Pesquisar este blog

quarta-feira, 6 de março de 2013

Folha X Falha: Tribunal de Justiça concorda com a empresa e coloca propriedade acima da liberdade


06.03.2013
Do blog DESCULPEM A NOSSA FALHA, 21.02.13

Advogada da Folha defende o jornal no plenário do TJ-SP (foto: Fora do Eixo)
Advogada da Folha defende o jornal no plenário do TJ-SP (foto: Fora do Eixo)
“A discussão que se trava aqui não é sobre direito de livre expressão ou critica. A ação tem um viés patrimonial e é assim que deve ser julgada”. A frase do relator do julgamento de ontem, o desembargador João Francisco Moreira Viegas, dá bem o tom do que foi a decisão tomada no Tribunal de Justiça de São Paulo ontem (20 de fevereiro), quando, em 2ª instância, ficou confirmado que o blog fAlha de S. Paulo deve continuar fora do ar. O juiz revisor do caso, Edson Luiz de Queiroz, endossou a interpretação de Moreira Viegas: 

“Não há discussão sobre liberdade. A questão é de natureza marcária, e o registro da marca Folha de S. Paulo está no Instituto Nacional de Propridade”. E finalizou: “a questão vital é: houve violação de uma marca. Então acompanho o voto do relator e tomo a liberdade de parabenizá-lo”.

Mário e Lino Bocchini, criadores da Falha, na porta do Tribunal (foto: Jennifer Glass)Mário e Lino Bocchini, criadores da Falha, na porta do Tribunal (foto:Jennifer Glass)

A sustentação oral da Folha não foi feita por sua principal advogada, Taís Gasparian, que assina o processo que tirou a fAlha do ar. Coube a advogada Mônica Galvão ser a primeira pessoa ligada à Folha a, em mais de 2 anos após a censura da Falha, verbalizar a posição da empresa: “Quem vê o blog, claramente percebe a possibilidade de confusão. Tinha só a alteração de uma letra. A marca tem valor econômico, e há um ordenamento jurídico que garante de maneira ampla que seu uso seja feito exclusivamente pelo seu titular. Não se pode admitir nome de domínio com tamanha similitude, com expressa intenção de confundir. Existe uma apropriação do uso de marca, o que é inadmissível: a paródia em questão se trata de uma imitação”.

De nada adiantou o defensor da Falha, o advogado Luis Borrelli Neto, defender que, fosse essa a interpretação, “nomes como UOL, Bol e AOL, por exemplo, jamais poderiam conviver na internet”. Também não adiantou lembrar que o próprio juiz de 1ª instância, Gustavo Coube de Carvalho, já havia afirmado que “nem mesmo um tolo apressado seria levado a crer que trata-se de um blog ligado ao jornal”. Também não foram dado ouvidos ao argumento de que programas de TV e tantos outros sites, jornais e revistas fizeram ou fazem o mesmo, no Brasil e no exterior, sem problemas. Borrelli Neto ainda lembrou que “a paródia não está apenas no conteúdo, mas também no domínio. Subtrarir do apelante o direito de utilizar o domínio significa atentar contra a liberdade de expressão ou, pelo menos, enfraquecer a paródia”. Vale lembrar que a Falha não tinha sequer banner publicitário ou fim comercial, o que também enfraquece –ou derruba– o argumento de “concorrência parasitária” utilizado diversas vezes pelo jornal.

Tampouco sensibilizou os desembargadores do TJ-SP toda discussão pública travada desde o primeiro dia de vigência da liminar, colocando como central a questão da liberdade de expressão, ponto defendido pela blogosfera nacional e entidades como a FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), a Repórteres sem Fronteiras ou a relatoria especial da ONU para a Liberdade de Expressão. Não foi levado em consideração o apoio à Falha explicitado por 15 deputados federais de diferentes partidos em audiência pública no Congresso. Muito menos a opinião da mídia internacional ou de personalidades como Marcelo TasRafinha BastosGilberto Gil e até Julian Assange, que se manifestou publicamente contra a ação da Folha. Tudo isso foi deixado de lado em nome de uma alegada defesa da propriedade.

Manifestatnte faz performance na porta do tribunal (foto: Bruno Torturra)Performance na porta do tribunal (foto: Bruno Torturra)

E, sendo assim, ontem cedo ficou determinado que a Falha segue censurada. Pelo entendimento da Folha e dos desembargadores, está proibido o uso do endereço da internet falhadespaulo.com.br, do logotipo da Falha e a reprodução parcial de reportagens –mesmo que a finalidade original fosse a crítica. Mais: paira sobre o restante do conteúdo produzido uma ameaça um tanto subjetiva, a condenação do “uso indevido da marca”, com todas as nuances de interpretação que uma expressão vaga dessa carrega. 

