Pesquisar este blog

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

OS GOLPISTAS DE 64 CONSPIRAM: O script do golpe

31.01.2013
Do BLOG DA CIDADANIA, 04.11.2012
Por Eduardo Guimarães

Vencidas as inacreditáveis ingenuidade e imprudência de democratas bem-intencionados que chegaram a crer que a direita midiática continuaria aceitando ser contrariada por uma vontade popular que as urnas teimam em expressar eleição após eleição desde o histórico 2002, é chegada a hora de ler o script do golpe – que já não se esconde.
Retrocedamos, pois, ao limiar daquele outono de 1964, quando, já em nome do “combate à corrupção”, os mesmos meios de comunicação evocavam a “ética” contra o governo trabalhista de então, que, tenhamos presente, cometia o “crime” de combater a desigualdade renitente que infecta a nação há 500 anos, só que com muito menos ousadia do que o atual.
No início dos anos 1960, o Coeficiente de Gini, que mede a concentração de renda das nações, em sua versão verde-amarela, já altíssimo, alcançava a marca pornográfica de 0,52 – quanto mais próximo de 1, maior a desigualdade.

Aos trancos e barrancos, no limiar do golpe Jango Goulart retomara, em certa medida, o controle do governo, após tentativas civilizadas de impedir que adotasse medidas contra uma chaga nacional que escandalizava o mundo e mantinha o país agrilhoado ao atraso.
A expressão “reforma agrária” também escandalizava, só que aos detentores do que, à época, tinha muito mais importância do que hoje: a propriedade da terra. E, para colocar lenha na fogueira, os movimentos estudantil e sindical se entregavam, entre um devaneio e outro, ao idílio socialista. E o que é pior: sem fazer maior segredo.
Os arreganhos golpistas, para se venderem à sociedade, não falavam no “direito” dos ricos a concentrarem parcela indecente da renda. A ideia de que o povo estava sendo roubado pelo governo justificaria melhor a conspiração que já germinava nas redações dos donos da “imprensa”.
Era preciso, pois, construir “razões” para justificar o uso da força bruta a fim de obter o que, cada vez mais, ficava evidente que não seria obtido pelas urnas – até porque, na falta de votos, fraudá-las seria impossível estando os “comunistas” no poder, pois são os governos que organizam eleições.
Dez anos antes, a mesma desculpa fora usada para acuar aquele que, heresia das heresias, ousara erigir uma legislação trabalhista que tantos “custos” acarretara ao “pobre” capital.
A história do Brasil, como se vê, é a prova de que a “corrupção” sempre foi o artifício do capital e das elites para manter a esquerda, seu trabalhismo e seu viés distributivista de renda longe do poder de Estado.
A pontuação do coeficiente de Gini, naquele outono de 1964, era pouco maior do que é hoje. Com a ditadura, as coisas foram postas no lugar, ou seja, de 0,52, naquele momento, ao fim da ditadura foi parar em cerca de 0,60, em um processo que tornou o rico mais rico e o pobre, mais pobre.
Entre todas as razões para o golpismo se erguer de novo por estas bandas, portanto, a queda vertiginosa do Gini que marcou os governos Lula e Dilma explica, como nada mais, a volta das acusações de corrupção ao grupo político que, no poder, é responsável por, em dez anos, devolver ao Brasil o que a ditadura levou vinte para lhe roubar – em 2012, o índice é pouco menor do que o de 1964.
No entanto, se as razões de hoje para o golpismo via acusações de corrupção ao governo de turno são as mesmas de há meio século, o script do golpe teve que ser reescrito. Não existe mais o inimigo externo a ameaçar tomar os bens das famílias mais abastadas para entregá-los à ralé preguiçosa, morena e inculta.
Sem a ameaça de tropas vermelhas a marchar sobre a nação, não se justifica mais o uso das forças armadas para golpear a democracia. É por aí que começou a ser construída, em Honduras, uma modalidade de golpe que há pouco se reproduziu no Paraguai de forma mais próxima – porém ainda grosseira – do modelo que se pretende aplicar por aqui.
O golpe “constitucional” de Honduras inaugurou a modalidade, o do Paraguai a refinou um pouco mais, mas ainda não o suficiente para ser usada no Brasil. O ansiedade por retomar o poder naqueles países pecou pelo tempo escandalosamente curto para desenvolver o processo.
No Brasil, com a comunicação de massas, o Judiciário, os militares e boa parte da classe política de acordo, pode-se dar tempo ao tempo, começando a devorar a democracia pelas beiradas.
A aceleração que se está vendo do processo, portanto, deve-se à gota d’água que foram as eleições de 2012, que extirparam aos golpistas contemporâneos qualquer esperança em obter do povo a colaboração eleitoral para recolocá-los no poder.
Pela burrice de que padecem os autoritários, confiaram na “burrice” popular que acreditaria, por exemplo, em uma revista que há dez anos, semana após semana, só enxerga e denuncia corrupção em um único partido, em um único nível de governo. Passada a última surra eleitoral, aplicada bem quando a bomba atômica (o julgamento do mensalão) foi detonada, não há mais esperança.
A condenação ditatorial de José Dirceu, José Genoino e outros petistas menos relevantes não conspurcou nem o PT, nem Lula e muito menos o governo Dilma Rousseff. Acabaram-se as ilusões.
Assim, o golpismo destro-midiático descobriu que o povo simplesmente se recusa a acreditar que o PT inventou a corrupção  no país – premissa contida no fato de petistas serem os primeiros políticos a ser condenados pelo STF após mais de cem anos de história republicana.
Eis que a ingenuidade de Lula e de Dilma, quase inacreditável, foi um presente dos deuses – ou dos demônios – para o golpismo tupiniquim. Lula, um estrategista político como nunca se viu outro no Brasil, nomeou, de olhos fechados, inimigos políticos para o cargo que dá a quem ocupa a prerrogativa de processar até o presidente da República.
Dessa maneira, há poucas dúvidas – se é que existe alguma – de que o doutor Roberto Gurgel aceitará, gostosamente, a denúncia que a oposição faz àquele que responsabiliza por suas derrotas eleitorais, o que ela faz por não entender que o que leva o povo a votar nos que ele indica não são seus belos olhos, mas a distribuição de renda e oportunidades.
Os golpistas mais espertos, então, já sabem que anular Lula será insuficiente enquanto a vida do brasileiro continuar melhorando. Mesmo que consigam fazer o processo dele andar até as eleições de 2014, de forma a chegar lá desmoralizado, a situação do país reelegerá Dilma.
Se mesmo após Lula ter sido inocentado nas investigações sobre o mensalão agora estão conseguindo envolvê-lo com matérias  meramente opinativas de revistas e jornais, o que custará “descobrirem”, antes de agosto – quando Gurgel será substituído –, que a presidente, que integrou o governo anterior, também integrou a “quadrilha”?

