segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

SONEGAÇÃO: REFLEXOS E CONSEQUÊNCIAS DA PRIVATARIA

16.01.2012
Do blog ANAIS POLÍTICOS 08.01.12


O livro do Amaury Ribeiro Jr. sobre a privataria tucana escancarou o que todo mundo já sabia e que claro, a mídia não divulgava porque sempre esteve na folha de pagamento dos privatas.

Curioso é ver que bandidagem e dinheiro não têm ideologia, nacionalidade ou vergonha na cara. É todo lugar igual pelo simples fato de que bandido é bandido Eventualmente em alguns lugares, uns vão para a cadeia. Mas não se iluda você de que impunidade é exclusividade do Brasil. Não caia nessa lorota. Nos EUA e na Inglaterra, onde a privataria chegou a níveis impensáveis, e muito antes de nós, ninguénzinho foi pra cadeia.

E a pilantragem do mercado financeiro de 2008 que quebrou o planeta todo? De todos os bandidos, só Madoff puxou cana. O resto está livre como sempre foi. Tudo é questão de quem você conhece, e de com quem você trama a pilantragem. Quando ela chega próxima demais ao poder, pode contar com impunidade. Foi assim com Bush, Tatcher, Reagan, FHC, e outros tantos. Quem acha que só o Brasil é muito corrupto, é porque conhece muito pouco o resto do planeta e assiste as coisas pela TV ou lê em nossos formidáveis jornais.

Dito isso, convém reparar nesta manchete do Valor (braço enconômico da tucaníssima Folha). Mostra que a Telefónica, que igual como fez no Brasil, arrematou um pedaço da telefonia do Perú, vai pagar uns 50 milhões de dólares em impostos atrasados. Só que o governo está cobrando 850 milhões.

Daí vem minha pergunta. Por que uma empresa do tamanho da Telefónica precisa dever impostos? Por que empresas do estilo da TIM, CLARO, VIVO e OI precisam não pagar encargos trabalhistas no Brasil? Precisam contratar terceiros fantasmas pra registrar os funcionários e depois lhes deixar na rua da amargura sem ter a quem recorrer?

É este o reflexo interminável da privataria que tomou de assalto o planeta todo a partir dos anos 80. Entregar o patrimônio do povo para uma dúzia de amigos dos donos do poder, em troca de propina, benefícios, e claro, muita grana depositada em paraísos fiscais para ser lavada e voltar pra comprar mansões, iates, hotéis, empresas e toda a sorte de mimos inimagináveis ao cidadão comum.

Sempre, como ninguém é de ferro, lesando o povo. Quem tem telefone no Brasil sabe como contas inexistentes são cobradas, serviços não são entregues. E a tucanada ainda usa como argumento de privatização bem sucedida.

E eu te pergunto. Onde está a mídia que se diz tão vestal e vigilante, que não fala nada disso? Ela mal e porcamente dá a notícia da dívida, mas não conta que essa grana toda provém de roubalheira e de sonegação. Nossa imprensa cachalote é ótima em falar dos políticos corruptos. Mas e dos corruptores? Não fala nada de quem pagou uma fábula de suborno pra levar pra casa uma companhia telefônica, elétrica ou uma pedageira?

Não, não fala nada. E não fala, frisamos mais uma vez, porque ela também está na folha de pagamento dos corruptos e dos corruptores. Ela só denuncia quando o bandido é da quadrilha rival. Daí, sim.

Dois livros valem a pena ser lidos sobre o tema. O do Amaury, que mostra que figuras como Daniel Dantas compraram uma companhia telefônica sem pagar um tostão, tudo financiado pelo BNDES (assim eu também posso) e outro, da jornalista canadense Naomy Klein (A Doutrina do Choque), que mostra como o câncer da privataria teve início e como se espalhou rapidamente por todo o planeta na pessoa de empresários inescrupulosos e de políticos safados.

