quinta-feira, 29 de março de 2012

Lançamento de Rands não deverá ocorrer mais na 5ª

29.03.2012
Do BLOG DA FOLHA,28.03.12
Publica por JOSÉ ACCIOLY

(Foto: Arthur Mota/Arquivo Folha)

Ao que tudo indica, o lançamento oficial da candidatura do secretário estadual de Governo, Maurício Rands, à Prefeitura do Recife (PCR) não deverá mais ocorrer nesta quinta-feira (28),conforme o Blog da Folha informou mais cedo. Isso porque os petistas estão na dependência do horário de chegado ao Recife do senador Humberto Costa (PT) – líder do partido que encabeçou o movimento de colocar Rands na jogada da PCR.

Ao invés de ser na tarde desta quinta, o evento oficial para Rands poderá – frisando bem, poderá! – ocorrer na sexta-feira (30), data-limite em que o PT decidirá ou não se haverá prévia no partido, pela manhã. Porém, a dia também não está assegurado.

Os petistas ligados a secretário Rands estão correndo contra o tempo para organizar a estrutura do evento. Há a possibilidade do “festejo” ser em outro local da cidade
****

Vídeo emocionante: Lula volta à luta política

29.03.2012
Do blog CONVERSA AFIADA, 28.03.12
Por Paulo Henrique Amorim



Lula sobrevive aos agourentos da Folha e mira no Cerra

Saiu no R7:

Em vídeo, Lula agradece médicos e anuncia retorno à política

Ex-presidente lembrou solidariedade dos brasileiros e prometeu cuidar mais da saúdeEm um vídeo gravado nesta quarta-feira (28), após ser informado de que seu tumor na laringe não foi detectado pelos exames feitos durante a manhã, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agradeceu o empenho da equipe médica que cuidou de seu tratamento e anunciou a volta à vida política.

Na gravação, divulgada pelo Instituto Lula, o ex-presidente, já com a voz bem mais próxima do normal, diz ter recebido hoje “a notícia mais importante que um ser humano podia receber” após cinco meses de luta contra o câncer. Além dos médicos, ele agradeceu o carinho de sua família, e em especial de sua mulher, a ex-primeira-dama Marisa Letícia.

— Recebi a notícia de que conseguimos vencer o câncer.

Lula lembrou ainda a importância dos funcionários que o atenderam no Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, onde ele fez todo o tratamento oncológico.

— Quero agradecer, sobretudo a cada funcionário, do mais simples ao mais importante, do mais humilde ao mais graduado, porque sem a força deles eu não teria vencido.

Clique aqui para ler: “Folha ressuscita Lula. Mas não desiste de ‘matá-lo’”

****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/video/2012/03/28/video-emocionante-lula-volta-a-luta-politica/

Barrados há 77 dias, haitianos dormem em praça no Peru à espera de decisão do Brasil

