quarta-feira, 13 de junho de 2012

BLOG MOBILIDADE URBANA:Tem agentes, falta dividi-los

13.06.2012
Do BLOG MOBILIDADE URBANA
Por Tânia Passos
Diario de Pernambuco

Um agente de trânsito para cada mil veículos. Essa é a recomendação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). O Recife dispõe hoje de um efetivo de 583 profissionais para uma frota de 582.900. Nunca se viu tanto agente na rua como agora. A conta só não é mais exata devido à frota circulante na capital de cerca de 1,2 milhão de veículos. Mesmo com o aumento do efetivo a pergunta é: qual o critério de distribuição espacial deles na cidade?

A CTTU dividiu o município em quatro regiões: área 1 (centro), área 2 ( Casa Amarela e Madalena) , área 3 (Afogados e Caxangá) e área 4 (Boa Viagem). Há ainda, os pontos fixos (principais corredores de tráfego) e os rotativos, de acordo com a demanda do dia. Hoje, o Centro da cidade, de maior visibilidade, tem a maior concentração de agentes de trânsito.

Durante dois dias, o Diario foi às ruas do Centro do Recife, Zona Sul e Zona Norte para observar onde os agentes de trânsito estão atuando. No bairro de Casa Amarela, um dos mais populosos da cidade, a reportagem do Diario não encontrou nenhum agente de trânsito na tarde da última segunda-feira, nas imediações do mercado. “Raramente eles aparecem por aqui. E quando vêm é para multar e não para disciplinar o trânsito”, criticou o comerciante Inácio Barbosa do Nascimento, 54 anos.

No mesmo dia fomos até o mercado de São José, um dos bairros centrais do Recife e encontramos duas duplas de agentes de trânsito. No entorno do mercado, que tem bastante vaga de Zona Azul, deixando as ruas quase intransitáveis, o papel deles é verificar se a área está sendo respeitada. Neste dia, todos os carros estavam com os bilhetes da Zona Azul.Mas o trânsito no entorno continuava complicado.

Evitamos os principais corredores, a exemplo da Avenida Agamenon Magalhães, onde a presença dos agentes de trânsito nos cruzamentos já é obrigatória. Também encontramos agentes no cruzamento da João de Barros com a Avenida Norte e na Avenida Cruz Cabugá. De acordo com o diretor de operações de tráfego da CTTU, Agostinho Maia, a distribuição dos agentes tenta suprir as áreas onde há mais reclamação. “Existe uma distribuição nas quatro áreas da cidade. Mas vamos fazendo alterações onde há mais reclamação”, revelou.

Morador do bairro da Várzea, o arrumador Paulo Fernando, 57 anos, diz que raramente encontra um agente de trânsito no seu bairro. “Dificilmente vejo algum aqui no bairro. Quanto mais nos afastamos do Centro, mais difícil encontrar algum”, revelou. Segundo Agostinho Maia, mesmo com o aumento do efetivo não é possível atender toda a cidade de forma satisfatória. “Não somos responsáveis apenas pela nossa frota. Na cidade circulam mais de um milhão de veículos e não é possível atender todos os lugares”, afirmou.
******

A direita nas cordas

13.06.2012
Do blog ONI PRESENTE
Por Eron Bezerra *

Durante 500 anos a direita governou e a esquerda fez oposição, o que fez com que o senso comum passasse a estabelecer, quase como sinônimo, que “governo é direita” e “oposição é esquerda”, numa evidência de que às vezes a forma acaba determinando o conteúdo.

Mas o fato é que direita não é governo e tampouco oposição é esquerda. Direita e Esquerda são posicionamentos ideológicos, estão relacionados a doutrina, programa e plataforma política, enquanto governo ou oposição são posicionamentos políticos e se refere exclusivamente a quem ganhou o poder político e, portanto, tem o direito de governar e os que eventualmente perderam as eleições que, a rigor, devem fazer oposição.

A direita não tem escrúpulos. Usa todos os métodos e recorre a qualquer expediente para obter e se manter no poder. O seu braço político, tanto no executivo quanto no legislativo, a quem geralmente se atribui um grande papel, são apenas a parte mais visível, mas de poder real geralmente limitado. O real poder da direita está no seu enorme poderio econômico, nos seus meios de comunicação, na difamação dos adversários e seus instrumentos de repressão.