O pior de tudo, conforme os advogados da Falha têm alertado, é a jurisprudência que foi aberta ontem pelo Tribunal de Justiça. Segundo o próprio juiz de 1ª instância, não havia casos similares que pudessem basear a decisão. Nunca antes um grande veículo havia ido à Justiça para tirar um site do ar. Agora a jurisprudência existe, o precendente está aberto: pessoas e empresas interesadas em banir alguma página da internet acabam de ganhar uma arma poderosa.
***********  
Íntegra do julgamento no TJ (transmissão da #posTV):

******
Fonte:http://desculpeanossafalha.com.br/folha-x-falha-tribunal-de-justica-concorda-com-a-folha-e-coloca-propriedade-acima-da-liberdade/

Presença da mulher no mercado de trabalho aumentou em 2012

06.03.2013
Do portal do DIARIO DE PERNAMBUCO
Por Agência Brasil


A presença das mulheres no mercado de trabalho, na região metropolitana de São Paulo, aumentou em 2012 para 56,1%, resultado um pouco acima dos 55,4% registrados em 2011. A taxa de desemprego feminina ficou estável em 2012 (12,5%), enquanto a masculina aumentou de 8,6% para 9,4%, entre 2011 e 2012. Os dados constam da pesquisa O Trabalho das Mulheres, Mudanças e Permanências, divulgada nesta quarta-feira pela Fundação Seade, centro de análises econômicas e pesquisas do governo de São Paulo.

De acordo com a Fundação Seade, a queda da taxa de desemprego feminino é decorrente do crescimento econômico e do aumento do nível de ocupação. Também reflete as transformações das relações familiares, nas quais o homem não é necessariamente o provedor da família. “As mulheres foram as grandes favorecidas com o crescimento econômico que vem desde 2003, com mais postos de trabalho e mais empregos formais, ao mesmo tempo que seu rendimento não cresceu tanto”, disse a analista da Fundação Seade, Marcia Halben Guerra.

Os dados mostram ainda que a criação de postos de trabalho entre as mulheres foi 1,8% enquanto entre os homens foi 0,6%. Entre os setores, os que mais empregam mulheres são o de serviços, que passou de 68,3% para 69,8%; comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (de 16,7% para 15,9%); indústria de transformação (de 13,5% para 12,9%) e serviços domésticos estável em 14,7%).

“As mulheres estão mais inseridas nos serviços. Cresceu o serviço administrativo, mas isso acontece porque a área exige menor qualificação, como os serviços de limpeza, vigilância. O de alimentação, que exige baixa qualificação, também aumentou”, disse a analista.

De acordo com a pesquisa em 2012, o rendimento médio das mulheres ocupadas na região metropolitana de São Paulo equivalia a R$ 1.363,00 e o dos homens a R$ 1.990,00. Quando se refere ao valor por hora trabalhada a mulher recebeu R$ 8,24 por hora, 5,8% a mais do que em 2011, e o homem R$ 10,70, valor 5,2% maior do que no ano anterior.

Para Marcia Guerra, “a diferença de remuneração reflete um pouco que a maioria das ocupações criadas para as mulheres são as que pagam menos e exigem menor qualificação”.

Ela ressaltou que tudo a pesquisa expõe a cultura da sociedade. “Não só no Brasil há uma cultura de que a mulher é mais responsável pelo cuidado dos filhos, da casa, dos idosos, mais do que os homens. Tanto que, quando se compara o rendimento, olhamos por hora porque a jornada das mulheres é um pouco mais baixa do que a dos homens, que no ano passado trabalhavam 43 horas e as mulheres 39”.

*****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/economia/2013/03/06/internas_economia,426989/presenca-da-mulher-no-mercado-de-trabalho-aumentou-em-2012.shtml

Hugo Chávez e o rola-bosta da Veja

06.03.2013
Do BLOG DO MIRO 
Por Altamiro Borges
http://satiro-hupper.blogspot.com.br/

Os fascistas estão em festa! Macabros e patéticos, eles comemoram a morte de Hugo Chávez. Dão vivas aos EUA e à oligarquia racista da Venezuela. Na internet, uma via que aceita tudo, extravasam os piores instintos. Muitos destes seres medíocres se baseiam nos artigos de alguns “calunistas” da mídia colonizada e golpista. Reinaldo Azevedo, o pitbull da revista Veja, volta a ser a referência. Como bem definiu o teólogo Leonardo Boff, o jornalista é um autêntico “rola-bosta”, que empurra excrementos para os mais tacanhos.