29.03.2012
Do portal MSN NOTÍCIAS
Por BBC, BBC Brasil


Barrados há 77 dias, haitianos dormem em praça no Peru à espera de decisão do Brasil
"Haitianos em praça de Iñapari. | Foto: BBC"
Ao menos 273 haitianos que buscam migrar para o Brasil estão desde janeiro numa cidade na Amazônia peruana, onde dormem nas ruas enquanto esperam que o governo brasileiro os acolha.
Eles estavam a caminho do Brasil quando, no dia 12 de janeiro, o governo anunciou que ordenaria o fluxo de haitianos ao país. Pela resolução nº 97/2012 do Conselho Nacional de Imigração (CNIg), definiu-se que a embaixada do Brasil no Haiti passaria a conceder cem vistos de trabalho ao mês para haitianos que quisessem morar no país. Paralelamente, a Polícia Federal passou a barrar haitianos sem visto nas fronteiras.
Como saíram do Haiti sem a permissão, e viajam sem o visto, os 273 haitianos vivem desde então na cidade peruana de Iñapari, que tem cerca de 1.500 habitantes e faz fronteira com o município de Assis Brasil, no Acre. A espera já dura 77 dias.
Para chegar à fronteira, o grupo enfrentou uma longa viagem desde a capital haitiana, Porto Príncipe. A rota se iniciou com um voo até a República Dominicana, seguido por outro até o Panamá e mais um até o Equador.
De Quito, capital equatoriana, os haitianos seguiram de ônibus à Colômbia e, finalmente, ao Peru, de onde viajaram até a fronteira com o Brasil. O deslocamento levou quatro dias e consumiu grande parte das economias dos migrantes - alguns dizem ter gasto o equivalente a R$ 3 mil no trajeto.
'Não sabia que a fronteira estava fechada, achei que a cruzaria no mesmo dia', diz à BBC Brasil Saint Germain Guerbem, de 24 anos. 'Gastei todo o meu dinheiro na viagem e, mesmo que quisesse, não teria condições de voltar ao Haiti'.
Guerbem, que buscava chegar em São Paulo, tem dormido no coreto da praça central de Iñapari com dezenas de compatriotas, em sua grande maioria homens. O grupo também conta cerca de 20 mulheres e crianças, que foram alojadas por moradores locais em suas casas ou em armazéns. Os restantes dormem espalhados pela cidade, sob qualquer cobertura que os proteja das frequentes chuvas, que inundaram Iñapari há duas semanas.
Segundo Guerbem, a comida que alimenta o grupo é doada por associações caridosas de Assis Brasil. Ele se queixa da dificuldade para tomar banho, já que moradores têm cobrado para ceder seus chuveiros.
'Peço que os brasileiros nos ajudem a entrar, porque não podemos aguentar mais'.
Líder do grupo
Por falar espanhol, o pedreiro haitiano Facius Etienne foi alçado ao posto de líder do grupo, encarregado de representá-lo em negociações.
Etienne diz que autoridades peruanas prometeram que intercederiam pelo grupo junto ao governo brasileiro. No último encontro, afirma ele, garantiram-lhe que a a fronteira seria aberta no início de abril. Mas ele diz que compromissos anteriores não foram cumpridos.
Segundo Etienne, grande parte do grupo é formada por chefes de família. Como não trabalham há quase três meses, diz ele, parentes que dependem deles e que ficaram no Haiti estão sendo prejudicados.
'Há famílias que alugaram suas casas, por não terem outras receitas', afirma à BBC Brasil.
'Mesmo assim, temos fé que vamos entrar, porque nos disseram que no Brasil havia trabalho para nós. Se houvesse trabalho no Haiti, não teríamos vindo.'
O grupo, diz Etienne, é composto por muitos profissionais qualificados, como carpinteiros, eletricistas e torneiros mecânicos. Na expectativa de entrar, muitos estão fazendo aulas de português com uma professora voluntária de Assis Brasil.
Controle da fronteira
Segundo o Ministério da Justiça, há cerca de 4 mil imigrantes haitianos no Brasil. Com a publicação da resolução nº 97/2012 do CNIg, o ministro José Eduardo Cardozo disse que o governo buscava ordenar o fluxo de haitianos ao país. 'Não podemos concordar que seja uma situação absolutamente sem nenhum controle', afirmou, à época.
Ele disse ainda que, com a medida, os haitianos ficariam menos vulneráveis à ação de atravessadores (também chamados de coiotes), que cobram para transportar migrantes sem vistos, muitas vezes submetendo-os a riscos e condições degradantes.
A resolução do CNIg diz levar em conta razões humanitárias, em virtude 'do agravamento das condições de vida da população haitiana em decorrência do terremoto' de 2010. No entanto, a ação foi criticada por ativistas de direitos humanos, que a classificaram como uma tentativa do governo de restringir a entrada de haitianos.
Para a coordenadora de direitos humanos da ONG Conectas, Camila Asano, a medida não considerou os haitianos que estavam em trânsito quando ela foi adotada, deixando-os em situação de 'extrema vulnerabilidade'.
Ela afirma que, além dos haitianos em Iñapari, há centenas de outros que aguardam pela regularização de sua situação migratória na cidade de Tabatinga, no Amazonas.
'Condições dramáticas, como a realidade atual do Haiti, requerem respostas rápidas e solidárias. Não é possível que mais de 400 pessoas estejam à margem de uma política que o governo anunciou, dois meses atrás, como sendo uma medida inovadora em busca de uma solução humanitária', diz Asano.
Ela cobra que o governo detalhe como está divulgando a resolução entre potenciais beneficiários haitianos.
Facius Etienne. | Foto: BBC
"Facius Etienne. | Foto: BBC"
Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça, a questão dos haitianos sem visto em Tabatinga está sendo discutida pelo CNIg. Quanto aos haitianos no Peru, diz que eles podem procurar representações diplomáticas do Brasil naquele país para tentar obter um visto de entrada.
Dificuldades burocráticas
Em visita ao Haiti em fevereiro, a BBC Brasil verificou que somente 30% da cota de vistos prevista pela resolução nº 97/2012 foi concedida no primeiro mês em que ela vigorou.
Segundo a embaixada do Brasil em Porto Príncipe, tem havido grande procura de haitianos interessados em obter o visto, mas exigências burocráticas barram uma maior concessão de permissões.
Para se candidatar à permissão, o postulante deve ter passaporte em dia, ser residente no Haiti (o que deve ser comprovado por atestado de residência) e apresentar atestado de bons antecedentes. Com todos os documentos em mãos, deve ainda pagar US$ 200 para a emissão do visto.