No auge da guerra fria, a direita usou a CIA e outros instrumentos para disseminar mundo a fora a versão de que os “comunistas comiam criancinhas, matavam idosos” e outras barbaridades. Aliciava mercenários para sabotarem a economia de países que não se perfilavam acriticamente ao modelo americano e, sem qualquer cerimônia, articularam e patrocinaram a deposição de dezenas de governos legitimamente eleitos e que “ousaram” adotar uma postura política progressista, como ocorreu no Brasil e dezenas de países da América Latina e da África.

Hoje a direita precisa recorrer a outros métodos, especialmente desde que pela primeira vez, no caso do Brasil, perdeu as eleições em 2002.

Inicialmente acreditava que um operário metalúrgico, sem formação acadêmica e sem riqueza material, ou seja, alguém que não era dos seus, jamais poderia fazer um bom governo. Quando o presidente Lula não apenas começou a se revelar um grande gestor, mas especialmente adotando políticas populares que viriam a notabiliza-lo como um dos maiores presidentes desse país a direita não se fez de rogada: desencadeou contra ele, pelos meios de comunicação, uma das mais violentas campanhas contra um mandatário, cujo ápice foi o chamado “mensalão”.

A direita não lembrava e, mais provável, acreditava que os seus pares, donos dos grandes meios de comunicação, não permitiriam que viesse a tona que o “mensalão” foi uma invenção do PSDB mineiro do governador Eduardo Azeredo, posteriormente presidente e senador pela sigla.

Desmascarada no episódio do mensalão, ela finge que o problema não é com ela. Mas como a corrupção é uma prática recorrente da direita – que alguns do campo da esquerda se encantam – logo em seguida estourou os escândalos de corrupção do Distrito Federal, conhecidos como “mensalão do DEM”, comandados pelo governador José Roberto Arruda. Os cânticos entoados por mensaleiros – na macabra cerimônia de agradecimento pela propina recebida - ainda ecoavam pela esplanada quando o escândalo de Goiás, que envolve diretamente o governador Marconi Perilo (PSDB) e o contraventor Carlinhos Cachoeira.

Mas, pasmem o noticiário do final de semana nas ditas grandes revistas não menciona sequer um desses inúmeros personagens, não apenas envolvidos, mas patrocinadores de grandes esquemas de corrupção. A direita repete a sua velha tática: procura desmoralizar os adversários e blindar os seus. Mas o fato é que ela se tem a proteção dos seus esquemas, está cada vez mais isolada no seio do povo. Objetivamente ela está nas cordas, como se diz na luta de Box.

* Secretário de Produção Rural do Amazonas, Membro do CC do PCdoB, Secretário Nacional da Questão Amazônica e Indígena e doutorando em "Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia".

*****

Depois de Agnello, Perillo abre sigilos. Cadê os valentões ?

13.06.2012
Do blog CONVERSA AFIADA, 
Por Paulo Henrique Amorim


Vamos ver o que sai da toca. Do PT e do PSDB
Saiu no R7:

CPI quebra nesta quinta-feira (14) sigilos de Agnelo e Perillo

Depois que Agnelo liberou seu sigilo, governador de Goiás consentiu em liberar dados

Os sigilos bancário, telefônico e fiscal dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO) e Agnelo Queiroz (PT-DF) deverão ser quebrados na próxima quinta-feira (14). A articulação para a quebra dos dois sigilos começou logo depois que Agnelo ofereceu acesso aos seus dados pessoais no início da sessão da CPI.

Imediatamente, as bancadas do PT e PDT, através do deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), elaboraram o requerimento que será votado e aprovado na próxima quinta. Nos planos governistas, o requerimento serviria para quebrar os sigilos dos dois governadores, e não só de Agnelo.

Ao saber da movimentação da bancada do governo, o governador goiano informou aos aliados que também “oferecia” seu sigilo e que eles deveriam votar a favor.

Leia mais notícias no R7

O consentimento de Perillo foi dado ao líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE), durante um telefonema nesta quarta-feira (13), durante depoimento de Agnelo à CPI.

O requerimento para a quebra de sigilo dos dois governadores foi apresentado por 16 parlamentares e será votado amanhã.


Navalha
Seria interessante rever as cenas de explícita valentia da bancada do tucano e peemedebista Perillo, na sessão de ontem na CPI.
(Quem é mais Perillo – os tucanos ou o PMDB ?)
Agora, fica 0 a 0.
Vamos ver o que sai da toca.
Do PT e do PSDB.
Quem sabe o amigo navegante consegue tirar a dúvida cruel, que se espelha na trepidante enquete: quem comprou a casa do Perillo ?
Paulo Henrique Amorim

*****

WILLIAM WAACK, ESPIÃO DOS EUA?Quem deve teme?


