta-feira da semana passada (14/08), recomeça a etapa final do julgamento do “mensalão” e, mais uma vez, o mesmo ministro Joaquim Barbosa trata de retomar a encenação de 2012, quando tratou de insultar Lewandowski no pleno do STF, chegando a sugerir, como volta a fazer agora, que ele estaria a serviço dos réus da AP 470.
A falta de compostura do presidente da instituição que Lewandowski bem disse “multissecular” se deve a uma sua busca escandalosamente evidente por popularidade fácil entre os setores mais abastados da sociedade, que vibram com sua parcialidade e com seu destempero, ambos incabíveis naquele que preside o Poder Judiciário.
Mais uma vez, portanto, este Blog vem apelar aos seus leitores para que se unam a esta iniciativa. Desta vez, porém, ela não se deve (apenas) a solidariedade àquele que, como bem disse no vídeo acima, nada mais fez do que cumprir com seu dever de magistrado, mas, sobretudo, à necessidade imperiosa de pedir compostura ao presidente do STF.
A seguir, pois, mensagem do Blog e de seus leitores que será impressa e entregue em Brasília no gabinete do presidente do STF, Joaquim Barbosa, junto com os comentários de adesão que eventualmente o texto vier a receber. Eis, portanto, a sua chance, leitor, de dizer – sempre de forma respeitosa – ao senhor Barbosa que a sua conduta é danosa à democracia.
—–
Ao
Ilustríssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal Federal
Sua Excelência Doutor Joaquim Barbosa
É com legítimo sentimento de frustração que os abaixo-assinados vimos até o presidente do Poder Judiciário brasileiro de forma a exortá-lo a que interrompa uma conduta que vem adotando ao longo do tempo que desrespeita, insulta e desmoraliza não apenas a magistratura nacional, mas cada cidadão brasileiro.
Nós, cidadãos abaixo-assinados, nos declaramos perplexos ao ver a Suprema Corte de Justiça do País transformada em um verdadeiro botequim em que, aos berros, uma das mais altas autoridades da República se despe da serenidade e do respeito que deve à coletividade.
Dificilmente até o próprio destinatário destas palavras irá negar que a Justiça anda em débito com o país. Lenta, imprecisa, seletiva de acordo com a classe social e – agora se sabe – com a posição política dos que lhe batem à porta, é vista com desconfiança pela esmagadora maioria da sociedade.
Os membros do Supremo Tribunal Federal, por sua vez, não sendo guindados ao cargo pelo voto popular e, sim, por escolha do chefe do Poder Executivo Federal, têm a responsabilidade indelegável de transmitir confiança de que suas decisões não se baseiam no coração ou no fígado, mas nos princípios mais elevados do Direito.
Troca de insultos e sugestão de condutas incompatíveis com a ética entre os ministros do Supremo, portanto, conspurcam a todos eles.
Foi assim na quinta-feira, 15 de agosto de 2013, quando o presidente do Supremo Tribunal Federal acusou o ministro Ricardo Lewandowski de atuar em desconformidade com seus deveres constitucionais de forma a beneficiar acusados de crimes graves, o que, por óbvio, sendo verdade o transformaria, também, em criminoso.
A situação produzida pelo destempero verbal e emocional do presidente do STF, assim, tem o efeito deletério de pôr em dúvida todo o colegiado daquela Corte, pois se um dos ministros age de forma antiética, qualquer outro pode agir.
Dessa maneira, nós, cidadãos abaixo-assinados, exortamos Vossa Excelência, doutor Joaquim Benedito Barbosa Gomes, a que respeite a sociedade brasileira abstendo-se de perder o controle, senão o tempo todo – como seria desejável –, ao menos nas sessões da Corte que preside, momentos em que seu cargo lhe cobra um mínimo de compostura.
Sem mais para o momento, os abaixo assinados subscrevemos as ponderações acima.
Atenciosamente,
(…)
—–
PS: para “assinar” o pedido, deixe seu comentário neste post.
******

