sábado, 16 de junho de 2012

BLOG DO MIRO:O shopping e a privataria à brasileira

16.06.2012
Do BLOG DO MIRO, 15.06.12

Por Luiz Carlos Azenha, no blogViomundo:


O Shopping Pátio Higienópolis, segundo denúncia de uma ex-diretora de seu grupo controlador, pagou propina de R$ 133 mil para funcionar sem as 1.994 vagas de estacionamento previstas pela Companhia de Engenharia de Trânsito (CET). Em tese, uma forma de evitar a falta de vagas nas ruas do entorno, reduzindo assim o congestionamento.

Ninguém noticiou ainda quais são exatamente os critérios para definir o número de vagas, mas vamos considerar que sejam adequados.

A propina, segundo a denúncia, foi paga a Hussain Aref Saab, ex-diretor do setor de aprovação de prédios da Prefeitura de São Paulo, na gestão do ex-demo Gilberto Kassab.

O shopping “diferenciado” teria reservado vagas extras em dois estacionamentos, um deles localizado a um quilômetro de distância. Seriam 470 vagas. Funcionários dos estacionamentos negam que isso tenha acontecido. Pode ter sido um contrato de gaveta, para inglês ver.

Ao pagar a propina, o shopping se livrou do cumprimento da legislação municipal, transferiu para o espaço público um problema que era seu, não pagou pelas vagas em estacionamentos particulares e faturou ou permitiu que alguma concessionária faturasse um horror de dinheiro no chamado Valet Parking. Motoristas muitas vezes recorrem ao serviço de manobrista depois de enfrentar um inferno para encontrar espaço num estacionamento onde faltam 470 vagas. O serviço com manobrista tem um custo mínimo de 15 reais na primeira hora e 10 reais adicionais por hora.

Em resumo, o shopping transferiu a escassez de vagas das ruas para dentro de sua garagem, com lucro extraordinário.

É um resumo do capitalismo à brasileira.

****

BLOG DO DIRCEU: No PSDB, cacos para todos os lados

16.06.2012
Do BLOG DO DIRCEU,15.06.12
Por José Dirceu


Como acompanhamos há dias, agrava-se sempre mais a crise no tucanato paulistano e na candidatura de seu pretendente à prefeitura José Serra, na eleição deste ano. José e seu PSDB são só cacos, pedaços para todo lado.

Parte da direção do partido na capital, mais a fila de candidatos que o PSDB tem a vereador não aceitam estender a coligação ao PSD do prefeito Gilberto Kassab (ex-DEM-PSDB), na eleição proporcional.

Resistem porque aí tem que dividir as 110 vagas de candidato a vereador com o PR, DEM e PV partidos com os quais estão coligados. E José precisa abrir espaço para o PSD nessa chapa proporcional porque é compromisso dele com Kassab.

Sem luz no fim do túnel


Image
José Serra
Já há ameaças de destituição da direção municipal do PSDB na capital, não conseguem vencer a resistência de candidatos que disputaram a prévia com José Serra e não querem apoiá-lo, e agora jogaram o imbróglio no colo de Geraldo Alckmin, para ele encontrar a solução, a última coisa que o governador queria.

José sumiu, só fala e age através de assessores, de tucanos aliados e de intermediários. Ele tem também o problema de, a cada aparição ter de responder se é candidato a prefeito ou a presidente da República, se eleito cumpriria o mandato até o fim ou se vai abandonar a cidade como fez da outra vez (2006) quando renunciou antes de cumprir a metade do mandato para concorrer ao Planalto.

As angústias e travas de um tucano em campanha

Fora as denúncias de corrupção no seu governo, de um funcionário seu, nomeado por ele. Acusações que envolvem Hussain Aref, aquele ex-diretor nomeado por ele para o APROV, órgão da Secretaria Municipal de Habitação. Vocês vem acompanhando.

Segundo as denúncias o ex-diretor é dono de 116 imóveis caros, incompatíveis com sua renda e comandou por quase oito anos o APROV. Agora apareceu uma executiva que detalhou os milhões em propina que pagou a ele para obter a liberação de dois shoppings.