13.06.2012
Do blog BRASIL QUE VAI
 Postado por Luiz Cezar 

Hoje estarei no Fórum João Mendes em São Paulo para depor em favor da Record na ação que lhe move a rede Globo por reproduzir matéria do Blog Brasil que Vai em outubro passado, a qual repercutia matéria do wilileaks sobre envolvimento do jornalista Wiliam Waack com o governo americano.

O mesmo jornalista aciona o Google para que forneça informações sobre o blogueiro a fim de que possa processá-lo. A acusação? Haver chamado Waack de informante do governo americano, depois de diversos Blogs terem comentado os documentos sigilosos da embaixada daquele governo no Brasil.

A danação de Waack foi com o fato de darem um nome ao seu papel, o de informante. Como quem deve teme, o jornalista tratou logo de interpretar a palavra pelo seu sentido ficcional de agente secreto ou coisa que o valha.

Pouco afeito ao sentido original das palavras, porque acostumado a adaptá-las às conveniências da emissora para que trabalha, o jornalista não se importou de ir ao dicionário e constatar que informante é quem informa, e nada mais.

O mesmo que fez a Record ao registrar no site R7 que o Blog havia caracterizado o jornalista como informante. Este é um fato, e não incomum. Não é normal que um jornalista compareça a representações estrangeiras traçando perfis de postulantes à presidência de seu País a fim de posicionar-lhes sobre quem é mais ou menos palatável a tal governo.

Mas não foi a Record que opinou sobre a atitude do jornalista. Foi o jornal eletrônico mais acessado dos Estados Unidos, o Huffington Post, que por meio do articulista Eric Ehrmann considerou no mínimo impertinente a atitude de Waack e insinuou a existência de vínculos dele  com Tom Enders , que atuou como encarregado do Departamento de Estado dos E.U.A. para assuntos latino-americanos durante o governo Reagan.

O noticioso foi além: disse que Enders, por sua vez, é ligado ao também jornalista e chefe de inteligência do Departamento de Estado americano Cord Meyer que, na época dos regimes militares no continente, montou uma rede de colaboradores no meio jornalístico. Citou uma organização secreta, denominada “a chave e o manuscrito”, a que ambos – Meyer e Enders – seriam ligados.

Vê-se pelos alvos que Waack coloca sob a mira que sua intenção não é esclarecer fatos, mas sim a de calar aqueles que, fora da poderosa Globo, portam-se apenas como simples cidadãos desejosos de resguardar as instituições nacionais da influência de governos de outros países.  
*****

FALSA ACUSAÇÃO DA MÍDIA GOLPISTA: Comissão de Ética absolve Orlando Silva

13.06.2012
Do BLOG DO MIRO, 12.06.12
Por Kerison Lopes, no sítio Vermelho

A Comissão de Ética da Presidência da República absolveu nesta segunda-feira (11) o ex-ministro do Esporte, Orlando Silva, da denúncia sobre supostas irregularidades no Programa Segundo Tempo. O processo foi aberto em 17 de outubro, baseado em notícias publicadas na revista Veja. Em entrevista dada após a reunião que tomou a decisão, o presidente Sepúlveda Pertence informou que “a Comissão arquivou a denúncia contra Silva por absoluta falta de provas”.

Orlando Silva, em entrevista ao Vermelho, disse que essa foi a “primeira vitória na cruzada em defesa da justiça e da verdade”. O ex-ministro conta que sabe como é longo o caminho da justiça brasileira e que está percorrendo todos os passos para provar a verdade contra as calúnias que foram divulgadas. Ele lembrou que a denúncia analisada na Comissão de Ética foi iniciada em um processo “a partir de mentiras publicadas na revista Veja”.

 

“É importante essa decisão da Comissão de Ética, pois depois de longo processo de análise, conclui-se que não existe absolutamente nenhuma prova contra mim”, analisa Orlando, que comentou estar tomando todas as medidas para que a verdade seja restabelecida. “Continuo, por exemplo, com os processos que movo contra os delinquentes que me caluniaram”.

 

Orlando agradeceu o carinho e a solidariedade de tantos amigos e companheiros que se manifestaram no Facebook e no Twitter. Comentou também como é injusta a cobertura da imprensa, pois quando foi aberto o processo na Comissão foi feito muito alarde com manchetes garrafais. Já a sua absolvição sai publicada apenas em poucas linhas de um ou outro jornal.

