Pesquisar este blog

sábado, 3 de março de 2012

TIJOLAÇO: Protecionismo é ruim só quando é nosso

04.03.2012
Do blog TIJOLAÇO, 28.02.12
Por Brizola Neto


A decisão dos EUA de cancelar a compra dos aviões Super-Tucano (20 unidades, com possibilidade de chegar a 55 aeronaves) para treinamento de sua Força Aérea não tem nenhuma razão formal ou burocrática.

É o bom e velho protecionismo em ação.
A Embraer cumpriu todas as regras: associou-se a uma empresa americana, ia produzir lá 80% da aeronave – aqui, nossas exigências de conteúdo nacional raramente superam os 65% -  e não havia questões de tecnologia a transferir.
Ao contrário, aliás, o fato de o avião da Embraer contar com sistema inercial de voo, computador de bordo, motor, hélice, e outros sistemas de origem norte-americana foi a razão para aquele país impedir-nos de vende-lo à Venezuela.
Mas na hora de ceder à pressão do lobby da Beechcraft e da Lockheed, aí os aviões não são “suficientemente americanos”.
E é claro que isso tem a ver com a questão da compra dos caças do programa FX-2, no qual os americanos querem nos vender os F-18 da Boeing.
E os bobocas aqui dizendo que o que vale é a “análise técnica” dos aviões. A oficial-aviadora Eliane Cantanhede, da esquadrilha da Folha, então, é brevetada nisso.
A possibilidade de um avião destes ser prejudicado em combate por um fiapo tecnológico é tão perto de zero que não é possível nem imagina-la.
Mas o poder gerado pela transferência de tecnologia e pela capacidade nacional de realizar, em ponto maior, projetos bem sucedidos como o do Super-Tucano é evidente.
E tecnologia, no poder bélico hoje, como em todos os tempos, é a verdadeira arma.  Abrir mão dela é desarmar-se.
O que não seria mau, se todos os fizessem. Mas não fazem.
*****

José Serra muda nome do Brasil para Estados Unidos

03.03.2012
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo José Serra, foi fazer campanha antecipada  na TV e acabou confessado que ama os EUA durante entrevista ao “Jornal da Noite”, do Boris Casoy da TV Bandeirantes, na noite desta quinta-feira. Serra afirmou que o nome do Brasil é Estados Unidos do Brasil.

“O Brasil chama Estados Unidos do Brasil. Os Estados Unidos chamam Estados Unidos da América”, disse.

Corrigido pelo apresentador do jornal, Boris Casoy, Serra perguntou: “Mudou?”

Após ser informado que o nome correto é República Federativa do Brasil, minimizou. “É parecido”. E em seguida continuou falando um mosnte de besteiras para disfarçar. “É federação. São conjuntos de Estados que se associaram, ou já nasceram associados, formando um país.”



Seria efeito das incursões de José Serra na embaixada estadunidense?

Seriam sequelas da bolinha de papel?

Seria efeito do livro "A privataria tucana", onde a filha, genro, sócio, primo político e caixa de campanha de Serra aparecem movimentando dinheiro em empresas "offshores" de paraísos fiscais?

Seria ato falho pela adesão ao neoliberalismo estadunidense, em 1973, quando Serra mudou do Chile para os EUA, justamente quando houve o golpe contra Salvador Allende no Chile perpetrado pelos EUA?

O fato é que, na noite de quinta-feira, durante entrevista a Boris Casoy na TV, José Serra trocou o nome oficial da República Federativa Brasil, em vigor desde 1967, chamando de Estados Unidos do Brasil.

******

MANIPULAÇÃO DA MÍDIA GOLPISTA: Mídia esconde que maioria aprova cotas “raciais” nas universidades