******
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2012/11/o-script-do-golpe/

Comissionados de João da Costa fora da prefeitura

31.01.2013
Do portal do DIARIO DE PERNAMBUCO 

Cargos temporários da gestão passada serão extintos a partir de hoje  

Geraldo Julio já criou 1.317 novas funções para substituir os que estão saindo. Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A. Press
Geraldo Julio já criou 1.317 novas funções para substituir os que estão saindo. 
Foto: Bernardo Dantas/DP/D.A. Press

Todos os cargos comissionados criados durante a gestão João da Costa na Prefeitura do Recife, e que ainda estavam no Executivo, serão extintos hoje. A coexistência entre os dois governos perdurou durante janeiro para que fosse finalizado o processo de transição. Para substituí-los, foram criadas até o momento 1.317 novas funções. Grande parte das nomeações, porém, ainda não ocorreram, ou seja, é possível que amanhã, nem antigos, nem futuros funcionários estejam aptos ao trabalho.

Saiba mais

Para evitar que o risco perdure, será publicado nos próximos dois dias, em Diário Oficial, um volume maciço de convocações. Somente a partir delas será possível diagnosticar quantos funcionários do governo petista voltarão à prefeitura, o que tem sido uma preocupação constante para aliados do antecessor. “Esse tempo de coexistência também foi uma oportunidade de conhecer as equipes e ver quem tem condições de continuar conosco. Cada secretaria fará suas escolhas”, comentou o secretário de Administração do Recife, Marconi Muzzio. 

De certo, está uma redução de cerca de 30% no quadro de cada secretaria. O excesso de comissionados foi uma crítica recorrente durante a campanha eleitoral no Recife. Após eleito, Geraldo Julio pediu ao ainda prefeito João da Costa que enviasse à Câmara Municipal uma reforma administrativa elaborada pela sua equipe que propunha a redução de mais de 600 temporários. O texto foi aprovado pela Câmara em regime de urgência. 

“Essa reforma, que passa a valer a partir de 1º de fevereiro, criou uma nova estrutura para a prefeitura, novas terminologias e novos cargos”, explicou Muzzio. No texto faltaram, porém, adaptações necessárias. Um exemplo é a unidade de Compras e Licitação que saiu da Secretaria de Finanças para Administração, sem que fosse modificada a lei estabelecendo que o analista precisa estar lotado na nova pasta para receber. Esses ajustes estarão no novo projeto de lei a ser encaminhado ao Legislativo em breve.
*****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2013/01/31/interna_politica,420909/comissionados-de-joao-da-costa-fora-da-prefeitura.shtml

São Paulo Bachelet lidera nova pesquisa para a corrida presidencial chilena

31.01.2013
Do OPERA MUNDI
Por Redação, São Paulo
Ex-presidente tem 42% das preferências ante 15% do representante da UDI, Laurence Golborne

A ex-presidente chilena Michelle Bachelet lidera com 42% uma pesquisa de opinião sobre a corrida presidencial chilena, com quatro pontos percentuais a mais do que o levantamento anterior.


A mais recente enquete, realizada pelo Cerc (Centro de Realidade Contemporânea), foi divulgada nesta quarta-feira (30/01) ligado a setores da oposição chilena, perguntou “quem você gostaria que fosse o próximo presidente?”.

Em segundo lugar, aparece Laurence Golborne, candidato da UDI (União Democrática Independente), de extrema-direita, com 15%, que também subiu quatro pontos percentuais.