As voltas que o mundo dá

Oito meses separam a data em que foi aberto o processo na Comissão de Ética até o dia da absolvição de Orlando Silva. Neste período, a verdade vem cada vez mais à tona. E não se trata apenas da decisão tomada pela Comissão nesta segunda-feira.

 

A revista Veja, que foi a ponta de lança das calúnias contra Orlando e o PCdoB, passou de acusadora a ré. As gravações obtidas pela Polícia Federal provaram que a revista faz parte da máfia comandada pelo bandido Carlinhos Cachoeira, que se encontra preso. O editor da Veja, Policarpo Júnior, agia como funcionário de Cachoeira, que era o verdadeiro editor da revista. Suspeita-se inclusive, que o bandido pode ter plantado nas suas páginas também as mentiras contra Orlando.

Outro que trocou de cadeira no tribunal foi o senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO). Ele era a voz que mais gritava mentiras no plenário do Senado e nos microfones do PIG na crise deflagrada no Ministério do Esporte. Hoje, é um morto vivo que mal aparece no Senado, ou dá as caras apenas em dias de depoimentos em processos que terminarão com a cassação do seu mandato. Também ele é membro da quadrilha do bandido Cachoeira. Só não sai preso do Senado, porque estamos no Brasil.



E quem se lembra do policial bandido João Dias, que serviu como caluniador contra o PCdoB. Poucos meses depois, protagonizou uma série de atos criminosos, sendo preso por mais de uma vez. Uma de tantas que aprontou, foi esparramar 200 mil reais dentro do Palácio dos Buritis, sede do Governo do Distrito Federal. Contido pelos seguranças, bateu em funcionárias, quebrou um dedo de um policial e saiu preso. Sabe-se lá porque, hoje está recluso graças a algum “Cala Boca”.



Quanto aos parlamentares da oposição, que desfilavam calúnias no período, estão bastante ocupados na manhã desta terça-feira. Devem estar inventando argumentos para tentar defender o governador tucano de Goiás, Marconi Perillo, que se encontra sentado como depoente na CPI do Cachoeira. O goiano é acusado de ser sócio, parceiro, subserviente ao bandido Cachoeira, que inclusive foi preso dentro de uma casa que foi do governador.
 ******
Fonte:http://www.altamiroborges.blogspot.com.br/2012/06/comissao-de-etica-absolve-orlando-silva.html

Collor anuncia seis ações para impedir Gurgel e esposa

13.06.2012
Do blog ESQUERDOPATA

O ex-presidente Fernando Collor aproveitou as luzes da CPI do caso Cachoeira para anunciar, há poucos instantes, seis representações abertas por ele contra o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e sua esposa, Claudia Sampaio Marques, tanto na esfera cível como criminal. “O procurador-geral usa as investigações que chegam a ele contra autoridades com prerrogativa de foro privilegiado como moeda de troca”, disse o ex-presidente.

Numa das representações, Collor acusa Gurgel de prevaricação, artigo 319 de Código Penal, por ter engavetado as investigações contra o senador Demóstenes Torres. Ele também anunciou uma outra investigação contra o procurador-geral pelo crime de responsabilidade. “Ele será julgado aqui no Senado”, disse Collor, que não esconde a intenção de promover o impeachment de Gurgel.

O ex-presidente também aproveitou seu espaço para atacar o que chamou de “organização criminosa” Veja, que atuaria em conjunto para destruir reputações e que teria como “pilar central” o jornalista Policarpo Júnior, diretor da sucursal brasiliense da revista.

*****

Lula ajudará Humberto a reconstruir unidade em PE

13.06.2012
Do jornal FOLHA DE PERNAMBUCO, 12.06.12
Publicado por José Accioly

Além de sair com a “benção” à candidatura para concorrer a Prefeitura do Recife (PCR) em outubro deste ano, o senador e pré-candidato, Humberto Costa (PT), deixou a reunião com o ex-presidente Lula com a certeza de que a maior estrela petista o ajudará na (re)construção da unidade na Frente Popular em Pernambuco. Nos últimos meses, partidos da coalizão ensaiam lançar candidaturas próprias à PCR, antecipando um rompimento previsto para 2014. Lula assegurou a importância da união entre as legendas em torno da candidatura do PT, porém o postulante não entrou em detalhes como o ex-presidente atuará nesse processo.