Logo após o anúncio da morte do presidente venezuelano, Reinaldo Azevedo não conteve a sua alegria. Para ele, “Chávez, agora morto, foi vítima da própria farsa e não teve tempo de aprender com Lula”. O líder bolivariano optou pelo tratamento do seu câncer em Cuba, ao invés de fazer como o ex-presidente Lula, que tratou da sua doença num hospital privado. Morreu por sua opção ideológica, afirma o reacionário privatista, neoliberal e defensor dos genocídios imperialistas – que deveria tratar da sua saúde nos EUA.

Na sua visão delirante, a Venezuela não perdeu nada com o que ele chama de a morte do chavismo – “um misto de banditismo político com delírio ideológico retrô. É evidente que sérias turbulências virão pela frente porque o modo de governo inventado por Hugo Chávez, que morreu nesta terça, só funcionava com o carisma do caudilho. Agora morto, os gângsteres que o cercavam iniciarão a luta intestina pelo poder - ainda que a imagem do mártir garanta ao menos mais uma eleição para a turma”.

Reinaldo Azevedo trata o falecido Chávez como “bandido farsante”, “ditador”, “burro” e “bandoleiro”. Ele alimenta os pistoleiros da internet – que deveriam ser vigiados pela Polícia Federal em função do seu grau de violência. Como bem disse Leonardo Boff, indignado com as barbaridades do blogueiro da Veja quando da morte do Oscar Niemeyer, este sujeito se assemelha a um escaravelho, “popularmente chamado de besouro rola-bosta”. Um pena que ainda haja tantos leitores e assinantes da Veja. O boicote seria a melhor arma contra os seus rola-bostas!

******
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/03/hugo-chavez-e-o-rola-bosta-da-veja.html

A falsa negra: modelo branca foi ‘bronzeada’ para posar em editorial

06.03.2013
Do portal PRAGMATISMO POLÍTICO, 28.02.13

Modelo branca foi ‘bronzeada’ para posar em editorial chamado ‘African Queen’. Após repercussão negativa, revista pede desculpas 


“Por que contratar uma modelo negra quando você pode simplesmente pintar uma branca?” É assim que o site Foudre resume a história da modelo branca, de olhos azuis, que foi contratada pela revista francesa Numéro para um editorial intitulado ‘African Queen’.
revista francesa modelo negra branca
A falsa modelo negra que foi ‘bronzeada’ para edital africano
Ondria Hardin, de 16 anos, natural da Carolina do Norte, foi devidamente maquiada da cabeça aos pés para ficar com o tom de pele mais escuro.
Leia também
Para o Huffington Post, “mais um triste exemplo de como a indústria da moda continua ignorando ou explorando a diversidade étnica ao invés de celebrá-la”

Revista francesa se desculpa por colocar falsa modelo negra em editorial

A revista “Numéro” fez uma edição inspirada na África e fotografou uma modelo branca completamente maquiada para ficar negra.
Após receber críticas na internet por escurecer o corpo de uma modelo loira, de forma que ela parecesse negra, a redação da revista francesa Numéro publicou, nesta quarta-feira (27), um comunicado com um pedido de desculpas.
Queremos pedir desculpas a todos que possam ter se sentido ofendidos com o editorial”. Ainda no mesmo texto, a redação defende o responsável pelas imagens, o badalado fotógrafo Sebastian Kim, colaborador assíduo da revista, e que já clicou celebridades como Brad Pitt e Rooney Mara. “Temos o máximo respeito pelo trabalho do fotógrafo e negamos que ele tenha tido, a qualquer momento, a intenção de ferir a sensibilidade dos leitores“.
Blue Bus e Agências Internacionais

*****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/02/a-falsa-negra-modelo-branca-foi-bronzeada-para-posar-em-editorial.html

JOAQUIM BARBOSA COMETE AGRESSÕES EM SÉRIE

06.03.2013
Do portal BRASIL 247, 05.03.13
******
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/95343/Joaquim-Barbosa-comete-agress%C3%B5es-em-s%C3%A9rie.htm

LULA: O ORGULHO DE TER ATUADO AO LADO DE CHÁVEZ

06.03.2013
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

 “Trabalhamos pela integração da América Latina e por um mundo mais justo”, ponderou o Nunca Dantes.


"Tenho a confiança de que seu exemplo de amor à pátria e sua dedicação à causa dos menos favorecidos continuarão iluminando o futuro da Venezuela”, disse Lula.


Conversa Afiada reproduz post do Vermelho, com informações do Terra:

LULA: O ORGULHO DE TER ATUADO AO LADO DE CHÁVEZ


O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva lamentou a morte do “amigo” Hugo Chávez na noite desta terça-feira. Lula afirmou, em nota oficial, que tem orgulho de ter trabalhado com o presidente da Venezuela “pela integração da América Latina e por um mundo mais justo”.

“Foi com muita tristeza que recebi a notícia do falecimento do presidente Hugo Chávez. Tenho orgulho de ter convivido e trabalhado com ele pela integração da América Latina e por um mundo mais justo”, afirmou.

