Pesquisar este blog

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Cuidado com alimentação nesse carnaval


12.02.2012
Do blog INFORM PE
Por Leandro Pessoa dos Santos 
Postado por Paulo Fernando,  em Carnaval, Saúde

É Carnaval. Período de grande movimentação de alagoanos e turistas que procuram os balneários para brincar os quatro dias de folia. Mas em meio ao frevo, axé e samba, é importante se preocupar com a qualidade da alimentação consumida nesses locais, principalmente para os que gostam de lazer à beira mar. O alerta é da Vigilância Sanitária, que orienta sobre cuidados que precisam ser adotados para que a folia carnavalesca não seja traumática.

“A orientação à população para evitar doenças transmitidas por alimentos comercializados nas áreas marítimas se baseia nas normas da Diretoria Colegiada (RDC) 216 de 2004, elaborada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)”, ressaltando sobre a importância de observar onde consumir os alimentos, como eles são manipulados e se os vendedores seguem as boas práticas para comercializá-los.

Os especialistas orienta que os foliões precisam ficar atentos para não consumir alimentos com a presença de micróbios, parasitas ou substâncias tóxicas. “Os alimentos contaminados podem provocar” vômitos, diarreias, dores abdominais e de cabeça, além de febre, alteração da visão, olhos inchados, entre outros problemas mais graves, quando estes vierem a atingir crianças e idosos, que têm a imunidade mais frágil. Outro alerta é o uso abusivo de bebidas alcoólicas, porque é leva a desidratação do organismo, provocando desconfortos gástricos e enxaquecas. 

Nessa época do ano aumentam, significativamente, os problemas de saúde ocasionados pela ingestão de alimentos contaminados e estragados. A pessoa que optarem por ir à praia neste verão e, principalmente durante o carnaval, deve consumir sucos naturais, água de coco e água natural, com o propósito de manterem-se hidratados, já que o calor aumenta neste período e a perda de água corporal é imensa. 

Diante disso os indivíduos devem optar por uma alimentação balanceada e longe das comidas calóricas e não se esquecer de ingerir muito líquido pelo menos dois litros de água por dia e o uso abusivo do álcool não só pode prejudicar a sua saúde como a dos outros.
****

Dilma barra fantasma do aborto e pede que ministra siga ordens do governo


12.02.2012
Do BLOG DE JAMILDO
Postado por Helder Lopes
No Estadão

A presidente Dilma Rousseff aproveitou a cerimônia de posse da nova ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, para enquadrá-la publicamente e deixar claro o recado de que convicções pessoais devem se subordinar, agora, às políticas de governo. Foi uma forma de evitar mais polêmica e acalmar os ânimos da bancada religiosa no Congresso Nacional, que já preparou a artilharia contra Eleonora por conta de declarações sobre aborto.

"Tenho certeza, que meu governo ganha hoje uma lutadora incansável e inquebrantável pelos direitos das mulheres. Uma feminista que respeitará seus ideais, mas que vai atuar segundo as diretrizes do governo em todos os temas sobre os quais terá atribuição", discursou Dilma. A numerosa plateia, que até então era só aplausos, silenciou-se com a fala de Dilma.

Em recentes declarações, Eleonora disse que considera o aborto uma questão de saúde pública, assim como o crack e outras drogas - para ela, esse assunto não é uma questão ideológica. Antes da posse, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) convocou pelo Twitter que a bancada de evangélicos se unisse "para combater a abortista que nomearam ministra".

O aborto volta à agenda do Palácio do Planalto após assombrar a campanha de Dilma pela presidência da República, em 2010. Pressionada por religiosos, a então candidata chegou a assinar carta em que dizia ser pessoalmente contra o aborto, além de defender a manutenção da legislação atual sobre o assunto.

Hoje, Eleonora aproveitou o discurso de posse para criticar a disseminação de "padrão sexista" em salas de aula, programas de entretenimento e serviços públicos de saúde. "Não se pode aceitar que, ainda hoje, quando temos uma mulher no mais alto cargo do executivo brasileiro, mulheres sejam vistas como meros objetos sexuais, que morram durante a gravidez, que tenham seus direitos reprodutivos e sexuais desrespeitados", afirmou.