De acordo com Humberto Costa, Lula “mergulhará” de cabeça e demonstrará total engajamento em sua campanha, assim que as condições de saúde favorecer o ex-presidente. Lula, ainda segundo o petista, afirmou que participará de eventos de rua em favor do pré-candidato e através das redes sociais. A expectativa é que o ex-presidente também faça aparições nos programas partidários de Humberto, pedindo votos para o petista, durante a campanha.



“Saí da reunião com a melhor impressão possível. O ex-presidente Lula reafirmou total apoio a minha candidatura e disse que vai se engajar integralmente e que vai participar dos atos públicos e eventos de rua assim que tiver condições de saúde, que melhorar a voz. Ele também promete ajudar através da mídia eletrônica, pelas redes sociais”, afirmou Humberto Costa, ao Blog da Folha.

“O ex-presidente garantiu que vai trabalhar pela unidade da Frente Popular em Pernambuco. Ele não entrou em detalhes de como fará esse trabalho, mas ele ressaltou a importância de manter toda a Frente unida. O ex-presidente disse que o PT tem toda a legitimidade para permanecer na Prefeitura do Recife”, acrescentou o pré-candidato petista.



No mesmo dia em que o senador e pré-candidato teve um encontro com o ex-presidente Lula e o dirigente nacional do PT, Rui Falcão, o governador e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, falou pela primeira à Imprensa desde que foi especulado o possível lançamento de uma candidatura socialista à PCR. Em ato público no Palácio do Campo das Princesas, nesta tarde, o gestor pernambucano negou rompimento com o PT. Nos bastidores, Eduardo, ao lado de Lula, é apontado como os principais agentes pela indicação de Humberto Costa à Prefeitura do Recife.
*****
Fonte:http://www.folhape.com.br/blogdafolha/?p=30204

‘O candidato é Humberto’, diz Rui Falcão

13.06.2012
Do jornal FOLHA DE PERNAMBUCO
Publicado por Valdecarlos Alves



Um dia após o encontro de Lula com o senador Humberto Costa, em São Paulo, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, ratificou que o candidato a prefeito no Recife pelo partido é o parlamentar petista, homologado pela executiva nacional e “ungido” pelo ex-presidente da República. Em entrevista à Rádio Jornal, Rui Falcão agiu como emissário de Lula ao afirmar que o ex-presidente irá participar das inserções de rádio e TV em favor de Humberto Costa.
Sobre o recurso de João da Costa, onde o gestor reivindica o direito à reeleição, o dirigente petista disse que o prefeito não será impedido de se defender até a última instância e o partido convocou uma reunião extraordinária do diretório e seus 84 membros para o próximo dia 25, em Brasília.No entanto, Falcão diz ter “expectativa” que Humberto continue candidato, embora o diretório tenha o poder de decisão. “Ele (João da Costa) sabe que o artigo 11 do nosso código de ética faz que todos assumam o compromisso de não se julgar candidatos natos e, portanto, não recorrerem na justiça invocando esse direito”.
O risco de João da Costa recorrer ao Judiciário, ao sofrer uma derrota no diretório,  foi praticamente descartado por Rui Falcão por entender que todos que seguiram por esse caminho não teve o direito reconhecido nesses casos.  Segundo ele, a Justiça considera uma decisão exclusiva partidária e dos estatutos políticos das legendas. “Nunca ninguém que recorreu ao Judiciário teve o seu direito garantido nesses casos. Normalmente, a Justiça Eleitoral considera essas questões inter corporis, ou seja, decisões exclusivas dos estatutos e regimentos dos partidos políticos”.
O presidente petista descartou uma expulsão do prefeito, que insiste em recorrer da decisão da executiva nacional em favor de Humberto.  “Consideramos João da Costa um companheiro valoroso e não cogitamos sua expulsão. Pelas conversas que tivemos com ele, não acredito que ele irá ao Judiciário”, assegurou Falcão.

******

Cerra se enrola no mensalão tucano

13.06.2012
Do blog CONVERSA AFIADA, 12.06.12
Por Paulo Henrique Amorim

Por sugestão do amigo navegante LeandroS, acompanhe as atribulações do Padim Pade Cerra com o mensalão do Arruda (vote num careca e leve dois) e o do Eduardo Azeredo, presidente do PSDB. (Quem também é da direção nacional do PSDB é o Leréia.)

Acompanhe a irritação dele ao enfrentar uma repórter que trabalha fora de São Paulo e não parece encarcerada no PiG (*).

Quando o Padim irá à sabatina na Record News ?

Paulo Henrique Amorim

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

*****

UM HOMEM QUE LUTOU CONTRA A DITADURA MILITAR, POR ISSO MÍDIA GOLPISTA O ODEIA: ¿Por qué no lo matan?