*****

Ivan Seixas: “O ‘Capitão Lisboa’ deu a paulada final que matou meu pai”

29.03.2012
Do blog de Luiz Carlos Azenha, 27.03.12
Por Conceição Lemes

À esquerda, Ivan Seixas, tendo atrás a imagem do pai assassinado. À direita, Davi Araújo/Capitão Lisboa que os torturou
Nessa segunda-feira, jovens do Movimento Levante da Juventude fizeram protestos em várias cidades brasileiras para escrachar ex-agentes da ditadura militar. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, o alvo foiDavid dos Santos Araújo. Aqui e lá, as manifestações ocorreram, respectivamente, na frente da sede e da filial da sua empresa de segurança privada
David dos Santos Araújo, nas ações de repressão do DOI-CODI-SP, utilizava o nome de Capitão Lisboa. Ele está envolvido na tortura e morte de Joaquim Alencar de Seixas. Ainda torturou Ivan e abusou sexualmente de Ieda, filhos de Joaquim. Na ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal de São Paulo contra vários ex-torturadores, essas atrocidades estão detalhadas. Abaixo a parte diz que respeito a David Araújo.
Identificado como um dos responsáveis pela morte  de Joaquim Seixas
Era  o torturador que mais batia; como Ivan descobriu a sua identificação
Lisboa a Ivan:  “Não tenho medo de você”. Como abusou sexualmente de Ieda
Em  função das manifestações dessa segunda-feira do Levante da Juventude, Ivan Seixas acabou “reencontrando” o seu torturador, um dos assassinos de seu pai e estuprador de sua irmã. Resolvi entrevistá-lo então.
Tentei ouvir também David Araújo sobre tudo isso. Liguei para a sua empresa, a Dacala, deixei recado, mas não houve retorno.
Atualmente, Ivan Seixas preside o Condepe-SP (Conselho Especial de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana).
Viomundo — Como foi ver os jovens se manifestando na frente da empresa do policial que o torturou, matou o seu pai e abusou sexualmente da sua irmã?
Ivan Seixas – Uma emoção muito grande ver a juventude do meu país outra vez nas ruas por uma causa tão justa. Emocionei-me muito vendo o rosto de meu pai sendo empunhado por gente com a idade que eu tinha quando vi meu pai nas salas de tortura antes de ele ser assassinado pelo “Capitão Lisboa”.  E, como é característica dos covardes, David dos Santos Araújo se escondeu, agora, dos jovens.
Viomundo — Você sabia do paradeiro dele e o que  fazia?
Ivan Seixas – Sabia que  era dono de uma empresa de segurança privada, mas nunca tive a preocupação de saber mais sobre ele ou sobre os outros do naipe dele. Sei que ele é o mantenedor do advogado do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, como noticiaram os jornais. Essa gente se lambuzou de dinheiro dos empresários que financiaram as torturas e com o sangue de brasileiros e brasileiras.
Viomundo –  Sabe como ele matou seu pai?
Ivan Seixas – Outros torturadores me disseram depois que o “Capitão Lisboa”  deu a paulada final que matou meu pai. Foi ele também que cometeu violência sexual contra minha irmã mais velha, que foi presa junto com minha mãe e minha outra irmã.
Viomundo –Como ele te torturou?
Ivan Seixas -- Ele se revezava com os outros torturadores para torturar meu pai ao mesmo tempo que me tortu ravam. Ele me torturou muito, ficou em pé sobre meu peito quando eu estava pendurado no pau-de-arara e quebrou uma vértebra de minha coluna com uma paulada.
Viomundo — Depois que  saiu da prisão, você  já esteve cara a cara com ele?
Ivan Seixas – Em 1990, durante os interrogatórios da CPI das Ossadas de Perus, na Câmara de Vereadores de São Paulo, eu e a Amelinha Teles fomos colocados frente a frente com esse cara para reconhecer  o  tal “Capitão Lisboa”, visto que ele negava.
Quando a Amelinha Teles disse que o reconhecia como sendo o torturador “Capit ão Lisboa”, sua resposta cínica :”Eu não conheço essa mulher. Eu nunca torturei mulher feia“.
Depois foi minha vez. Ele ficou furioso quando eu disse que ele era o torturador e  me conhecia, pois eu tinha dado um murro em sua cara e o jogdo longe. Ele ficou furioso e acabou por  reconhecer que tinha interrogado meu pai.
Viomundo — Agora que David Araújo/Capitão Lisboa está escrachado, qual a tua expectativa?
Ivan Seixas – Acho ótimo que os jovens saiam às ruas para fazer,  mais uma vez, a boa política dos indignados. Não podemos aceitar o esquecimento como norma. Não podemos deixar que o massacre de “hoje” tome o lugar dos de “ontem”, e o esquecimento os apague. Isso não faz bem ao país.
Leia também:

****

Demóstenes, Veja, Mensalão e o STF

29.03.2012
Do BLOG DO MIRO, 28.03.12
Por Por Rodrigo Vianna, no blog Escrevinhador:


O texto que o Escrevinhador reproduz abaixo merece ser lido com muita atenção. A informação é de que Carlinhos Cachoeira (aquele que a Folha, com deferência, chama de “empresário do jogo”) teria tramado o Mensalão em parceria com Demóstenes Torres (DEM-GO) – o grande tribuno da moral e dos bons costumes. E mais: a Veja pode ter participado da trama.


Hum…

Em “reportagem” de 2007 (trazia a linda ilustração que observamos logo acima), era assim que a impoluta revista referia-se ao tribuno dos bons costumes: “o incansável senador Demostenes Torres, do DEM de Goiás. No Conselho de, digamos assim, Ética do Senado, ele é uma das únicas vozes a exigir investigações sérias e denunciar as manobras para absolver sem apurar. Demostenes Torres entende o que muitos senadores fazem questão de não ver: o Senado está se desmoralizando numa velocidade avassaladora. A esperança que resta é que esse pequeno conselho de mosqueteiros da ética consiga derrotar as malandragens do grande Conselho de, digamos assim, Ética do Senado. “ 

Hum, de novo…

Agora algumas coisas começam a ficar claras. Repararam que nas últimas semanas a Folha e O Globo entraram de cabeça no “lobby” para que o julgamento do Mensalão aconteça em maio? Marcaram ate data pra sessão –  dia 18.

Folha, Globo e Veja sabem que o caso Cachoeira embaralha tudo.

Querem que o STF julgue o Mensalão “com a faca no pescoço“, como já disse um ministro. O objetivo é claro: esmagar Zé Dirceu e encurralar o PT.


O processo traz, sim, muitas provas de que o PT de fato praticou Caixa 2. Delúbio, aliás, confessa isso tudo (como se precisasse!). Mas não há nos autos nada que prove a tese do Mensalão! Pouco importa. O carimbo de “chefe da quadrilha” para Dirceu é tudo o que Veja, Folha e Globo querem. Não estão preocupados com interesse público. Se não, como explicar que tratem o caso Cachoeira com tanta “discrição”?

