quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Dilma desafia FHC e volta a trocar farpas com tucanos


28.02.2013
Do BLOG DE JAMILDO, 27.02.13
Por Agência Estado
Postado por Gabriela López

Foto: Agência Brasil
A presidente Dilma Rousseff usou o seu discurso de comemoração dos dez anos de criação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, para reafirmar os fundamentos econômicos de seu governo, de crescimento com estabilidade e controle da inflação, assegurando que eles estão mantidos. Dando prosseguimento à troca de farpas com os tucanos, Dilma acusou a oposição de provocar "instabilidade" ao alardear a ameaça de racionamento de energia no País, lembrando que estas vozes "se calaram" quando o racionamento não aconteceu.

FHC chama Dilma de ingrata

A presidente também desafiou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao dizer que foi o governo do PT que criou o cadastro para as famílias receberem benefícios sociais. "É conversa que tinha cadastro. Nós levamos um tempão para fazer", atacou Dilma.

Pouco antes, de forma contundente, a presidente usou números de sua administração para "lustrar" a política macroeconômica do governo, se contrapor aos tucanos e neutralizar o discurso do senador Aécio Neves (PSDB-MG): "quando no Brasil, no passado, a gente teria uma relação dívida-PIB de 35%? Quando? Quando, no passado, na área externa, com as nossas reservas?"

Não só a presidente Dilma, mas os ministros palestrantes ignoraram qualquer feito dos governos passados. A maior parte dos slides apresentava dados a partir de 2003, quando foi iniciado o governo Luiz Inácio Lula da Silva. Depois de reiterar que seu governo manteve "a inflação sob controle", "a política de câmbio flexível" e "uma política de robustez fiscal" Dilma destacou que era preciso ter "vontade política" para fazer o Bolsa Família, o Brasil sem Miséria e o Brasil Carinhoso e, se não tiver, prosseguiu, "ninguém faz" porque, para isso, "tem de ter compromisso com os pobres desse País". Em seguida, passou a se vangloriar das medidas adotadas pelo ex-presidente Lula de criar toda "uma engenharia, uma tecnologia social" e "criar um cadastro, porque não existia cadastro".

CadÚnico

Só que, a falar disse, a presidente ignorou que, em 2001, quando houve a universalização do Bolsa Escola, programa tucano de transferência de renda, com condicionalidade de frequência à escola, os pagamentos dos benefícios eram controlados pelo Cadastro Único para Programas Sociais, CadÚnico, criado pelo decreto 3877, de 24 de julho de 2001, que em 2003 foi incorporado ao programa rebatizado por Lula de Bolsa Família. Dilma comemorou ainda a criação do Cartão "estratégico" para eliminar intermediários na liberação dos recursos. Em 2002, o governo FHC lançou o "Cartão Cidadão" que unificava o pagamento de benefícios à população pobre, como o Bolsa Escola e o auxílio gás.

Um mês depois de ter ocupado cadeia de rádio e televisão para anunciar a redução do preço da energia e reagir às notícias de riscos de apagão no País, a presidente Dilma chamou de "irresponsáveis" estes alarmistas. "Esse País tem segurança energética. Hoje, nós temos, antes da entrega dos 10 mil MW que entram esse ano, nós temos 14 mil MW de térmicas. Nunca tivemos isso na vida", desabafou a presidente, atacando "os irresponsáveis" que anunciaram apagões. "O que não é admissível para o país é que se crie instabilidade onde não há instabilidade. Exemplo: não é admissível que se diga que vai haver racionamento quando não vai haver racionamento. As mesmas vozes que disseram, em dezembro e janeiro que ia haver racionamento, se calam. E a consequência é nenhuma, o que eu acho que é uma irresponsabilidade", atacou. Para Dilma, "o que afeta a vida das empresas, a vida das pessoas, nós temos de ter cuidado, porque se coloca uma expectativa negativa gratuita para o país".
*****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2013/02/27/dilma_desafia_fhc_e_volta_a_trocar_farpas_com_tucanos_146794.php

