quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Revista de esgoto frauda lista de mais vendidos para esconder A Privataria Tucana

29.12.2011
Do blog ESQUERDOPATA, 26.12.11
Por Izabela Vasconcelos, da  Comunique-se

Na lista dos mais vendidos nas livrarias, "A Privataria Tucana" não aparece no ranking da Veja

O livro A Privataria Tucana, do jornalista Amaury Ribeiro Jr, está entre os dez mais vendidos em livrarias e sites de literatura. No entanto, na lista dos 20 mais vendidos da revista Veja, a publicação não aparece em nenhuma das posições.

Segundo as livrarias Cultura, Publifolha e Saraiva, além do site especializado Publishnews, o livro que divulga possíveis irregularidades cometidas por integrantes do PSDB figura no 2º lugar entre os mais vendidos, na categoria não-ficção, perdendo apenas para o livro Steve Jobs,  de Walter Isaacson. A obra de Ribeiro Jr aparece em 10º no ranking anual da Fnac. 

No lugar em que deveria aparecer A Privataria Tucana, a Veja destaca o Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, de Leandro Narloch. Nas outras listas, o livro de Narloch aparece apenas na 15ª posição.

A Privataria Tucana, editado pela Geração Editorial, é resultado de 12 anos de trabalho do ex-repórter do jornal O Globo e Estado de Minas, Amauri Rineiro Jr., que acabou indiciado pela Polícia Federal por suspeita de participar de um grupo que tentou quebrar o sigilo fiscal e bancário de políticos tucanos.

Segundo o jornalista, Serra tentou investigar detalhes da vida política de Aécio Neves, do mesmo partido, já que os dois disputavam internamente a candidatura à presidência da República, nas eleições de 2010. Irritado com a repercussão, Serra negou as acusações descritas na obra e chegou a chamar o livro de “lixo”.

Procurada pelo Comunique-se, a revista Veja preferiu não se pronunciar.
*****

Com câncer, Cristina Kirchner será operada

29.12.2011
Do portal ÚLTIMO SEGUNDO, 27.12.11
Por Agência EFE

Presidenta argentina passará por cirurgia em janeiro para retirada de tumor na tireoide  


Foto: ReutersAmpliar
A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, durante sua posse em 10 de dezembro de 2011
A presidenta da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, tem um tumor na glândula tireoide e será operada no próximo dia 4 de janeiro, anunciou nesta terça-feira (27) seu porta-voz, Alfredo Soccimarro.
A doença da chefe de Estado, de 58 anos, foi detectada durante uma revisão médica de rotina, informou Soccimarro aos jornalistas. 

Cristina Kirchner realizou exames de rotina no dia 22 de dezembro que revelaram um "carcinoma papilar no lóbulo direito da glândula tiroide", disse o porta-voz.

Scoccimarro acrescentou que a presidenta "já realizou exames pré-cirurgicos que indicaram a ausência de compromisso dos ganglios linfáticos e de metástase".

"Tendo completado hoje a realização dos exames pré-cirúrgicos correspondentes, a cirurgia foi marcada para quarta-feira, dia 4 de janeiro, no Hospital Austral com um tempo provável de internação de 72 horas e convalescença de 20 dias", completou o porta-voz. 

O vice-presidente argentino, Amado Boudou, assumirá a direção do país entre os dias 4 e 24 de janeiro, acrescentou Scoccimarro.

Cristina Kirchner reassumiu o poder em 10 de dezembro passado, para mais quatro anos de mandato, após vencer as eleições de 23 de outubro, com 54,11% dos votos.