“Eu me solidarizo com o povo venezuelano, com os familiares e correligionários de Chávez, neste dia tão triste, mas tenho a confiança de que seu exemplo de amor à pátria e sua dedicação à causa dos menos favorecidos continuarão iluminando o futuro da Venezuela”, completou o brasileiro.



Clique aqui para ler ” “O Chávez morreu. Depois é o Fidel. Depois …”. ” 

Aqui para ler “Dilma: Chávez tinha compromisso com o povo”. 

Aqui para ler “O fim do chavismo ?”. 

aqui para ver “Vídeo: Dirceu relembra Chávez”. 

******
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/03/06/lula-o-orgulho-de-ter-atuado-ao-lado-de-chavez/

Justiça dá prazo de 48 horas para administração do Aeroclube deixar o local


06.03.2013
Do portal do DIARIO DE PERNAMBUCO
Por Tânia Passos

Administração do Aeroclube recebe prazo de 48 horas para desocupar o local. Foto: Tânia Passos/DP/D.A Press Administração do Aeroclube recebe prazo de 48 horas para desocupar o local. 
Foto: Tânia Passos/DP/D.A Press

A Justiça deu um prazo de 48 horas para a administração do Aeroclube de Pernambuco, localizado no bairro do Pina, deixar o local. Uma ação de desocupação foi realizada na manhã desta quarta-feira, em cumprimento à ordem de despejo assinada pelo juiz Edvaldo José Palmeira da quinta vara da Fazenda Pública. A operação está sendo realizada com apoio dos policiais do Grupamento de Ações Táticas Itinerantes (Gati) e acompanhada pelo procurador do estado, Henrique Lucena. A partir de hoje já deixam de ser realizados no local as aulas teóricas de pilotagem e os serviços administrativos.

Também foi concedido um prazo de 48 horas para que sejam retiradas do terreno diversas aeronaves particulares, inclusive o helicóptero da Secretaria de Defesa Social. Neste momento, o presidente do aeroclube, Francisco Rodrigues conversa com o procurador e o oficial de justiça. 

Desde agosto do ano passado, o magistrado já havia concedido a reintegração de posse do terreno ao governo do estado. Desta vez, segundo a Procuradoria Geral do Estado, não cabe mais recurso.

A presidência do aeroclube alega que o terreno alvo da decisão tem 40 hectares, enquanto a área ocupada pelo aeroclube tem 21 hectares. O restante do espaço corresponde a todos os imóveis circunvizinhos, incluindo o loteamento Park 41, o Convento Frei Damião e todas as demais residências localizadas na Rua José Rodrigues e adjacências. O Aeroclube de Pernambuco está no terreno desde 1941 e tem cerca de 600 empregados.

Em 2004, o poder público estadual ingressou com um processo na Justiça alegando que o terreno onde fica o aeroclube lhe pertencia e teria sido cedido em sistema de comodato e por tempo indeterminado. O fim da parceria, informou o governo à Justiça, teria acontecido em setembro daquele ano, quando o estado decidiu reaver a posse do lugar.

A área vem se valorizando em termos imobiliários e integra a região que receberá a Via Mangue. O pedido à Justiça, em 2004, foi acompanhado do argumento de que o terreno seria utilizado por helicópteros da Secretaria de Defesa Social (SDS) para atividades de segurança preventiva e repressiva. Do mesmo modo, seria utilizada para a remoção de vítimas para os hospitais públicos. Esses argumentos fizeram o juiz Edvaldo José Palmeira, que concedeu a liminar neste mês, a decidir em favor do estado, pela primeira vez, em dezembro de 2004.

Na época, a direção do aeroclube recorreu à Justiça e conseguiu reverter a liminar. A reintegração de posse foi suspensa pelo juiz substituto da Quinta Vara da Fazenda Pública, Luiz Gomes da Rocha Neto. Para o magistrado, a documentação apresentada pelo aeroclube contrariava os argumentos do poder público.
*******
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2013/03/06/interna_vidaurbana,426877/justica-da-prazo-de-48-horas-para-administracao-do-aeroclube-deixar-o-local.shtml

Maria da Penha promove palestra sobre questões de gênero

06.03.2013
Do blog BRASIL QUE EU QUERO, 05.03.13
Por Ministério Público Distrito Federal
Maria da Penha - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Presença da mulher que inspirou a Lei 11.340/06 abre as comemorações relativas ao Mês da Mulher no Ministério Público do Distrito Federal 

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) promoveu ontem (28) a palestra “Maria da Penha no Ministério Público: reflexões para a efetividade da Lei nº 11.340/2006”. Além da palestra, o encontro marcou o lançamento da 3ª edição da cartilha de prevenção à violência doméstica (Mulher, valorize-se: conscientize-se de seus direitos), promovida pelo Núcleo de Direitos Humanos do Ministério Público do DF.

