Pesquisar este blog

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Apoio do PSB levará o prefeito João da Costa ao palanque, aposta Humberto


11.06.2012
Do portal do jornal FOLHA DE PERNAMBUCO
Por VALDECARLOS ALVES, Do Blog da Folha

Senador acredita que não haverá instabilidade dentro do partido

O senador Humberto Costa (PT), nome indicado pela executiva nacional do PT para a Prefeitura do Recife, acredita que, assim que o PSB sinalizar apoio à sua candidatura, abrirá caminho para um entendimento com o prefeito João da Costa, rifado da disputa após ter vencido as prévias do PT no dia 20 de maio. “A partir do momento em que tivermos uma sinalização mais forte da Frente, essa disputa vai se tornando cada vez mais residual. Não acredito que haja essa situação de intranquilidade”, aposta Humberto. 

Em entrevista à Folha de Pernambuco, no último sábado (9), o petista se mostrou o tempo todo tranquilo quanto ao desfecho da sucessão no Recife. Disse, inclusive, que não há possibilidade de o prefeito inverter o atual quadro, ingressando com recurso no diretório nacional da sigla. “Não vai ter sequer seguimento para a nacional porque quem tem autonomia para tomar essa decisão é a executiva”, disse.

Unidade

Não imaginava descer do avião aqui e já ter um comício preparado com todos os partidos. Quem tem experiência política e valoriza a política sabe que não é assim que as coisas acontecem. Sabe que a gente tem que sentar, conversar, ouvir... Unidade não se faz por gravidade e dizer ‘agora eu sou candidato’ e esperar que todo mundo venha. Não é assim. A gente vai sentar e conversar . Já estou começando a fazer isso. Infelizmente a gente pegou um feriado (Corpus Christi) e tem gente que está viajando. Mais alguns dias e essa questão estará melhor posicionada.

PSB

O PSB ficou preocupado com uma questão que acho que todo mundo tem que se preocupar. Qual é o grau de segurança política e jurídica da decisão que foi tomada? Eles não tinham esse conhecimento e agora já têm. A decisão tomada pelo PT foi juridicamente perfeita porque foi tomada de acordo com o estatuto e regimento do PT e totalmente harmonizada com a legislação partidária no Brasil. Lógico, que todo mundo tem direito de procurar recursos, mas a possibilidade disso prosperar acredito que é nenhuma. A partir do momento que eles (os socialistas) tiverem essa certeza, as coisas passam a ter uma outra dimensão. O questionamento que estava sendo feito não era político à minha pessoa ou à legitimidade da decisão do PT, mas do que ainda poderia acontecer nesse ambiente tão conturbado que a gente viveu até agora.

RECURSO

O diretório delegou à executiva nacional para ela resolver não só esse assunto como outros também. Esse recurso (do prefeito) não vai ter sequer seguimento para a nacional porque quem tem autonomia para tomar essa decisão é a executiva nacional. A maioria do diretório nacional é a mesma que existe na executiva. Não vai ter uma decisão diferente. Por outro lado, vários segmentos, inclusive que deram suporte à demanda do prefeito na executiva, estão preocupados com a continuidade desse processo que está havendo aí . Acham que o partido não pode ser prejudicado por uma disputa que acabou. Eu não posso ficar olhando para trás, tenho que olhar para a frente. Estou olhando para o Recife. Eu quero o Recife em primeiro lugar.

Instabilidade

A partir do momento em que tivermos uma sinalização mais forte da Frente, essa disputa vai se tornando cada vez mais residual. Não acredito que haja essa situação de intranquilidade. Agora, a unidade do PT é um processo que precisa ser construído e vai ser construído. Demora um pouco mais do que a unidade da Frente, até porque a gente viu como a disputa aconteceu. Eu tenho certeza que a Frente vai ter essa compreensão. Quem é que ganha com o rompimento da Frente Popular na cidade do Recife? Eu não consigo identificar ninguém. Talvez só a oposição. Mas o PSB, a Frente Popular, o governador Eduardo Campos, o senador Armando Monteiro Neto (PTB)? Ninguém ganharia com isso.

EDUARDO

Logicamente, que um posicionamento do governador mudará radicalmente toda essa situação. Mas existem outros atores políticos que nós respeitamos e que são também relevantes nessa costura política e que vêm se manifestando e contribuindo para que as coisas se arrumem. Não estou preocupado, não. Estou muito tranquilo e vai chegar a hora onde nós vamos estar com esse quadro arrumado para ir ao embate. Tem um tempo para as coisas decantarem e estabelecer um novo pacto político no PT.

PT

Não acho que se perdesse a prefeitura desaparecesse. O PT tem presença social, tem grandes lideranças, tem um senador, o deputado federal mais votado do partido nacionalmente, que foi João Paulo, nacionalmente eu fui o mais votado do PT. Temos uma bancada estadual razoável... É lógico que pelas lideranças que o partido tem, pela força que a legenda tem nós podíamos ter uma presença maior especialmente no Interior do Estado. Mas estamos lutando para conseguir isso e aumentar essa representatividade. Acho que vamos ter um resultado eleitoral bom agora nessas eleições municipais.

