Pesquisar este blog

domingo, 4 de março de 2012

MÍDIA PAULISTA É PARTIDARIZADA E TUCANA: Nacionalizando São Paulo

04.03.2012
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDNENTE LULA


Chega a ser comovente a satisfação com que alguns setores da sociedade paulista receberam a decisão de Serra de disputar as eleições este ano. Desde o dia em que ele fez o anúncio, estão em êxtase.

Foi nítido o aplauso de alguns veículos da grande imprensa da cidade. Editoriais e colunistas celebraram o gesto "de estadista" do ex-governador, com o entusiasmo de quem noticia um fato de importância capital para o Brasil.

Na internet, seja nos blogs da direita, seja nas manifestações "espontâneas", viu-se um clima que misturava júbilo e animosidade. Vinha daqueles que se sentiam-se órfãos de uma candidatura que "enfrentasse" o "lulopetismo". Ficaram felizes quando seu campeão se dispôs a entrar no páreo.

Serra - não fosse ele quem é - parece estar se sentindo bem no papel que lhe está sendo oferecido. Tudo que mais quer é (re)assumir o posto de "líder nacional que luta contra Lula e o PT".

É como se o passado recente, o presente e o futuro se entrelaçassem em uma só história. Nela, 2012 é apenas uma etapa - em si desimportante - no meio do caminho entre 2010 e 2014.

No discurso em que comunicou a decisão de concorrer, Serra foi explícito: seria candidato para, eleito, impedir, com o "peso e a importância que tem São Paulo", o "avanço da hegemonia de uma força política no país", assim solucionando os "dissabores que o processo democrático tem enfrentado" (seja lá o que chama de "dissabor").

A proclamação de que entrou na disputa para "conter o avanço do PT" foi logo recompensada. No dia seguinte, o maior jornal conservador da cidade saudou a "federalização" da eleição, dizendo que o gesto de Serra "reanima (sic) a possibilidade (...) de existência de uma alternativa ao lulopetismo no comando dos destinos nacionais". Para o ex-governador, rasgou seda: "José Serra cria um fato político que transcende os limites do município".

Enquanto prosperava essa troca de amabilidades sob a luz dos holofotes, nos desvãos da internet o tom era mais pesado, ainda que com conteúdo semelhante. Depois de meses amuados, também os ciber-brucutus do serrismo se sentiram "reanimados" pela perspectiva de derrotar os adversários. Os radicais se alvoroçaram.

Parece perfeito: um político que se oferece para fazer aquilo que um segmento da sociedade almeja e diz o que essas pessoas querem ouvir. Serra deseja ser candidato para derrotar o "lulopetismo" e há quem torça para que a eleição de São Paulo seja isso. Qual o problema?

O problema é que nem ele, nem seus amigos veem a eleição de prefeito como um fim (mas os eleitores sim).

Ou faria sentido "enfrentar o lulopetismo" tomando conta da prefeitura? Administrando a Guarda Municipal, a merenda escolar, o transporte público? Lidando com camelôs e perueiros? Distribuindo uniformes escolares? Tentando acabar com os congestionamentos no trânsito? Construindo piscinões?

Pode haver - e há - quem queira ver sangue no embate PSDB vs. PT. A dúvida é se o ringue apropriado é uma prefeitura - mesmo a de São Paulo, que é, apenas, maior que as outras.

Na hora em que a campanha levar o ex-governador ao Jardim Elba, em Sapopemba, o que ele vai dizer aos moradores? Que vai conter o "avanço do PT"? Como? Brigando com o governo federal, com Dilma e seus programas?

Ou vai fazer como em 2010, prometendo que manterá e melhorará iniciativas como o Bolsa-Família, o Prouni, o Minha Casa, Minha Vida? Que vai fazer tudo aquilo com que Fernando Haddad se comprometerá, só que com mais "competência", pois tem mais "experiência"?

E na hora em que seu vigor anti-lulopetista arrefecer? Na hora em que voltar a ser o Serra de 2010, o "Zé que vai continuar a obra do Lula"?

Só há um jeito de Serra manter a contundência oposicionista que tanto agrada a seus amigos: convencer-se de que a eleição está perdida. Só nessa hipótese será coerente com o que esperam dele. Coluna: Marcos Coimbra

******

DATAFOLHA EXPLORA O RECALL DE SERRA: MAS VAIAS SINALIZAM TONIQUETE DE REJEIÇÃO E DESCRÉDITO


04.03.2012
Do site da Revista Carta Maior

O primeiro dia de campanha de rua do pré-candidato José Serra, neste sábado, foi planejado para passar uma imagem de popularidade e renovação. Nada melhor que uma visita  ao Centro Cultural da Juventude "Ruth Cardoso", na empobrecida zona norte da capital, para colher cenas de integração entre o tucano e a juventude da periferia. 