O objetivo da palestra foi conscientizar membros e servidores sobre as questões de gênero e qualificá-los para atuar, de forma eficiente, nas ações de violência doméstica contra a mulher. A trajetória de vida de Maria da Penha e os principais pontos da legislação foram parte do conteúdo ministrado pela mulher que deu nome à Lei nº 11.340/06. Parlamentares e representantes do Executivo e de movimentos sociais ligados às questões de gênero estiveram presentes no evento.

Atribuições exclusivas

A partir da promulgação da Lei Maria da Penha, em 2006, o MPDFT criou Promotorias de Justiça com atribuição exclusiva de defesa da mulher. Atualmente, existem dez Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, sendo cinco na circunscrição judiciária de Brasília e cinco na circunscrição judiciária de Ceilândia. Além dessas promotorias exclusivas, há outras 26 que compartilham as atribuições criminais com as de defesa da mulher em situação de violência.

O MPDFT conta também com um Núcleo de Gênero, e 15 outras unidades que atuam direta ou indiretamente com o tema do enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher.

****
Fonte:http://brasilqueeuquero.blogspot.com.br/2013/03/maria-da-penha-promove-palestra-sobre.html

Representantes sindicais entregam pauta de reivindicações a presidente do STF


06.03.2013
Do portal da Agência Brasil
Por Débora Zampier
Justiça

Brasília – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, recebeu hoje (6) representantes de entidades sindicais em audiência para apresentação de pautas de interesse dos trabalhadores. De acordo com os dirigentes, é a primeira vez que um chefe da Suprema Corte recebe sindicalistas.

A reunião foi articulada pelo presidente da Força Sindical, deputado federal Paulinho da Força (PDT-SP). O encontro faz parte da agenda de autoridades dos Três Poderes após a 7ª Marcha das Centrais Sindicais e dos Movimentos Sociais, ocorrida na manhã desta quarta-feira, na capital federal.

Segundo os sindicalistas, não houve abordagem de assunto específico, mas apenas a entrega de pautas de interesse dos trabalhadores, como redução da jornada de trabalho e fim do fator previdenciário.

Eles garantiram que não trataram da medida provisória dos portos, que irá regulamentar o setor, embora acreditem que o assunto deva parar no Supremo, caso o Executivo insista na pauta.  “Estamos com Adin [ação direta de inconstitucionalidade] preparada. Caso não se resolva, acaba no STF”, disse Paulinho da Força. “Mas antes de chegar no Supremo, o pau vai quebrar muito, vai ter muita greve”, adiantou.

Edição: Carolina Pimentel

*******
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-03-06/representantes-sindicais-entregam-pauta-de-reivindicacoes-presidente-do-stf

Multidão acompanha cortejo de Chávez até o local do velório, na Academia Militar

06.03.2013
Do portal da Agência Brasil
Por agências Telam e Venezuelana de Notícias
Internacional

Brasília – Acompanhada por uma multidão de simpatizantes e seguidores, a urna com o corpo do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, deixou o Hospital Militar, em Caracas, ao meio-dia, e iniciou o cortejo rumo ao Forte Tiuna, na Academia Militar, onde será velado a partir de hoje (6). Antes do traslado, houve uma breve cerimônia religiosa no hospital, na presença da mãe de Chávez, Elena Frías. Foi na Academia Militar que Hugo Chávez formou-se oficial do Exército venezuelano.

O caixão com o corpo do presidente, que morreu na tarde de ontem (5), aos 58 anos, foi coberto com a bandeira da Venezuela e cercado por militares que usavam boinas vermelhas. Um padre rezou o Padre Nosso e a Ave Maria e benzeu a urna, depois que foi cantado o Hino Nacional.

Nos arredores, uma multidão vestida de vermelha, na qual apareciam muitos com casacos tricolores, esperava a passagem do caixão. À frente estavam o vice-presidente Nicolás Maduro e sua esposa, a procuradora Cilia Flores, para o último adeus ao presidente. O cortejo avançava lentamente pelas avenidas da capital venezuelana.

Na Academia Militar, aguardavam a chegada do cortejo o Alto Comando Militar e representantes dos três Poderes da República.

A multidão, que portava bandeiras vermelhas, identificam o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), entoava canções que expressavam seu carinho pelo líder bolivariano, a quem reconhece sobretudo pelas políticas de inclusão social e pela defesa da unidade latino-americana.

"Chávez é nosso pai. Mesmo que não esteja aqui conosco, sempre nos acompanhará. Um homem como ele aparece a cada 200 ou 300 anos", disse, emocionado, um homem de cerca de 60 anos. Ao lado, uma jovem de não mais que 20 anos, exibia, chorando, uma bandeira com o rosto do presidente, que dizia: "Todos somos Chávez".