A socióloga assume a pasta no lugar de Iriny Lopes, que retorna à Câmara dos Deputados e deve disputar a Prefeitura de Vitória (ES) em outubro. Antes dela, o petista Fernando Haddad deixou o Ministério da Educação para tocar a campanha pela Prefeitura de São Paulo.

"Eu considero que eu escolhi a Eleonora por vários motivos, mas, sobretudo, pelo conjunto da obra", disse Dilma. "Tenho absoluta certeza que a Eleonora é capaz de assegurar, dentro da diversidade que é o nosso país, que todas as situações sejam consideradas, porque, quando nós assumimos o governo, nós governamos para todos os brasileiros e brasileiras, sem distinções políticas, religiosas ou de qualquer outra ordem", prosseguiu a presidente, em outro aceno para acalmar evangélicos e católicos.
****

Caso Tancredo vai à Justiça

12.02.2012
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Por  Isabella Souto
politica.mg@dabr.com.br

Ex-presidente faleceu em 1985 antes de tomar posse. Imagem: ARQUIVO CB/D.A PRESS

Os prontuários, processos e procedimentos referentes ao atendimento médico do ex-presidente Tancredo Neves até a sua morte, em 21 de abril de 1985, viraram assunto de Justiça. O advogado Tancredo Augusto Tolentino Neves, filho do político, ajuizou na Justiça Federal, em Brasília, um pedido de habeas data para que o Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Conselho Regional de Medicina (CRM) Unidade Brasília repassem as informações necessárias para uma investigação histórica sobre o que aconteceu com o mineiro.

Na ação, o autor alega que as informações são necessárias para satisfazer a família, que busca o “inencontrável consolo da morte”, e para o desenvolvimento do trabalho do jornalista Luiz Mir, que prepara o segundo volume do livro O paciente: o caso Tancredo Neves. “Trata-se de investigação histórica sobre um dos momentos mais nebulosos e controvertidos da história republicana contemporânea, o qual teria sido determinante de muitos insucessos e retrocessos que se verificaram no intenso processo de redemocratização ocorrido nas últimas décadas”, diz a ação.

De acordo com a ação, os documentos foram solicitados pelos advogados da família ao CFM e aos conselhos regionais do Distrito Federal e São Paulo, que se recusaram a entregá-los sob o argumento de “proteção do sigilo de informações do paciente” e “sigilo profissional”, previstos nos artigos 102 do Código de Ética Médica e 154 do Código Penal. Argumento que foi rechaçado na ação.

“Ora, com as devidas vênias, o sigilo profissional deve ceder espaço ao interesse específico do impetrante e sua família, bem como da própria história do país, a qual reclama por explicações convincentes sobre o inesperado e rápido perecimento do primeiro presidente da República eleito após a ditadura”, afirmam os advogados que assinaram o habeas data. 