13.06.2012
Do blog ESQUERDOPATA, 12.06.12
Os jornais contam a trajetória de José Dirceu sempre a partir de 2004, como se ele tivesse nascido com o mensalão. Seu passado de luta é esquecido
Fidel Castro estava fascinado pela beleza e graça das irmãs Nabuco -Nininha e Vivi-, filhas dos anfitriões dona Maria do Carmo e José Nabuco, que abriram as portas da mansão da rua Icatu, no Rio de Janeiro, para recepcionar o líder da vitoriosa revolução Cubana.

Ela viera para agradecer ao embaixador brasileiro em Cuba que, durante os duros tempos de luta contra o ditador Batista, deu apoio aos guerrilheiros do exército fidelista.

Intelectuais e políticos de todas as tendências se misturavam nos salões. Todos procuravam Fidel para tirar um papo, mas o comandante só tinha olhos para Nininha e Vivi.

O pessoal da esquerda, quando conseguia um pouco de atenção, aproveitava para falar mal de Carlos Lacerda, governador da Guanabara.

Cansado e irritado, meio em tom de "broma", de ouvir as queixas contra Lacerda, Fidel, querendo se ver livre, mandou: "¿Lacerda es un hombre como nosotros? ¿Tiene brazos, piernas? ¿Camina por la calle?"

"Si, si", disse um dos "reclamões".

"¿Entonces por qué no lo matan?", disse Fidel, encerrando o papo.

O episódio não me sai da cabeça quando leio, quase todo dia, notícias sobre José Dirceu nos jornais.

O tom é sempre de acusação, tratando de atos e práticas ilegais como se ele, na sua trajetória de animal político militante corajoso, só tivesse contabilizado ações negativas.

Sua trajetória é sempre contada a partir de 2004, como se tivesse nascido com o "mensalão". Não se fala na sua trajetória de líder estudantil que se entregou de corpo e alma à luta contra a ditadura militar. Prisão, exílio, retorno ilegal ao Brasil, clandestinidade -Dirceu jogou sempre toda sua energia pela democracia.

Anistiado, se filiou ao PT, coerente com sua visão de mundo.

Sua disciplina, sua vocação de estrategista, sua capacidade de trabalho e seu talento de transformar teoria em ação o elevaram a líder do PT. Afirmou-se assumindo sem medo a tarefa de acomodar no partido as diversas tendências, desde as mais radicais de esquerda às quase conservadoras, consolidando o primeiro partido de massa do Brasil.

Dirceu, apesar de sua formação de classe média e conhecimento acadêmico, teve a capacidade e humildade de entender o papel reservado a Lula. Reconhecendo a sua inegável qualidade de líder de massa, soube estruturar com o PT e a sua militância a grande revolução pacífica e democrática acontecida em toda a história republicana do Brasil.

Nos primeiros dois anos, a desconfiança das classes dominantes em relação ao governo Lula era enorme, como confidenciou-me um parrudo banqueiro: "Não sabíamos qual seria o exato momento que o governo Lula viraria a mesa".

Não se pensava noutra coisa a não ser evitar que Dirceu tivesse tempo e espaço para isso. Num desses almoços de entidades empresariais, ouvi o seguinte: "Zé Dirceu é a cabeça pensante, Lula é o líder mobilizador do sentimento popular. Vamos cortar a cabeça que o corpo cai".

Os oito anos de Lula serviram para destruir o mito de virada de mesa; o que o Lula virou mesmo foi o jogo do poder, priorizando políticas para as áreas social e econômica, o que resultou no Brasil de hoje, cada vez mais sólido internamente e respeitado internacionalmente.

O governo Lula mostrou também que José Dirceu não é uma cabeça sem corpo e que nem Lula é um corpo sem cabeça. Eles são carne e osso, são "hombres como nosotros y caminan por las calles".

"¿Entonces por qué no los matan?"

LUIZ CARLOS BARRETO, 84, é produtor cinematográfico. Produziu, entre outros, "Lula, o Filho do Brasil", "Dona Flor e seus Dois Maridos", "O que é Isso, Companheiro?", "O Quatrilho" e "Bye, Bye, Brasil"

****

PERGUNTAS QUE GILMAR MENDES PRECISA RESPONDER PARA TODA SOCIEDADE BRASILEIRA: : Qual banco emprestou R$ 8 milhões para Gilmar Mendes acalmar seu sócio?

