Pesquisar este blog

domingo, 17 de junho de 2012

Em Caruaru, Humberto Costa diz que o PT disputará a Prefeitura do Recife mesmo sem o apoio do PSB


17.06.2012
Do BLOG DE JAMILDO
Postado por Jamildo Melo


Quando chegou ao Engenho Macambira, em Caruaru, neste sábado, para a festa de São João do vice-governador João Lyra, o senador Humberto Costa parecia nervoso e irritado. Não queria falar sobre política, mas acabou cedendo, diante da pressão do batalhão de repórteres. Não aliviou.

O candidatato, importo pela Executiva Nacional do Partido, depois de uma ferrenha disputa com o prefeito e candidato a reeleição João da Costa, falou em concórdia, mas não deixou de ser duro com os aliados socialistas, pregando a candidatura puro-sangue, na qual ele acrescenta um ‘bom’ ao sangue.

“Eu aposto na unidade. Não há razões para romper. Ninguém ganha com isto. Estamos bem nacionalmente e localmente. Somos fiéis aos nossos aliados. Por tudo isto, temos que apostar que podemos ter uma composição ainda. Temos conversado com o governador e se tivermos a boa vontade de todos ...”, disse.

“O PT não está rompendo, não vai ser responsável pelo rompimento. O PT quer a unidade da Frente Popular. Agora, se tiver que ir sozinho, até sozinho o PT vai. E não aceitamos a proposta de sermos vice em uma chapa socialista. Seria um contrasenso aceitar isto. Temos a maioria nas pesquisas, os melhores nomes, somos mais competitivos, não tem como apresentar essa proposta de vice para a gente”, explicou.

“Seria uma contradição do PT não disputar essas eleições, depois de 12 anos no Recife. A gente viraria uma força terciária, quarternária, na cidade. Não é justo”, comentou.
*****

Bancos ficam com a fatia do leão na partilha do dinheiro do narcotráfico

17.06.2012
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Por que nunca ou quase nunca prendem chefões do tráfico nos Estados Unidos? Talvez os narcotraficantes mexicanos e colombianos dominem totalmente um dos negócios mais rentáveis do planeta? A reposta parece indicar para que os chefões de países consumidores como EUA são os bancos que lavam o dinheiro e as autoridades que permitem que floresça o narcotráfico.

O diário britânico The Guardian faz uma interessante reportagem sobre o estudo Anti-Drugs Policies In Colombia: Successes, Failures And Wrong Turns, realizado por Alejandro Gaviria e Daniel Mejía, ao que parece o mais completo até a data no que se refere à análise dos mecanismos financeiros que operam no tráfico de drogas, especificamente a cocaína colombiana.

O estudo revela que só 2,6% do valor gerado pela cocaína produzida na Colômbia permanece nesse país, enquanto o restante 97,4% é capitalizado por sindicatos criminosos e bancos que lavam o dinheiro em países consumidores de primeiro mundo. Este minúscula derrame econômico contrasta com a grande violência gerada nos países onde a droga é produzida, e onde centram a guerra contra a droga. Gaviria, um dos autores, faz uma provocante analogia:

- "O que pensariam os estadunidenses se os índices de homicídios disparassem em Seattle porque o consumo e o negócio da cocaína migrasse ao Canadá?". Calcula-se que a cocaína colombiana é um negócio de 300 bilhões de dólares ao ano, dos quais só 7,8 bilhões ficam na Colômbia.

- "Se os países como Colômbia se beneficiassem economicamente do tráfico de drogas, existiria um verdadeiro sentido em tudo isto. No entanto, pagamos o preço dos ganhos de outros -Colômbia e agora o México", recalcou Gaviria.

Daniel Mejía acrescenta que existe uma grande diferença entre as normas nos bancos colombianos e nos bancos em países como Estados Unidos, onde não pesquisam a lavagem de dinheiro com o mesmo cuidado.

- "Todo o sistema operado pelas autoridades nas nações consumidoras é baseado em ir atrás do pequeno produtor, o elo mais débil na corrente e nunca atrás do grande negócio e dos sistemas financeiros onde estão as grandes quantidades de dinheiro… É tabu perseguir os grandes bancos. É suicídio político neste clima econômico porque a quantidade de dinheiro reciclado é muito alta".

Há dois anos iniciaram uma investigação no banco Wachovia (Wells Fargo) por lavar 380 milhões de dólares do narcotráfico mexicano. O banco admitiu ter transferido 110 milhões de dólares do México para os Estados Unidos e não monitorar 380 milhões. Estranhamente, dois anos depois o banco foi absolvido e ninguém foi preso. Esta é a imperante impunidade destas instituições que são muito grandes para cair.

(Do Metamorfose Digital, a partir do The Guardian)

*****

Por que você provavelmente não irá sentir a sua própria morte brusca?

