Pesquisar este blog

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Imagens do HIV em células infectadas revelam táticas virais inéditas

21.05.2012
Do portal do JORNAL CIÊNCIA, 20.05.12
Por  OSMAIRO VALVERDE
DA REDAÇÃO DE BRASÍLIA

  As táticas que o HIV usa para infectar células foram visualizadas em maior detalhe, nunca antes visto, através de nova técnica.
  Microscópios de luz convencionais não conseguem ver as estruturas menores que 200 nanômetros porque eles são limitados pelo comprimento de onda da luz visível. Os vírus que, normalmente, medem cerca de 25 a 300 nm, são muito pequenos para serem observados.
  Uma forma de contornar este problema é observar as proteínas através de marcadores fluorescentes, ativando-as e observando o mapa e a localização de todas as proteínas marcadas em uma imagem composta. O grande problema com esta técnica é que os marcadores usados podem interferir na função real da proteína, tornando difícil de ver o que de fato ocorre em um sistema natural.
  Nathalie Arhel do Instituto Pasteur em Paris e seus colegas conseguiram modificar esta técnica e inseriu seis aminoácidos em uma enzima que o HIV utiliza para integrar seu DNA no genoma hospedeiro. Os aminoácidos não afetam a função da enzima e proporcionam um melhor sistema com os marcadores convencionais.
Essa nova técnica consegue observar melhor o HIV. Anteriormente não era claro se o material genético do vírus era liberado no citoplasma da célula hospedeira ou se permanecia em um recipiente chamado capsídeo até atingir o núcleo da célula.
Segundo o estudo, o HIV deixa suas informações genéticas guardadas dentro do capsídeo. Esse dado é vital para desenvolver fármacos que consigam interceptar o vírus antes que suas moléculas se integrem ao DNA humano.
A pesquisa foi publicada na revista Proceedings of the National Academy of Science.

*****
Fonte:http://www.jornalciencia.com/tecnologia/biotecnologia/1692-imagens-do-hiv-em-celulas-infectadas-revelam-taticas-virais-ineditas?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+jornalciencia%2FmnER+%28Jornal+Ci%C3%AAncia%29

Kátia Abreu na tropa de choque da Veja

21.05.2012
Do BLOG DO MIRO
Por Altamiro Borges


Na quinta-feira (17), integrantes da CPI do Cachoeira tentaram aprovar um requerimento solicitando que a Polícia Federal encaminhe todas as escutas telefônicas em que é citado Policarpo Junior, redator-chefe da Veja. A proposta gerou bate-boca na comissão. De imediato, a senadora Kátia Abreu (PSD-TO) rejeitou a proposta e justificou as relações do jornalista com o crime organizado.

“Às vezes as informações estão no inferno. O jornalista precisa ir até as profundezas do inferno para buscar a informação”, reagiu a senadora ruralista, que preside a Confederação Nacional da Agricultura (CNA). De inferno, a ex-demo entende um bocado!


"Ameaça velada à liberdade de imprensa"

Kátia Abreu teve o apoio inconteste do senador tucano Álvaro Dias, que adora esbravejar sobre ética. Para ele, a convocação do chefão da Veja “é uma ameaça velada à liberdade de imprensa”. Já o senador Pedro Taques (PDT-MT), o novo queridinho da mídia que deve fazer Leonel Brizola revirar na cova, afirmou que o requerimento “se revela como vingança, um autoritarismo”.

Diante da forte reação da tropa de choque da Veja, o relator da CPI, deputado Odair Cunha (PT-MG), que havia encaminhado o voto favorável ao requerimento, recuou rapidamente. O pedido para o envio das escutas telefônicas, apresentado pelo senador Fernando Collor de Mello e apoiado pela própria bancada petista, acabou nem sendo votado.

O acordão dos barões da mídia

Há um grande esforço para blindar a revista Veja, evitando que Policarpo Jr. e o capo da publicação, Bob Civita, sejam chamados para depor na CPI. Na semana passada, executivos do Grupo Abril e da Rede Globo circularam em Brasília com esta missão sinistra. Há um pacto entre os barões da mídia para abortar a convocação e eles já contam com a sua tropa de choque no Congresso Nacional.

