terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Instituto evangélico quer provar cientificamente que Deus cura


11.12.2012
Do portal GOSPEL PRIME, 29.09.12
Por Jarbas Aragão

O Global Medical Research Institute deseja reunir provas inegáveis de milagres

O Global Medical Research Institute (GMRI) é uma iniciativa do evangelista e avivalista Randy Clark cujo objetivo é “provar” que Deus realmente cura pessoas. Ele conseguiu o registro junto ao National Institute of Health, regulado pelo governo norte-americano.

O GMRI utiliza métodos rigorosos de comprovação médica para, baseado nas evidências, comprovar a cura em resultado de intervenção espiritual, mais especificamente a oração em nome de Jesus pelo poder do Espírito Santo.

O objetivo é reunir documentação médica dos casos e reuni-los através do site do GMRI (globalmri.org). Através dele, as pessoas podem enviar seus exames médicos de antes e depois da cura para serem analisados. Após uma triagem para confirmar os dados, eles são enviados para os peritos médicos do GMRI, em Boston, muitos deles filiados à renomada Escola de Medicina de Harvard.

Quando ficar provado que a cura está “além da explicação médica”, ficará registrada como “prova” do poder de cura de Deus.

“O desejo sincero de Randy é mostrar as evidências médicas de que Deus ainda está curando as pessoas”, diz Brenda Jones, enfermeira membro da GMRI. “A maioria das pessoas, até mesmo a maioria dos médicos nos Estados Unidos, acredita no poder de cura através da oração. Até mesmo pessoas não religiosas aceitaram uma oração pedindo cura. Queremos provar quais pessoas realmente foram curadas por meio da oração”.

Candy Gunther Brown, professora da Universidade de Indiana, começou a estudar a cura sobrenatural há oito anos atrás. O resultado de suas pesquisas é o livro Testing Prayer: Science and Healing [Testando a Oração: Ciência e Cura]. Brown diz que a importância e os desafios de um projeto como o GMRI estão em pé de igualdade.

“Muitos membros da comunidade pentecostal/carismática são resistentes a fazer uma análise médica, pois acreditam que a fé deve vir pelo que ouvem, não pelo que veem”, diz ela. “Há também a preocupação de que a mídia vai explorar o fato, tirar as coisas fora de contexto, e assediar os ministérios e famílias envolvidas”.

Brown descobriu que havia centenas de relatos de cura sem uma explicação médica. Mas ela também encontrou falsificação de registros médicos de algumas pessoas que afirmavam ter recebido a cura pela fé mesmo sem nenhuma evidência física. Por isso, acredita, é tão importante peneirar as declarações e publicar apenas as curas legítimas.

“Cada vez mais, a linguagem aceita pelas pessoas é a ciência médica”, diz Brown. ”Com ou sem um poder sobrenatural envolvido na cura, há um grande número de médicos pesquisadores interessados em saber se a oração ajuda as pessoas a se sentirem melhor. O GMRI precisa obter o maior número possível de casos positivos, o que deve motivar outras pessoas a se envolverem”.

Cal Pierce, diretor da Associação Internacional Healing Rooms [Quartos de Cura, já está motivado. Seu ministério já reúne mais de 2.000 “quartos”, locais onde a presença e o poder do Espírito Santo são instrumentos para curar os doentes em diferentes partes do mundo. Eles planejam para coletar informações a submetê-las ao GMRI.

Pierce afirma: “Nós podemos fornecer informações sobre o que não é possível explicar pela medicina e também fornecer registros médicos para que seja comprovada a operação do Espírito Santo. Com o trabalho do GMRI, mais pessoas vão crer na cura porque os milagres de Deus serão reconhecidos pelos homem”.

Traduzido de Charisma News
*****
Fonte:http://noticias.gospelprime.com.br/instituto-evangelico-quer-provar-cientificamente-que-deus-cura/