17.06.2012
Do portal JORNAL CIÊNCIA, 15.06.12
Por TATIANA ROCHA

Você já se perguntou como seria levar um tiro na cabeça ou ter seu rosto desfigurado no para-brisa de um carro?
Bem, você pode parar de se perguntar, porque você nunca saberá – mesmo que isso aconteça com você. Há pelo menos duas razões principais. Em primeiro lugar, nosso cérebro processa a informação muito lentamente. Em segundo lugar, há a questão da integridade das funções cognitivas que são responsáveis pela experiência consciente.
As pessoas imaginam que estão observando o momento presente, mas a ciência diz o contrário. Para ter uma melhor noção do por que disso acontecer, o neurocientista David Eagleman, autor de A Vida Secreta do Cérebro, explica que é preciso tempo para que os sinais se movam através da matéria cinzenta do cérebro, que está situada em torno do córtex. Estes sinais viajam a uma velocidade de um metro por segundo, uma velocidade “insanamente lenta”, quando comparado à eletricidade. “Demora um tempo para o cérebro saber o que está acontecendo, por isso estamos sempre vivendo no passado”.
De fato, nossos sistemas motores autônomos realmente reagem mais rapidamente aos estímulos externos do que a nossa consciência. Para se ter uma ideia da lentidão da percepção humana, Eagleman diz que é válido compará-la com a velocidade dos dispositivos mecânicos.
Pegue a dinâmica de um acidente de carro, por exemplo. Levamos cerca de 150-300 milissegundos para estar ciente de uma colisão depois que ela acontece. Outros neurocientistas acham que isso pode levar até 500 milissegundos. No primeiro milissegundo, o sensor de pressão do carro detecta uma colisão e em 8,5 milissegundos o sistema de airbag é acionado. No 15º ms (abreviação de milissegundo), o carro começa a absorver o impacto em um grau significativo. E antes do 17º ms o ocupante começa a fazer contato com o airbag, com a força máxima da colisão atingindo seu ápice no 30º ms. Na marca de 50 ms, a célula de segurança começa a se recuperar, e depois de 70 ms o passageiro se move para trás e para o meio do carro.
Então, em torno de 150 a 300 ms, o ocupante finalmente se torna consciente da colisão. Isso, é claro, se houver airbag no carro ou se o ocupante estiver usando um cinto de segurança. Caso contrário, a pessoa não chega nem a saber que estava sofrendo um acidente de carro.
Se o acidente tivesse sido fatal, não necessariamente seria uma coisa ruim. Se as partes do cérebro que dão origem à consciência estão gravemente comprometidas, então toda a consciência surge de forma retorcida. Estas áreas tão importantes incluem o córtex frontal (atenção e memória de curto prazo), tálamo (regulação da consciência e vigília), giro temporal (percepção e compreensão) e hipocampo (memória e consciência espacial).
De acordo com Eagleman, lesões no córtex e tálamo, muitas vezes, induzem ao estado de coma. Mas nem todo trauma de cérebro é catastrófico desta maneira. Ele observa que a percepção consciente pode permanecer intacta quando o cerebelo está danificado. Além disso, ainda não se sabe como a consciência é construída a partir de pedaços dessas peças. “Todo o sistema parece estar envolvido na consciência, por isso, com as partes do cérebro danificadas, a consciência fica prejudicada”.
A consciência é uma coisa frágil, que parece ser dependente de sinais elétricos que viajam ao redor do cérebro. Quando ocorre um grande trauma na cabeça, o cérebro é esmagado no interior do crânio, causando frequentemente resultados fatais.
Balas no cérebro
Curiosamente, as balas podem causar problemas diferentes do trauma cranioencefálico contuso. Rachel Swaby observou em seu artigo: “O que acontece quando uma vítima recebe um tiro na cabeça é que ela pode não ter a chance de responder ao que está acontecendo”.
Uma bala viaja através do cérebro mais rápido do que a velocidade com que os tecidos se rasgam. Eles empurram os tecidos para fora do caminho, esticando-os além dos seus pontos de ruptura. É aí que começam os problemas: a capacidade de processar informações e resolver problemas desaparece quando a bala caminha através de seu córtex pré-frontal. Sua capacidade de memória vai embora junto com o hipocampo. Quando a ruptura finalmente acontece, os tecidos vão pular de volta para a abertura inicial, tentando voltar à sua posição original.
Isso mostra que algumas pessoas podem sobreviver, mesmo sendo baleadas na cabeça. De fato, um terço dos pacientes com um tiro na cabeça sobrevive, embora 50% não sobreviva mais de 30 dias. E os que sobrevivem tendem a ter graves deficiências cognitivas. Na maior parte destes casos, a bala não atravessa a linha média, que é quase sempre fatal.
Eagleman diz que muitas pessoas sobrevivem após tiros na cabeça, porque balas são relativamente pequenas e viajam em alta velocidade. Quando o tiro vai apenas para a direita, pode rapidamente entrar e sair do crânio, sem causar muitos danos.