Pior e feio, também, foi José Serra dizer que não tinha nada a ver com o diretor e um dia depois os jornais divulgarem a cópia do Diário Oficial do Município de 05.01.2005 que publicou o ato de nomeação dele pelo prefeito José Serra.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

*****

Diretor executivo da Yoki foi decapitado ainda vivo, diz laudo

16.06.2012
Do portal MSN/ESTADÃO, 14.06.12
Por William Cardoso, O Estado de S. Paulo

Diretor executivo da Yoki foi decapitado ainda vivo, diz laudo
"Elize confessou ter assassinado Marcos Matsunaga após uma discussão"Nilton Fukuda/AE
SÃO PAULO - O diretor executivo da Yoki, Marcos Kitano Matsunaga, de 42 anos, foi decapitado ainda vivo pela mulher, Elize Araújo Kitano Matsunaga, de 30 anos, no dia 19 de maio, na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo. É o que mostra o laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Cotia, cidade da Região Metropolitana onde foram encontrados pedaços do corpo.
Assinado pelo legista Jorge Pereira de Oliveira, o documento atesta que o executivo foi morto por um tiro associado à "asfixia respiratória por sangue aspirado devido à decapitação". Isso indica que Matsunaga ainda respirava quando teve a cabeça cortada pela mulher, logo após ser baleado.
A informação técnica contradiz a versão apresentada por Elize em depoimento à polícia de que teria matado o marido com um tiro, arrastado o corpo para um quarto e o esquartejado somente dez horas depois, tempo suficiente para que o sangue coagulasse e não deixasse mais vestígios no apartamento onde vivia o casal.
Além de apontar que o executivo estava vivo quando foi decapitado, o laudo afirma que o tiro foi disparado de cima para baixo, da esquerda para direita e bastante próximo, encostado, com vestígios de pólvora no rosto da vítima.
Esse é outro ponto do laudo que contradiz a versão de Elize, de que teria matado o marido durante uma discussão onde os dois estariam em pé. Da forma como foi relatado pelo perito, o tiro foi disparado por Elize em situação de superioridade em relação ao executivo (de cima para baixo) e à queima-roupa - e não a uma distância de pelo menos dois metros, como chegou a afirmar à polícia.
Investigação. O relatório da investigação foi apresentado nesta quinta-feira, 14, à Justiça pelo delegado responsável pelo caso, Mauro Dias, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Segundo o delegado, que pediu a prisão preventiva de Elize, independentemente de ter entregue o relatório, ele ainda busca saber o que de fato aconteceu no dia do crime. "Vou confrontar esse laudo com as provas que tenho. É preciso procurar a verdade real", afirmou.
Para Dias, o principal destaque no laudo entregue pelo IML de Cotia na quarta-feira, 13, foi a distância a que foi disparado o tiro que matou o executivo. "O que mais me chamou a atenção foi ela ter dito que foi a 2 metros e o laudo ter afirmado que não, que foi próximo."
Segundo o delegado, o fato de o laudo apontar que o executivo foi decapitado ainda com vida não muda a tipificação do crime, já registrado como homicídio qualificado. "Descobri a autoria, a materialidade e agora vou confrontar as informações", afirmou.
****