Na terceira posição está o candidato do partido Renovação Nacional, Andrés Allamand, com 5%, seguido pelo independente Marco Enríquez-Ominami, com 4%.

A avaliação do governo do atual presidente Sebastián Piñera manteve o índice de 31%, enquanto a reprovação subiu quatro pontos percentuais, atingindo 58%.



A sondagem foi realizada em dezembro 2012, tem uma representatividade de 99% da população chilena e uma margem de erro de 3%.

Em junho, haverá primárias para escolher os candidatos das coligações ao Palácio de La Moneda. Por enquanto, os partidos já começam a definir os pré-candidatos que irão concorrer pelos partidos às nominações das principais alianças políticas.

Bachelet, do Partido Socialista, ocupa atualmente a direção-executiva da ONU Mulher. Ela deverá enfrentar, na primária da aliança de centro-esquerda Concertação, o democrata-cristão Cláudio Orrego Larraín. A constituição chilena não permite uma nova reeleição imediata após o mandato presidencial.

O primeiro turno da eleição presidencial chilena está marcado para o dia 17 de novembro. Se necessário, o segunto turno será disputado em 15 de dezembro. Além do presidente, o país também vai eleger deputados, senadores e, pela primeira vez, os conselheiros regionais, antes escolhidos de maneira indireta.

(*) Com informações do jornal La Tercera


*****
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/26887/bachelet+lidera+nova+pesquisa+para+a+corrida+presidencial+chilena.shtml

JULGAMENTO DE EXCEÇÃO: CAMPANHA #ANULASTF DEBATE FALTA DE PROVAS NA AP 470

31.01.2012
Do portal BRASIL247


******
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/poder/92183/Campanha-AnulaSTF-debate-falta-de-provas-na-AP-470-Campanha-Anula-STF-debate-vivo-falta-provas.htm

OS MESMOS GOLPISTAS DE 64: Direita midiática aposta todas as fichas em Roberto Gurgel

31.01.2013
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães
Script do Golpe vai sendo encenado com uma rapidez que supera várias previsões que foram feitas neste espaço nos últimos meses. Em 4 de novembro do ano passado, por exemplo, escrevi sobre tal script em post que antecipava o que estamos vendo acontecer. Abaixo, um trecho daquele texto profético.
—–
“(…) há poucas dúvidas – se é que existe alguma – de que o doutor Roberto Gurgel aceitará, gostosamente, a denúncia que a oposição faz àquele que responsabiliza por suas derrotas eleitorais (…)”
—–
Gurgel já encampou as denúncias contra Lula. E, agora, vai se cumprindo a segunda parte do “espetáculo do golpe” com a representação da oposição contra Dilma feita à instituição que o mesmo Gurgel chefia. Esta previsão foi feita em 27 de dezembro último, no post 2013, o ano do golpeAbaixo, outro trecho profético.
—–
“(…) O golpe “institucional” à brasileira, pois, já está desenhado. Lula (…) dificilmente deixará de ser denunciado por iniciativa da mesma Procuradoria Geral da República que dispõe, também, da prerrogativa de denunciar presidentes da República. Roberto Gurgel (…) ficará mais sete meses no cargo. Uma eternidade, em termos de tempo para tentar inviabilizar Lula ou Dilma como candidatos (…).
—–
É tudo tão previsível que chega a dar sono. Inclusive, vale refletir que o noticiário imbecil sobre catástrofes na economia que tantos veem como má estratégia da direita midiática, pode vir a calhar em um momento em que seja preciso “justificar” alguma medida mais, por assim dizer, “radical”.
Devemos notar, portanto, que a inviabilização dos dois gigantescos candidatos que o PT tem para escolher para disputar a sucessão presidencial de 2014 (Lula e Dilma) com o anti-Lula da vez dependerá de um só homem.
Não serão Joaquim Barbosa, Gilmar Mendes ou qualquer outro teleguiado da direita midiática no STF. Este precisa de uma provocação e só quem pode fazê-la também contra a presidente da República é ninguém mais, ninguém menos do que ele, Gurgel.
Como já foi dito repetidas vezes nesta página, no tempo que lhe resta à frente do Ministério Público Federal o atual procurador-geral pode fazer muito estrago, ainda. Além de arrolar algum parlamentar para remeter a ação contra Lula ao STF em vez de à primeira instância, ele tem a prerrogativa de denunciar a presidente da República.
Eis que o PSDB e a mídia fornecem o material para Gurgel moldar o golpe “institucional” à brasileira: a representação daquele partido contra o pronunciamento de Dilma na semana passada, quando ela foi à tevê e defendeu seu governo dos ataques tucano-midiáticos.
Detalhe: a representação contra Dilma que o PGR deverá aceitar baseia-se, exclusivamente, em matérias de Globo, Folha, Estadão e Veja ao criticarem a presidente por ter ido à tevê.
Restam poucas dúvidas, assim, de que Gurgel irá propor ao STF ações contra Lula e Dilma. E apesar de não haver tempo para tais ações serem julgadas até outubro do ano que vem, a iniciativa, em ano eleitoral, servirá de discurso para uma oposição que pouco tem a dizer.
Claro que restam a Dilma algumas cartas na manga. Ainda há mais dois ministros do STF para ela nomear (caso Celso de Mello antecipe mesmo sua aposentadoria). E, em agosto, ela nomeará o novo procurador-geral da República.
Do jeito que as coisas vão, porém, quem garante que a configuração atual do STF não cometa mais uma barbaridade jurídica e conclua os processos contra Lula e a presidente da República à moda paraguaia, de forma relâmpago? Eis por que o procurador-geral da República é a grande esperança da direita midiática.
******
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2013/01/direita-midiatica-aposta-todas-as-fichas-em-roberto-gurgel/