***

União investiga origem da escritura de Pinheirinho

12.02.2012
Do blog de Luís Nassif, 06/02/12

O governo federal irá investigar a origem da titularidade do terreno de Pinheirinho, pertencente à massa falida da Selecta S/A, do investidor Naji Nahas. A dúvida quanto à idoneidade da escritura (se é grilada ou não) surgiu a partir de uma entrevista publicada no jornal Folha de S.Paulo, no último dia 29, com Benedito Bento Filho, empresário do ramo imobiliário, que vendeu o terreno à Selecta, em 1981.
Na entrevista, Bento Filho, 75, também conhecido como Comendador Bentinho, conta que adquiriu o terreno onde fica Pinheirinho, com cerca de 1,3 milhão de metros quadrados, de Reston Lahud e Salim Lahud Neto, em junho de 1978. O que chamou atenção do governo federal foi o fato de Bento Filho dizer que a Chácara Régio, que pertencia à família de alemães Kubitzky, nunca esteve dentro de Pinheirinho.
Os irmãos Kubitzky, Hermann Paul, Arthur Moritz, Erma Erica e Frida Elza, a mais nova com 68 anos e o mais velho com 76 anos, foram assassinados no dia primeiro de julho de 1969, por quatro jovens - um de 23 anos, e outros três menores de idade. Como não tinham herdeiros, e nem foram casados, tanto o terreno - onde ficava a Chácara Régio, com 30 mil metros quadrados, dentro da área de Pinheirinho -, quanto seus demais bens financeiros ficaram com o Estado.
"Eu tinha 16 anos quando esses quatro irmãos foram assassinados e lembro perfeitamente do caso. O bairro onde Pinheirinho se insere chama-se Campo dos Alemães, onde a Chácara Régio ficava. É um dever nosso investigar se toda essa passagem é correta", afirmou o secretário Nacional de Articulação Social da Presidência, Paulo Maldos, que participou junto com representantes do Ministério das Cidades, Secretaria de Patrimônio da União e Advocacia Geral da União, de reunião para encontrar soluções para as seis mil famílias que ficaram desalojadas após a reintegração de posse do terreno, realizada no domingo 22 de janeiro, às 6 horas da manhã.
O repórter Igor Carvalho, da Revista Fórum, publicou recentemente parte de levantamento do histórico de titulares do terreno. Através da certidão retirada em cartório, verificou que o terreno onde se encontra Pinheirinho se chamava Bairro do Rio Comprido e pertencia a Bechara Lahud, passando em fevereiro de 1962 para Paulo Lahud e Reston Lahud. Foi vendido em junho de 1978 para Benedito Bento Filho. E em dezembro de 1982 para a Selecta S/A.
Como não é impossível registros em cartórios serem adulterados, Maldos explica que as investigações serão feitas não apenas pela matrícula do imóvel. O levantamento deverá ser entregue em uma próxima reunião entre secretarias, prevista para o dia 14 de fevereiro.
Pouco tempo depois do assassinato dos Kubitzky a imprensa divulgou que o terreno deveria ficar mesmo com o Estado, possivelmente com a Universidade de São Paulo (USP). Mas, segundo assessoria da Advocacia Geral da USP, o terreno não ficou com a instituição.
 Edição Folha de S.Paulo, de 30 de Agosto de 1969
Como não é impossível registros em cartórios serem adulterados, Maldos explica que as investigações serão feitas não apenas pela matrícula do imóvel. O levantamento deverá ser entregue em uma próxima reunião entre secretarias, prevista para o dia 14 de fevereiro.
Pouco tempo depois do assassinato dos Kubitzky a imprensa divulgou que o terreno deveria ficar mesmo com o Estado, possivelmente com a Universidade de São Paulo (USP). Mas, segundo assessoria da Advocacia Geral da USP, o terreno não ficou com a instituição.
Possível futuro das famílias de Pinheirinho
Maldos explicou que, além das investigações quanto à titularidade do terreno de Pinheirinho, o encontro entre secretarias e AGU serviu para estruturarem proposta para realojar as famílias. Uma delas é aproveitar a divida que a própria Selecta S/A tem com a União, hoje calculada em R$ 11 milhões de impostos atrasados. A ideia é transformar o débito em parte física do terreno, que corresponda a esse valor, e construir unidades de moradia verticalizadas, ou seja, colocar todos em prédios. Entretanto, o secretário afirma que como a empresa está falida, juridicamente os trabalhadores prejudicados teriam que ser contemplados antes dos ocupantes do bairro. "Segundo informações que nós temos, o núcleo inicial de ocupantes de pinheirinho é exatamente dos trabalhadores com quem a massa falida tem dívidas", completa.
A segunda proposta abordada na reunião é levantar outras empresas em situação de falência e endividadas com a União para construir conjuntos habitacionais. O objetivo é analisar localizações próximas ao centro de São José dos Campos, assim como era Pinheirinho, para não deslocar ainda mais as famílias. A terceira proposta será aproveitar os terrenos da União que fazem parte da Rede Ferroviária Federal S.A., nos trechos desativados, e que passam pela cidade. Tudo isso vai depender, também, da situação jurídica e da importância atual desses espaços para a rede.
A reintegração de posse de Pinheirinho prejudicou 20 mil pessoas acomodadas em alojamentos cedidos pela prefeitura. Parte ainda está morando em casa de amigos, parentes ou até mesmo nas ruas. Um dos ex-ocupantes de Pinheirinho é Vanderlei, de 37 anos, que teve uma costela quebrada por um policial da ROCAM durante a ação de despejo, ao tentar ajudar um jovem jornalista que estava sendo espancado pelo PM.
Vanderlei, que morava há quatro anos no Pinheirinho, e que tem uma esposa e filha de dez meses, conta que a situação nos alojamentos é ruim e humilhante, com pessoas dividindo banheiros, crianças tendo que tomar mamadeira estragada, e assistentes sociais oferecendo passagens para as famílias voltarem para as regiões Norte ou Nordeste do país. "Os abrigos da prefeitura parecem verdadeiros campos de concentração. Ninguém pode mais entrar ou sair depois das dez horas da noite".
Há sete anos a situação do terreno é de litígio. As famílias começaram a ocupar Pinheirinho depois de esperarem por casas da CDHU prometidas pela prefeitura e Estado durante anos. Como nunca eram entregues, decidiram construir com as próprias mãos, e assim deram origem ao bairro, em 2004. A decisão de reintegração de posse foi finalmente dada pela Justiça Estadual, em janeiro de 2012. A 18ª Vara Cível de São Paulo pediu a suspensão da ação por 15 dias, contados a partir do dia 18 de janeiro, até que se discutisse uma saída para os moradores que ficariam desalojados. O que não foi acatado pelo estado. No domingo, 22 de janeiro, dois mil soldados, entre policiais militares e Guarda Civil Metropolitana, invadiram o bairro e retiraram de surpresa as seis mil famílias.
Foto: Agência Brasil