EDUARDO GUIMARÃES: Serra “invade” redações e exige retaliação a Maluf

16.06.2012
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães
Antes de um relato espantoso que farei, quero esclarecer meu ponto de vista sobre a possível – mas, ainda, não confirmada – aliança entre o candidato pelo PT a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o ex-prefeito e ex-governador da capital paulista Paulo Maluf.
Na verdade, este texto deveria ter sido publicado na sexta-feira, mas decidi adiar porque recebi ligação de fonte que tenho em um grande jornal paulista e que discorda da atuação da imprensa local e que, assim, frequentemente me dá informações em primeira mão.
Foi-me relatado que Maluf estava para romper a aliança que mantém com o governo Geraldo Alckmin e com o pré-candidato do PSDB a prefeito da capital paulista, José Serra, de forma a se aliar a Haddad.
Muitos não entenderam, portanto, em razão do que, na sexta-feira, este blog amanheceu com uma postagem sobre a atuação de Maluf durante a ditadura. Isso, porém, ficará claro mais adiante.
Desde o ano passado que Maluf é aliado do PSDB paulista. Isso se deu por ter ganhado do governador Geraldo Alckmin o direito de indicar um afilhado para dirigir a Companhia Estadual de Habitação de São Paulo (CDHU).
Por conta dos favores de Alckmin a Maluf ele estava fechado com Serra para levar o PP paulistano, um feudo malufista, a ceder ao tucano seu tempo de TV na próxima campanha eleitoral
O PT, porém, passou a assediar o PP da capital paulista para que apóie Haddad valendo-se do argumento de que o partido de Maluf já mantém coligação com o governo Dilma Rousseff e que, portanto, seria lógico manter essa aliança em nível municipal.
Em minha opinião, não é a mesma coisa. Maluf, hoje, tem muito menos influência no PP nacional, que tem lideranças mais respeitadas, como, por exemplo, Francisco Dornelles (RJ), que não segue a liderança malufista.
Fazer aliança com o PP paulistano, portanto, é fazer aliança direta com Maluf. Por 1m43s de TV, parece-me pouco. É um constrangimento enorme para candidata a vice na chapa de Haddad, a ex-prefeita Luiza Erundina, e para o próprio PT.
Por conta disso – e como as tratativas ainda não estavam sacramentadas –, publiquei neste blog, na última sexta e de forma açodada, notícia que pretendia publicar mais adiante e de forma  mais aprofundada no âmbito de postagens que ainda farei sobre a Comissão da Verdade.
Com o post sobre o apoio de Paulo Salim Maluf à ditadura militar, quis lembrar ao PT paulista quem é esse indivíduo, ainda que, por óbvio, seja desnecessário.
Julgo que a aliança com esse senhor é imprópria. Como eleitor e apoiador do PT, sinto-me constrangido.
Julgo que Haddad é, de longe, o melhor candidato para São Paulo e que o apoio de Maluf conspurca sua candidatura.
Julgo que o eleitorado malufista odeia mais o PT do que aprecia Maluf.
Julgo que a aliança com Erundina levará Haddad longe e que, esse sim, é um apoio vital.
Julgo, por fim, que Haddad não precisa de Maluf ou do desgaste que tê-lo em sua aliança irá gerar
Essa é a minha sincera opinião. Contudo, não farei disso um escarcéu. Todavia, o aviso está dado.
Apesar do extenso preâmbulo que você acaba de ler, o que tenho a relatar, prioritariamente, é outro fato que me foi confidenciado por aquela fonte que trabalha em um grande jornal paulista e que, vira e mexe, municia-me com informações de bastidores sobre a imprensa de meu Estado.
É revoltante e uma prova do partidarismo doentio da imprensa paulista o escarcéu que esta está fazendo diante da possibilidade de Maluf realmente vir a apoiar Haddad. E é ilógico. Até Maluf acenar com tal apoio, a imprensa local nem lembrava que ele existia.
O acordo do governo federal com Maluf – e não com o PP – para que este destine tempo de tevê em São Paulo a Haddad não difere do acordo entre tucanos e pepistas na capital paulista. Por que o que não é notícia quando o acordo é com tucanos vira notícia quando o acordo é com o PT?
Isso se deve a que Serra, irritado com o que chama de “ganância” de Maluf, que estaria aumentando o preço da fatura para os tucanos, passou a disparar telefonemas para os “aquários” (chefias de redação) da imprensa paulista exigindo “denúncia” do mesmo Maluf e de Haddad.
A imprensa – Folha de São Paulo à frente, pois Serra ligou para ‘Otavinho” – está “denunciando” que o PT está fazendo com o PP o mesmo acordo que este fizera com o PSDB.  De forma “inexplicável”, de repente a imprensa tucana descobriu que Maluf é Maluf.
******

Partido dos Trabalhadores contaria com a simpatia do eleitor do Recife

16.06.2012
Do BLOG DE JAMILDO
Postado por Jamildo Melo

Embora João da Costa continue com dificuldades para fazer decolar sua popularidade, o recifense mantém seu aval à permanência do PT no comando da Prefeitura. De acordo com a pesquisa JC/IPMN, 53% dos entrevistados, independente de qual candidato for indicado, o PT merece ficar na PCR. Outros 37% discordam e defendem a transferência do comando para outro partido. 11% não responderam à questão.

A pesquisa também aferiu qual político, hoje, melhor representa a oposição a João da Costa. O nome preferido, com 18,7% das menções, foi o do deputado federal Mendonça Filho, pré-candidato do DEM à Prefeitura. Ele tomou o título das mãos do ex-prefeito João Paulo, que no levantamento realizado em março – mesmo sendo do mesmo partido do prefeito – era visto por 16,7% dos eleitores da capital como seu principal adversário. Naquela amostragem, Mendonça aparecia em segundo, com 14,8%. Dessa vez, o ex-prefeito sequer foi mencionado, e a segunda colocação ficou com Humberto Costa, com 8,9%. Deve ser ressaltado que 44,5% dos entrevistados não souberam ou não quiseram citar qualquer nome.