MILITÂNCIA

A militância do PT não são apenas os filiados do PT. A militância do PT é muito maior entre os não filiados do que os filiados. Uma franja da sociedade que se identifica com o PT. Tenho certeza que todo esse pessoal vai se incorporar à campanha.

PETROLINA

Até o presente momento, uma demanda como essa não foi apresentada assim como decisiva. É lógico, onde houver entendimento é bom. Mas existem lugares onde o próprio PSB reconhece a dificuldade de haver entendimento. O melhor é haver a política de boa convivência e que vença o melhor. E quem vencer vai estar dentro desse nosso projeto que é a Frente Popular.

ACORDO

O clima ainda não está permitindo, mas vou procurá-lo (o prefeito). É obvio que algum tipo de entendimento deve haver. Quando a temperatura diminuir um pouco vou procurá-lo.

CULPADOS

Todo mundo tem um certo nível de responsabilidade. Eu acho que, no meu caso, com a CNB (Construindo um Novo Brasil) , a gente fez muito no sentido de tentar reconstruir essa relação deles (os Joões) e dar sustentação à prefeitura, mas sempre pode se fazer um pouco mais. Mas a gente ajudou na medida do que foi possível.

OPOSIÇÃO

Nem um pouco preocupado. Minha preocupação com isso é zero. Estaria se a oposição tivesse uma visão de conhecimento da cidade do Recife. Se tivesse um projeto para cidade, um discurso para as pessoas... Em 12 anos eu não vi isso e não creio que eles vão construir isso. A população não quer saber se o PT brigou. Quer saber o que é vai fazer para que a cidade seja um espaço cada vez melhor de se conviver. Como vai ser a parceria dos governos estadual, municipal e federal... O povo quer saber disso e não da briga do PT.

2014

Nunca me apresentei para 2012 e muito menos 2014. O tempo inteiro a minha preocupação foi de exercer o meu mandato de senador e acho que venho desenvolvendo bem de acordo com as expectativas da população que Pernambuco tinha. Tenho respeito dos colegas e da mídia nacional, das pessoas, fui líder do PT no primeiro mandato. Mas, em sendo prefeito, e eu serei, não faz sentido pensar em disputar eleição daqui a dois ou seis anos.

Prestígio

O Recife precisa, apesar de todos os investimentos que foram feitos, ao longo desses últimos anos, no governo do PT, especialmente do governo Eduardo, do governo Dilma, ampliar os investimentos. Nesse aspecto eu posso desempenhar um papel importante, nessa captação, não somente pelo trânsito que temos com o Governo do Estado, como também em termos de Governo Federal. Não apenas pelo fato de eu ter sido ministro (da Saúde) , mas pelo fato também de estar exercendo hoje um mandato de senador. Isso abre muitas portas e vou aproveitar todas elas para que a gente possa captar recursos para Pernambuco. Outra coisa é que podemos aumentar a participação do Recife nas emendas de bancada federal. Ao mesmo tempo, através de projetos e emendas individuais. Nós podemos ser mais agressivos nesse aspecto da captação de recursos. A partir daí, com os recursos disponíveis, é começar a trabalhar com os principais problemas da cidade.

Cuidar das pessoas

O importante é que a gente coloque o tema do Recife como a questão principal. A temática partidária é importante, mas as pessoas estão mais preocupadas com o que se vai fazer pela cidade. Na minha visão, temos que ter uma ideia simples do que deve ser feito: cuidar da cidade e cuidar das pessoas. Cuidar da cidade significa investir no desenvolvimento econômico, nas vocações que a cidade tem, na estrutura viária, drenagem... Cuidar das pessoas é exatamente em termos de políticas sociais, que avançaram bastante, mas podem avançar mais: saúde, habitação, saneamento básico, política cultural...

Modelo de gestão

A prefeitura hoje já trabalha com um modelo de planejamento estratégico muito semelhante ao Governo do Estado. É lógico que a gente precisa aprofundar. Eu fui secretário do governo estadual e tive a oportunidade de ver como esse tipo de planejamento funciona bem, trabalhar por resultados. Agora, eu acho também que a gente deve inovar.

OP 

Tenho ideias muito genéricas sobre o Orçamento Participativo (OP), mas entendo que ele precisa continuar e que as pessoas continuem a ter poder de decisão sobre as coisas. Eu vejo que a gente pode ampliar o processo. Poder incorporar mais gente por esse método e poder constituir um processo de acompanhamento da população em relação ao cumprimento das metas do OP.

Relação com a Câmara

Será sem dúvida a melhor possível. Eu sou um político experimentado. Já fui do Executivo, secretário estadual, municipal, ministro . E já fui de todas as esferas do Legislativo: vereador, deputado estadual, federal e agora senador. Sei perfeitamente a importância de um relacionamento republicano, mas ao mesmo tempo franco e aberto com o Parlamento. Ninguém governa sem o Parlamento. Ninguém governa sem respeitar a autonomia do Parlamento, também. Eu pretendo ter o absoluto e total respeito a essa autonomia e estabelecer a melhor relação possível com os vereadores e recebê-los. E como eu sou político, eu sei como é relevante para um mandato de parlamentar ter uma boa relação com o Executivo. Melhorar muito essa relação é uma das coisas que eu quero.