****

GOSPEL:Thalles Roberto - Águas Que Saram (Na sala do Pai) DVD

12.02.2012
Do Youtube, 10.01.2011
Por Thales Roberto


 
*****
Fonte:http://www.youtube.com/watch?v=aep_pahQRSg&feature=related

Muito frio, muito calor, um mundo muito louco

13.02.2012
Do blog BALAIO DO KOTSCHO,09.02.12
Por Ricardo Kotscho



Derretendo de calor enquanto escrevo na varandinha do meu apartamento (não suporto ar-condicionado, nem tenho em casa), fico pensando o que está acontecendo com este nosso mundo, um mundo muito louco.
Que se passa? Temperaturas acima de 40 graus no Brasil e, no mesmo dia, os termômetros marcando até 50 graus negativos na Europa. Entre uma e outra região do mesmo mundo, dão 90 graus de diferença. Quem aguenta?
Não sei se em alguma outra época já aconteceu isso, mas o fato é que o nosso corpo não suporta tamanhas oscilações do tempo. Para uns, o mundo está aquecendo; para outros, esfriando, e nós no meio, sem saber para onde correr.
Me apavoro só de pensar que, daqui a uma semana, embarco numa excursão familiar para a Alemanha, terra dos meus antepassados maternos, onde não vou a passeio faz uns 20 anos. Vamos no Carnaval para aproveitar que os netos estarão sem aulas e para que eles conheçam a neve, algo raro nos nossos tórridos trópicos.
alemanha Muito frio, muito calor, um mundo muito louco
Mulher atravessa praça do teatro de Dresden, na Alemanha, coberta pela neve
Só não podíamos imaginar que pegaríamos uma frente fria siberiana, o pior inverno dos últimos 100 anos, segundo as notícias alarmantes dos jornais. Voos atrasados e cancelados, estradas interditadas, mais de 400 mortos no frio, nevascas implacáveis que deixam as pessoas presas em suas casas _ o cenário que nos aguarda, digamos, não é muito animador.
Por toda parte há transtornos, a começar pelos congestionamentos a caminho do aeroporto e dentro do próprio. Filas monstruosas no check-in, filas nas alfândegas, filas no check-in e check-out dos hotéis, trens e aviões superlotados, praias e estações de esqui coalhadas de gente, filas nos restaurantes _ para onde você vai, tem gente demais, carros demais, confusão demais.
Fazer o que? Não sair mais de casa e ficar vendo pela televisão  o mundo se derretendo ou congelando? Afinal, todo mundo tem direito a um lugar ao sol ou na neve. Só que há cada vez menos lugares para cada vez mais gente. Já somos 7 bilhões de terráqueos, temos mais de 7 milhões de carros circulando apenas aqui em São Paulo, os aviões disputam um lugar no céu e nas pistas dos aeroportos, os navios poluem os mares.
Alguma coisa não deu certo na louca corrida pelo progresso a que todos, pessoas e países, têm direito. Estas mudanças climáticas mais radicais registradas a cada ano são uma consequência desta nossa necessidade de querer e fazer sempre mais, tudo sempre mais, viajar mais, trabalhar mais, comprar, comer e beber mais, poluir mais o mundo.
Aí prédios desabam, ruas explodem, mares avançam sobre as cidades, policiais trocam de posição com bandidos, hospitais e necrotérios ficam superlotados, dinheiro público se transforma em privado, leis são aplicadas ao gosto do freguês, governos se desmancham.
Não quero parecer apocalíptico, nem assustar ninguém, mas não posso fechar os olhos para o mundo, deixar de ler e ver o noticiário, escrever sobre o que acontece, até porque vivo disso. O ofício de repórter é bom, eu gosto, mas tem este problema: somos obrigados a viver dentro da realidade que nos cerca e contar o que está acontecendo.
Do jeito que está o calor nestes últimos dias em São Paulo nem uma cerveja geladinha resolve. Dá vontade de entrar na geladeira e esperar que o mundo tome juízo. É mais ou menos o que vou fazer na semana que vem... Ou alguém ainda acha melhor passar o Carnaval na Bahia?
praia Muito frio, muito calor, um mundo muito louco
Hoje estou cheio de perguntas... Se os caros leitores do Balaio tiverem alguma ideia melhor, contem para nós, por favor. Ainda tem jeito ou a previsão do calendário maia é que está certa? Aguardo respostas.