CAUDILHO FERNANDO HENRIQUE CARDOSO ENTRA EM PARAFUSO COM O MENSALÃO DA SIEMENS PARA O PSDB

18.08.2013
Do blog 007BONDeblog, 17.08.13

E AFRONTA A LÓGICA E DINÂMICA DOS FATOS

Com uma argumentação pobre, que não consegue CONVENCER nem mesmo ao leitor que tenha a maior "boa vontade" para o que diz, FHC procura fazer comparação entre o chamado MENSALÃO do PT e o recente caso do MENSALÃO DA SIEMENS PARA O PSDB, e tenta negar o óbvio, de que o seu partido está enterrado até o pescoço no escândalo.

Leia trechos dos absurdos que FHC disse e saiu publicado em O Globo ( Só mesmo em O Globo ), e nós estamos entremeando com contestações.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso considerou nesta quinta-feira que, diferente do esquema do mensalão, (trazer um caso de corrupção ameniza outro caso de corrupção e serve de defesa dos tucanos ?) as denúncias de formação de cartel em licitações de transporte público em São Paulo não têm evidências concretas para envolver o PSDB em um escândalo de corrupção (Não tem evidências ? - 20 ANOS seguidos de um esquema dessa natureza, e o caudilho FHC acha que o PSDB nada tem a ver com isso ?)

- No mensalão, era uma coisa provada, de dinheiro público também, que era usado por um partido para comprar apoio de congressistas. E, no caso, não tem nada a ver. Não apareceu o PSDB (NÃO ? Apareceu quem ?) recebendo dinheiro, não comprou ninguém com esse dinheiro (O PSDB não comprou, mas foi comprado ? ). Pode ter havido corrupção, mas é pessoal (PESSOAL DE QUEM ? - De que partido eramos secretários e funcionários que participaram do CARTEL ?) - afirmou.

O líder tucano refutou a tese ( TESE ? - Não se trata de uma "tese', trata-se de uma ACUSAÇÃO/DENÚNCIA de quem participou do cartel) de que o governo de São Paulo teria dado aval à formação de cartel, como alegou em documentos um funcionário da Siemens, e saiu em defesa do ex-governador José Serra. Na avaliação dele, o impacto das denúncias na imagem do partido vai depender do que for apurado daqui para frente.

- Eu vi que há um cartel, é lamentável que haja um cartel, mas não deriva que alguém tenha sido beneficiado (Corrupção, desvio de Bilhões, superfaturamento e ninguém foi BENEFICIADO ? FHC pensa que nós cidadãos somos OTÁRIOS ?. Além do mais, DERIVA que alguém foi PREJUDICADO - No caso o povo de São Paulo  ) Pode ser, mas não apareceu - disse. (Não apareceu ? Ah ! E se depender da "honestidade dos tucanos e da "imparcialidade" da MÍDIA PARTIDARIZADA, não vai aparecer nunca)
******

IMPERADOR ATAULFO AMEDRONTA ROSA E CARMEN

18.08.2013
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

Tijolaço descobre que o Ataulfo (*) tem um Supremo Polegar.

Saiu no Tijolaço:

O SUPREMO POLEGAR, MERVAL?


O artigo de hoje de Merval Pereira em O Globo é um primor de explicitude.

Deixa claro a importância política de que a admissibilidade dos embargos infringentes seja feita “nos dias 4 e 5″ e às vésperas, portanto , “das grandes manifestações que estão sendo convocadas em todo o país para come-morar o Dia da Independência na visão da cidadania”.

À parte o mau português (cidadania, Merval, não é coletivo de cidadãos, mas condição jurídica do cidadão), é pior ainda o senso injurídico e demagógico de  o julgamento se assemelhe ao de um circo romano, onde o polegar do imperador se voltasse para baixo ou para cima pelos gritos da platéia, determinando a vida ou a morte de cristãos ou de gladiadores.