MARCOS COIMBRA: 2013 vai ser difícil

11.10.2012
Do portal da Revista CartaCapital, 10.12.12
Por Marcos Coimbra


Um espectro ronda a política brasileira. O fantasma da próxima eleição presidencial. Este ano já foi marcado por ele. Ou alguém acredita que é genuína a inspiração ética por trás da recente onda moralista, que são sinceras as manchetes a saudar “o julgamento do século”? Que essas coisas são mais que capítulos da luta política cujo desfecho ocorrerá em outubro de 2014?
A história dos últimos dez anos foi marcada por três apostas equivocadas que as elites brasileiras, seus intelectuais e porta-vozes fizeram. A primeira aconteceu em 2002, quando imaginaram que Lula não venceria e que, se vencesse, seria incapaz de fazer um bom governo.
Estavam convencidos de que o povo se recusaria a votar em alguém como ele, tão parecido com as pessoas comuns. Que terminaria a eleição com os 30% de petistas existentes. E que, por isso, o adversário de Lula naquela eleição, quem quer que fosse, ganharia.
O cálculo deu errado, mas não porque ele acabou por contrariar o prognóstico. No fundo, todos sabiam que com a rejeição de Fernando Henrique Cardoso não era impossível que José Serra perdesse.
A verdadeira aposta era outra: Lula seria um fracasso como presidente. Sua vitória seria um remédio amargo que o Brasil precisaria tomar. Para nunca mais querer repeti-lo.
Quando veio o “mensalão”, raciocinaram que bastaria aproveitar o episódio. Estava para se cumprir a profecia de que o PT não ultrapassaria 2006. Só que Lula venceu outra vez e a segunda aposta também deu errado. E ele fez um novo governo melhor que o primeiro, aos olhos da quase totalidade da opinião pública. Em todos os quesitos relevantes, as pessoas o compararam positivamente aos de seus antecessores, em especial aos oito anos tucanos.
A terceira aposta foi a de que o PT perderia a eleição de 2010, pois não tinha um nome para derrotar o PSDB. Que ali terminaria a exageradamente longa hegemonia petista na política nacional. De fato não tinha, mas havia Lula e seu tirocínio. Ele percebeu que, com Dilma Rousseff, poderia vencer.
O PT ultrapassou as barreiras de 2002, 2006 e 2010.
Estamos em marcha batida para 2014 e as oposições, especialmente seu núcleo duro empresarial e midiático, se convenceram de que não podem se dar ao luxo de uma quarta aposta errada. Que o PT não vai perder, por incompetência ou falta de nomes, a próxima eleição. Terão de derrotá-lo.
Mas elas se tornaram também cada vez mais descrentes da eficácia de uma estratégia apenas positiva. Desconfiam que não têm uma ­candidatura capaz de entusiasmar o eleitorado e não sabem o que dizer ao País. Perderam tempo com Serra, Geraldo Alckmin mostrou-se excessivamente regional e Aécio ­Neves é quase desconhecido pela parte do ­eleitorado que conta, pois ­decide a eleição.
Como mostram as pesquisas, tampouco conseguiram persuadir o País de que “as coisas vão mal”. Por mais que o noticiário da grande mídia e seus “formadores de opinião” insistam em pintar quadros catastróficos, falando sem parar em crises e problemas, a maioria acha que estamos bem. Sensação que é o fundamento da ideia de continuidade.
As oposições perceberam que não leva a nada repetir chavões como “O País até que avançou, mas poderia estar melhor”, “Tudo de positivo que houve nas administrações petistas foi herança de FHC”, “Lula só deu certo porque é sortudo” e “Dilma é limitada e má administradora”. A população não acredita nessa conversa. Faltam nomes e argumentos às oposições. Estão sem diagnóstico e sem propostas para o Brasil, melhores e mais ­convincentes que aquelas do PT.
Nem por isso vão cruzar os braços e aguardar passivamente uma nova derrota. Se não dá certo por bem, que seja por mal. Se não vai na boa, que seja no tranco. Fazer política negativa é legítimo, ainda que ­desagradável. Denúncias, boatos, hipocrisias, encenações, tudo ­isso é arma usada mundo afora na briga política.
A retórica anticorrupção é o bastião que resta ao antilulopetismo. Mas precisa ser turbinada e amplificada. Fundamentalmente, porque a maioria das pessoas considera os políticos oposicionistas tão corruptos – ou mais – que os petistas.
O que fazer? Aumentar o tom, falar alto, criar a imagem de que vivemos a época dos piores escândalos de ­todos os tempos. Produzir uma denúncia, uma intriga, uma ­acusação atrás da outra.
Pelo andar da carruagem, é o que veremos na mídia e no discurso oposicionista ao longo de 2013. Já começou.
Vamos precisar de estômago forte.
Últimos artigos de Marcos Coimbra:


******
Fonte:http://www.cartacapital.com.br/politica/2013-vai-ser-dificil/

Dexter diz que jornalista agiu "na maldade” ao colocar sua vida em risco

11.12.2012
Do BLOG DO AMORALNATO
Postado por 

O negócio é fugir do PIG  
Para professor do Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA-USP, a falta de uma lei de imprensa, que poderia ser acionada em casos como esse, contribui para que distorções dessa natureza tenham graves consequências
José Francisco Neto
da Reportagem
Os rappers Dexter e Cascão receberam inúmeras ameaças após uma entrevista, publicada no portal UOL na semana passada, associar a imagem dos cantores à facção criminosa PCC. A matéria, sob o título “Rappers ex-presidiários defendem PCC como grupo de resistência” gerou grande polêmica nas redes sociais.
Entre os cerca de 540 comentários da matéria, alguns leitores fazem ameaças diretas e indiretas. “Investiguem que esses fulanos estão mais ligados ao PCC e ao CV do que se pensa. Cobra venenosa se corta a cabeça quando nasce e ponto final”, diz um comentário. “PCC só existe num país de frangotes como na República da banana. Se fosse nos EUA, China, Rússia esses caras já estavam 1 metro embaixo da terra”, diz outro.
Para o professor do Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicações e Artes da USP Laurindo Lalo Leal Filho (Lalo), a falta de uma lei de imprensa, que poderia ser acionada em casos como esse, contribui para que distorções dessa natureza tenham graves consequências.
“Diante desse desamparo, a sociedade fica vulnerável para sofrer ataques que vão desde crimes contra a honra até a imagem pública, chegando até aos limites da integridade física. A distorção pode levar a tal situação que tem pessoas que podem apelar para a violência física. Isso é gravíssimo”, ressalta Lalo.

  
 Dexter repudia matéria tendenciosa do portal UOL. 
Foto: Guilherme Kastner
  
Ainda abalado com a repercussão negativa da reportagem, Dexter disse ao Brasil de Fato que o jornalista Rodrigo Bertolotto foi completamente tendencioso ao editar a entrevista. "Foi praticamente uma hora de entrevista. Mas, se você juntar os 19 trechos do vídeo que foi publicado vai dar no máximo 12 minutos. Ele foi maldoso, quis causar uma polêmica e é justamente aí que eu acho perigoso, pois coloca a minha integridade física em risco”, esclarece.
Por outro lado, Rodrigo Bertolotto disse que foi combinado com Dexter falar sobre a onda de violência na periferia e que quase 1/3 da entrevista entrou na matéria. Ele ressaltou ainda que é raro um veículo de comunicação dar esse espaço para um personagem. (assista ao vídeo de Dexter em repúdio a matéria do UOL)
Outro sentido
Dexter ressaltou ainda que assuntos como a importância cultural do movimento Hip Hop e o projeto particular que ele desenvolve nos presídios, tratados durante a entrevista e que foram tirados na hora da edição, dariam outro sentido à matéria.
“Hoje eu volto para dentro da prisão para desenvolver um trabalho que vai na contramão de tudo aquilo que o jornalista tentou dizer que eu faço ou que eu apoio”, afirmou se referindo ao projeto “Como vai seu mundo?”, realizado dentro dos presídios através de oficinas de cultura e arte.
Combinado
De primeiro momento a entrevista seria realizada junto aos poetas Ferréz e Sérgio Vaz, e também com o rapper Thaíde, dando a entender que a pauta abordaria iniciativas de agitação cultural. De acordo com Dexter, como os três não tinham uma data para fazer a entrevista, a proposta então seria fazer com o rapper Marcão, do grupo DMN, e Cascão, do Trilha Sonora do Gueto. “Mas essa proposta eu não aceitei. A produção (do UOL) então ligou novamente, após a minha produtora dizer que eu não faria. Então o combinado foi que a entrevista seria só comigo. Foi quando eu aceitei fazer, porque o tema não era só violência”, contrapõe Dexter.
Outra visão
Desde abril do ano passado, quando ganhou liberdade permanente após passar 13 anos na prisão, Dexter visita unidades prisionais em todo o território nacional, levando aos reeducandos mensagens de perseverança, autoestima, conscientização política e social. O projeto “Como vai seu mundo?” é uma iniciativa que conta com a parceria do ex-juiz corregedor da Vara de Execuções Criminais de Guarulhos, Jayme Garcia dos Santos Júnior, e dos apoios do Coletivo Peso e do Instituto Crescer.
Surpreendidos pela matéria com o rapper Dexter, veiculada pelo Uol na última sexta-feira, dia 07/12/2012, a assessoria de imprensa do artista, juntamente com o mesmo, se vê no direito e na obrigação de manifestar seu repúdio com relação ao conteúdo da edição do material. Em primeiro lugar, gostaríamos de deixar claro que o artista não pertence e, tampouco, representa o PCC, facção que, segundo a mídia, atua dentro e fora dos presídios de São Paulo. Também reforçamos que, em momento algum, o rapper defende a violência como solução para problemas sociais ou de qualquer ordem.
A pauta nos foi proposta tendo como único entrevistado o Dexter. Não fomos informados que a opinião dele seria associada deliberadamente a de outras pessoas, pelo contrário, já que o artista concedeu a entrevista sem a presença de nenhum outro entrevistado. A conversa com o jornalista Rodrigo Bertolotto teve duração de cerca de uma hora e foi editada de maneira irresponsável, em vídeos de curta duração, dando ênfase apenas para trechos da fala do artista, induzindo o leitor a acreditar que o rapper faça apologia ao crime e ao PCC.
Conforme conversado previamente com o jornalista e com a produtora da reportagem, o tema em questão é bastante delicado e a forma como o material foi publicado tendencia o leitor a acreditar em uma posição que não condiz com o pensamento do artista, além de colocar em risco sua credibilidade e integridade física, e de comprometer a reputação do Hip Hop, estigmatizando o movimento.
A pauta proposta era que o Dexter abordasse temas como violência, juventude, periferia, carreira artística e Hip Hop no momento atual. Entretanto, toda a parte da entrevista em que ele fala sobre sua carreira, assim como sobre o projeto “Como Vai Seu Mundo”, desenvolvido pelo rapper dentro do sistema carcerário, ficaram integralmente de fora da edição do material publicado. Estas informações são essenciais para compreender a visão do artista sobre os assuntos em questão.
Vale lembrar também que Dexter já cumpriu seu período de reclusão e, hoje, se dedica exclusivamente a difusão de sua música e de palestras que visam sempre a paz e a conscientização de que o crime não compensa. É lamentável que o passado do artista tenha sido colocado em primeiro plano, deixando de lado seu momento atual de êxito profissional e o impacto positivo de suas mensagens.