Mas o tema ainda deve render vários bate-bocas na CPI. Em seminário nacional realizado em Porto Alegre, o PT decidiu investir na convocação de Policarpo Jr. e Bob Civita. Em carta divulgada ao final do evento, o partido defende a apuração das ligações “entre o crime organizado e alguns órgãos de imprensa”. O texto rechaça a tese de que a apuração representa um ataque à liberdade de expressão, “como tentam confundir setores da mídia conservadora”.

Ocupando o espaço de Demóstenes

A ruralista Kátia Abreu, o tucano Álvaro Dias e os “pedetistas” Pedro Taques e Miro Teixeira terão muito trabalho para defender a Veja. É certo que ganharão mais algum espaço na principal revista da direita brasileira, hoje também acusada de associação com o crime organizado. Eles poderão ocupar a vaga deixada por Demóstenes Torres, que sempre gozou de prestígio nas páginas da Veja.
 ****

PRÉVIAS DO PT RECIFE: “Prefeito burlou as regras partidárias”, diz João Paulo


21.05.2012
Do BLOG DA FOLHA
 Publicado por Valdecarlos Alves


Deputado federal estará ao lado de Humberto, Rands e Eugênio na reunião da Executiva do PT, em São Paulo, nesta quinta-feira (Foto: Arquivo/Folha de Pernambuco)

Um verdadeiro pelotão de guerra formado pelo senador Humberto Costa; o presidente estadual do PT, Pedro Eugênio; o secretário estadual Maurício Rands e o deputado federal João Paulo aterrissa na reunião da Executiva Nacional do PT, nesta quinta-feira (24), em São Paulo. Na bagagem do grupo, um arsenal de documentos que comprometem as prévias do partido realizadas neste domingo (20) e que acabaram sob suspeita de irregularidades e acusações de fraude por parte da ala contrária ao prefeito João da Costa, candidato vitorioso com 7.503 votos contra 6.950 do concorrente Rands.

Em entrevista exclusiva ao Blog da Folha, João Paulo disse que o prefeito João da Costa “burlou as regras partidárias” e o resultado favorável ao gestor não tem validade. “Se a regra fosse clara, nós até teríamos aceitado a derrota…Mas da forma que foi não aceitamos”, avisou o deputado, avisando que agora caberá à Executiva Nacional analisar e tomar uma decisão. O parlamentar adiantou que não existe a possibilidade de acontecer uma nova prévia no Recife, após a invalidação do pleito do domingo. “Cabe agora à Nacional encontrar uma saída”, disse, desconversando sobre a colocação do seu nome para as eleições de outubro. “Não. Isso não está em questão”, despistou João Paulo.

O desgaste na imagem do PT no Recife provocado pelas inúmeras denúncias e trocas de acusações ao longo do processo de campanha, culminando com a judicialização das prévias através de uma guerra de liminares na Justiça, foi visto por João Paulo como algo que difere “da prática petista”. “O que aconteceu não são práticas do nosso partido e comprometeram todo o processo”, afirmou o deputado, que voltou às pressas ao Recife na madrugada desta segunda-feira ao saber do desfecho da eleição interna. O petista embarcaria para a África do Sul, onde iria cumprir missão da Câmara Federal, representando o parlamento brasileiro no encontro do Parlamento Pan-Africano. “Não tinha como viajar. Assim que fiquei sabendo do que estava acontecendo aqui, resolvi voltar imediatamente”, revelou o ex-prefeito.
*****

Alckmin e Kassab em apuros; azar de Serra

21.05.2012
Do BLOG DO MIRO, 20.05.12

Por Ricardo Kotscho, no blogBalaio do Kotscho:

De uma hora para outra, os paulistanos descobriram que existem sérios problemas no funcionamento do metrô, responsabilidade do governo do Estado, assim como ficamos sabendo que há um esquema de corrupção montado há anos para a liberação de imóveis na Prefeitura.