DOCUMENTOS DO MENSALÃO ESTÃO ESCONDIDOS

28.02.2013
Do blog MEGACIDADANIA, 27.02.13

Documentos
O blog Megacidadania defende que o julgamento da AP 470 foi  político e transformou o STF num tribunal de exceção.
A prova mais contundente de nossa afirmação é o fato de que a velha mídia promoveu uma verdadeira overdose midiática e não apresentou um único documento ao distinto público. No entanto, após exaustivo e intenso trabalho de pesquisa conseguimos acesso aos documentos encadernados na AP 470.
São 239 volumes e 500 apensos.
Para nosso espanto, não existe índice, não existe organização, apensos inteiros cujas folhas sequer estão numeradas, apensos com numeração repetida, apensos citados pelos ministros que não conferem.
Só uma motivação justifica tamanha balbúrdia: IMPEDIR A PESQUISA, CONSULTA E CONFERÊNCIA DA ÍNTEGRA DO PROCESSO. A menos que o STF não tenha qualificação profissional para organizar um processo de tamanha importância.
A sociedade brasileira precisa ter acesso pleno a íntegra dos autos. É inadmissível que importantes documentos “não lidos” (=seletivamente) estejam escondidos da população.
É dever de consciência da cidadania exigir total transparência da íntegra da AP 470.
Eis uma pequena indicação de documentos fundamentais que desmontam a falsa tese da acusação: apensos 379, 380, 381, 382, 383, 384, 385, 386, 387, 388 partes 1 e 2, 389, 390, 391, 392, 393, 394, 395, 396, 397, 398 partes 1 e 2, 399, 400, 430 pasta FIV, 431 pasta 01, 432 pasta 03, 433 pasta 02, 439, 447, 456, 457, 458, 459, 460.
TRANSPARÊNCIA JÁ!
Quem tem medo da verdade?

******
Fonte:http://www.megacidadania.com.br/documentos-do-mensalao-estao-escondidos/

Cuba: 50 verdades que Yoani Sánchez ocultará

28.02.201
Do portal OPERA MUNDI
Por Salim Lamrani  
Paris

Blogueira faz turnê mundial de 80 dias em cerca de 12 países do mundo para falar sobre Cuba. Mas não dirá tudo..

A famosa opositora está realizando uma turnê mundial de 80 dias em cerca de doze países do mundo para falar sobre Cuba. Mas não dirá tudo...

1. O artigo 1705 da Lei Torricelli, de 1992, adotada pelo Congresso norte-americano, estipula que: “Os Estados Unidos fornecerão apoio a organizações não-governamentais apropriadas, para apoiar indivíduos e organizações que promovam uma mudança democrática não-violenta em Cuba”.

2. O artigo 109 da Lei Helms-Burton, de 1993, aprovada pelo Congresso, confirma essa política: “O Presidente [dos EUA] está autorizado a proporcionar assistência e oferecer todo tipo de apoio a indivíduos e organizações não-governamentais independentes para apoiar os esforços com vistas a construir a democracia em Cuba”.

3. A agência espanhola EFE fala de “opositores pagos pelos EUA” em Cuba.

4. Segundo a agência britânica Reuters, “o governo norte-americano proporciona abertamente apoio financeiro federal para as atividades dos dissidentes”.

5. A agência de notícias norte-americana The Associated Press reconhece que a política de financiar a dissidência interna em Cuba não é nova: “Há muitos anos, o governo dos EUA vem gastando milhões de dólares para apoiar a oposição cubana”.

6. Jonathan D. Farrar, ex-chefe da Seção de Interesses Norte-americanos em Havana (SINA), revelou que alguns aliados dos EUA, como o Canadá, não compartilham da política de Washington: “Nossos colegas canadenses nos perguntaram o seguinte: Por acaso alguém que aceita dinheiro dos EUA deve ser considerado um preso político?”

7. Para Farrar, “Nenhum dissidente tem uma visão política que poderia ser aplicada em um futuro governo. Ainda que os dissidentes não admitam, são muito pouco conhecidos em Cuba fora do corpo diplomático e midiático estrangeiro […]. É pouco provável que desempenhem um papel significativo em um governo que sucederia ao dos irmãos Castro”.

8. Farrar afirmou que “os representantes da União Europeia desqualificaram os dissidentes nos mesmos termos que os do governo de Cuba, insistindo no fato de que não representam a ninguém”.

9. Cuba dispõe da taxa de mortalidade infantil (4,6 por mil) mais baixa do continente americano – incluindo Canadá e EUA – e do terceiro mundo.

10. A American Association for World Health, cujo presidente de honra é Jimmy Carter, aponta que o sistema de saúde de Cuba é “considerado de modo uniforme como o modelo preeminente para o terceiro mundo”.

11. A American Association for World Health aponta que “não há barreiras raciais que impeçam o acesso à saúde” e ressalta “o exemplo oferecido por Cuba, o exemplo de um país com a vontade política de fornecer uma boa atenção médica a todos os cidadãos”.

12. Com um médico para cada 148 habitantes (78.622 no total), Cuba é, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a nação melhor dotada do mundo neste setor.

13. Segundo a New England Journal of Medicine, a mais prestigiada revista médica do mundo, “o sistema de saúde cubano parece irreal. Há muitos médicos. Todo mundo tem um médico de família. Tudo é gratuito, totalmente gratuito […]. Apesar do fato de que Cuba dispõe de recursos limitados, seu sistema de saúde resolveu problemas que o nosso [dos EUA] não conseguiu resolver ainda. Cuba dispõe agora do dobro de médicos por habitante do que os EUA.

14. Segundo o Escritório de Índice de Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Cuba é o único país da América Latina e do Terceiro Mundo que se encontra entre as dez primeiras nações do mundo com o melhor Índice de Desenvolvimento Humano sobre três critérios, expectativa de vida, educação e nível de vida durante a última década.

15. Segundo a Unesco, Cuba dispõe da taxa de analfabetismo mais baixa e da taxa de escolarização mais alta da América Latina.

