quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Ataques contra Dilma e Lula - desespero? A ficha de 2009 e a foto de 2012

06.12.2012
Do blog ESCREVINHADOR
Por Rodrigo Vianna

A campanha de 2014 começou. Dois anos antes. E a prova disso não é o lançamento prematuro de Aécio Neves à presidência pelo PSDB.

Toda uma rede de militantes – apócrifos, em geral - ocupou a internet nos últimos dias, para uma campanha de ataques múltiplos contra a honra de Lula. 

A campanha é parecida com aquela feita contra Dilma em 2009 e 2010 – apontando a então ministra como “terrorista” perigosa. Fotos, montagens, “denúncias” falsas alimentaram as redes sociais. Em 2009, Dilma chegou a aparecer ao lado de um fuzil. A “ficha” (falsa) da ministra no Dops (“capturada”) circulou em blogs de extrema-direita.

Jornalistas mais afoitos embarcam em ondas desse tipo. Foi o que fez a “Folha” em 2009. Estampou a ficha de Dilma em primeira página. Quando a patranha ficou demonstrada, o jornal deu uma explicação inesquecível: publicara a ficha porque sua autenticidade “não podia ser confirmada, mas tampouco podia ser descartada”.

Agora, em 2012, Ricardo Setti da “Veja” pelo menos pediu desculpas. O jornalista (!) publicou foto-montagem grosseira em que Lula aparece abraçado a Marisa Leticia e Rose. A foto circulava pelas redes sociais. Setti achou genial ilustrar um “post” usando a foto - que imaginava ser verdadeira.

A “Veja” é capaz de qualquer coisa. Já caiu em conto de primeiro de abril. O glorioso “boimate” (piada de uma revista estrangeira, escrita sob encomenda para o primeiro de abril) foi levado a sério na publicação da família Civita. Os editores acreditaram na mistura genética de boi e tomate. Agora, a “Veja” de Ricardo Setti acreditou na montagem para agredir Lula, assim como a “Folha” acreditara na ficha falsa de Dilma.

Tudo isso mostra a podridão da velha mídia de sempre. Mas nada disso – diga-se – serve pra ganhar eleição.

Alias, imaginava eu que os tucanos seriam mais cuidadosos com a estrategia para 2014. O PSDB tem alguma chance de ganhar se caminhar para o centro com Aécio. O figurino “pitbull” – adotado por Serra, sob inspiração de blogueiros e pastores com estranhas obsessões sexuais – não deu certo! O figurino pitbull serve só para tornar os antipetistas mais raivosos, da mesma forma que unifica os lulistas para o combate contra os tucanos e a velha mídia.

Acontece que – no meio do caminho – há um eleitorado mais “centrista” que, nas eleições desde 2002, o PT conseguiu atrair. Gente que não detesta o PT, mas tambem não ama o Lula. Não é com montagens grosseiras que o PSDB vai conquistar essa gente.

Mas a publicação que ganhou destaque no site da Veja é só a ponta do iceberg – se me perdoam o lugar-comum. Na rede, no submundo da política e da velha mídia, o vale-tudo corre solto.

Um amigo jornalista procurou-me ontem pra contar que passou a receber emails falsos nos últimos dias – com as denúncias mais absurdas contra Lula. Outros colegas na Redação confirmam: há em curso a tentativa de criar – nas redes sociais – uma ”onda” incontrolável, pra colar em Lula a imagem de bandido/cafajeste.  O “Mensalao” não colou, a ideia de chamá-lo de “apedeuta” não havia colado, o terrorismo religioso também não. Sobraram ataques pessoais. Foi o que Collor fez em 89.

Mas, podem perguntar alguns, por que atacar Lula se o adversário de 2014 deve ser Dilma? Escrevi sobre isso aqui – Lula, Dilma e o PT: fatiados. Enfraquecer a imagem de Lula é passo fundamental para a oposição. Dilma forte, tendo apoio de um ex-presidente tão forte como Lula, tornaria a batalha perdida antes de começar. Por isso, os ataques sao “fatiados”.´É preciso minar Lula, o PT e – num segundo momento – Dilma.

Suponho que a “onda”  na internet não garanta coisa nenhuma aos tucanos. Imagino até que os mais refinados entre eles sequer concordem com essa “onda” moralista rastaquera. É só mais um passo rumo ao pântano, onde a oposição sem programa se deixa dominar por blogueiros enfurecidos, pastores dementes e gente do submundo da política.

Ataques exagerados contra Lula e atos como a recusa em colaborar pra redução das contas de luz (esse sim adotado sob a égide da liderança mais “orgânica” do tucanato) só ajudam a  reforçar a imagem de que a oposição joga contra o Brasil – numa tentativa desesperada de voltar ao poder.

Tenho a impressão que Aécio, se assumir de fato o comando do PSDB, vai mudar essa linha de ação. Até porque, uma campanha em que se exponha a vida pessoal de políticos e candidatos não é algo que possa interessar ao senador mineiro – fustigado, dentro do próprio partido, por dossiês e histórias sobre seus hábitos pessoais.