Clique aqui para ler sobre o metrô dos empreiteiros em Curitiba.
Clique aqui para ver que o pau que bate em Chico, não bate em Francisco.
Clique aqui para ver como o imprensalão trata a mesma chuva em dois lugares.
Clique aqui para ver a Globo esquecendo de contar que levou grana larapiada do Ministério do Turismo.
****
Fonte:http://anaispoliticos.blogspot.com/2012/01/sonegacao-reflexos-e-consequencias-da.html

Polícia faz operação na TV Globo para investigar suposto estupro no BBB. Exame do corpo de delito pode ser solicitado

16.01.2012
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE

- O exame [corpo de delito] é a prova da materialidade. Se ela se recusar a fazer, o problema é dela. Vamos tomar as iniciativas que nos cabem. O pessoal está lá [Projac] e nós estamos vendo a possibilidade de entrar para fazer o exame. Estamos aguardando o posicionamento da TV Globo e, se eles não liberarem a nossa entrada, vamos buscar no Judiciário o mandado de busca e apreensão. Isso não vai ficar em branco.
(Disse o delegado Antônio Ricardo)
Do R7:

BBB 12: Polícia chega ao PROJAC [estúdios da TV Globo] e produção chama Monique para esclarecimentos

Um dentista foi a desculpa utilizada pela produção para chamar a moça ao confessionário

A sister Monique foi chamada no confessionário do BBB para prestar esclarecimentos sobre a polêmica noite com o companheiro de confinamento Daniel, no último sábado (14).

A polícia chegou ao Projac por volta das 17 horas e, sob a desculpa de um dentista para atendê-la, a dentista foi chamada para um possível exame de corpo de delito.

Os brothers não estranharam a abordagem, mas o áudio da casa foi cortado várias vezes, desde que a polícia chegou no local. No PPV da emissora a cabo que transmite a casa 24 horas por dia, o sinal do chamado mosaico também foi cortado.

A sister afirmou que não se recorda de ter consentido fazer sexo com Daniel - que, sem saber de nada, jogava sinuca com Jonas tranquilamente na área de lazer da casa. Para ela, nada de grave aconteceu naquela noite.

- Só se ele fez comigo dormindo e foi muito mau caráter. 

Entenda o caso

Policiais civis da 32ª DP (Taquara, na zona oeste) foram na tarde desta segunda-feira (16) ao Projac, centro de teledramaturgia da Rede Globo, para fazer exame de corpo de delito de Monique, participante do Big Brother Brasil 12, que teria sido molestada por outro integrante do programa, segundo informou o delegado Antônio Ricardo, titular da delegacia. De acordo com ele, ela não é obrigada a fazer o exame.

Antônio Ricardo confirmou ao R7 ter aberto um inquérito para investigar se houve estupro, que teria ocorrido após bebedeira dos participantes na madrugada do último domingo (15). O participante Daniel teria molestado a sister Monique enquanto ela estava inconsciente.

O titular da Delegacia da Taquara (32ª DP), Antônio Ricardo, disse nesta segunda-feira (16) que a polícia já tem um vídeo de sete minutos e irá analisar as imagens para apurar o que aconteceu.

A reportagem do R7 procurou a assessoria de imprensa da TV Globo que deve se manifestar sobre o caso.

****

BLOG DO MIRO: Estupro no BBB? É o amor, diz Bial

16.01.2012
Por Altamiro Borges


Crime? Jogada de marketing? Ou mais uma “pegação”? Para o patético Pedro Bial, âncora do Big Brother Brasil, a cena que rolou na madrugada deste domingo, que muitos fanáticos pelo BBB interpretaram como “estupro”, é mais uma prova de que “o amor é lindo”. O assunto promete render nos próximos dias, gerando mais pontos no Ibope e mais grana nos cofres da famiglia Marinho.


Segundo relato do site da Veja, é forte a suspeita de que o “brother” Daniel estuprou a “sister” Monique, que estaria desacordada quando ambos foram para debaixo do edredom – o utensílio mais importante da “Casa”. A TV Globo evita tratar do assunto, mas mandou retirar do sítio do programa o vídeo de três minutos, assistido pelos assinantes do pay-per-view e que vazou na web. 