16. Segundo a Unesco, um aluno cubano tem o dobro de conhecimentos do que uma criança latino-americana. O organismo enfatiza que “Cuba, ainda que seja um dos países mais pobres da América Latina, dispõe dos melhores resultados quanto à educação básica”.

17. Um informe da Unesco sobre a educação em 13 países da América Latina classifica Cuba como a primeira em todos os aspectos.

18. Segundo a Unesco, Cuba ocupa o décimo sexto lugar do mundo – o primeiro do continente americano – no Índice de Desenvolvimento da Educação para todos (IDE), que avalia o ensino primário universal, a alfabetização dos adultos, a paridade e a igualdade dos sexos, assim como a qualidade da educação. A título de comparação, EUA está classificado em 25° lugar.

19. Segundo a Unesco, Cuba é a nação do mundo que dedica a parte mais elevada do orçamento nacional à educação, com cerca de 13% do PIB.

20. A Escola Latino-americana de Medicina de Havana é uma das mais prestigiadas do continente americano e já formou dezenas de milhares de profissionais da saúde de mais de 123 países do mundo.

21. O Unicef enfatiza que “Cuba é um exemplo na proteção da infância”.

22. Segundo Juan José Ortiz, representante da Unicef em Havana, em Cuba “não há nenhuma criança nas ruas. Em Cuba, as crianças ainda são uma prioridade e, por isso, não sofrem as carências de milhões de crianças da América Latina, que trabalham, são exploradas ou caem nas redes de prostituição”.

23. Segundo o Unicef, Cuba é um “paraíso para a infância na América Latina”.

24. O Unicef ressalta que Cuba é o único país da América Latina e do terceiro mundo que erradicou a desnutrição infantil.

25. A organização não governamental Save the Children coloca Cuba no primeiro lugar entre os países em desenvolvimento no quesito condições de maternidade, à frente de Argentina, Israel ou Coreia do Sul.

26. A primeira vacina do mundo contra o câncer de pulmão, a Cimavax-EGF, foi elaborada por pesquisadores cubanos do Centro de Imunologia Molecular de Havana.

27. Desde 1963, com o envio da primeira missão médica humanitária à Argélia, cerca de 132 mil médicos cubanos e outros profissionais da saúde colaboram voluntariamente em 102 países.

28. Ao todo, os médicos cubanos atenderam mais de 85 milhões de pessoas e salvaram 615 mil vidas em todo o planeta.

29. Atualmente, 38.868 colaboradores sanitários cubanos, entre eles 15.407 médicos, oferecem seus serviços em 66 nações.

30. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) “um dos exemplos mais exitosos da cooperação entre cubana com o Terceiro Mundo tem sido o Programa Integral de Saúde América Central, Caribe e África”.

31. Em 2012, Cuba formou mais de 11 mil novos médicos: 5.315 são cubanos e 5.694 são de 69 países da América Latina, África, Ásia… e inclusive dos Estados Unidos.

32. Em 2005, com a tragédia causada pelo furacão Katrina em Nova Orleans, Cuba ofereceu a Washington 1.586 médicos para atender as vítimas, mas o presidente da época, George W. Bush, rejeitou a oferta.

33. Depois do terremoto que destruiu o Paquistão em novembro de 2005, 2.564 médicos cubanos atenderam as vítimas durante mais de oito meses. Foram montados 32 hospitais de campanha, entregues prontamente às autoridades do país. Mais de 1,8 milhões de pacientes foram tratados e 2.086 vidas foram salvas. Nenhuma outra nação ofereceu uma ajuda tão importante, nem sequer os EUA, principal aliado de Islamabad. Segundo o jornal britânico The Independent, a brigada médica cubana foi a primeira a chegar e a última a deixar o país.

34. Depois do terremoto no Haiti, em janeiro de 2012, a brigada médica cubana, presente desde 1998, foi a primeira a atender a população e curou mais de 40% das vítimas.

35. Segundo Paul Farmer, enviado especial da ONU, em dezembro de 2012, quando a epidemia de cólera alcançou seu ápice no Haiti com uma taxa de mortalidade sem precedentes e o mundo voltava sua atenção para outro lado, a “metade das ONG já tinham se retirado, enquanto os Cubanos ainda estavam presentes”.

36. Segundo o PNUD, a ajuda humanitária cubana representa, proporcionalmente ao PIB, uma porcentagem superior à media das 18 nações mais desenvolvidas.

37. Graças à Operação Milagre, lançada por Cuba e Venezuela em 2004, e que consiste em operar gratuitamente as populações pobres vítimas de cataratas e outras doenças oculares, mais de dois milhões de pessoas procedentes de 35 países puderam recuperar a visão.

38. O programa de alfabetização cubano "Yo, sí puedo", lançado em 2003, já permitiu que mais de cinco milhões de pessoas de 28 países diferentes, incluindo da Espanha e da Austrália, aprendessem a ler, escrever e a somar.