Leia outros textos de Plenos Poderes


*******
Fonte:http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/a-ficha-de-2009-e-a-foto-de-2012.html

Por que a oposição, a Veja e a Globo blindam Gilberto Miranda?

06.12.2012
Do portal da REDE  BRASIL
Por  Helena Sthephanowitz, especial para a Rede Brasil Atual

Por que a oposição, a Veja e a Globo blindam Gilberto Miranda?
Diz o noticiário que o ex-senador Gilberto Miranda estaria indiciado na operação da Polícia Federal por conseguir um parecer favorável para ocupar uma ilha, sob licença do Patrimônio da União.
Mas a operação da PF não se chama "Ilha da Fantasia", e sim "Porto Seguro", porque está associada a pareceres fraudulentos ou "acelerados" do interesse de empresas que exploram terminais portuários.
Em decorrência da Operação, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) exonerou Ênio Soares Dias, chefe de gabinete da agência, e determinou o afastamento, com abertura de sindicância interna, do procurador-geral do órgão, Glauco Alves Cardoso Moreira, e do ouvidor Jailson Santos Soares.
Agora, olhem esta "singela" notícia da revista Veja, de fevereiro deste ano (imagem ao lado). Por ela, a gente fica sabendo que Gilberto Miranda fez lobby para levar um indicado seu a ocupar a Antaq. Adivinhou quem? Pois é, Ênio Soares Dias, ele mesmo.
Se fosse alguém do PT ou do PCdoB falando em emplacar alguém na presidência de uma agência reguladora, o mundo viria abaixo. Como é um dos homens mais ricos do Brasil, amigo dos barões da mídia, da Veja, da Globo, Folha e Estadão, ninguém parece interessado em apurar esta pauta, que parece ser a essência da investigação.
Ontem (5), o Jornal Nacional também encontrou enorme dificuldade em fazer uma matéria de dois minutos, mesmo tendo o dia inteiro para produzi-la, sobre um seu amigo, cartola do futebol, alvo de investigação em outra operação da PF, que também identificou arapongas bisbilhotando "uma Rede de TV".

*****
Fonte:http://www.redebrasilatual.com.br/blog/helena/por-que-sera-a-oposicao-a-veja-e-a-globo-blindam-gilberto-miranda

O segundo apagão do PSDB e o boicote ao povo

06.12.2012
Do blog TERROR DO NORDESTE
Por Davis Sena Filho — Blog Palavra Livre



O PSDB é o partido político brasileiro que governou o Brasil por quase uma década, nos anos 1990 até o início dos anos 2000. O símbolo do PSDB é o tucano, ave bonita, brasileiríssima, de bico grande e longo, porém, voo curto. Em termos partidários e ideológicos, os adeptos de tal agremiação dominada pelos paulistas e com um apêndice em Minas Gerais têm pensamentos curtos.

Seu líder político, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ao que parece, está muito aborrecido, tanto é verdade que no recente encontro dos tucanos ele reclamou e fez críticas duras ao PSDB, às suas lideranças e aos filiados, a exigir que o partido responsável pela implementação do modelo neoliberal na economia “ouvisse às ruas”, que se “aproximasse do povo”, para sentir melhor suas, digamos, seus desejos e sonhos. Será que é isso?

Contudo, sabemos que o PSDB é um partido que quando esteve no poder não governou para o povo e muito menos se preocupou, no que diz respeito às questões programáticas, e criar oportunidades para as camadas sociais economicamente mais baixas da população, que é composto por dezenas de milhões de pessoas, sem esperança de, na era tucana, melhorar minimamente de vida, por o modelo econômico neoliberal era e é tão excludente.
 
Um modelo de espoliação e exploração que não permitiu que houvesse condições para que a maioria dos brasileiros tivesse acesso ao emprego e quanto mais ter oportunidade de frequentar, por exemplo, uma universidade pública, viajar de avião ou se tornar um consumidor, que, tal qual à parte conservadora da classe média reacionária e ressentida, coopera para girar a roda da economia.

Nada disso foi possível, afinal éramos governados pelo PSDB, que tinha ainda ao seu lado o pior partido do mundo — o DEM — a fina flor do atraso e, indubitavelmente, o verdadeiro herdeiro histórico da escravidão, além de um dos mentores do golpe militar de 1964 quando usava a pele de UDN, e, posteriormente, o capuz da Arena, o partido que dava sustentação a uma ditadura e que acobertava as torturas e mortes nos porões. E foi com essa gente pertencente à direita política e empresarial que homens oriundos do campo democrático, a exemplo de FHC, misturaram-se, e hoje não passam de um arremedo de seus passados.
Por seu turno, FHC — o Neoliberal — ainda como senador, em sua despedida do Senado, pronunciou discurso em que decretava que a era Vargas acabou, porque, de acordo com ele, no mundo moderno não cabia mais o papel do estado intervencionista. A verdade é que o discurso do presidente tucano foi uma senha e um aviso sobre o ele faria em seu governo: diminuir o estado nacional com a venda de dezenas de estatais, algumas históricas e simbólicas do desenvolvimento do Brasil, bem como favorecer grupos econômicos nacionais e estrangeiros, no que é relativo à autorregulação da economia, o que foi comprovadamente um fracasso retumbante dessas crenças do neoliberalismo, como bem demonstrou, inapelavelmente, a crise internacional de 2008, que até hoje perdura e acarreta o sofrimento de diversos povos europeus.
 