Indícios de crime na TV Globo

Segundo a repórter Carol Barbosa, da Veja, “os boatos de estupro no BBB12 na madrugada deste domingo, que agitaram as redes sociais durante todo o dia, podem ser indícios de crime por parte do paulista Daniel, caso a estudante de administração gaúcha Monique, 23, não tenha consentido com as ações do modelo debaixo do edredom”. 

Segundo o advogado Romualdo Calvo Filho, presidente da Academia Paulista de Direito Criminal, até 2010 “a lei fazia distinção entre estupro e abuso. O estupro era quando havia penetração. Afora essa penetração, era atentado violento ao pudor. Com o advento dessa lei, tudo está unificado. Se realmente não houve o consentimento da mulher, houve ali um abuso e um estupro”.

Abertura de inquérito policial

O advogado explicou à revista que as imagens divulgadas no pay-per-view podem servir como objeto de investigação, no caso da abertura de inquérito policial. Mas só Monique pode abrir o processo. “O inquérito policial pode ser aberto como uma ação penal pública condicionada a uma representação, em que só ela pode dar entrada”. A estudante tem ainda seis meses para agir.

A modelo gaúcha diz não saber exatamente o que rolou na noite da bebedeira. “Me chamaram no confessionário para perguntar se tínhamos feito alguma coisa. Eu sei que não fiz, mas começo a pirar. Será que eu fiz? Será que não?”. Mas muitos fanáticos que assistiram ao programa ficaram indignados. Até a ex-BBB Ana Angélica Martins, a “Morango”, protestou em seu blog:

Indignação até dos “famosos”

“Ansiei por uma explicação, aguardei que o vídeo fosse revelado à Monique. O mínimo que a moça merecia saber é o que tinha acontecido na noite em que, bêbada e desacordada, ela confiou sua integridade física aos colegas de competição; à produção; à direção e à maior emissora do país, a Globo, que sempre alardeou que preza pelo padrão de qualidade de seus programas”.

A atriz global Fernanda Paes Leme também tuitou a hashstag com o link do vídeo e escreveu: “Abusou da Monique! Olha o vídeo, a menina apagada!”. A cantora Preta Gil acrescentou: “Bolinou a menina dormindo, que feio”. Diante da polêmica na internet, a TV Globo retirou do site oficial o vídeo que constava do link de Fernanda Paes Leme. Horas mais tarde, a atriz apagou o seu tuite.

“Império da indigência”

A TV Globo fará de tudo para abafar o caso. De qualquer forma, fica patente mais uma vez que o BBB é realmente o “império da indigência”, como bem descreve o jornalista Nirlando Beirão, em artigo na revista CartaCapital desta semana:

“Aquinhoado por verbas publicitárias milionárias e pela ansiedade do espectador em pagar para ter seu fugaz momento de imperador romano, decretando por telefone ou mensagem de texto a morte ou a salvação dos gladiadores, o BBB chega mais uma vez para reiterar seu papel de usina de trapaças, traições e velhacarias a serviço da indigência de um espetáculo solúvel, lixo reciclado e enlatado made by Endemol”.

“Enquanto o carnaval não vem, será aquele desfile cotidiano, 24 horas por dia, de muita prótese de silicone, excesso de tatuagens, exagero de protuberâncias, intenso ensaboar masturbatório sob chuveiros indiscretos – e, se alguém notar, em meio àquela torrente de energia libidinal, que neurônios estão sendo acionados, poucos que sejam, é bom avisar o Boninho, o diretor do programa, porque inteligência e raciocínio não fazem bem ao script”.

****

CONTEXTOLIVRE: Não seria melhor voltar a escravatura?