RACISMO: Preconceito dá prejuízo


31.01.2013
Do portal da FOLHA DE S. PAULO
Por Marcelo Miterhof*

Arquivo pessoalNo último dia 12, um menino negro de sete anos, filho de um casal de brancos, foi destratado pelo gerente de uma concessionária da BMW no Rio de Janeiro, que ao vê-lo se aproximar teria dito: "Você não pode ficar aqui dentro. Aqui não é lugar para você. Saia da loja. Eles pedem dinheiro e incomodam os clientes".

O fato é uma lamentável demonstração de preconceito, mas não é surpreendente. Em razão da notícia, a rádio CBN reapresentou uma reportagem na qual dois repórteres, um negro e outro branco, de idades próximas e vestindo roupas parecidas, testaram o atendimento que receberiam em estabelecimentos comerciais cariocas.

O tratamento dado ao negro foi sistematicamente pior e em boa parte das vezes nem sequer foi atendido. Em uma loja de roupas masculinas, ao branco foi oferecido um terno de maior qualidade, e, ao negro, o mais barato.

O diabo é que os preconceitos se devem a uma poderosa capacidade humana, a de fazer generalizações a partir de experiências limitadas. Poderosa, mas falível.

Preconceitos como o racismo ou o sexismo são frutos de generalizações indevidas e estigmatizadoras. Porém, sem conceitos prévios (preconceitos), que permitam tomar decisões rápidas, teríamos dificuldade para fazer coisas simples, como dirigir ou escolher um restaurante sem ter uma indicação.

Ainda assim, vale uma constatação etimológica: preconceito é sinônimo de prejuízo (em inglês, preconceito é "prejudice"). Nossos antepassados, ao criar suas línguas, perceberam que conceitos ou juízos prévios costumam levar a perdas, a ideias equivocadas. A loja da BMW teve um baita prejuízo com o episódio. Evitar comer um queijo mofado pode ser sensato, mas corre-se o risco de desprezar uma iguaria.

Isso não significa que se deva deixar de fazer generalizações, mas uma certa parcimônia é proveitosa. No caso da concessionária, o tratamento dado a uma criança que se aproximava foi indevido mesmo que ela não fosse filha de clientes.

Um bom vendedor se esforça para atender a todos bem, mesmo que muitas vezes perca tempo. Contudo, a força da capacidade humana de generalizar costuma prejudicar o exercício desse tipo de cuidado.

No Brasil, ser negro é uma marca de pobreza. Tal generalização não só condiz bem com a realidade como carrega outras generalizações associadas à pobreza. Por exemplo, se num comércio de luxo aparece uma criança pedindo esmolas, é provável que muitos clientes prefiram ver o gerente colocando-a para fora da loja a ter que lidar com o incômodo da pobreza que existe no país.

Os casos destacados não são surpreendentes, portanto. Por isso, em 19/07/2004, defendi em artigo publicado na Folha que as cotas raciais devem servir para diversificar a elite brasileira, de forma que ela passe a espelhar melhor a pluralidade étnica da população.
Crescimento econômico, redução das disparidades sociais e políticas públicas, como educação boa e universal, são cruciais para o país ser melhor, mas não tendem a tornar a elite mais plural.

Nos EUA, há uma significativa elite negra. A riqueza americana contribui para isso, mas o país já era rico quando, nos anos 60, Kennedy teve que mandar tropas federais para garantir a matrícula de negros na Universidade do Alabama. Depois, vieram as cotas raciais e os direitos civis. Hoje, o presidente da República é negro.

Anos depois desse primeiro artigo, a constatação é que o debate das cotas ajudou a colocar o tema racial na agenda brasileira. O percentual de autodeclaração de negros e pardos no censo do IBGE subiu significativamente. Os estudantes cotistas têm em geral bom desempenho acadêmico.

Apesar desses bons resultados, muitos entendem que as cotas racializam o país. Talvez, mas nesse caso é preciso apresentar outras opções para desrracializar a sociedade brasileira, pois isso é um fato, como mostram os exemplos dados.

Outros acreditam que o problema é existirem elites. Como a existência de elites é insofismável, prefiro que a brasileira não seja apenas branca. Tampouco sou contra as elites, que podem ter papéis importantes, como o de garantir que numa democracia a vontade da maioria seja temperada pelos direitos individuais.

Ruim é o elitismo, que ocorre quando a elite acredita que quem atrapalha o país é o seu povo. Para isso, a diversificação da elite é um bom remédio.