Mais que isso. PH Amorim já deu a notícia recebida de uma fonte quentíssima, de que Lula quer as CPIs da Privataria e do Cachoeira.

Agora, eu dou outra informação. A avaliação no PT é de que a CPI do Cachoeira tem mais chance de ser instalada e pode causar mais danos no PIG e na oposição.

Confiram abaixo a notícia que dá pistas do que está em jogo (com perdão do mau trocadilho) nesse episódio. (Rodrigo Vianna)
===
Denúncia: Mensalão teria sido “armado” pela dupla Torres e Cachoeira

Por Daniela Novais, no Portal Câmara em Pauta


De acordo com o empresário Ernani de Paula, ex-prefeito de Anápolis, o contraventor Carlinhos Cachoeira e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) são os responsáveis pelo o maior escândalo político dos últimos anos, o do Mensalão, que está nas mãos do Supremo Tribunal Federal (STF) e pode ser julgado ainda neste ano.

Ernani afirmou ao site Brasil 247 que a fita em que um funcionário dos Correios, Maurício Marinho, aparece recebendo uma propina de R$ 5 mil dentro da estatal foi gravada pelo araponga Jairo Martins e divulgada numa reportagem assinada pelo jornalista Policarpo Júnior, diretor da sucursal da revista Veja em Brasília, que seria ligado a Cachoeira (veja matéria). “Estou convicto que Cachoeira e Demóstenes fabricaram a primeira denúncia do mensalão”, disse o ex-prefeito.

Quase nenhuma novidade, não fosse o fato de que no início do governo Lula, em 2003, o senador Demóstenes era cotado para se tornar Secretário Nacional de Segurança Pública e para isso, deveria mudar do DEM para o PMDB, o que inclusive está em uma das gravações feitas com autorização da justiça, em conversa entre Cachoeira e a esposa de Demóstenes, Flávia.

Segundo Ernani, o interesse dele próprio na manobra estava no fato de que a ex-mulher dele se tornaria senadora da República, pois era suplente de Torres. Já Cachoeira pretendia nacionalizar o jogo no País e com Torres na Segurança Pública, isso seriam favas contadas.

Jogaram água

Ernani contou ainda que houve veto à indicação de Demóstenes e que teria partido do então ministro da Casa Civil, José Dirceu.


Depois disso, Cachoeira e Demóstenes passaram a articular uma retaliação. Segundo Ernani, a primeira ação teria sido a fita, gravada por Cachoeira e que derrubou Waldomiro Diniz, ex-assessor de Dirceu. O segundo passo, preponderante para desencadear o escândalo do mensalão, teria sido a reportagem de Veja, assinada por Policarpo, com a fita dos Correios em 2005.

Quem te viu quem te Veja – Sete anos e uma operação da Polícia Federal depois, o diretor de Veja em Brasília aparece na gravação de 200 conversas com Cachoeira, onde os dois trocam informações sobre as matérias publicadas que traziam as denúncias mais importantes e que foram derrubando muitos políticos pouco a pouco. A Veja ainda não falou sobre o assunto.

Fato é que as declarações de Ernani de Paula corroboram para confirmar a versão de que o famoso Mensalão pode ter sido mais um joguete do mestre Cachoeira. Vamos aguardar os próximos movimentos até o xeque mate.

Com informações do Brasil 247.