15.01.2012
Do blog CONTEXTO LIVRE
Por Fernando Brito, no Tijolaço



Com a escravatura, sem salário, quantos empregos mais poderíamos ter?
A Folha publica hoje matéria sobre o acréscimo de renda provocado pelo aumento do salário mínimo, mostrando que a classe C – mais do que as D e E – é a grande beneficiária dos R$ 63,98 bilhões que serão injetados na economia, ficando com R$ 48 bilhões, contra R$ 12,5 bi apropriados pelas classes D/E.
Corretamente, o diretor do Datapopular explica que o vínculo formal de remuneração da classe C faz este impacto ser mais diretamente absorvido na renda, embora não se mencione que esta diferença, na verdade, é apenas metade do que parece ser, pois a classe C tem hoje quase o dobro do número de integrantes do grupo D/E.
Mas a Folha, claro, não pode deixar de ouvir “o outro lado”. Ou seja, aqueles que sempre arranjam uma “boa razão” para que não se eleve o valor do trabalho do nosso povão. E o escalado é o economista José Márcio Camargo, integrante do núcleo do grupo que migrou de um vago esquerdismo para formar o “bunker” do pensamento neoliberal da PUC do Rio de Janeiro.
Não é preciso comentar, basta transcrever:
“O economista José Márcio Camargo, da Opus Investimentos, é crítico desse incremento econômico (o do aumento do salário-mínino).
“Esse dinheiro tem que sair de algum lugar. As empresas vão ter que deixar de comprar, de investir, para arcar com esses custos adicionais.”
O resultado, diz, é que a renda total - e o consumo - não deverá aumentar tanto quanto se prevê com o aumento do salário.
“Com um lucro menor, as empresas poderão gerar menos empregos”, afirma.
Estamos, atenção, no século 21 e ainda há quem deite doutrina para afirmar que salário-mínimo – e ainda um dos menores do mundo – é empecilho para o emprego e o progresso econômico.
Quem sabe se com a escravatura iríamos ter mais progresso que tivemos com a sólida – embora ainda modesta – elevação dos salários? Afinal, pobre está ficando muito caro, não é?
Fernando Brito

*****
Fonte:http://contextolivre.blogspot.com/2012/01/nao-seria-melhor-voltar-escravatura.html

JUÍZES PARA A DEMOCRACIA: PODER DAS EMPRESAS

16.01.2012
Do site da AJD - JUÍZES PARA A DEMOCRACIA
Por Rafael Alcadipani



PODER DAS EMPRESAS, com Rafael Alcadipani
A imagem do setor privado é glamourosa e sedutora. Serve de modelo para a organização de todos os setores da sociedade, e introduz no setor público exigências de metas e produção cujos impactos ainda não foram adequadamente avaliados e  mensurados.
Em entrevista ao programa Justiça e Democracia, o professor Rafael Alcadipani, da Escola de Administração da FVG, ajuda a compreensão da cultura do setor privado, aponta os seus problemas e perspectivas.

****
Fonte:http://www.ajd.org.br/multimidia_videos_ver.php?idConteudo=213

Crack: Maria do Rosário quer ser parceira de São Paulo

16.01.2012
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim



O programa Entrevista Record Atualidade, que passa a ir ao ar às segundas-feiras, na Record News, às 22h15, depois do programa do Heródoto Barbeiro, mostrará nesta segunda uma entrevista com a Ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário.

Ela descreveu o papel central que a Saúde e a proteção da família desempenham no programa de Enfrentamento ao Uso do Crack, que a Presidenta Dilma Rousseff lançou em dezembro passado.

É um programa de R$ 4 bilhões, articulado com estados e municípios, que vai construir Centros de Assistência Psico-Social (CAPs), abertos 24 horas; consultorias móveis; construção de 2.500 leitos hospitalares; e núcleos de apoio às familias.

O núcleo da política, segundo Maria do Rosário, é “viciado não é criminoso”.

Ele precisa de políticas de saúde e assistência e, claro, de autoridade policial, para evitar que a droga chegue até ele.