Entretanto, com o tempo, principalmente na América Latina, políticos de centro-esquerda e de esquerda foram sucessivamente eleitos pelos seus povos, que deram fim à continuação do que chamam de políticas neoliberais. E não é necessário explicar o porquê desses acontecimentos. Todavia, percebemos que mesmo assim os porta-vozes desse modelo perverso, que favorece apenas uma classe de privilegiados composta por uma minoria radical, barulhenta e de direita continua a defender e a pregar o indefensável, o insensato e o que é injusto. Porém, eles possuem as ferramentas e os instrumentos necessários para repercutir suas manipulações, distorções e mentiras, por intermédio da imprensa alienígena, de oposição e, concomitantemente, de negócios privados.
 
Eis que os tucanos de Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina, cujo governador é do PSD, mas aliado desde sempre do PSDB e do DEM, resolvem transformar a proposta do Governo Federal para baixar os custos e os preços de energia, da luz, em uma luta política e eleitoreira. De forma premeditada e ordenada, os governadores tucanos, nas pessoas de Geraldo Alckmin, Antonio Anastasia , Beto Richa e Raimundo Colombo, a ter como porta-voz midiático, bem como no Senado, o já pré-candidato a Presidência da República, o senador tucano Aécio Neves, resolvem boicotar, juntamente com os jornalistas “especialistas” em economia, a exemplo de Carlos Alberto Sardenberg e Míriam Leitão, a diminuição dos preços das tarifas de um setor estratégico e essencial para o dia a dia da população brasileira e, fundamental, para o fortalecimento e desenvolvimento da indústria e de tudo que deriva dela.


É a luta para baixar o famoso “custo Brasil”, jargão este que durante décadas saiu da boca de gente como o Sardenberg e a Míriam Leitão, que replicavam, na verdade, as queixas do grande empresariado da Fiesp e da Firjan, que hoje apoiam o plano de Dilma Rousseff para baratear a energia. Eis que de repente, não mais do que de repente, a imprensa comercial e privada (privada nos dois sentidos, tá?) une-se novamente aos políticos do PSDB e mais uma vez se voltam contra uma ação do Governo, que, entre outras coisas, quer reduzir o preço da luz em 20%, o que não será mais possível, porque com o boicote desavergonhado da oposição (PSDB e barões da imprensa), somente será possível reduzir as tarifas de energia em 17%. É mole ou quer mais, caro leitor?

Os arautos da imprensa transformam o ódio liberal em uma guerra que visa, sobremaneira, sabotar as ações do governo que tem por finalidade reduzir em 1,5%, em 2013, a inflação medida pelo IPCA. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou que a meta inflacionária de 4,5% ao ano poderá ser cumprida, com a queda do preço da energia. Além disso, salutar se torna lembrar que a política de redução de juros (taxa Selic) continuará a ser efetivada.

Mantega disse esperar que os juros caem para 7% ao ano, em uma busca de torná-los civilizados, e, consequentemente, o Brasil deixar de ser um paraíso para os jogadores do mercado financeiro e para os rentistas, que passaram décadas a se locupletar com os juros altíssimos, os maiores do mundo, com a irrestrita cumplicidade de um sistema midiático privado que trata um País da grandeza econômica e populacional como o é o Brasil como quintal da casa deles — os barões da imprensa.
 
Só que esse tempo passou, e tal qual à “Carolina”, da música de Chico Buarque, em que “o tempo passou na janela e só Carolina não viu”, esses empresários continuam a se conduzir contra os interesses do Brasil e a favor de seu mundo VIP, provinciano, colonizado e alicerçado em preconceito de classe disfarçado nos meios de comunicação e ao tempo que à mostra quando os áulicos do Instituto Millenium abrem suas bocas e defendem um mundo e um País para poucos privilegiados, ou seja, eles mesmos.
Governdores do PSDB: oposição derrotada, aliança com a mídia e divorciada do povo.
São os que se consideram “bem-nascidos”, os rentistas, os acionistas da Cemig (MG), da Cesp (SP), da Copel (PR), da Celesc (SC) que tiveram a adesão da Celg, de Goiás, estado governado pelo também tucano Marconi Perillo, além de direito a um discurso do senador Aécio Neves, que defendeu o indefensável, que é a rejeição a um plano que barateia as tarifas de energia para a população, bem como para os capitães da indústria, que empregam milhares de trabalhadores brasileiros. A mesma imprensa e partidos de direita que passaram anos, cinicamente e hipocritamente, a falar de desindustrialização em jornais de péssima qualidade editorial da Globo News,porque sectários e desonestos intelectualmente e que hoje sabotam um plano para melhorar as condições de vida da sociedade. Eles realmente não são sérios.