03.03.2012
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

Muitos se surpreenderão com este post já a partir do título porque o que revela vai de encontro à luta da elite branca brasileira e da mídia que controla para impedirem uma política pública que está revertendo situações esdrúxulas como a de médicos negros serem raríssimos no país, praticamente inexistindo em regiões como São Paulo.
As cotas para negros nas universidades são uma “política afirmativa” de inspiração norte-americana que está fazendo pela maioria dos brasileiros – que é negra ou descendente de negros – o mesmo que fez nos Estados Unidos, país em que negros ocupam muito mais cargos e profissões de maior prestígio e melhor remunerados.
Sempre aparece alguém que se surpreende com a informação de que a maioria dos brasileiros é negra porque este povo foi acostumado pela mídia a pensar que os brancos são maioria no Brasil, já que a televisão distorce a proporção de negros em novelas, telejornais e na propaganda, relegando-os ao esporte e à música.
Vale notar que é provável que os negros sejam muitos mais do que apenas 50%, pois alguns, para se livrarem do estigma da “raça” que faz o negro ganhar salários menores e ser preterido em empregos, declaram-se brancos. Como o Censo do IBGE se baseia em autodeclaração de etnia pelos entrevistados, a população negra deve ser ainda maior.
Esse fato explica outra realidade. Devido aos racistas se valerem de alguns poucos negros que superaram a discriminação, chegaram aos estratos de maior renda e passaram a defender pontos de vista do entorno social branco sobre questões como cotas “raciais” nas universidades, a impressão que fica é que nem os negros querem essa política pública, quando, em verdade, é exatamente o oposto.
A maioria esmagadora dos negros, para não dizer a quase totalidade deles, apóia as cotas “raciais” em universidades. E isso não é uma opinião, mas um fato apurado por algumas das raras pesquisas de opinião sobre o assunto que mostram que a maioria da população brasileira, que é negra, apóia as cotas com a colaboração de reduzido contingente de brancos.
O instituto de pesquisas de opinião Datafolha sondou a visão da sociedade sobre a política afirmativa de cotas para negros nas universidades durante raras oportunidades na década passada e constatou essa realidade que, aliás, é um dos fatores que sustentaram o apoio da maioria dos brasileiros ao PT ao menos nas últimas duas eleições presidenciais.
Pesquisas Datafolha levadas a campo em 2006 e 2008 detectaram, respectivamente, que 65% e 62% dos brasileiros apoiam cotas para negros em universidades públicas apesar de considerarem que tal política pública é humilhante e geradora de reações racistas, o que não impede essa maioria de considerar que cotas são a única forma de um contingente significativo de negros chegar ao ensino superior.
Alguns poucos negros adotaram os interesses dos brancos ao serem aceitos em seus círculos sociais após conseguirem cursar o ensino superior, formarem-se e ganharem dinheiro. E a mídia, que serve à elite branca que quer reservar vagas nas universitárias públicas (e gratuitas) aos seus filhos, instrumentaliza esses que esqueceram as origens.

*****

GOLPE MILITAR DE 1964:Procurador reabre casos de desaparecidos na ditadura

03.03.2012
Do blog ESQUERDOPATA, 02.03.12

Rubens Paiva, Mário Alves de Souza, Stuart Angel Jones e Carlos Alberto Soares de Freitas foram presos pelos órgãos de segurança em 1971 e desapareceram. Os dois primeiros, segundo testemunhas, foram torturados e mortos no DOI-Codi, na Rua Barão de Mesquita. Stuart Angel foi espancado e arrastado por um carro com a boca no cano de escape na Base Aérea do Galeão. Carlos Alberto, o Beto, morreu na Casa da Morte, centro de tortura clandestino das Forças Armadas em Petrópolis, na Região Serrana do Rio. Os corpos nunca apareceram. Os quatro casos estão entre os 39 do Rio e do Espírito Santo reabertos no Rio pelo promotor da Justiça Militar Otávio Bravo. Ele achou um novo caminho jurídico

- O Supremo Tribunal Federal equiparou o desaparecimento forçado, quando é feito por agentes do Estado, ao crime de sequestro, que permanece. Só se encerra quando aparece a pessoa ou o corpo. O crime aconteceu antes de 1979, mas será que terminou antes de 79? Como essas pessoas, inclusive Rubens Paiva, continuam desaparecidas, o raciocínio jurídico é que o sequestro continua em curso. Se o corpo aparecer, então é crime de ocultação de cadáver.

Ele sustenta, com base nisso, que nesses casos não se aplica a Lei da Anistia, que encerrou os crimes praticados antes de 1979. Bravo está tentando recuperar no Supremo Tribunal Militar arquivos antigos, como o inquérito de 1986 sobre o caso Rubens Paiva. Ele foi aberto logo após a redemocratização. Os militares pressionaram e, por decisão da Procuradoria Geral Militar na época, o inquérito foi arquivado. Bravo ainda não obteve os originais desse inquérito.

Procurador quer documentos das Forças Armadas

Para apurar o caso de Carlos Alberto, o Beto, o promotor ouviu como testemunha Inês Etienne Romeu, que, milagrosamente, sobreviveu à Casa da Morte e, depois, conseguiu localizar o imóvel. Ela declarou que ouviu dos militares que estavam lá que Beto desapareceu na Casa.

- Mandei um documento aos comandos militares pedindo informações e todos os documentos existentes sobre a Casa da Morte. Os comandantes militares entendem que ainda têm status de ministros e me informaram que eu não podia requisitar. Encaminhei o pedido à Procuradora Geral da Justiça Militar, que enviou o pedido. Eles responderam que não há informação - diz o procurador.

O promotor acha que há documentos dentro das Forças Armadas sobre esses fatos ou, pelo menos, informação sobre como foram destruídos.
- O militar destruir documento é crime. Quando um militar destrói um documento, ele tem que fazer um termo explicando a decisão.