Não sei se Merval está informado, mas a ideia de democracia e de Direito sofreu certa evolução nos dois milênios que nos separam daquela Roma.

É por isso que temos julgamentos, não linchamentos.

Singular, a ideia de democracia de Merval:
“Mesmo que um colegiado como o do STF não deva se vergar diante de pressões de qualquer natureza, apesar de, numa democracia, a voz das ruas ser a expressão da vontade do cidadão, não é razoável imaginar que aqueles 11 juízes que representam o equilíbrio institucional do país não levem em conta a gravidade da decisão que tomarão, especialmente nos dias de hoje, quando a cidadania (sic) clama por Justiça e pela eficiência dos serviços públicos.”

Quantos centenas ou  milhares são “a voz das ruas”? A opinião pública, quantas vezes, é a opinião que se publica?

Poderíamos, a prevalecer o juízo de Merval, nos tornarmos uma imensa assembléia, onde quem levar mais gente para as ruas “ganha”?

Merval Pereira age, assim, como uma espécie de Black Bloc jurídico, que se arroga o direito de  suspender as proteções da lei, as garantias legais, em nome de supostos manifestantes “da cidadania”.

A frase que não é dita, mas é evidente: Ou prendem José Dirceu ou depredamos a dignidade do STF!

Ele repete, com palavras pouco disfarçadas, a acusação de Joaquim Barbosa de que Ricardo Lewandowski estaria patrocinando “chicanas”:
“Nesta retomada do julgamento, o ministro Lewandowski continua com suas longas análises, mesmo para concordar com o relator , fugindo à rapidez com que a maioria de seus pares está votando(…)”

Não entro, como disse antes, na análise jurídica do caso, levianamente.

Até porque esta virou, também na visão de Merval e de outros menos explícitos, uma decisão política, não jurídica.

E se pretende, com isso, transformar o STF num tribunal de opinião, não de leis.

E, portanto, num tribunal de exceção, como os da ditadura, onde os juízes tinham de substituir suas consciências jurídicas pela vontade do regime.

Se ousassem contrariá-la, havia as tropas.

As mesmas que Merval, agora, invoca, com seus capuzes.



Clique aqui para ler “Toda a pressão sobre Rosa e Carmen”.

A propósito da falsa cultura do Ataulfo, clique aqui para ver as lambanças dele na literatura irlandesa.

Navalha
Uma modesta contribuição à análise do estilo do Ataulfo.
Ele é imperativo, impositivo como o presidente Barbosa.
Gongórico, gorduroso, como o Big Ben de Propriá.
E falso eclético como Gilmar Dantas (**), que pensa que só ele estudou na Alemanha.
São as três musas do “cidadão”.

Paulo Henrique Amorim




(*) Ataulfo de Paiva foi o mais medíocre – até certa altura – dos membros da Academia. A tal ponto que seu sucessor, o romancista José Lins do Rego quebrou a tradição e espinafrou o antecessor, no discurso de posse. Daí, Merval merecer aqui o epíteto honroso de “Ataulfo Merval de Paiva”, por seus notórios méritos jornalísticos,  estilísticos, e acadêmicos, em suma. Registre-se, em sua homenagem, que os filhos de Roberto Marinho perceberam isso e não o fizeram diretor de redação nem do Globo nem da TV Globo. Ofereceram-lhe à Academia. E ao Mino Carta, já que Merval é, provavelmente, o personagem principal de seu romance “O Brasil”.