O dia era ideal: um show do rapper Criolo reunia centenas de moços e moças em fila que serpenteava as instalações do centro em busca de ingressos. O tiro do oportunismo saiu pela culatra do desgaste. Tão logo a figura do arestoso ex-governador despontou no local, cercado de comitiva e câmaras para colher cenas destinadas à propaganda eleitoral, irrompeu a espontânea, esférica, densa e incontrolável catarata de vaias e apulpos. Serra recolheu-se no interior do recinto em 'visita às instalações'. Inútil: à saída, nova muralha de vaias e xingamentos ofuscaria a comemoração dos 30% de intenções de votos alardeados em seguida pelo Datafolha. 

O episódio simbólico da presença oportunista na periferia da capital deu substancia a um teto de 35% de rejeição e demolidores 66% de descrédito que cercam o nome de José Serra, onde quer que ele vá. Inclusive dentro do seu próprio partido, como mostra a análise da editora de Política de Carta Maior, Maria Inês Nassif, em sua coluna nesta pág (Leia também a análise de Emir Sader e a coluna de Mauro Santayana sobre o cenário político eleitoral; e o Blog das Frases, sobre a herança ruinosa do comodato Serra/Kassab numa São Paulo que passou a contar com um novo tipo de chuva: pedaços de concreto despencam de viadutos e pontes com alarmante regularidade, por falta de manutenção).
****

Feministas protestam nuas no colégio eleitoral em que Putin votou

04.03.2012
Do portal ÚLTIMO SEGUNDO
Por iG São Paulo 

Ativistas do grupo ucraniano Femen se manifestam contra primeiro-ministro, que deve vencer eleições presidenciais deste domingo 


Foto: AP
Funcionários de seção eleitoral tentam conter protesto de ativista do grupo feminista Femen em Moscou
As jovens entraram no local 15 minutos depois de Putin sair, tiraram a roupa e gritaram frases em coro como: "Putin fora!" e "Putin ladrão!". Elas também derrubaram a urna eletrônica em que o candidato votou.
A polícia as retirou imediatamente do prédio e tratou de cobrir seus corpos nus com casacos, nos quais traziam inscrições do tipo "Ratos do Kremlin".
O porta-voz de Putin, Dmitri Peskov, citado pela imprensa russa, comentou o episódio: "As meninas são tontinhas. Acham que isso é romântico. Mas falando sério: primeiro, é uma violação da ordem pública. Segundo, pelo que posso entender, ofereceram resistência aos agentes de segurança."
Peskov falou depois que Oxana Shachko, Anna Deda e Irina Fomina fossem detidas pela polícia. Apesar disso, os representantes da campanha de Putin deixaram claro que não denunciarão as ativistas, revelou a agência Interfax.
As ativistas da Femen ficaram famosas no mundo todo pelas ações provocativas que promovem em defesa dos direitos das mulheres e contra seus opositores políticos.
Votação na Rússia
Na votação deste domingo, Putin espera serreconduzido à presidência para um terceiro mandato, após ter sido primeiro-ministro por quatro anos. Ele governou o país de 2000 a 2008, mas a Constituição russa impede que um presidente se candidate a um terceiro mandato consecutivo. Ele enfrenta quatro oposicionistas, três dos quais já derrotou em ocasiões anteriores.
A votação ocorre em meio a uma forte onda de protestos, indignação popular e ceticismo, provocada por acusações de que teriam ocorridofraudes generalizadas a favor do partido de Putin, Rússia Unida, nas eleições parlamentares de dezembro.
As denúncias provocaram uma série de manifestações em diferentes pontos do país que reuniram cerca de 90 mil pessoas, desafiando um inverno rigoroso e temperaturas abaixo de zero.
A fim de aplacar os críticos, Putin anunciou a instalação de webcams nos 90 mil postos eleitorais do país, mas muitos na Rússia e entre a comunidade internacional questionam a eficácia da iniciativa. Em um relatório, a Organização de Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) afirmou que ''câmeras não podem capturar todos os detalhes do processo de votação, em especial a contagem de votos''.
Uma missão conjunta da OSCE e do Conselho Europeu formada por 250 pessoas monitorará as eleições. Milhares de russos se voluntariaram como fiscais eleitorais e receberam treinamento para saber identificar e denunciar possíveis fraudes.
*Com EFE e BBC

****

Associação de magistrados europeus pede indulto para Baltazar Garzón

04.03.2012
Do portal OPERA MUNDI, 03.03.12
Por  Marina Terra | Redação

O juiz foi condenado a 11 anos de incapacitação sobre um caso de escutas ilegais


Medel, associação europeia de magistrados, anunciou que irá pedir indulto para o juiz espanhol Baltasar Garzón, recentemente expulso da carreira judicial em seu país. O magistrado, de 56 anos, conhecido em todo o mundo por perseguir os ataques aos direitos humanos, foi condenado em 9 de fevereiro a 11 anos de incapacitação sobre um caso de escutas ilegais, um veredicto que arrasou sua carreira provocou sua expulsão da magistratura.

