terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Crise e síndrome de Estocolmo

26.02.2013
Do BLOG DAS FRASES,25.02.13
Por Saul Leblon


O conservadorismo gostaria de impor a Dilma no Brasil a mesma receita adotada por Mário Monti na Itália.

Equivalente a que os republicanos querem enfiar goela abaixo de Obama nos EUA.

A mesma purga que o comissariado do euro aplica contra as populações da Espanha, Portugal, Grécia, Bélgica etc.

Com as consequências sabidas. 

As urnas revelaram nesta 2ª feira que os italianos preferem Berlusconi ao tecnocrata querido dos mercados. 

Na zona do euro, à exceção da Alemanha, a economia tornou-se uma usina de pobreza, êxodo, despejos, fome e demissões. 

Nos EUA as grandes corporações tem quase US$ 1 trilhão em caixa, mas o desemprego não encoraja investimemtos.

Antes da implosão neoliberal, o fluxo financeiro das corporações somava um déficit equivalente a 3,7% do PIB.

Agora, acumula um superávit de aproximadamente 5% dele. 

O dinheiro ocioso queima como batata quente.

Não há muito o que fazer com ele.

A taxa de juros é negativa; as bolsas de commodities andam de lado. 

A mais lenta recuperação do nível de emprego da história das recessões norte-americanas faz o resto. 

Não há razões para ampliar capacidade produtiva quando a demanda rasteja sob o peso de 8% de taxa de desemprego.

Uma anemia que promete resistir por muito tempo.

Mesmo quem trabalha empobreceu.

O patrimônio das famílias perdeu mais de um terço do valor na recessão.

Quase 90% das riquezas geradas no período seguinte foram drenadas para 1% da população.

Para o caixa das grandes corporações,em especial, onde ardem como batata quente.

A queimadura pode se agravar.

A ortodoxia republicana dobra a aposta no veneno: cobra de Obama o corte de US$ 100 bi em gastos fiscais.

A partir de março.

Outro facão deve decepar mais US$ 1,2 trilhão até o final da década, 'para ajustar as contas do Estado'.

Na jaula pequena da estagnação o que mais prospera é o canibalismo.

A onda de fusões e aquisições em marcha reflete o estreito repertório de opções para o dinheiro graúdo.

Grandes corporações se vampirizam na luta de conquista pela liderança dos mercados quando a crise acabar.

Os avanços tecnológicos compõem a outra jugular em disputa.

Invenções e saltos tecnológicos permitem roubar demanda velha no mercado estagnado. E capturar demanda fresca nas nações em desenvolvimento.

No euro ou nos EUA, o cachorro morde o próprio rabo.

Obama quer regenerar o tônus da economia injetando-lhe alguma expansão de demanda. 

Elevando o salário mínimo, por exemplo, dos atuais US$ 7,25 por hora para US$ 9/h.

Há razões sólidas para isso:

a) nos últimos 40 anos de supremacia neoliberal, o piso salarial norte-americano foi corrigido abaixo da inflação;

b) a atual capacidade de compra do salário mínimo nos EUA é inferior a que existia nos anos 60.

Entende-se por que a crise escava o fundo do abismo. Ele já havia se instalado no metabolismo da sociedade há décadas.

Falcões republicanos dão de ombros e insistem: a chave é o corte do gasto público.

Como se os mercados pudessem se erguer pelos próprios cabelos.

À margem da demanda agregada; sem consumo ou investimento.Público ou privado.

O ambiente internacional carrega assustadora transparência.

Serviria como antídoto ao clamor ortodoxo que prescreve o mesmo óleo de rícino para os desafios do Brasil.

Mas a vacina não age. 

Os canais de transmissão do debate seccionam as interações entre o noticiário internacional e os acontecimentos locais. 

A economia brasileira emite sinais contraditórios.

Vive-se um momento decisivo. 

O investimento ainda se arrasta.