Bravo foi a primeira autoridade a ouvir, após 40 anos, Eliana Paiva, uma das filhas de Rubens, que, aos 15 anos, foi presa, agredida e interrogada no DOI-Codi, no dia seguinte à prisão do pai. Portanto, testemunha-chave.
- Nem no IPM de 1986 a Eliana foi ouvida. Isso é inacreditável - comenta o promotor.

Bravo lamenta que o Brasil tenha a “mácula” de ser o único país da América Latina que não investigou crimes do regime de exceção, mas diz estar confiante com a instalação da Comissão da Verdade. O promotor de 43 anos, filho e neto de militares, rejeita o argumento de que há dois lados a serem investigados.

*****
Fonte:http://www.esquerdopata.blogspot.com/2012/03/procurador-reabre-casos-de.html

Kassab confirma conversa com Rui Falcão sobre apoio de Serra a Dilma, em 2014, contra Aécio Neves

03.02.2012
Do BLOG DE JAMILDO, 02.03.12Postado por Jamildo Melo 
Na Folha.com

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) confirmou nesta sexta-feira (2) a conversa com o presidente do PT, Rui Falcão, em que disse que José Serra (PSDB) preferiria a reeleição de Dilma Rousseff a apoiar uma eventual candidatura do também tucano Aécio Neves à Presidência em 2014.

"Eu falei em meu nome. Eu disse, em algum momento do ano passado, que eu achava que existia um risco se o Serra fosse prefeito, diante da tensão que existia, de até não apoiar [AÉCIO NEVES]. Isso eu falei mesmo, é verdade", afirmou o prefeito.

Kassab fez a abertura do primeiro debate organizado pela fundação Espaço Democrático, do PSD, com o tema "Privatização, Concessão e PPP's".

Em entrevista ao jornalista da Folha Fernando Rodrigues, Falcão revelou que Kassab teria afirmado que "para a [PRESIDENTE]Dilma, a melhor coisa que poderia acontecer é o Serra prefeito de São Paulo".

Na análise de Kassab, Serra ficaria fora da disputa pelo Palácio do Planalto e, ao mesmo tempo, não apoiaria Aécio.

O prefeito evitou repetir a mesma avaliação hoje, num momento em que se alia a Serra para enfrentar o PT na disputa pela Prefeitura de São Paulo: "Naquele momento eu tinha esse pensamento. Hoje as circunstâncias são outras e eu não parei pra avaliar".

Kassab enfatizou que essa era a sua avaliação e que nunca conversou com Serra sobre o assunto. O prefeito fez questão de não transparecer ressentimento diante da inconfidência do ex-possível aliado.

"Imagina, nossas relações são as melhores possíveis", disse. "Eu tive essa conversa no ano passado com o presidente e querido amigo Rui Falcão. Eu não pedi segredo."

Entre tucanos próximos a Serra, a revelação soou incômoda: "O Rui Falcão está querendo criar cizânia no nosso partido", disse o senador Aloizio Nunes. "Cada macaco no seu galho. Ele que cuide do PT e nós do PSDB".

PANOS QUENTES

Gilberto Kassab evitou também polemizar com correligionários, como a senadora Kátia Abreu (PSD-TO), que em entrevista ao jornal "O Estado de S.Paulo" afirmou descontentamento do alinhamento do partido com o PSDB. No seu Estado, o grupo da senadora e tucanos estão em lados opostos.

Kassab disse que o PSD é um partido novo, com diferentes vertentes e, por isso, é difícil a unanimidade. Mas indicou que seu apoio a Serra não tem nada a ver com partidos e se trata de um apoio pessoal.

"Essa é a razão de afirmarmos que a aliança com o PSDB em São Paulo ocorreria desde que fosse o Serra candidato. É uma peculiaridade: a gestão aqui em São Paulo é conhecida como Serra-Kassab. Não faria nenhum sentido, sendo o Serra candidato, nós não o apoiarmos", afirmou.

O prefeito disse ainda que mantém conversas com dirigentes do PV e do PSB para ingressarem na chapa de Serra e que tem nomes, do PSD, a indicar para uma possível posição de vice de Serra.

"O PSDB já sabe que o Serra candidato contará conosco. Nosso apoio é incondicionalº, reafirmou. ªNo momento certo, sob a coordenação do Serra, a questão do vice será discutida."