Na época, o agora ex-juiz ordenou as escutas entre os supostos líderes de uma rede de corrupção, conhecida na Espanha como "trama Gürtel", que em 2009 salpicou altos funcionários regionais do PP (Partido Popular), que agora governa a Espanha, e seus advogados, ao suspeitar que estes últimos participavam de operações de lavagem de dinheiro.

Para a Medel, a decisão do tribunal espanhol vai criar precedentes, permitindo deslocar a discussão jurídica do processo para a praça pública. “A partir de agora, quem tiver um processo-crime e não concordar com determinadas decisões que não estão completamente definidas na lei pode acusar o juiz de prevaricação. Há uma margem de liberdade que pode ser utilizada contra o magistrado”, alertou António Cluny, presidente da entidade.

O indulto é justificado ainda com a "desigualdade de tratamento" a que foi sujeito Garzón, explicou Cluny, numa conferência de imprensa realizada em Vilamoura, onde acontece IX Congresso do Ministério Público. A Medel, criada em 1985 e composta por juízes e procuradores do Ministério Público, tem como membros 12 países, entre os quais Portugal, Espanha, Itália, França, Alemanha, Grécia e Turquia.

De acordo com os magistrados europeus, "a liberdade de interpretação jurídica, susceptível de análise pelos tribunais superiores, é essencial para o progresso do Direito e dos direitos humanos", considerando que o juiz espanhol foi perseguido "por ter tomado uma decisão judicial fundamentada numa interpretação da lei, que já foi aplicada em outros países".


*****

FALSOS MORALISTAS DA OPOSIÇÃO: "Pensei que ele tivesse abandonado o crime"

04.03.2012
Do blog ESQUERDOPATA, 03.03.12


NÃO É PIADA. FOI ISSO O QUE DISSE O SENADOR DEMÓSTENES TORRES (DEM/GO), UM DOS PRINCIPAIS MORALISTAS DO CONGRESSO, SOBRE SUAS RELAÇÕES COM CARLINHOS CACHOEIRA, O MAIS DESTACADO MAFIOSO BRASILEIRO; O BICHEIRO DAVA ATÉ PRESENTINHOS AO SENADOR


Ex-delegado, o senador Demóstenes Torres (DEM/GO) se especializou nos últimos anos em posar como eterno paladino da ética, pronto a assinar qualquer pedido de CPI e a prestar declarações a todo órgão de imprensa disposto a repercutir escândalos de corrupção. Até aí, tudo bem. Esse é o papel democrático da oposição. O que não se sabia – e se sabe agora – é que Demóstenes Torres é amigão do peito do bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso ontem na Operação Monte Carlo da Polícia Federal. Questionado sobre suas relações com o Don Corleone brasileiro (leia mais aqui), Demóstenes soltou uma pérola: “Pensei que ele tivesse abandonado a contravenção e se dedicasse apenas a negócios legais”.

Não, Demóstenes.

Impossível. O Brasil inteiro sabia das atividades ilegais de Carlinhos Cachoeira. Especialmente em Goiás, onde ele administrava uma rede de cassinos ilegais. O que o Brasil não sabia – e sabe agora – é que Cachoeira dava as cartas no governo de Goiás, nomeando delegados e técnicos de várias áreas do governo (leia mais aqui).

O que o Brasil também não sabia – e sabe agora – é que Cachoeira dava presentinhos ao senador mais moralista da República. No casamento do senador, o presente dado pelo bicheiro foi uma cozinha completa. “Sou amigo dele há anos. A Andressa, mulher dele, também é muito amiga da minha mulher”, declarou Demóstenes.

Além de desmoralizar o senador goiano, a Operação Monte Carlo também pode arruinar a carreira política do governador Marconi Perillo, do PSDB, que entregou a segurança pública do seu estado a um dos maiores contraventores do País. 
******

VI O MUNDO: O debate interno no PSDB

04.03.2012
Do blog de Luiz Carlos Azenha, VI O MUNDO, 02.03.12
Por Sugestão de Gerson Carneiro
PS do Viomundo: Nossa, até parece o PT nos bons tempos!
*****

CONVERSA AFIADA: PHA processa a Globo (de novo)

04.03.2012
Do blog CONVERSA AFIADA, 02.03.12
Por Paulo Henrique Amorim

Na inauguração da sede do Barão de Itararé, quando este ansioso blogueiro ouviu de José Dirceu que tinha adotado a técnica do Chico Mendes, o “empate”, blogueiros sujos enriqueceram a lista dos que deturparam os termos da verdadeira conciliação entre PHA e Heraldo Pereira de Carvalho.