*****
Fonte:http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/2012/02/09/muito-frio-muito-calor-um-mundo-muito-louco/

GOSPEL: Casa do Pai - Thalles Roberto

12.02.2012
Do Youtube.com, 21.07.2010
Por Thales Roberto





****
Fonte:http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=SZcEl5SITk8

GREVES DA PM: Deputados na mira da Justiça

12.02.2012
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO, 11.02.12
Caderno BRASIL


Procurador-geral da República pediu gravações telefônicas relativas às greves dos policiais militares


Roberto Gurgel quer analisar se houve conduta ilegal.
 Imagem: CARLOS MOURA/CB/D.A PRESS

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu ontem que o governador da Bahia, Jaques Wagner, envie as gravações telefônicas relativas à greve dos policiais militares do estado. Feitas com autorização judicial, as gravações foram divulgadas nesta semana e mostram líderes grevistas combinando atos de vandalismo e tentando fazer acertos políticos para conseguir aumento salarial.


Gurgel quer apurar se houve conduta ilegal de quem detém foro privilegiado, como o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP). Ele é o presidente da comissão que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300, que cria um piso nacional para policiais militares e bombeiros.

O parlamentar já admitiu que conversou três vezes com um dos líderes do movimento, o cabo do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro Benevenuto Daciolo. Segundo Faria de Sá, Daciolo queria saber se poderia haver articulação política para votação da PEC 300, devido à pressão dos policiais em direção a uma greve nacional. Arnaldo Faria de Sá disse que fora informado que a emenda não seria votada enquanto durasse a greve.

O Ministério Público Federal (MPF) também diz que, na Bahia, o coordenador criminal Vladimir Aras determinou que fossem apuradas possíveis ilegalidades cometidas pelos grevistas. Para o MPF, houve violação da Lei de Segurança Nacional em pelo menos quatro pontos: prática de sabotagem contra instalações militares, meios de comunicações e vias de transporte; tentativa de impedir com violência o exercício de um dos poderes da União ou do estado; tomada de meio de transporte com emprego 

****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2012/02/11/brasil3_0.asp

Brasil é o mais país estável entre os Brics, diz agência

12.02.2012
Do portal G20TOTAL, 10.02.12
Publicado por Marcelo Mesquita



O Brasil é o país mais estável política e economicamente entre os Brics (grupo que reúne também China, Rússia. Índia e África do Sul) e outros quatro emergentes, mas, por outro lado, é o que menos cresce. Essa é a conclusão de um estudo da agência de classificação de risco S&P (Standard & Poor’s) divulgado nesta semana, que comparou o Brasil também com Colômbia, México, Peru e Panamá.
Para o analista de crédito da agência Sebastian Briozzo, a grande vantagem do Brasil sobre esses demais países é a estabilidade e a transparência do seu sistema político. Ele observa que o país passou em 2003 de um governo de centro (FHC) para um de centro-esquerda (Lula) sem mudanças significativas na política macroeconômica. ‘Se as instituições políticas são fortes, é mais difícil ter uma virada no modelo econômico’, observa.