O PSDB demonstrou novamente que cuida dos interesses dos ricos, dos que podem mais, e ratificou sua vocação elitista Agora, a pergunta que não quer calar: “quais serão as explicações ou desculpas dos tucanos quando realizarem, em 2014, suas campanhas para os governos dos estados e para a Presidência da República?” Com a resposta os colunistas e os comentaristas que militam na mídia corporativa de fins somente lucrativos. Aqueles mesmos que tecem um monte de asneiras conforme o interesse de momento de seus patrões. Afinal, eles “lutaram” como “mártires” preocupados que estavam com a desindustrialização e o “custo” Brasil. Não é isso mesmo, caro leitor? Seriam cômicas se não fossem trágicas tantas incongruências e contradições.
 
Fernando Henrique — o Neoliberal — afirmou, zangado: “Não só o PSDB, mas todos os partidos precisam se aproximar mais da população”. E completou: “O PSDB precisa, a partir de agora, escutar o povo, saber o que querem as mulheres, a juventude, os grupos marginalizados, os negros e mulatos. É preciso nos basear muito nos que têm mais energia, nos excluídos. Olhar com muita visão uma nova agenda. Temos de descobrir para onde vai o mundo" — afirmou o ex-presidente logo após lançar Aécio Neves candidato a presidente da República.

Típico discurso que não deixa dúvida o quanto o PSDB é elitista, e o quanto o partido não sabe para onde vai o mundo real, porque a maioria de seus integrantes que têm mandato vivem em um mundo paralelo, que se reflete e se concretiza nos salões de uma plutocracia que não tem olhos para a maioria da sociedade em contraponto à sua vocação elitista e fundamentada na luta pela perpetuação de uma sociedade estratificada e voltada para os interesses das grandes corporações privadas.
Voo sem rumo, fama de elitista e boicote ao plano de redução das tarifas de energia.
Não se engane. FHC pode até falar dessa forma em uma reunião de seu partido. Mas, não pensa assim. Ele é tucano, e os tucanos abandonaram até seu passado político quando alguns enfrentaram a ditadura militar. A opção pertence a eles. É o livre arbítrio, que, todavia, tem preço e, portanto, cobrança. E as contas são as três derrotas para o PT, sendo que a quarta, pois simbólica, aconteceu agora em São Paulo, com a vitória de Fernando Haddad.

A grande imprensa privada tem voz? Tem. Tem poder? Tem. Influi como antes? Não. Nem o “mensalão”, que ainda está para se provar, não influenciou nas eleições. O Sardenberg pode falar o que quiser. Ele é homem dos banqueiros. Portanto, não adianta o FHC falar em povo se o Aécio Neves e quatro governadores tucanos e um aliado sabotam a conta da luz. O PSDB acaba de realizar seu segundo apagão. O primeiro ocorreu no período entre julho de 2001 a setembro de 2002. Os tucanos são um caso perdido. É isso aí.

*******
Fonte:http://wwwterrordonordeste.blogspot.com.br/2012/12/o-segundo-apagao-do-psdb-e-o-boicote-ao.html

Operações da Polícia Federal durante FHC, Lula e Dilma. FHC: 48 operações; Lula: 1.273 operações com 15.754 presos. E agora, FHC?

06.12.2012
Do blog SINTONIA FINA,05.12.12

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!

Xiiii parça, caiu a casa! 


Do indefectível Sanley Burburinho


Operações da Polícia Federal durante FHC, Lula e Dilma. FHC: 48 operações; Lula: 1.273 operações com 15.754 presos. E agora, FHC?

A partir de informações fornecidas pelo site da Polícia Federal, fiz um levantamento de todas as operações da Polícia Federal de 2003 até 2012. Não encontrei no site da Polícia Federal informações sobre operações entre 1994 e 2002. 

Segundo a Senadora Ângela Portela(PT-RR), em pronunciamento na Tribuna do Senado, durante os oito anos da administração de FHC, foram registradas apenas 48 operações da Polícia Federal. Ela também trouxe a informação de que a Justiça Federal, que, em 2003, tinha cerca de 100 Varas em todo o País, chegou a 513 Varas, em 2010. Ou seja, 413 novas Varas da Justiça Federal, com um juiz titular e um substituto, foram criadas nesse período, no período do Governo Presidente Lula.


A corrupção não cresceu, os instrumentos de combate a ela é que aumentaram, afirma Humberto Costa 


Totais das operações da Polícia Federal de 2003 até 2010, durante os oito anos de Lula: 
Total geral de operações: 1.273.
Total geral de presos: 15.754.
Total geral de servidores públicos presos: 1.882.
Total geral de policiais federais presos: 99.

Totais das operações da Polícia Federal de 2011 até 05/12/2012, nos governos Dilma:
Total geral de operações: 506.
Total geral de presos: 3.384.
Total geral de servidores públicos presos: 336.
Total geral de policiais federais presos: 17.