O poder econômico é uma arma poderosa contra os preconceitos.

Marcelo Miterhof, 38, é economista do BNDES. O artigo não reflete necessariamente a opinião do banco.
*****
Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marcelomiterhof/1223332-preconceito-da-prejuizo.shtml

BEIJO DA MORTE: CAPITALISMO EXTERMINA MAIS 235

31.01.2013
Do blog NÁUFRAGO DA UTOPIA, 30.01.13
Por Celso Lungaretti

Sob o capitalismo, a prioridade máxima é o lucro. A vida humana vem depois.

Então, a cada grande tragédia o quadro que se repete é o de homens e mulheres vitimados pela ganância.

Eu era praticamente vizinho do Edifício Joelma, cujo incêndio, em 1974, causou 144 óbitos. Então, quando a imprensa publicou a lorota de que os funcionários dos escritórios não souberam encontrar as escadas de emergência, quase vomitei.

O principal negócio lá instalado era uma financeira. Havia controle extremamente rígido de portarias, para que ninguém lograsse escafeder-se com a sagrada grana. Daí tangerem toda a movimentação entre andares para os elevadores, TRANCANDO as escadas. Deu no que deu.

Agora foi a vez da cidade gaúcha de Santa Maria, nome agourento --a cidade de Santa Maria de Iquique, no Chile, foi palco em 1907 do massacre de centenas de trabalhadores esfaimados por tropas militares, episódio imortalizado numa belíssima cantata do grupo Quilapayún.
Por ganância, na tal boate Kiss(cujo beijo foi o da morte...) dificultava-se a movimentação das pessoas, tanto que nem mesmo saída de emergência existia. Era mais importante que ninguém caísse fora sem saldar sua comanda, a ponto de, no início do incêndio, os seguranças ainda estarem mais preocupados emBARRAR a fuga dos clientes.

Por ganância, os extintores eramFALSIFICADOS.

Por ganância, a banda usou um sinalizador baratinho (R$ 2,50) que só serve para espetáculos ao ar livre, ao invés de adquirir o mais caro (R$ 70), indicado para recintos fechados.

Por ganância não se investiu na estrutura necessária para realmente garantir a segurança dos frequentadores.
Por ganância se permitiu o ingresso de um número demasiado de pessoas, extrapolando em muito a lotação recomendada.
CONTAGEM REGRESSIVA

Resumo da opereta: o capitalismo exterminou mais 235 seres humanos. E, em sua fase terminal, continuará cumprindo a função de anjo exterminador, até que o matemos nós.

Esta opção entre a vida e a morte, teremos de fazê-la à medida que as alterações climáticas forem se acentuando.

Torcendo para que, quando a ficha afinal cair, ainda tenhamos como assegurar a perpetuação da espécie humana, independentemente dos milhões e milhões que o capitalismo já terá sacrificado com a maximização das catástrofes causadas pela ganância.

*****
Fonte:http://naufrago-da-utopia.blogspot.com.br/2013/01/beijo-da-morte-capitalismo-extermina.html

Lula, vídeo na íntegra: A revolução nas comunicações está nas redes sociais

31.01.2013
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA


 
“Não existe mais nenhuma razão de se manter o bloqueio [de Cuba] a não ser a teimosia de quem não reconhece que perdeu a guerra, e perdeu a guerra para Cuba”, disse hoje, dia 30, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao discursar no encerramento da 3ª Conferência Internacional pelo Equilíbrio do Mundo, patrocinada pela Unesco.

Ele conclamou Obama "ter a mesma ousadia que levou seu povo a votar nele" e mudar os rumos da política externa para Cuba e América Latina.

Lula abriu o seu discurso pedindo um minuto de silêncio para as vítimas do incêndio em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e fez uma homenagem a Hugo Chavez, que se encontra internado em Havana, em tratamento de saúde. 

Com relação aos assuntos do continente, Lula disse que o desafio dos presidentes e líderes não é só promover a qualidade de vida e bem-estar, mas a integração latino-americana.

“Vocês não podem voltar para suas casas e simplesmente colocar isso [a participação no evento] nas suas biografias. É necessário que vocês saiam daqui cúmplices e parceiros de uma coisa maior, de uma vontade de fazer alguma coisa juntos mesmo não estando reunidos [fisicamente]”, afirmou Lula, dizendo que a tecnologia atual permite maior integração.

Lula propôs uma "revolução na comunicação" radicalizando o uso das redes sociais para contrapor a velha mídia do contra. O recado foi: nós não podemos depender dos outros para publicar o que nós mesmos devemos publicar.

“Nem reclamo, porque no Brasil a imprensa gosta muito de mim”, ironizou o ex-presidente. E deu a sua opinião sobre a razão pela qual a mídia tradicional tem resistência a ele: “Eu nasci assim, eu cresci assim e vou continuar assim, e isso os deixa [os órgãos de imprensa] muito nervosos”. O mesmo se aplicaria aos outros governos progressistas da América Latina: “Eles não gostam da esquerda, não gostam de [Hugo] Chávez, não gostam de [Rafael] Correa, não gostam de Mujica, não gostam de Cristina [Kirchner],não gostam de Evo Morales, e não gostam não pelos nossos erros, mas pelos nossos acertos”, disse. Para Lula, as elites não gostam que pobre ande de avião, compre um carro novo ou tenha uma conta bancária.