Kassab elencou vice-prefeita Alba Marco Antônio, o presidente da UGT, Ricardo Patah, o secretário Alexandre Schneider e "se tivermos uma aliança com o PV, o Eduardo Jorge", disse.
******
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2012/03/02/kassab_confirma_conversa_com_rui_falcao_sobre_apoio_de_serra_a_dilma_em_2014_contra_aecio_neves_126898.php

ELITE RACISTA E RAIVOSA: Vítima de racismo, universitário é barrado no elevador do próprio prédio onde mora

03.03.2012
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 17.02.12

O advogado do estudante contou que as mulheres podem ser indiciadas por segregação racial, que tem pena de 1 a 3 anos em regime fechado. O crime é inafiançável.

racismo vítima estudante negro elevadorUm estudante do último semestre de medicina veterinária diz ter sido vítima de racismo no prédio onde mora, na rua Emílio Odebrecht, no bairro da Pituba, na manhã do último sábado. Segundo informações de Edmário Maia, advogado da vítima, as supostas autoras do crime são vizinhas do universitário no edifício São Marcos.
Segundo a vítima, tudo começou quando Marcos Davi Silva e Silva chegou da academia e seguiu em direção ao seu apartamento. Ao tentar entrar no elevador de serviço do edifício, ele foi barrado pelas vizinhas, mãe e filha, que o proibíram de entrar no ascensor. “Você não vai entrar aqui não, sua coisa“, teria dito a mãe, segundo o advogado.

Leia também

Assustada, a vítima perguntou o motivo do impedimento, quando uma das vizinhas respondeu que “não andava com pessoas como ele“. Após uma discussão com o uso de muitos palavrões, ainda segundo o jovem de 26 anos, as mulheres, de identidades não divulgadas, saíram da área de acesso ao elevador e foram à portaria prestar queixa no livro do condomínio.
Marcos foi em sua casa e em seguida desceu para portaria. Uma segunda discussão teria iniciado. “Marcos foi chamado de cachorro, meliante e de outras coisas, além disso, as mulheres disseram: ele deveria estar na prisão, no local onde gente como ele deveria estar“, completou o advogado do estudante.

Após as agressões verbais, Marcos foi à 16ª Delegacia Territorial (DT/Pituba), onde prestou queixa e foi ouvido pelo delegado plantonista, Alberto Schramm. O delegado não quis dar mais detalhes sobre o caso, mas informou que o registro foi realizado e disse que foram emitidas intimações para as testemunhas e as vizinhas do universitário.
As imagens do circuito interno de segurança do edifício também serão utilizadas no inquérito, segundo o delegado. O advogado do estudante contou ainda que as mulheres podem ser indiciadas por segregação racial, que tem pena de 1 a 3 anos em regime fechado. O crime é inafiançável.
Assista a matéria em vídeo:
Agências
****

Que venham os saudosistas da ditadura. Eles não passarão

03.02.2012 
Do BLOG DO SAKAMOTO,29.02.12
Por Leonardo Sakamoto


“Eles que Venham. Por Aqui Não Passarão” é o título de uma nota divulgada ontem, por 98 militares da reserva, criticando a Comissão da Verdade – criada para esclarecer quem foram os responsáveis por mortes, torturas e desaparecimentos na ditadura, mas sem poder de punição. Eles reafirmam outro manifesto que havia sido divulgado anteriormente, em que  reconhecem que a comissão é um “ato inconsequente de revanchismo explícito e de afronta à Lei da Anistia com o beneplácito, inaceitável, do atual governo”.

Minha crítica à Comissão da Verdade é exatamente o contrário: ela foi aprovada em versão light, sem a força que deveria ter.

Pouco me importa o que pensam os verde-oliva da reserva. Eles podem reclamar até se engasgar com o chá da tarde no Clube Militar. A meu ver, demonstrações de afeto a um período autoritário são peça de museu, pertencentes a um tempo que, se não fizermos nenhuma besteira, nunca mais vai se repetir. Vivemos em uma democracia e, por isso, e só por isso, qualquer um (inclusive eles) podem se manifestar à vontade. O problema são as consequências da permanência de uma forma de pensar na sociedade, que é passada sem questionamento para as gerações mais jovens, tornando a dignidade humana algo relativo e flexível.

Para isso, gostaria de tomar a liberdade e reproduzir um texto que já postei aqui há um bom tempo – atualizado, é claro, com informações novas:

Não conheço pessoa que, tendo amado intensamente ou vivido uma dor muito forte, não pensou, pelo uma vez, na possibilidade de ter suas memórias arrancadas fora em um passe de mágicas. Considerando que deve levar um tempinho ainda até que desenvolvam um aparelho como o do filme “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”, perguntei a uma médica-amiga se já haviam inventado remédio para acentuar o esquecimento. E, em caso positivo, se ela poderia me deixar receitadas uma ou duas caixas – nada demais, apenas para as intempéries do dia-a-dia. Ora, por que não? Inventam pílulas para tudo, de ereção prolongada até suadouro nas mãos! Com um sorriso, ela me lembrou que tal remédio já existe e é consumido pela humanidade desde que o primeiro hominídio percebeu que comida fermentada dá barato.