Somatório dos dados das operações da Polícia Federal de 2003 até 05/12/2012:
Total de operações: 1.779.
Total de presos: 19.138.
Total de servidores públicos presos: 2.218.
Total de policiais federais presos: 99.

1 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2003/2004:
Total de operações: 58.
Total de presos: 926.
Servidores públicos presos: 265.
Policiais federais presos: 48.


2 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2005:
Total de operações: 67.
Total de presos: 1.407.
Servidores públicos presos: 219.
Policiais federais presos: 9.


3 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2006:
Total de operações: 167.
Total de presos: 2.673.
Servidores públicos presos: 385.
Policiais federais presos: 11.


4 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2007:
Total de operações: 188.
Total de presos: 2.876.
Servidores públicos presos: 310.

Policiais federais presos: 15.


5 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2008:
Total de operações: 235.
Total de presos: 2.475.
Servidores públicos presos: 396.
Policiais federais presos: 7.


6 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2009:
Total de operações: 288.
Total de presos: 2.663.
Servidores públicos presos: 183.
Policiais federais presos: 4.


7 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2010:
Total de operações: 270.
Total de presos: 2.734.
Servidores públicos presos: 124.
Policiais federais presos: 5.


8 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2011:
Total de operações: 266.
Total de presos: 2.089.
Servidores públicos presos: 261.
Policiais federais presos: 4.


9 - Resumo das operações da Polícia Federal em 2012:
Total de operações: 240.
Total de presos: 1.295.
Servidores públicos presos: 75.
Policiais federais presos: 13.


Sintonia Fina
******
Fonte:http://asintoniafina.blogspot.com.br/2012/12/stanley-burburinho-operacoes-da-policia.html

Renato Rovai Lula tem o dever de processar Garotinho

06.12.2012
Do BLOG DO ROVAI, 05.12.12
Por Renato Rovai

No último domingo, o ex-presidente Lula foi acusado pelo deputado federal Garotinho (PR-RJ) de ter utilizado Rosemary Noronha, no popular, como mula para transportar 25 milhões de euros do Brasil para um banco em Portugal. O parlamentar deu o nome do banco e garantiu que haveria um registro no aeroporto de Lisboa com o registro da operação.
A reportagem da Agência Brasil procurou o banco Espírito Santo, citado pelo parlamentar, e a a resposta foi clara: “O BES não tem registo de qualquer depósito realizado pela senhora mencionada na sua pergunta. Aliás, a referida senhora não é cliente do BES. O BES dispõe de um sistema de prevenção e detecção de branqueamento de capitais, equipado de ferramentas informáticas de última geração, que responde integral e eficazmente a todas as exigências da legislação em vigor em Portugal e dos normativos de referência internacional. Por maioria de razão, um depósito em numerário do montante referido, seria necessariamente detectado pelos sistemas de controlo instalados no BES”.
A irresponsabilidade do parlamentar não assombra. No primeiro governo Lula, a revista Veja produziu uma capa onde afirmava, sem uma fonte em on, que Lula e Gushiken, entre outros petistas, tinham contas em paraísos fiscais. A Veja não provou a acusação e tudo ficou como dantes na terra de abrantes.
Enquanto o PT continuar se acovardando no debate político, esse mar de acusações que criminalizam o partido e sua principal liderança continuarão. Se Lula não tem recursos dessa ordem fora do país, tem obrigação moral com aqueles que lhe devotam confiança em processar o parlamentar.
Essa passividade bovina do PT e de suas lideranças com todo e qualquer tipo de acusação não contribui em nada para o processo democrático. O exercício da liberdade de opinião tem que ser realizado no plano da responsabilidade. Se ele é ultrapassado, faz-se necessário buscar a Justiça. O que está acontecendo hoje não apenas transforma o PT em sinônimo de organização criminosa, mas a política em algo de bandidos. A falta de ação do petismo em defesa do partido e dos seus líderes, agride à política como um todo.
Ao que parece, suas lideranças não se deram conta disso. Que não deveriam fazer contas pensando apenas em resultados do hoje, mas do processo como um todo. Se não se sensibilizam em defender o partido, poderiam ao menos fazer algo para defender o exercício da política e a democracia.