O governador Geraldo Alckmin, do PSDB, e o prefeito Gilberto Kassab, do PSD, agora unidos no apoio ao tucano José Serra na sucessão municipal (os dois se enfrentaram na eleição de 2008), raramente aparecem no noticiário, a não ser em inaugurações de obras e articulações políticas.

É como se São Paulo fosse uma ilha de paz e beleza, onde tudo funciona e o povo vive feliz, cercada por um país chamado Brasil, cheio de problemas e sempre em crise.

Depois de várias paralisações e transtornos nas últimas semanas, o grave acidente do Metrô na quarta-feira, que deixou mais de 100 feridos, revelou o descaso da administração estadual, que reduziu, ao invés de aumentar, os investimentos no sistema.

Reportagem da Folha desta quinta-feira denuncia que, de 2010 para 2011, o governo reduziu em 20,4% os recursos ( de R$ 236 milhões para R$ 188 milhões) destinados à manutenção da Linha 3 - Vermelha, onde ocoreu o acidente, que transporta 41% dos passageiros de toda a rede.

Como já me alertava um dos técnicos responsáveis pelo controle de tráfego do Metrô, em encontro com amigos no final do ano passado, o Metrô paulistano estava à beira de entrar em colapso, não só pela queda dos investimentos em manutenção, mas também pela implantação atabalhoada de um novo sistema automático.

A falha técnica, apontada como causa do acidente em que dois trens se chocaram na zona leste, é apenas consequência da relapsa administração do Metrô paulistano, também envolvida em denúncias de desmandos e irregularidades nas licitações. Pequenos acidentes são comuns e nós nem ficamos sabendo, disse-me o técnico.

Como se não fosse com ele, bem ao estilo tucano, o governador Geraldo Alckmin desandou a falar de investimentos numa nova linha do Metrô na zona norte, a Linha 6 - Laranja, no mesmo momento em que eram recolhidos os feridos entre as estações Penha e Carrão. Alckmin mandou ao local seu secretário dos Transportes, Jurandir Fernandes, e continuou calmamente dando entrevistas sobre os seus planos.

Na mesma semana em que os paulistanos descobriram a gravidade da situação do Metrô, multiplicam-se as denúncias sobre o esquema montado na Secretaria Municipal de Habitação por Hussain Aref Saab, homem de confiança de Kassab e Serra, ex-diretor responsável pela liberação de construções de imóveis em São Paulo, que construiu um patrimônio de mais de R$ 50 milhões nos últimos sete anos em que comandou o setor.

Um grupo do Ministério Público de São Paulo especializado em lavagem de dinheiro agora abriu inquérito para investigar a origem dos bens de Aref, que comprou 106 imóveis de 2008 para cá, com um salário bruto de R$ 9 mil.

Mais do que a evidente suspeita de corrupção em larga escala e por tempo prolongado, são incalculáveis os prejuízos causados à cidade pela liberação de obras em áreas de preservação, fora dos limites impostos pela legislação, que causam novos problemas ao já caótico trânsito paulistano.

Os repórteres Rogério Pagnan e Evandro Spinelli, da Folha, que revelaram o escândalo mantido, aparentemente, em segredo de Justiça pela Corregedoria Geral do Município, acionada por Kassab depois de receber uma denúncia anônima contra Aref, em fevereiro, a cada dia trazem novas revelações sobre o esquema.

A mais estarrecedora até agora é que Aref recebeu de graça seis apartamentos num prédio em frente ao Parque do Ibirapuera como pagamento por serviços de consultoria prestados por sua empresa, a SB4.O problema é que o contrato é de 2006 e a empresa só foi criada dois anos depois.

Na verdade, houve uma troca. O ex-diretor ganhou os apartamentos como pagamento para liberar o funcionamento do centro de convenções WTC, processo que estava parado há mais de um ano, empresa dos mesmos donos da construtora que lhe deu os apartamentos.

Com Kassab e Alckmin em apuros, a conta vai sobrar para a campanha de José Serra, que reage olimpicamente diante destes fatos, como se não tivesse sido prefeito e governador de São Paulo até recentemente.