39. Desde a criação do Programa humanitário Tarará, em 1990, em resposta à catástrofe nuclear de Chernobil, cerca de 30 mil crianças 5 e 15 anos foram tratadas gratuitamente em Cuba.

40. Segundo Elías Carranza, diretor do Instituto Latinoamericano das Nações Unidas para a Prevenção do Delito e Tratamento do Delinquente, Cuba erradicou a exclusão social graças “a grandes conquistas na redução da criminalidade”. Trata-se do “país mais seguro da região, [enquanto que] a situação em relação aos crimes e à falta de segurança em escala continental se deteriorou nas últimas três décadas com o aumento do número de mortes nas prisões e no exterior”.

41. Em relação ao sistema de Defesa Civil cubano, o Centro para a Política Internacional de Washington, dirigido por Wayne S. Smith, ex-embaixador norte-americano em Cuba, aponta em um informe que “não há nenhuma dúvida quando à eficiência do sistema cubano. Apenas alguns cubanos perderam a vida nos 16 furacões mais importantes que atingiram a ilha na última década, e a propabilidade de se perder a vida em um furacão nos EUA é 15 vezes maior do que em Cuba”.

42. O informe da ONU sobre “O estado da insegurança alimentar no mundo 2012” aponta que os únicos países que erradicaram a fome na América Latina são Cuba, Chile, Venezuela e Uruguai.

43. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), “as medidas aplicadas por Cuba na atualização de seu modelo econômico com vistas a conseguir a soberania alimentar podem se converter em um exemplo para a humanidade”.

44. Segundo o Banco Mundial, “Cuba é reconhecida internacionalmente por seus êxitos no campo da educação e da saúde, com um serviço social que supera o da maioria dos países em vias de desenvolvimento e, em alguns setores, é comparável ao de países desenvolvidos”.

45. O Fundo das Nações Unidas para a População salienta que Cuba “adotou, há mais de meio século, programas sociais muito avançados, que permitiram ao país alcançar indicadores sociais e demográficos comparáveis aos dos países desenvolvidos”.

45. Desde 1959, e da chegada de Fidel Castro ao poder, nenhum jornalista foi assassinado em Cuba. O último que perdeu a vida foi Carlos Bastidas Argüello, assassinado pelo regime militar de Batista em 13 de maio de 1958.

47. Segundo o informe de 2012 da Anistia Internacional, Cuba é um dos países da América que menos viola os direitos humanos.

48. Segundo a Anistia Internacional, as violações de direitos humanos são mais graves nos EUA do que em Cuba.

49. Segundo a Anistia Internacional, atualmente, não há nenhum preso político em Cuba.

50. O único país do continente americano que não mantém relações diplomáticas e comerciais normais com Cuba são os EUA.

* Doutor em Estudos Ibéricos e Latino-americanos da Universidade Paris Sorbonne-Paris IV, Salim Lamrani é professor titular da Université de la Réunion e jornalista, especialista nas relações entre Cuba e Estados Unidos. Seu último livro se intitula Etat de siège. Les sanctions économiques des Etats-Unis contre Cuba, Paris, Edições Estrella, 2011, com prólogo de Wayne S. Smith e prefácio de Paul Estrade.












*****
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/opiniao/27464/cuba+50+verdades+que+yoani+sanchez+ocultara.shtml

LUIS NASSIF: Os caminhos da economia em 2013

28.02.2013
Do portal da Revista CartaCapital
Por Luis Nassif

Para entender os desafios atuais da economia.