O local do velório, no Salão de Honra da Academia Militar, já está preparado para receber as pessoas que vão se despedir do presidente, de hoje até sexta-feira (8). Militares prepararam um esquema especial para que a visitação seja feita de forma organizada e segura. Foram instaladas inclusive tendas de serviços médicos e de defesa civil. Também foi instalada na área uma sala de imprensa.

Já estão na Venezuela os presidentes Evo Morales, da Bolívia, José Pepe Mujica, do Uruguai, e Cristina Kirchner, da Argentina. A presidenta Dilma Rousseff e o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, devem viajar amanhã (7) à tarde. O enterro de Chávez está marcado para sexta-feira (8) às 10h.
*******
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-03-06/multidao-acompanha-cortejo-de-chavez-ate-local-do-velorio-na-academia-militar

O impacto da perda de Chávez para a diplomacia brasileira

06.03.2013
Do blog VI O MUNDO
Por  Luiz Carlos Azenha


É isso aí que está em jogo (foto LCA, na faixa do Orinoco)

Hugo Chávez nasceu da primeira revolta genuinamente popular contra o neoliberalismo na América Latina. Extraiu sua força política do Caracazo, a rebelião contra as medidas impostas pelo Fundo Monetário Internacional ao governo de Carlos Andrés Pérez, em 1989. Violentamente reprimido, deixando centenas de mortos, o Caracazo antecipou em quase 20 anos a implosão do modelo neoliberal que atingiu primeiro Wall Street e hoje derrete a zona do euro. Andrés Pérez era da AD, a Ação Democrática, um dos partidos da oligarquia que se revezavam no poder desde um acordo firmado em 1958 na cidade de Punto Fijo.

A ascensão de Chávez pôs fim simultaneamente a Punto Fijo e à influência dos Estados Unidos na política local, que tinha um aspecto mais sombrio: a Disip, serviço de inteligência venezuelano, era um braço da Central de Inteligência Americana para a desestabilização de Cuba e a manutenção de regimes pró-americanos na região. O terrorista cubano-venezuelano Luís Posada Carriles usou seus contatos na Disip para planejar a derrubada de um avião da Cubana de Aviación que matou 73 civis, em 1976.

Mais importante que isso, Hugo Chávez pôs fim ao domínio indireto que os Estados Unidos exerciam na estatal petrolífera PDVSA, que bancava a vida nababesca da elite local em Miami e gordas contas nos maiores bancos de investimento dos Estados Unidos. Quando eu era correspondente da TV Manchete em Nova York, cobri o escândalo que envolveu uma funcionária brasileira do Citibank, acusada de desviar dinheiro de clientes latinoamericanos. A tarefa dela, segunda me contou em um presídio, era visitar os países da América Latina, dentre os quais a Venezuela, para conseguir clientes dispostos a depositar “com segurança” pelo menos um milhão de dólares na agência do Citibank que ficava no 666 da Quinta Avenida, em Manhattan.

[Para entender a importância do desvio da renda do petróleo para o sistema financeiro internacional leiam Poisoned Wells: The Dirty Politics of African Oil, do excelente Nicholas Shaxson]

[Clique aqui para ver uma série que eu, Azenha, gravei na Venezuela]

Eleito pela primeira vez em 1998, Chávez só assumiu de fato o poder quando destituiu a direção da PDVSA, o que levou a um locaute empresarial entre dezembro de 2002 e fevereiro de 2003. A greve petrolífera desnudou o que realmente sempre esteve em jogo na Venezuela: o controle sobre as imensas reservas de petróleo.


Não deixa de ser irônico que a revista Time já tenha dedicado uma capa ao verdadeiro ditador venezuelano, Marcos Pérez Jímenez, que governou a Venezuela com um misto de fraudes e mão de ferro, entre 1952 e 1958: “a golden rule”, um governo dourado, elogiou a revista, se referindo a investimentos promovidos pelo ditador com o dinheiro do petróleo.

Quem dominava a indústria petrolífera venezuelana, então, era a norte-americana Standart Oil.

Tanto Jiménez quanto Chávez são de extração militar. Este último frequentemente criticado por seu bonapartismo. Não se trata, no entanto, de um fenômeno desligado da História da Venezuela. Ao contrário do Brasil e de outros países da região, a Venezuela viveu uma guerra de independência devastadora e a reorganização do país se deu em torno da instituição que melhor resistiu à destruição: o exército.

Hugo Chávez abriu caminho, na América Latina, para o funeral da ALCA — a aliança comercial que os Estados Unidos pretendiam impor à região –, e o poder imperial do FMI com seu Consenso de Washington.