*****
Fonte:http://amoralnato.blogspot.com.br/2012/12/dexter-diz-que-jornalista-agiu-na.html

A História do Brasil por Bóris Fausto

11.12.2012
 Do Youtube, 31.05.2011
 Por Bóris Fausto

Série narrada pelo historiador Bóris Fausto e que, por meio de documentos e imagens de arquivo, traça um panorama político, social e econômico do País, desde os tempos coloniais até os dias atuais. 

A série é composta, ainda, de entrevistas com algumas personalidades que ajudaram a escrever essa história.http://tvescola.mec.gov.br/

   

****** 
Fonte:http://www.youtube.com/watch?v=pSyE82yRaKU

Um tribunal de exceção só podia resultar em crise institucional

11.12.2012
Do BLOG DA CIDADANIA, 10.12.12
Por Paulo Henrique Amorim

Deve inquietar a cada cidadão que esteja se produzindo no Brasil uma crise institucional envolvendo os Poderes Legislativo e Judiciário. Enquanto este texto se escreve, o Plenário do Supremo Tribunal Federal ainda não concluiu deliberação sobre perda de mandatos eletivos por réus do julgamento da Ação Penal 470, vulgo julgamento do mensalão.Todavia, o resultado, seja qual for, não irá alterar uma situação que amargura o país.
A divergência entre os ministros do Supremo no que diz respeito àquela Corte entrar ou não em choque com a Câmara dos Deputados ao eventualmente usurpar desta o direito de cassar – ou não – os mandatos dos condenados naquela Ação Penal é uma divergência que só existe porque está em curso no Brasil um julgamento de exceção, do que é prova o fato de que os juízes que o conduzem não se entendem sobre como aplicar penas ou sequer se têm a prerrogativa de determinar a interrupção imediata de um mandato legislativo.
É vergonhoso que após 500 anos de história este país tenha experiência zero em punir políticos acusados de corrupção, pois tal ignorância faz lembrar como o Poder Judiciário brasileiro sempre foi omisso em sua missão constitucional. Mas não é só. Ao vermos como o Judiciário nem sabe como é condenar membros do legislativo até o fim – com cassação, prisão e tudo mais – porque nunca condenou nenhum, somos forçados a refletir sobre por que aquela Corte só começou a condenar agora.
Até hoje, os defensores do tipo de julgamento que se está fazendo no Supremo Tribunal Federal não deram uma só explicação para o ineditismo das decisões que ali estão sendo tomadas. Assim, seja qual for a decisão, será uma má decisão.
O Código Penal entrega ao Judiciário a decisão sobre cassação de mandatos legislativos e a Constituição entrega ao Legislativo. Como o primeiro texto legal só pode existir no âmbito do segundo, se a decisão do STF for desfavorável ao que a Presidência da Câmara dos Deputados advoga para si, será uma decisão inconstitucional.
Todavia, o Judiciário não tem como obrigar a Câmara a cassar ninguém, assim como esta não tem como obrigar aquele a não cassar. Mas como a cassação de um mandato legislativo precisa ser oficializada pela Casa Legislativa, ela pode não cumprir a decisão judicial, o que desembocaria, em tese, na situação de um membro efetivo do Legislativo cumprir pena de privação de liberdade.
Ter o detentor de um mandato legislativo atrás das grades, acima de tudo mandaria ao mundo um recado muito claro, de que um dos Poderes da República, o Poder Legislativo, vê defeitos insanáveis na decisão do Poder Judiciário que condenou aqueles parlamentares.
O julgamento do mensalão, pois, a despeito da decisão do STF sobre competência para cassar mandatos legislativos, ficará tisnado pelas demonstrações de inexperiência de seus condutores em tomar decisões que deveriam ser elementares numa democracia, pois ninguém irá acreditar em que jamais um parlamentar brasileiro acusado de crime foi merecedor de uma sentença de prisão e de perda do mandato, o que torna claro o caráter de exceção desse julgamento vergonhoso.
E para que não digam que não falei de flores, se considero inaceitável que um condenado pela Justiça mantenha mandato popular de qualquer espécie, tampouco é aceitável que um dos poderes da República se oponha a uma determinação de outro  e essa discordância fique por isso mesmo, pois, assim, teríamos que considerar que um Poder se sobrepõe ao outro, o que seria a própria negação do conceito de democracia e República.