PPPs

Sou defensor da ideia de Parcerias Público Privadas (PPPs). Por mais que a cidade cresça e se desenvolva e gere impostos, você sempre vai precisar ter parcerias seja com o Governo Federal , Estadual, mas também com a iniciativa privada. Mas quando se fala de parceria, ambos têm que ganhar. Não pode ser uma parceria onde só o setor privado ganhe ou que ela também não seja factível para o setor privado e ele não possa ganhar nada. Acho que sempre é preciso ter um ganho importante para o setor público, para população. A Via Mangue, por exemplo, teve por parte do setor privado, algumas iniciativas e ações que beneficiaram a população.

Rejeição à gestão

O PT tem um projeto que começou com João Paulo, que foi extremamente bem avaliado pela população. Ele deixou a gestão com alta popularidade e a cidade bastante satisfeita. Por outro lado, nós enfrentamos, no governo João da Costa, alguns problemas que justificam, inclusive, isso. O problema da disputa política entre ele e o antecessor que durante um bom tempo gerou dificuldades para a gestão; a própria situação de saúde do prefeito, que no ano de 2010 praticamente o tirou das condições de estar à frente o tempo inteiro da gestão; as dificuldades da gestão política que nós tivemos. 

Governar não é somente a administração propriamente dita, strictu sensu, mas também a gestão política, a relação que se estabelece com a cidade, com o partido que é majoritário, com a Câmara de Vereadores. Enfim, nós tivemos muitas dificuldades nisso aí. Então, entendo que, ao longo desse último período, melhorou a avaliação que a PCR tem, mas existiram condições estruturais que dificultaram para que pudéssemos deslanchar de uma forma mais plena e há mais tempo. A decisão do PT de ocorrer uma mudança foi de responsabilidade com a cidade.
******

Mello e o trabalho degradante, na Globo

11.06.2012
Do blog  DoLaDoDeLá



Segundo o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro, a Procuradoria do Trabalho da 1ª Região encontrou um cardápio com várias opções de irregularidades trabalhistas na Rede Globo do Rio de Janeiro: casos de funcionários com expediente de mais de 19 horas e desrespeito ao intervalo mínimo entre expedientes (11 horas) e não concessão do repouso semanal remunerado. “Foi constatado excesso de jornada e que este excesso é habitual, e não extraordinário”, explica a procuradora Carina Bicalho, do Núcleo de Combate às Fraudes Trabalhistas.


Acordo firmado entre a empresa e o Ministério Público (MP) no fim de 2011 trouxe como resultado que a Rede Globo vai ter que contratar 150 jornalistas e radialistas para suas redações, além de pagar uma multa de R$ 1 milhão de reais.



Nos últimos cinco anos, esta foi a terceira vez que a emissora do Jardim Botânico teve constatadas irregularidades quanto a jornadas de trabalho. Com este acordo na Justiça, a Globo promove nos últimos meses a prática de novas escalas, garantindo folgas aos jornalistas e mais respeito aos intervalos interjornadas. Este ajuste de conduta chegou também no Infoglobo, que edita os impressos da família Marinho.


Em Nota, o Sindicato defende a importância do acordo e afirma que as irregularidades não se restringem à Rede Globo:
Ao conseguir que a TV Globo seja multada e obrigada a contratar 150 funcionários no prazo de um ano – até fevereiro do ano que vem – o Ministério Público põe o dedo numa ferida. Profissionais, não apenas da Globo, sofrem com as longas jornadas de trabalho, a falta de respeito às folgas semanais e aos intervalos de 11 horas entre uma jornada e outra. Sofrem sem que a população tome conhecimento.

Os trabalhadores que têm a missão de informar jamais são notícia quando o que está em pauta é o desrespeito às leis trabalhistas praticado pelas empresas de comunicação. Por motivos óbvios, os empresários não permitem que os seus próprios erros sejam noticiados. Esse tipo de censura é cláusula pétrea na lei interna das redações.

A multa de R$ 1 milhão aplicada à TV Globo é simbólica, mas serve de alerta a todas as empresas que agem da mesma forma. E a justificativa dos procuradores ao pedir a punição é contundente.

Os jornalistas, pressionados por um mercado de trabalho limitado, não devem sofrer calados. Com os devidos cuidados, precisam denunciar as irregularidades e se unir, através do Sindicato da categoria, na luta por melhores salários e condições de trabalho. Os veículos de comunicação, que fazem tantas denúncias de ilegalidades, têm a obrigação de cumprir a lei no que diz respeito ao seu público interno.