Os ventos que ele ajudou a soprar varreram do mapa latinoamericano desde a base aérea de Manta, controlada pelos Estados Unidos na costa do Equador, até Gonzalo Sánchez de Lozada, o Goni, boliviano que falava espanhol com sotaque gringo e infelicitou a Bolívia antes de ser botado para correr por uma rebelião popular contra reformas inspiradas… pelo FMI.

Chávez deixa mais que um legado de avanço social para milhões de venezuelanos, antes excluídos e fisicamente isolados nos morros que cercam Caracas: deixa um país extremamente politizado e uma mídia tão diversa que é um prazer sentar num quarto de hotel de Caracas e sintonizar as diferentes emissoras privadas ou estatais. As opiniões recolhidas ali formam um mosaico de um país polarizado mas que discute aberta e francamente seu destino político, muito longe do consenso bovino expresso de forma monocórdica pela mídia brasileira.

Finalmente, Chávez representa uma grande perda para a diplomacia brasileira. Era o biombo ideológico atrás do qual o Itamaraty operava o projeto que serve de formas múltiplas à economia, à soberania, à diplomacia e à segurança do Brasil. A adesão da Venezuela ao Mercosul levou o Brasil ao Caribe. Fortaleceu um projeto que poderíamos chamar de a América Latina para os latinoamericanos. E reduziu substancialmente a capacidade históricamente demonstrada dos Estados Unidos — nos golpes e intervenções militares, do Chile ao Panamá, do Brasil à Nicarágua, de Cuba à Venezuela — de usar a região, como fez desde a Doutrina Monroe, como um quintal para a Standart Oil, a United Fruit, a IT&T e suas equivalentes.

Abaixo, um vídeo sobre terrorismo Made in USA (siga o link do You Tube para as outras partes):

Leia também:


******
Fonte:http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/o-impacto-da-perda-de-chavez-para-a-diplomacia-brasileira.html

A TV e sua opinião

06.03.2013
Do blog TECEDORA, 05.03.13
Postado por Denise Queiroz

 Claudius, do Le Monde Diplomaque

Editorial do Le Monde Diplomatique
por Silvio Caccia Bava*
_________

Em 2011, 59,4 milhões dos domicílios brasileiros tinham televisão, o que equivale a 96,9% do total. De longe, a televisão é o meio de comunicação mais difundido e utilizado.

Em fevereiro passado, segundo o Ibope, as maiores audiências da TV foram as novelas, os reality shows (BBB Brasil e Fazenda de Verão), o Jornal Nacional, a segunda edição do noticiário e os programas de auditório. O futebol das quartas-feiras fica apenas em nono lugar.

A liderança de audiência da Globo é impressionante: são dela os 47 programas mais vistos da TV em 2012. E, se considerarmos o horário nobre, suas três principais novelas estão entre as dez atrações de maior audiência, tendo à frente Avenida Brasil, superando inclusive o BBB Brasil, o reality show mais popular. Ainda segundo o Ibope, o Jornal Nacional é o vice-líder absoluto da emissora. Essa situação configura, virtualmente, um monopólio privado da informação.

A televisão é o meio de comunicação pelo qual se informa o maior número de pessoas. E muitos só se informam pela televisão. Não leem jornais, revistas. Sua opinião, portanto, é formada com base nessas informações. Sempre por trás de uma mensagem há alguém que a envia, e devemos nos perguntar por que esse alguém nos envia essa mensagem e por que neste momento. A sincronia, por exemplo, entre a ampla divulgação do julgamento do mensalão com as últimas eleições é uma dessas questões.

A televisão brasileira, embora seja uma concessão pública, está nas mãos de poucos grupos que defendem interesses privados − seus interesses são os interesses do mercado, são os interesses das elites, alinhados desde os anos 1990, pelo menos, com a doutrina neoliberal. Promovem os valores do individualismo, da competição, do sucesso individual. Se você não consegue esse sucesso, a culpa é sua, não tem nada a ver com a estrutura da sociedade e com o fato de que a economia só favorece os grandes.

A televisão reduz os cidadãos à dimensão de meros consumidores. Não há análises de contexto, os fatos não se inscrevem em lógicas mais amplas. Quando há programas de debates, estes são em altas horas, não são para as massas. E mesmo assim os debatedores, em sua ampla maioria, se alinham com os interesses das emissoras. Seus noticiários destacam o crime e a violência, disseminando o medo na população e fazendo que esta aceite um mundo de arbitrariedades no qual, por exemplo, a polícia executa sumariamente “suspeitos”, consagrando a pena de morte na prática, sem qualquer julgamento, o que identifica o Estado não só como cúmplice dos crimes, quando não como os próprios agentes da violação de direitos, mas também como legitimador desse discurso televisivo. Se esses comportamentos se apresentam como a única solução, se temos visões parciais, distorcidas, dos fatos, provavelmente teremos opiniões equivocadas sobre eles.