João Paulo, porém, manteve na pesquisa atual um título que já lhe havia sido conferido em levantamentos anteriores: o de melhor prefeito que o Recife já teve. Em março, ele aparecia com 52,4% das preferências do eleitorado da capital. Agora em junho o índice caiu, mas o petista permanece em primeiro lugar absoluto, com 48,1% das preferências, tendo Jarbas Vasconcelos (PMDB) em segundo lugar, com 18,5%.
****

CARLA RIBAS: Ser Autêntico

16.06.2012
Do blog VIVA BONS MOMENTOS, 15.06.12
Por Carla Ribas*

O que é ser autêntico?
É ser verdadeiro, sincero.
É saber o seu lugar no mundo, não ter vergonha do que pensa
É buscar a cada dia melhorar as suas conquistas
É procurar fazer e não se encostar em quem realmente faz
É produzir ao invés de se promover criticando quem realmente faz
É não ser reprodutor de palavras alheias, mas estudar e entender do assunto para falar com propriedade
É falar a verdade sempre, mesmo que precise de um doce sorriso ao proferi-la
É procurar o melhor das pessoas e destacar essa qualidade
É saber admirar a conquista alheia sem ser invejoso
No meio evangélico autenticidade é maioria. 
Pena que hajam os que não fazem jus a fé que dizem professar.
A ganância toma conta de alguns que, sem se importar com a imagem de Cristo - sim, o mundo lê Jesus em nossos atos, atitudes, comportamentos e palavras - passam a distorcer a Bíblia como justificativa para seus propósitos.
Há aqueles que nem estudam a Bíblia para falar, apenas a utilizam para se promover. 
Ser Evangélico virou moda. Bom para alguns que vem pelo modismo e se permitem ser transformados pelo Senhor Jesus. Ruim para os outros que prejudicam a si mesmos quando entram em nosso meio para tirar vantagem do povo de Deus.
Aliás, o povo tem o coração bom, quer sempre acreditar que todos são bons.
Não se deixe enganar. Nem tudo que reluz é ouro! Precioso mesmo é manter-se humilde, lendo a Bíblia, examinando as Escrituras, deixando o Espirito Santo de Deus falar ao seu coração e ter somente Jesus Cristo como referência. 
A Palavra tem o poder de abrir os olhos e aguçar o discernimento.
Se o seu coração condenar, fique alerta e busque na Bíblia o motivo. Seja prudente. Muitos são os lobos sob pele de cordeiro.
Mas há outros muito, mas muito bons mesmo: cordeiros genuínos, preocupados com a boa seara, com o próximo e com o significado de uma vida com Deus. 
Esses são autênticos.

autêntico

au.tên.ti.coadj (gr authentikós, pelo lat authenticu) 1 Do autor a quem se atribui. 2 Digno de fé ou de confiança. 3 Certo, incontestado, positivo: Narração autêntica. 4 Do próprio punho da pessoa:Assinatura autêntica. 5 Genuíno. 6 Revestido de formalidades legais, certificado por testemunho público e solene. 7Qualificativo das pessoas (magistrados, tabeliães e demais funcionários) aptas a legalizar e autenticar documentos que devem ser apresentados em juízo. 8 Mús Qualificativo de quatro dos oito tons do cantochão. Antôn (acepção 1):apócrifo; (acepções 2 e 3): falso.

Fonte: Dicionário Michaelis online


*Carla Ribas é apresentadora do programa Movimento Pentecostal, produzido pela Casa Publicadora das Assembleias de Deus, que vai ao ar aos sábados pela emissora RedeTV! 

















*****

DILAPIDAÇÃO DE RIQUEZA NACIONAL: Lúcio Flávio Pinto: Ritmo de exportação de minério de ferro de Carajás “é crime de lesa Pátria”

16.06.2012
Do blog VI  O MUNDO
Por Luís Carlos Azenha

Recentemente passei quase três semanas no Pará, viajando pelo estado. Notei, nas bancas de Belém, a presença sempre destacada do Jornal Pessoal, do repórter Lúcio Flávio Pinto, que também tem versão digital.


Comprei o dossiê que ele preparou sobre a Companhia Vale do Rio Doce, sobre o qual o Viomundo tinha publicado um texto, reproduzido da Adital.


Dias depois, tive um breve encontro com o repórter na praça da República, onde fica o lindíssimo Teatro da Paz, herança dos tempos do ciclo da borracha.


Há, é importante frisar, um paralelo entre o ciclo da borracha e o ciclo do minério de ferro, que sai de Carajás, no sul do Pará, ao ritmo de 100 milhões de toneladas por ano: nenhum deles enriqueceu o estado.