*****

OSCAR DA CORRUPÇÃO DE DANTAS RESPINGA EM GILMAR

17.06.2012
Do blog CONVERSA AFIADA, 16.06.12
Por Paulo Henrique Amorim












Conversa Afiada reproduz post do Correio do Brasil:

A lista com os casos de corrupção mais gritantes entre 1980 e 2011, divulgada sem muito alarde por segmento do Banco Mundial (Bird), na noite passada, repercutiu na manhã desta sexta-feira em mais um episódio negativo para o ministro Gilmar Mendes, que tem permanecido no noticiário por conta de suas declarações sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, depois por uma briga entre sócios e, agora, por ter sido citado em um documento internacional como o magistrado que liberou dois Habeas Corpus (HC), em questão de horas, para o banqueiro Daniel Dantas. Entre os escândalos listados no estudo do Bird estão registrados seis episódios brasileiros. O deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) segue no topo da escala, com duas citações, seguido dos banqueiros Daniel Dantas e Edemar Cid Ferreira; do ex-subsecretário de Administração Tributária do Rio de Janeiro Rodrigo Silveirinha Correa; e da ex-executiva de contas do Valley National Bank, Maria Carolina Nolasco.


Em sua crônica diária, na internet, o jornalista Paulo Henrique Amorim, lembra que o ministro Mendes concedeu “dois HCs ao Dantas, em 48 horas, ao ignorar um vídeo que comprova que Dantas tentou passar bola a agente da Polícia Federal. Pois, foi exatamente essa ‘passação’ de bola que o Gilmar (Mendes) ignorou um dos atributos que conferiram a Dantas a estatueta do Oscar da Corrupção, segundo essa desmoralizada instituição, o Banco Mundial”.


O estudo do Banco Mundial sobre a corrupção reuniu mais de 100 casos com o uso indevido de ao menos uma entidade legal ou instrumentos jurídicos para ocultar seus beneficiários e dissimular a origem, o destino e as etapas intermediárias de movimentação das quantias desviadas. Na maioria dos casos, o valor movimentado se igualava ou passava de R$ 1 milhão, na época do esquema. As informações do projeto, batizado de Grand Corruption Cases Database, podem ser acessadas aqui.


Pena anulada


Dono do banco Opportunity, Daniel Dantas e a irmã dele, Verônica Dantas, são acusados de lavagem de dinheiro no Reino Unido e nos EUA, com a operação de um fundo de investimentos, do qual – de forma transversa – também participou Verônica Serra, filha do candidato tucano a prefeito de São Paulo, José Serra, segundo denúncia publicada no best seller A Privataria Tucana. De acordo com a acusação, Dantas teve R$ 46 milhões bloqueados no Reino Unido.


O banqueiro também figura na lista por ter sido condenado, em 2008, a 10 anos de prisão pela tentativa de suborno a um delegado durante a Operação Satiagraha, da Polícia Federal, realizada contra crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e sonegação fiscal. Dantas teria oferecido US$ 1 milhão para que seu nome e o de integrantes do Opportunity fossem retirados do inquérito. Foi nesta ocasião que recebeu os HCs do ministro Gilmar Mendes. Em 2011, a pena foi anulada pelo Superior Tribunal de Justiça, mas o processo ainda permanece ativo no Judiciário.


Maluf, velho conhecido


Ex-prefeito e ex-governador de São Paulo, Paulo Maluf foi acusado pela Promotoria de Nova York, EUA, de “conspiração com objetivo de roubar dinheiro da cidade de São Paulo a fim de possuir fundos no Brasil, Nova York e outros lugares, e ocultar dinheiro roubado”. A Promotoria aponta que foram desviados recursos do projeto da avenida Água Espraiada, na capital paulista, e que os valores roubados foram transferidos para uma conta bancária em Nova York. Depois, os recursos teriam sido repassados para uma conta nas Ilhas Canal, no Reino Unido. 


O procurador-geral do condado de Nova York apontou que R$ 140 milhões passaram pela principal conta de Maluf no Banco Safra, em Manhattan.


A segunda citação a Maluf se refere também à suspeita de superfaturamentos e desvios de obras públicas e remessa de valores a paraísos fiscais. No caso, parte dos valores teriam sido remetidos à Ilha Jersey, no Reino Unido, por meio de duas empresas que seriam de propriedade de Maluf e seu filho. Foram bloqueados R$ 26 milhões depositados na ilha, destaca o Banco Mundial. As acusações levaram o nome de Maluf à lista de procurados da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol). No Brasil, Maluf segue intocável, com um mandato de deputado federal no Partido Popular (PP), eleito por São Paulo.


Paraísos fiscais


Já o fundador do Banco Santos, Edmar Cid Ferreira, foi condenado em 2006 a 21 anos de prisão por crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro durante a gestão, o que teria levado a instituição financeira à falência, com perdas estimadas em mais de R$ 1 bilhão. 