“Quem imaginava que um índio, com cara de índio, jeito de índio, comportamento de índio, governaria um país e, mais do que isso, seu governo daria certo?”, indagou Lula, referindo-se a Evo Morales, presidente da Bolívia. Ele contou que a direita brasileira queria que ele brigasse com Evo, quando ele estatizou a empresa de gás boliviana, que era de propriedade da Petrobras. “Aí eu pensei: eu não consigo entender como um ex-metalúrgico vai brigar com um índio da Bolívia”, contou o ex-presidente, sob os aplausos da plateia. (Com informações da Telesur e do Instituto Lula)

******
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2013/01/lula-video-na-integra-revolucao-nas.html

Taxa de desemprego no Brasil é a menor desde 2002

31.01.2013
Do portal iG Economia
Por Reuters 

O IBGE informou ainda que, em 2012, a taxa média de desemprego ficou em 5,5%, também recorde de baixa na série histórica iniciada em março de 2002

A taxa de desemprego no Brasil fechou 2012 no seu menor nível histórico, ao mesmo tempo em que a renda do trabalhador acumulou ganhos no ano. Em dezembro, o desemprego caiu para 4,6%, ante 4,9% em novembro, desbancando o recorde anterior de 4,7% atingido em dezembro de 2011, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.
O número de agora, no entanto, veio um pouco acima do esperado pelo mercado. Pesquisa da Reuters mostrou que, pela mediana das previsões de 27 analistas consultados, a taxa recuaria para 4,4%. As estimativas variaram de 4,0% a 4,9%.

Agência Brasil
Em dezembro, o desemprego brasileiro caiu para 4,6%, ante 4,9% em novembro

O IBGE informou ainda que, em 2012, a taxa média de desemprego ficou em 5,5%, também recorde de baixa na série histórica iniciada em março de 2002. O resultado veio mesmo após o pior ano de geração de emprego formal em uma década, com 1,3 milhão de novos postos de trabalho em 2012.
O rendimento médio da população ocupada caiu 0,9% em dezembro ante novembro, mas subiu 3,2% sobre dezembro de 2011, atingindo 1.805 reais, segundo o instituto.
Já a população ocupada recuou 0,1% em dezembro na comparação com novembro, crescendo 3,1% ante o mesmo período do ano anterior, totalizando 23,437 milhões de pessoas nas seis regiões metropolitanas avaliadas.
A população desocupada chegou a 1,136 milhão de pessoas no mês passado, queda de 6,0% ante novembro, e alta de 0,2% sobre um ano antes. Os desocupados incluem tanto os empregados temporários dispensados quanto desempregados em busca de uma chance no mercado de trabalho.
Entre dezembro e novembro, acrescentou o IBGE, os setores que mais contrataram foram o de Comércio, com alta de 3,3% (143 mil pessoas), e Outros serviços, com avanço de 1,6% (67 mil pessoas).
Na outra ponta, destaque para os setores de Construção, com queda de 3,4% nas contratações (-64 mil pessoas), e Educação, saúde e administração pública, com perda de 2% (-77 mil pessoas).
O baixo nível de desemprego e a renda em alta ajudaram a sustentar a demanda dos consumidores e a evitar um desempenho pior da economia no ano passado. A economia brasileira deve ter crescido menos de 1% em 2012 de acordo com economistas.
******
Fonte:http://economia.ig.com.br/2013-01-31/desemprego-no-brasil-fecha-2012-em-46-e-atinge-menor-nivel-historico.html

ÓDIO DA MÍDIA CONSERVADORA AUMENTA APÓS ENCONTRO ENTRE DILMA E FRANKLIN MARTINS

31.01.2013
Do blog CONVERSA AFIADA, 30.01.13
Por Paulo Henrique Amorim

Segundo a “Repórteres sem Fronteiras” o Brasil tem 30 Berlusconis. Tem menos de 30


O tom desesperado dos editoriais da mídia conservadora, que embasa a representação entregue na véspera pelo PSDB à Procuradoria-Geral da República contra a presidente Dilma Rousseff, não encontrará eco na Corte Suprema. A previsão é do ministro Luis Inácio Adams, da Advocacia-Geral da União. Em conversa com jornalistas, na manhã desta quarta-feira, ele afirmou que a tendência é a do procurador-geral arquivar a medida.

– Não tem nenhum fundamento, nenhuma substância jurídica – disse Adams.

O que os tucanos pedem é uma investigação sobre o pronunciamento da presidenta, transmitido em cadeia nacional de rádio e televisão na última quarta-feira, que teria sido uma peça de propaganda política, na visão dos conservadores de direita, expressa no ódio com que a mídia conservadora se refere ao governo da presidenta Dilma. Segundo afirma o documento, o anúncio de que a conta de luz ficará menor tratou-se de uma “cristalina promoção da presidente da República”, uma antecipação da campanha pela sua reeleição.