É claro que todos os percalços fazem parte da caminhada de cada um e da grande marcha de uma sociedade e que, portanto, são importantes no processo de aprendizado. Mas e quando a lição já foi entendida e a lembrança, não resolvida, continua a martelar nosso cotidiano?

Dia desses, trouxe aqui a história de Maria Francisca Cruz, uma “quase” viúva. Seu marido foi trabalhar na Amazônia, deixando para trás sete filhos e o silêncio. Enveredou-se por outro colo? Está preso? Tem medo de voltar? Falam que morreu tentando fugir de uma fazenda… Quem sabe? Dor maior não é saber que acabou. É não ter certeza disso.

Acordar de manhã sem alguns pressupostos básicos é angustiante. Imagine, então, aguardar o retorno de alguém que nunca aparece. Conheço gente cujos pais foram sumidos pela Gloriosa dos Verde-Oliva. A família parou no tempo, porta-retratos não saem do mesmo lugar em que estavam desde quando ainda éramos 90 milhões em ação. Até a poeira do relógio de pulso aguardando o dono é a mesma, sofrendo em silêncio.

O governo brasileiro resolveu não mais tentar buscar a revisão da Lei da Anistia. Mais do que punir torturadores, seria uma ótima forma de colocar pontos-finais em muitas das histórias em aberto e fazer com que pessoas tivessem, pela primeira vez em décadas, uma noite de sono inteira. A Presidência da República resolveu investir suas fichas na Comissão da Verdade, criada pelo Congresso Nacional. Até agora, o governo insiste em manter trancados a sete chaves documentos considerados ultrassecretos, além de inventar desculpa atrás de desculpa para não vomitar todos os arquivos da ditadura. Garantindo que representantes daquele tempo, como o Coronel Brilhante Ustra, possam continuar reinventando a história como quiserem, uma vez que a prova dos nove está encaixotada em algum lugar.

(Carlos Alberto Brilhante Ustra foi acusado pela família do jornalista Luiz Eduardo Merlino, torturado e assassinado no Doi-Codi, em São Paulo, em 1971. Pede-se o reconhecimento público da responsabilidade do coronel pela morte de Merlino. Ustra era comandante do Doi-Codi e diversas testemunhas – entre elas o ex-ministro-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Paulo Vannuchi, preso no local na mesma época – afirmam ter visto Merlino em estado gravíssimo após sessões de tortura.)

Em nome de uma suposta estabilidade institucional, o passado não resolvido permanece nos assombrando. E incomodando através de um olhar perdido da mãe de um amigo que, da janela, permanece a esperar.

Isso tudo com a ajuda de colegas jornalistas que esqueceram que a função primeira da profissão não é ajudar restolhos da ditadura sob a justificativa de garantir essa estabilidade, mas trazer à tona o que está submerso. Repetem ad nauseam: “Não é hora de mexer nesse assunto”.

A Corte Interamericana de Direitos Humanos concluiu que o Brasil é responsável pelo desaparecimento de 62 pessoas entre os anos de 1972 e 1974, durante a Guerrilha do Araguaia. Disse que a Lei da Anistia impede o acesso à verdade dos fatos e pediu que ela fosse revista. Nesse caso, o Supremo Tribunal Federal, que vem sendo sensível em decisões sobre a dignidade humana, deu de ombros.

Uma pesquisa do Datafolha em 2010 apontou que 45% da população era contrária à punição de agentes que torturaram presos políticos durante a ditadura militar contra 40% a favor. Agarro-me desesperadamente à esperança de que o pessoal não entendeu exatamente do que se tratava.

Em enquete realizada este ano por este humilde blog, o resultado foi o contrário, com a grande maioria apoiando a punição contra quem torturou durante a Gloriosa. Orgulho dos meus leitores que, contudo, não representam a posição do restante da sociedade.

O impacto de não resolvermos o nosso passado se faz sentir no dia-a-dia dos distritos policiais, nas salas de interrogatórios, nas periferias das grandes cidades, nos grotões da zona rural, com o Estado aterrorizando parte da população (normalmente mais pobre) com a anuência da outra parte (quase sempre mais rica). A ponto de ser banalizada em filmes como Tropa de Elite, em que parte de nós torceu para os mocinhos que usavam o mesmo tipo de método dos bandidos no afã de arrancar a “verdade”.

A justificativa é a mesma usada nos anos de chumbo brasileiros ou nas prisões no Iraque e em Guantánamo, em Cuba: estamos em guerra. Ninguém explicou, contudo que essa guerra é contra os valores que nos fazem humanos e que, a cada batalha, vamos deixando um pouco para trás. Esse é o problema de sermos o país do “deixa disso” ou mesmo do “esquece, não vamos criar caso, o que passou, passou” e ainda do “você vai comprar briga por isso? Ninguém gosta de briguentos”. Enquanto não acertarmos as contas com nossa história, não teremos capacidade de entender qual foi a herança deixada por ela – na qual estamos afundados até o pescoço e que nos define.