Após intervenção do Banco Central, foram descobertas irregularidades na concessão de empréstimos a empresas em dificuldades financeiras no Brasil em troca da compra de títulos e de investimentos em empresas localizadas em paraísos fiscais. Quadros da coleção do banqueiro, avaliados em US$ 4 milhões e que teriam sido adquiridos com recursos do banco, foram localizados nos Estados Unidos e repatriados em 2010.


Edemar Cid Ferreira mora na casa de um amigo, ao lado da mansão de 4 mil m2, avaliada em R$ 50 milhões, onde viveu por 23 anos e acabou despejado por falta de pagamento de aluguel – uma dívida de R$ 1,7 milhão. Aos 66 anos, o ex-banqueiro, por meio de seu advogado, Arnaldo Malheiros Filho, recorre da sentença em liberdade e, segundo ritos e firulas do Judiciário brasileiro, Cid Ferreira ainda poderá ter sua sentença anulada.


O ex-subsecretário de Administração Tributária do governo Anthony Garotinho, no Rio de Janeiro, foi um dos 22 condenados por um esquema de envio de cerca de US$ 30 milhões para a Suíça, em um escândalo que ficou conhecido como Propinoduto, em 2003. 


Participariam do esquema fiscais da Receita Estadual e auditores da Receita Federal que receberiam propinas de empresas. O fiscal de renda Silveirinha aparecia como dono de depósitos no valor de US$ 8,7 milhões na Europa.


No caso da portuguesa naturalizada norte-americana Carolina Nolasco, ela foi detida em 2002 nos Estados Unidos, acusada de integrar uma rede brasileira de lavagem de dinheiro. A executiva de contas bancárias teria recebido propina para transferir fundos do banco Valley National de forma irregular, em um esquema que envolveria 60 pessoas. Em 2004, ela se declarou culpada das operações ilegais e concordou em devolver US$ 21 milhões depositados em 39 contas do banco Merchants, onde também havia trabalhado.



Clique aqui para ler artigo do Mino Carta “Gilmar faz o que bem entende


******

Stanley Burburinho: Genealogia de Tourinho

17.06.2012
Do blog  DoLaDoDeLá,13.06.12



1 - Nome do desembargador que autorizou a transferência de Cachoeira do presídio de segurança máxima no RN para a Papuda, em BSB: Tourinho Neto -http://www.jornalopcao.com.br/posts/ultimas-noticias/carlinhos-cachoeira-sera-transferido-para-brasilia

2 - Nome do desembargador que quer anular os grampos das operações Vegas e Monte Carlo: Tourinho Neto - http://www.aredacao.com.br/noticia.php?noticias=13948

3 - Nome do relator que desbloqueará os bens da Vitapan, empresa de Cachoeira: Tourinho Neto -http://www.jornaldotocantins.com.br/20120613123.128592#13jun2012/politica-128592/

4 - Desembargador acusado de querer "soltar todo o crime organizado de Goiás, DF e adjacências" - http://www.dignow.org/post/desembargador-tourinho-neto-quer-soltar-todo-o-crime-organizado-de-goiás-df-e-adjacências-4206743-57849.html Tourinho Neto

5 - Desembargador que, antes de tomar posse, já estava na mira Eliana Calmon e de conselheiros do CNJ - http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/judiciario/chegada-vigiada/ Tourinho Neto

6 - De qual Tribunal Regional Federal é o desembargador Tourinho Neto? Ele é do TRF-1 do DF.

******

Ministério Público quer garantir legalidade de escutas telefônicas para incriminar grupo de Cachoeira

17.06.2012

Do portal da Agência Brasil, 16.06.12
Por Débora Zampier

Brasília – Enquanto a Justiça dá uma série de decisões favoráveis ao suposto grupo criminoso chefiado por Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, o Ministério Público Federal (MPF) vem estudando estratégias para impedir que a Operação Monte Carlo perca fôlego. Hoje o principal foco dos acusadores é garantir na Justiça a legalidade das escutas telefônicas colhidas durante a operação da Polícia Federal, que apurou esquema de corrupção e exploração ilegal de jogos no Centro-Oeste.

O MPF considera que a validade das interceptações telefônicas é até mais importante que manter os suspeitos na cadeia neste momento, pois a anulação dessas provas esvaziaria a Monte Carlo, minando inquéritos e ações penais contra o grupo de Cachoeira. Além disso, as prisões são temporárias e seriam mesmo revogadas em algum momento.

Para convencer magistrados sobre a legalidade das escutas, os procuradores Daniel Salgado e Léa de Oliveira (GO) e Carlos Vilhena (DF) editaram um memorial com 30 páginas de informações sobre o caso. O documento foi encaminhado nesta sexta-feira (15) ao desembargador federal Cândido Ribeiro e ao juiz convocado Marcos Augusto de Sousa, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1).  Na próxima semana, ambos devem dar votos decisivos no habeas corpus que pede a nulidade das interceptações telefônicas da Operação Monte Carlo.
O pedido para descartar as escutas já foi aceito pelo relator do processo, desembargador Fernando Tourinho Neto. Segundo os advogados de Cachoeira, as escutas são ilegais porque vieram de denúncia anônima e porque as decisões do juiz de Valparaíso de Goiás, que autorizaram a medida, não estão bem fundamentadas.