13.06.2012
Do  blog ESQUERDOPATA, 11.06.12
Por Paulo Salvador, da Rede Brasil Atual

Essa é a principal pergunta que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) deverá responder com urgência. E que o Conselho Nacional de Justiça também se deve fazer. Em reportagem da revista CartaCapital desta semana, o jornalista Leandro Fortes apurou que Inocêncio Coelho, um dos sócios de Gilmar Mendes em um negócio privado chamado Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), acusou Mendes de desfalques e de sonegação fiscal.

Para resolver o suposto "litígio" com Coelho, Gilmar Mendes e seu também sócio Paulo Gustavo Gonet Branco desembolsaram R$ 8 milhões, obtidos por meio de empréstimo bancário, conforme relata o repórter: "Em uma nota lacônica, a assessoria do instituto alega que 'as irregularidades que foram detectadas' pela auditoria foram sanadas. Afirma ainda que os R$ 8 milhões pagos ao ex-sócio foram levantados graças a um empréstimo bancário'". 

Com o montante, afirma a reportagem, Mendes e Branco sepultaram o processo. "De onde os servidores públicos de carreira, sócios de uma empresa em estado pré-falimentar, tiraram tanto dinheiro é uma boa pergunta", prossegue Fortes.

Em oposição, a revista Veja ignora o assunto e torna-se mais uma vez um panfleto partidário de ataque a Luiz Inácio Lula da Silva e ao PT. Sua seção de cartas, que recebe milhares de mensagens. publica 14 atacando Lula e o governo Dilma, outras nove enaltecendo o pastor evangélico Silas Malafaia e duas elogiando o texto "prazeroso" de Reinaldo Azevedo, blogueiro da revista costumeiramente agressivo.

Embora a capa seja a história de Elize Matsunaga, a "mulher fatal" que confessou o assassinato do marido, sua principal matéria é o julgamento do mensalão. Em "Encontro marcado com a Justiça", a revista traz de novo um enorme nariz de cera, que, na linguagem jornalística, trata-se de comentário pouco informativo e pré-julgando os acusados para reafirmar o "desespero de Lula e o tiro no pé com a CPI do Cachoeira" – para a qual Veja poderá ser convocada.

Veja destila ódio. Numa reportagem que até poderia ser honesta sobre a Rio+20, em meio à discussões sobre o planeta, ataca as terras indígenas e elogia o agronegócio. Veja SP aproveita a Parada LGBT, ignora a luta contra a homofobia que pautou vários jornais paulistanos, e sai com a reportagem "arco-iris de intrigas", sobre supostos desentendimentos entre militantes da Parada.
****
Fonte:http://esquerdopata.blogspot.com.br/2012/06/qual-banco-emprestou-r-8-milhoes-para.html

JORNAL CIÊNCIA: Medicina cadavérica: suor de morto, fígado cru e gordura humana eram usados como “cura” de doenças

12.06.2012
Do portal  JORNAL CIÊNCIA, 11.06.12
Por  Tatiana Rocha


Os médicos da antiguidade já sabiam que uma colher de açúcar ajuda o remédio a descer.
Mas na medicina com cadáveres, que tinha como ideia principal tratar doenças por meio da ingestão de partes e fluidos corporais, nem mesmo um adoçante faria diferença. Uma lista de estranhas invenções canibais revela os tratamentos feitos com órgãos, pomadas de gordura humana e restos de terra que ficavam sobre corpos embalsamados.

Apesar de nada atraente, muitos médicos exerceram esse tipo de medicina ao longo dos séculos, visando tratar uma série de doenças e promover a boa saúde. Ela foi utilizada entre os séculos 12 e 17 para curar desde dores de cabeça até úlceras de estômago.

Um dos tratamentos estava ligado a uma receita chinesa antiga e bizarra, que apareceu em um compêndio do naturalista Li Shih-chen, publicado em 1597. Ele envolveu o uso de um voluntário do sexo masculino com 70 ou 80 anos, que foi alimentado somente com mel até sua morte, que ocorreu após um mês. Ele então foi enterrado num caixão cheio de mel e envelhecido por 100 anos. Quando os lacres fossem quebrados, sua composição poderia tratar membros quebrados e feridos.

 

Outro remédio da medicina com cadáveres foi o Gotas do Rei, que se tornou popular graças ao apoio real de Charles II, da Inglaterra. Charles tornou-se muito interessado em química durante seu exílio na França e comprou os direitos sobre o remédio de Jonathan Goddard, um famoso cirurgião e professor da Gresham College de Londres, por £ 6.000. As gotas eram feitas de essência de crânio humano em pó, com o intuito de promover saúde e vigor.