Em nossa conversa, Lúcio Flávio confessou que sentiu um nó no peito toda vez que viu o trem carregado de minério partindo de Carajás em direção ao porto da Ponta da Madeira, no Maranhão, onde é embarcado para exportação.


Ele se sente tão indignado com o assunto que, além do dossiê, lançou um blog, no qual pergunta: a Vale é mesmo nossa?


O que mais deixa o repórter preocupado não é o fato de que a Vale engorda, enquanto o Pará emagrece. Nem o fato de que as ações preferenciais da empresa, aquelas que têm prioridade para receber dividendos, são controladas majoritariamente por norte-americanos. Ou seja, um novaiorquino dono de ações da Vale ganha muito mais com o minério de Carajás que o paraense que vive em Marabá ou Parauapebas.


O que deixa o jornalista indignado é o ritmo das exportações de minério de ferro de Carajás, nas palavras de Lúcio Flávio “o melhor do mundo, com o dobro de teor de hematita que o minério da Austrália”, outro importante fornecedor da China e do Japão — que compram 80% das exportações brasileiras.


Quando a exploração de Carajás começou, em 1984, a previsão é de que a mina duraria 400 anos. Ao ritmo de 100 milhões de toneladas por ano, que deve crescer para 230 milhões em 2016, a previsão agora é de que Carajás dure mais 80 anos, diz Lúcio Flávio. “Um crime de lesa Pátria”, “um crime que viola a soberania do país”, afirma.


O jornalista traça um paralelo com a exportação de manganês da Serra do Navio, no Amapá. Durante 50 anos, os Estados Unidos importaram 1 milhão de toneladas anuais do Brasil. E até hoje guardam estoques estratégicos do minério brasileiro, de altíssima qualidade, que misturam ao minério de baixa qualidade para garantir a siderurgia local, dependente em 90% das importações.


A mina do Amapá se esgotou em 2002. Qual foi o legado principal para o estado? Quando se descobriu que o manganês fino tinha uso industrial, foi implantada no Amapá uma usina de pelotização, que usou grandes quantidades de arsênio no processo. O arsênio hoje contamina o porto de Santana em doses muito superiores às recomendadas pela saúde pública.


Para Lúcio Flávio, os chineses estocam o minério de ferro brasileiro de forma estratégica, além de transformá-lo em bens de imenso valor agregado.


No dossiê, pergunta: “Temos algum controle sobre o processo de formação de preços? Quem estabelece a escala da produção, que está duplicando, para incríveis 230 milhões de toneladas, em 2015, a atual produção de Carajás? Atraídos pelo canto da sereia dos preços altos, estamos renunciando a uma ferramenta poderosa de futuro e, com ela, à possibilidade de agregar mais valor ao processo produtivo?”.


“A Vale é boa para si e os seus grandes clientes. Mas não — ao menos na mesma medida — para o Brasil”, conclui.


Para ouvir um trecho da entrevista, clique abaixo:



BLOG MOBILIDADE URBANA: Terminal Integrado de Cajueiro Seco pronto para ser inaugurado

16.06.2012
Do BLOG MOBILIDADE URBANA, 14.06.12
Postado por Tânia Passos


A área sul da Região Metropolitana do Recife está prestes a ter uma mudança radical no sistema de transporte coletivo, pois já se encontram prontos os terminais integrados de Cajueiro Seco e Tancredo Neves que juntos esperam atender a mais de 100 mil usuários por dia. Os novos terminais estão dentro das normas de acessibilidade, elevadores, escadas rolantes dupla, bicicletários e estacionamentos para carros.

Terminal de Cajueiro Seco

Este terminal que fica em Jaboatão dos Guararapes, receberá 11 linhas de ônibus das quais a maior parte vem da Cidade do Cabo de Santo Agostinho, estas linhas deixarão de ir ao centro do Recife possibilitando para muitos outras formas de deslocamento, como o Metrô, por exemplo, que também será integrado a este terminal. Cerca de 80% das linhas serão integradas com tarifa A, ou seja, existem algumas linhas que hoje operam com a tarifa B (R$ 3,25) e que terão suas tarifas reduzidas para o anel A (R$ 2,15), ou 49% a menos.

Uma das grandes vitórias ficou pela luta da comunidade do Conj. Marcos Freire, na qual sua integração vai possibilitar a redução da tarifa de ônibus e conseqüentemente mais pessoas poderão aderir aos ônibus na comunidade.