******
Fonte:http://revistaforum.com.br/blogdorovai/author/renatorovai/

INSULTO DE REINALDO ( O CANALHA ) A NIEMEYER CAUSA REVOLTA NA WEB

06.12.2012
Do blog SINTONIA FINA

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra! 
Blogueiro de Veja.com definiu arquiteto como "metade gênio e metade idiota"; em resposta ouviu dos próprios leitores que é 100% idiota


Iconoclasta, o blogueiro Reinaldo Azevedo decidiu criticar Oscar Niemeyer, a quem chamou de "metade gênio e metade idiota", no dia de sua morte. Resultado: uma avalanche de protestos na web. Abaixo textos de Reinaldo, chamado de completo idiota na rede, depois do insulto ao arquiteto:
Ai, ai, grande revolta no Twitter e também aqui porque me referi, num post publicado no fim da noite (abaixo), a Oscar Niemeyer, que morreu ontem, como “metade gênio e metade idiota”, na pista de Millôr Fernandes, que assim definiu um de seus parceiros de “Pasquim”. Os mais revoltados, como sempre, não leram o que escrevi. Os ainda mais revoltados leram e não entenderam zorra nenhuma. Escrevo para quem lê com o cérebro, não com o fígado militante. De fato, trata-se um de um artigo elogioso ao trabalho do arquiteto, não o contrário. A metade idiota ficou por conta de sua adesão estúpida ao comunismo chique.
Ora, vão plantar batatas! Fiz com ele, aliás, o que os comunistas não costumam fazer com seus adversários políticos: reconhecer a grandeza da obra, independentemente das escolhas ideológicas do autor. Niemeyer pode ter sido tudo – inclusive o arquiteto de primeira grandeza –, menos o “poeta” humanista que está sendo exaltado nas reportagens de TV. Muito pelo contrário.
Não houve tirano comunista – a começar do próprio Stálin, de quem era devoto – que não tenha incensado; não houve regime de força de esquerda que ele não tenha aplaudido. Reconhecer, a despeito disso, a sua obra é coisa que, data vênia, liberais conservadores como eu costumam fazer. Com os comunas, é diferente. Aqueles de quem Niemeyer puxava o saco mandavam e mandam seus desafetos para a cadeia ou para a morte. Perguntem se a Cuba de Fidel Castro reconheceu a poesia de Cabrera Infante ou de Reinaldo Arenas. Perguntem se as esquerdas admitiram a grandeza de Jorge Luis Borges.
Niemeyer como expressão humanista? Não mesmo! Tinha, sim – e também acho besteira negá-lo –, um talento imenso, que transcendeu sua indigência política. É bem verdade que, aqui e lá fora, contou com amplo financiamento de governos – muitos deles eram ditaduras – para realizar seus monumentos. Mas nem isso me faz mudar de ideia. Mesmo os artistas “da corte”, se genuinamente bons, conseguem superar a contingência de estarem atrelados ao poder. Não que esteja comparando, mas é o caso do maior poeta de todos os tempos, Virgílio. É o caso de toda a arte renascentista. A produção não precisa ser marginal ou contestar valores dominantes para ser grande. No ensaio “O que é um clássico?”, Eliot empresta essa condição a Virgílio justamente porque o vê como a síntese de uma civilização triunfante.
Na verdade, fiz um elogio ao Niemeyer arquiteto, não o contrário. E deplorei uma vez mais sua ideologia, que justificava os piores facínoras. Mas a turma que zurra e escoiceia, sem entender uma linha do que leu, mandou brasa.
Entendo a razão. Andei lendo alguns perfis derramados que já estão nas redes e nos jornais. Curiosamente, fala-se pouco do arquiteto e muito do suposto humanista. A sua adesão ao comunismo (ou a defesa que fazia do regime, já que militante propriamente nunca foi; dava dinheiro para a causa), curiosamente, é apontada como um dos traços de seu… humanismo! Ora, tenham paciência! Isto, sim, é nauseante e evidencia uma crise de valores que toma conta de setores consideráveis da imprensa.
O que há de glorioso em defender tiranias?O que há de generoso em apoiar ditaduras?
O que há de humanista em apoiar homicídios em massa?
Se Niemeyer fosse um fascista, estaria a merecer essas considerações? Não! E seria justo que não! Por que um fascista deveria ser elogiado por sua ideologia? Mas me respondam: e por que deve um comunista? Leio coisas assim: “Ele amava a vida!”. Certamente não a dos que morreram nos gulags. Qual é?
Ao arquiteto Niemeyer, a metade genial, o meu aplauso. Ao comunista Niemeyer, a metade idiota, reitero o meu desprezo. Abaixo, um pequeno apanhado dos zurros (conforme o original):