Procuradora critica pejotização

A procuradora Carina Bicalho afirma que a pejotização, que acontece na Rede Globo e em outras emissoras é artifício claro da precarização das relações do trabalho:
“PJ é uma forma que o capital descobriu para trazer o trabalhador para o lado dele, dizendo que o empregado está ganhando com isso”, expõe a procuradora. No entendimento dela, quando essa prática ocorre com os altos salários, não há distribuição de riqueza, já que tanto a empresa quanto o profissional deixam de recolher impostos.


Íntegra da entrevista da procuradora, da Nota do sindicato e mais detalhes do processo você acessa aqui.

É bom que jornalistas e outros profissionais que são submetidos à pejotização pelas empresas saibam que a Justiça do Trabalho tem dado ganho de causa aos que entram com ação contra as empresas, como já publiquei aqui em Juiz do Tribunal Superior do Trabalho diz que TV Globo frauda contrato de trabalho de jornalista.
A jornalista Cláudia Cruz, que trabalhou como repórter e apresentadora (RJTV) na Globo do Rio, entrou com ação no Ministério do Trabalho solicitando que fosse reconhecido seu vínculo empregatício com a Rede Globo. No período em que trabalhou na emissora, Cláudia Cruz teria sido obrigada, segundo afirma, a “abrir uma empresa pela qual forneceria sua própria mão-de-obra”. 

O TST deu ganho de causa à jornalista:
A 6ª Turma do TST (Tribunal Superior do Trabalho) obrigou a TV Globo a reconhecer vínculo de emprego com a jornalista Claudia Cordeiro Cruz, contratada como pessoa jurídica.

O ministro Horácio Senna Pires, relator do caso, concluiu que o esquema “se tratava de típica fraude ao contrato de trabalho, caracterizada pela imposição feita pela Globo para que a jornalista constituísse pessoa jurídica com o objetivo de burlar a relação de emprego”. [reportagem completa aqui]


Se a moda pega, a Globo se ferra, pois jornalistas, atores, diretores (pelo menos os medalhões) sofrem do mesmo mal de Cláudia Cruz: também são obrigados a abrir uma empresa para fornecer sua própria mão-de-obra.
“Nesse contexto, concluo que se tratava de típica fraude ao contrato de trabalho”, afirmou o relator do agravo de instrumento no TST, ministro Horácio Senna Pires.

*****

OS GOLPISTAS DE 64 ,COM A AJUDA DA REVISTA VEJA TENTARAM DERRUBAR DILMA: Lula abortou golpe de Demóstenes contra governo Dilma,

11.06.2012
Do blog SINTONIA FINA, 10.06.12

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!


Segundo o veículo de comunicação goiano DM, Lula teria abortado um golpe, cuidadosamente articulado pelo senador Demóstenes Torres e o bicheiro Carlinhos Cachoeira, contra o governo da presidenta Dilma Rousseff. Embora o artigo não apresente provas do envolvimento do ex-presidente com a questão, vale a pena lê-lo para conhecer mais dos objetivos do ambicioso senador. Segue abaixo a íntegra do texto.


Lula aborta o golpe

Cai a mais audaz e ambiciosa conspiração política do Brasil

Nos bastidores da Operação Monte Carlo, deflagrada pela Polícia Federal, o senador Demóstenes Torres (ex-DEM) e o empresário de jogos de azar Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, gestavam uma estratégia que passou ao largo das investigações: pavimentar a candidatura do parlamentar para o Palácio do Planalto em 2014.

A meta de Demóstenes e Cachoeira era construir uma teia de relações políticas e uma estrutura financeira que viabilizassem a candidatura à sucessão da presidenta Dilma Rousseff. Segundo políticos e interlocutores do senador, o projeto foi a senha para o desencadeamento da operação policial e a entrada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas articulações, com vistas a abortar a estratégia.

Como se viu, a articulação política de Demóstenes e Cachoeira foi marcada por tentativas como, por exemplo, a discussão sobre a troca de partidos, daí as conversas sobre a saída do senador no DEM e o ingresso no PMDB. Na prática, o próprio movimento para a entrada do ex-democrata no ninho peemedebista e, portanto, na base aliada da presidenta Dilma, naufragou quando o PT e o Planalto perceberam a relação de Demóstenes com o contraventor.

O escorregão inesperado no caminho para a rampa do Planalto

A estratégia do senador e Cachoeira, segundo esses mesmos políticos e interlocutores, fica clara em trechos das gravações em que, a despeito de exaltarem suposta proximidade com o governo de Goiás, eles criticam o governador Marconi Perillo e reclamam de planos frustrados para a administração estadual.

“O maior sonho do Demóstenes sempre foi pavimentar a candidatura nacional e subir a rampa do Planalto, por isso ele foi tão longe na defesa da bandeira da ética e encampou tantas propostas polêmicas na área de segurança pública e peitou caciques como (José) Sarney (PMDB-AP) e Renan (Calheiros, PMDB-AL)”, diz um amigo do senador.