Este terminal terá 03 linhas inter-terminais, que ligará o T.I de Cajueiro aos Terminais do Cabo, Barro e Afogados. Isso sem falar que é neste terminal que será integrado o Corredor da BR-101 que receberá uma linha vinda de Igarassu, através do Corredor de ônibus da BR-101. 
Porém o terminal não terá linhas para o centro do Recife como era esperado, a população terá apenas o Metrô como opção para chegar ao centro da cidade, o que pode agravar ainda mais os problemas enfrentados pelas linhas circulares que saem dos TI’s de Joana Bezerra e Recife, e a pergunta que fica no ar é, se hoje as linhas circulares com seus pequenos ônibus já não suportam tantos passageiros, será que com este aumento de demanda vai conseguir? É o chamado caos à vista.

A Inauguração está dependendo do fim da greve dos metroviários.

Tancredo Neves

Previsto para ser inaugurado no começo do ano, este terminal é um dos mais problemáticos para entrar em operação, pois as comunidade do Ibura não aceitam a forma de implantação deste terminal, os maiores problemas são a falta de reuniões conjuntas com o GRCT, CTTU e METROREC, orgãos envolvidos mais que diretamente para implantação deste terminal, em relação a CTTU, sistema viário precário e sem prioridades para os ônibus, usuários e lideranças reclamam do abandono da principal via da Ibura, Av. Dois Rios, com seus constantes engarrafamentos, além de uma Mascarenhas de Moraes sem Priorização para os ônibus.

Com relação ao Metrorec, nenhum representante do metrô compareceu às reuniões das comunidades junto com o GRCT, o que deixou muitas lideranças indignadas devido a fatos que poderiam ser esclarecidos pelo próprio metrô, como por exemplo a chegada de novas composições, intervalos entre outros.

Depois de resolver estas pendências, este terminal entrará em operação provavelmente com 21 linhas em sua maioria oriundas do Ibura, além de novas linhas que integraram ao Bairro de Boa Viagem e Candeias.

As linhas alimentadoras terão cada uma seu espaço de embarque tipo plataforma, para evitar furões de filas.

Além destas linhas, serão criadas as Linhas Tancredo Neves/Macaxeira, Tancredo Neves/Cde da Boa Vista e Tancredo Neves/IMIP.

O certo é que estes dois terminais vão mudar radicalmente a vida de milhares de pessoas, seja para o lado bom, seja para o lado ruim, porém é uma estratégia do governo integrar não somente as linhas da área sul, mas de todos os bairros da região metropolitana com a ampliação do SEI (sistema Estrutural Integrado).

Fonte:  Blog Meu Transporte postado por Clayton Leal

*****

DIREÇÃO DO PT ACERTA NA ESCOLHA DO CANDIDATO: Humberto Costa assume a liderança da sucessão

16.06.2012
Do portal G20TOTAL
Publicado por Marcelo Mesquita
A entrada do senador Humberto Costa na disputa eleitoral do Recife como pré-candidato do PT, em substituição ao prefeito João da Costa, modificou significativamente o cenário de intenções de voto na capital pernambucana.

A nova rodada de pesquisa do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IMPN) – feita em parceria com o Jornal do Commercio – sobre a sucessão deste ano revela a liderança absoluta do petista em todas as simulações.
A amostragem, que ouviu 816 eleitores, foi realizada nos dias 11 e 12 deste mês, cerca de uma semana após a decisão da direção nacional do PT de cancelar o resultado da prévia e indicar o nome de Humberto como candidato à PCR. Até o levantamento anterior, divulgado em 18 de março, João da Costa ainda era candidato à reeleição, e aparecia com uma média de 20% das intenções de voto.
A nova pesquisa JC/IPMN apresentou aos entrevistados quatro cenários possíveis para a disputa pela Prefeitura do Recife. Em todos eles, Humberto mantém uma média de 36% das citações, liderando com uma folga de, no mínimo, 18 pontos percentuais sobre o pré-candidato do DEM, deputado federal Mendonça Filho, que aparece sempre em segundo lugar(veja tabela nesta página).
Outra novidade é o posicionamento do pré-candidato do PSDB, deputado estadual Daniel Coelho, que mantém a terceira colocação, sempre com um ponto percentual à frente do deputado federal Raul Henry (PMDB).
O primeiro cenário da amostragem inclui praticamente todos os nomes especulados pelos partidos até agora, à exceção dos nomes ventilados no PSB, fato ocorrido somente após a realização do levantamento.
A distância entre Humberto e Mendonça é a mais curta. O petista aparece com 35% das intenções de voto, contra 17% do democrata. Nessa simulação – como em todas as demais – Daniel Coelho recebeu 5% das citações e Raul Henry, 4%.
Na quinta colocação, com 3%, surge o senador Armando Monteiro Neto (PTB), que não se declara candidato mas tem seu nome especulado. Em sexto ficam o deputado federal Paulo Rubem (PDT) e o ex-deputado Raul Jungmann (PPS), ambos com 2%.
Se for levada em conta a margem de erro da pesquisa, de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, todos os candidatos, a partir da terceira colocação, estão tecnicamente empatados. É relevante, ainda, o índice de 20% de entrevistados que declararam a intenção de votar em branco ou anular o voto, assim como a fatia de 13% que não souberam ou não quiseram responder ao levantamento.
Os pré-candidatos Roberto Numeriano (PCB) e Albanise Pires (PSOL) foram listados, mas receberam citações menores que 1%.
*****