Foto: Claudio Capucho/Vale/AE
Foto: Claudio Capucho/Vale/AE
O ciclo do desenvolvimento consiste nas seguintes etapas:
1. Formação da demanda, através do fortalecimento do mercado interno e das exportações.
2. Fortalecimento da produção interna, para atender à demanda.
O aumento da produção interna gera mais investimentos, que geram mais empregos, que fortalecem mais o mercado interno, completando-se o círculo virtuoso.
***
Por enquanto há dificuldades em completar o segundo ciclo, apesar dos avanços da redução dos juros e melhoria do câmbio.
O fato do fator 2 não ter se completado faz com que todo aumento de demanda de produtos comercializáveis (aqueles negociados no mercado internacional) seja atendido pelas importações, gerando uma pressão nas contas correntes brasileiras.
No ano passado, o consumo de industrializados cresceu mais de 8%; a produção caiu 2,8%. No setor químico, o consumo aparente tem crescido 7,1% ao ano desde 2007. E a produção continua no mesmo patamar. Em cinco anos, houve estagnação interna, enquanto o aumento de consumo foi totalmente absorvido pelas importações.
A indústria química fechou 2012 com um déficit de US$ 28,1 bilhões. Em 2013, o buraco será maior. Apenas em janeiro o déficit em conta corrente foi de US$ 11 bilhões.
***
As reservas internacionais permitem empurrar algum tempo com a barriga. Mas esse desequilíbrio terá que ser desmontado em algum momento, sob pena de uma crise futura nas contas externas.
***
Trata-se de uma equação complexa. Os salários melhoraram, o emprego melhorou e existe mais crédito disponível para consumo. Como a produção interna não atende a essa demanda, há um aumento dos preços de serviço e de moradia e uma pressão nas contas externas.
Este é nó central. Para ser desarmado, exigiria um reajuste muito mais acentuado do câmbio. Mas aí se esbarra na outra perna da equação: os efeitos sobre a inflação e sobre a renda.
***
No ano passado, procedeu-se a uma corajosa desvalorização cambial de cerca de 30%. Mas não se resolveu o problema da competitividade interna.
Além disso, o discurso desconexo do Ministro da Fazenda Guido Mantega lançou uma nuvem de imprevisibilidade sobre os agentes econômicos. Somado ao aumento dos preços de alimentos, provocou essa alta da inflação no final do ano passado e início deste ano.
Grandes fabricantes – como Nestlé, Gessy Lever, Procter & Gamble, conseguiram emplacar reajustes médios de 10% nos atacadistas. Esses reajustes concentraram-se no setor alimentício.
Pode-se tratar o problema com antibiótico ou antigripal. O antibiótico seriam medidas duras na área de crédito, com impacto sobre o consumo – e sobre o PIB. Não é o caso ainda.
***
Tem-se um desafio imediato, que consiste em desarmar as expectativas inflacionarias, trabalho que vem sendo conduzido pelo discurso mais sólido do presidente do Banco Central Alexandre Tombini. O recuo recente dos preços de alimentos ajudará nessa empreitada.
Para compensar o câmbio apreciado, o governo vem procedendo a uma série de desonerações tributárias. Mas ainda se mostram insuficientes.
De qualquer modo, a estratégia está montada. Os próximos meses indicarão se foi bem sucedida ou exigirá dosagens maiores.

*******
Fonte:http://www.cartacapital.com.br/economia/os-caminhos-da-economia-em-2013/

AYRES BRITTO NÃO PERDE POR ESPERAR

28.02.2013
Do blog CONVERSA AFIADA, 27.02.13
Por Paulo Henrique Amorim

Ele nem esperou o fim do julgamento para entrar na Globo


O passarinho saiu de Brasilia, pousou na janela lá de casa e contou uma história interessante.

Um advogado perspicaz percebeu que há uma infração gritante no prefaciador do livro do Ataulfo Merval de Paiva (*), o Big Ben de Propriá.

- Como é que um ex-Ministro do Supremo prefacia um livro que trata de condenados num julgamento que não se concluiu ?

O livro e o prefácio vieram à luz (ou à treva) antes da publicação dos acordãos e do julgamento dos embargos.

O julgamento está em curso.

O que terminou foi a proclamação do veredito pelo PiG (**), antes de comecar o julgamento.

Que Juiz é esse ?

Que Juiz é esse que referenda as análises parciais e partidárias (anti-petistas)  de um jornalista que se notabilizou como o Promotor-Mor do julgamento ?

Será que esse Juiz era a fonte certeira que conferia ao jornalista o direito de prever quem ia votar, quando ia votar e como ia votar ?

Tem um advogado à espreita do Juiz.

Paulo Henrique Amorim

(*) Até agora, Ataulfo de Paiva era o mais medíocre dos imortais da história da Academia Brasileira de Letras. Tão mediocre, que, ao assumir, o sucessor, José Lins do Rego, rompeu a tradição e, em lugar de exaltar as virtudes do morto, espinafrou sua notoria mediocridade.

(**) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.


****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/02/27/ayres-britto-nao-perde-por-esperar/#.US6Miv4KVeI.twitter

MÍDIA RACISTA: CAROLINA MARIA DE JESUS

28.02.2013
Do FACEBOOK de Vera Paixão, 10.09.2012

Carolina Maria de Jesus, mulher negra, pobre e favelada. Alfabetizada até o 2º ano primário. Catadora de lixo. Com toda adversidade foi uma escritora brilhante,autora do livro “Quarto de Despejo” (traduzido em quatorze línguas). 

Vendeu mais de um milhão de livros. Uma figura humana fantástica, cuja história nunca interessou as emissoras de TV brasileiras. 

Ao invés de personagens inspiradas em Carolina de Jesus, a Rede Globo nos brinda com blackface Adelaide.

******
Fonte:http://www.facebook.com/photo.php?fbid=386344588117334&set=a.107457386006057.15890.100002253886335&type=1&theater

A molecagem do DEM na Câmara

28.02.2013
Do BLOG DO MIRO, 
Por Rogério Tomaz Jr., no blog Conexão Brasília-Maranhão:


O Democratas, mais conhecido pela sigla DEM, mas pode chamar de Arena, PDS ou PFL, aprontou mais uma de suas traquinagens. Comportamento típico de “menino véi de buchão”, como se diz no Ceará.

Uma semana depois de posarem de defensores da liberdade, ao babarem ovo da blogueira mercenária Yoani Sanchez em visita ao Brasil, seus parlamentares e prepostos protagonizaram outro episódio patético na Câmara dos Deputados.