Mas o vigor persistente da demanda e as medidas de incentivo do governo esboçam uma retomada que o jogral conservador quer abortar. 

A qualquer preço.

Como se o país que arrastou mais de 50 milhões de cidadãos para fora da pobreza e criou um dos mercados de massa mais pujantes do planeta, pudesse se desfazer desse trunfo agora e dizer:

"Senhoras e senhores, a viagem acabou; aguardem no meio-fio até passar o próximo bonde da história”.

A viabilidade política dessa baldeação regressiva é zero.

Mas falta o debate consequente que liberte o próprio governo dos termos da equação imposta pela ortodoxia: ou mais inflação, ou menos crescimento. 

Falta o governo livrar-se da 'síndrome de Estocolmo' em relação à mídia dominante. E entender que a informação (plural) é um ingrediente tão importante de um ciclo de desenvolvimento quanto a queda dos juros. 


******
Fonte:http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=6&post_id=1197

STF PARTIDARIZADO?: STF inocenta deputado acusado de fazer caixa-2. Não era do PT.

26.02.2013
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

O deputado federal João Magalhães (PMDB-MG) havia sido denunciado pelo Ministério Público Federal por crime de omissão de receitas e despesas de campanha nas eleições de 2006. Chama a atenção o empréstimo de 55 veículos para campanha, sem que fosse declarado como doação o valor de mercado correspondente ao aluguel dos carros, o que é avaliado em R$ 198.000,00 para modelo econômico, básico.

Qual a diferença entre caixa-2 e a doação não declarada de cerca de R$ 198 mil?

Pois o relator do inquérito no STF, ministro Gilmar Mendes, rejeitou a denúncia considerando apenas irregularidade formal, admitindo a boa-fé do candidato (mesmo ele já sendo réu em outros processos tenebrosos, acusado de venda de emendas semelhante ao caso sanguessuga). “Seria incongruente e desarrazoado emprestar agora ao fato relevância penal”, afirmou Gilmar Mendes.

Acompanharam o relator, os ministros Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski, no exercício presidência da sessão.

A ministra Cármen Lúcia e o ministro Marco Aurélio divergiram do relator, recebendo a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF). Para os ministros, há no processo elementos suficientes para o acolhimento da denúncia. Já Joaquim Barbosa não compareceu ao julgamento.

Com isso, por 7 votos contra 2, o STF rejeitou a abertura de ação penal e julgou improcedente denúncia.

A decisão do STF sinaliza a volta da posição "garantista" da corte, ou seja, havendo chance de dúvida, favorece o réu. E só vem a comprovar que o julgamento do chamado "mensalão" foi político e de exceção, pois abandonou essa postura "garantista", tradicional naquela corte.

Assim fica difícil do cidadão entender o judiciário, pois fica dois pesos e duas medidas. Uma para julgar petistas e outra para julgar os outros, quando todos deveriam ser iguais perante a lei. (com informações do STF)

******
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2013/02/stf-inocenta-deputado-acusado-de-fazer.html

Cuba e os desinformadores de opinião

26.02.2013
Do BLOG DO MIRO, 25.02.13
Por Valter Xéu, no sítio Pátria Latina:
http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br

Um colunista escreveu um artigo sobre Cuba e a visita da blogueira Yoani cujo titulo era: “Os idiotas perdidos no tempo” e baseado nisso pergunto: Seria então um idiota esse mesmo colunista que escreveu a alguns anos passados depois de um retorno de uma viagem a Cuba, que o País tinha lhe ensinado a não prejulgar aquilo que não conhecia e encheu o país caribenho de elogios?

Samuel que já esteve em Cuba quatro vezes não conhece Cuba, e além de desconhecer todo o passado e presente da Yoani deixa transparecer que desconhece os 50 anos do bloqueio norte-americano e que, entretanto Cuba se mantem, apesar da maior potência do planeta está a pouco mais de 140 quilômetros e mesmo assim, os americanos que mandam no planeta, não conseguem mandar em Cuba.