O senador goiano foi longe em seu intento. Reeleito senador pelo Estado, o nome de Demóstenes entrou novamente, e com mais força, na bolsa de cotações para uma eventual candidatura de vice na chapa do PSDB ao Planalto. Nos momentos de estremecimento entre tucanos e democratas, o nome do senador goiano era citado até mesmo como alternativa para uma candidatura própria. Daí a profunda mágoa e a rápida reação dos líderes democratas em expulsá-lo do partido quando as denúncias contra ele e Cachoeira vieram à tona.

A princípio, a percepção era de que Demóstenes visava uma candidatura ao governo de Goiás em 2014, apresentando-se como uma alternativa ao PMDB e ao PSDB goianos. Mas o projeto, segundo interlocutores, sempre foi a Presidência da República.

“Demóstenes dizia que, para garantir a candidatura à presidência, ele precisava marcar o debate nacional com um discurso mais elaborado e convincente do que dos seus opositores. Ele encontrou no debate sobre a ética na política a ponte perfeita para encurtar esse caminho até o Planalto”, diz outra fonte, que também preferiu não se identificar. Aliás, segundo esse interlocutor, o projeto de Demóstenes para o Planalto nunca levou a aliança com o PSDB goiano em consideração. Era uma carreira solo entre Demóstenes e Cachoeira.

Na esteira do debate político estava ético, o lastro financeiro era Cachoeira e sua rede de contatos no Estado e no cenário nacional. O empresário de jogos de azar foi o primeiro, segundo interlocutores do senador, a abraçar a proposta e se apresentar como colaborador na área financeira.

“O Cachoeira ficava imaginando os negócios que poderia fechar se tivesse nas mãos a fatura de uma corrida vitoriosa para a Presidência da República”, diz outro interlocutor.

“Nascia ali um PC Farias com muito mais bala na agulha”, comenta a fonte, em referência ao pivô da crise política que levou ao impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello.

O cenário favorável no figurino do paladino e no armário da corrupção

O cenário para a consagração de Demóstenes era perfeito. O político surgiu para o Brasil nas asas de uma carreira incontestável no Ministério Público, de onde foi catapultado para a Secretaria de Segurança Pública. Aí, o xerifão mais uma vez ganhou as manchetes da imprensa com a atuação para desvendar o sequestro de Welington Camargo, irmão da dupla sertaneja Zezé e Luciano. A fama de durão e incorruptível pavimentou o caminho para duas eleições consagradoras para o Senado.

Com o discurso de paladino da moralidade na ponta da língua na tribuna do Senado, temperado com frases espirituosas e inteligentes, Demóstenes logo virou o queridinho da imprensa nacional. Não custou muito para ganhar as páginas da Veja como o mosqueteiro da ética. Pilotando este marketing de Catão, surfou fácil nas ondas da maré anticorrupção que inunda o País.

Não poderia ser um nome melhor para enfrentar o petismo atolado até a garganta com denúncias de corrupção, entre elas o mensalão e a demissão de oito ministros do governo Dilma. Demóstenes, sem dúvida, despontava como o Dom Quixote brasileiro que lutava contra os moinhos verdadeiros da corrupção nacional, tendo como fiel escudeiro o empresário Carlinhos Cachoeira.

Isso deixou Lula angustiado, pois certamente colocaria fim ao domínio petista no País, que se aproxima de 16 anos e caminha tranquilo para uma hegemonia de 20 anos. O senador goiano poderia ser o homem que dispararia o tiro de misericórdia no lulismo. Lula, porém, teve a competência de enxergar a ameaça e abrir fogo contra o inimigo, agora desmascarado em todo o Brasil, depois de reveladas as estrepolias demostenianas.

A operação era ousada, mas se comprova pela rede montada pela dupla em todo o Brasil que se estendia em todo o tecido dos três poderes. Para isso, não titubearam em mexer e usar todas as peças do tabuleiro, incluindo gente do Executivo, Judiciário e do Legislativo, em todas as esferas.

Tanto é que quando o escândalo explodiu, o Senado solidarizou-se de imediato com Demóstenes. Mas, em seguida, o DEM o expulsou e agora até mesmo o PMDB de Iris Rezende, acostumado a abrigar em suas fileiras políticos com vasto currículo de malfeitos, o rejeitou.

Tudo foi pelos ares, porém, pela astúcia do ex-presidente Lula, que, mesmo abatido pelo câncer, não perdeu o faro e a visão que o tornaram o maior político do Brasil.

E o cenário dos Moinhos de Ventos de La Mancha (da corrupção) terminou com dois Sancho Pança, personificados em Demóstenes Torres e Carlos Cachoeira como as tristes figuras do épico de Cervantes.

Fonte: DM.com.br

Sintonia Fina
*****

MÍDIA GOLPISTA QUER MANIPULAR STF PARA CONDENAR DIRCEU: Ricardo Noblat quer a condenação de Dirceu

11.06.2012
Do blog SINTONIA FINA
Por TERROR DO NORDESTE

Veja aqui o que o Partido da Imprensa Golpista (PIG) não mostra!
O blogueiro imundo Ricardo Noblat, que não escreveu nem sequer uma linha  sobre o envolvimento da mulher dele(juntamente com Raul Jungmann) no roubo de R$ 39 milhões de reais do MDA/INCRA, que recebia do Senado para manter uma rádio de jazz, que foi acusado de ter praticado fraude nos Diários Associados, é mais um vagabundo safado que torce desperadamente pela condenação do ex-ministro José Dirceu.