Os procuradores do caso rebatem os argumentos, destacando que as denúncias anônimas foram comprovadas em investigações anteriores à quebra de sigilo telefônico. Também alegam que a opção do juiz por decisões enxutas não implica em falta de justificativa, citando vários precedentes de tribunais superiores. O memorial ainda tenta convencer os desembargadores da importância de manter a prisão de Cachoeira, considerado o “capo [chefe] do grupo criminoso organizado”.

O MPF não decidiu como batalhar pela retomada das prisões preventivas de Cachoeira e de pessoas ligadas a ele, pois estuda os argumentos das liminares que chegam aos poucos. Os procuradores do caso também não recorreram contra a decisão que suspendeu a audiência de Cachoeira e de outros réus na Justiça Federal em Goiás, marcadas para o final de maio passado. Eles acreditam que a medida seria inócua, caso a legalidade das escutas não fosse mantida. 

Caso o TRF1 decida anular as escutas, o Ministério Público pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para decidir a questão.

Edição: Andréa Quintiere
******

Filme “Prometheus” questiona o amor de Deus

17.06.2012
Do portal GOSPEL PRIME, 14.06.12

Longa de Ridley Scott mistura ficção, horror e teologia

Em seu novo filme, Prometheus, o diretor Ridley Scott aborda a questão controversa da origem humana. O diretor britânico ficou famoso após os sucessos de “Blade Runner – O Caçador de Andróides” (1982) e “Alien, o Oitavo Passageiro” (1979).
Em seu novo filme, que estreia nesta sexta no Brasil, a protagonista Elizabeth Shaw (vivida por Noomi Rapace) usa um crucifixo no pescoço. Perturbada pela morte do pai e sofrendo por causa disso desde criança, em uma das cenas ela pergunta “Aonde as pessoas vão quando morrem?”
Essa não é a única indagação de cunho espiritual no longa-metragem. A nave espacial chamada Prometheus, que nomeia o filme, é uma referência ao titã  grego que roubou o poder de criar o fogo de Zeus (maior divindade grega) e deu-o aos mortais. Sua traição foi severamente punida por Zeus, que o condenou a passar toda a eternidade amarrado a uma rocha e a sofrer dores inimagináveis, enquanto uma  águia comia, todos os dias, o seu fígado que crescia novamente no final do dia.
Elizabeth é, nas telas, tanto crente quanto cientista (arqueóloga) e vai em busca de respostas sobre a origem da humanidade. Ela e seus companheiros irão procurar isso no espaço. Em última análise, o filme trata do desejo humano de procurar pelo significado de sua própria existência. Mas o diretor Ridley Scott faz uma reflexão bastante depreciativa sobre a natureza de Deus. O cerne do filme é a possibilidade de que o Criador odeie as suas criaturas, e que descobrir isso significaria nossa condenação eterna.
Durante uma entrevista para a revista Esquire, Scott comentou sobre as perspectivas   teológicas desse longa que mistura horror e ficção, prometendo ser um dos grandes lançamentos do ano.  Pelo menos é um dos mais  caros, ao custo de 200 milhões de dólares.
“Sempre fui muito intrigado com essas questões eternas sobre a criação, a crença e a fé… Isso está na cabeça de todo mundo”, afirma Scott.
Perguntado se em Prometheus os criadores da Humanidade, chamados de  ”engenheiros”, são uma analogia para um Deus hostil e mau, ele prefere não responder.   Mas ele  parece sugerir  que, se o Deus de Abraão existe, é um monstro sem moral.
A trama de ficção resiste à tentação de fazer uma acusação direta contra o cristianismo. Porém, em duas cenas os diálogos questionam as pessoas de fé.   Numa delas, depois de muita violência, Elizabeth recupera seu crucifixo, momentaneamente perdido, e o recoloca no pescoço.  Um dos seus companheiros a indaga: “Mesmo depois de tudo isso, você ainda acredita? “.
Michael Fassbender dá vida a um andróide. Em certo momento é indagado sobre o que aconteceria se não houvesse  ninguém para programá-lo. Ele supõe que  estaria livre, sugerindo que os seres humanos não podem ser totalmente livres enquanto crerem que há um Deus. .
Charlize Theron também participa do filme como a comandante da nave, Meredith Vickerse. Em entrevista recente ela comentou que “É muito ingênuo ou narcisístico pensar que somos as únicas coisas vivas no universo”. Para ela, a pergunta principal do filme é: “De onde nós viemos? Quem nós fez? Qual o sentido de tudo isto? E se você fosse conhecer seu criador ou Deus e descobrisse que trata-se de um engano total?”.
No final de sua entrevista, Ridley Scott afirmou que não gosta de nenhuma religião, mas que já está envolvido na pré-produção de um filme religioso sobre a vida de Moisés, que segundo ele, tem uma “história maravilhosa”.
Traduzido e adaptado de Christand Pop Culture e Esquire
*****