O André Mortatti escreve:“Que triste lê-lo, Reinaldo. És um completo idiota. triste testemunhar tua imensa ignorância.”
Onde está a minha “ignorância”? Ele não disse. Só não refreou o desejo de me ofender.
O Rodrigo, à diferença de Niemeyer, acredita em Deus e, segundo entendi, decidiu encomendar a minha alma, como faziam os inquisidores quando condenavam alguém à fogueira para o seu próprio bem:
“Deus há de aplacar essa animosidade delirante que você têm dentro de você e te dar paz.”
O José Natalino, que não tira as duas mãos do chão por convicção, escreve isto:“O Sr. é de extrema direita. Tenho nojo… felizmente pessoas como o Sr. são vistas como lunáticos… ninguém o leva a sério… claro que esxistem os debeis mentais que lhe adoram.. mas são isso… débeis mentais insignificantes… sem o salario do psdb o Sr nao seria um mero idiota falando bobagens”
O Natalino esqueceu que era Niemeyer quem levava dinheiro dos governos, de qualquer partido, para erigir seus monumentos.
O Fernando Freitas já acha que a crítica só deve ser feita por celebridades. Segundo o seu critério, uma opinião de Tiririca sobre filosofia é mais importante do que a de Schopenhauer:“Esse Reinaldo Azevedo é o famoso quem mesmo?
Para a maioria do povo brasileiro ele é um ilustre desconhecido metido a intelectual sem passar de um mero “IMBECIL”, só tenho um adjetivo para esse senhor. DESQUALIFICADO!!!!!”
O Luiz Gonzaga ficou sem palavras:
“que desespero de ler isso”.
O Thiago escreveu o texto impossível:“Ainda bem que ninguém liga para o que você pensa.”
Ninguém, exceto o… Thiago!
A Maria da Piedade Peixoto dos Santos, veio com todos os seus sobrenomes:“Reinaldo há muito tempo não tenho o desprazer de ler um texto tão fora de propósito como esse seu amontoado de bobagens. Um gênio com Niemeyer prescinde de ser unanimidade, já que a unanimidade é burra, como pontificava Nelson Rodrigues. Aceito que vc ache isso que disse dele. Mas hoje, só hoje … porque não te calas, Reinaldo?”
Não sei se entendi direito, mas acho que ela me pediu para ser burro só por um dia…
O Ney Torres parece que andou consumindo ideias pesadas. Ou comeu muita banana Leiam:“Que me desculpe a revista VEJA mas este “jornalista” só podia está bêbado ao escrever tamanha idiotice…chamar de idiota os defensores do anticapitalismo só pode vir de alguem que não enxerga q o capitalismo está se destruindo.É nítido que esse câncer está agonizando…”
Agora que sei que o capitalismo vai acabar, vou me preparar para ser um chefe comunista…
A Catarina decidiu fazer uma digressão sobre a língua portuguesa. Vejam com que graça:“Caramba, que tristeza…A língua portuguesa, nos presenteada por tantos poetas e escritores, retorcida e deformada para tomar a forma de um texto deplorável.”
Se eu verter o que ela escreveu para o português, talvez entenda…
O Fábio Oliveira acha que o comunismo não é coisa deste mundo:“Cuidado! O céu com certeza é mais comunista que capitalista. Quando você chegar lá, esses idiotas vão te pegar! corre cabeçudo!ah ah ah!”
Alguém me explica por que ele riu?
A Anelisa já é, assim, mais visceral:
“Nojo de cada palavra que você escreve.”
Retomo
E assim segue uma parcela da humanidade, zurrando com desenvoltura. Tive a delicadeza – não que devesse isso a ele; devo à cultura – de distinguir a obra de Niemeyer dos regimes homicidas que ele defendeu. Apontei a metade idiota de um vivo (não de um morto!!!), reconhecendo o que chamei de “metade genial”. Ele próprio considerava que a morte de 40 milhões na União Soviética ou de 70 milhões na China era o justo preço que se pagava por uma utopia.
A sua metade idiota era também asquerosa. Nunca se preocupou com os poetas, os músicos, os bailarinos, os escritores e os arquitetos que a União Soviética e os demais países comunistas mandavam para os campos de trabalho forçados. Se chamado, iria lá e ainda construiria um de seus monumentos para abrigar os “reacionários”. Em nome do povo!
Vá estudar, cambada de 100% de idiotas!
PS – Viram só de quanta coisa eu os livro impedindo essa gente de tomar conta dos comentários? Aqui não! Eles até podem me ler porque são viciados em mim. Mas sem direito a voz e a voto na nossa casa. Há milhares de blogs por aí precisando de gente assim, certo?
Por Reinaldo Azevedo ( O CANALHA IDIOTA ) 
******