– Não estamos em período eleitoral, o pronunciamento não faz referência a partidos, entidades, nada – afirma.

Em seu discurso, Dilma críticou, sim, mas os “pessimistas” ao anunciar a redução na tarifa de energia. Para o senador tucano Aécio Neves (MG), ela falou como um partido, e não como presidenta. Em defesa de Dilma, o advogado-geral da União afirma que ainda não analisou a representação e que Dilma não está “nem um pouco” preocupada com ela. Ainda não foi definido se a AGU irá se antecipar a um eventual pedido do Ministério Público em defesa da presidente. Ele afirmou que é permitido por lei que o presidente da República faça pronunciamentos quando há fatos relevantes a serem anunciados.

Visita de Franklin Martins

A má vontade dos diários conservadores paulistas e cariocas, que servem como únicos pilares à representação conta Dilma, cristaliza-se de forma a evidenciar, segundo analistas políticos ouvidos pelo Correio do Brasil, a existência de um cartel formado com o objetivo de atuar como um partido político não convencional. Para tratar da questão da mídia, Dilma chamou nesta manhã, ao Palácio do Planalto, o ex-ministro da secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Franklin Martins, que defende a edição de marcos reguladores para o setor.

Em recente pronunciamento, o PT apontou a intenção de a mídia conservadora promover, no país, um ambiente de conflagração, a exemplo daquele havido na época dos estadistas Getúliio Vargas e João Goulart. Segundo o partido, ambos foram vítimas de uma “insidiosa campanha de forças políticas” para desestabilizar seus governos e que o país, atualmente, vive processo semelhante, desde 2003, para desmoralizar o ex-presidente petista e o seu legado.

“A partir de 2003, de forma intermitente, tratou-se de anular os notórios êxitos do governo, com campanhas que procuravam ou desconstruir as realizações do governo Lula ou tachá-lo de ‘incapaz’ e ‘corrupto’ (…). Sabe-se que denúncias de corrupção sempre foram utilizadas pelos conservadores no Brasil para desestabilizar governos populares, como os já citados casos de Vargas e Goulart”, afirma o documento.

Franklin editou um projeto-de-lei que determina parâmetros para que a concentração de poder neste segmento, no país, não seja alvo de novos escândalos, como aquele noticiado pela organização não governamental Repórteres Sem Fronteiras, com sede em Paris, que aponta a existência, no Brasil, de 30 berlusconis, referindo-se ao capo da mídia italiana.

Segundo o relatório da RSF, divulgado na semana passada, o Brasil é “o país dos 30 Berlusconis”, numa crítica à concentração dos veículos de comunicação do país em poucas mãos. “O Brasil apresenta um nível de concentração de mídia que contrasta totalmente com o potencial de seu território e a extrema diversidade de sua sociedade civil”, analisa a ONG de defesa da liberdade de imprensa. “O colosso parece ter permanecido impávido no que diz respeito ao pluralismo, um quarto de século depois da volta da democracia”, destaca a RSF.

O relatório foi composto após visitas de membros da ONG a Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Segundo o RSF, “a topografia midiática do país que vai receber a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016 pouco mudou nas três décadas que sucederam a ditadura militar de 1964-1985″. O documento destaca que as 10 maiores companhias de mídia do país estão baseadas em São Paulo ou Rio de Janeiro, o que “enfraquece a mídia regional”.

“A independência editorial da mídia impressa e transmitida e minada pela pesada dependência de propaganda do governo e suas agências”, analisa o relatório, que destaca que, em 2012, houve 11 jornalistas mortos no país. Segundo a ONG, um dos problemas endêmicos do setor da informação no Brasil é a figura do magnata da imprensa, que “está na origem da grande dependência da mídia em relação aos centros de poder”. “Dez principais grupos econômicos, de origem familiar, continuam repartindo o mercado da comunicação de massas”, lamenta a RSF.

Soluções


Segundo a ONG, outro problema no Brasil é a censura na internet, com denúncias que levaram ao fechamento de blogs durante as eleições municipais de 2012. O documento cita o caso do diretor do Google Brasil, Fábio José Silva Coelho, que ficou preso brevemente por não retirar do YouTube um vídeo que teoricamente atacava um candidato a prefeito. Coelho foi preso pela Polícia Federal em setembro passado a pedido do candidato a prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal.

Para reequilibrar o cenário da mídia brasileira, a Repórteres Sem Fronteiras recomenda reformar a legislação sobre a propriedade de grandes grupos e seu financiamento com publicidade oficial. Além disso, a ONG sugere a melhoria da atribuição de frequências audiovisuais, para favorecer os meios de comunicação, e um novo sistema de sanções que não inclua o fechamento de mídias ou páginas, entre outras medidas.