(Clique aqui para ler “Gilmar, Kamel, Heraldo … Como PHA se defendeu”.)

A lista foi prontamente encaminhada ao Dr. Cesar Marcos Klouri, advogado de Paulo Henrique Amorim, que tomou as providências para dar início a processo judicial contra:

- a Rádio do Moreno, no portal Globo;

- Alberto Dines, no programa “Observatório da Imprensa”, na TV Cultura de São Paulo;

- e Fabio Pannunzio da Rede Bandeirantes.


Paulo Henrique Amorim
*****

PCR abre mais 250 vagas de até R$ 1,2 mil na Saúde

04.03.2012
Do BLOG DOS CONCURSOS, 09.02.12
Publicado por Laiziane Soares


Além do concurso público que oferece 562 vagas para a Secretaria de Saúde, a Prefeitura da Cidade do Recife (PCR) também abriu seleção pública para contratação de 250 agentes comunitários de saúde. A remuneração para o cargo é de R$ 600, mais gratificações que podem elevar o valor bruto para até R$1.214,00.
Para poder concorrer a uma das vagas, é necessário que o candidato resida na comunidade em que se inscreveu, uma vez que é requisito para a investidura no cargo trabalhar na própria comunidade onde mora. Por isso, a secretaria distribuiu as vagas em todos os bairros dos seis distritos sanitários.
Os requisitos para candidatura são: possui certificado de conclusão do ensino fundamental emitido por instituição reconhecida pelo MEC e haver concluído, com aproveitamento, curso introdutório de formação inicial. As inscrições começam nesta sexta-feira (10) e seguem até o dia 12 de março. A taxa de participação é de R$ 48.
Entre as atividades a serem exercidas pelos novos agentes comunitários de saúde estão a participação de ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação da saúde em nível individual e coletivo e a realização de visitas domiciliares com finalidade de realizar cadastramento das famílias e mapeamento da área. Para acessar o edital, clique aqui.
Com informações da assessoria da PCR

******

FIFA: Grosseria ou malandragem?

04.03.2012
Do blog TIJOLAÇO, 03.03.12
Por Brizola Neto

Valcke: "pé na bunda" do Brasil e beijoca no rosto 

de Ricardo Teixeira?
Sobre a inominável grosseria do cidadão Jerome Valcke, que tem o direito de criticar o que quiser na organização da Copa mas não tem o direito de dizer que “o Brasil merece levar um pé na bunda”, o que levou o Governo Brasileiro a tomar a atitude de não mais recebê-lo como interlocutor da Fifa, é importante que se leia o que escreve Juca Kfouri, que entende como poucos de cartolagem, Ricardo Teixeira e o jogo sujo que corre por ali.

Atenção: podem estar querendo melar a Copa no Brasil

É sabido que a Fifa adoraria poder levar a Copa de 14 para a Inglaterra e parar de apanhar dos ingleses.
É sabido que Jérôme Valcke é parceiro de Ricardo Teixeira, a ponto de passarem férias juntos.
E que o secretário-geral da Fifa é pau para qualquer obra, até para ser condenado como foi pela Justiça da Suíça por litigância de má-fé, como foi no “caso Mastecard”.
A Fifa não dá ponto sem nó e não cometeria a indelicadeza que cometeu ao dizer que o Brasil precisa levar um pé na bunda para se mexer, por mais que saibamos que as coisas, de fato, estejam atrasadas por aqui.
Alguma coisa mais grave tem por trás de tal atropelo a um mínimo de diplomacia.
E não restou outra atitude ao governo brasileiro que não a reação do ministro Aldo Rebelo, exigindo a troca do interlocutor.
Pode ser o começo do fim da Copa no Brasil, nessas alturas com prejuízos incalculáveis diante de tudo que já está, mesmo que atrasado, em andamento.
Teixeira certamente se diverte com isso tudo e, quem sabe, se apresente como salvador, como algodão entre cristais, para evitar a catástrofe.
Seja como for, esta não é uma guerra de luvas de pelica, mas de gangsters (os cartolas da Fifa, evidentemente) mesmo.
Meu comentário: Não é improvável que as manobras sejam estas que Juca Kfouri descreve, mas a Fifa não está em condições de fazer o que bem quiser. A entidade, todos sabem, está abalada por escândalos e escândalos e, no mundo, não é como aqui que a Globo “absolve” a CBF nas instâncias cíveis e criminais. A reação do Governo brasileiro foi o mínimo que poderia fazer, e está-se agindo com a maior diplomacia, ao contrário do cavalo de cartola que responde pela secretaria da Fifa. Terrível é que a imprensa brasileira, que torce pelo fracasso da Copa, não tenha nem mesmo a dignidade – com raras exceções, como a que se transcreveu – de reagir a uma afronta grosseira como a que se fez.

*****