ELEIÇÕES PT RECIFE: Em encontro com militância, Humberto Costa pede fim do disse me disse

17.06.2012
Do BLOG DE JAMILDO
Postado por Jamildo Melo


Sérgio Figueirêdo/Foto

Pré-candidato do PT no Recife, o senador Humberto Costa realizou, sem alarde, longe da imprensa, ao contrário do que fez João da Costa, uma reunião com lideranças políticas no Sindicato dos Servidores Federais na Previdência (Sindsprev), na Boa Vista. 

O encontro teve como mote a mobilização petista para a convenção municipal do PT, que acontece no próximo dia 29 e deve contar com a participação de nomes nacionais da legenda, como o presidente nacional Rui Falcão.

Cerca de 100 pessoas participaram do ato

Entre elas, o deputado federal João Paulo, o presidente estadual do PT, Pedro Eugênio, vereadores, pré-candidatos à Câmara Municipal e presidente de zonais.

No encontro, o tom foi o de busca de unidade. 

"Vamos conversar com todos os partidos. Sabemos a importância desse projeto para a cidade do Recife e vamos trabalhar por ele com garra".

O senador Humberto Costa seguiu na mesma linha. 

"Queremos entrar na pauta do que é melhor para a cidade e para as pessoas. Ninguém agüenta mais tanto disse me disse. O que tem que ser levado em consideração é quem tem mais condições de representar este projeto que tem conseguindo avanços para o Recife". Humberto disse ainda que irá procurar os demais setores do PT. "Acredito que conversando, ouvindo e argumentando nós temos condições de nos entender", garantiu.


*****

"Prometheus":EJACULAÇÃO PRECOCE

17.06.2012
Do blog  TUDO EM CIMA,15.06.12
Por André Lux, crítico-spam



E pensar que Ridley Scott vem se masturbando há décadas com a ideia de fazer um filme no mesmo universo de “Alien” só para aparecer com essa porcaria 

Sou grande admirador de “Alien – O 8º Passageiro” e, portanto, estava bastante ansioso para ver esse “Prometheus” que segundo seu diretor, Ridley Scott, aconteceria no mesmo universo de seu filme de 1979. Mas, para azar nosso, Scott confirma que perdeu completamente a mão e não é nem a sombra do cineasta que já nos brindou com pérolas como “Blade Runner” e “Os Duelistas”. Seu último bom filme foi mesmo “1492” e depois disso só fez porcarias como “Gladiador”, “Falcão Negro em Perigo” e “Hannibal”.

“Prometheus” é o nome da nave que leva 17 pessoas para um planeta que poderia responder a questão de quem criou a raça humana e tenta elevar o nível de pretensão ao fazer referência à mitologia grega, onde Prometeu era o humano que roubou o fogo dos Deuses e por isso foi condenado ao sacrifício eterno. Bobagem, isso não tem nada a ver com o filme e a única coisa que o liga ao primeiro “Alien” são os desenhos de produção baseados no trabalho do artista plástico H.R. Giger para o original. O resto do design do filme é fraco e sem graça. 

O que derruba mesmo as pretensões de Scott é roteiro confuso e sem pé nem cabeça que levanta uma série de questões sem resposta, e na maioria idiotas, como que motivos teria o robô interpretado por Michael Fassbender para infectar um dos tripulantes da nave? Outra coisa que incomoda é o fato dos personagens agirem de maneira estúpida, como nos filmes da série “Sexta-Feira 13”, só para serem mortos ou virarem monstros quando são infectados (e aí o filme fica muito mais parecido com “O Enigma de Outro Mundo”, de John Carpenter, do que com o “Alien” - sem dizer que o começo lembra demais o primeiro "Alien vs Predador", o que não é o maior dos elogios).

Um fator que me incomodou muito forem terem descaracterizados completamente o “space jockey”, que era aquele alienígena esquisito sentado numa enorme cadeira em “Alien”. No filme original ficava evidente que se tratava de um esqueleto, inclusive os protagonistas verbalizam isso dizendo “parece fossilizado e grudado na cadeira”. Mas aqui no novo filme se transformam em figuras humanas que vestem uma armadura! Ou seja, nem pra respeitar a mitologia do primeiro “Alien” foram capazes! 

O elenco é muito fraco, com destaque negativo para a bela Charlize Theron que passa o filme fazendo caras e bocas de menina má como a filha do multimilionário Weyland, dono da bendita companhia que está sempre por trás dos malfeitos na séria “Alien”. Além disso, o filme tem uma trilha musical fraca e inadequada composta por um dos discípulos do abominável Hans Zimmer (em uma cena chegam a tocar sem maior lógica o tema do primeiro “Alien”, composto por Jerry Goldsmith).