Desconhece que todos os anos a quase totalidade dos países membros da ONU vem condenando o bloqueio e os Estados Unidos não dão à mínima e isso parece não ferir os sentimentos democráticos dos colunistas havidos em criticar Cuba e que com a presença da Yoani, virou a mania nacional dos desinformadores de opinião.

E por que isso?

Porque Cuba tem tomado precauções, precauções essas que o leva a tomar medidas consideradas antipáticas pelo mundo pró-americano ou por aqueles que apesar de viver na mídia e da mídia, desconhece por completo todo o imbróglio que envolve Cuba e os Estados Unidos e que não é dos últimos 50 anos e sim, desde as lutas pela independência contra a Espanha que foi derrotada, mas quem se sentou à mesa em Paris para discutir a capitulação foram os americanos que fizeram explodir o barco Maine no porto de Havana onde morreram mais de 300 marines, acusaram a Espanha e declararam guerra aos espanhóis, isso quando a Espanha já estava derrotada pelos cubanos.

Nas negociações em Paris com os espanhóis, nenhum cubano e sim norte americanos.

Quem conhece um “pouquito” da história da América sabe que todas as desavenças entre cubanos e norte americano vêm dai.

Desinformadores de opinião

O resto é jogar para a plateia informações pobre de conteúdo e que na verdade só faz desinformar o leitor, levando-o a ter uma ideia errônea dos fatos e fazendo coro com aqueles, que mesmo sabendo a história, a esconde, e vai na onda dos desenformadores de opinião.

Será que os que encheram os jornais com ataques a Cuba e dando eco as informações de Yoani têm acompanhando as informações divulgadas pela ONU de que o índice de mortalidade em Cuba chega a 4,4 por mil nascidos vivos? E que esses índices superam em muito vários países do primeiro mundo e que nos envergonha, apesar de sermos a 5 ou 6 economia do planeta nosso números beiram a casa dos 30?

Será que eles desconhecem as informações de que a expectativa de vida do cubano é maior que a do brasileiro?

E a blogueira afirma e eles acreditam ou acreditam por conveniência ideológica de que o povo passa fome e segundo alguns colunistas, o país está na miséria e a pergunta aqui é: como pode esta o povo passando fome e o país na miséria se ostenta índices sociais que muitos países desenvolvidos não têm?

Parecem desconhecer a solidariedade de Cuba para com os países africanos e da América Latina. Nenhum médico americano está no Haiti enquanto de Cuba são milhares sem nenhum ônus para o governo haitiano, todos mantidos pelo governo cubano assim como em toda América Latina, Ásia e África.

Somente na ELAM – Escola Latino Americana de Ciências Médicas, milhares de latinos lá estudam medicina gratuitamente, assim como centenas de brasileiros que aqui nunca teriam condições de fazer o curso.

Mil e tantos americanos – apesar da situação politica de Cuba com os Estados Unidos – estudam medicina gratuitamente nas escolas cubanas.

Alardeiam que se Hugo Chávez morrer, o regime cubano desmorona.

A União Soviética e todo o Leste Europeu desmoronou e Cuba, apesar das dificuldades e do bloqueio dos Estados Unidos que tanto dano vem impondo ao povo cubano e Cuba sobreviveu e sobrevive a isso tudo o que demostra que com Chávez ou sem Chávez, Cuba resistirá.

Apartheid

O líder sul-africano Nelson Mandela não cansa de afirmar que Cuba foi um dos principais fatores do desmantelamento. Os nossos bravos colunistas sabem por que Mandela afirma isso? É só procurar se informar sobre a participação dos cubanos na África e principalmente na Batalha de Cuito Cuanavale onde as tropas sul-africanas que invadiram Angola pelo território da Namíbia, foram derrotadas pelos angolanos com o apoio dos cubanos que chegaram a ter no continente africano mais de 300 mil homens.