*** Com informações da AFP e EFE


****

MANIPULAÇÃO DA MÍDIA GOLPISTA:Reportagem do Estadão deturpa pesquisa que elogia governo Lula

29.12.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA, 28.12.11

Barriga do Estadão:Reportagem deturpa pesquisa que elogia governo Lula


A  reportagem deturpa a pesquisa da Prof. Maria Celina, que está disponível em http://desigualdadediversidade.soc.pucrio.br/media/09%20DeDespecialArt%2005Celina1.pdf

Ao contrário do que afirma a reportagem, lá não há discussão sobre os valores dos DAS nem sobre a questão da apuração de irregularidades. Inclusive fala que:

"Os resultados da pesquisa para o governo Lula da Silva mostraram que os dirigentes públicos integram um grupo de profissionais, em sua maioria, de carreira no serviço público, formados em boas e tradicionais escolas, com alta titulação, com forte presença técnica em áreas estratégicas do governo e com vasta experiência em cargos da administração pública. Ao mesmo tempo, evidenciaram tratar-se de uma elite altamente politizada, partidarizada, sindicalizada, com altos índices de engajamento social. Observamos também a presença expressiva de certas profissões, algumas não tradicionalmente identificadas com as funções públicas, como a dos cientistas sociais. Avaliamos as experiências anteriores desses profissionais, sua formação acadêmica e suas capacidades específicas e concluímos que, em geral, mostram competência para ocupar funções públicas, ao contrário de uma percepção corrente que aponta para as altas taxas de clientelismo na ocupação dos cargos de confiança."

Mas a "barriga" é o valor dos DAS. Segundo a Tabela de remuneração dos servidores públicos federais, disponível emhttp://www.servidor.gov.br/publicacao/tabela_remuneracao/tab_remuneracao/tab_rem_11/tab_57_2011.pdf, página 496, o valor dos DAS é :


DAS 101.6 e 102.6 R$ 11.179,36

DAS 101.5 e 102.5 R$ 8.988,00

DAS 101.4 e 102.4 R$ 6.843,76

e não os vinte e poucos mil ditos na reportagem...

Segue a reportagem:

Lula deu mais cargos a militantes do que FHC

Autor(es): LUCIANA NUNES LEAL

O Estado de S. Paulo - 28/12/2011

Estudo diz que, na gestão do petista, 40% dos comissionados com filiação eram do PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não só abriu mais espaço que seu antecessor, o tucano Fernando Henrique Cardoso, a militantes partidários nos cargos comissionados como privilegiou o PT na distribuição dessas vagas, preenchidas sem concurso público. Já os filiados a partidos de oposição não tiveram lugar entre os comissionados no governo Lula.

Pesquisa da cientista política Maria Celina D"Araujo, da PUC-RJ, mostra que, na gestão de Lula (2003-2010), 12,6% dos ocupantes de cargos de Direção de Assessoramento Superior (DAS) eram filiados a partidos políticos, proporção quase duas vezes maior que os 6,5% da administração tucana (1995-2002). Na elite dos cargos comissionados, os DAS-6, a proporção de filiados chegou a 38% no governo do petista, ante 20% do tucano.

Para Maria Celina, a presença de servidores filiados a partidos políticos não é, por si só, um ponto negativo. "O que faz a diferença é como os governantes e os dirigentes a quem a burocracia se reporta vão usar a máquina pública. É deles a responsabilidade. No governo Fernando Henrique houve preocupação em mandar apurar irregularidades. O presidente Lula teve uma posição de contemporizar com os malfeitos, que a presidente Dilma não tolera", disse ela.

Segundo o Ministério do Planejamento, há 22 mil ocupantes de cargos DAS no governo. A elite da categoria são os 1.050 funcionários DAS-5, com salário de R$ 20.266,73 mensais, e os 217 DAS-6, que ganham R$ 22.801,67. Há ainda 53 cargos de natureza especial (NES), com salário mensal de R$ 22.801,67. (???)

Entre os comissionados com filiação partidária do governo Lula, 40% eram do PT. Na gestão Fernando Henrique, 20% dos comissionados com filiação partidária eram do PSDB e a mesma proporção era do PMDB, partido que pertencia à base do tucano, migrou para o governo Lula e agora ocupa a Vice-Presidência com Dilma Rousseff. Não havia filiados ao PSDB entre os comissionados do governo Lula, ao passo que, no governo FHC, 10% de ocupantes desses cargos de confiança eram petistas.