E pensar que Ridley Scott vem se masturbando há décadas com essa ideia de fazer um filme no mesmo universo de “Alien” só para aparecer com essa porcaria que mais parece uma ejaculação precoce!

Cotação: * 1/2
****

Artesanato deixou o amadorismo para trás faz tempo. Saiba o que fazer para se dar bem

17.06.2012
Do portal  ESTADÃO/PME, 16.06.12

Empresário deve destacar p caráter único de seus produtos e atender muito bem o cliente
Andre Lessa/AE
Andre Lessa/AE
Cinthia conseguiu criar até marca própria com o artesanato
 O artesanato deixou faz tempo de ser algo amador e com pouco retorno financeiro. A mudança ocorreu, também, por conta da digitalização dos negócios. Hoje, há diversas plataformas que reunem artesãos de todo o País em uma única loja virtual.


Uma dessas plataformas é o Elo7, um dos principais no setor. Segundo informações dos seus idealizadores, o site reune mais de dez mil pessoas vendendo mais de 1 milhão de produtos para o mundo todo. E há mais números expressivos - o Elo 7 tem perto de 40 milhões de pageviews por mês, sendo 4 milhões de visitantes únicos no mesmo período.

Por isso, cada vez mais, para se dar bem neste setor é preciso seguir algumas regras básicas. Para ajudá-lo, separamos cinco.


Seja único sempre

O produto deve ter o toque pessoal do artesão. Assim, ele chama a atenção do cliente e a chance de venda também aumenta.

Aposta no online

Crie um site, mas pode também ser um blog, com exemplos de produtos e preços. A internet certamente vai chamar a atenção de um público diferente do seu.

Atenção é fundamental

Responda a todas as perguntas dos consumidores. Mesmo as mais óbvias. O atendimento é um importante diferencial desse tipo de negócio.

Formalizar é importante

Depois de definir sua capacidade de produção, consulte um contador sobre como oficializar o seu negócio.

Informação

Busque sempre capacitação porque o mercado de artesanato é dinâmico e o artesão precisa ser cada vez mais competitivo.

Quem atua no mercado não se arrepende. A empresária Cinthia Zaccarias monta pot-pourris (seleção de pétalas secas e especiarias para perfurmar ambientes). Ela começou vendendo seus produtos em uma feira, mas hoje já conta com uma marca própria, a Phedras. Cinthia dá o caminho das pedras para quem está começando. "Uma qualidade essencial é ser versátil, para acrescentar sempre coisas novas."

******

Humberto Costa assume a liderança da sucessão

17.06.2012
Do portal do JORNAL DO COMÉRCIO
Por Sérgio Montenegro Filho

Pesquisa do Instituto Maurício de Nassau revela que entrada do senador petista mudou o cenário da disputa no Recife

 / Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem

Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem


A entrada do senador Humberto Costa na disputa eleitoral do Recife como pré-candidato do PT, em substituição ao prefeito João da Costa, modificou significativamente o cenário de intenções de voto na capital pernambucana.

A nova rodada de pesquisa do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IMPN) – feita em parceria com o Jornal do Commercio – sobre a sucessão deste ano revela a liderança absoluta do petista em todas as simulações.

INFOGRÁFICO

Pesquisa JC/IPMN - 16.6.2012
A amostragem, que ouviu 816 eleitores, foi realizada nos dias 11 e 12 deste mês, cerca de uma semana após a decisão da direção nacional do PT de cancelar o resultado da prévia e indicar o nome de Humberto como candidato à PCR. Até o levantamento anterior, divulgado em 18 de março, João da Costa ainda era candidato à reeleição, e aparecia com uma média de 20% das intenções de voto.

A nova pesquisa JC/IPMN apresentou aos entrevistados quatro cenários possíveis para a disputa pela Prefeitura do Recife. Em todos eles, Humberto mantém uma média de 36% das citações, liderando com uma folga de, no mínimo, 18 pontos percentuais sobre o pré-candidato do DEM, deputado federal Mendonça Filho, que aparece sempre em segundo lugar(veja tabela nesta página).

Outra novidade é o posicionamento do pré-candidato do PSDB, deputado estadual Daniel Coelho, que mantém a terceira colocação, sempre com um ponto percentual à frente do deputado federal Raul Henry (PMDB).

O primeiro cenário da amostragem inclui praticamente todos os nomes especulados pelos partidos até agora, à exceção dos nomes ventilados no PSB, fato ocorrido somente após a realização do levantamento.

A distância entre Humberto e Mendonça é a mais curta. O petista aparece com 35% das intenções de voto, contra 17% do democrata. Nessa simulação – como em todas as demais – Daniel Coelho recebeu 5% das citações e Raul Henry, 4%.