Leia outros textos de Plenos Poderes

*****

BLOG MOBILIDADE URBANA:Ciclista: livres para infrigir


29.03.2012
Do blog MOBILIDADE URBANA
Por Tânia Passos
taniapassos.pe@dabr.com.br

Ciclista na contramão e transportando duas crianças

Na escala da mobilidade, o ciclista é o segundo mais importante. Só perde para o pedestre. A defesa pelas ciclovias é uma das principais bandeiras quando o assunto é integração dos modais e melhoria do tráfego. Mas há um aspecto que precisa ser visto com preocupação: as infrações dos ciclistas. Sempre ignorado nas políticas de mobilidade, o ciclista, em geral, não se sente integrante do sistema de mobilidade e ignora as leis de trânsito criando regras próprias. Como o transporte não é regulamentado pelo município, não há como aplicar multa e eles ficam livres para infrigir.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, os veiculos não motorizados devem se adequar às normas de circulação dos veículos motorizados, mas cada município deve fazer sua regulamentação. “Aqui em Pernambuco nenhum município regulamentou as normas de circulação dos veículos não motorizados. Sem o instrumento do licenciamento não há como aplicar a multa”, explicou a presidente do Conselho Estadual de Trânsito (Cetran), Simíramis Queiroz.

Seja por falta de punição, descuido ou conhecimento, o fato é que o trânsito das bicicletas na cidade é confuso e arriscado. E para piorar não há ciclovias ou ciclofaixas suficientes para pemitir uma melhor mobilidade por parte do ciclista. “No caso de não haver ciclovia, o ciclista tem que trafegar na via de acordo com as normas, mas muitos pedalam na contramão”, afirmou a presidente do Cetran. A estudante Jéssica Lima, 19 anos, conta que já foi atropelada por uma bicicleta em plena faixa de pedestre. “Alguns não param quando o sinal fecha e o pedestre acaba sendo vítima. Isso já aconteceu comigo”, revelou.

Ciclista ignora o sinal vermelho da ciclovia

Durante quase duas horas, o Diario acompanhou o tráfego na Avenida Boa Viagem e constatou que os ciclistas ignoram o sinal vermelho na ciclovia, sem nenhuma hesitação. “Se não tiver pedestre passando na faixa, eu não paro”, admitiu o ciclista Cleonildo da Silva, 34 anos, porteiro. Ele mora no Ibura e trabalha em Boa Viagem. A bicicleta é o seu meio de transporte. “Eu não vou dizer que cumpro todas as normas de trânsito de minha casa até o trabalho. Os carros não respeitam o ciclista e, em alguns casos, a gente tem que se defender, mesmo que seja errado”, justificou.

Pedalar na contramão, aliás, deixou de ser exceção há muito tempo. Flagrar esse tipo de irregularidade é fácil. Na Avenida Jaime da Fonte, no bairro de Santo Amaro, onde há duas vias largas nos dois sentidos, é comum encontrar ciclistas circulando pela contramão. Foi lá que encontramos a dona de casa, Sandra Maria Cabral Cavalcanti, 45 anos, transportando os dois netos em uma bicicleta pela contramão. Um neto no bagageiro e outro dentro de uma caixa no quadro da bicicleta, o que também não é permitido.  “É o único transporte que eu tenho, mas vou ter mais cuidado para não ir pela contramão”.  Apesar dos riscos, ela conta que nunca sofreu um acidente.

Desprovidos de segurança

Enquanto transporta um dos netos em uma caixa no quadro da bicicleta, a dona de casa Sandra Maria Cabral, que circulava na contramão, também ignora outras normas de segurança, inclusive para ela mesma. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), entre os equipamentos de segurança, a bicicleta deve dispor de campainha, sinalização noturna e espelho retrovisor do lado esquerdo. A bicicleta dela não dispõem de nenhum desses equipamentos e para piorar, ela também pedalava de chinelo. “Essa é a bicicleta que eu tenho e aqui eu consigo levar juntos os meus netos”, afirmou.

A incoerência é que os ciclistas, que mais usam a bicicleta como meio de transporte, são, talvez, os que dispõem de menos equipamentos de segurança. É o caso do ciclista Amaro Barbosa Farias, 53 anos, ambulante, que mora em Peixinhos e trabalha na Estação Central do Metrô Recife. “Eu venho para o trabalho todos os dias de bicicleta e gasto menos tempo do que se viesse de ônibus”, comemorou. A bicicleta dele, no entanto, é quase um atentado à segurança. Para começar não tem freio e nenhum tipo de sinalização, mesmo ele fazendo percurso noturno. “Eu circulo pela Agamenon e PE-15 para chegar em casa. É perigoso e já sofri um acidente uma vez, mas é o meu transporte”, afirmou.
*****