******
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/pig/2013/01/31/encontro-com-franklin-espalha-o-odio-no-pig/

MENSALÃO TUCANO:COM MEDO DA PRISÃO, AZEREDO VÊ STF COMO "DURO"

31.01.2013
Do blog SINTONIA FINA
Ao falar sobre o julgamento da Ação Penal 470, deputado mineiro afirma que "houve certa discrepância em relação a outros crimes". Como réu do chamado "mensalão mineiro", tucano diz, em sua primeira entrevista após o mensalão, concedida à revista Encontro, que os processos são "totalmente diferentes" e que "confia na Justiça"


O deputado mineiro Eduardo Azeredo (PSDB) viu, no ano passado, líderes petistas serem condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento da Ação Penal 470, o "mensalão". Réu no processo apelidado de "mensalão mineiro", ele pode ser o próximo. E com receio de ir para a prisão, afirma que o tribunal foi "duro demais" com os acusados.
Na primeira entrevista concedida depois do término do julgamento, à revista mineira "Encontro", o tucano chega a comparar a pena recebida pela jovem Suzane Richthofen – que, acusada de planejar a morte dos pais, foi condenada a 39 de anos – com a dos condenados. "
Ela proporcionalmente teve uma pena menor do que alguns envolvidos no mensalão", diz.
A conversa aborda ainda as eleições presidenciais de 2014, a disputa interna do PSDB pelo candidato a ser lançado, seu mandato como deputado, o governo de Dilma Rousseff e o futuro do Brasil. 
Com BRASIL247

*****
Fonte:http://asintoniafina.blogspot.com.br/2013/01/com-medo-da-prisao-azeredo-ve-stf-como.html

O desespero dos tucanos. Eles chegaram ao fundo do poço

31.01.2013
Do BLOG DO DIRCEU, 30.01.13


Image
Carlos Sampaio
A que ponto chega o desespero dos tucanos! Agora, através de um de seus vice-líderes na Câmara, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), eles protocolaram requerimento na Procuradoria Geral da República pedindo que apure o que eles julgam tentativa de “promoção pessoal” da presidenta Dilma Rousseff naquele pronunciamento do último dia 23 em rede nacional de rádio e TV, quando ela anunciou a redução das contas de luz em até 32%.

Os tucanos alegam que a presidenta “valeu-se da convocação obrigatória de redes de rádio e TV para realizar promoção pessoal e criticar seus opositores, desviando-se do escopo desse instrumento público”. Na verdade, e como era inevitável acontecer, vestiram a carapuça diante de referências de vários trechos do pronunciamento da chefe do governo.

Como, por exemplo, quando ela afirmou que “(...) no novo novo Brasil, aqueles que são sempre do contra estão ficando para trás, pois nosso país avança sem retrocessos, em meio a um mundo cheio de dificuldades."

Referências da presidenta levaram tucanos a vestir a carapuça

"Hoje, podemos ver como erraram feio, no passado, os que não acreditavam que era possível crescer e distribuir renda. Os que pensavam ser impossível que dezenas de milhões de pessoas saíssem da miséria. Os que não acreditavam que o Brasil virasse um país de classe média”, disse ela no pronunciamento, em outro trecho talhado para os tucanos vestirem a carapuça.

Mais que isto, porém, o que os tucanos querem mesmo é o monopólio da informação e censurar a presidenta da República. Imaginem, então, o anúncio do Plano Real (1994) e tudo que envolveu a promoção pela mídia nos anos 1993/1994 do então ministro da fazenda e futuro candidato do PSDB à presidência da República, Fernando Henrique Cardoso! Lembram-se? Sem falar na retomada anual - por anos e anos, mesmo... - da louvação oficial e midiática do Plano Real.

Com esta ação agora na Procuradoria Geral da República, os tucanos chegaram ao fundo do poço.

(Foto: Valter Campanato/ABr)

****
Fonte:http://www.zedirceu.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=17331&Itemid=2

Engorda da orla de Jaboatão dos Guararapes começará na próxima segunda-feira


31.01.2013
Do portal do DIARIO DE PERNAMBUCO, 30.01.13
VIDA URBANA

Serão investidos R$ 40 milhões na realização das obras

Obras de contenção do avanço do mar na orla de Jaboatão dos Guararapes, que deixarão os 5,8 Km de orla do município com uma média de 40 metros de faixa de areia. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press
Obras de contenção do avanço do mar na orla de Jaboatão dos Guararapes, que deixarão os 5,8 Km de orla do município com uma média de 40 metros de faixa de areia. Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press

As obras de contenção do avanço do mar na orla de Jaboatão dos Guararapes, que deixarão os 5,8 Km de orla do município com uma média de 40 metros de faixa de areia, irão começar nesta segunda-feira (4). O evento que marcará o início das obras está marcado para as 10h, nas imediações da Curva do S, em Piedade.

Estarão presentes o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho.

Serão investidos R$ 40 milhões, com recursos dos governos Federal e Municipal. A empresa que executará a obra é a Coastal Planning Engineereing do Brasil (CPE).

Para devolver a faixa de areia às praias de Piedade, Candeias e Barra de Jangada, serão movimentados quase um milhão de metros cúbicos de areia, o que equivale a 80 mil caminhões do tipo caçamba cheios. A areia será retirada de uma jazida localizada na costa do Cabo de Santo Agostinho, a cerca de 14 km de distância do litoral.
*****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2013/01/30/interna_vidaurbana,420680/engorda-da-orla-de-jaboatao-dos-guararapes-comecara-na-proxima-segunda-feira.shtml