Em campanhas eleitorais, aparece sempre o imponderável. A quatro meses e meio da abertura das urnas eletrônicas, os apuros de Alckmin e Kassab podem influenciar negativamente na campanha do favorito José Serra, assim como, no Rio, as fotos da farra de Sergio Cabral com Fernando Cavendish em Paris certamente não ajudam seu candidato, o também favorito Eduardo Paes.

Que novas surpresas nos aguardam?

*****
Fonte:

Revista Exame (dos donos da Veja) escolheu Delta a 3ª melhor empreiteira do Brasil

21.05.2012
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA, 20.05.12


E agora, Reinaldo Azevedo?

http://goo.gl/ZnYi9

Pouco tempo antes da Operação Monte Carlo da Polícia Federal importunar a parceria Veja-Cachoeira, a última edição anual "Melhores e Maiores" da revista Exame escolheu a empreiteira Delta como a 3ª melhor empresa do Brasil no ramo de construção.

A revista Exame é uma publicação da Editora Abril, dos mesmos donos da revista Veja.

A edição anual 2011 da revista apontou a empreiteira Delta como a 3ª melhor do Brasil. Isso foi há apenas um ano atrás, época em que o jornalista de revista Veja, Policarpo Júnior, costumava almoçar com Carlinhos Cachoeira, e o jornalista sabia das ligações da Delta com o bicheiro, segundo interceptações telefônicas da Polícia Federal.

Como se vê, a Delta gozava de uma reputação semelhante à de Demóstenes Torres (ex-DEM-GO) nas páginas das revistas do chefão Roberto Civita, antes da Operação Monte Carlo da Polícia Federal.

Hoje, com a prisão de Cachoeira, o que se observa é uma "mudança de opinião". Da noite para o dia a Delta virou "a pior empresa do Brasil" nas páginas da Veja, o que leva a perguntar: os leitores da Exame e da Veja foram enganados nos anos anteriores?

Outro desdobramento dos fatos é a indicação de haver um racha nos bastidores da parceria Veja-Cachoeira com a empreiteira, após a demissão de seu diretor Cláudio Abreu, também preso com Cachoeira, e que mantinha encontros com o diretor da Veja, Policarpo Júnior.

A revista Veja continua leal à seu pacto de proteção a Carlinhos Cachoeira, pois continua o poupando de uma reportagem de Policarpo Júnior contando o que via quando frequentava a cozinha da organização criminosa (*). Mas o que se nota é um racha entre o núcleo Veja-Cachoeira-Claudio Abreu com a cúpula da matriz da Delta.

Em 2001 e 2002, Exame escolheu a Delta como a nº 1, a melhor empresa de construção

Na publicação do Perfil Institucional 2006/2007 da empreiteira, é citado o "reconhecimento na mídia", com  página inteira dedicada à revista Exame. Lá mostra que a publicação da Editora Abril a coloca sempre entre as 10 melhores empreiteiras há mais de uma década. No ano de 2001 e 2003, foi escolhida a melhor de todas, ocupando o 1º lugar. Nos anos de 2005 e 2007 ocupou o 2º lugar.
CLICK NA IMAGEM PARA AMPLIAR
fonte: Perfil Institucional 2006/2007   
(*) Jornalista pode contar fatos, o que viu e o que vivenciou, sem dizer quem forneceu informações em "off", não violando quebra de sigilo da fonte. O compromisso do jornalista é tão somente não contar quem forneceu a notícia, e nunca ocultar a própria notícia. Por isso Policarpo podeira dizer muito do que sabe, sem ferir nenhuma regra do jornalista em preservar as fontes que pedem anonimato.

*****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/05/revista-exame-dos-donos-da-veja.html

Caiu no grampo Dadá: tem araponga nos movimentos sociais!

21.05.2012
Do blog  ESCREVINHADOR, 20.05.12
Por  Rodrigo Vianna


Há aqui uma pista que talvez interesse aos movimentos sociais. Num grampo da PF, Dadá – o araponga a serviço de Cachoeira – fala com um coronel da Aeronáutica, sobre a infiltração de um “colega” (outro araponga) nos movimentos sociais.