(**) Clique aqui para ver como um eminente colonista do Globo se referiu a Ele. E aqui para ver como outra eminente colonista da GloboNews e da CBN se refere a Ele. E não é que o Noblat insiste em chamar Gilmar Mendes de Gilmar Dantas ? Aí, já não é ato falho: é perseguição, mesmo. Isso dá processo… 
****

SONEGAÇÃO FISCAL: Leão cobra R$ 19 bilhões do Itaú

18.08.2013
Do blog O CAFEZINHO, 16.08.13
Postado por Miguel do Rosário

Agora sim, é hora do gigante ir às ruas e exigir que as grandes empresas, como Globo e Itaú, paguem seus impostos. Com esse dinheiro, construiremos hospitais, escolas e universidades!
Receita Federal cobra R$ 18,7 bilhões do Itaú Unibanco por fusão
Do UOL, em São Paulo 16/08/201312h02 > Atualizada 16/08/201312h58
(via @stanleyburburinho)

A Receita Federal está cobrando do Itaú Unibanco (ITUB4) cerca de R$ 18,7 bilhões em impostos atrasados, multas e juros relacionados aos instrumentos contábeis usados para a unificação das operações. O anúncio de notificação acontece quase cinco anos após a fusão que criou o maior banco privado do país, no final de 2008.
Segundo comunicado do Itaú Unibanco divulgado nesta sexta-feira (16), a Receita Federal autuou a instituição financeira, cobrando R$ 11,845 bilhões em Imposto de Renda, além de R$ 6,867 bilhões em Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, acrescidos de multa e juros.
Procurado, o Itaú Unibanco disse que não faria comentários adicionais além dos divulgadas no documento de informação ao mercado, chamado no jargão da área de “fato relevante”.
O Itaú Unibanco classificou como “remoto” o risco de perda no processo aberto pela Receita, mas não informou se provisionará a cobrança em seus balanços futuros.
A instituição afirmou que as operações de fusão do Itaú com o Unibanco foram legítimas e que foram aprovadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), pelo Banco Central e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica.
Maria Alice Setubal, herdeira do Itaú, e Marina Silva, CEO da REDE
*****

TODO MUNDO na porta do JB. AO VIVO c/ Midia Ninja

18.08.2013
Do blog MEGACIDADANIA, 16.08.13
banner-midia
TODO MUNDO na porta do JB. AO VIVO c/ Midia Ninja
A truculência de Joaquim Barbosa não é fortuita, é planejada. Ele teme que o distinto público tenha acesso aos notórios e evidentes ERROS existentes na AP 470.
Apoiado na velha mídia, Joaquim Barbosa tenta impor - na marra - uma decisão que está evidentemente ERRADA.
A blogosfera e diversos internautas, há muito tempo estão reproduzindo documentos do próprio processo e que vergonhosamente foram OCULTADOS pela PGR/MPF e JB no já famoso GAVETÃO, o inquérito PARALELO 2474. LEIA AQUI http://www.megacidadania.com.br/jb-e-o-sigiloso-inquerito-2474/
Longe do debate técnico/jurídico o que se verifica é uma nítida disputa política, afinal JB quer que seus pares apenas cumpram a tarefa de cabos-eleitorais em seu projeto político pessoal para 2014.
O julgamento em curso é um mero trampolim p/ JB. A justiça ... pouco importa p/ ele que tem nos cães-de-guarda midiáticos o seu escudo.
Devemos destacar que diversos jornalistas consagrados tiveram o cuidado profissional de pesquisar, sob diversos ângulos, os ERROS da AP 470. Mas o império midiático impede o livre exercício de sua ampla divulgação.
TRUCULÊNCIA NUNCA MAIS !
Na porta do JB vamos democraticamente manifestar nossa indignação e mostrar a todos os notórios e evidentes ERROS dele e da PGR/MPF de Antº Fernando e Gurgel ao OCULTAREM documentos da AP 470 dos demais ministros do STF.
Se você está no RJ, compareça ao evento:
AGORA É NA PORTA DO JB
Domingo 18/08 às 15:00h
Av Borges de Medeiros, 239 - Lagoa, canal do Jardim de Alah (RJ)
Concentração a partir das 14:30h
Se você está longe do RJ, assista AO VIVO a transmissão pela Mídia Ninja
*****