Fonte:http://asintoniafina.blogspot.com.br/2012/12/insulto-de-reinaldo-o-canalha-niemeyer.html

O voo de Isaltino Nascimento


06.12.2012
Do BLOG DA FOLHA
 Publicado por Gilberto Prazeres 

Secretário de Transportes deverá disputar a Câmara Federal em 2014 (Foto:Jedson Nobre/Folha)

O secretário de Transportes do Estado, Isaltino Nascimento (PT), deverá ser o “herdeiro” do assento do ex-deputado Maurício Rands (ex-PT) na Câmara Federal. Pelo menos essa é uma avaliação de um grupo petista ligado ao auxiliar do governador Eduardo Campos (PSB). Muito próximo a Rands, Nascimento já trabalhava com a possibilidade de buscar uma vaga no Congresso desde a sua última reeleição para estadual, em 2010. E, agora, com Maurício sinalizando – mesmo que momentaneamente – seu afastamento da vida pública, o petista poderia receber uma ajudinha extra do correligionário.

No entanto, especula-se que Cláudio Ferreira, cunhado e talvez melhor amigo de Maurício Rands, seja estimulado por aliados a ingressar na luta por uma cadeira na Câmara dos Deputados. Até pelo perfil semelhante de ambos. Ferreira, contudo, assegura que não tem essa pretensão e que deve seguir na política apenas ajudando a diminuir a tensão interna do PT. Posição que, se for mantida, ajudará Isaltino a fechar todo o seu grupo no partido em prol de sua eleição.

Ainda há o comentário de bastidor que Isaltino poderia receber um amparo significativo do próprio governador, que vê o auxiliar a sua voz dentro do problemático PT. Nascimento poderia receber de Campos a sinalização para conversar com um ou outro prefeito que votou na ex-deputada Ana Arraes nas eleições de 2010.
*****
Fonte:http://www.folhape.com.br/blogdafolha/?p=65059

STF e o risco de banalizar o mal

06.12.2012
Do blog VAMOS COMBINAR, 05.12.12
Por Paulo Moreira Leite


Estou espantado diante da  naturalidade com que se debate a possibilidade do Supremo cassar os mandatos de 3 deputados cassados pelo mensalão.  Parece a coisa mais natural do mundo. Parece uma questão de opinião.

José Genoíno, um suplente de mais de 90 000 votos, também pode perder seus direitos. 

Como os demais, seu mandato vai até 2014.

Não é natural. Nem é uma questão de opinião.

Está lá, no artigo 55 da Constituição que, após ampla defesa, por maioria absoluta,  cabe ao Congresso decidir o que acontece com o mandato dos parlamentares. A Câmara resolve, no caso dos deputados. O Senado, quando se trata de senadores.

É tão claro como o artigo que define o voto direto para presidente ou o caráter federativo da República.

É  ainda mais curioso que se queira também queimar uma outra etapa, cassando os deputados antes mesmo que os recursos tenham sido julgados. Aliás: as sentenças sequer foram escritas nem publicadas.

Isso não é uma formalidade. Na hora de redigir uma sentença, pode-se descobrir uma incongruência e mesmo uma incorreção. Uma coisa é a frase oral. Outra, o texto escrito.

É uma garantia da acusação, de que terá seus motivos bem explicados e compreendidos.

Também é uma garantia para a defesa, que pode ter motivos claros e bem definidos para enfrentar.

Por fim, e mais importante: é uma garantia para a democracia, pois assegura a transparência da Justiça. Qualquer cidadão, a qualquer momento, pode saber exatamente por que uma pessoa foi condenada e outra, absolvida.

O procurador Roberto Gurgel voltou a insistir para que o Supremo decrete a prisão imediata dos condenados.  Gurgel já havia recolhido seus passaportes e colocado seus nomes na lista de pessoas que não podem deixar o país.

Referindo-se ao plano de prisão imediata, o constitucionalista Pedro Serrano, professor da PUC de São Paulo, afirma: “É um absurdo.” O professor lembra a necessidade de se cumprir um ritual indispensável:  “Ninguém pode ser preso sem que todos os recursos sejam julgados e respondidos.”

O risco é habituar o país a golpes — mesmo pequenos — contra a democracia. Fatos que deveriam ser vistos como estranhos e até escandalosos passam a ser vistos como naturais A ideia é aceitar que nem sempre os direitos do cidadão precisam ser respeitados e que a Justiça é a principal garantia que ele possui.

O nome disso, ensinou Hanna Arendt, é banalização do mal.

Ela se obtém quando as consciências foram  anestesiadas.

Estamos assistindo a banalização de ataques contra cidadãos que, lamentavelmente ou não, receberam o voto popular em 2010.

Aplicar a palavra “poderosos” no caso específico destes réus é um esforço retórico. Num país horrorizado com a impunidade e a corrupção, que são problemas reais, a ser enfrentados e combatidos, este discurso ajuda a alimentar a ira, a dar um conteúdo “exemplar”,  “redentor”, “simbólico” ao julgamento  São palavras que  ajudam a encobrir fatos reais e questionáveis. Você fica debatendo o “significado” do fato e esquece do próprio fato.

Falar em poderoso,  concretamente, é uma falsificação.

Estamos falando de pessoas que foram despossuídas do direito a uma ampla defesa. Não foram condenadas por provas robustas nem individualizadas. Os ministros assumiram, explicitamente, a perspectiva de flexibilizar garantias oferecidas aos réus. A forma do julgamento, fatiado, já colocou a defesa em desvantagem, o que é uma situação estranha, num universo que deve funcionar como uma balança — e cega.

Mas há uma questão democrática essencial aqui.

Candidatos apontados como réus no mensalão, a espera de julgamento, receberam o voto de milhares de brasileiros. O voto dessas pessoas não tem valor?

Não deve ser pesado, julgado, examinado, pelos representantes do povo? Eu acho que sim. 

E foi por esse motivo que o constituinte de 1988 não deixou a decisão para a Justiça. Trouxe para o Congresso. É o que está escrito.

Tá vendo como é bom ter leis escritas?

********
Fonte:http://colunas.revistaepoca.globo.com/paulomoreiraleite/2012/12/05/stf-e-o-risco-de-banalizar-o-mal/