Ah! Mas isso com certeza é desconhecido pela maioria dos escrevinhadores que se pautam pelas informações das agências noticiosas norte-americanas, e que pautam nossas publicações e assim fica valendo a opinião deles que é o poço onde nossos “bravíssimos” desinformadores de opinião, buscam as “informações”.
*****
Fonte:http://www.altamiroborges.blogspot.com.br/2013/02/cuba-e-os-desinformadores-de-opiniao.html

Bento XVI será chamado de papa emérito ou Sua Santidade, diz Vaticano

26.02.2013
Do portal da AGÊNCIA BRASIL
Por Renata Giraldi*


Brasília - Após oficializar a renúncia ao pontificado, na quinta-feira (28), Bento XVI vai receber o título de Sua Santidade Bento XVI, papa emérito, ou Sua Santidade Bento XVI, pontífice romano emérito. O título foi anunciado hoje (26) pelo porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi. O último dia de Bento XVI como papa acabará às 19h de Roma (15h de Brasília). Ele deixará o local em direção à nova residência de helicóptero.
Com a renúncia, Bento XVI passará a usar vestes na cor branca, simples e sem manto, segundo o porta-voz do Vaticano. Ele não usará mais os sapatos vermelhos. “Parece que o papa ficou muito satisfeito com os sapatos que lhe presentearam no México, em Leon”, disse Lombardi.
Um dos símbolos do papa, o anel do pescador, será destruído. O adereço, que o papa recebe no momento da coroação e usa no dedo anular direito, simboliza a autoridade, segundo o porta-voz. O anel foi adotado no pontificado de Clemente IV (por volta de 1.265) e era usado como selo secreto para correspondências privadas.
O anel é de ouro e tem o nome do papa e em alto relevo do apóstolo Pedro pescando sobre uma barca. Quando o papa morre, o anel é retirado na presença do Colégio dos Cardeais e, em seguida, quebrado, simbolizando o fim do pontificado.
Ao deixar o pontificado, Bento XVI, de 85 anos, passará a viver, por dois meses, em Castel Gandolfo – residência de verão dos papas. Em seguida, Bento XVI passará a viver no Mosteiro Mater Ecclesia, na região do Vaticano. Segundo ele, vai se manter em oração e isolamento.
O último papa a renunciar foi Gregório XII, no século 15. O sucessor de Bento XVI será escolhido por 115 cardeais, com menos de 80 anos, reunidos no conclave. A data de início das votações não foi escolhido. A estimativa é que ocorra no começo de março com conclusão antes da Páscoa. Ontem (25), Bento XVI assinou um decreto que abre a possibilidade de o conclave ser antecipado.
*Com informações da rádio do Vaticano

*****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-02-26/bento-xvi-sera-chamado-de-papa-emerito-ou-sua-santidade-diz-vaticano

Wikileaks: EUA tentaram unir direita venezuelana em 2012

26.02.2013
Do blog VI O MUNDO, 24.02.13
Por Charles Nisz, no Opera Mundi


Capriles se reuniu com a empresa de espionagem Stratfor. Foto:Wipidedia

Os Estados Unidos fizeram um esforço de bastidores para unir a oposição venezuelana e tentar tirar Hugo Chávez do poder nas eleições de outubro de 2012, revelam documentos vazados pelo site Wikileaks. O site, criado pelo jornalista e ativista australiano Julian Assange vazou mais de cinco milhões de telegramas da empresa de espionagem norte-americana Stratfor.

A Stratfor alega prover informações para multinacionais com o desejo de investir na Venezuela. Entretanto, a troca de telegramas mostra outro cenário: a empresa trabalhou como uma agência de espionagem, com o objetivo de influenciar a política do país sul-americano, criando condições adequadas para o aumento da influência norte-americana.