*****
Fonte:http://www.g20total.com/noticias/brasil-e-o-mais-pais-estavel-entre-os-brics-diz-agencia/

GOSPEL: TU ÉS FIEL SENHOR

12.02.2012
Do blog HINOLOGIA, 12.04.2011


Você é muito bem vindo!
Caso queira deixar um comentário,
além de contribuir para os novos post,
estará promovendo a alegria de um blogueiro.
Paz e Bem!

 TU ÉS FIEL, SENHOR


Há diversas histórias que envolvem os autores e tradutores deste maravilhoso hino, mas destaco tres que envolvem os próprios autores.
Título Original: Great Is Thy Faithfulness
Letra: Thomas O. Chisholm,
Música: William M. Runyan

1. O poema deste hino foi escrito em1923 por Thomas Obediah Chisholm. Chrisholm nasceu em 29 de julho de 1866, na cidade de Franklin, Kentucky, EUA. Teve sua educação básica em uma pequena escola rural, e tornou-se professor desta escola aos 16 anos. Quando tinha 21 anos, tornou-se editor associado de um jornal semanal, o The Franklin Favorite.

Em 1893 tornou-se cristão, sob o ministério do Dr. Henry Clay Morrison (futuro presidente do Colégio Asbury, em Wilmore, Kentucky). Persuadido pelo Dr. Morrison, Chrisholm mudou-se para Louisville e tornou-se editor do Penecost Herald. Foi ordenado como ministro metodista em 1903 e serviu como pastor por pouco tempo em Scottsville, Kentucky.

Com a saúde debilitada, mudou-se com sua família para uma fazenda, perto de Winona Lake, Indiana. Tornou-se então um vendedor de seguros, mudando-se para Vineland, Nova Jersey, em 1916.

Em 1953 instalou-se no Lar Metodista para Idosos em Ocean Grove, Nova Jersey, onde morreu em 29 de fevereiro de 1960.
Chrisholm escreveu mais de 1.200 poemas, dos quais 800 foram publicados e muitos foram musicados.

De acordo com Chrisholm, não houve uma circunstância especial que o levou a escrever este hino - somente a sua experiência e a verdade bíblica. Este hino apareceu pela primeira vez na coletânea Songs of Salvation and Service (Cânticos de Salvação e Serviço), compilada por William M. Runyan, em 1923. Runyan escreveu a música especialmente para este poema. Em 1956 no Baptist Hymnal (Hinário Batista), foi publicado o seguinte comentário:

"Este poema em particular possuía tal apelo, que orei muito fervorosamente, para que a minha melodia pudesse conduzir a sua mensagem de uma maneira apropriada e digna, e a história subseqüente de seu uso indica que Deus respondeu a esta oração."

Fonte: http://www.cyberhymnal.org

2. O homem lia com cuidado as várias poesias que tinha diante de si. Elas lhe foram enviadas por um amigo, para que ele, sentindo a devida inspiração, escrevesse músicas para acompanhá-las.

Uma das poesias logo chamou a sua atenção. "Esta poesia tinha tal apelo, que orei com todo o fervor pára que a minha melodia pudesse transmitir a sua mensagem duma maneira digna."

A cena descrita transcorreu em 1923. O compositor era o Rev. William Marion Runyan, metodista norte-americano. Sem dúvida, hoje podemos dizer: a música do compositor faz exatamente o que ele tão ardentemente desejou. .

Runyan nasceu no dia 21 de Janeiro de 1870, em Marin, Estado de Nova York. Tinha grande inclinação para a música. Iniciou os seus estudos de música quando tinha 5 anos, e aos 12 já servia como organista da igreja. Quando tinha 14 anos seu pai, que era pastor metodista, mudou-se, com a família para o Estado de Kansas.

Apesar do seu grande talento musical, Deus tinha outros planos para Ruhyan. Aos 21 anos de idade, foi consagrado ao ministério pastoral. Serviu como pastor e evangelista entre os metodistas por 32 anos.