******
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2012/12/um-tribunal-de-excecao-so-podia-resultar-em-crise-institucional/

É inútil. O país sabe que querem destruir Lula

11.12.2012
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

Vai se cumprindo o script. É tudo tão previsível que chega a dar preguiça de comentar. Lula não é menos alvo hoje do que era há dois, quatro, seis, oito, dez, vinte ou vinte e dois anos. 
Entre 1989 e 2012, ele foi acusado de ser racista, abortista, ladrão, pedófilo, estuprador e assassino, entre outros. Não se consegue lembrar acusação que não tenha sofrido.
A cada manchete contendo uma “bomba” contra Lula, quase é possível ouvir os barões da mídia, seus pistoleiros e a oposição partidária de direita exclamarem “Agora vai”, ou seja, que, desta vez, desmoralizarão o retirante nordestino que se tornou um dos maiores líderes políticos do mundo.
Os mesmos jornais, revistas, rádios e televisões que dia após dia, sem um único intervalo, durante as últimas duas décadas tratam de tentar desmoralizar esse homem com todo tipo possível e imaginável de acusação, renovam suas esperanças pérfidas a cada nova tentativa.
Já usaram até uma ex-namorada de Lula para destruir sua imagem pública – ela o acusou de abortista e de racista. Já publicaram acusação de que ele tentou estuprar um garoto de 15 anos; já disseram que assassinou 200 passageiros de um voo comercial que terminou em tragédia.
Os brasileiros estão sempre esperando uma nova acusação contra Lula. Ele foi acusado até quando contraiu câncer, por não se tratar no sistema público de saúde. Afinal, como pode um retirante nordestino querer se tratar em hospitais que deveriam ser exclusividade de políticos com pedigree, como Fernando Henrique Cardoso?
Alguém imagina que se um dia o ex-presidente tucano adoecer gravemente a oposição midiática irá cobrar dele que se trate em hospitais públicos? Alguém irá cobrar o mesmo de José Serra ou de Geraldo Alckmin?
Contra Lula, argumentam que deveria se tratar no sistema público porque, durante seu governo, exaltava as obras que fez no setor, como se todo governante não fizesse o mesmo. A diferença é que um eventual câncer de FHC ou de outros políticos “com pedigree” nem seria noticiado.
Sobre Marcos Valério, chega a ser ridículo ter que explicar que ele está à beira do desespero por estar prestes a voltar às masmorras em que já sofreu toda sorte de sevícias. Sua estratégia para tentar escapar é oferecer ao Judiciário partidarizado e à mídia oposicionista o que mais desejam: uma acusação que permita a abertura de um processo contra Lula.
A direita midiática, claro, não conseguirá indispor Lula com o povo. Já houve acusações piores e nunca deram certo. Mas o objetivo não esse.
A esperança é a de que o inquérito que o atual procurador-geral da República certamente irá instalar antes de agosto, quando deixará o cargo, crie constrangimento para uma candidatura de Lula à Presidência ou até ao governo de São Paulo, ainda que sem condenação em primeira instância uma eventual candidatura sua não possa ser impedida pela lei da ficha limpa.
Enfim, nada de novo no front. Por falta de votos, a direita midiática tenta conseguir no tapetão o que não consegue nas urnas. Será inútil, mais uma vez. A maioria dos brasileiros não irá arriscar o bem-estar social que conquistou em troca de discursos “éticos” em favor de políticos como os tucanos, contra os quais pesa tanto ou mais do que contra os petistas.
A única esperança para essa direita midiática retomar o poder seria a crise mundial produzir desemprego, queda dos salários e inflação por aqui. A chance, porém, é muito pequena. Os governos Lula e Dilma provaram ao país que é possível atravessar crises sem empurrar a conta para a maioria. Portanto, esse novo “plano infalível” terá o mesmo destino dos outros.

******
Fonte:http://www.blogdacidadania.com.br/2012/12/e-inutil-o-pais-sabe-que-querem-destruir-lula/

Joaquim Barbosa ameaça a Democracia

11.12.2012
Do blog ESQUERDOPATA, 10.12.12


Respeitar o Legislativo é defender a Democracia 

MARCO MAIA

O debate sobre a cassação dos mandatos dos deputados condenados na Ação Penal 470, que acontece no Supremo Tribunal Federal (STF), traz uma séria ameaça à relação harmônica entre os Poderes Legislativo e Judiciário e, portanto, pode dar início a uma grave crise institucional. Isso porque a decisão do STF pode avançar sobre prerrogativas constitucionais de competência exclusiva do Legislativo e, se assim acontecer, podemos estar diante de um impasse sem precedentes na história recente da política nacional.