Segundo Noblat, durante  Juventude Socialista (UJS), José Dirceu teria dito o seguinte:

" Todos sabem que este julgamento é uma batalha política. E essa batalha deve ser travada nas ruas também porque senão a gente só vai ouvir uma voz, a voz pedindo a condenação, mesmo sem provas. É a voz do monopólio da mídia. Eu preciso do apoio de vocês — suplicou".

Para Noblat, Dirceu, ao dizer isso, está  desrespeitando a independência dos poderes da República. Noblat, não se contentando com um suposto desrespeito de Dirceu à democracia, o chamou (Dirceu) de temerário, imprudente, perigoso, atrevido, insolente, afoito, demente, precipitado, desaforado, petulante, desajuizado, incauto, arrogante, desvairado, impulsivo, arrebatado, insensato e outros adjetivos.

Ora, Noblat, todo mundo sabe o maior interessado no julgamento do mensalão, e na condenação de todos os acusados é o PIG.Todos sabem também que o julgamento vai ser político, sem observar as provas dos autos. Não é preciso ser expert em  Direito para saber disso.Até os pentelhos do rabo desse sabujo sabem disso.

Se é assim, nada mais justo que Dirceu convoque os movimentos sociais, a blogosfera progressista para lutar contra a injustiça de uma condenação.Assim como já tem blogueiro do PiG usando o twitter, o facebook para pedir a condenação dos réus do mensalão, Dirceu tem todo o direito de conclamar seus aliados para pedir um julgamento técnico, justo sem interferência do PiG a da opinião pública idiotizada.Não vejo nenhum desrespeito ao Princípio da Tripartição dos Poderes, nenhuma pressão sobre o STF.

Ricardo Noblat é tão safado, tão cretino que vai ao ponto de dizer que um dos votos pela absolvição de Dirceu vai ser do ministro Gilmar Mendes.Claro que Noblat, com essa previsão maluca, tenta jogar Gilmar Mentes contra Dirceu.A prova do que eu aqui digo é a afirmação de Noblat no sentido que "em nada ajudará Dirceu disseminar a grave suspeita de que o STF(leia-se: Gilmar Mendes) poderá julgar desprezando os autos".

Só sei de uma coisa: com ou sem condenação de Dirceu, o PiG, assim que terminar o julgamento, vai ficar sem pauta.O PiG não tem outra pauta a não ser a do mensalão.Faz quase 10 anos que esse assunto não sai da cabeça dos sabujos do PiG.
Quem viver, verá!
****

JORNALISMO DE ESGOTO DA VEJA: Veja é uma piada: Agnelo desmente a revista 6 meses antes

11.06.2012
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA, 10.06.12



Revista Veja acusou governo do DF de assinar contrato em 26/12/2011

 com certidão vencida.
A revista mentiu. Certidão era válida até 01/01/2012.


A revista Veja é uma piada. Ultimamente suas denúncias duravam umas 24hs para serem desmentidas.

Agora, sem poder contar com o parceiro Carlinhos Cachoeira, ainda preso, o denuncismo é tão ruim de pontaria, que o desmentido vem com 6 meses de antecedência.

Para entender o caso desta semana um breve resumo:

Alvo: governador Agnelo Queiros (PT-DF)


Fato: Uma empresa disputou uma licitação, na modalidade pregão eletrônico para fornecer refeições nos restaurantes comunitários do Distrito Federal. Venceu oferecendo o menor preço e apresentou toda a documentação exigida. A novo contrato gerou uma economia de R$ 10 milhões por ano aos cofres públicos.

A mentira grosseira da Veja: 

Segundo a revista demotucana, na data da assinatura do contrato (26 de dezembro de 2011), a companhia não teria certidão comprovando estar quite com a Receita pois, ainda segundo a Veja, teria vencido a validade um dia antes. A revista ainda capricha na mentira ao dizer que a assinatura do contrato não teria sustentação legal, como mostra a Constituição: "Na assinatura do contrato ou da ata de registro de preços, será exigida a comprovação das condições de habilitação consignadas no edital".

Tudo isso aí é desmentido ponto por ponto.

Primeiro: há 6 meses atrás, no dia 13/01/2012, o governo do DF emitiu nota pública esclarecendo tudo o que a revista Veja acha que descobriu a pólvora esta semana(confira aqui). E a empresa tinha certidão da Receita Federal válida até 01/01/2012, como mostrado na figura ao alto.

Segundo: não é a "Constituição" e sim o Decreto Nº 5.450 que trata da exigência citada na revista, mas isso é só detalhe.

Terceiro: a certidão da Receita podia ser apresentada antes do dia da assinatura do contrato, na ata de registro de preços, o que já desmentiria a Veja, mesmo que a revista estivesse certa (e não está) sobre a data de validade da certidão.