Há dez dias está exposta no corredor de acesso ao plenário uma série de fotos históricas para lembrar os 33 anos do PT.

Para ontem, quarta (27), estava marcado um ato público para celebrar o aniversário do partido, fundado a 10 de fevereiro de 1980, quando o DEM era o PDS (ou ainda Arena? nem sei e nem importa).

Eis que a tropa de choque, comandada pelo cacique Ronaldo Caiado (fundador da UDR, a turma que não tem nada a ver com os mais de dois mil assassinatos de líderes e militantes rurais brasileiros nas últimas três décadas), decidiu violar a exposição do PT, colocando um painel com capas de jornais sobre o “mensalão” na frente das fotos.

O deputado Amauri Teixeira (PT-BA), que é muito bem humorado, mas não aceita molecagem, encarou a patota e, sem qualquer cerimônia, tratou de arrancar o painel provocativo. Os DEMos ficaram com cara de porco mijando e a única reação foi gritar o jargão “mensaleiro”, mais gasto do que fundo de cueca velha, que persistiu enquanto Teixeira dava entrevistas.

A provocação gerou um empurra-empurra no corredor e discussões ríspidas no plenário.

A bancada do PT estuda representar o DEM por conta da falta de respeito ao espaço reservado para a exposição.

O vídeo abaixo mostra bem o que aconteceu.

-
Turma do DEM violando exposição do PT
Turma do DEM violando exposição do PT
Pobre oposição de direita. Não tem projeto, não tem discurso, não tem líderes, não tem carisma e não tem vergonha de ser ridícula ao agir como adolescentes com dor de cotovelo.

*******
Fonte:http://www.altamiroborges.blogspot.com.br/2013/02/a-molecagem-do-dem-na-camara.html

Sindsprev-PE mobilizado para garantir turno estendido no INSS

28.02.2013
Do portal do SINDSPREV.PE, 25.02.13
Por Wedja Gouveia
Imprensa Sindsprev

Jornada de 30 horas

A direção do Sindsprev-PE está atenta e mobilizada visando garantir o turno estendido para os servidores do INSS. Na última sexta-feira, dia 22, os servidores foram surpreendidos com a decisão de que o Instituto poderá acatar uma recomendação do Ministério Público Federal suspendendo por um ano o turno estendido de atendimento e aumentando a jornada para 40 horas.

A CNTSS-CUT já agendou reunião com o INSS, quando abordará as inconsistências da avaliação do Ministério Público para proferir a Recomendação Nº 04/2013, de 21/02/2013. Em nossa avaliação é inaceitável que o INSS acate essa decisão sem fazer uma contra- argumentação e sem qualquer discussão com os trabalhadores e as entidades  representativas da categoria.

Lembramos que faz parte da política do INSS não acatar de imediato as decisões judiciais que têm a chamada força de lei e, portanto, devem ser cumpridas de imediato. O INSS, por exemplo, demorou um tempo para cumprir as liminares conquistadas por alguns Sindsprevs que garantiam a jornada de 30 horas aos servidores que ingressaram em 2004.

Neste final de semana, esse assunto foi amplamente discutido em São Paulo, com representantes dos Sindsprevs de Goiás, Sergipe, Bahia, Paraíba, Distrito Federal,  São Paulo,  Rio de Janeiro e de Pernambuco, que esteve representado nas discussões pelos dirigentes José Bonifácio e Irineu Messias.

Esta decisão é um grande retrocesso que poderá levar ao caos o atendimento ao público. Não podemos aceitar essa investida na retirada de nossos direitos históricos, conquistados com muita luta por nossa categoria. Vamos mobilizar todos os servidores do INSS para garantir a jornada de 30 horas para todos os trabalhadores do Instituto.

Na Marcha a Brasília por Desenvolvimento, Cidadania e Valorização do Trabalho, a ser realizada no dia 6 de março, estaremos promovendo mobilizações em defesa do turno estendido do INSS.

Recomendação- O Ministério Público alega em sua Recomendação 04/2013 que o turno estendido não aumentou a produtividade do Instituto.  Não concordamos com essa análise porque não foram levados em consideração dois pontos fundamentais: a alteração do sistema do INSS, que comprovadamente provocou um caos nas agências, e a falta de servidores para a atual demanda.
 
 

Clique aqui e leia a Recomendação do Ministério Público Federal nº 04/2013
 

******
Fonte:http://www.sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000002589&cat=noticias

Universidade de Santa Maria ainda lida com luto de alunos e professores após tragédia

28.02.2013
Do portal da Agência Brasil, 27.02.13
Por Mariana Jungmann

Brasília - Um mês após a tragédia que matou 239 pessoas na Boate Kiss, a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) se prepara para entrar em recesso e encontrar formas de lidar com o luto. Pelo menos 117 jovens, alunos da instituição, morreram no incêndio ou em consequência dele. Desses, 65 pertenciam ao Centro de Ciências Rurais, que inclui os cursos de agronomia – que organizou a festa do dia 27 de janeiro –, zootecnia e veterinária.