O fato é que nossa Constituição é explícita em seu artigo 55, que trata da perda de mandato de deputado ou senador em caso destes sofrerem condenação criminal (item VI, parágrafo 2º): “A perda do mandato será decidida pela Câmara dos Deputados ou pelo Senado Federal, por voto secreto e maioria absoluta, mediante provocação da respectiva Mesa ou de partido político representado no Congresso Nacional, assegurada ampla defesa”.

O mesmo artigo estabelece, ainda, a necessidade de a condenação criminal ter sentença transitada em julgado para que tal processo seja deflagrado.

Mesmo que paire alguma dúvida sobre tal enunciado, os registros taquigráficos dos debates que envolveram a redação do artigo 55 pelos constituintes, em março de 1988, são esclarecedores da sua vontade originária. Coube ao então deputado constituinte Nelson Jobim a defesa da emenda do também constituinte Antero de Barros: “Visa à emenda (…) fazer com que a competência para a perda do mandato, na hipótese de condenação criminal ou ação popular, seja do plenário da Câmara ou do Senado”. E, mais adiante, conclui: “(…) e não teríamos uma imediatez entre a condenação e a perda do mandato em face da competência que está contida no projeto”. A emenda foi aprovada por 407 constituintes, entre eles Fernando Henrique Cardoso, Mário Covas, Aécio Neves, Luiz Inácio Lula da Silva, Ibsen Pinheiro, Delfim Netto, Bernardo Cabral, demonstrando a pluralidade do debate empreendido naquele momento.

Portanto, parece evidente que, caso o STF determine a imediata cassação dos deputados condenados na Ação Penal 470, estaremos diante de um impasse institucional.

Primeiro, porque não é de competência do Judiciário decidir sobre a perda de mandatos (aliás, a última vez que o STF cassou o mandato de um parlamentar foi durante o período de exceção, nos sombrios anos entre as décadas de 1960 e 1970).

Segundo, porque não há sequer acórdão publicado do julgamento em tela para que se possa dar início ao processo no Parlamento.

E, terceiro, porque é necessário reafirmar que a vontade do Constituinte foi a de assegurar que a cassação de um mandato popular, legitimamente eleito pelo sufrágio universal, somente pode ser efetivada por quem tem igual mandato popular.

Assim como é dever do Parlamento atuar com independência e autonomia, também é sua tarefa proteger suas prerrogativas constitucionais a fim de resguardar relações democráticas entre os Poderes. Qualquer subjugação do Legislativo tem o mesmo significado de um atentado contra a democracia, e isso é inaceitável. Espera-se que a decisão da Corte Máxima, à luz da Constituição, contribua para o fortalecimento da nossa jovem e emergente democracia.

MARCO MAIA, 46, deputado federal pelo PT-RS, é o presidente da Câmara dos Deputados

******
Fonte:http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/12/joaquim-barbosa-ameaca-democracia.html

IMPRENSA APRESENTA DENÚNCIA REQUENTADA DE MARCOS VALÉRIO E JOAQUIM BARBOSA PROCURA HOLOFOTES ÀS CUSTAS DE LULA

11.12.2012
Do blo 007BONDeblog,10.12.12
Sair do anonimato  é o sonho de quase todos.

Pouquíssimos porém estão preparados para a "FAMA" e posição de destaque. É o que parece estar acontecendo com o Ministro Joaquim Barbosa quando corre para os microfones e holofotes, ou não os evita, guardando o devido recato que sua posição impõe, e diz acreditar que o MPF deve investigar o ex-presidente Lula por conta das acusações feitas por Marcos Valério, embora admita que sabe do depoimento apenas de forma oficiosa.

Como admitir tal manifestação de alguém que ocupa o cargo de presidente do STF ? Se manifestar sobre o que o MPF deve ou não fazer, referente a um caso / depoimento em que ele conhece "oficiosamente", e que chega da mesma forma ao conhecimento da opinião pública, através do VAZAMENTO CRIMINOSO de seu teor, não cabe ao Presidente do STF. O MPF parece um QUEIJO SUÍÇO, onde assuntos que deveriam estar sob o mais severo sigilo, são entregues de 'bandeja' para revistas e jornais. QUEM VAZA E OS MOTIVOS PELOS QUAIS VAZA NÃO IMPORTA (?) DESDE QUE O OBJETIVO SEJA ALCANÇADO.