"De maneira explícita nota-se uma distribuição mais equilibrada entre os partidos da base no governo FHC. O PT, na oposição, teve uma fatia de cargos de confiança semelhante à de partidos da base como o DEM e o PP. O dado confirma nossa hipótese de que no governo do PSDB não houve uma política de exclusão partidária, pelo menos entre os partidos eleitoralmente mais expressivos naquela ocasião. No governo Lula, a concentração de filiados ao PT foi alta entre as nomeações para os cargos de dirigentes públicos ou para o ministério", diz Maria Celina no estudo "PSDB e PT e o Poder Executivo", publicado pelo Departamento de Sociologia da PUC.

A pesquisadora comparou a lista de comissionados com a relação de filiados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em estudo anterior, publicado no ano passado, Maria Celina mostrou que 46% dos ocupantes de cargos DAS no governo Lula eram filiados a sindicatos. A professora ainda não concluiu a comparação com a gestão FHC.

O estudo divulgado agora apontou também a presença significativa de servidores públicos entre os filiados do PT, o que não se repete entre os militantes tucanos. "O PT já está dentro da máquina pública, é o partido de referência dos funcionários públicos. O PSDB é mais ligado às elites", afirma a professora. A proximidade do PT com o funcionalismo público, onde são altos os índices de sindicalização e partidarização, é uma das razões para a presença maciça de petistas nos quadros federais.

Em entrevista a Maria Celina, FHC afirmou que "o PSDB não se caracteriza como um "partido demandante", ou como um partido de militância, o que permitiu ao seu governo ter mais margem de ação para empreender uma administração cooperativa com os demais partidos".

Na avaliação de Maria Celina, "a maior concentração de petistas no governo de Lula derivaria desse aspecto militante e mobilizador do PT, que historicamente foi bem-sucedido na aproximação com os movimentos sociais e com os servidores públicos". Segundo ela, o Brasil "tem o melhor funcionalismo da América Latina"

Colaboração do nosso leitor Marcus Braga

*****

Geraldo Alckmin demite delegado que prendeu juiz bêbado e arruaceiro

29.12.011
Do blog ESQUERDOPATA,28.12.11
Por ANDRÉ CARAMANTE


Delegado que prendeu juiz é exonerado do cargo em São Paulo

O delegado Frederico Costa Miguel, 31, foi exonerado da Polícia Civil de São Paulo. A exoneração, assinada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), foi publicada ontem (27) no "Diário Oficial".

Há 80 dias, Miguel acusou Francisco Orlando de Souza, magistrado do Tribunal de Justiça, de dirigir sem habilitação, embriaguez ao volante, desacato, desobediência, ameaça, difamação e injúria.

O governo nega qualquer relação entre a exoneração do delegado e o incidente.

Souza discutiu no trânsito com um motorista e ambos pararam no 1º DP de São Bernardo do Campo (ABC Paulista) para brigar, mas foram impedidos pelo então delegado.

Apesar da repercussão, o caso não foi investigado pela Corregedoria da Polícia Civil. Dez dias após o incidente, o juiz foi promovido a desembargador pelo TJ.

Por conta do caso, o presidente do TJ paulista, José Roberto Bedran, pediu para a Secretaria da Segurança Pública criar a função de "delegado especial" para cuidar de casos envolvendo juízes. O pedido não foi atendido.

"Estou surpreso com a exoneração. Não sei os motivos da decisão do governador e não tive direito de defesa", disse o ex-delegado.

Segundo o ato, Miguel foi exonerado por não ser aprovado no estágio probatório de três anos. Ele chegaria ao fim dessa fase em 30 de janeiro.

Desde 2008, quando entrou na polícia, Miguel foi alvo de três apurações na Corregedoria. Em todas, ele obteve pareceres favoráveis.

Miguel era plantonista quando apartou a briga, em outubro. Segundo o delegado, o juiz gritou várias vezes: "Você não grita assim comigo, não! Eu sou um juiz!".

O desembargador afirmou ontem que não sabia da exoneração e que "tudo não passou de um mal-entendido".

Souza disse ainda ser alvo de apuração na Corregedoria do TJ. A assessoria do órgão disse não ter acesso aos documentos da investigação "porque ela é sigilosa e por conta do recesso do Judiciário".