A verdade é que não queremos olhar para o retrovisor não por ele mostrar o que está lá atrás, mas por nos revelar qual a nossa cara hoje. E muitos de nós não suportarão isso.

O presidente do Senado chegou a defender o sigilo dos documentos da ditadura da qual fez parte.

Mas, e agora José? O que eu faço para esquecer?
******
Fonte:http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2012/02/29/que-venham-os-saudosistas-da-ditadura-eles-nao-passarao/

Petrobras vai oferecer 11 mil vagas em cursos gratuitos

03.03.2012
Do jornal FOLHA DE PERNAMBUCO, 02.302.12
Por AGÊNCIA BRASIL
As inscrições começam no próximo dia 7 e vão até 12 de abril
 
RIO DE JANEIRO
– A Petrobras vai oferecer este ano 11 mil vagas para cursos gratuitos dentro do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp). As inscrições começam no próximo dia 7 e vão até 12 de abril.

Haverá cursos em 14 estados, abrangendo todos os níveis de escolaridade. Segundo a empresa, 60% das vagas são referentes a níveis básicos de estudo. O anúncio oficial do 6º ciclo do Prominp será feito na próxima segunda-feira (5) pela presidenta da estatal, Maria das Graças Foster, quando haverá o detalhamento das condições para se concorrer às vagas.

O objetivo dos cursos oferecidos pela Petrobras é qualificar mão de obra nacional para suprir a demanda por trabalhadores nos setores de petróleo e gás, que devem absorver um número cada vez maior de profissionais nos próximos anos.
******
Fonte:http://www1.folhape.com.br/cms/opencms/folhape/pt/economia/empregos/arquivos/2011/outubro/0069.html

CNB põe João Paulo no jogo eleitoral do Recife

03.03.2012
Do BLOG DA FOLHA
Por Manoel Guimarães, da Folha de Pernambuco
Publicado por Valdecarlos Alves

CNB põe João Paulo no jogo eleitoral do Recife 
Um dia após o prefeito do Recife, João da Costa (PT), reiterar que é “o único candidato do PT até o momento”, um encontro ocorrido, ontem, tende a mexer no xadrez eleitoral. Integrantes das tendências petistas Construindo um Novo Brasil (CNB) – majoritária dentro do partido e comandada pelo senador Humberto Costa -, Articulação de Esquerda (AE) e PT de Luta e de Massas (PTLM) se reuniram com o deputado federal e ex-prefeito João Paulo. O objetivo do grupo foi claro: inserir o parlamentar de maneira mais efetiva no debate eleitoral. O parlamentar se comprometeu a procurar as executivas estadual e municipal do PT, nos próximos dias, a fim de cumprir o estabelecido.
Segundo o secretário-geral da sigla no Recife, Rosano Carvalho, integrante da CNB, o grupo quis ouvir do ex-prefeito – que integra a Comissão de Acompanhamento Eleitoral (CAE) do PT nacional – o resultado da reunião do colegiado, ocorrida na última segunda-feira, em São Paulo. “João Paulo se comprometeu a ir para a próxima reunião da executiva estadual. Na quarta-feira, vamos apresentar o resultado desse debate na reunião da municipal. Não podemos prescindir da presença de João Paulo no Recife. De fato, o único candidato hoje é o prefeito, mas, pelo calendário do PT, o prazo de inscrições de candidatos ainda nem abriu.  Queremos ter ambiente interno para ganhar a eleição no Recife, e isso se dará com a participação de João Paulo no processo”, afirmou Rosano.
Apontado como um dos nomes do partido à sucessão, o ex-prefeito tem evitado comentar a gestão de João da Costa, seu ex-afilhado político, com quem rompeu relações em 2009. Porém, costuma destinar alfinetadas pontuais ao gestor. Também tem evitado participar de eventos promovidos pelo PT recifense, mas prometeu que estará presente nos próximos.
“É interessante frisar que há uma unidade de visão dessas forças (CNB, AE e PTLM) quanto ao ambiente político que estamos vivendo, essas coisas que o pessoal já tem colocado na Imprensa. Tem a questão das pesquisas, eles acreditam que eu sou um grande eleitor, estou liderando as pesquisas, tenho menor rejeição e serei um componente importante na municipal. Eles querem estar mais perto de mim. Eu vou participar dos eventos do PT municipal. Mas, primeiro, terei uma reunião com a executiva nacional e com o presidente Pedro Eugênio”, explicou João Paulo. “Por enquanto, vamos conversar. Nomes, a gente decide depois”, completou.
CARAVANA