Por causa de um problema de surdez, Runyan deixou o pastorado em 1923, para assumir responsabilidades na Universidade John Brown, trabalhando também como redator da revista Cristian Workers’ Magazine (Revista do Obreiro Cristão) e como compilador de hinários.

De 1931 a 1944, ele serviu no Instituto Bíblico Moody, em Chicago. Foi nesse Instituto que o hino Tu És Fiel, Senhor, tornou-se muito conhecido, tornando-se um dos prediletos dos alunos daquela instituição. Quando o Dr. Houghton, presidente da mesma, faleceu, o hino foi entoado por todos os presentes ao culto fúnebre.

Em 1923, quando Thomas Chisholm enviou aquelas poesias a William Runyan, este, compositor de quase 300 hinos, já havia feito umas 20 ou 25 músicas para acompanhar poesias de Chisholm, seu colega e grande amigo.

Thomas Obediah Chisholm nasceu no Estado de Kentucky, no dia 29 de julho de 1966. Nasceu em circunstancias humildes e teve de instruir-se por si mesmo. Apesar de só completar o curso primário por esforço próprio, mais tarde se tornou professor. Com 21 anos já era redator auxiliar do jornal local.

Com 27 anos, Chisholm se converteu durante uma série de conferências evangelísticas. Mais tarde, foi consagrado ao ministério pela igreja Metodista, mas o seu estado de saúde bastante precário proibiu que desenvolvesse muitas atividades. Por esta razão, ele deixou o pastorado.

Chisholm escreveu em total de aproximadamente 1.200 poesias. Faleceu no Lar Metodista de Ocean Grove, Estado de Nova Jersey, em 29 de fevereiro de 1960.
O hino Tu És Fiel, Senhor foi publicado pela primeira vez em 1923, num hinário intitulado Songs of Salvation (Cânticos de Salvação) da autoria de Runyan.
O nome da melodia, dado pela família de Runyan, é FAITHFULNESS (Fidelidade).

Um Testemunho

O Pr. Arthur Francis White, pastor batista aposentado de 88 anos de vida estava acamado no hospital. Sofrera uma queda muito brutal, que lhe fizera muito mal. Duas das suas quatro filhas revezavam-se ao seu lado. Anne, sua querida esposa de 58 anos, estava doente em casa, sem condições de estar com ele. (Havia de segui-lo para espera da volta de Jesus 4 meses mais tarde) .

Numa hora quando sua filha Hellen White Brock estava ao seu lado, o Pr Arthur pediu: "Helen, cante comigo, Tu ès Fiel, Senhor". O Pr. Arthur possuía uma linda e possante voz de tenor. Uma de suas maiores alegrias era cantar o louvor de Cristo, a quem ele conhecera e amara desde menino, e servia fielmente há longos anos.

Helen nunca foi solista, mas cantava um contralto muito afinado no coro, e, quando necessário, regia o coro com eficiência, embora fosse mais uma instrumentista. Naquele momento, entretanto, começou o hino que ambos amavam e conheciam de cor. O pastor, com voz fraca, uniu-se a ela. Em alguns minutos, com a voz falhando, o Pr. Arthur pediu: "Continue, Helen, não posso, mais". E assim Helen continuou a cantar este grande hino, enquanto seu pai, olhos fechados, apreciava. De repente, Helen notou que seu pai, um sorriso ainda nos lábios, parecia ter dormido. Percebeu que ele não estava mais ali. Partira para estar guardado em Cristo Jesus, esperando o dia da volta Daquele a quem ele amara e servira toda sua vida.

Este hino continuou a ser o hino da família de Helen e Ursus Brock e de suas filhas, Margaret, Edith e Mary. Foi escolhido por Ursus para fazer parte do seu próprio culto memorial, muitos anos mais tarde. Tem sido o testemunho de Edith e Dewey Mulholland por mais de 40 anos de serviço missionário no Brasil, 23 no Piauí e o restante no Distrito Federal: verdadeiramente Deus é Fiel!

Bibliografia: Rosa, Joaquim de Paula, Apresentação, Hinário Para o Culto Cristão, JUERP, 1990, p, VII.

3. Dos hinos cristãos escritos nos anos mais recentes, um, em particular, sobressai como a luz de um farol, devido à sua mensagem, vinda do Pai celestial que continuamente sustenta e cuida dos Seus filhos.