*****

O chilique do historiador tucano


29.12.2011
Do blog de Altamiro Borges, 28.12.11
Por Altamiro Borges

O historiador Marco Antonio Villa, que goza de generosos espaços na mídia (Globo, Cultura, Estadão e outros), nunca escondeu a sua rejeição ao chamado “lulopetismo” e as suas simpatias pelo tucanato. Nos últimos dias, porém, ele andou perdendo a compostura. O livro “A privataria tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro, parece que deixou o rapaz enfezadinho, irritadiço.

Segundo o sítio Comunique-se, na edição desta segunda-feira (26) do “Jornal da Cultura”, Villa chegou a bater boca com o outro comentarista do programa, o advogado Airton Soares, ao tratar do salário dos magistrados paulistas. “Os ânimos no noticiário se exaltaram... ‘Aqui não é debate eleitoral’, disparou Maria Cristina [âncora do programa] antes de chamar o intervalo comercial”.

A mordaça da direita

Um dia depois, Villa publicou artigo raivoso contra o livro no jornal O Globo. Com o título “Querem impor a mordaça”, ele afirma que “o panfleto de Amaury Ribeiro é apenas um produto da máquina petista de triturar reputações. Foi produzido nos esgotos do Palácio do Planalto”. As contradições no texto são grotescas. Apresento trechos do artigo e, com colchetes e negritos, faço algumas indagações ao intrépido historiador: 

“Não é novidade a forma de agir dos donos do poder. Nas três últimas eleições presidenciais, o PT e seus comparsas produziram dossiês, violaram sigilos fiscais e bancários, espalharam boatos, caluniaram seus opositores, montaram farsas”. 

[Mas no foi o “fogo amigo”, segundo o próprio José Serra, que gerou a confecção de dossiês e a contratação de arapongas no interior do PSDB? Não foi a Verônica Serra, filha do ex-governador, que quebrou o sigilo bancário de 60 milhões de brasileiros? E a fama de Serra de espalhar boatos, caluniar opositores e montar farsas, como a da bolinha de papel? Villa conhece estes fatos?].

“A máquina petista virou uma Stasi tropical, tão truculenta como aquela que oprimiu os alemães-orientais durante 40 anos. A truculência é uma forma fascista de evitar o confronto de idéias. Para os fascistas, o debate é nocivo à sua forma de domínio, de controle absoluto da sociedade, pois pressupõe a existência do opositor”.

[Ao invés de vomitar conhecimento histórico, Villa não tem nada a dizer sobre os espiões, alguns egressos do SNI, contratados por José Serra, que têm seus nomes registrados no livro do Amaury? Sobre a truculência fascista, ele não fará nenhuma crítica ao seu amigo tucano, conhecido por pedir a cabeça de inúmeros jornalistas – inclusive de Heródoto Barbeiro, na TV Cultura?].

“Os petistas odeiam a política. Fizeram nos últimos anos um trabalho de despolitizar os confrontos ideológicos e infantilizaram as divergências (basta recordar a denominação "mãe do PAC")... Na verdade, os petistas odeiam ter de conviver com a democracia”. 

[Mas não foi a mulher do José Serra, a Mônica, que disse na campanha eleitoral do ano passado que Dilma “matava criancinhas”? Isto não é infantilizar as divergências, não é pura baixaria? Não foi o presidenciável tucano que se aliou os generais de pijama do Clube Militar e aos fascistas do Opus Dei e da TFP? Quem é que odeia conviver com a democracia].

“Enxergam na Venezuela, no Equador e, mais recentemente, na Argentina exemplos para serem seguidos. Querem, como nestes três países, amordaçar os meios de comunicação e impor a ferro e fogo seu domínio sobre a sociedade. Mesmo com todo o poder de Estado, nunca conseguiram vencer, no primeiro turno, uma eleição presidencial”.

[Com sua mente colonizada, Villa prefere seguir os EUA e a Europa, com suas guerras expansionistas, seus campos de tortura e seus governos de banqueiros. Mesmo assim, vale lembrar ao nobre historiador que nos EUA e nos países europeus existem regras para os meios de comunicação. Quanto a vencer no primeiro turno, Villa ainda hoje não engoliu a terceira vitória de Lula].