Na quinta colocação, com 3%, surge o senador Armando Monteiro Neto (PTB), que não se declara candidato mas tem seu nome especulado. Em sexto ficam o deputado federal Paulo Rubem (PDT) e o ex-deputado Raul Jungmann (PPS), ambos com 2%.

Se for levada em conta a margem de erro da pesquisa, de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, todos os candidatos, a partir da terceira colocação, estão tecnicamente empatados. É relevante, ainda, o índice de 20% de entrevistados que declararam a intenção de votar em branco ou anular o voto, assim como a fatia de 13% que não souberam ou não quiseram responder ao levantamento.

Os pré-candidatos Roberto Numeriano (PCB) e Albanise Pires (PSOL) foram listados, mas receberam citações menores que 1%.

A distância entre Humberto e Mendonça é a mais curta. O petista aparece com 35% das intenções de voto, contra 17% do democrata

No segundo cenário elaborado na pesquisa, com a retirada do nome de Paulo Rubem da lista, Humberto Costa ganha dois pontos, subindo para 37%, enquanto Mendonça Filho perde dois, caindo para 15%. Numa terceira simulação, o petebista Armando Monteiro é substituído pelo seu correligionário Sílvio Costa Filho, que não consegue pontuar.

Nesse caso, o pré-candidato petista ganha um ponto em relação ao primeiro cenário (16%), enquanto o democrata mantém os 17%. A última simulação exclui os dois nomes do PTB e o do PDT, mantendo apenas cinco concorrentes. Nesse caso, Humberto continua com os 16% do terceiro cenário, enquanto Mendonça obtém seu melhor índice, ficando com 18% das citações.


Leia mais na edição deste domingo do JC

****

Confronto deixa policiais e sem-terra mortos no Paraguai

17.06.2012 
Do portal da Agência Brasil,15.06.12
Por BBC Brasil


Brasília – Dezoito pessoas morreram e centenas ficaram feridas em confrontos entre policiais e camponeses sem terra nesta sexta-feira (15) no Paraguai, próximo à fronteira com o Brasil.
Segundo o ministro do Interior, Carlos Filizzola, o tiroteio aconteceu durante uma operação policial de reintegração de posse de uma fazenda invadida em Curuguaty, no departamento (estado) de Canindeyú, próximo à fronteira com o Paraná.
“São sete policiais e nove ou dez camponeses (mortos)”, disse Filizzola. O fato aumentou a tensão em torno da questão agrária no Paraguai.
A operação ocorreu na fazenda do empresário Blas N. Riquelme. Centenas de policiais chegaram ao local em veículos e helicópteros, com um mandado da Justiça determinado a retirada dos camponeses do terreno.
O confronto armado ocorreu em uma região de selva que foi cercada pela polícia, segundo o Ministério do Interior.
O presidente Fernando Lugo lamentou as mortes em um pronunciamento na residência presidencial de Mburuvicha Roga, na capital do país.
“Manifesto meu firme apoio às forças de ordem e me solidarizo com as famílias das vítimas fatais que entregaram suas vidas durante o cumprimento de uma missão”, disse o presidente.
Lugo afirmou que o governo está trabalhado para “devolver a calma e a segurança” à região. Porém, ao mesmo tempo, o Congresso Nacional convocou uma sessão extraordinária para analisar a situação.
Uma das possibilidades em discussão é a declaração de Estado de Exceção na região. A medida autorizaria o uso das Forças Armadas para conter a violência local. Ela já foi usada no país em outubro de 2011 (a pedido do Congresso) e 2010 (por ordem de Lugo) para combater guerrilheiros do Exército do Povo Paraguaio (EPP).
De acordo com a versão on line do jornal Ultima Hora, de Assunção, Lugo já teria determinado que as Forças Armadas participem das operações em Curuguaty.
A atuação de membros do EPP na resistência armada à desocupação da fazenda até agora é descartada pelo Ministério do Interior.
Parlamentares chegaram a cogitar a discussão no Congresso sobre uma medida para destituir Filizzola de suas funções. O ministro afirmou, por sua vez, que não pretende deixar a pasta. “Não vou renunciar ao cargo”, afirmou.
Ele disse ainda que "não é a primeira vez" que o mesmo grupo invade as terras de Riquelme.
Os camponeses envolvidos no confronto fazem parte da chamada Liga Nacional de Carperos (Liga Nacional de Acampados, em tradução livre). Em um comunicado, a Mesa Coordenadora Nacional de Organizações Camponesas (MCNOC), que reúne setores dos sem terra, criticou o governo nacional.
“Rejeitamos os assassinatos de camponeses e de policiais e de centenas de feridos em uma mostra de irresponsabilidade do governo e destacamos que não será desta maneira que se dará uma resposta aos graves problemas da população paraguaia”, diz o texto.
A MCNOC tem reivindicado uma política de reforma agrária no país e critica a expansão do agronegócio no Paraguai.

******