Eleições Recife: PSOL e PSTU trocam farpas em debate na CBN


16.06.2012
Do BLOG DE JAMILDO, 15.06.12
Postado por Vinícius Sobreira

Durante debate que ocorreu na tarde desta sexta-feira (15) na Rádio JC/CBN Recife, os pré-candidatos à Prefeitura do Recife Jair Pedro (PSTU) e Roberto Numeriano (PCB), além do pré-candidato a vereador Edílson Silva (PSOL), trocaram farpas.

Jair Pedro espetou Edílson Silva ao repetir seguidamente que não está disposto a fazer aliança com o PT. A fala de Jair é clara referência à acusação feita por Noélia, de que Edílson teria ligações políticas e econômicas com alguns nomes petistas. A resposta de Edílson foi: "Aqui? Vamos discutir isso aqui?". Em seguida o presidente do PSOL se disse desrespeitado pelo pré-candidato do PSTU. Perguntado se queria dar palavra sobre o embate, Numeriano correu: "Por favor, me mantenha fora disso".

O imbróglio envolvendo a sequer fundada Frente de Esquerda do Recife gira principalmente em torno do PSOL. A sigla inicialmente lançou a procuradora Noélia Brito como pré-candidata. Nos meses seguintesela se desentendeu com o presidente Estadual da legenda, Edílson Silva, e com a cúpula estadual do partido.

Numa convenção realizada no sábado 2 de junho o partido decidiu então substituir a pré-candidatura de Noélia pela da jornalista Albanise Pires. A retirada do nome de Noélia minguou a aliança com o Partido Pirata, que ainda não foi fundado, e acabou com as chances de uma aliança com o PSTU - algo que era interesse do PSTU e para Noélia, mas não do PSOL. O nome de Albanise, no entanto, traz a aliança com o PCB de Roberto Numeriano.

Edílson, que é fundador do PSTU, não tem bom relacionamento com sua ex-sigla. PSOL e PCB devem caminhar juntos, mas ainda não definiram, entre Albanise Pires (PSOL) e Roberto Numeriano (PCB) quem será o vice e o cabeça na chapa. O PSTU irá sozinho e a chapa já está praticamente definida: Jair Pedro com Kátia Telles na vice.

Veja mais fotos do debate na Rádio CBN AQUI.
*****

CRISE EUROPEIA: Na véspera de eleição, líder do Syriza fala como lobo e cordeiro

16.06.2012
Do blog VI O MUNDO, 15.06.12


Alex Tsipras(foto), líder do partido esquerdista grego Syriza, no discurso de encerramento de campanha na Grécia, segundo o Esquerda.Net:

“Não ao memorando da bancarrota. Sim ao euro e a um plano nacional de recuperação da economia que proteja o povo contra o colapso”.

“No domingo, a Grécia vai mudar. Vai deixar para trás o medo e a insegurança e aqueles que tentaram envenenar o povo grego com medo e insegurança, o Sr. Samaras e Sr. Venizelos [líderes da Nova Democracia e PASOK, respectivamente ]“.

“Com o seu voto no domingo no Syriza, as pessoas vão virar as costas aos dois partidos da bancarrota”, aos quais acusou de “pilhar a Grécia” e de “diminuir a bandeira grega, dando-a como um troféu a Angela Merkel”.

Merkel estaria “com medo, porque ela vai enfrentar pessoas que não lhe dizem que sim a tudo”.

“Assustem os terroristas no domingo com o vosso voto”.

“Se a Espanha pode ter financiamento sem condições, por que não pode a Grécia ficar na zona do euro sem um memorando desastroso?”.

“Não ao memorando da bancarrota. Sim ao euro e a um plano nacional de recuperação da economia que proteja o povo contra o colapso”.