Depois da mentira, o factóide nº 1 da Veja: 

O dono da empresa vencedora já trabalhou em um empreendimento com o advogado tributarista e ex-deputado Juvenil Alves, de Minas Gerais, que desfiliou-se do PT em fevereiro de 2007, para não ser expulso. Em 2009 teve seu mandato cassado. Este deputado havia sido indiciado pela Polícia Federal em inquérito que investigou um esquema de sonegação de tributos em empresas.
O que a revista Veja queria? Que o governo do Distrito Federal rasgasse o princípio da impessoalidade e desclassificasse o vencedor, sem que sobre ele recaia nenhum impedimento para participar da licitação?

Factóide nº 2 da Veja: 

Segundo a revista, a empresa é participante do Simples (microempresa), e neste ano faturou acima do limite máximo permitido para ser tratada como micro.
Primeiro é preciso considerar que isso não é da alçada deste contrato com o governo do DF, e sim da contabilidade interna da empresa e da Receita Federal. Segundo, pela lei do simples, a empresa tem regras para desenquadrar no mês seguinte que ultrapassa o limite de faturamento e, aparentemente, a revista não apurou se é o caso desta empresa.

Outra trapalhada de Francischini?

Pelo padrão da denúncia, tem tudo para ter o dedo do deputado Francischini (PSDB-PR) por trás disso. Obcecado para suceder Agnelo no governo do DF em 2014, esse deputado tucano vem sendo o maior trapalhão da Câmara. No mês passado ele fez outra trapalhada e 'denunciou' Agnelo com documento que o inocentava.

Veja foge das empresas 'laranjas' de Cachoeira

Curioso notar que a notícia do momento é seguir o dinheiro das empresas consideradas "laranjas" do esquema Cachoeira. Ganha um doce quem adivinhar por que a revista Veja foge de buscar notícias nestas empresas, e desvia o foco para essa mentira no DF.

Em tempo: Quem quiser ver a "reporcagem" da veja, coloque luvas contra contaminação e clique aqui.

*****

Rosane Bertotti : Blogueiros precisam de mais debate sobre o Marco Civil da Internet

11.06.2012
Do portal do PARTIDO DOS TRABALHADORES, 10.06.12
Por Rosane Bertoti

Militantes virtuais querem maior debate sobre o tema fora do Congresso




O projeto de lei (PL 2126/11) sobre o Marco Civil da Internet está sendo analisado, na Comissão Especial, da Câmara dos Deputados. Mas boa parte dos ativistas virtuais querem que esse novo momento seja debatido intensamente também fora do parlamento. O debate do Marco Civil, no entanto, já tem uma discussão fora do Congresso Nacional, como explica a secretária Nacional de Comunicação da CUT, Rosane Bertotti.
“O movimento social sempre teve a comunicação na pauta e é necessário estabelecer uma nova correlação de força que pode se estabelecer na prática”, defende Bertotti.
Na avaliação de Rosane o debate sobre o Marco Civil da internet tem que acontecer na prática. “Nessa relação nova com a Internet, os movimentos sociais estão percebendo que é possível fazer parte deste poder, fazer parte da comunicação, o movimento social tem que fazer parte deste debate”.
Outro fato citado pela secretária é a implantação de fato de um sistema de banda larga eficiente. “Se nós estamos com a blogosfera, onde o instrumento principal de acesso é a internet, aí por isso a importância de termos banda larga de fato nesse país, que ele saia do papel, que ele se reestruture”, ressaltou.
(André Guimarães e Neide Freitas – Portal do PT)

*****

No Zimbábue, homens evitam caronas após denúncias contra "caçadoras de esperma"

11.06.2012
Do portal OPERA MUNDI, 00.06.12
Por  Fillipe Mauro | Redação

Governo está preocupado com gangues que roubam sêmen para ritual comum no país, o Juju
Poucas mulheres no mundo tornaram-se mais temidas pelos homens ao longo dos últimos anos do que as do Zimbábue. No pequeno país africano de finanças frágeis e regime autocrático, homens estão sendo embriagados, torturados e sequestrados por mulheres que roubam seu sêmen para o uso em um ritual comum no país, o Juju.


A imprensa local noticiou casos nos quais as vítimas foram drogadas ou até mesmo ameaçadas com facas e armas de fogo para que mantivessem sucessivas relações sexuais com a sequestradora. Há até mesmo relatos de mulheres que ameaçaram suas vítimas com cobras e obrigaram-nas a ingerir estimulantes sexuais. O resultado é sempre o mesmo – o sequestrador abandona sua vítima em alguma via deserta e logo depois desaparece.

As chamadas “caçadoras de esperma” ficaram famosas no Zimbábue em 2009, quando a polícia prendeu três mulheres carregando 31 preservativos usados em uma sacola plástica. Desde então os ataques prosseguem e 17 homens já apresentaram denúncias de abusos.