Nos emails são mencionados encontros com vários nomes da oposição venezuelana,como o prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, o candidato derrotado no pleito, Henrique Capriles, Leopoldo Lopez, e o analista político direitista Rafael Poleo.

“Falei com Rafael Poleo poucos dias atrás”, diz uma fonte – segundo os telegramas, seria um proeminente economista venezuelano.

Cobrindo o período de julho de 2004 a dezembro de 2011, vários telegramas trazem conversas e informações sobre a política local. Um dos telegramas trata especificamente da campanha para as eleições presidenciais de 2012. Nele, a agência de espionagem fala de uma “revolução na Venezuela”: unir a oposição, fazer a campanha eleitoral e chamar o povo a votar (o voto é facultativo no país).

Ainda nesse telegrama, a Stratfor reconhece que seus serviços são procurados por atores políticos e a ação se desenrola em dois momentos: no primeiro instante, é feita uma análise da situação. Em um segundo momento, é aplicado um plano de ação, denominado pela empresa de espionagem como “missão”.

Há seguidas referências ao grupo sérvio CANVAS (Center for Applied Non Violent Action and Strategies, na sigla em inglês). O grupo recomenda quais os passos a serem tomados para derrubar Chávez, em um guia de “como fazer uma revolução” dentro dos limites legais e, assim, levar a oposição ao poder.

“Quando alguém nos pede ajuda, como é no caso da Vene (Venezuela), fazemos a pergunta ‘O que fazer?’, ou seja analisamos a situação (o documento de Word que te enviei) e depois vem a “missão” (o que ainda precisa ser feito) e também o conceito operacional – o plano de campanha”, diz o autor do telegrama ao destinatário (veja abaixo).

Segundo o telegrama da Stratfor, “por causa da completa desconfiança entre os diferentes grupos da oposição venezuelana, a empresa teve que fazer a análise inicial”. A empresa diz que “cabe à oposição venezuelana saber aonde quer chegar, ou em outras palavras, depende da oposição perceber que a falta de unidade poderia fazê-los perder a eleição antes mesmo dela ter começado.”

No entanto, a empresa de espionagem afirma em seu site que apenas “dá ferramentas e informações para que os clientes executem seus planos”. Mas no caso venezuelano, “devido à debilidade da direita venezuelana em se unificar”, precisou começar seu trabalho fazendo uma análise do cenário para criar um plano de ação, diz o telegrama.


******
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/wikileaks-eua-tentaram-unir-direita-venezuelana-em-2012.html