O diretório municipal do PT cancelou a Caravana Democrática, que ocorreria hoje, no bairro de Beberibe. A alegação foi de que a visita da presidente da República, Dilma Rousseff (PT), ocorrida na última terça-feira, teria tomado atenções do grupo, que achou por bem adiar o evento. Nos bastidores, entretanto, petistas revelaram que a CNB enviou uma carta ao diretório, informando que seus integrantes não participariam.
*****

Prédio da Sudene pega fogo durante a madrugada

03.03.2012
Do jornal FOLHA DE PERNAMBUCO
Por DIEGO MENDES, da Folha de Pernambuco

Chamas começaram às 20h20, onde funcionava o conselho deliberativo do órgão

 

Um incêndio atingiu um anexo do edifício da Sudene, na noite da última sexta-feira (02), na Cidade Universitária. Funcionários informaram que as chamas começaram por volta das 20h20 e não havia ninguém no local. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas teve problemas para entrar no edifício devido à falta de entradas de emergência.

Na manhã de hoje (03), técnicos da Polícia Federal (PF) devem realizar uma perícia na edificação e analisar os danos provocados pelo fogo, bem como o que teria ocasionado as chamas.

A SUDENE foi criada em 1959,  por Juscelino Kubitschek
De acordo com o coordenador geral do edifício da Sudene, Nivaldo Andrade, no prédio funcionava o conselho deliberativo do órgão, onde são realizadas as reuniões entre os governadores, o ministro da Integração Nacional e todos os membros que decidem o rumo do Nordeste. A primeira reunião do ano seria realizada no dia 29 de março. Andrade explicou que somente após a perícia e o conhecimento do real dano, tomará decisões a respeito.

Em 2010, o prédio do conselho deliberativo passou por uma reforma. Segundo o coordenador, foram gastos cerca de R$ 1,5 milhão para reestruturar o local, que abrigava um auditório e um plenário, além de salas de reuniões. 
O engenheiro civil da Sudene, Wilson Galdino, explicou que só depois do trabalho da PF o dano estrutural será verificado, mas é possível dizer que houve prejuízo material, devido aos equipamentos eletrônicos existentes.
****

Jandira rechaça campanha da Sky

03.03.2012
Do BLOG DO MIRO, 02.03.12
Do sítio da deputada Jandira Feghali:

A presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cultura, deputada Jandira Feghali, reagiu indignada à campanha da empresa Sky que, em nome de seus assinantes, promove uma campanha contra a Lei 12.485/11, o novo marco regulatório para o setor áudio visual. Veja, abaixo, nota divulgada pela parlamentar:

“Tive conhecimento da Campanha que a empresa Sky está promovendo contra a Lei 12.485/11, novo marco regulatório para o setor de áudio visual. Considero que não há porque alegar inconstitucionalidade ou ilegalidades em uma lei que tramitou no Congresso Nacional por mais de quatro anos, sendo três anos na Câmara e mais de um ano no Senado Federal. Passou pela Comissão de Constituição e Justiça nas duas Casas. Foi amplamente debatida, em cinco audiências públicas com participação dos vários setores sociais interessados no tema.

O novo Marco Regulatório do Setor Audiovisual é um avanço que a sociedade brasileira obteve, garantindo espaços de exibição para manifestações da cultura brasileira e da produção nacional em espaços públicos concedidos para teletransmissões, conforme dispõe o artigo 21 da constituição, Inciso XI, onde se define como competência da União “explorar, diretamente ou mediante autorização, concessão ou permissão, os serviços de telecomunicações, nos termos da lei, que disporá sobre a organização dos serviços, a criação de um órgão regulador e outros aspectos institucionais”.


A campanha promovida pela Sky é francamente uma disputa por reserva de mercado, camuflada pelo argumento da intervenção estatal no direito de opção do cidadão à programação. A lei não impede que seja ofertada programação estrangeira, mas conforme citei, garante espaço para as manifestações culturais brasileiras. Na prática, três horas e meia por semana de veiculação de conteúdo nacional. Cabe às empresas dos canais pagos se adequarem, mantendo sua grande atual, mas ampliando o espaço para a produção nacional.


Também destaco, que nas disposições transitórias da Lei está estabelecido que os atuais contratos serão mantidos respeitando o princípio de não retroação da Lei, somente em sua renovação é que as empresas deverão se adaptar às novas exigências. Por fim, cabe registrar que a regulamentação da lei ainda está em andamento e, neste sentido, cabe negociação de pontos controversos.