Apesar de numericamente ter perdido mais alunos, o diretor do Centro de Ciências Rurais da UFSM, professor Thomé Lovatto, diz que as mortes foram sentidas igualmente por toda a comunidade acadêmica. “O sentimento é o mesmo. Não dá para dizer que, porque nós perdemos numericamente mais, os outros perderam menos. A integração era muito grande entre os cursos. Os alunos se conheciam e conviviam” explicou.

Segundo ele, apesar de a universidade ter retomado as aulas na segunda semana após a tragédia, ainda é preciso um monitoramento constante de alunos e professores e o apoio de psicólogos durante as atividades. Entre 5% e 10% dos alunos têm crises de choro e depressão durante as aulas e, muitas vezes, precisam interromper os trabalhos. Nesses casos, o diretor conta que eles não deverão passar pelas avaliações do fim do semestre letivo. “Estamos em atenção aos alunos que ficaram com sequelas psicológicas. Os professores vão deixar as avaliações em aberto e, no próximo semestre, eles retornam para fazer as disciplinas novas e concluir as que ficaram incompletas”.

O semestre letivo será encerrado no próximo dia 6, em função de um atraso provocado pela greve no ano passado. As aulas serão retomadas no dia 1º de abril. Os professores e coordenadores dos cursos preparam uma “recepção diferenciada” para os alunos, segundo Lovatto. “Perdemos calouros na tragédia, que deveriam começar a vida acadêmica no semestre que será iniciado. Vamos ter de preparar uma recepção para quem perdeu esses colegas”, acrescentou.

O diretor conta que os professores também precisaram de acompanhamento. De acordo com ele, na semana depois do incêndio, foram feitas reuniões com o corpo docente para prepará-lo para lidar com os alunos e com o próprio luto. A universidade recebeu o apoio de centros de psicologia de outras instituições, como a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Na segunda semana, os alunos começaram a voltar para o campus e foram oferecidos espaços para manifestações e desabafos. Somente a partir da terceira semana após a tragédia é que as atividades normais foram retomadas, já em ritmo de encerramento de semestre.

Nos próximos meses, o professor Lovatto diz que novos desafios devem ser enfrentados, como a ajuda às famílias que perderam, por exemplo, quem as sustentava financeiramente. “Nós temos 34 famílias que perderam seus mantenedores. É o caso de um segurança da boate. Ele mantinha a mãe e as duas irmãs, que também já tinham filhos. Agora vamos ter que pensar nessas situações, no sentido de garantir um sustento para essas famílias. Vamos ver como a universidade pode ajudar”.

O incêndio na Boate Kiss ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro, matando imediatamente 234 pessoas. Centenas ficaram feridas ou foram intoxicadas pela fumaça tóxica provocada pela queima da espuma de isolamento acústico da boate. Mais seis pessoas morreram posteriormente em consequência de queimaduras ou de problemas respiratórios causados pela fumaça. A tragédia começou quando um artefato pirotécnico foi aceso durante show da banda Gurizada Fandangueira. Dois integrantes da banda e dois sócios da boate ainda estão presos. A polícia deve concluir as investigações nesta semana.

Edição: Graça Adjuto
*****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-02-27/universidade-de-santa-maria-ainda-lida-com-luto-de-alunos-e-professores-apos-tragedia

Colunista da Folha justifica tortura?

28.02.2013
Do blog ESCREVINHADOR, 27.02.13
Por Urariano Mota, no Direto da Redação

Jornal emprestava carros para torturadores em 64


Para que serve a tortura?


Nesta quinta-feira, Contardo Calligaris na Folha de São Paulo deu à sua coluna o mesmo título desta agora. Diz ele:

O saco plástico do capitão Nascimento funciona. Os ‘interrogatórios’ brutais do agente Jack Bauer, na série “24 Horas”, funcionam. E, de fato, como lembra ‘A Hora Mais Escura’, de Kathryn Bigelow, que acaba de estrear, o afogamento forçado e repetido de suspeitos detidos em Guantánamo forneceu as informações que permitiram localizar e executar Osama bin Laden.

Nos EUA, na estreia do filme, alguns se indignaram, acusando-o de fazer apologia da tortura. Na verdade, o filme interroga e incomoda porque nos obriga a uma reflexão moral difícil e incerta: a tortura, nos interrogatórios, não é infrutuosa -se quisermos condená-la, teremos que produzir razões diferentes de sua inutilidade”.

Guerrilha brasileira explodiu carro da Folha, em represália ao apoio do jornal à ditadura

Antes de mais nada, vale ressaltar que há muito o cinema norte-americano naturaliza a tortura, a injustiça, a exclusão. Desde Hollywood ele tem sido sentinela avançado do modo capitalista, na propaganda dos valores da formação do homem norte-americano. De passagem, lembro um filme de Ford (sim, do grande Ford) em que John Wayne ouve a seguinte frase do empregado do hotel: “você e o cachorro sobem, mas o índio não”. O que dizer de 007, por exemplo, em sua cruzada contra os comunistas? O que falar dos mexicanos e índios, sempre pintados como bandidos desde a nossa infância? O que dizer da ausência de interioridade nos personagens negros que apareciam em seus filmes, sempre em posição subalterna ou de pianista para o amor do casal romântico?