“Vão ter que provar que eu sou homofóbico”, diz Silas Malafaia sobre Avaaz

26.02.2013
Do portal GOSPEL PRIME, 22.02.13
Por  Jarbas Aragão

Pastor vai processar AVAAZ, que cancelou abaixo-assinado em defesa dele

Depois de anunciar que iria processar a revista Forbes, o pastor Silas Malafaia, agora vai entrar na justiça contra o site Avaaz, que faz abaixo-assinados virtuais. O motivo é que o site tirou do ar a campanha em seu favor, com 65 mil assinaturas. Porém, deixou a que pedia a cassação de seu registro de psicólogo, que tinha apenas 55 mil.
O movimento contra Malafaia quer impedir que ele se apresente como psicólogo. Formado em Psicologia desde 1996, o pastor explica que há 15 anos não atende mais por causa do acúmulo de atividades.
O responsável pelo Avaaz no Brasil, Pedro Abramovay, disse: “estamos muito orgulhosos dessa decisão democrática para rejeitar este tipo de lobby para continuar práticas homofóbicas”.  Malafaia classificou a decisão de “antidemocrática e imbecil”, acrescentando que “Ele devia ter parado era lá no início quando fizeram pela minha cassação”.
O jornal A GAZETA entrevistou o pastor, que foi veemente: “Vão ter que provar que eu sou homofóbico. Homofobia é doença”.  Disse também não acreditar que terá o registro cassado.
Mas vai levar o processo adiante por que “nada pode superar a Constituição, que me garante, em seu Artigo 5º, o direito à liberdade de expressão. Eles vão tomar uma lambada”. Em seguida, asseverou: “Vou processá-lo. Os meus advogados já estão preparando. Ele vai ter que provar que eu sou homofóbico. Homofobia é uma doença”.
O pastor acredita que existe uma privação contra os direitos dos evangélicos se manifestarem no Brasil. “Falam mal de pastores, de padres, de políticos, mas se falar mal de gay é homofobia”, resumiu.
Malafaia não se deu por vencido. “Estamos fazendo uma campanha na Avaaz americana. Já mandamos mais de mil e-mails para quem escreve bem em inglês. Depois de 65 mil pessoas me apoiando, quando a minha defesa ultrapassa os que me acusam, ele tira a petição? Estamos há dois dias e meio com 165 mil assinaturas no meu site Verdade Gospel, pela não cassação do meu registro. E vamos ultrapassar os 400 mil”, prevê.
Esse é só mais um capítulo do que promete ser uma longa guerra entre os ativistas pró e contra a comunidade LGBT.
O Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro divulgou uma nota onde afirma: “A ética na Psicologia deve ser laica, aberta ao diálogo não somente entre os pares, mas também com toda a sociedade civil”.
Para Silas Malafaia, não há lógica na ameaça de cassação. “O Conselho Federal de Psicologia vai determinar o que eu falo? Só no Brasil existe essa regra. Não existe essa norma em nenhum país do mundo. E se eu como psicólogo quisesse formalizar uma tese sobre a homossexualidade? A ciência não fecha questão… Onde já se viu a ciência pegar um assunto e dizer que não vai mais tocar nele?.. Se cassarem o meu registro será uma vergonha para o conselho. Vou ganhar mole em qualquer instância”, finalizou. Com informações de A Gazeta.

******
Fonte:http://noticias.gospelprime.com.br/homofobico-silas-malafaia-avaaz/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A%20gospelprime%20%28Gospel%20Prime%29

REDE de Marina dispensa ficha-limpa e atrai envolvidos com Cachoeira

27.02.2013
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 26.02.13

Novo partido de Marina Silva atrai nomes do PSOL envolvidos com o bicheiro Carlinhos Cachoeira e excluiu de seus estatutos o veto à filiação de fichas-sujas

A que se deve a aversão da sociedade à política? Numa frase: o povo é incapaz de reconhecer o valor ético-moral dos políticos e estes são incapazes de demostrá-lo. O nível anda tão precário que os partidos tornam-se devedores de explicação antes mesmo de nascer.
Veja-se o que informa abaixo o repórter Vinicius Sassine sobre a Rede, a legenda que Marina Silva tenta erigir. Para obter a certidão de nascimento no TSE, terá de recolher mais de 500 mil assinaturas em pelo menos nove Estados. Demarcou o início do esforço num ato em Brasília, no dia 16 de fevereiro.
rede marina silva PSOL cachoeira
Rede de Marina Silva ‘pesca’ em águas de Cachoeira (Foto: Divulgação)
Entre os presentes havia pelo menos dois personagens tóxicos. Ambos do PSOL de Goiás -um vereador, outro presidente local da legenda. A dupla levou para o ato estrelado por Marina a bola de ferro de relações mantidas com ninguém menos do que Carlinhos Cachoeira. Fica a impressão de que partido político limpo é utopia irrealizável. Falta matéria prima.