“O panfleto de Amaury Ribeiro Junior é apenas um produto da máquina petista de triturar reputações. Foi produzido nos esgotos do Palácio do Planalto. E foi publicado, neste momento, justamente com a intenção de desviar a atenção nacional dos sucessivos escândalos de corrupção do governo federal... Sob o pretexto de criticar as privatizações, focou o seu panfleto em José Serra”.

[Sobre esgoto e máquinas de triturar reputações, Villa deve conhecer bem como funcionam as coisas no ninho tucano. Ninguém se entende. As bicadas são sangrentas e o jogo é sujo. Já no que se refere aos “escândalos” no governo Dilma, se vingar a CPI da privataria, o historiador terá volumoso material para escrever um livro sobre a maior roubalheira da história do Brasil?].

“O panfleto deveria ser ignorado. Porém, o Ministério da Verdade petista, digno de George Orwell, construiu um verdadeiro rolo compressor. Criou a farsa do livro invisível, isto quando recebeu ampla cobertura televisiva da rede onde o jornalista dá expediente. Junto às centenas de vozes de aluguel, Ribeiro quis transformar o texto difamatório em denúncia. Fracassou. O panfleto não para em pé e logo cairá no esquecimento”.

[Villa poderia aproveitar a sua boquinha na GloboNews para solicitar a famiglia Marinho que se fale algo sobre o livro. O silêncio da maior parte da mídia é vergonhoso e o historiador ainda tem a caradura de mencionar a “ampla cobertura”. Quanto ao fracasso do autor, não é o que afirmam as principais livrarias do país. Villa garante o livro “logo cairá no esquecimento. Certeza ou medo?].

“O PT não vai deixar o poder tão facilmente, como alguns ingênuos imaginam. Usará de todos os instrumentos de intimidação contra seus adversários, mesmo aqueles que hoje silenciam, acreditando que estão ‘pela covardia’ protegidos da fúria fascista... O panfleto é somente uma pequena peça da estrutura fascista do petismo”.

[O último parágrafo do artigo é quase uma bronca na oposição demotucana, uma orientação política. Villa exige que ela seja mais ativa e incisiva contra o “fascismo petista”. O historiador está preocupado, estressado. Precisa urgentemente de férias. Poderia pedir a Verônica Serra e ao seu marido Preciado para passar alguns dias na mansão em Trancoso, no belo litoral baiano].
****

Secretaria de Transportes lança campanha de segurança nas rodovias no Réveillon e férias

29.12.2011
Do blog ESTRADAS DE PERNAMBUCO,28.12.11
Por Tony Sandro




O Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Transportes (Setra), lançou na manhã de hoje (28), durante entrevista, a Campanha Educativa de trânsito nas rodovias para o Révellon e férias, visando orientar os motoristas a respeitar os limites de velocidade, não beber antes de dirigir, utilizar os equipamentos de segurança e seguir pelas rotas alternativas. A campanha do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) vai contar com o apoio do BPRv, Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, e prefeituras do litoral Sul, que participaram da entrevista coletiva.



A campanha educativa será amplamente divulgada com a distribuição de 200 mil panfletos aos motoristas pelos agentes do DER e das prefeituras envolvidas, mostrando através de mapas as três rotas alternativas sugeridas para quem vai se deslocar para o litoral Sul, com o objetivo de evitar os congestionamentos durante o Réveillon e férias, quando o fluxo de veículos chega a 150 mil veículos na PE-60. Com os roteiros alternativos a Secretaria de Transportes espera desviar para outras vias (ver mapas abaixo) cerca de 50 mil automóveis que seguirão para com destino às praias mais ao sul.