O fundamental é que no fim do texto Calligaris conclui:


“Uma criança foi sequestrada e está encarcerada em um lugar onde ela tem ar para respirar por um tempo limitado. Você prendeu o sequestrador, o qual não diz onde está a criança sequestrada. Infelizmente, não existe (ainda) soro da verdade que funcione. A tortura poderia levá-lo a falar. Você faz o quê?”.

Esse é um recurso de justificativa da tortura é manjado. Seria algo como:
- Você é capaz de matar uma criança?
- Não, claro que não.
- E se a criança fosse uma terrorista?
- Crianças não são terroristas.
- E se ela estivesse domesticada, com lavagem cerebral, que a tornasse uma terrorista?
- Ainda assim, de modo algum eu a veria como uma terrorista.
- E se essa criança trouxesse o corpo cheio de bombas?
- Eu preferiria morrer a matá-la.
- E se essa criança, com o corpo de bombas, entrasse para explodir uma creche?
- Não sei.
- E se nessa creche estivessem os seus filhos e as pessoas que você ama?
- Neste caso…

E neste caso estariam justificados os fuzilamentos de meninos que atiram pedras em tanques de Israel. E neste caso, num desenvolvimento natural, estaria justificado até o assassinato dos que lutam contra a opressão, porque mais cedo ou mais tarde se tornarão terroristas. E para que não vejam nisto um exagero, citamos as palavras de Kenneth Roth, da Human Rights Watch: `Os defensores da tortura sempre citam o cenário da bomba-relógio. O problema é que tal situação é infinitamente elástica. Você começa aplicando a tortura em um suspeito de terrorismo, e logo estará aplicando-a em um vizinho dele` “.

É monstruoso, é um atestado absoluto do desprezo pela pessoa, que na mídia se discuta hoje não a moralidade da tortura, mas a sua eficiência. Esse deslocamento de humanidade – que sai da moral para descer no mais útil -  é sintomático de que não basta mais ser brutais em segredo, na privacidade, escondido. Não. Há de se proclamar que princípios fundamentais da barbárie sejam fundamentos de cidadania. Assim como os defensores  da ditadura têm a petulância de vir a público dizer que apenas se matavam terroristas, portanto, nada de mais; assim como o cão hidrófobo que leva o nome de Bolsonaro – e nesse particular, ele é da mesma raça e doença dos fascistas em geral – zomba sobre os cadáveres de socialistas, agora nas tevês, no cinema, passam à justificação moral da tortura.

Perigo à vista. Nós, os humanistas, temos adotado até aqui uma atitude passiva, ordeira, o que é um claro suicídio. Esse ar de bons-moços que andam pela violência como Cristo sobre as águas, além de suicídio, porque nos afundaremos todos,  é, antes do desastre,  um recolhimento da ética para os fundos que defecam.

Entendam. Longe está este colunista da valentia e poderosas forças. Mas nós que não sabemos atirar balas ou socos,  temos que agir com as armas que a dura vida nos ensinou: escrevendo. E como temos sido omissos.

Leia outros textos de Outras Palavras

*****
Fonte:http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/colunista-da-folha-justifica-tortura.html#more-17892

NA CUT, LULA CONFRONTA: "MÍDIA SUSTENTOU DITADURA"

27.02.2013
Do portal BRASIL247


****
Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/poder/94761/Na-CUT-Lula-confronta-M%C3%ADdia-sustentou-ditadura.htm

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Resultado da reunião do INSS sobre turno extendido


27.02.2013
Do portal do SINDSPREV.PE
Postado por Cristiano Silva

Foi positiva a reunião realizada no final da tarde desta quarta feira, dia 27 de fevereiro, com o presidente do INSS Lindolfo Neto de Oliveira Sales e o secretario executivo Carlos Eduardo Gabas, na referida reunião as entidades sindicais presentes, entre elas o Sindsprev/PE e a CNTSS exigiram que o orgão não acatasse a orientação do MPF que orientava o fim do turno extendido com a jornada de 6h nas APSs.

No entendimento do Sindsprev/PE o MPF não avaliou corretamente os resultados de desempenho do INSS, por isso não há fundamentos para que o governo acate esta recomendação.

Ficou acertado na reunião que o INSS vai buscar soluções para evitar a reversão do turno extentido nas APSs aceitando as reinvidicações e as argumentações apresentadas pelas entidades sindicais.

O Sindsprev/PE está acompanhado ativamente a todos os desdobramentos e não medirá esforços na luta para garantir a permanencia do turno extendido. 
****
Fonte:http://www.sindsprev.org.br/index.php?categoria=noticias_principais_01&codigo_noticia=0000002597&cat=noticias