Susan Dhliwayo, uma jovem de 19 anos, conta que passava certa vez por uma rua e viu que homens pediam carona, hábito comum no país. Quando os pedestres perceberam que se tratava de uma mulher ao volante, recusaram o favor e disseram que não confiavam nela. “Agora os homens temem as mulheres”, explica.

Em entrevista ao jornal britânico The Telegraph, o porta-voz nacional da polícia do Zimbábue disse que “não há números exatos sobre a quantidade de casos confirmados” e esclarece “a maioria desses casos acontece quando as vítimas estavam ganhando carona em veículos privados”. Por essa razão, o governo estaria “estimulando a população a utilizar o transporte público”.

O ritual Juju, destino mais plausível para o material saqueado pelas “Caçadoras de Esperma”, é uma tradição para a qual se atribui a atração de sorte e prosperidade. Watch Ruparanganda, sociólogo da Universidade do Zimbábue, confessa que "a questão é de dar um nó na cabeça”, mas aposta na existência de um negócio lucrativo por detrás dos casos.

Enquanto o mistério não é desvendado, quem mais sofre são as mulheres, vítimas de preconceitos e generalizações por parte dos homens. Um grupo de defesa dos direitos das mulheres no Zimbábue criticou a ênfase que a imprensa do país atribuindo a essas ocorrências e argumenta que a gravidade das violências sofridas por mulheres diariamente não chega nem aos pés do choque ocasionado por esse tipo de abuso sexual contra homens. Para além do humor e da polêmica que ganharam de todo o país, as três mulheres presas em 2009 também receberam ameaças anônimas de morte.


*****

MÉDICOS FEDERAIS DO SUS: Médicos devem paralisar atividades na próxima terça-feira

11.06.2012
Do portal da Agência Brasil, 10.06.12
Por Paula Laboissière

Repórter da Agência Brasil
Brasília – Médicos servidores públicos federais pretendem paralisar as atividades na próxima terça-feira (12) em protesto contra a Medida Provisória (MP) nº 568, de 2012, que trata da remuneração e da jornada de trabalho de profissionais de saúde.
De acordo com a Federação Nacional dos Médicos (Fenam), o texto prevê que profissionais que atualmente mantêm jornada de 20 horas semanais no serviço público, ao ingressar na carreira, tenham que cumprir 40 horas semanais e receber o mesmo valor – uma redução de 50% na remuneração.
“A medida é considerada pelo presidente da entidade, Cid Carvalhaes, como um enorme retrocesso em um país já tão castigado pela carência do Sistema Único de Saúde [SUS] e pela desvalorização dos profissionais de medicina”, informou a Fenam.
Também na próxima terça-feira, a Comissão Mista do Congresso Nacional deve votar a admissibilidade da MP 568. O objetivo da categoria é, por meio da paralisação, pressionar o Parlamento e abrir caminho para a primeira greve geral de médicos servidores federais no país.
“As entidades médicas compreendem que a MP traz a determinados setores do funcionalismo avanços importantes, que devem ser mantidos e até ampliados. Entretanto, particularmente nos artigos 42 e 47, prejudica os atuais e futuros servidores médicos, dobrando jornadas sem acréscimo de vencimentos, reduzindo a remuneração em até metade e cortando valores de insalubridade e periculosidade. As perdas atingem, inclusive, aposentados (e pensionistas), que tanto já se dedicaram ao serviço público, enfrentando baixos salários e condições de trabalho adversas”, concluiu a Fenam.
Edição: Graça Adjuto

*****

ORGANIZAÇÕES GLOBO ATACAM , COMO NA DITADURA, OS MOVIMENTOS SOCIAIS: ONG da Globo garfou R$ 2,9 milhões dos cofres públicos às custas da UNE

11.06.2012
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA, 09.06.12

O jornalão O Globo critica convênios e patrocínios à UNE (União Nacional dos Estudantes) bem acima do tom.

Mas o que o jornalão não conta, é que a ONG da Globo, Fundação Roberto Marinho, usando da lei de incentivo à cultura, garfou R$ 2,9 milhões do dinheiro público dos impostos, para fazer a "Memória da UNE" (Ver PRONAC nº 030926 no Ministério da Cultura), quando queria melhorar um pouco sua imagem de empresa filhote da ditadura.

Clique na imagem para ampliar



Por sinal, é difícil compreender como um site relativamente modesto, e que deveria ter o respaldo técnico da TV Globo na produção de vídeos, conseguiu consumir tanto dinheiro:

Clique na imagem para ampliar

http://www.mme.org.br

O que os amigos leitores que são webmasters ou webdesign acham?

Que tal o jornalão fazer uma reportagem a respeito, abrindo com transparência a prestação de contas?

Detalhes sórdidos

Apesar do "site" ser feito com dinheiro público e com informações que pertencem à História da Brasil, a Fundação Roberto Marinho registrou todos os direitos autorais em seu nome.

Na proposta apresentada ao Ministério da Cultura, a ONG da Globo queria que os cofres públicos pagassem:

- R$ 5.000,00 para "coquetel"
- R$ 37.800,00 para compra de computador Pentium.

Estes itens foram vetados.

*****