A divulgação da campanha também será feita através de cartazes, que serão fixados em vários estabelecimentos comerciais dos municípios envolvidos neste esquema e nas lombadas eletrônicas das PEs 27, 35 e 60, e da BR-232, que serão desligadas às 5 horas da manhã desta quinta-feira (29) e religadas às 5h do dia 3, ação que visa dar mais fluidez ao tráfego. O DER alerta alerta os motorista que as lombadas instaladas na BR-232, na descida da Serra das Russas (sentido Gravatá-Recife), e na PE-60, em Sirinhaém e Rio Formoso, não serão desligadas e continuarão multando os motoristas que ultrapassarem os limites de velocidade, medida tomada por questões de segurança.

Também serão veiculas peças publicitárias da campanha nas emissoras de rádio e várias placas da campanha, no tamanho 5 x 3 metros, foram instaladas nas margens das vias estaduais inseridas na programação, e na BR-232, próximo ao Túnel Cascavel, em Gravatá.
            
O secretario Isaltino Nascimento ressaltou a importância de orientar os usuários para uma viagem tranqüila, segura e a necessidade de utilizar as rotas alternativas para desafogar o trânsito na PE-60, principal via de acesso ao Litoral Sul, diminuindo em até 30% o fluxo de veículos nesta via, beneficiada com serviços de restauração dentro do Programa Rodoviário “Caminhos da Integração”. Outra ação implementada pelo DER foi a conclusão da via de contorno de Tamandaré, município do Litoral Sul distante 110 quilômetros do Recife, dando mais fluidez ao tráfego local.

Uma das maiores preocupações da campanha, a segurança estará totalmente reforçada com grande efetivo das corporações envolvidas:

O Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) vão atuar juntas, através do Programa Rodavida, com 286 agentes e 62 viaturas, a partir desta sexta-feira (30) até o domingo (1º). A PRF vai contar com agentes em vários pontos das rodovias, fotografando e filmando os motoristas que utilizarem os acostamentos para fugir dos possíveis congestionamentos. Dois helicópteros darão suporte no monitoramento das rodovias envolvidas na campanha, principalmente nos pontos críticos.

A Polícia Militar vai contar com o reforço de 96 homens e 24 viaturas, reforçando a o efetivo existente de 86 militares e 25 viaturas, atuando nos litorais e cidades do Interior.

O Corpo de Bombeiros vai contar com 126 homens e 73 viaturas atuando nas rodovias estaduais nos municípios de Jaboatão dos Guararapes, Cabo e Ipojuca. Nas praias estão instalados 14 postos, com apoio de seis embarcações e efetivo de 48 soldados.

O DER vai contar com a ajuda de um caminhão Muck de grande porte e um guincho, que serão utilizados para remover os veículos em caso de colisão, quebra ou pane, facilitando a retirada desses automóveis e evitar transtornos com a retenção do tráfego.

*****
Fonte:http://estradasdepernambuco.blogspot.com/2011/12/secretaria-de-transportes-lanca_28.html

Dipp e Britto defendem Calmon. Melo, Peluso e Gilmar resistem

29.12.2011
Do blog CONVERSA AFIADA, 28.12.11
Por Paulo Henrique Amorim

Saiu no Estadão, pág. A5:

“CNJ reage à comparação com ‘ditadura’.”


Para Ayres Britto, órgão age à luz do dia; Gilson Dipp, ex-corregedor do CNJ, critica a inoperância dos tribunais e diz que CNJ aprimora a democracia”.

Navalha
Quem disse que o CNJ da Calmon é uma forma de “ditadura” foi o próximo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo.
Êpa ! Êpa !
De São Paulo, a república separatista de São Paulo.
Se a Calmon não tivesse feito uma faxina na Justiça de São Paulo, não teria acontecido nada.
Se ficasse no Acre, em Roraima, talvez merecesse até uns elogios do PiG (*).
Mas, entrou em São Paulo, os tenentes de 1932 – como o “seu” Frias e os Mesquita – ensarilham as armas.
E perdem !