Louise Noble, uma professora de Inglês da Universidade de New England, na Austrália, pesquisou o remédio para seu livro “Canibalismo Medicinal na Literatura e Cultura Inglesa Moderna” (tradução livre), de 2011. Ela diz: “O remédio surgiu a partir de ideias homeopáticas. ‘Semelhantes sendo curados por semelhantes’. Por isso você come pó de crânio para dores na cabeça”, explica.

Ainda mais perturbadores eram o fígado e o sangue de gladiadores – um medicamento da Roma antiga contra a epilepsia. Os ingredientes eram coletados imediatamente após ataques fatais no anfiteatro. As pessoas podiam ser encontradas bebendo sangue diretamente do braço de um gladiador caído.

Pior ainda: no século 17, cérebros destilados também foram usados como uma cura para a epilepsia. O médico inglês John French e o químico alemão Johann Schroeder indicaram ambas as receitas para a cura do cérebro.

French recomendou moer o cérebro de um jovem morto violentamente em uma polpa. Em seguida, devia-se embeber em vinho e esterco de cavalo durante um semestre antes da destilação. Schroeder pediu uma tintura cerebral mais floral, infundindo três quilos de cérebro humano com água de lírio e lavanda. 

Também no século 17, o médico inglês George Thomson acreditava que nenhuma parte do corpo humano devia ir para o lixo, incluindo os excrementos. O suor de um homem morto curava hemorróidas, mas se não fosse possível capturar a transpiração, poderia sempre esfregar a mão do cadáver sobre a área afetada. Da mesma forma, o toque da mão de um homem enforcado foi considerado por muitos como curativo para cistos e verrugas. Existem relatos até mesmo no século 19. 

A gordura humana, muitas vezes misturada com gordura animal, sangue, medula e cerveja, foi utilizada pelos médicos ao longo dos séculos para curar dores nas articulações e nos ossos, dores musculares e danos nos nervos. Em algumas regiões da Europa, criminosos executados e combatentes eram levados para os laboratórios de processamento, onde seus corpos eram cozidos e sua gordura processada.

 

Porém, parece que nem todos esses tratamentos foram abandonados na antiguidade. No mês passado, foi noticiado que funcionários aduaneiros da Coréia do Sul apreenderam milhares de pílulas cheias de carne humana em pó. As cápsulas são requisitadas por serem consideradas um medicamento que pode curar tudo. O comércio sombrio está sendo executado a partir de China. Supõe-se que sejam bebês abortados ou natimortos.

Os medicamentos

Pó da Múmia: Usado entre os séculos 12 e 17 para curar tudo, desde dores de cabeça até úlceras estomacais. Ele representava os restos mortais dos antigos reis do Egito, mas o mais provável é que fossem ossos em pó de plebeus escavados a partir do cemitério mais próximo. 

Homem do Mel: Receita chinesa de 1597. Um voluntário foi morto após ter sido alimentado somente com mel durante um mês. Ele foi enterrado em um caixão cheio de mel. Após 100 anos, ele deveria ser desenterrado para que as pessoas se alimentassem de sua carne doce. Servia para curar ossos quebrados. 

Gotas do Rei: Popularizado por Charles II, o líquido foi feito a partir do crânio humano. Era destinado a promover vigor. 

Fígado e Sangue de Gladiadores: Criado pelos romanos, visava curar a epilepsia. 

Espírito de Cérebros Humanos: Durante o século 17, alguns médicos britânicos prescreviam a polpa do cérebro destilada de um homem violentamente morto para curar todos os males cranianos.

Suor de um Moribundo: Também em 1800, o suor do doente terminal era dedicado para curar hemorróidas. 

Pomada de Gordura Humana: Ajudava a aliviar dor nas articulações e musculares. A gordura dos mortos era colhida e misturada com cerveja. Essa prática pode ter sido utilizada na Holanda até 1920. 

Cápsulas Tai Bao: Recentemente, os restos mortais de bebês em pó foram encontrados dentro de cápsulas na Coréia do Sul. Elas têm o propósito de ser uma cura para a asma.
*****
Fonte:http://www.jornalciencia.com/inusitadas/bizarro/1769--medicina-cadaverica-suor-de-morto-figado-cru-e-gordura-humana-eram-usados-como-cura-de-doencas-?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+jornalciencia%2FmnER+%28Jornal+Ci%C3%AAncia%29