Ao dar destaque à violência urbana e à criminalidade, a TV induz o público a demandar mais segurança, mesmo à custa de políticas que se formulam em prejuízo da liberdade e do respeito aos cidadãos, como a ocupação militar de territórios da cidade.

Os meios de comunicação vivem uma relação promíscua com o poder político e o poder econômico. Basta ver quem detém as concessões, por exemplo, das estações retransmissoras das principais redes televisivas, distribuídas, em grande parte, para as oligarquias e lideranças políticas regionais. Seu objetivo não é mais servir à sociedade, mas se servir dela para alavancar interesses privados, para alavancar os negócios, para reproduzir as elites no poder.

Há uma combinação de espetáculos – as novelas, os reality shows, os programas de auditório, o futebol – que desvia a atenção do público dos problemas importantes, tornando-o distante dos problemas sociais, com uma seleção e uma interpretação do que são as notícias que merecem sua atenção.

A cultura imposta pela televisão tem tal influência que nos encontramos, muitas vezes, pensando na mesma linha. E não há como responsabilizar somente a TV por essa situação − a doutrina neoliberal, na verdade, se impregnou por toda parte. Nós a vemos nas próprias políticas de Estado. Seus valores se contrapõem à democracia, ao respeito à diferença, ao reconhecimento de uma sociedade plural. Eles promovem o sectarismo e uma polarização entre o bem e o mal, em que tudo que não se ajusta à sua doutrina é considerado condenável e é criminalizado.

Em vários países da América Latina esse império das comunicações está sendo questionado por governos democráticos, como na Argentina, no Equador e na Venezuela, e essa mesma mídia conservadora os desqualifica, os criminaliza, buscando garantir a continuidade de uma interpretação da história e dos acontecimentos cotidianos que só serve aos seus interesses.

A TV é um bem público, assim como a informação. Ela deve servir aos interesses da sociedade, não aos interesses do mercado; ela não pode estar a serviço de uma doutrina que, para maximizar o lucro, viola sistematicamente os direitos dos cidadãos. E para sustentar a defesa do interesse público, da democracia, é preciso que cada um de nós se interrogue se a programação que temos hoje na TV brasileira é a que melhor atende aos nossos interesses. __________

Diretor e editor-chefe do Le Monde Diplomatique Brasil

****
Fonte:http://tecedora.blogspot.com.br/2013/03/a-tv-e-sua-opiniao.html?utm_source=http://tecedora.blogspot.com/&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+Tecedora+(%23Tecedora)&utm_content=http://tecedora.blogspot.com/

DILMA: CHÁVEZ FOI UMA LIDERANÇA COMPROMETIDA COM OS POVOS DA AMÉRICA LATINA


06.03.2013
Do blog CONVERSA AFIADA, 05.03.13
Por Paulo Henrique Amorim

“O presidente Hugo Chávez deixará no coração, na história e nas lutas da América Latina um vazio”

Presidenta pede um minuto de silêncio para prestar homenagem ao presidente Chávez. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Saiu no Blog do Planalto: 

MORTE DE CHÁVEZ É PERDA IRREPARÁVEL, AFIRMA DILMA

Em discurso durante o 11º Congresso Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, nesta terça-feira (5), em Brasília, a presidenta Dilma Rousseff lamentou a morte de Hugo Chávez, presidente da Venezuela. Dilma afirmou que a morte de Chávez é a perda irreparável de um amigo do povo brasileiro, e pediu um minuto de silêncio em homenagem ao “líder latinoamericano”.

“Morreu um grande latinoamericano, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez Frias. Essa morte deve encher de tristeza todos os latinoamericanos e centroamericanos. O presidente Chávez foi, sem dúvida, uma liderança comprometida com o seu país e com o desenvolvimento dos povos da América Latina. Em muitas ocasiões, o governo brasileiro não concordou integralmente com o presidente Hugo Chávez. Porém, hoje, como sempre, nós reconhecemos nele uma grande liderança, uma perda irreparável e, sobretudo, um amigo do Brasil. Um amigo do povo brasileiro”, disse.

No discurso, a presidenta ainda elogiou a generosidade de Chávez não só com os venezuelanos, mas com todos os povos da América Latina.

“O presidente Hugo Chávez deixará no coração, na história e nas lutas da América Latina um vazio. Lamento, como presidente da República, e como uma pessoa que tinha por ele um grande carinho. Além de liderança expressiva, o presidente Chávez foi um homem generoso. Generoso com todos aqueles que, neste continente, precisaram dele. Por isso, eu queria propor aqui um minuto de silêncio para homenagear esse grande latino americano”, afirmou.
*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/politica/2013/03/05/dilma-chavez-foi-uma-lideranca-comprometida-com-os-povos-da-america-latina/