REDE de Marina atrai nomes do PSOL envolvidos com Cachoeira

Por Vinicius Sassine
Um vereador e um dirigente nacional do PSOL envolvidos no escândalo do bicheiro Carlinhos Cachoeira participaram do ato público que marcou o lançamento da Rede Sustentabilidade (REDE), em Brasília, no último dia 16: o vereador de Goiânia Elias Vaz e o segundo secretário de Relações Internacionais do PSOL, Martiniano Cavalcante. O novo partido da ex-senadora Marina Silva está em fase de coleta de assinaturas.
Elias Vaz aparece em conversas telefônicas gravadas para a Operação Monte Carlo e frequentou a chácara do bicheiro em Anápolis (GO). Martiniano Cavalcante recebeu um depósito de R$ 200 mil de uma das empresas-fantasmas do esquema, a Adécio e Rafael Construções, abastecida pela Delta Construções. O Conselho de Ética do PSOL abriu dois procedimentos para investigar a atuação dos militantes.
Leia também
No lançamento da REDE, que precisa de mais de 500 mil assinaturas para ser criada, Martiniano defendeu a ética, criticou caciques da política nacional que seriam fichas-sujas e comemorou a assinatura do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) como sendo a primeira coletada para a criação da legenda. Já Elias Vaz estava acompanhado de outrosfiliados ao PSOL interessados em ingressar na REDE.
O depósito de R$ 200 mil a Martiniano, a partir de uma conta da Adécio e Rafael, foi feito em 20 de dezembro de 2011. Depois da deflagração da Operação Monte Carlo pela Polícia Federal, em 29 de fevereiro de 2012, o dirigente do PSOL — ele é presidente da sigla em Goiás — passou a ser cobrado pela mulher do bicheiro, Andressa Mendonça, que também é investigada pela PF. Um cheque nominal a Andressa, no valor de R$ 220.816,00, foi depositado na conta dela depois da ação da PF.
— É um dinheiro que tomei com agiota e paguei juros. Claro que sabia que era do Cachoeira, mas isso não é crime — disse Martiniano.
O dirigente do PSOL tem uma empresa de construção civil e afirma não ter feito negócio ilícito com Cachoeira. Segundo ele, as explicações foram dadas à CPI do Congresso que terminou em pizza no fim de 2012. Em setembro, a Executiva Nacional do PSOL afastou Martiniano das funções de direção no partido. Depois, reviu a decisão para assegurar o direito de defesa.
— A primeira resolução foi decidida de forma monocrática, imperial, malandra, maldosa. Só não estou à frente do PSOL porque estou saindo. Tenho 40 anos de militância de esquerda — afirma ele.
Já Vaz chegou a ser tratado por um colega vereador, em conversas com Cachoeira, como um “Demóstenes diferenciado”, em referência ao senador cassado Demóstenes Torres, que perdeu o mandato por causa das relações com o bicheiro. Em ligação telefônica, Elias e Cachoeira comemoram decisão da Justiça que paralisou a obra de uma concessionária de veículos. Os dois falam sobre uma reunião com “Martiniano”: “Eu tô com vontade de entrar com ele nisso aí, viu, inclusive a Delta também tem interesse”, diz o bicheiro.
— Conheci o Cachoeira, conversei com ele, mas contrariei interesses dele. Existe é muita conversa de terceiros. As suspeitas foram todas esclarecidas, e eu mesmo pedi para ser investigado pelo Conselho de Ética do PSOL — disse Vaz.
A Comissão Nacional Provisória da Rede Sustentabilidade afirma que as acusações contra Martiniano foram informadas por ele aos fundadores do partido. “Ele apresentou elementos usados em sua defesa que foram considerados comprobatórios de lisura empresarial. Não foi identificada nenhuma contradição entre seus atos e os princípios que norteiam o processo de construção do novo partido político”, cita a nota. Sobre Vaz, a comissão sustenta que ele “não faz parte do grupo fundador da REDE”. A REDE excluiu de seu estatuto o veto à filiação de fichas-sujas ao partido. O objetivo, segundo os fundadores, é permitir a filiação de militantes de movimentos sociais que respondem a processos na Justiça.
Jornal O Globo

*****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/02/rede-marina-silva-psol-cachoeira.html