A Sky tem o direito democrático de demonstrar sua contrariedade com o teor da lei , no entanto, é inadmissível ver uma empresa fazer campanha se intitulando representante de usuários sem legitimidade para tal e questionando todo o processo legislativo que resultou neste marco legal, ao passar informações incorretas sobre a legitimidade e legalidade da Lei. Repudio, portanto, esta campanha difamatória e irresponsável.”
******
Fonte:http://www.altamiroborges.blogspot.com/2012/03/jandira-feghali-rechaca-campanha-da-sky.html

PARA RELEMBRAR: SALVE OS "ENERGÚMENOS"! VIVA OS "IMBECIS" E "IGNORANTES"! ABAIXO O SERRA!

02.03.2012
Por Irineu Messias, 14.02.2010*
A mídia nacional, semana passada ,meio que a contragosto, teve que mostrar mais uma atitude destemperada do Governador de São Paulo, José Serra(PSDB/SP).

Serra parece que ainda não aprendeu a lidar com os protestos salutares a todo e qualquer regime democrático.

"ENERGÚMENO"

Um micro empresário que teve seus negócios prejudicados por Serra,protestou contra ele e foi arrancado pela policia militar. Antes, porém, foi chamado pelo governador paulista de "energúmeno", que é a mesma coisa de "imbecil", ignorante". E pode ainda significar "possuído pelo demônio".

"COM SERRA É PROIBIDO PROTESTAR"

Para o governador, é proibido protestar contra qualquer medida tomada por ele. O povo, ou algum segmento da sociedade paulista, ao que parece, tem que ficar calado, sob pena de ser chamado de "imbecil", ou "possuído pela demônio".

"TUCANÊS, PARA O POVO NÃO ENTENDER"

E o engraçado de tudo isso - se que podemos achar engraçado-, é que se expressou em "tucanês". Explico. "Macaco Simão", articulista da Folha de S.Paulo alega que os tucanos sempre procuram usar uma linguagem difícil querendo mostrar para o povo que são mais "intelectuais" que os outros. Isso só pode servir mesmo para piadas, e piadas de muito mal gosto; aliás são muitos inteligentes as sátiras diárias, a esse respeito, do "Macaco Simão".Recomendo a leitura.

FALTA DE RESPEITO E UM ATENTADO À INTELIGÊNCIA DO POVO

É preciso que o senhor Serra saiba, que os brasileiros são inteligentes; muita gente sabe muito bem, o que quer dizer "energúmeno". Mesmo que não soubesse existe, aos montes, dicionários que com certeza ajudam paulistas e brasileiros a "decodificarem" essas linguagens falsamente rebuscadas que certos governantes pedantes, como ele, usam para desrespeitar o povo.

SOLIDARIEDADE

Nossa solidariedade ao cidadão que foi agredido de forma gratuíta e desrespeitosa. Todos nós fomos desrespeitados com ele por um governador, que deveria dar o exemplo de respeito todas as pessoas que têm o legítimo direito, garantido por nossa Constituição, de protestar contra quaisquer governantes.

REPÚDIO

Nosso repúdio ao senhor Serra, que infelizmente deseja ser presidente de nosso país. Corremos sérios riscos, se porventura for eleito - espero que o Brasil não cometa este grave erro-, de sermos chamados de "imbecis" "ignorantes" e de apanharmos da polícia.

SOLIDARIDADE E PROTESTO: O BONECO ENERGÚMENO

Nossa solidariedade também, aos inúmeros educadores e educadoras do Estado de São Paulo, representados pelo combativo Sindicato dos professores do estado, APEOSPE, falsamente acusado pelo Governador de ter sido os autores do protesto.

Eu quero até sugerir que partir de agora, todos os protestos contra o Governo Serra, seja feito com um boneco chamado de "Energúmeno". Quem sabe no próximo carnaval paulistano,Energumeno não ganhe o prêmio de melhor sátira contra os governantes que não gosta de povo nas ruas protestando!

Paulistas, pensem nesta sugestão! E mais se ele for candidato a presidente, sugiro que este boneco acompanhe toda campanha dele Brasil afora! O País precisa saber quem é este senhor fantasiado de democrata!

"SALVE OS "ENERGÚMENOS"!

Salve os milhares de "energúmenos" do passados! Graças a eles, a ditadura militar brasileira caiu por terra; hoje, o senhor Serra está sendo beneficiado pelos atos de protestos dos "imbecis" do passado. Não fosse eles, ainda hoje, não haveria democracia em nosso país, e nem o pseudo-democrata Serra, talvez não fosse governador de São Paulo, eleito por milhares de "energúmenos" paulistas!

DEUS NOS LIVRE DOS ARROGANTES!

Deus nos livre de um arrogante assim na presidência da República!
 *****
Em tempo: A arrogância está de volta nas eleiçõs de 2012, em São Paulo. 

*Matéria originalmente publicada aqui no Blog, em 14.02.2010.
****