Paulo Henrique Amorim


(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
*****

Irmandade Muçulmana confirma que aplicará lei islâmica ao assumir poder no Egito

29.12.2011
Do portal OPERA MUNDI
Por William Maia | Redação


Grupo religioso deve vencer eleições legislativas e proibir consumo de álcool; “turismo não significa nudez e embriaguez”, diz dirigente

Homem protesta durante julgamento de Hosni Mubarak; futuro do Egito após que do ditador ainda é nebuloso

Um dos principais líderes da Irmandade Muçulmana, grupo religioso que caminha para vencer as eleições legislativas no Egito, confirmou que a sharia, a lei islâmica, será aplicada no país, o que implicará na proibição do consumo de álcool. A adoção de princípios do Corão como base das leis no Egito é um dos principais temores de organizações de direitos humanos, que alertam para os riscos de aumento da repressão contra as mulheres no país.
“O islã é a solução”, disse Sobhi Saleh, em entrevista ao jornal egípcio Al Masry al Youm. O dirigente da cidade de Alexandria, que também foi senador, afirmou que a aplicação da lei islâmica “era planejada desde 1928”, quando a Irmandade Muçulmana foi fundada. Durante as manifestações que derrubaram o ditador Hosni Mubarak, o grupo evitou dizer se defendia ou não a adoção de um regime islâmico no país, em oposição ao modelo de governo secular que existe atualmente no Egito e em países como Turquia e Líbano.
Saleh confirmou que tão logo assuma o poder, o Partido Liberdade e Justiça – braço político da Irmandade – proibirá a venda e o consumo de álcool no Egito. “O turismo não significa nudez e embriaguez”, disse. “Os egípcios são o povo mais religioso e não precisamos disso”.
Sobre a volta das manifestações que levaram à confrontos na praça Tahrir e em outros pontos do país, Sobhi Saleh culpou “sobras” do regime de Hosni Mubarak. De acordo com informações do jornalEl Mundo, a Irmandade Muçulmana pretende agregar lideranças jovens ao novo governo para esvasiar os protestos. 
Efe
Eleições
O Partido Justiça e Liberdade e o Partido Al Nour, dos ultraconservadores muçulmanos salafistas, obtiveram 65% dos votos na segunda fase das eleições egípcias. Segundo dados divulgados da Comissão Eleitoral, divulgados pela agência estatal Mena, o PJL conseguiu mais de 4 milhões de votos válidos, dos 11,1 milhões de eleitores.
Esta porcentagem representa 36,3% dos votos das listas fechadas, quase 10% a mais que os votos obtido pelos ultraconservadores do Al Nour, que alcançaram 3,2 milhões dos sufrágios e ficaram com 28,7%. Em terceiro lugar, com um milhão de votos (9,6%), aparece o partido liberal Wafd, enquanto o Bloco Egípcio, que engloba forças liberais e laicas, atingiu pouco mais de 150 mil votos (1,3%).

*****
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/18822/irmandade+muculmana+confirma+que+aplicara+lei+islamica+ao+assumir+poder+no+egito.shtml

União pagará bilhões por auxílio-moradia retroativo de magistrados


29.12.2011
Do site BOL NOTÍCIAS, 
Por FOLHA.COM
São Paulo

O pagamento retroativo do auxílio-moradia a magistrados, que estão sob inspeção e agora geram polêmica, obrigou a União a desembolsar alguns bilhões, informa a coluna Mônica Bergamo publicada na Folha desta quinta-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Só para a Justiça trabalhista, em 2008, quando começaram a ser pagos, eles foram calculados em R$ 1 bilhão. O auxílio foi concedido até para quem morava na cidade em que trabalhava.


Na semana passada, reportagem da Folha mostrou que nove dos 33 ministros do Superior Tribunal de Justiça receberam de uma vez só neste ano pagamentos de auxílio-moradia atrasados dos anos 1990. Os valores, somados, superam R$ 2 milhões. É o mesmo benefício recebido pelo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cezar Peluso, e pelo ministro Ricardo Lewandowski.

O direito foi reconhecido em 2000, quando o STF decidiu que todos os magistrados do país deveriam ter ganho aquilo que, durante alguns anos da década de 1990, foi pago apenas aos congressistas.

Na quarta-feira, Peluso, saiu em defesa de Lewandowski, que durante a semana paralisou inspeções do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) sobre pagamentos milionários feitos por tribunais estaduais a magistrados.
*****