A simples descrição da política do Governo Dilma mostra o fosso abismal que a separa da política de “dor e sofrimento”, aplicada pelos governos tucanos (e, no caso, neo-nazistas – PHA) de São Paulo.

Supor que o ataque policial levará à abstinência e, portanto, ao tratamento voluntário é imaginar que Hitler pudesse invadir a Rússia no inverno.

Mas, Maria do Rosário evita confrontar a política do Governo Federal com a de São Paulo.

Ela fez questão de deixar claro que quer São Paulo como parceiro em políticas de combate ao crack.

Ela quer despolitizar a questão.

E deixou claro: a política do Governo Federal se verá, breve, melhor, na parceria com o Rio e Pernambuco.

Porque, como diz um ansioso blogueiro, São Paulo ganhou a Guerra da Secessão de 1932.

Paulo Henrique Amorim


Em tempo: a delegada Valeria de Aragão Sádio, 35 anos, nova titular da Delegacia de Combate às Drogas do Rio, dirigiu até ano passado a Delegacia de Amparo à Criança e ao Adolescente. E quem entende de “dor e sofrimento” é o Alckmin.
*****

CONTEXTOLIVRE: O DEM é uma merda” ou é covarde?

16.01.2012
Do blog CONTEXTOLIVRE, 29.06.10
Por Altamiro Borges*

"O DEM é uma merda". A frase do bufão Roberto Jefferson, presidente do PTB, grafada no seu twitter, confirma a guerra civil que se instalou na base de apoio do candidato José Serra. Diante da insólita indicação de Álvaro Dias para seu vice, sem qualquer consulta aos aliados, os demos resolveram se rebelar e ameaçaram abandonar a coligação. O novo aliado, o petebista-fisiológico Bob Jefferson, decidiu então tomar as dores do presidenciável e ligou o ventilador no esgoto.

O caos se implantou bem no mês em que comando serrista prometera ser o da “arrancada para a vitória”, apostando no seu programa gratuito de rádio e TV. De uma só tacada, Serra colocou em risco a frágil aliança neoliberal-conservadora, antes composta por PSDB, DEM, PPS e PTB. Os demos estão se sentindo humilhados e já prevêem o total definhamento do partido. “A eleição nós já perdemos, não podemos perder é o caráter”, desabafou Rodrigo Maia, presidente do DEM.

Resistências no inferno

A situação dos demos é realmente delicada – dizem que até o diabo está irritado com o apelido e que já anunciou que não os aceita no inferno. O partido sempre foi um apêndice do PSDB e não se preparou para enfrentar uma possível apunhalada de José Serra, famoso por suas infidelidades – que o diga Geraldo Alckmin, traído em plena campanha para prefeito de São Paulo. Durante o reinado de FHC, ele ainda elegeu numerosas bancadas mamando nos cofres públicos. Afastados do poder, ele só colheu derrotas – em quatro legislaturas, caiu de 105 para 56 deputados federais.

O dilema é grande. O DEM é um “partido de merda ou de cagões”? Terá coragem para romper a aliança com José Serra, tirando-lhe preciosos minutos do horário eleitoral na rádio e TV? Ou continuará como mero apêndice dos tucanos, aceitando todo tipo de humilhações e traições? De qualquer forma, a situação dos demos é trágica. Já há estudos que indicam que sua bancada deve cair para menos de 40 deputados. E existem boatos de que seus líderes analisam a possibilidade da fundação de um novo partido ou da fusão com outra tranqueira neoliberal.

As trapalhadas tucanas

Trágica também é a situação do presidenciável José Serra, que parece caminhar para o cadafalso. No mês da “arrancada para a vitória’, o candidato só colheu péssimas notícias. Primeiro foi FHC que abandonou o barco, confessando as enormes dificuldades do candidato tucano. Depois foi o Ibope, instituto vinculado à direita, que confirmou a dianteira nas pesquisas de Dilma Rousseff. Agora é o DEM que chuta o pau da barraca e cria novos constrangimentos à oposição neoliberal.