“Estamos dispostos a discutir com a Europa a renegociação”.

Aos especuladores: “Na segunda feira, não apostem o vosso dinheiro na saída da Grécia da zona euro. Vão perdê-lo”.
*****
Artigo escrito por Alex Tsipras e publicado no diário de economia britânico Financial Times:
Vou manter a Grécia na zona do euro
por Alexis Tsipras

Que não haja dúvida, meu movimento — Syriza — está comprometido com a manutenção da Grécia na zona do euro.

O presidente Barack Obama estava certo quando disse, na sexta-feira: “Vamos fazer tudo o que pudermos pelo crescimento agora, mesmo enquanto adotamos um plano de longo prazo para estabilizar nossa dívida e nossos déficits, para começar a reduzí-los de uma forma constante e sensível”. Isso também se aplica a meu país. A necessidade de dar uma chance de crescimento real e um novo futuro à Grécia é mais amplamente aceita que nunca.

Eu acredito que vamos obter um mandato claro do povo da República Helênica no domingo. Com aquele mandato vamos adotar medidas imediatas para acabar com os sistemas político e regulatório corruptos e ineficientes da Grécia, que destruiram nossa economia nas últimas décadas. O povo da Grécia também espera que nos responsabilizemos de forma imediata por evitar o aprofundamento da crise humanitária.

O Syriza é o único movimento político da Grécia de hoje que pode dar estabilidade econômica, social e política ao país. A estabilização da Grécia no curto prazo vai beneficiar a zona do euro num momento crítico da evolução da moeda única. Se não mudarmos nosso caminho, a austeridade ameaça nos forçar a sair do euro com certeza ainda maior.

Somente o Syriza pode garantir a estabilidade grega porque não temos a bagagem política dos partidos governistas que trouxeram a Grécia à beira da ruína. É por essa razão que os eleitores apoiam nosso compromisso de tirar o país da beira da destruição. Vamos colocar a Grécia em um novo caminho de crescimento através de um governo transparente. Uma Grécia renovada vai contribuir para as novas fundações de uma Europa mais próxima e unificada. Os acontecimentos na Espanha no fim de semana confirmam que a crise é pan-europeia e que a maneira como foi enfrentada até agora é completamente ineficaz.

O povo da Grécia quer substituir o fracassado e velho memorando de entendimento (assinado em março com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional) por um “plano de reconstrução e crescimento nacional”. Isso é necessário tanto para evitar a crise humanitária na Grécia quanto para salvar a moeda única.

Os problemas fiscais sistêmicos da Grécia são, em grande parte, resultado de baixa arrecadação. A miríade de isenções fiscais dadas a interesses especiais pelos governos anteriores, juntamente com uma baixa taxa de impostos sobre renda pessoal e capital, explicam muito do problema, assim como um método altamente ineficaz de cobrança e arrecadação.

De acordo com a Eurostat, a Grécia está 4% atrás da média de outros governos da zona do euro em arrecadação relativamente ao PIB. O sistema político bipartidário gastou décadas convenientemente ignorando a necessidade urgente de uma reforma eficaz na cobrança de impostos. Focou a arrecadação em uma fonte finita: os domicílios de média e baixa rendas.

Sob nosso plano de reconstrução e crescimento, estamos comprometidos em seguir um programa de estabilização fiscal pragmático e socialmente justo. A estrutura deste programa consiste em: estabilizar os gastos públicos em cerca de 44% do PIB e reorientá-los para garantir que sejam bem executados; aumentar a arrecadação de impostos diretos para a média europeia (por mais de 4%) em um período de quatro anos; e reformar o sistema de arrecadação para identificar a riqueza e a renda de todos os cidadãos e distribuir o peso da taxação de forma equitativa.

A falta de transparência financeira persiste, mesmo enquanto bancos gregos são recapitalizados com empréstimos da troika (União Europeia, FMI e Banco Central Europeu). Vamos garantir que os bancos viáveis sejam recapitalizados de forma transparente, de uma forma que é totalmente compatível com o interesse público. É a única forma de garantir que todo o sistema financeiro volte a ter total estabilidade.

Arthur Miller escreveu que “pode se dizer que uma era terminou quando suas ilusões básicas se esgotam”. A ilusão básica de um bom governo grego sob o velho regime bipartidário se exauriu. O sistema agora é totalmente incapaz de garantir a volta de nosso país ao crescimento e à participação na zona do euro. Este domingo vai levar a Grécia a uma nova era de crescimento e prosperidade.

A nova era começa na segunda-feira.

*****