Este hino,"Tu és fiel", foi escrito por um pregador que depois se tornou repórter de um jornal, Thomas O. Chisholm, de Vineland, Nova Jersey; e a música foi composta por William M. Runyan.

Muitos hinos têm sido escritos motivados por alguma experiência particular, porém, observando a vida do sr. Chisholm, chegamos à conclusão de que este hino foi o resultado de uma experiência do "dia a dia" da fidelidade de Deus para com Ele.

A história começou em 1941. Dois homens estavam revendo a lista de membros dos Gideões, quando viram, de repente, um nome que lhes era familiar. Descobriram que era o nome do sr. Thomas O. Chisholm e com a seguinte anotação ao lado: "Cancelado por falta de pagamento".

Eles se lembraram de que o sr. Chisholm era o autor de um hino que muito impressionou o missionário John Stam, que fora martirizado. Este mesmo hino fora o tema da vida de Stam durante os seus estudos no Instituto Bíblico Moody, quando se preparava para o serviço missionário e que, finalmente, levou-o a entregar a sua vida, juntamente com a da sua querida esposa, a fim de que outros pudessem ter vida ...

Os dois homens ficaram sensibilizados com o achado. Pensaram que eles mesmos é que deviam pagar a dívida ao sr. Chisholm.

Ao mesmo tempo que o Senhor estava tocando também no coração de um homem de negócios, na cidade de Nova Iorque, o qual não podia dormir porque passava-lhe pela mente o pensamento de que o sr. Chisholm, a quem ele não conhecia pessoalmente, mas apenas através dos hinos sacros que escreveu, estava em grande aperto financeiro. Mas, como poderia fazer chegar a ele qualquer importância em dinheiro? Não sabia onde ele morava!

'' Estou certo de que o procurador Jacob Stam sabe do seu endereço", pensou ele. "Pedirei a ele para levar este dinheiro ao st. Chisholm".

Assim fez, mas a história não termina aqui. Pela primeira vez em sua vida a família Chisholm estava enfrentando uma necessidade desesperada que, do ponto de vista humano, jamais poderia ser solucionada.

Naquela noite, quase como simples crianças, eles levaram aquele problema à presença do Pai celestial, não sabendo, contudo, que o Senhor já havia respondido. Na manhã seguinte o correio trouxe ao casal Chisholm uma única carta - era do sr. Jacob Stam - e dentro se encontrava a importância de que necessitavam, enviada pelo homem de negócios de Nova Iorque, que jamais conheceram!

Alguém poderia dizer que foi uma coincidência; mas devemos dizer como disse o sr. Chisholm: "Foi a fidelidade de Deus! " Pois, numa carta escrita em 1949, ele disse: "Estou próximo dos meus oitenta e três anos de idade, mas a força do alto tem sido sempre suprida, juntamente com o cumprimento da Sua promessa: "O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades ( Filipenses 4.19).

Não somente o suprimento das necessidades, mas as ocasiões desse suprimento, têm assinalado os marcos do Seu cuidado providencial, cada dia, cada momento".


TU ÉS FIEL, SENHOR


TU ÉS FIEL, SENHOR

MEU PAI CELESTE
PLENO PODER
AOS TEUS FILHOS DARÁS
NUNCA MUDASTES,
TU NUNCA FALTASTE,
TAL COMO ERAS,
PRA SEMPRE SERÁS

TU É FIEL, SENHOR
TU É FIEL, SENHOR
DIA APÓS DIA
COM BENÇÃOS SEM FIM
TUA MERCÊ
ME SUSTENTA E ME GUARDA
TU ÉS FIEL, SENHOR
FIEL A MIM

FLORES E FRUTOS
MONTANHAS E MARES
SOL, LUA, ESTRELA
NO CÉU A BRILHAR
TUDO CRIASTE
NA TERRA E NOS ARES
TODO UNIVERSO
VEM, POIS TE LOUVAR

PLENO PERDÃO TU DÁS
PAZ, SEGURANÇA
CADA MOMENTO
NOS GUIA SENHOR
E NO PORVIR
ÓH, QUE DOCE ESPERANÇA
DESFRUTAREI DO TEU IMENSO AMOR

*****