Que a imprensa partidarizada junto com a oposição da qual é o braço forte queiram destruir LULA é até compreensível, pois Lula é uma ameaça real aos seus plano de retomarem o poder, mas, aceitar que o MPF e o Ministro Presidente do STF concedam a eles sua prestimosa colaboração nesse sentido, falando muito, vazando o que interessa e atropelando certos ritos e decoros, aí já é demais.

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA FALA DEMAIS
 http://www1.folha.uol.com.br/poder/1199481-joaquim-barbosa-defende-que-ministerio-publico-investigue-lula.shtml
*****
Fonte:http://007bondeblog.blogspot.com.br/2012/12/imprensa-apresenta-denuncia-requentada.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+blogspot/NIKX+(007BONDeblog)

VÍDEO DE 1993,REVELA MANIPULAÇÃO DA REDE GLOBO: Além do Cidadao Kane (completo)

11.12.2012
Do Youtube,03.05.2012
PorPolo Rafaelm do Cidadão Kane é um documentário produzido pela BBC de Londres - proibido no Braséia, em 1993, por decisão judicial - que trata das relações sombrias entre a Rede Globo de Televisão, na pessoa de Roberto Marinho, com o cenário político brasileiro.  

- Os cortes e manipulações efetuados na edição do último debate entre Luiz Inácio da Silva e Fernando Collor de Mello, que influenciaram a eleição de 1989.  

- Apoio a ditadura militar e censura a artistas, como Chico Buarque que por anos foi proibido de ter seu nome divulgado na emissora.  

- Criação de mitos culturalmente questionáveis, veiculação de notícias frívolas e alienação humana.  

- Depoimentos de Leonel Brizola, Chico Buarque, Washington Olivetto, entre outros jornalistas, historiadores e estudiosos da sociedade brasileira.  

 "Todo brasileiro deveria ver Além do Cidadão Kane"  

BBC de Londres Produtor: Simon Hartog
*****
Fonte:http://www.youtube.com/watch?v=049U7TjOjSA

"SANGRIA DO GOVERNO DILMA" É TRAMADA EM FESTA DE ANIVERSÁRIO

11.12.2012
Do blog BONDEBLOG,10.12.12

segunda-feira, 24 de outubro de 2011



Segunda matéria -Originalmente publicada em 24 de outubro de 2011

Na eleição de 2010 para escolha do Presidente da República, o Jornal Estado de São Paulo assumiu abertamente sua posição contrária a candidata Dilma Rousseff, publicou um editorial “O MAL A SER EVITADO”, declarou voto em José Serra, e, conforme o levantamento do Portal Transparência, publicou entre agosto e setembro de 2010, portanto na boca “das urnas”, 22 matérias de capa contrárias ao governo Lula e a sua candidata.

Na reunião dos tubarões da mídia, (objeto da presente série de matérias) já em 2011, essa postura assumida pelo Estadão foi considerada equivocada pelos participantes, que entenderam ser melhor continuar a se declarar “isento” e apartidário, pois segundo o entendimento da maioria deles, a associação explícita e apoio escancarado dos seus jornais, revistas e TVs a oposição, e ao futuro candidato para enfrentar Dilma ou Lula, não é uma boa tática. Nova oportunidade para candidatos já derrotados em eleições anteriores foi praticamente descartada, sobrando então, todos sabem quem, para 2014.

O representante da oposição na reunião, um ex-senador nordestino, garantiu que os postos chaves do seu partido e o espaço e atenção dentro do mesmo seriam todo do “escolhido”, o que o tempo vem se encarregando de confirmar.

Mas, parece que estou colocando o carro na frente dos bois. É preciso dizer quando a reunião foi realizada (no final do primeiro trimestre desse ano), onde foi realizada (Em São Paulo) quem participou dela: Foram seis participantes, 4 representando grupos de comunicação, um ex-senador derrotado nas últimas eleições e um “jurista” de renome.

A reunião começou às 21 horas e terminou por volta das 03 horas da madrugada, o motivo declarado para o encontro foi a comemoração de um aniversário. Haviam outras pessoas no local da “festa”, em número reduzido, para não perturbar a reunião que se deu em ambiente reservado, mas era gente suficiente para tirar do encontroa a conotação que ele de fato tinha, tramar a sangria do governo Dilma. Aproximadamente uma hora após a reunião começar, dois jornalistas chefes de editoria foram incorporados ao grupo.

Vários assuntos foram abordados. O sentimento dos participantes era de desconforto com a derrota, surpresa com o desempenho de Dilma no segundo turno das eleições, preocupação com a forma como ela estava se saindo (bem) no início do governo. Segundo um dos jornalistas/editores presentes, que fez, pesadas críticas a campanha do candidato derrotado por Dilma, as virtudes que ela possui como “gestora” superam a ainda pouca vocação para as firulas políticas. Dilma é capaz de com o tempo assimilar muito das virtudes que Lula possui, e inteligente o bastante para não repetir seus erros, sendo, portanto, uma candidata difícil de ser batida caso as coisas corram bem durante o seu governo.