Dadá também cita um “analista da Venezuela”. O que seria isso?

Vale checar.

Precisamos de uma pesquisa mais cuidadosa, até porque o documento acima reproduz apenas o resumo da conversa. Seria preciso encontrar a conversa na íntegra para entender melhor do que Dadá está falando…

De todo jeito, não é segredo pra ninguém que serviços de inteligência mantinham (e mantem) arapongas infiltrados em sindicatos e movimentos sociais. Herança da ditadura e da Guerra Fria. Parte do Estado segue a ver os setores populares organizados como inimigos, que é preciso monitorar…

Leia outros textos de GeralPlenos Poderes

****

Denatran regulamentará utilização de bicicleta elétrica

21.05.2012
Do blog MOBILIDADE URBANA, 17.05.12
Postado por Tânia Passos


O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) vai apresentar, até o fim do mês, um conjunto de normas para regulamentar a utilização de bicicletas elétricas em todo o País. A expectativa é de que as novas regras permitam que os veículos trafeguem em ciclovias e que seus condutores não precisem de habilitação específica. A nova regulamentação deve entrar em vigor antes da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável a Rio+20.

De acordo com a proposta estudada pelo Denatran, os veículos com velocidade de até 20km/h e com motor de até quatro quilowatts de potência serão enquadrados em normas específicas de circulação. A decisão de definir novas regras em âmbito nacional foi tomada após uma reunião, na última terça-feira, entre a direção do Denatran e representantes do governo estadual e da Prefeitura do Rio de Janeiro.

No esboço das novas regras, também foi discutida a permissão do tráfego dos veículos pelas ciclovias, e a isenção da necessidade de licenciamento ou emplacamento. Os usuários de bicicletas elétricas também poderão circular sem habilitação específica e sem o risco de serem abordados por agentes da Lei Seca, como aconteceu com um ciclista no Rio, no final do mês de abril.

Para Fernando Avelino, diretor do Detran do Rio, a conferência Rio+20 e o debate sobre sustentabilidade foram argumentos que sensibilizaram a direção do Denatran para a aprovação de uma nova regulamentação. “A gente tinha que chegar na Rio+20 com essa questão equacionada. Todos nós somos favoráveis à regulamentação correta e também ao meio ambiente, e essas bicicletas vão ao encontro desses interesses de sustentabilidade”.

A decisão foi comemorada por ativistas da mobilidade sustentável. “Se as bicicletas elétricas representam a diminuição significativa do fluxo de trânsito, incentivam as pessoas a usarem mais as bicicletas e favorecem um investimento maior na malha de ciclovias, pelo aumento da demanda, então isso só tem a trazer benefícios. A discussão jurídica é ínfima perto desses benefícios”, afirmou Fred Sampaio, do movimento carioca Respeite Um Carro a Menos.

As regras definitivas ainda estão sendo estudadas por uma comissão do Denatran, que avalia uma forma de definir as novas regras sem ferir o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Pela atual legislação, qualquer modelo de bicicleta elétrica é classificado como veículo ciclomotor, que precisa de emplacamento e habilitação específica. Além disso, os condutores são obrigados a usar capacetes e roupas especiais sob pena de multa e apreensão do veículo e da carteira de habilitação.

A polêmica sobre a regulamentação das bicicletas levou a Prefeitura do Rio a publicar um decreto equiparando os modelos elétricos às bicicletas tradicionais, de propulsão humana e gerou controvérsia entre a prefeitura e o Denatran. Na última semana, a Prefeitura de São Paulo também anunciou que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estuda quais medidas adotará para regulamentar o uso dos veículos.

Fonte: Agência Estado (via Portal do Trânsito)
******
Fonte:http://blogs.diariodepernambuco.com.br/mobilidadeurbana/2012/05/denatran-regulamentara-utilizacao-de-bicicleta-eletrica/bicicleta-eletrica-2/