Até a mídia golpista, sempre tão servil a José Serra, está irritada com os rumos da sua campanha. O jornal O Globo já deu matéria com o título “Uma grande trapalhada tucana”. Vários colunistas tucanos têm pedido urgência para resolver o impasse com o DEM, sugerindo a retirada do nome do ex-governador Álvaro Dias. Também neste caso, qualquer que seja a solução negociada, a “merda” – para usar o dicionário do deputado cassado Roberto Jefferson – já terá se espalhado.
*Publicado no blog: Brasil, mostra a tua cara!

*****

MAGISTRATURA: O Conselho Nacional de Justiça em questão

16.01.2012
Do site AJD - JUÍZES PARA A DEMOCRACIA, 
Postado por Irineu Messias

CNJ - Conselho Nacional de Justiça, com Luiz Flávio Gomes
As entidades de classe da magistratura travam no STF uma batalha com o Conselho Nacional de Justiça. Em jogo, os poderes disciplinares do órgão de controle do Judiciário. Uma batalha entre o espírito republicano e o habitus nobiliárquico.
O jurista Luiz Flávio Gomes analisa o perfil do CNJ, critica as resistências coorporativas da magistratura, e defende o controle externo do Poder Judiciário.
Veja aqui a entrevista  ao programa Justiça e Democracia de 09 de dezembro de 2011. Confira também, sobre o tema a entrevista de Ricardo Chimenti, juiz e assessor da Corregedoria do CNJ. Leia, ainda, a nota pública da AJD sobre as competências disciplinares.
****
Fonte:http://www.ajd.org.br/multimidia_videos_ver.php?idConteudo=214

RACISMO: Manifestação em frente a restaurante de SP pede fim do racismo no país

16.01.2012
Do site da Revista Brasil Atual, 07.01.12
Por Elaine Patricia Cruz

São Paulo - Enquanto algumas pessoas almoçavam no Restaurante Nonno Paolo, na zona sul de São Paulo, do lado de fora, um pequeno número de pessoas fazia um panelaço contra atitudes racistas. A manifestação, pacífica, foi organizada pela internet e motivada pela história do casal espanhol que teve o filho adotivo, de 6 anos, retirado do estabelecimento.
Enquanto os pais se serviam no restaurante, o filho etíope ficou esperando em uma das mesas. Um dos funcionários da pizzaria abordou a criança e a retirou do local. O casal espanhol encontrou o filho na calçada e registrou um boletim de ocorrência por discriminação racial na Delegacia do bairro de Vila Mariana.
A estudante Carina Paola Cardenas, uma das idealizadoras do protesto, disse que o objetivo é chamar a atenção para o preconceito racial. “Pretendemos mostrar às pessoas que o racismo existe. Não se consegue mudá-lo somente por leis. O que muda isso é a conscientização. Por isso, estamos estimulando o boicote aos estabelecimentos que tenham esse tipo de política de maltratar pessoas seja por causa da raça ou por questão social.”
Wilson Honório da Silva, do Movimento Nacional Quilombo Raça e Classe, disse que o protesto, apesar de ter contado hoje com um grupo muito pequeno de pessoas, não pode ser esgotado. “O movimento tem o propósito de mandar um recado para a sociedade. Estamos cansados de viver em um país onde ser negro é parecer marginal.”
Para ele, a ideia é organizar manifestações ao longo do ano para alertar a população sobre o racismo. “Estamos propondo transformar o dia 21 de março, que é o Dia Internacional de Combate ao Racismo, num grande ato em protesto a todos esses casos que têm se repetido em São Paulo”, disse.
À Agência Brasil, os sócios do restaurante disseram que não iriam se manifestar sobre o caso até a conclusão do inquérito policial.
Na última quarta-feira (4), a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo instaurou um processo para apurar o caso. Se for comprovada a discriminação racial contra a criança, o estabelecimento poderá ser multado.

****