_”Nós estamos aqui reunidos para impedir que isso aconteça”. _ observou o mais velho dos tubarões.

O ódio que o grupo nutre pelo presidente Lula é impressionante, e, eles não esconderam que duas coisas ditas pelo ex-presidente estavam atravessadas nas suas gargantas.

A primeira, que os grandes grupos de comunicação não são mais os principais formadores de opinião no Brasil, a segunda, a acusação frontal feita por Lula que eles atuavam como partidos políticos. Ainda assim quem mais odeia Lula é o ex-senador nordestino derrotado.

Na próxima matéria você vai saber um pouco sobre a fonte que revelou essa reunião e algumas das medidas para “sangrar” o governo Dilma Rousseff. Entenda prezado leitor, foram mais de seis horas de reunião, e na Internet é preciso colocar isso de forma resumida.

*******
Fonte:http://007bondeblog.blogspot.com.br/2012/12/sangria-do-governo-dilma-e-tramada-em.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+blogspot/NIKX+(007BONDeblog)

“COMO A FAMÍLIA MARINHO DESTRÓI O BRASIL”

11.12.2012
Do blog 077BONDeblog, 21.09.2009

Foto semelhante a essa que circula na Internet está na edição da Folha Universal


A Edição Especial No. 911 da Folha Universal, veículo de divulgação da Igreja Universal, que começou a circular ontem dia 20 de Setembro com uma tiragem de 3.500.000 exemplares (Recorde conforme anunciado na capa) traz um violento ataque, ou, contra-ataque, às Organizações Globo e a família Marinho.

O Editorial “RECADO DA REDAÇÃO”, de início, dá o tom do que são as demais páginas.

“Criada e fortalecida através de ligações com Ditadura Militar, o regime que deixou o país sem liberdade por longos e tenebrosos 21 anos, a “TV GLOBO”, da família Marinho, assiste ao fim de sua hegemonia e, acostumada a privilégios, demonstra que não sabe conviver com a concorrência.”

Apresenta uma entrevista com o Deputado Paulo Ramos que afirma: “A GLOBO É ANTIDEMOCRÁTICA” e diz que a emissora se acostumou a ter o poder e o controle político e função dos índices de audiência. Perguntado sobre a CPI do PROJAC o Deputado responde que a conclusão dela foi por um benefício indevido praticado pela Caixa Econômica Federal em favor da TV Globo.

A Folha Universal afirma ainda que “A emissora dos Marinho” continua impune, apesar de uma série de irregularidades e ilegalidades cometidas ao longo dos anos. Vai desde o início em 1965 no episódio “Time Life”, que se traduz pelo acordo com um grupo americano que feriu, segundo a Folha Universal, o artigo 160 da Constituição da época, e que embora rejeitado pelo Congresso foi bancado pelo governo militar, a quem Roberto Marinho apoiou.

Relembra ainda a edição, o casos da PROCONSULT, e a edição vergonhosa do debate entre Collor e Lula, quando a emissora interessada em eleger Collor , montou uma versão para destruir Lula.

A Folha Universal traz ainda acusações de que a Globo utiliza dinheiro público de forma indevida, e que invadiu um terreno público na Cidade de São Paulo, onde privatizou para seus funcionários, um espaço que deveria ser de toda a população. No Rio de Janeiro, a família Marinho, teria invadido uma área pública de proteção ambiental com 200 mil metros quadrados, e legalizado a área através de uma empresa fantasma.

Rica em fotos, a edição especial da Folha Universal apresenta Roberto Marinho com os Presidentes Militares, inclusive recebendo condecorações, e fala ainda em negociatas, relembrando o caso do PAPA TUDO, título de Capitalização. Cita ainda o Livro “AFUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO” de Robério C. Machado e um vídeo intitulado “Além do Cidadão Kane’ que estaria proibido no Brasil, como contendo comprovação das ilegalidades globais.

O caráter de preconceito da emissora contra os evangélicos também é trazido como um fato, presente nas novelas e mini-séries que a Globo promove.

Como se vê essa é uma “guerra” que parece longe de terminar, o jornal O Globo tem apresentado várias matérias em que a Igreja Universal é acusada de se apropriar de doações feitas por pessoas em desespero, e que ficam na miséria, sem que a Igreja devolva o que recebeu, e que por isso várias ações existem na Justiça contra a IURD.

Diante do “calibre” das acusações feitas pela Folha Universal, vejamos qual vai ser a resposta da família Marinho e das Organizações Globo. Logo mais, depois de ler o 007BONDeblog, sintonize nos telejornais das emissoras, vejamos se vai ter réplica e tréplica de pedradas nos telhados de vidro.
<<<>>>

*****
Fonte:http://007bondeblog.blogspot.com.br/2009/09/folha-universal-ataca-como-familia.html